10 SINAIS DE PROBLEMAS NA GRAVIDEZ

Contents
  1. Guia para grávidas | SNS24
  2. Quando é que o meu bebé vai nascer?
  3. Quais são as alterações normais da gravidez no meu corpo?
  4. A quantas consultas devo ir?
  5. Quais são os sinais de alerta durante a gravidez?
  6. Como fazer a contagem dos movimentos fetais?
  7. Como me devo alimentar?
  8. Qual é a roupa mais adequada para usar?
  9. Posso fazer exercício físico?
  10. Posso ter relações sexuais enquanto estou grávida?
  11. Como devo cuidar da minha higiene?
  12. Há proibições na gravidez?
  13. O parto é doloroso?
  14. Quais são os sinais de que o parto se aproxima?
  15. Como decorre o parto?
  16. O que devo levar para a maternidade?
  17. Quanto tempo dura o internamento?
  18. O que é o programa Janela Aberta à Família?
  19. Como posso inscrever-me no programa Janela Aberta à Família?
  20. Sinais de alerta na gravidez
  21. Sintomas na gravidez
  22. Quais são os sintomas ou sinais de alerta?
  23. Conclusão
  24. Referências recomendadas
  25. Aborto espontâneo ou menstruação: como notar a diferença?
  26. Sintomas coincidentes de menstruação e aborto espontâneo podem incluir:
  27. Em um aborto espontâneo, você também pode notar:
  28. Quanto mais tarde na gravidez ocorrer um aborto espontâneo, mais diferente ele será de uma menstruação
  29. Aborto espontâneo e fertilidade
  30. Quando fazer um teste de gravidez?
  31. Se você sabe que engravidou e começa a sangrar
  32. Sintomas de gravidez: 14 sinais de que pode estar grávida
  33. Teste online de gravidez
  34. Sintomas dos primeiros 7 dias
  35. 1. Corrimento vaginal cor-de-rosa
  36. 2. Corrimento mais espesso
  37. 3. Cólica e inchaço abdominal
  38. Sintomas das primeiras 2 semanas
  39. 4. Cansaço fácil e sono excessivo
  40. 5. Mamas sensíveis e escurecimento da aréola
  41. 6. Atraso ou falta da menstruação
  42. 7. Dor no fundo das costas
  43. 8. Aversão a cheiros fortes
  44. 9. Variações de humor
  45. Sintomas do 1º mês de gravidez
  46. 10. Enjoo matinal e vômitos
  47. 11. Desejo por comidas estranhas
  48. 12. Tonturas e dor de cabeça
  49. 13. Aumento da vontade para urinar
  50. 14. Espinhas e pele oleosa
  51. O que fazer em caso de suspeita de gravidez
  52. O que fazer se o teste de farmácia for positivo
  53. Quando fazer o ultrassom

Guia para grávidas | SNS24

10 SINAIS DE PROBLEMAS NA GRAVIDEZ

O sintoma mais frequente é a ausência de menstruação. O aumento de volume das mamas e tensão mamária também podem indicar uma gravidez.

A confirmação das suspeitas deve ser feita através de um teste de gravidez, nos primeiros dias após a ausência de menstruação.

Depois da confirmação é importante marcar a primeira consulta médica de vigilância, com a brevidade possível. Aconselhe-se junto dos profissionais de saúde nas decisões que tomar ou nas dúvidas que surgirem relacionadas com este novo projeto de vida.

Quando é que o meu bebé vai nascer?

Se não houver qualquer problema que antecipe o parto, a criança nasce normalmente por volta da quadragésima (40.ª) semana de gestação ou 9 meses após a fecundação.

Quais são as alterações normais da gravidez no meu corpo?

Para além do aumento da barriga, existem outras mudanças físicas no corpo da futura mãe:

  • maior cansaço e/ou sonolência no começo da gravidez
  • náuseas e vómitos, sobretudo logo de manhã
  • seios mais volumosos e mamilos mais sensíveis
  • maior pigmentação na aréola do mamilo e aumento da sensibilidade do mesmo, sendo normal o eventual aparecimento de leite no final da gravidez
  • aparecimento de uma linha escura na barriga que desaparece ao longo da gravidez
  • manchas escuras na cara (cloasma)
  • prisão de ventre (obstipação)
  • necessidade de urinar mais vezes (sobretudo no início e fim da gravidez)
  • aparecimento de varizes
  • dores nas costas (sobretudo no final da gravidez)

É natural existirem alterações ao nível psicológico, sobretudo no primeiro e último trimestre:

  • maior sensibilidade
  • insegurança
  • ansiedade
  • preocupação

A quantas consultas devo ir?

Geralmente, numa gravidez normal o mínimo são seis consultas. A primeira deve ser antes das 12 semanas (idealmente pelas 8 semanas). Após a avaliação poderá ser conveniente que a frequência das consultas seja superior.

Nestas consultas são requisitadas diversas análises e, habitualmente, uma ecografia por trimestre. Será também realizada educação para a saúde para promoção de estilos de vida saudável e melhor conhecimento sobre a evolução da gravidez.

Se houver risco de complicações (doenças associadas como diabetes, hipertensão, problemas cardiovasculares, endócrinos ou infeções, se é fumadora ou obesa, se tem antecedentes de abortos espontâneos repetidos, se é menor de 16 anos ou maior de 35 anos), provavelmente será referenciada para a consulta hospitalar.

Ser-lhe-á entregue um pequeno livro, o Boletim de Saúde da Grávida, que servirá para anotar todas as informações relacionadas com a sua gravidez. Este livro deverá acompanhá-la sempre.

Quais são os sinais de alerta durante a gravidez?

Deve dirigir-se, imediatamente, ao centro de saúde ou urgência da maternidade se tiver:

  • sangramento vaginal ou perda de líquido pela vagina (mesmo que em pequena quantidade)
  • corrimento vaginal com comichão, ardor ou cheiro não habitual
  • dor abdominal/pélvica contínua
  • arrepios ou febre (superior a 37,8º C)
  • dor ou ardor ao urinar ou sensação que não consegue parar de urinar ou presença de sangue na urina
  • vómitos persistentes
  • dor de cabeça forte ou contínua
  • perturbações da visão
  • subida da tensão arterial
  • aumento acentuado do peso num curto espaço de tempo
  • inchaço repentino dos pés, mãos ou rosto
  • diminuição dos movimentos fetais

Como fazer a contagem dos movimentos fetais?

Os movimentos do bebé são um excelente indicador do seu estado de saúde. Cada bebé tem o seu padrão de movimento e as mães têm a habilidade de saber analisá-lo melhor do que ninguém.

Comece a contar os movimentos do bebé quando se levanta ( por exemplo às 9h00). Quando registar os 10 conjuntos de movimentos anote um “X” no seu livro de gravidez na quadrícula correspondente à hora em que concluiu a contagem.

Se tiverem passado 12 horas e não tiver atingido os 10 movimentos, assinale, abaixo da linha vermelha, o número de movimentos contados e dirija-se à urgência da maternidade ou contacte imediatamente o seu médico ou enfermeiro.

Como me devo alimentar?

É essencial ter uma alimentação correta. Deve ser diversificada e com qualidade, não sendo necessário, nem aconselhável, um aumento da quantidade de alimentos.

Os alimentos recomendáveis são:

  • ovos
  • peixe gordo
  • carnes brancas ou vermelhas
  • ervilhas
  • feijão
  • grão
  • favas
  • lentilhas
  • leite
  • queijo
  • iogurtes
  • vegetais
  • fruta
  • líquidos (água, infusões, sopa)

Os alimentos que devem ser evitados:

  • leite e lacticínios não pasteurizados
  • queijo fresco
  • requeijão
  • queijos mal curados
  • enchidos e fumados
  • marisco
  • enlatados
  • peixes com alta concentração de mercúrio (peixe-espada, cação, espadarte, tamboril, tintureira)
  • carne, peixe e ovos mal cozinhados
  • patês
  • alimentos e bebidas doces
  • alimentos com excesso de sal ou com aditivos
  • café, chá e refrigerantes com cafeína
  • bebidas energéticas

Devem existir cuidados acrescidos quanto aos alimentos crus, visto que podem ser portadores de infeções como a toxoplasmose e a salmonelose, devendo, por isso, ser cozinhados de forma simples ou muito bem lavados.

É recomendado fazer um suplemento de:

  • ácido fólico no 1º semestre da gravidez
  • ferro no 2º e 3º trimestres
  • iodo durante toda a gravidez e amamentação

Qual é a roupa mais adequada para usar?

A roupa deve ser prática, confortável, de preferência de fibras naturais (algodão e linho), bem como adequada ao aumento do volume do abdómen. Para além disso:

  • evite o uso de roupa apertada
  • prefira soutiens de alças largas
  • pode usar uma cinta de grávida após o 5º mês de gestação
  • utilize sapatos cómodos, confortáveis, sem solas escorregadias ou saltos altos
  • prefira sapatos com cunha ou salto médio, largo

Posso fazer exercício físico?

Sim, desde que seja de uma forma moderada e a sua gravidez não tenha complicações, tais como doenças ou outras situações de risco. Não ultrapasse os 45 minutos de exercício e reduza o esforço à medida que a gravidez avança.

Deve, contudo, evitar desportos de contacto, radicais e de movimentos bruscos.

Existem alguns centros de saúde e hospitais que oferecem programas de exercício físico à grávida durante a gravidez.

Posso ter relações sexuais enquanto estou grávida?

Sim, desde que seja confortável para o casal.

Só deverá haver restrição se surgirem complicações como hemorragia vaginal e ameaça de parto pré-termo, por exemplo.

As infeções sexualmente transmissíveis contraídas durante a gravidez, como por exemplo VIH/SIDA e Sífilis, acarretam complicações graves para a grávida e para o bebé. É bastante importante que tanto a grávida como o seu companheiro tenham um comportamento sexual responsável.

Como devo cuidar da minha higiene?

Para cuidar da sua higiene deve:

  • tomar duche com regularidade (evite água muito quente e termine com água mais fria para diminuir o risco de varizes)
  • evitar fazer depilação com cera quente
  • usar creme hidratante no corpo, em especial no abdómen e mamas
  • evitar produtos perfumados ou com corantes
  • escovar os dentes depois de cada refeição ou pelo menos duas vezes por dia
  • preferir uma escova de dureza média e pasta de dentes com flúor
  • evitar alimentos açucarados, principalmente nos intervalos das refeições
  • ir a uma consulta de dentista no início da gravidez ou entre o 4º e o 6º mês

O SNS disponibiliza às grávidas, gratuitamente, até três cheques dentista para serem usados até 60 dias após o parto. Solicite-os ao seu médico de família.

Há proibições na gravidez?

O tabaco, o álcool e drogas são produtos muito prejudiciais para o futuro bebé, devendo por isso ser proibidos durante a gravidez.

Também no decorrer da gravidez, os medicamentos têm de ser indicados pelo médico, caso contrário podem ter consequências tanto na mãe como no bebé.

O parto é doloroso?

Um parto saudável e normal é acompanhado de dor.

Porém existem vários métodos que aliviam a dor durante o parto:

  • uso de medicamentos orais, injetáveis
  • epidural

Para a realização de epidural será solicitado à grávida o seu consentimento por escrito.

Para além destes, existem também outras formas de atenuar a dor de forma natural:

  • utilização de bola de pilates
  • massagens
  • deambulação
  • hidroterapia
  • aromoterapia
  • musicoterapia

Os cursos de preparação para o parto e parentalidade poderão ser uma boa opção para o esclarecimento de dúvidas e redução da ansiedade. Informe-se no seu Centro de Saúde ou Maternidade. A parturiente, se desejar, pode estar acompanhada pelo companheiro ou alguém da sua confiança.

A elaboração de um plano de parto, com instruções simples e exequíveis, poderá ser uma ferramenta valiosa para os profissionais de saúde, pois facilita a assistência individualizada e o envolvimento do acompanhante nos cuidados.

Quais são os sinais de que o parto se aproxima?

O momento do parto pode estar próximo quando:

  • nota a descida da barriga
  • ocorre a saída do rolhão mucoso (uns dias antes do início de trabalho de parto ou apenas algumas horas antes do mesmo, existe uma expulsão, pela vagina, de um muco gelatinoso, rosado ou acastanhado)
  • há rutura da bolsa de águas (membranas) que se manifesta com a saída do líquido amniótico claro e transparente pela vagina
  • contrações uterinas regulares (endurecimento abdominal associado a dor, que se vai intensificando e ficando cada vez mais frequente, até se tornar regular)

Como decorre o parto?

O parto normal é constituído por três etapas: dilatação, expulsão e dequitadura.

Na dilatação, o colo do útero (por onde o bebé passa) começa a dilatar-se até atingir os 10 cm. As contrações são cada vez mais regulares e próximas. Durante a contração, a mãe deve inspirar profundamente pelo nariz e deitar o ar fora pela boca. Quando a contração terminar, deve inspirar e expirar lenta e profundamente, relaxando e recuperando o mais possível.

Na expulsão, o bebé sai naturalmente pela vagina. Poderá ser necessário ajudar o bebé a sair com recurso a fórceps ou ventosa, ou realizar um corte na vagina. A grávida deverá, em cada contração, inspirar profundamente e depois não deixar sair o ar enquanto faz força. Quando a contração passa, deixa de fazer força e expira, aproveitando para descontrair e recuperar até à contração seguinte.

Na dequitadura, a placenta e as membranas que envolverem o bebé são expulsas algum tempo após o nascimento.

No caso de ser necessária a cesariana, o médico informa os motivos desta intervenção cirúrgica e pede o consentimento da grávida por escrito.

O que devo levar para a maternidade?

Para a mãe:

  • camisa de dormir aberta à frente
  • roupão
  • chinelos (duche e quarto)
  • produtos de higiene pessoal
  • cuecas, preferencialmente descartáveis

Para o bebé:

  • fraldas descartáveis/reutilizáveis
  • babygrows ou conjuntos de camisa e calças com pé
  • conjuntos de camisas interiores de algodão
  • manta ou envolta

O uso da chupeta pode prejudicar a adaptação inicial do bebé à amamentação, pelo que não deve ser levada para o hospital.

Deve informar-se junto do hospital/maternidade onde pensa que irá ocorrer o parto, para saber o que será necessário levar consigo.

Quanto tempo dura o internamento?

O internamento oscila entre 48 e 72 horas. O período de internamento varia tendo em conta os cuidados que sejam necessários ter com a mãe e/ou com o bebé.

O que é o programa Janela Aberta à Família?

O programa Janela Aberta à Família é um projeto público e gratuito da responsabilidade conjunta da Direção-Geral da Saúde. Pretende ajudar os pais nos cuidados pré-natais e nos cuidados após o nascimento do bebé.

Como posso inscrever-me no programa Janela Aberta à Família?

Pode inscrever-se no programa Janela Aberta à Família através do preenchimento do destacável próprio para o efeito e entregando-o no serviço onde é seguida.

Aos pais que já têm filhos ou que, por alguma razão, não tiveram acesso a esta brochura, podem inscrever-se através do programa Janela Aberta à Família.

Ao inscrever-se receberá periodicamente e de forma gratuita, informação adaptada à fase de crescimento do seu futuro bebé.

Pode fazer o download do Guia para as Grávidas.

Fonte: Direção-Geral de Saúde – RISCAR (DGS/RISCAR)

Источник: https://www.sns24.gov.pt/guia/guia-para-gravidas/

Autor: Carina Vaz de Freitas

Última atualização: 2019/06/04

Palavras-chave: Gravidez; Doença; Gravidez de risco

Sinais de alerta na gravidez

Durante a gravidez é frequente o aparecimento de alguns sintomas que ocorrem devido às alterações no organismo, próprias deste período.

Alguns destes sintomas são transitórios, mas podem prolongar-se durante toda a gravidez.

Embora muito frequentes e, geralmente, sem gravidade, é importante conhecê-los e saber que medidas podem ser adotadas para a sua melhoria/resolução e quando deve a grávida preocupar-se e procurar ajuda médica.

Sintomas na gravidez

As náuseas e os vómitos são sintomas muito frequentes, sobretudo no 1º trimestre da gravidez.

Não representam perigo desde que a grávida consiga manter a sua alimentação e hidratação, nem estejam associados a perda de peso significativa (superior a 5%), febre, diarreia, dor abdominal ou lombar intensa, dor de cabeça ou elevação da pressão arterial. Perante algum destes sintomas, a grávida deverá ser avaliada pelo seu médico assistente.

Medidas como realizar refeições regulares e em pequenas quantidades, com alimentos pouco gordurosos, beber frequentemente e em pequenas quantidades, nomeadamente chá de gengibre ou de menta, e evitar deitar-se imediatamente após as refeições, podem ser eficazes no alívio das náuseas ou vómitos.

Outras medidas, nomeadamente os medicamentos, deverão passar por uma avaliação médica personalizada.
A azia e a prisão de ventre (obstipação), tendem a agravar ao longo da gravidez por efeito de compressão do útero.

Evitar refeições pesadas, evitar os alimentos com potencial de agravar (como o chocolate, o chá e o café), e evitar deitar-se após as refeições são medidas úteis para lidar com a azia.

O aumento da ingestão de líquidos não gaseificados, de frutas e vegetais (sobretudo verduras) e a prática regular de exercício físico são boas formas de combater a obstipação.

As dores nas costas (lombalgias) ou abdominais devem-se frequentemente ao crescimento do útero, com estiramento de ligamentos e ao aumento do volume abdominal. Em geral são benignas e aliviam com repouso ou utilização de cinta. Dores mais intensas, ou que se associem a febre ou alterações das características da urina devem levar a uma avaliação médica com brevidade.As secreções vaginais sofrem alterações que na quantidade quer no aspeto durante a gravidez, sem que isso corresponda a qualquer sinal de gravidade. A avaliação médica é necessária perante outros sintomas como comichão (prurido) intensa, cheiro anómalo ou intenso, dor ou ardor quando urina e dor ou desconforto abdominal intensos.

Quais são os sintomas ou sinais de alerta?

Perante algum destes sintomas ou sinais, a grávida deve ser observada pelo seu médico assistente:

  • Arrepios ou febre alta, que podem indicar uma infeção. É importante perceber não só a sua origem, mas também se há risco para o feto.
  • Perda de sangue (hemorragia) pela vagina. Há inúmeras causas para a perda de sangue, algumas benignas e risco significativo, mas obriga a uma avaliação diferenciada pelo risco de poder ser um problema potencialmente grave (gravidez ectópica, ameaça de abortamento, descolamento da placenta, placenta prévia).
  • Perda de líquido pela vagina, poderá corresponder a perda de líquido amniótico (líquido claro, transparente).
  • Dores de cabeça intensas ou contínuas, com ou sem alterações da visão, inchaços marcados das pernas e/ou de outras partes do corpo. Podem ser sintomas de uma pré-eclâmpsia – uma entidade na gravidez que implica frequentemente antecipar o parto.
  • Dores intensas na região abdominal ou pélvica. Pode tratar-se de uma gravidez ectópica, um trabalho de parto/abortamento ou outra doença como uma apendicite, colecistite ou uma cólica renal.
  • Dores fortes e persistentes no estômago. Podem ser um sintoma de pré-eclampsia, uma doença relacionada com o aumento da pressão arterial nas grávidas.
  • Vómitos intensos e/ou persistentes. Podem indicar gastroenterite. A hiperemese gravídica é uma situação de vómitos incoercíveis durante a gravidez, que pode comprometer a alimentação e hidratação, com risco para a grávida e para o feto.
  • Diminuição dos movimentos fetais (tendo em conta o padrão habitual de movimentos do seu bebé).
  • Contrações precoces. Antes das 37 semanas, se sentir contrações, regulares, com intervalos de 10 minutos por um período superior a uma hora e que não diminuam após um período de repouso.

Conclusão

Gravidez não é doença, mas é uma das alturas da vida da mulher em que recorre mais vezes aos serviços de saúde. A maioria das alterações são benignas e não exigem qualquer cuidado. Estar atenta aos sinais de alerta e estabelecer um canal de comunicação efetivo com o médico assistente é fundamental para evitar complicações.

Referências recomendadas

Tem alguma dúvida? Fale connosco

Источник: http://www.metis.med.up.pt/index.php/Sinais_de_alerta_na_gravidez

Aborto espontâneo ou menstruação: como notar a diferença?

10 SINAIS DE PROBLEMAS NA GRAVIDEZ

Este artigo está disponível também em: English, español

*Tradução: Juliana Secchi

Pode ser estressante que sua menstruação comece mais tarde do que o esperado. Apesar de que a duração do ciclo menstrual pode variar, algumas pessoas podem se preocupar que sua menstruação atrasada seja na verdade um aborto espontâneo bem no começo.

Um aborto espontâneo ou a perda da gravidez nas primeiras 20 semanas (1) é muito comum. Pelo menos 1 em cada 3 gestações terminam em aborto espontâneo (2), apesar de que as pessoas nem sempre sabem que estão grávidas quando isso acontece.

Às vezes o óvulo se prende apenas por um período curto de tempo e então é perdido. A maioria das pessoas nem saberia que estão grávidas nesse cenário.

Estima-se que cerca de 1 em cada 5 gestações clinicamente reconhecidas, isto é, gestações que a maioria das pessoas tomaria conhecimento e que geralmente levam a pular uma menstruação, terminam em aborto espontâneo (2, 3).

Abortos espontâneos são mais comuns nas primeiras seis semanas de gestação, se tornando menos prováveis na medida em que a gravidez avança (2, 3). Se a perda de uma gravidez ocorre, é mais provável que aconteça no primeiro trimestre (as primeiras 13 semanas por idade gestacional) (4).

Quando acontece um aborto espontâneo antes que uma pessoa saiba que está grávida, pode ser difícil distinguir entre uma menstruação normal e um aborto espontâneo.

Sintomas coincidentes de menstruação e aborto espontâneo podem incluir:

  • Sangramento, sangramento intenso ou sangramento além do normal
  • Cólicas
  • Dor (1, 4-7).

Em um aborto espontâneo, você também pode notar:

  • Redução ou desaparecimento dos sintomas da gravidez (por exemplo, náusea, vômito) (5)
  • Sinais de estar doente, como febre (se o aborto espontâneo for causado por uma infecção) (5, 6)

Se você menstruar menos de duas semanas após o início esperado da sua menstruação, fica difícil saber se é uma menstruação atrasada ou um aborto espontâneo. Abortos espontâneos dentro desse prazo não costumam apresentar sangramento mais intenso ou de maior duração (7).

Além disso, pessoas que perdem a gestação cedo assim (isto é, menos do que ou igual a duas semanas após o início esperado da menstruação) têm muita pouca probabilidade de apresentar complicações.

Usar o Clue app te ajuda a acompanhar os sintomas do ciclo dia a dia.

4.8

mais de 2M+ avaliações

Quanto mais tarde na gravidez ocorrer um aborto espontâneo, mais diferente ele será de uma menstruação

O sangramento de um aborto espontâneo mais tardio vai conter tecido fetal e os coágulos de sangue provavelmente serão maiores do que os que ocorrem durante menstruais normais. O tecido provavelmente terá aparência diferente do sangue menstrual em cor (por exemplo, cinza), consistência/textura e formato.

Aborto espontâneo e fertilidade

Embora os abortos espontâneos que acontecem por volta de uma menstruação não representem uma ameaça à saúde de uma pessoa, as pessoas podem se preocupar com as chances de ter uma gravidez saudável no futuro.

Como os abortos espontâneos precoces acontecem com bastante frequência e muitas pessoas que passam por esse tipo de aborto nem sequer sabem que abortaram, é improvável que um único aborto espontâneo precoce que ocorra antes mesmo de ter sido detectado tenha implicações na fertilidade a longo prazo. Muitas pessoas que perdem a gravidez, mesmo mais tarde na gestação e várias vezes, podem ter uma gravidez saudável no futuro (2, 6, 8).

Se você tem preocupação com a possibilidade de estar passando por uma gravidez e quer saber se o seu sangramento é um aborto espontâneo ou uma menstruação normal, faça um teste de gravidez ou consulte profissionais de saúde.

Oi, eu sou a Steph! Enviaremos histórias educativas e curiosas sobre saúde feminina, além de compartilhar dicas e truques para você aproveitar o Clue app ao máximo!

Quando fazer um teste de gravidez?

Se sua menstruação está atrasada, você está tentando engravidar ou tem a preocupação de que a gravidez já tenha acontecido e não tem certeza se deve fazer um teste de gravidez, considere o seguinte:

Você está em risco de gravidez se teve sexo intravaginal desprotegido ou teve alto risco de esperma ter tido contato com suas genitais. O risco varia durante o ciclo.

Para pessoas com ciclos regulares (por exemplo, o período entre menstruações raramente varia entre mais do que dois dias), a exposição ao esperma apresenta o maior risco de gravidez desde o meio do ciclo até cerca de duas semanas antes da previsão da menstruação, porque é quando a maioria das pessoas ovula. Isso só funciona de uma forma geral e pode não refletir um determinado ciclo. Portanto, você não deve confiar nessa estimativa aproximada para a prevenção da gravidez.

(Observe que o dia da ovulação e a janela de fertilidade exibida no Clue são apenas uma estimativa. O dia real da ovulação pode acontecer num momento diferente que pode variar de ciclo para ciclo, juntamente com a data de início da sua menstruação.)

A exposição ao esperma no início ou no final do ciclo, de forma geral, apresenta menor risco de gravidez, porque é menos provável que uma pessoa tenha ovulado próximo ou durante esses dias.

Você deve fazer um teste de gravidez ou entrar em contato com seu profissional de saúde se sua menstruação estiver com nove ou mais dias de atraso.

Se você deseja fazer um teste de gravidez antes disso, geralmente é recomendável aguardar pelo menos duas semanas após o dia estimado da sua ovulação, ou aproximadamente quando você espera menstruar.

Para obter resultados mais precisos, é melhor aguardar alguns dias após a data esperada da sua menstruação. Alguns testes de gravidez anunciam que você pode fazê-los antes disso, mas quanto mais cedo você faz o teste, menos preciso é (9).

Depende de você se deseja realizá-lo mais cedo.

Se você tem um ciclo irregular (ou seja, você não sabe quando sua menstruação acontecerá e a diferença entre o seu ciclo mais longo e o mais curto é de mais de 7 a 9 dias), sexo desprotegido ou exposição ao esperma em seus genitais na maioria das vezes representa um risco maior, já que é mais difícil de estimar quando a exposição aconteceu. Você pode fazer um teste de gravidez cerca de duas semanas depois de sua última relação sexual desprotegida, embora esperar mais alguns dias ajude a melhorar a precisão dos resultados.

Se você estiver usando uma forma de contraceptivo natural (também conhecido como métodos baseados na conscientização da fertilidade ou planejamento familiar natural, a tabelinha) ou estiver monitorando sinais de fertilidade para a conhecimento corporal, terá uma ideia melhor do momento da ovulação e poderá usá-lo para avaliar seu risco de gravidez.

(Lembre-se, qualquer forma de sexo desprotegido em qualquer momento representa risco de infecções sexualmente transmissíveis.)

Se você sabe que engravidou e começa a sangrar

É importante contatar um(a) profissional de saúde. Sangramento durante o início da gravidez é comum e não é necessariamente um sinal de aborto espontâneo (10), mas é bom que se saiba o que está acontecendo.

Se você tiver sangramento anormal, dor intensa desde a pélvis até os ombros e sentir fraqueza ou desmaiar, procure atendimento médico imediatamente (11).

Esses podem ser sinais de gravidez ectópica (quando um óvulo fertilizado se prende e cresce em um lugar que não seja o útero, geralmente nas trompas de falópio) (11).

A gravidez ectópica pode ser fatal e deve ser tratada como emergência médica.

Artigo originalmente publicado em Novembro. 7, 2017.

Источник: https://helloclue.com/pt/artigos/ciclo-a-z/aborto-espontaneo-ou-menstruacao-como-notar-a-diferenca

Sintomas de gravidez: 14 sinais de que pode estar grávida

10 SINAIS DE PROBLEMAS NA GRAVIDEZ

Os primeiros sintomas de gravidez podem ser tão sutis que somente algumas mulheres conseguem percebê-los, acabando por passar despercebidos na maior parte dos casos. No entanto, conhecer os sintomas que podem aparecer é uma ótima forma de a mulher ficar mais atenta ao próprio corpo e conseguir identificar uma possível gravidez mais rápido. 

Estes sintomas devem ser levados em consideração especialmente após o atraso menstrual, porque, em alguns casos, também podem surgir devido a outras situações, como a TPM.

Teste online de gravidez

Se acha que pode estar grávida, responda a este teste online para saber quais as suas chances:

Independente do resultado deste teste, a melhor forma de confirmar se você está grávida é fazendo um teste de gravidez de farmácia, que pode ser feito a partir do 1º dia de atraso menstrual ou 14 dias após a relação sexual.

Sintomas dos primeiros 7 dias

Os sintomas típicos dos primeiros dias de gravidez são os mais difíceis de perceber, sendo, normalmente, identificados por mulheres que conseguem notar diferenças muito sutis no próprio corpo:

1. Corrimento vaginal cor-de-rosa

Quando o óvulo é fecundado, pode haver um leve corrimento cor-de-rosa, que na verdade é o corrimento normal que a mulher apresenta mensalmente, mas com vestígios de sangue que podem ter sido causados pela implementação do óvulo fecundado no útero.

Este corrimento pode surgir poucos minutos após a relação ou até 3 dias depois. Por vezes, este corrimento só é observado quando a mulher vai limpar-se após urinar.

Veja outras causas para o aparecimento de corrimento vaginal rosado.

2. Corrimento mais espesso

Devido às grandes alterações hormonais que acontecem desde o momento da concepção, é normal que algumas mulheres apresentem um corrimento vaginal mais espesso que o normal. Este corrimento não precisa ser rosado e, na maioria das vezes apresenta até uma coloração ligeiramente esbranquiçada.

Quando este corrimento é acompanhado de mau cheiro ou sintomas como dor ou coceira, é muito importante consultar um ginecologista, já que também poderá indicar uma infecção vaginal, especialmente candidíase. Entenda que alterações do corrimento podem indicar problemas de saúde.

3. Cólica e inchaço abdominal

O inchaço abdominal também é um dos primeiros sintomas de gravidez surgindo mais frequentemente nos primeiros 7 dias a 2 semanas.

O aumento do fluxo sanguíneo e a adaptação ao crescimento uterino são os maiores causadores deste inchaço abdominal, que pode ser confundido com uma cólica menstrual de fraca a média intensidade.

Além disso, a mulher pode ainda ter uma pequena perda de sangue, semelhante à menstruação, mas em menor quantidade.

Sintomas das primeiras 2 semanas

Os sintomas que começam a surgir por volta da 2ª semana são alguns dos mais típicos da gravidez:

4. Cansaço fácil e sono excessivo

O cansaço é um dos sintomas mais comuns da gravidez que pode estar presente durante toda a gestação, começando a surgir por volta da 2ª semana. É normal que este cansaço vá aumentando durante as primeiras 12 semanas de gravidez, enquanto o corpo adapta todo seu metabolismo para fornecer a energia necessária para o desenvolvimento do bebê.

A mulher começa a sentir que as tarefas que fazia anteriormente estão se tornando muito exaustivas e que precisa dormir mais de 10 horas por noite para repor a energia que gastou durante o dia.

Confira outras causas para o aparecimento de cansaço fácil e sono excessivo.

5. Mamas sensíveis e escurecimento da aréola

Nas duas primeiras semanas de gravidez, a mulher pode sentir que os seios ficam mais sensíveis e isto se deve à ação dos hormônios que estimulam as glândulas mamárias preparando a mulher para a amamentação. Existe também um aumento no volume da mama, que começa a ter glândulas mamárias mais desenvolvidas para suportar as necessidades do bebê depois do nascimento.

Além do aumento e sensibilidade das mamas, a mulher pode ainda notar alterações nas aréolas, que tendem a ficar mais escura que o normal pelo aumento de fluxo sanguíneo na região.

Veja as 6 alterações mais comuns dos seios durante a gravidez.

6. Atraso ou falta da menstruação

A falta da menstruação geralmente é o sintoma mais óbvio de gravidez, já que durante a gestação a mulher deixa de ter o período menstrual, para permitir que o feto se desenvolva corretamente no útero.

Este sinal acontece devido ao aumento na produção do hormônio beta hCG, que impede que os ovários continuem liberando óvulos maduros. A falta da menstruação pode acontecer até 4 semanas após a concepção e é mais facilmente identificada em mulheres com período regular.

Confira as 9 principais causas para a menstruação atrasada.

7. Dor no fundo das costas

Embora a dor nas costas seja quase sempre considerada um sintoma frequente das últimas semanas de gestação, algumas mulheres podem desenvolver este tipo de dor logo desde o início da gravidez, estando relacionada com as alterações que acontecem no corpo da mulher para receber o bebê.

Em alguns casos, a dor nas costas pode ser confundida com uma cólica abdominal e, por isso, algumas mulheres podem achar que é a menstruação chegando, no entanto, com a falta do período começam a perceber que se trata, de fato, de dor no fundo das costas, não estando relacionada com a menstruação.

8. Aversão a cheiros fortes

É muito comum que no início da gravidez a mulher tenha aversão a cheiros fortes, mesmo que eles sejam aparentemente agradáveis, como perfume. A maioria das grávidas pode até vomitar após sentir um cheiro forte, como o da gasolina, do cigarro ou de produtos de limpeza, por exemplo.

Além disso, como o olfato está alterado, algumas mulheres também podem relatar que existe uma alteração no sabor da comida, que se torna mais intenso e enjoativo.

9. Variações de humor

Logo nas duas primeiras semanas de gravidez, a mulher poderá perceber algumas variações de humor, sem causa aparente. É muito comum a grávida chorar por situações que não a fariam chorar antes de estar grávida e este sintoma deverá permanecer por toda a gravidez. 

Isso acontece porque as fortes alterações hormonais, normais da gravidez, podem causar um desequilíbrio nos níveis de neurotransmissores, deixando o humor mais instável.

Sintomas do 1º mês de gravidez

Após o primeiro mês de gestação, depois do atraso da menstruação, muitas mulheres começam a ter outros sintomas característicos, como:

10. Enjoo matinal e vômitos

Enjoos e vômitos são comuns, principalmente pela manhã, e estes são alguns dos sintomas de gravidez mais conhecidos, que surgem, geralmente, após a 6ª semana de gestação e que podem perdurar por toda a gravidez. Veja em que situações pode surgir enjoo matinal.

No entanto, as náuseas não precisam ser sempre acompanhadas por vômitos, sendo até mais frequente que o enjoo surja e desapareça sem que a mulher vomite, especialmente durante a manhã.

11. Desejo por comidas estranhas

Os desejos típicos da gravidez podem começar logo no primeiro mês de gravidez e se manter por toda a gestação, sendo comum que algumas mulheres apresentem vontade de comer comidas estranhas, experimentar misturas diferentes ou até ter vontade de comer comidas que nunca provaram antes.

Em alguns casos esses desejos podem estar relacionados com deficiências nutricionais em algum tipo de mineral ou vitamina, especialmente se forem por algo muito diferente do que a mulher costuma comer. Nessas situações é recomendado consultar um médico, para entender qual pode ser a causa.

12. Tonturas e dor de cabeça

As tonturas são um sintoma que ocorre por causa da queda da pressão arterial, da redução da glicose no sangue e da má alimentação devido aos enjoos e vômitos frequentes. Elas surgem logo nas primeiras 5 semanas de gravidez, mas tendem a diminuir a partir da 20ª semana de gestação.

A dor de cabeça também é comum durante a gravidez devido as alterações hormonais, mas ela geralmente é fraca, embora persistente e, muitas vezes, a mulher pode nem associar esse desconforto à gestação.

13. Aumento da vontade para urinar

Com o avanço da gravidez, o corpo da grávida precisa produzir vários hormônios, como a progesterona, para garantir que o bebê se desenvolve de forma saudável.

Quando isso acontece, os músculos da bexiga ficam mais relaxados e, por isso, é mais difícil esvaziar completamente a urina que está dentro da bexiga e, por isso, a mulher pode sentir uma vontade mais frequente para ir no banheiro urinar.

Entenda o que pode causar vontade para urinar toda a hora.

14. Espinhas e pele oleosa

As alterações hormonais podem levar ao surgimento ou piora de cravos e espinhas, chamados cientificamente de acne, e, por isso, após o primeiro mês de gravidez, a mulher pode notar um aumento da oleosidade da pele, que pode ser controlada com o uso de produtos de limpeza de pele e de higiene pessoal adequados.

O que fazer em caso de suspeita de gravidez

No caso de se suspeitar de uma gravidez é aconselhado que a mulher faça um teste de gravidez de farmácia, que pode ser feito a partir do primeiro dia do atraso menstrual. Se o resultado der negativo, pode-se esperar mais 3 a 5 dias, e se a menstruação continuar atrasada, pode-se fazer um novo teste de gravidez.

Se o resultado voltar a ser negativo, pode-se avaliar a possibilidade de fazer um exame de sangue para gravidez, pois este é mais fidedigno e mostra a quantidade do hormônio Beta HCG, que só é produzido durante a gestação. Este exame ajuda ainda a informar com quantas semanas de gestação se está:

  • 7 dias após a fertilização: até 25 mUI/mL
  • 4 semanas após a Data da Última Menstruação: 1.000 mUI/mL
  • 5 semanas após a Data da Última Menstruação: 3.000 mUI/mL
  • 6 semanas após a Data da Última Menstruação: 6.000 mUI/mL
  • 7 semanas após a Data da Última Menstruação: 20.000 mUI/mL
  • 8 a 10 semanas após a Data da Última Menstruação: 100.000 mUI/mL

Entretanto, se mesmo após 10 dias da menstruação atrasada o teste de gravidez de farmácia der negativo, a mulher não deve estar grávida, mas deve marcar uma consulta com um ginecologista para verificar a causa do atraso menstrual. Veja algumas possíveis causas para a menstruação atrasada.

Assista este vídeo para saber quais são os sintomas do início de gravidez que podem passar desapercebidos para algumas mulheres:

Em caso de gravidez psicológica todos estes sintomas podem estar presentes e a única forma de comprovar que não existe nenhum feto se desenvolvendo é através de exames. Se acha que este pode ser o seu caso, veja como identificar e tratar a gravidez psicológica.

O que fazer se o teste de farmácia for positivo

Após a confirmação da gravidez através do teste de urina de farmácia, é aconselhado consultar o ginecologista para fazer um exame de sangue para gravidez, pois este teste indica a quantidade de hormônios Beta HCG e é mais confiável.

Quando fazer o ultrassom

A partir das 5 semanas de gravidez o médico pode fazer uma ultrassonografia transvaginal para observar o saco gestacional e verificar se a gestação está de desenvolvendo dentro do útero, porque em alguns casos, pode ocorrer a gravidez ectópica, que é quando apesar da mulher estar grávida o bebê está se desenvolvendo nas trompas, o que é muito grave e coloca em risco a vida da mulher.

Se o médico não fez a ultrassonografia antes, entre 8 e 13 semanas de gestação deverá pedir esse exame para confirmar também qual a idade gestacional e quando o bebê deve completar 40 semanas, que deve ser a data prevista do parto.

Neste exame o bebê ainda é muito pequeno e pouco pode ser visto, mas geralmente é muito emocionante para os pais. Ainda é muito cedo para saber o sexo do bebê, mas se o médico desconfiar de que é menino, é provável que seja, mas ainda assim é preciso confirmar no próximo ultrassom, no segundo trimestre de gestação, por volta das 20 semanas.

Источник: https://www.tuasaude.com/10-primeiros-sintomas-de-gravidez/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: