10 principais causas de hemorroida e o que fazer

O que causa hemorroida e como prevernir

10 principais causas de hemorroida e o que fazer

Crédito: Reprodução/InstagramWhindersson Nunes da lição de responsabilidade com a saúde ao falar de hemorroida

O humorista Whindersson Nunes precisou passar recentemente por uma cirurgia de hemorroida e chamou atenção para um problema que ainda é considerado tabu. E é justamente esse desconforto e vergonha de falar sobre o problema que causa atraso no diagnóstico, tornando o tratamento mais difícil.

Mas, afinal, o que são hemorroidas?

Hemorroidas são veias inchadas ao redor do ânus ou do reto. Durante o movimento intestinal, essas veias dilatam-se e retraem-se, geralmente voltando ao tamanho normal. No entanto, o esforço repetido para evacuar, seja por intestino preso (obstipação) ou fezes endurecidas, pode dificultar o processo de drenagem do sangue e provocar a formação de hemorroidas.

Crédito: Vadimguzhva/istockEsforço para evacuar pode causar hemorroida

Outros  fatores facilitadores para o diagnóstico da hemorroida são: idade, obesidade, prática do sexo anal, histórico familiar e aumento da pressão nessas veias durante a gravidez.

As hemorroidas podem estar localizadas dentro do reto (hemorroidas internas), ou podem se desenvolver sob a pele ao redor do ânus (hemorroidas externas).

O problema é bem comum, quase três em cada quatro adultos terão hemorroidas alguma vez na vida, de acordo com a Mayo Clinic. Sangue no papel higiênico após a limpeza, dificuldade ao evacuar, dor anal ao sentar ou andar e coceira na região são alguns sinais.

Como prevenir hemorroida

Alguns cuidados simples podem ajudar a evitar hemorroida; confira alguns listados site do Ministério da Saúde:

– Evite o papel higiênico que irrita e aumenta a inflamação;– Adote uma dieta saudável à base de alimentos ricos em fibras e frutas frescas;– Beba muito líquido e evite as bebidas alcoólicas;– Respeite a necessidade de evacuar;– Na hora de ir ao banheiro, procure relaxar.

Muito esforço afetará as veias que podem já estar enfraquecidas;– Evite permanecer muito tempo na mesma posição. Caminhe sempre que possível, inclusive no local de trabalho;

– Banhos de assento mornos e compressas de gelo ajudam a aliviar os sintomas e a eliminar o inchaço.

Tratamentos para hemorroida

Geralmente, o diagnóstico é feito a partir da análise da região anal do paciente, onde são observadas as anormalidades no canal anal e no reto. “Em muitos casos solicitamos um exame de sangue oculto nas fezes.

Outros exames como anuscopia, retossigmoidoscopia e colonoscopia também podem ser solicitados” explica o médico cirurgião André Augusto, do Instituto Endovitta.

Cada paciente tem um caso e deverá ser tratado de forma específica.

Os tratamentos contra hemorroida ajudam a aliviar os sintomas, prevenindo a trombose. Muitas vezes, são eficazes e bem-sucedidos. Nessa fase são usados analgésicos, anti-inflamatórios e pomadas de ação local para combater a dor. Caso os sintomas da doença persistam, é necessária a intervenção cirúrgica minimamente invasiva.

Cerca de 10 a 20% dos pacientes com hemorroida recebem a indicação de tratamento cirúrgico.

Os pacientes que apresentarem quadros com grau II precisam de uma intervenção cirúrgica ou tratamentos alternativos como:

Coagulação infravermelha: tratamento não-cirurgico que não causa complicações ao paciente. Uma pequena sonda é introduzida acima da hemorroida e a luz infravermelha é aplicada, iniciando o processo de coagulação dos vasos que levam sangue a região, fazendo com que elas encolham. O processo de diminuição dos tecidos pode levar algumas semanas.

Ligadura elástica: procedimento ambulatorial realizado para diminuir o calibre das veias com melhora dos sintomas.

Cirurgias: indicada em situações extremas ou que não tiveram sucesso com outros tratamentos, a cirurgia indicada está relacionada à hemorroidectomia, geralmente utilizada em pacientes com dor ou hemorragia grave.

Durante esse processo, o cirurgião retira veias inflamadas que causam sangramento e dor.

Nela são utilizadas duas técnicas como Milligan Morgan ou Ferguson, uma cirurgia feita sob anestesia peridural, onde é removido todo o tecido ao redor da região afetada, além da técnica de Longo, mais moderna e que utiliza um dispositivo para realizar o grampeamento das hemorroidas.

O dia a dia de um paciente com hemorroida envolve cuidados, onde podem ser adotados métodos caseiros para ajudar na recuperação.

Entre os métodos estão a utilização de pomadas com corticoides para redução de dor e inchaço, banhos de assento com água morna de 10 a 15 minutos, uso de roupas íntimas de algodão, evitar segurar a vontade de evacuar, não fumar, evitar coçar a área e ingerir muitas fibras e água.

O cirurgião André Augusto ainda esclarece outros pontos sobre a hemorroida:

Evitar a ingestão de alimentos apimentados e picantes ajuda a amenizar a hemorroida

A pimenta não a causa do problema, mas pode agravar a dor. Entretanto, quem sofre dessa patologia deve evitar também produtos industrializados e a ingestão de alimentos crus, pois levam a um desequilíbrio da flora intestinal.

Atividade física em excesso pode estar relacionada à hemorroida

De acordo com o especialista, alterofilismo, andar de bicicleta, a cavalo e a prática de exercícios intensos podem agravar o quadro. Os movimentos exercem uma compressão sobre a região promovendo um aumento da pressão na veia anal.

Ficar muito tempo sentado no vaso sanitário pode piorar

O ideal é que os pacientes fiquem o tempo necessário. A dica vale também para quem trabalha sentado o dia todo, a dica é fazer curtas caminhadas.

Источник: https://catracalivre.com.br/saude-bem-estar/o-que-causa-hemorroida-e-como-prevernir/

Hemorroida: risco aumenta após os 40; entenda problema e como evitá-lo

10 principais causas de hemorroida e o que fazer

Ninguém gosta de sair por aí dizendo que está com hemorroida, mas o fato é que o problema é extremamente comum e, apesar de não ser grave, é bastante desconfortável.

Sangramento e dor são as manifestações mais frequentes das veias dilatadas na região do ânus, sendo que, em alguns casos, o vaso doente pode se projetar para fora, gerando uma saliência ou nódulo que é chamada pelos médicos de prolapso.

Pesquisas mostram que metade da população adulta vai ter algum episódio ao longo da vida, embora nem todo caso exija tratamento. O problema é pouco comum antes dos 20 anos de idade, e o risco aumenta após os 40 anos.

Hemorroida ou doença hemorroidária?

Todo mundo tem vasos sanguíneos na região do ânus que se dilatam e se retraem durante os movimentos intestinais. Só quando elas produzem sintomas é que se fala em doença hemorroidária.

Tipos de hemorroida

A hemorroida pode ser classificada como interna, se estiver localizada dentro do canal do ânus, ou externa, se estiverem para fora, na borda do ânus.

A postura ereta dos seres humanos já leva a um aumento natural da pressão sobre as veias da região anal. Porém, algumas pessoas podem ter uma tendência genética ao problema, agravadas por determinados fatores ambientais.

Veja, a seguir, os principais fatores de risco para hemorroidas:

  • Hereditariedade (a propensão genética é considerada o principal fator de risco)
  • Esforço na hora de evacuar
  • Constipação ou fezes ressecadas (em geral devido à hidratação insuficiente e/ou baixo consumo de fibras)
  • Diarreia
  • Uso crônico de laxantes
  • Obesidade
  • Gravidez (com frequência no fim da gestação, quando o peso sobre as veias da região anal é maior)
  • Envelhecimento (com o passar da idade há perda de colágeno e os vasos sanguíneos ficam mais propensos a descer)

Pimenta e condimentos causam o problema?

Alimentos apimentados ou condimentados podem causar irritação e desconforto para quem está com hemorroida, mas não é possível dizer que esses itens causam o problema.

Sexo anal pode causar hemorroida?

A prática não causa o problema, mas o sexo anal deve ser evitado enquanto a pessoa tiver com a doença hemorroidária ou qualquer outro desconforto na região anal, a fim de evitar dores, inflamação e machucados.

Jairo, tenho hemorroida, posso fazer sexo anal mesmo assim? Há perigo?

VivaBem

Sintomas

  • Sangramento anal, com ou sem dor
  • Presença de sangue (geralmente vermelho vivo) nas fezes ou no papel higiênico, após a limpeza
  • Coceira ou irritação no ânus
  • Sensação de latejamento
  • Dor contínua ou ao evacuar
  • Sensação de evacuação incompleta
  • Nódulo doloroso ao redor do ânus (prolapso)

Atenção: outras doenças, além da hemorroidária, podem causar sangramento anal, por isso é importante procurar o médico sempre que isso acontecer.

Complicações

As complicações das hemorroidas mais frequentes são sangramento, dor e trombose hemorroidária (entupimento do vaso que pode provocar dor aguda).

Hemorroida pode virar câncer?

Não, não há qualquer relação entre hemorroidas e câncer de reto. Porém, como as duas doenças podem provocar sangramentos, é preciso procurar sempre um coloproctologista ou cirurgião do aparelho digestivo para avaliação.

Diagnóstico

A doença hemorroidária pode ser diagnosticada no próprio consultório médico, com exame físico da região anal. O profissional também pode solicitar uma anuscopia, exame rápido e indolor em que um tubo fino é inserido no reto. Exames complementares podem ser solicitados.

Tratamentos

Dependendo do grau da hemorroida, que pode variar de 1 a 4, o tratamento pode ser muito simples, apenas com modificações comportamentais e/ou uso de pomadas. Nos casos mais graves (estimados em menos de 5% do total), a cirurgia é indicada, mas as técnicas avançaram bastante, facilitando a recuperação dos pacientes. Veja, a seguir, detalhes sobre cada linha de tratamento:

Mudanças comportamentais Incluir mais fibras e água na dieta, para facilitar a evacuação, reduzir o consumo de álcool, café e condimentos (para reduzir o desconforto), trocar o papel higiênico por lenços umedecidos ou ducha higiênica e utilizar roupa íntima que não aperte podem ser medidas sugeridas pelos médicos.

Banhos de assento Para hemorroidas externas, alguns minutos em água morna pode trazer alívio aos sintomas.

Medicamentos Pomadas ou supositórios podem ser indicados para diminuir a inflamação e a dor local.

Procedimentos locais A chamada ligadura elástica ou esclerose utiliza dispositivos que fazem a veia dilatada encolher. Após a cicatrização, que leva alguns dias ou semanas, o tecido é eliminado. Em geral esses procedimentos podem ser feitos no próprio consultório, com baixo risco de complicações e dor.

Cirurgia A hemorroidectomia clássica é a retirada cirúrgica, com anestesia, dos chamados mamilos hemorroidários. O procedimento tem baixo índice de recidiva, mas tem um pós-operatório mais longo.

Nos últimos anos surgiram algumas técnicas menos invasivas, como o chamado grampeamento, indicado para hemorroidas internas e prolapso, e também a desarterialização hemorroidária transanal (THD).

Ambas permitem o retorno ao trabalho após uma semana, em média.

Fitoterápicos ajudam?

Existe um produto conhecido como castanha-da-Índia, em cápsulas, que ajuda a melhorar a circulação sanguínea e costuma ser utilizada por quem tem tendência a hemorroidas, mas nem todos os médicos confiam na sua eficácia.

Prevenção

– Tenha uma dieta rica em fibras (a recomendação é ingerir cerca de 25 gramas ao dia), o que pode ser conseguido com refeições ricas em vegetais, frutas e cereais integrais. Quem sofre com prisão de ventre e tendência à hemorroida pode se beneficiar de produtos indicados pelo médico para facilitar as evacuações.

– Tome água. A quantidade indicada varia de acordo com a idade, a alimentação e o clima, mas consumir líquidos ao longo do dia é fundamental para que as fibras ingeridas exerçam sua função.

– Evite o sedentarismo.

– Evite excesso de álcool, pimenta e outros condimentos, que podem irritar o trato gastrointestinal, especialmente se você costuma ter hemorroida.

– Troque o papel por lenço umedecido.O uso exclusivo do papel higiênico pode machucar a região por atrito e nem sempre remove adequadamente os resíduos fecais. O ideal é fazer a higiene com água (não há necessidade de sabão) e usar o papel apenas para secar, ou então utilizar lenço umedecido.

Fontes:Ronaldo Salles, proctologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP); Vanessa Prado, cirurgiã do aparelho digestivo e proctologista do Hospital 9 de Julho e membro da Sociedade Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD) e da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBC); US National Library of Medicine – NIH (National Institutes of Health); Portal Coloproctologia (SBC); Ministério da Saúde

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
– Instagram –

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/06/18/hemorroidas-quais-sao-as-causas-sintomas-e-como-tratar-o-problema.htm

Cinco formas de tratar e evitar as hemorróidas

10 principais causas de hemorroida e o que fazer

São veias que se situam no canal anal – uma zona de elevada vascularização – e cuja função é ajudar na continência. São, portanto, estruturas normais e importantes no corpo humano.

Quando há um esforço contínuo, o que acontece é que estas veias podem ficar inflamadas e dilatadas. É nestas ocasiões que surge a doença hemorroidária.

Pode raramente ouvir falar dela, mas estima-se que 50% da população apresenta sintomas associados a esta doença, pelo menos uma vez na vida.

• Dor;

• Ardor;

• Prurido;

• Corrimento anal;

• Aparecimento de pequenos nódulos na região externa;

• Sangramento (“vermelho-vivo”, não misturado com as fezes);

É comum tanto em mulheres como homens, sobretudo entre os 45 e os 65 anos. Há dois tipos de hemorroidas: internas e externas, podendo ocorrer situações em que se verificam os dois tipos em simultâneo.

Hemorroidas internas

Desenvolvem-se dentro do ânus, não são visíveis e manifestam-se, sobretudo, por perda de sangue vermelho-vivo, sem dor, no final da evacuação. Dividem-se em quatro graus:

Grau I: sem prolapso

Grau II: prolapso com o esforço mas reversível de forma espontânea

Grau III: prolapso com o esforço e reversível por manipulação

Grau IV: prolapso permanente e não reversível sem cirurgia

Hemorroidas externas

Desenvolvem-se na parte exterior e são, por norma, bastante dolorosas, especialmente quando aumentam de tamanho. Por vezes, formam-se coágulos, o que intensifica a dor. O prurido é habitual.

• Paredes das veias mais finas

• Inflamação crónica dos intestinos;

• Condições médicas que aumentam a pressão abdominal, como a obstipação ou o excesso de peso, ou que aumentem o tamanho do músculo responsável pela continência anal;

• Perda de tonicidade dos tecidos que suportam as veias ano-retais;

• Envelhecimento e predisposição hereditária;

• Gravidez (gestação e parto)

• Alimentação excessiva, álcool, picantes

1. Alterar os hábitos alimentares

A alimentação deve ser rica em fibras (hortofrutícolas, pão e cereais integrais) e deve evitar-se o consumo de alimentos picantes, já que podem agravar as queixas. Deve ingerir líquidos sem álcool ou cafeína – de preferência água, entre 6 e 8 copos diariamente.

Tratar a obstipação é fundamental. Se não for possível apenas com o aumento dos alimentos ricos em fibra na dieta, recomendam-se os suplementos para o efeito.

É essencial controlar o peso! Para tal, deve praticar exercício físico, não só como uma forma de controlar o peso mas também para melhorar a circulação venosa.

2. Mudar o estilo de vida

Diminuir os esforços excessivos, evitar estar muito tempo sentado na sanita, colocar a zona afetada “de molho” em água tépida ou fria e melhorar a higiene anal com estes “banhos de assento” após as idas à casa de banho é fundamental.

Sempre sob indicação médica ou farmacêutica, podem ser aconselhados os medicamentos venotrópicos orais no tratamento dos sintomas funcionais relacionados com a crise hemorroidária aguda – dor, hemorragia, inchaço da região anal – ou em manutenção da patologia. Aconselhe-se com o médico ou farmacêutico sobre a toma do Zeflavon como tratamento oral, indicado no tratamento da Doença Venosa Crónica e no tratamento da crise hemorroidária aguda.

Pode ser também aconselhada a aplicação de cremes tópicos, com ação analgésica, anti-inflamatória, emoliente e cicatrizante.

4. Procedimentos simples

Quando a toma de medicamentos e as alterações dos hábitos de alimentação e de estilo de vida não são suficientes, pode ser necessária a intervenção de procedimentos simples e bastante toleráveis, como a colocação de um anel elástico na base da hemorroida ou a injeção de produtos esclerosantes.

5. Cirurgia

Em último caso, reservado apenas para os mais graves (cerca de 10% do total), o tratamento cirúrgico – a hemorroidectomia, ou remoção cirúrgica das hemorroidas – pode ser a solução.

1. Adotar uma dieta saudável, equilibrada e rica em fibra.

Os cereais e derivados – como pão, massa e arroz integrais/escuros –, os vegetais e a fruta fresca (de preferência com a casca) são fontes de fibra que deve incluir na alimentação diária.

As fibras são essenciais para manter um bom funcionamento do intestino e para prevenir a obstipação, pois ajudam a amolecer as fezes e a evitar o esforço a defecar, que pode causar hemorroidas ou piorar os sintomas de hemorroidas já existentes.

2. Aumentar a ingestão de líquidos diária. É recomendável beber entre 8 e 10 copos de água por dia. Bebidas com cafeína e álcool, como mencionado em cima, podem desidratar o organismo e, por isso, devem ser evitadas.

3. Praticar exercício físico.

4. Evitar estar muito tempo de pé ou sentado. Incluindo na sanita, pois faz com que aumente a pressão sobre as veias do ânus, originando ou agravando as hemorroidas.

5. Ir à casa de banho assim que sentir vontade. Um dos fatores associados às hemorroidas é a pressão aumentada no abdómen que, por sua vez, tem consequências na região anal. Ao contrariar a vontade de ir à casa de banho, faz com que todo este processo se torne mais doloroso.

Também deve evitar fazer esforço durante as evacuações, pois está a aumentar a pressão sobre as veias do reto. Com tempo, essa pressão sobre os tecidos que suportam os vasos sanguíneos pode levar à dilatação e ao surgimento de sintomas. As grávidas devem ter especial cuidado para evitar o esforço e a obstipação!

A doença hemorroidária não é uma patologia grave! No entanto, tem um elevado impacto na qualidade de vida. A farmácia é uma das primeiras respostas às necessidades e assume nesta patologia um papel importante.

Aconselhe-se com o farmacêutico, esclareça todas as dúvidas e conheça quais as formas mais adequadas para tratar e prevenir as hemorroidas.

Não faça um voto de silêncio prolongado até pedir ajuda! Quanto mais cedo tratar, mais facilmente consegue acabar com as hemorroidas.

Источник: https://www.cmjornal.pt/c-studio/detalhe/cinco-formas-de-tratar-e-evitar-as-hemorroidas

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: