12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir

Contents
  1. Alho-poró: conheça 12 benefícios e confira saborosas receitas
  2. 12 benefícios do alho-poró
  3. 1. Combate gripes e resfriados
  4. 2. Auxilia na redução do colesterol
  5. 3. Ajuda na perda de peso
  6. 4. Combate os radicais livres
  7. 5. Auxiliam no bom funcionamento intestinal
  8. 6. Promove a boa saúde ocular
  9. 7. Melhora da imunidade
  10. 8. Ação anti-inflamatória
  11. 9. Ideal para ser consumido na gravidez
  12. 10. Garante uma pele saudável
  13. 11. Para ossos mais fortes
  14. 12. Estimula a libido
  15. Como consumir o alho-poró
  16. Receitas incríveis com alho-poró para experimentar hoje mesmo
  17. Chia emagrece? Confira 10 benefícios da semente
  18. 1. Ajuda a emagrecer
  19. 3. Afasta doenças cardíacas
  20. 4. Controla e previne diabetes
  21. 5. Fortalece a imunidade
  22. 6. Protege os ossos
  23. 7. Previne a prisão de ventre
  24. 8. Ajuda a prevenir câncer
  25. 9. Protege o cérebro
  26. 10. Melhora o organismo após o treino
  27. Benefício em estudo
  28. Riscos da semente
  29. Como consumir?
  30. VivaBem no Verão
  31. Olha os brotos! Os benefícios e modos de uso desses alimentos
  32. Broto de feijão
  33. Broto de brócolis
  34. Broto de alfafa
  35. Broto de girassol
  36. Broto de soja
  37. Broto de quinoa
  38. Broto de repolho roxo
  39. O passo a passo do cultivo
  40. Atenção à segurança
  41. Gergelim: uma sementinha poderosa!
  42. Propriedades do Gergelim
  43. Composição do Gergelim
  44. Benefícios do Gergelim
  45. Tipos de Gergelim
  46. Óleo de Gergelim
  47. Como consumir o gergelim?
  48. Benefícios do gergelim
  49. Reduz hipertensão
  50. Previne câncer
  51. Melhora diabetes
  52. Faz bem para a saúde óssea
  53. Ajuda a controlar o colesterol
  54. Melhora a digestão
  55. Reduz inflamações
  56. Melhora a saúde bucal
  57. Protege contra radiação
  58. Pele e cabelo
  59. Aumenta função metabólica
  60. Veja também:

Alho-poró: conheça 12 benefícios e confira saborosas receitas

12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir

Foto: iStock

Por Ana Kordelos
Atualizado em 23.11.20

Quem nunca experimentou uma receita com alho-poró? Versátil, este vegetal é utilizado para incrementar o sabor de pratos salgados, garantindo destaque por seu sabor marcante. Vegetal pertencente à família da cebola e alho, o alho-poró possui forma cilíndrica, diferente de seus semelhantes.

Também conhecido como alho-francês, alho-macho, porro-bravo e porro-hortense, ganhou fama através da culinária francesa, mas teve sua popularidade expandida por todo o mundo, inclusive no nosso país.

De fácil acesso, vem ganhando cada vez mais as mesas do Brasil, adicionando um sabor semelhante à cebola, porém mais suave. Produzido o ano todo, pode ser encontrado em supermercados e hortifrútis.

12 benefícios do alho-poró

Foto: iStock

Rico em nutrientes, de acordo com a nutricionista Larissa Cohen, uma colher de sopa de alho-poró possui cerca de 4,8 kcal, 1,04 g de carboidratos, 0,21 g de proteínas, 0,38 g de fibras alimentares e 0,01 g de gordura. Confira alguns de seus benefícios segundo a profissional:

1. Combate gripes e resfriados

De acordo com a nutricionista, o alho-poró auxilia no trato respiratório, aliviando sintomas de gripe e resfriados, já que possui propriedades antibacterianas naturais.

2. Auxilia na redução do colesterol

Como todo alimento rico em fibras, ele “ajuda na redução do colesterol ruim (conhecido como LDL)”, revela Larissa.

3. Ajuda na perda de peso

Novamente a presença das fibras garante este efeito, garantindo uma sensação de saciedade por mais tempo, atuando no controle e manutenção do peso corporal.

4. Combate os radicais livres

De acordo com a profissional, o alho-poró é um alimento rico em antioxidantes como polifenóis, que combatem os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce e doenças crônicas.

5. Auxiliam no bom funcionamento intestinal

Outro feito garantido pelo seu teor em fibras, ele permite que o intestino funcione regularmente.

6. Promove a boa saúde ocular

“Este alimento auxilia na saúde da visão, pois contém luteína e zeaxantina, substâncias que protegem o tecido do olho da oxidação e envelhecimento”, informa a nutricionista.

7. Melhora da imunidade

Conforme a profissional explica, o alho-poró é considerado um alimento prebiótico, alimentando as bactérias “positivas” e ajudando na melhora da imunidade.

8. Ação anti-inflamatória

“O alho-poró contém a vitamina K, substância que auxilia na prevenção de doenças inflamatórias crônicas, assim como na calcificação das artérias”, complementa Larissa.

9. Ideal para ser consumido na gravidez

Por conter ácido fólico, é um ótimo alimento para ser consumido na gravidez, momento em que essa vitamina é muito importante para a formação do sistema nervoso do bebê.

10. Garante uma pele saudável

Veja também 7 razões para você usar mais alho em suas receitas

Este feito é garantido pela combinação de vitaminas A, C e E, além da presença de betacaroteno no alimento, causando um efeito poderoso na proteção da pele dos danos causados pela exposição aos raios solares.

11. Para ossos mais fortes

Por conter quantidades significativas de vitamina K, o alho-poró garante ossos mais fortes, já que esta vitamina ativa a osteocalcina, proteína que proporciona maior saúde óssea.

12. Estimula a libido

Conhecido por suas propriedades afrodisíacas, este alimento possibilita aumento da libido, além de auxiliar no tratamento da infertilidade.

Além de seu sabor marcante, adicionar o alho-poró à sua rotina alimentar pode garantir benefícios incríveis para a sua saúde. Não perca mais tempo e comprove sua ação.

Como consumir o alho-poró

Foto: iStock

Utilizado principalmente como ingrediente adicional em uma receita, o alho-poró pode ser consumido de diversas formas.

De acordo com a nutricionista, é possível utilizar as folhas em sopas, caldos e sucos.

Já a parte branca pode ser “cortada em anéis e utilizada como tempero natural em todos os tipos de pratos, desde carnes, peixes, frango, arroz, sopas, saladas e até como tempero do feijão”, sugere.

Com a possibilidade de ser degustado cru ou cozido, é importante lavar bem o vegetal em água corrente antes de incorporá-lo às receitas.

“É muito interessante utilizá-lo como tempero da comida no lugar do alho para as pessoas que se queixam de má digestão, azia, refluxo e gases após consumir alho.

O alho-poró é mais suave e não provoca esses sintomas em pessoas sensíveis ao alho comum”, indica Larissa.

Receitas incríveis com alho-poró para experimentar hoje mesmo

Foto: Reprodução / Cozinha Dal Bó

Cumprindo o papel de ingrediente ou utilizado como condimento, substituindo a cebola, o alho-poró pode ser o elemento que faltava para garantir ainda mais sabor ao seu prato. Confira a seguir receitas utilizando este vegetal e inspire-se:

1. Alho-poró na grelha: quem disse que o alho-poró não pode ser o destaque da refeição? Preparado na grelha, ele é temperado com salsinha, limão e azeite de oliva. O segredo para evitar folhas fibrosas é cozinhá-lo em água fervente e colocá-lo em um recipiente com gelo antes de grelhar.

2. Omelete de queijo e alho-poró: opção rica em proteína, aqui o alho-poró é utilizado juntamente ao queijo branco para garantir mais sabor ao omelete. Para temperar o prato, sal e ervas frescas.

3. Caldinho de feijão com alho-poró: utilizando como ingrediente complementar para temperar o caldinho de feijão, aqui o alho-poró ainda é acompanhado por cebola, alho, sal, pimenta, molho inglês, salsinha e manjericão.

4. Risoto de bacon e alho-poró: o risoto é um dos pratos que mais utilizam o alho-poró para garantir um sabor inconfundível. Nesta versão o vegetal é cortado em rodelas, além de ser acompanhado de bacon e queijo parmesão.

5. Risoto de shimeji e alho-poró: outra versão do famoso prato, aqui a dose de proteína é garantida pelo uso do cogumelo. O caldo de legumes é o eleito para garantir ainda mais sabor ao prato.

6. Risoto de alho-poró e queijo brie: para fazer o risoto, o arroz arbóreo é a melhor opção. O uso da margarina e do queijo brie garantem sabor marcante ao prato, por isso o alho-poró atua como coadjuvante no sabor.

7. Batata assada com alho-poró: um belo exemplo de prato saboroso com poucos ingredientes. Preparado no forno, as batatas cortadas em quatro ganham a companhia do alho-poró e da couve.

8. Pappardelle de alho-poró e panceta: uma bela opção de prato para quem deseja degustar uma boa massa temperada com alho-poró. Nesta opção, a panceta e o ovo poché garantem o tom marcante do prato.

9. Macarrão cremoso com palmito e alho-poró: outra opção de massa com molho preparado com este versátil ingrediente. Acompanhado de palmitos, o molho branco fica ainda mais saboroso com o uso de ervilhas e azeitonas pretas.

10. Filé suíno ao molho de alho-poró: ótimo exemplo de como o alho-poró também pode ser utilizado para temperar carnes. Aqui o molho do medalhão suíno foi feito com óleo de gergelim, alho-poró, molho de soja e amido de milho.

Foto: Reprodução / Vai Comer o Quê?

11. Tilápia com alho-poró e molho branco: aqui o peixe é a proteína escolhida. Para montar, basta dispor os filés de tilápia grelhados em um refratário, cobrir com o refogado de alho-poró e finalizar com o molho branco. Mais prático impossível!

12. Torta cremosa de espinafre e alho-poró: opção ideal para celíacos e veganos, esta receita não utiliza farinha de trigo e alimentos derivados de animais. Enquanto o sabor fica por conta do espinafre e alho-poró refogados, a cremosidade é garantida pelo uso do tofu em seu preparo.

13. Creme de alho-poró com batatas e bacon: receita ideal para ser degustada em dias mais frios, este caldo utiliza o alho-poró em seu preparo. Acompanhado de bacon e batatas, resulta em uma refeição muito saborosa e fácil de fazer.

14. Sopa de shiitake e alho-poró: outra opção para os dias com temperaturas mais baixas, o charme desta sopa fica por conta visual: ela é servida dentro de um pão italiano. Receita vegetariana, é uma ótima alternativa para quem deseja fugir das versões com carne, mas não abre mão da proteína.

A partir destas sugestões, vale se inspirar e arriscar a utilizar este vegetal nos preparos de pratos tradicionais, deixando a criatividade fluir e incrementando o sabor de suas refeições.

No momento da compra, prefira opções com talos mais finos e brancos e folhas esverdeadas. Sem contraindicações, o alho-poró se mostra um ingrediente versátil, capaz de transformar o sabor de receitas variadas. Experimente todos o seu sabor!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Источник: https://www.dicasdemulher.com.br/alho-poro/

Chia emagrece? Confira 10 benefícios da semente

12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir

Entenda como consumir a semente e como ela pode ajudar na digestão

A chia é bastante conhecida por ser um “superalimento”, e essa fama acontece por um bom motivo: são repletas de nutrientes que proporcionam diversos benefícios para a saúde.

Uma porção de duas colheres (cerca de 28 g) contém cerca de 79 calorias, 7 g de fibra, 3,8 g de proteína e 126 mg de cálcio – 13% do valor diário recomendado. Também possui boas quantidades de ômega 3, proteínas e antioxidantes.

Recentemente, a chia se tornou a queridinha das dietas por ajudar a emagrecer, mas diversas pesquisas científicas comprovam que consumir as sementes proporciona múltiplas vantagens para o organismo e até previne problemas de saúde. Listamos, a seguir, os principais benefícios de incluí-la na alimentação.

1. Ajuda a emagrecer

Sozinho, nenhum alimento faz uma pessoa emagrecer. Mas a chia é uma grande aliada da perda de peso, quando associada a dietas saudáveis e exercícios. Isso ocorre porque a semente é rica em fibras, além de proteínas e ômega 3.

Essas propriedades ajudam a manter a saciedade e, consequentemente, na diminuição do consumo de alimentos. As fibras ajudam na absorção de água, transformam-se em um tipo de gel e aumentam a dilatação do estômago, o que torna o retorno da sensação de fome mais lento.

Um estudo divulgado na Nutrition Research and Practice comprovou que comer sementes de chia no café da manhã aumenta a saciedade e reduz a ingestão de alimentos a curto prazo.

A chia é rica em antioxidantes, cujo consumo regular impede a formação de radicais livres que são responsáveis por destruir as membranas celulares, mostra uma pesquisa divulgada na Gerontology Research Center (EUA). Sendo assim, a semente ajuda em uma dieta que retarda o processo de envelhecimento.

3. Afasta doenças cardíacas

O alimento é bastante eficaz no combate de doenças cardíacas como infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVC). A chia possui grandes quantidades de ômega 3, ômega 6, antioxidantes, fibras e proteínas que protegem o organismo de doenças cardiovasculares.

O ômega 3, por exemplo, ajuda a regular a pressão dos vasos sanguíneos e evita a hipertensão, de acordo com um estudo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Além disso, diversas pesquisas relacionam o alimento com a diminuição desses tipos de problema de saúde, como em pessoas com diabetes.

4. Controla e previne diabetes

A semente de chia possui fibras e aumenta o tempo de liberação da glicose no organismo, o que contribui para prevenir o diabetes tipo 2.

Sabe-se que o alimento quando colocado em contato com a água, forma um gel viscoso que, quando ingerido, produz uma barreira física que separa as enzimas digestivas dos carboidratos, promovendo uma lenta conversão de carboidratos em açúcar.

Consequentemente, proporciona uma digestão mais lenta, mantendo os níveis de açúcares no sangue mais constantes e controlando a glicemia.

5. Fortalece a imunidade

O alimento possui nutrientes como fósforo, manganês e potássio, que auxiliam a função imunológica, pois inibem a reprodução de células inflamatórias, atuando na prevenção de doenças e na preservação de membranas celulares e neurotransmissores. Também contém aminoácidos como o ácido aspártico e a glutamina, que estão relacionados com a melhora do sistema imunológico. Por isso, incluir a chia na dieta reforça as defesas do organismo e afasta o risco de doenças como gripes, resfriados e infecções.

6. Protege os ossos

A chia também é fonte de cálcio, mineral essencial para manter a saúde óssea estável. Dessa forma, o grão se torna um aliado para manter os ossos rígidos e prevenir a osteoporose –condição que deixa os ossos mais frágeis e suscetíveis a fraturas.

7. Previne a prisão de ventre

Um dos maiores componentes da chia são as fibras, principalmente a fibra insolúvel que, quando associada à água, se transforma em um gel, que aumenta o volume fecal e induz os movimentos peristálticos, prevenindo a constipação, além de aumentar a saciedade.

8. Ajuda a prevenir câncer

Os mesmos antioxidantes que reduzem o envelhecimento celular também ajudam a prevenir a formação de tumores, o que a torna a chia bem-vinda na dieta de quem quer evitar o problema. Ela também apresenta abundância em fibras, o que induz o peristaltismo intestinal (movimentos do intestino) e ajuda a prevenir o câncer de cólon.

9. Protege o cérebro

A chia auxilia as funções cerebrais por conter magnésio, nutriente essencial para o pleno funcionamento do cérebro e ligações cognitivas. Além disso, a semente contém ácidos linoleico e alfa-linolênico que estão relacionados à formação das membranas celulares, as funções cerebrais e a transmissão de impulsos nervosos.

10. Melhora o organismo após o treino

Com seu alto teor de proteína e fibra, as sementes de chia são ideais para serem incluídas em uma bebida ou um lanche de recuperação pós-treino. Isso acontece devido a presença da proteína.

O nutriente contribui para a manutenção de massa muscular e fornece mais energia.

Além disso, as sementes de chia possuem ômega 3, o que melhora o desempenho dos atletas, de acordo com uma pesquisa da Universidade do Alabama (EUA).

Benefício em estudo

– Diminui colesterol: O consumo de chia, mesmo em doses baixas, diminui a viscosidade do sangue, devido à presença de ácido graxo ômega 3.

Isso facilita a microcirculação, aumentando a oxigenação dos tecidos e reduzindo, assim, os níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue.

Estudos realizados em ratos comprovam a eficiência do alimento contra o colesterol “ruim” no organismo.

– Evita a formação de gordura localizada: um estudo divulgado pelo European Journal of Clinical Nutrition, mostrou que a chia pode ajudar na redução dos “pneuzinhos”. Realizado por doze semanas com treze indivíduos saudáveis que consumiram a semente. Eles tiveram uma redução nos picos de insulina no sangue, o que evita o acúmulo de gordura no organismo.

Riscos da semente

Por ser bastante calórica, os especialistas recomendam uma porção diária, cerca de duas colheres de sopa de chia, divididas em diferentes refeições.

O ideal é que a chia seja hidratada antes do consumo. Em excesso, e em casos de pessoas que bebem pouca água, pode causar problemas digestivos como dores abdominais, constipação, diarreia, inchaço e gases. Isso ocorre devido a grande quantidade de fibras presentes no alimento.

As pessoas que são sensíveis à mostarda, sementes de gergelim, orégano ou tomilho também podem ser alérgicos a chia. Aqueles que tomam anticoagulantes, outros medicamentos para problemas cardíacos ou diabetes devem consultar seus médicos antes de consumir as sementes de chia.

É importante ressaltar que a chia possui propriedades que reduzem a pressão arterial. Por isso, o consumo deve ser moderado para pessoas com pressão baixa. Sabe-se também que ocorreram complicações em quem tinha problemas de deglutição, uma vez que a semente absorve grandes quantidades de líquidos e pode expandir o esôfago quando consumida com água.

Como consumir?

Imagem: iStock

A chia tem um sabor neutro, podendo ser usada em preparações doces e salgadas. Veja, a seguir, algumas formas de incluir a semente no dia a dia.

– In natura: pode ser consumida polvilhada em iogurte ou saladas de frutas.

– Massas: adicione em massas de pães e tortas. Ela pode ser a substituta da farinha de trigo.

– Bebidas: para aumentar o teor de fibras e diminuir o índice glicêmico, a semente pode fazer parte de sucos ou vitaminas.

– Saladas: experimente salpicar a semente em diferentes saladas para desfrutar dos nutrientes da chia.

– Ovos: a semente também pode complementar as receitas de omeletes e até mesmo substituir o alimento. Isso é possível porque ao misturar a chia com água ela se transforma em gel.

Fontes: Marcela Voris, nutróloga e membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN); Marisa Resende Coutinho, nutricionista da Rede de Hospitais São Camilo de SP; Marisa Diniz Graça, nutricionista do Hospital Leforte; Tarcila Ferraz de Campos, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

VivaBem no Verão

O UOL VivaBem está no litoral paulista com o VivaBem no Verão. Um espaço com atividades para você se exercitar, mas também curtir e relaxar na entrada da Riviera de São Lourenço. Venha nos visitar!

Data: do dia 27 de dezembro de 2018 ao dia 03 de fevereiro de 2019, de quinta a domingoHorário: das 16h às 00hEndereço: Praia de Riviera de São Lourenço, Litoral Norte de São Paulo

Entrada: gratuita

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
– Instagram –

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/01/02/beneficios-da-chia.htm

Olha os brotos! Os benefícios e modos de uso desses alimentos

12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir

Semente, água, ar e um tiquinho de disposição: esse combo é suficiente para ter em casa brotos comestíveis, ingredientes dos mais saudáveis de que se tem notícia.

Eles ainda são pouco consumidos pelos brasileiros, mas integram a culinária chinesa há nada menos do que 5 mil anos.

Nos Estados Unidos e na Europa, a demanda por esses alimentos só cresce, especialmente pela combinação de pouca caloria e alto teor nutritivo.

Não estranhe se ouvir alguém chamá-los também de “comida viva”, já que falamos de itens biogênicos — ou seja, que expandem e geram vida.

A verdade é que os brotos nada mais são do que um estágio avançado de germinação de mais de 30 espécies de sementes de hortaliças (rúcula, brócolis, couve, rabanete…), leguminosas (feijão, grão-de-bico, alfafa, soja…), cereais (trigo, arroz, cevada, centeio….) e oleaginosas (girassol, alpiste, gergelim…), além de quinoa e amaranto.

De fácil digestão, eles oferecem o que há de melhor para nosso organismo funcionar bem e se manter protegido contra inúmeras doenças crônicas e associadas ao envelhecimento.

Para entender o motivo, vale examinar com lupa o ritual da natureza que começa quando a gente desperta a semente com um bom banho de água filtrada.

O gestor ambiental Guilherme Reis Ranieri, especialista em etnobotânica de plantas alimentícias de São Paulo, explica que a hidratação incha a semente e a casca se rompe, revelando uma pontinha de raiz que cresce até formar o broto.

“Esse processo instiga as reservas naturais de nutrientes das sementes e ativa o metabolismo da planta, aumentando a concentração de fibras, proteínas, minerais, vitaminas e antioxidantes”, descreve o autor do perfil de Instagram @matosdecomer.

“A força biológica da germinação é como a de uma nave espacial decolando”, compara o médico Alberto Peribanez Gonzalez, do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEP), na capital paulista, e autor dos livros Lugar de Médico É na Cozinha (clique para comprar) e Cirurgia Verde (clique para comprar), ambos da Editora Alaúde. “Em apenas uma semana, a semente germinada já formou hastes de 10 centímetros de altura sem necessidade de terra, fertilizante ou substrato”, relata.

O mais bacana é que essa verdadeira usina de nutrientes pode ser montada em casa, em qualquer região e época do ano, sem exigir grandes cuidados, e em espaços tão diminutos quanto potes de vidro — desses de azeitona ou palmito mesmo. Dependendo da espécie, 1 quilo de sementes produz de 5 a 12 quilos de brotos.

Para Gonzalez, o consumo diário desses alimentos deveria ser até estratégia de saúde pública. “Com uma pequena produção caseira, famílias de diferentes níveis socioeconômicos conseguiriam enriquecer a dieta”, justifica.

Que tal provar? Existem kits com os materiais básicos, como os vendidos pela startup paulistana Yes, We Grow. Mas dá para recorrer ao que você já tem em casa.

Para ajudar na escolha do broto, a seguir detalhamos os benefícios de alguns dos mais badalados na cozinha.

Broto de feijão

Queridinho da culinária oriental, o broto de feijão-moyashi, também conhecido como feijão-mungo, reúne uma série de predicados: é saboroso, crocante, pouco calórico e muito nutritivo. E olha que beleza: o processo de germinação elimina as indesejáveis substâncias que causam flatulência e também os compostos que dificultam a absorção de nutrientes pelo organismo.

“Há pelo menos cinco espécies que produzem brotos gostosos e saudáveis, como o feijão-azuki, o branco e até mesmo o carioquinha”, nota Ranieri, frisando que todos são excelentes fontes de ferro, magnésio, fósforo, zinco e cálcio, além de vitaminas A, C, E e K. Sem falar na presença de fibras e proteínas. Não são poucos os estudos que associam as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes desse alimento a uma maior proteção contra doenças cardiovasculares, Alzheimer e câncer.

Guarde a dica: Ele fica uma delícia quando cozido em sopas e refogados. Só não submeta a uma temperatura acima de 60 ºC. Isso pode levar a perdas nutricionais.

Broto de brócolis

O alimento faz parte da família das crucíferas, assim como couve-flor, repolho, couve, rúcula, agrião e mostarda. Os brotos dessas sementes são cheios de vitaminas A, C e K. Há ainda um montão de fibras, que dão saciedade, melhoram o trânsito intestinal, fortalecem a imunidade e contribuem para a manutenção dos níveis de açúcar no sangue.

Pensa que acabou? Os brotos de brócolis são abastecidos de sulforafano, substância com habilidade de atuar diretamente em nosso DNA, reduzindo o risco de alterações que levam ao câncer.

Um estudo publicado na revista Science indica que o consumo regular desses alimentos ajuda a evitar diferentes tipos de tumor, como de intestino, mama, próstata, útero e fígado.

Já cientistas da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, investigam o potencial desse broto para controlar sintomas de esquizofrenia.

Guarde a dica: Molhos aliviam o amargor de certos brotos. Misture azeite, um item picante (gengibre, pimenta), algo doce (fruta desidratada), sal e limão (ou vinagre).

Broto de alfafa

É o segundo tipo mais fácil de encontrar por aqui — só perde para o moyashi. Ele concentra doses consideráveis de cálcio, fósforo, ferro, zinco e vitaminas A, B e C. Diferentemente de outros brotos, o de alfafa tem gosto mais suave e, por isso, agrada até os paladares mais exigentes.

Outra peculiaridade importante é que ele pode ser germinado na presença de luz solar — os demais se dão melhor no escuro, por isso é bom cobrir o pote —, garantindo clorofila à plantinha.

Assim, ela fica turbinada de agentes que neutralizam radicais livres. “Na prática, eles diminuem a sobrecarga dos rins, melhoram as funções respiratória e hepática, além de dar uma ajuda a quem sofre com acidez.

Beneficiam ainda pele, cabelos e unhas”, enumera o médico do Einstein.

Guarde a dica: O consumo cru é o mais proveitoso do ponto de vista nutricional. Misture na salada, bata com sucos e coloque em sanduíches. É ótimo também como petisco.

Broto de girassol

Suculento e levemente adocicado, o ingrediente tem alta concentração de ômega-6, gordura considerada boa — só é preciso caprichar também no ômega-3, já que o desequilíbrio entre os dois nutrientes predispõe a inflamações. Além disso, o broto de girassol carrega substâncias antioxidantes e vitaminas do complexo B, que zelam pelo bem-estar mental.

Outro nutriente que desponta no alimento é o zinco, amigo da imunidade — entre homens, há indícios de que ele melhora até a qualidade dos espermatozoides.

Antes de consumir o broto, vale um cuidado: “É preciso remover a casca que se solta da semente no processo de germinação para que ele não fique duro e fibroso”, observa Ranieri.

“Para isso, basta jogá-la na água e agitar. As cascas vão boiar, facilitando a retirada”, ensina.

Continua após a publicidade

Guarde a dica: É um dos brotos mais versáteis. Pode entrar na salada de frutas e na finalização do macarrão alho e óleo. Cai bem até na decoração de sobremesas.

Broto de soja

Os vegetarianos já conhecem a abundância proteica da leguminosa. Fora os compostos que parecem resguardar contra tumores na mama e na próstata.

Pois no broto as propriedades se intensificam, com a vantagem de ter o sabor menos marcante.

Os benefícios são tantos que, recentemente, a Embrapa desenvolveu o Tecnobroto, equipamento criado com materiais caseiros que ajuda a automatizar a produção, facilitando a vida de pequenos agricultores.

“O Brasil é o maior produtor mundial de soja, mas não tem o hábito de cultivar brotos. Queremos incentivar essa prática e, assim, incrementar a alimentação”, explica o pesquisador Marcelo Alvares de Oliveira. No site da entidade, há o passo a passo para elaborar o acessório. “Ele serve para qualquer broto, com pequenas adaptações”, conta Oliveira.

Guarde a dica: De consistência mais firme, fica melhor cozido ou refogado. Prove no frango xadrez ou bata ½ xícara do broto com água e frutas para uma bela vitamina.

Broto de quinoa

Originária dos Andes, a pequena semente é um superalimento. Não à toa, a Nasa — a agência espacial dos Estados Unidos — incluiu a quinoa na dieta dos tripulantes de missões de longa duração. Bastam quatro horas de imersão em água e dois a três dias de germinação para ter seu broto. “Ele é fonte de ômegas 3 e 6, gorduras essenciais para o funcionamento cerebral”, observa Gonzalez.

“Também reúne vitaminas do complexo B e ferro, fortalecendo o sistema imunológico e potencializando o metabolismo”, completa. O médico ainda faz questão de citar as fibras, substâncias que, como vimos, colaboram para um processo digestivo mais eficiente, entre outras coisas. Os brotos de gergelim e alpiste reúnem vantagens similares. Que tal revezar a trinca?

Guarde a dica: No café da manhã, consuma a quinoa germinada com banana em rodelas temperada com caldo de um limão, canela, melado de cana e gengibre ralado.

Broto de repolho roxo

Outro integrante do time das crucíferas. Apresenta as mesmas propriedades do broto de brócolis, com destaque para a ação antioxidante e o estoque de vitaminas A, K, C e E. Esse mix preserva os neurônios, faz um bem danado a olhos, pele e cabelo e auxilia na prevenção e na cicatrização de feridas e úlceras.

Sua coloração roxa vibrante enche a vista.

E a tonalidade se deve a um pigmento natural, a antocianina, que, mais do que embelezar as receitas, aguça a imunidade, reduz os níveis de colesterol e nos defende de males ligados ao envelhecimento.

As fibras também dão as caras, para a alegria do intestino. Para ter ideia, 100 gramas de repolho roxo em forma de broto somam apenas 103 calorias. Pode encher o prato — com esse e outros tipos. Eles são pequeninos só do lado de fora.

Guarde a dica: Um vinagrete de broto de repolho roxo fica colorido e bastante nutritivo. Escale também para enfeitar a brusqueta de tomate e pesto recém-saída do forno.

O passo a passo do cultivo

Na maioria dos casos, os brotos demoram de sete a dez dias para serem colhidos

Escolha da semente: Opte por versões específicas para esse cultivo, pois são mais vigorosas e com maior teor germinativo. Estão à venda na internet e em lojas agrícolas.

Hidratação: Em uma bacia ou no pote, deixe as sementes de quatro a 12 horas na água filtrada. Elas se expandem — então não preencha mais do que 2 centímetros da vasilha.

Hora do descanso: Escorra a água das sementes. Lave e seque bem o pote. Ponha as sementes de volta e cubra o recipiente com um tecido respirável. Prenda-o com elástico.

Tempo de colheita: Guarde o pote inclinado para não juntar água. Regue de uma a três vezes ao dia, escorrendo bem depois. Pode colher os brotos ao atingirem uns 10 centímetros.

Atenção à segurança

Tenha em mente que o prazo de validade dos brotos é curto. Para se certificar de que dá para comer, avalie se possuem frescor e não têm cheiro forte. Ao cultivar em casa, lembre-se de que limpeza e circulação de ar evitam a proliferação de micróbios.

Para matar eventuais bactérias na superfície do grão antes da germinação, o engenheiro-agrônomo Marcelo Alvares de Oliveira, da Embrapa Soja, orienta mergulhar as sementes por quatro minutos numa solução de 100 ml de água sanitária para 900 ml de água filtrada. Após a colheita, os brotos duram cerca de duas semanas na geladeira, em potes herméticos — e com papel-toalha em cima para absorver o excesso de umidade.

Continua após a publicidade

Источник: https://saude.abril.com.br/alimentacao/olha-os-brotos/

Gergelim: uma sementinha poderosa!

12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir

O gergelim é uma semente que proporciona muitos benefícios para a sua saúde. Há muitos séculos, é a base da alimentação libanesa.

No quesito nutrição, as sementinhas de gosto requintado não deixam por menos: pequeninas, achatadas e de coloração que varia do branco ao preto, são valiosas graças à grande quantidade de proteínas, gorduras, carboidratos e fibras.

Isso faz que o gergelim seja importante na redução do colesterol, além de possuir propriedades anticancerígenas e antioxidantes.

Propriedades do Gergelim

A semente de gergelim contém grande variedade de princípios nutricionais, como 52% de lipídos (ou gorduras), basicamente ácidos graxos insaturados, o que proporciona grande eficácia na redução do nível de colesterol no sangue.

Lecitina: Nesta fração oleosa encontra-se a lecitina, substância que desempenha importante papel adstringente no organismo, além de componente do tecido nervoso.

O gergelim é, juntamente com a soja, o alimento mais rico em lecitina, com fração proteica (20%) de alto valor biológico, formada por 15 aminoácidos, com elevada proporção de metionina (aminoácido essencial).

Vitaminas: As principais vitaminas: A, E (tocoferol), B1 (tiamina) e a B2 (riboflavina).

Como toda boa semente oleaginosa, o gergelim é rico em minerais e oligoelementos, especialmente cálcio, fósforo, ferro, magnésio, cobre e cromo.

A presença de cálcio é altamente efetiva para acalmar os nervos, conter a ansiedade e sintomas mentais de estresse. Os grãos pretos são mais ricos em cálcio e vitamina A. Vale lembrar que tem muito mais cálcio no gergelim do que no leite de vaca.

Sua ação de laxante suave é devido a presença de mucilagens que se desenvolvem após sua hidratação prévia em água filtrada.

Composição do Gergelim

Quantidade por 100 gramas / Calorias 573

Lípidio50 g
Gordura saturada7 g
Gordura poliinsaturada22 g
Gordura monoinsaturada19 g
Sódio11 mg
Potássio468 mg
Carboidrato23 g
Fibra dietética12 g
Açúcar0,3 g
Proteína18g
Cálcio975 mg
Ferro14,6 mg
Magnésio351 mg
Fósforo616 mg
Zinco7 mg
Selênio5 mg
Vitamina A9 IU
Vitamina b60,8 mg

Benefícios do Gergelim

  • Fortalece os tendões e ossos
  • Tonifica o fígado e os rins
  • Tônico geral, principalmente após hemorragias
  • Combate dores lombares e de joelhos, reumatismo
  • Evita a queda e o branqueamento precoce dos cabelos
  • Melhora a elasticidade da pele e forte poder antioxidante nas células
  • Previne o enfarto do miocárdio e a trombose arterial

Tipos de Gergelim

São 3 tipos, o branquinho, que é cru; o bege, que é torrado; e o preto. Os três são boas opções para consumo e tem praticamente as mesmas propriedades. O gergelim preto é ligeiramente superior, por conter um pouco mais de vitamina A e antioxidantes.

Óleo de Gergelim

Apresenta sabor doce, característica refrescante, ligeiramente frio. Tem ação principal no intestino grosso.

O óleo de gergelim é rico em ácidos graxos insaturados e apresenta vários constituintes secundários importantíssimos, como sesamina, sesamolina e sesamol. Este último, com suas propriedades antioxidantes, confere ao óleo elevada estabilidade química, evitando a rancificação, fazendo do óleo de gergelim o óleo de maior resistência à oxidação entre os demais óleos de origem vegetal.

Como consumir o gergelim?

O ideal é que a semente seja ingerida em sua forma integral, a semente crua. Porém qualquer alimento que contenha o gergelim, vai acabar trazendo algum benefício ao corpo.

Hoje já podemos encontrar vários alimentos que o possui, e também podemos inseri-lo em nossas receitas caseiras, levando um toque mais saboroso como ao arroz e saladas.

O consumo ideal seria de uma a duas colheres de sobremesa das sementes diariamente (podem ser cruas ou torradas, polvilhadas sobre o arroz, salada, iogurte, fruta ou suco).

E você, já inclui o gergelim na sua dieta?

Источник: https://belezaesaude.com/gergelim/

Benefícios do gergelim

12 benefícios do gergelim para a saúde e como consumir
Imagem editada e redimensionada de Ari Koess, está disponível no Unsplash

O gergelim, também conhecido como sésamo, é a semente de uma planta originária do Oriente, de nome científico Sesamum indicum. Além de deliciosas, as sementes de gergelim trazem muitos benefícios, como melhorar a saúde óssea, proteger contra radiação, câncer, hipertensão, diabetes e inflamação.

Você pode encontrar sementes de gergelim preto, branco e marrom (quando há casca). Apesar das variações, o valor nutricional entre os diferentes tipos de semente de gergelim muda pouco.

As sementes de gergelim contêm 52% de lípidos (gorduras) benéficos e são constituídas por ácidos graxos insaturados, que contribuem para a redução dos níveis de colesterol. Além disso, elas são abundantes em fibras, proteínas, tiamina, vitamina B6, folato, triptofano e minerais como cálcio, ferro, magnésio, fósforo, manganês, cobre e zinco.

Reduz hipertensão

O consumo do óleo natural das sementes de gergelim está associado à redução na hipertensão, o que melhora o funcionamento do sistema cardiovascular e ajuda a prevenir várias condições cardíacas.

Além disso, a semente de gergelim fornece 25% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de magnésio, um importante vasodilatador (agente que reduz a pressão arterial) e que tem outras funções para o organismo.

Entenda mais sobre o magnésio na matéria: “Magnésio: para que serve?”.

Previne câncer

Com a ampla gama de vitaminas e minerais essenciais presentes nas sementes de gergelim, não é surpresa que o consumo desse ingrediente tenha sido associado a uma redução no risco de câncer. Além dos minerais, as sementes de gergelim contêm fitato, um antioxidante que combate os efeitos dos radicais livres.

Melhora diabetes

Os componentes das sementes de gergelim, como o magnésio, têm sido associados à redução do riscos de diabetes e servem para o tratamento de seus sintomas.

Além disso, foi demonstrado que o óleo de gergelim pode afetar positivamente a ação de vários medicamentos em pacientes que sofrem de diabetes tipo 2.

Ele melhora a funcionalidade da glibenclamida (medicamento para diabetes) e regula ainda mais os níveis de insulina e glicose no corpo, ajudando, assim, a controlar os sintomas da doença.

Faz bem para a saúde óssea

Os níveis impressionantes de minerais essenciais como zinco, cálcio e fósforo encontrados nas sementes de gergelim podem ser grandes amigos da saúde dos ossos. Eles são parte integrante na criação e reparo de ossos enfraquecidos por lesão ou aparecimento de condições ósseas debilitantes como a osteoporose.

No entanto, as sementes de gergelim contêm compostos naturais chamados oxalatos e fitatos, que são considerados antinutrientes e que reduzem a absorção desses minerais. Para limitar o impacto desses compostos, tente embeber, torrar ou germinar as sementes de gergelim.

Ajuda a controlar o colesterol

Alguns estudos sugerem que comer sementes de gergelim regularmente pode ajudar a diminuir o colesterol alto e os triglicerídeos – que são fatores de risco para doenças cardíacas.

Segundo pesquisas, comer mais gordura poliinsaturada e monoinsaturada (como as presentes no gergelim) em relação à gordura saturada pode ajudar a diminuir o colesterol e reduzir o risco de doenças cardíacas.

Além do mais, as sementes de gergelim contêm dois tipos de compostos vegetais – lignanas e fitoesteróis – que também podem ter efeitos de redução do colesterol.

Melhora a digestão

O gergelim também contém fibras que são importantes para a saúde do intestino, reduzindo condições como prisão de ventre e diarreia, e protegendo a saúde do cólon.

Reduz inflamações

O alto teor de cobre das sementes de gergelim tem várias funções valiosas, incluindo a redução da inflamação nas articulações, ossos e músculos, reduzindo, assim, a dor associada à artrite. Além disso, o cobre é um mineral essencial para o fortalecimento dos vasos sanguíneos, ossos e articulações, sendo necessário para a captação adequada de ferro, um componente chave da hemoglobina.

Melhora a saúde bucal

Talvez os efeitos mais notáveis ​​do gergelim sejam sobre a saúde bucal. O óleo de gergelim pode ser aplicado na boca interna e externamente, apresentando efeito antibacteriano e adstringente. Ele também reduz a presença de Streptococcus, uma bactéria comum que pode causar estragos nas cavidades orais e em outras partes do corpo.

  • Óleo de gergelim proporciona benefícios à saúde

Protege contra radiação

Um dos compostos orgânicos presentes no gergelim é o sesamol. Ele tem sido associado à proteção do DNA contra os efeitos nocivos da radiação.

A radiação, que pode vir de fontes acidentais ou do tratamento de câncer por quimioterapia e radioterapia, causa danos ao DNA, aumentando a chance de um novo câncer.

Nesse sentido, o gergelim pode ser aliado na prevenção desse tipo de dano e, consequentemente, prevenir o câncer.

Pele e cabelo

Como mencionado, as sementes de gergelim contêm altos níveis de zinco, um componente vital na formação de colágeno, que fortalece o tecido muscular, cabelo e pele. Além disso, o óleo de semente de gergelim reduz manchas de queimadura e outras marcas na pele, bem como sinais de envelhecimento precoce.

Aumenta função metabólica

O gergelim também contém uma grande quantidade de proteínas dietéticas com aminoácidos de qualidade fina que são essenciais para o crescimento celular saudável, manutenção dos níveis de energia e da função metabólica.

Fontes: Organic Facts e Healthline

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/6667-gergelim.html

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: