15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

Contents
  1. Atraso na menstruação: até quanto tempo pode ser considerado normal?
  2. Até quando o atraso na menstruação é normal?
  3. Quando é importante procurar ajuda médica?
  4. Ansiedade ou estresse
  5. Obesidade ou peso muito baixo
  6. Interrupção ou uso errado de anticoncepcionais
  7. Excesso de atividades físicas
  8. Disfunção na tireoide
  9. Síndrome dos ovários policísticos
  10. Amamentação
  11. Menopausa e pré-menopausa (insuficiência ovariana prematura)
  12. Menstruação atrasada: o que pode ser?
  13. 1. Gravidez 
  14. 2.Síndrome de Ovários Policísticos 
  15. 3.Hipotireoidismo 
  16. 4. Estresse
  17. 5. Menopausa e Climatério 
  18. 6. Distúrbios alimentares
  19. 7. Amenorreia devido ao uso de anticoncepcionais
  20. 8. Pílula do dia seguinte 
  21. 9.Hiperprolactinemia
  22. O que fazer quando a menstruação está atrasada? 
  23. Menstruação atrasada: 9 causas e o que fazer
  24. 1. Excesso de atividade física
  25. 2. Dietas muito restritivas
  26. 3. Alterações no sistema reprodutor
  27. 4. Alterações do hipotálamo e hipófise
  28. 5. Pílula de uso contínuo
  29. 6. Pré menopausa
  30. 7. Pós-parto
  31. 8. Uso de anticoncepcional
  32. 9. Estresse e ansiedade
  33. Remédios Caseiros para Descer a Menstruação
  34. 1. Chá de Canela
  35. Quando deve vir a sua menstruação 
  36. Menstruação atrasada? Conheça alguns motivos além de gravidez
  37. Má alimentação (incluindo dietas muito restritivas!)
  38. Estresse contínuo
  39. Mudança de rotina
  40. Desequilíbrios hormonais
  41. Pós-parto ou pós-pílula
  42. Menstruação atrasada: quais os possíveis significados?
  43. Menstruação atrasada e ciclo menstrual: qual a relação? 
  44. Fase folicular
  45. Fase Ovulatória
  46. Fase lútea
  47. Menstruação atrasada e o ciclo menstrual irregular 
  48. Menstruação atrasada: conheça suas causas
  49. Erros de cálculo
  50. Estresse e ansiedade
  51. Interrupção da pílula anticoncepcional
  52. Síndrome dos ovários policísticos (SOP)
  53. Excesso de atividade física
  54. Infecções ou doenças
  55. Variação do peso corporal
  56. Obesidade
  57. Magreza excessiva / distúrbios alimentares
  58. Pílula do dia seguinte
  59. Início recente do ciclo menstrual
  60. Climatério / Menopausa
  61. Alterações do hipotálamo e hipófise

Atraso na menstruação: até quanto tempo pode ser considerado normal?

15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

Futuras mamães que estão em busca da gravidez ficam na expectativa para que ocorra o atraso na menstruação. A cada dia de atraso, a ansiedade pelo teste de gravidez positivo aumenta e o sonho de ter um bebê parece ficar mais próximo! Entretanto, nem todo atraso menstrual é sinônimo de gestação!

Stress, uso de medicamentos, distúrbios hormonais, uso de anticoncepcional, alterações uterinas, entre outros, são fatores que podem atrasar o início do fluxo menstrual! Quando o atraso ocorre entre 3 a 6 meses, o nome técnico para a ausência da menstruação é amenorreia.

Você se identificou com essa situação? Então, não se sinta sozinha! A irregularidade no ciclo menstrual é uma das queixas mais comuns no consultório de ginecologia. Entre as mulheres com infertilidade, a irregularidade menstrual com ausência de ovulação representa 32% das causas femininas de dificuldade para engravidar.

Quer saber quais as principais situações que podem causar o atraso na menstruação? Então, confira mais informações em nosso artigo e descubra quando procurar ajuda médica!

Até quando o atraso na menstruação é normal?

O ciclo menstrual normal tem duração média de 28 dias. Entretanto, ciclos com intervalo entre 21 e 35 dias associados à antecipação ou atraso de três dias são considerados normais (21-35 dias ± 3 dias). Períodos mais longos não são necessariamente um problema, desde que o ciclo apresente um padrão de regularidade.

Em mulheres que não apresentam o padrão cíclico do fluxo menstrual (irregularidade menstrual, como no caso de mulheres com síndrome dos ovários policísticos, por exemplo), a avaliação do atraso menstrual é complexa.

Nesses casos, a mulher pode ovular sem apresentar ciclos menstruais frequentes.

Por isso, é fundamental afastar a gestação e a confirmação da ovulação necessita ser realizada por ultrassonografia ou pela dosagem hormonal no sangue.

Quando é importante procurar ajuda médica?

Para definição da irregularidade menstrual é necessário tempo! A avaliação não pode se basear em apenas um ciclo. Mulheres que menstruam regularmente necessitam, inicialmente, fazer um teste de gravidez e, se houver irregularidade ou atraso da menstruação por três ciclos ou mais meses, um especialista precisa avaliar possíveis causas relacionadas ao ciclo menstrual irregular.

Já em mulheres que não apresentam padrão cíclico, o ideal é avaliar o calendário menstrual por seis meses e, caso realmente ocorra irregularidade, a mulher deve procurar um especialista.

Para as futuras mamães que estão em busca da gravidez, tanto a American Society for Reproductive Medicine (ASRM) quanto a European Society of Human Reproduction and Embryology (ESHRE) recomendam que a mulher com irregularidade menstrual procure um especialista em reprodução humana após seis meses de tentativa para engravidar com relações sexuais frequentes e sem métodos contraceptivos.

Ansiedade ou estresse

Esta é a causa mais frequente de atraso ou irregularidade do ciclo menstrual. A mulher moderna acumula múltiplas funções com excesso de responsabilidades (mãe, esposa, profissional etc) e esse quadro pode levar à alteração na produção hormonal. Na maior parte das vezes, o quadro é autolimitado e se resolve sozinho após ultrapassar o período de stress.

Se o estímulo que desencadeia a irregularidade menstrual for mais duradouro, a mulher pode evoluir para o quadro de amenorreia. Um exemplo comum sobre esse caso são as mulheres que têm anorexia. O quadro também pode ocorrer em mulheres que estão na jornada para engravidar.

Obesidade ou peso muito baixo

Mulheres com maior quantidade de gordura corporal tendem a produzir mais estrogênio. Esse hormônio, quando em excesso, leva à ocorrência de ciclos irregulares e anovulatórios.

Sem a ocorrência da ovulação, a mulher não vai menstruar.

Por outro lado, mulheres com peso corporal muito baixo também podem ter ciclos irregulares, já que a falta de tecido gorduroso reduz a capacidade do organismo de produzir estrogênio.

Da mesma forma, mudanças bruscas no peso corporal, para mais ou para menos, também interferem na regulação hormonal, podendo provocar ciclos anovulatórios. No caso de mulheres obesas que perdem peso rapidamente, por exemplo, o organismo pode entender que está em uma fase de privação e, portanto, não preparado para suportar uma gestação.

Interrupção ou uso errado de anticoncepcionais

Os anticoncepcionais orais procuram imitar o ciclo hormonal natural da mulher.

Depois de um longo período fazendo uso desses medicamentos, o organismo feminino pode demorar algum tempo até se normalizar e ter um ciclo natural.

Existem contraceptivos que apresentam maior associação com amenorreia ou mesmo irregularidade menstrual com períodos de atraso. É o caso dos compostos à base de progestagênio isolado.

Excesso de atividades físicas

Muitas atletas de alto desempenho sofrem alterações hormonais que podem interferir na regularidade de seus ciclos. No entanto, vale destacar que isso não afeta a maioria das mulheres, mesmo que façam exercícios com frequência. Essa é uma situação comum apenas no caso de atletas de nível muito elevado e de competidoras profissionais, como bailarinas e maratonistas.

Disfunção na tireoide

Alterações na glândula, como hipertireoidismo ou hipotireoidismo, também afetam a produção hormonal, causando alterações no ciclo menstrual. Se houver qualquer problema no funcionamento da tireoide, é fundamental consultar um médico e tratar o problema.

Síndrome dos ovários policísticos

Quem sofre com essa síndrome, conhecida como SOP, geralmente tem atrasos menstruais ou mesmo ausência de menstruação em determinados períodos, em função da produção excessiva de androgênio, um hormônio que interfere no ciclo menstrual. A SOP é uma das causas mais frequentes de atraso ou irregularidade na menstruação.

Amamentação

Se você já tem um filho e ainda amamenta, é comum não menstruar. Esse é um quadro conhecido como amenorreia transitória. A prolactina, que regula a produção de leite interfere na ovulação.

Há casos em que a mulher não está amamentando e apresenta excesso desse hormônio. Esse quadro é conhecido como hiperprolactinemia, que pode acontecer em decorrência do hipotireoidismo, em função da SOP, por estresse, como efeito colateral de determinados medicamentos, tumores da hipófise, entre outros fatores.

Menopausa e pré-menopausa (insuficiência ovariana prematura)

A maior parte das mulheres chega à menopausa por volta dos 50 anos de idade. No entanto, a menopausa propriamente dita é a ausência de menstruação, que acontece ao final da vida fértil da mulher (após os 40 anos — quando se inicia a fase do climatério).

É comum que na fase que antecede a menopausa, denominada perimenopausa (cinco anos antes até um ano após a menopausa), as mulheres sofram com irregularidade e atraso menstrual. Algumas mulheres também têm a insuficiência ovariana prematura (falência precoce do ovário), quadro definido pela amenorreia associada à elevação dos níveis do FSH antes dos 40 anos.

Como você percebeu, um eventual atraso na menstruação pode ser comum e não é motivo de alarme. No entanto, se o quadro continuar se repetindo em outros ciclos, é fundamental afastar a gravidez e também procurar seu médico para investigar possíveis causas e tratar o problema.

Nosso artigo ajudou a esclarecer suas dúvidas? Então, assine agora mesmo nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail mais informações sobre fertilidade e tratamentos de reprodução humana.

Referências:

Practice Committee of American Society for Reproductive Medicine. Current evaluation of amenorrhea. Fertil Steril. 2008; 90(5 Suppl):S219-25.

Practice Committee of the American Society for Reproductive Medicine. Diagnostic evaluation of the infertile female: a committee opinion. Fertil Steril. 2015; 103(6):e44-50. doi: 10.1016/j.fertnstert.2015.03.019.

Médico especialista em Reprodução Humana pelo Hospital das Clínicas da HC FMRP-USP. CRM-SP 104.975

Источник: https://ceferp.com.br/blog/fertilidade/atraso-na-menstruacao/

Menstruação atrasada: o que pode ser?

15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

A gravidez é uma das causas da menstruação atrasada, porém não é a única. Diversos fatores físicos e emocionais podem alterar o ciclo menstrual, o que pode levar ao atraso ou ausência da menstruação em um determinado período. 

Saiba quais são as principais causas da menstruação atrasada.

1. Gravidez 

Se você fez sexo sem proteção e está com a menstruação atrasada, pode ser que você esteja grávida. Os principais sinais e sintomas de gravidez incluem: 

  • Enjoos e vômitos
  • Cansaço frequente 
  • Desejos por alimentos
  • Vontade de urinar com frequência
  • Sensibilidade nos seios 

Por isso, é recomendável fazer um exame de gravidez (Beta hCG) para descartar essa possibilidade. Existem vários testes disponíveis no mercado, como os testes de urina – que oferecem um resultado em poucos minutos – e os exames de sangue realizados em laboratórios – que são mais confiáveis comparados aos testes de urina, no entanto, o resultado pode demorar várias horas ou até mesmo dias. 

Também existe a possibilidade de fazer um exame de gravidez de sangue, com resultado rápido, em muitas farmácias e drogarias, com o dispositivo Hilab.

2. Síndrome de Ovários Policísticos 

A alteração da menstruação é um dos principais sintomas da síndrome de ovários policísticos (SOP). A mais comum é a presença de oligomenorreia, que é a menstruação com frequência anormal, em intervalos de mais de 35 dias ou a amenorreia, que é ausência de menstruações no período em que elas deveriam ocorrer. 

A prevalência da síndrome em mulheres em idade reprodutiva varia de 4% a 6,8%, segundo o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da SOP do Ministério da Saúde. 

Outros sintomas da síndrome incluem manifestações de hiperandrogenismo (excesso de andrógenos) como hirsutismo (aumento da quantidade de pelos na mulher em locais comuns ao homem), acne e alopecia (perda de pelos no corpo).

3. Hipotireoidismo 

O hipotireoidismo é a doença mais comum da tireoide. Ocorre mais frequentemente em mulheres acima de 35 anos e em pessoas com mais de 60 anos de idade. 

As irregularidades menstruais estão entre os principais sintomas do hipotireoidismo. Outros sintomas podem incluir: 

  • Cansaço físico e mental
  • Depressão mental
  • Sensação de frio
  • Pequeno ganho de peso (apenas 2 a 4 kg)
  • Pele e cabelo secos
  • Constipação
  • Pele seca
  • Intolerância ao frio

Para saber se você tem a doença, é necessário fazer um exame de TSH. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a dosagem de TSH está recomendada a cada cinco anos em indivíduos com idade igual ou superior a 35 anos. 

O exame também é recomendado para pacientes com risco aumentado de disfunção tireoidiana, como: 

  • História prévia de disfunção tireoidiana
  • Presença de bócio
  • História prévia de cirurgia tireoidiana
  • Presença de outras doenças autoimunes
  • Uso de medicações que contêm lítio ou amiodarona
  • História familiar de doença tireoidiana ou outra doença autoimune
  • Presença de alterações laboratoriais que sugerem hipotireoidismo como anemia 
  • Presença de comorbidades como apneia do sono, depressão e demência

4. Estresse

Segundo estudos, o estresse psicológico pode alterar a função menstrual.  A presença do estresse tem o potencial de ativar o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, levando à inibição do eixo hipotálamo-hipófise-ovariano e consequente paralisação temporária das menstruações.

5. Menopausa e Climatério 

Por volta dos 40, 50 anos de idade, as mulheres passam por uma nova fase biológica da vida: o climatério, que é o período de transição entre a fase reprodutiva para a não reprodutiva. 

Um dos primeiros sintomas dessa fase é a irregularidade menstrual – os ciclos ficam inicialmente mais curtos e depois ocorrem atrasos menstruais – além de irritabilidade, nervosismo e insônia.

O principal marco do climatério é a menopausa que corresponde ao último ciclo menstrual e é reconhecida somente depois de passados 12 meses da sua ocorrência. A menopausa  acontece geralmente em torno dos 48 aos 50 anos de idade.

6. Distúrbios alimentares

Distúrbios alimentares como a anorexia e a bulimia podem causar irregularidades menstruais. 

A anorexia nervosa é um distúrbio alimentar caracterizado pela preocupação exagerada com o peso corporal e pode provocar problemas graves de saúde. As mulheres jovens são as mais afetadas pela doença.  Além da interrupção do ciclo menstrual (amenorreia), outros sintomas incluem: 

  • Perda exagerada e rápida de peso sem justificativa
  • Recusa em manter o peso dentro ou acima do mínimo normal adequado à idade e altura 
  • Medo intenso de ganhar peso ou de se tornar gordo, mesmo com peso inferior

Já a bulimia é caracterizada por grande e rápida ingestão de alimentos, acompanhados de métodos inadequados para o controle de peso, como o vômito autoinduzido. Ao contrário dos paciente com anorexia, as pessoas que apresentam bulimia não têm o desejo de emagrecer cada vez mais. Geralmente, apresentam peso normal ou, em menor número de casos, sobrepeso.

7. Amenorreia devido ao uso de anticoncepcionais

Segundo o Ministério da Saúde, há controvérsia em relação à associação de anticoncepcionais orais com amenorreia (ausência de menstruações). 

O acetato de medroxiprogesterona causa amenorreia na maioria das mulheres após seis meses de uso. Essa amenorreia é reversível após a suspensão da medroxiprogesterona.

8. Pílula do dia seguinte 

A pílula do dia seguinte é um contraceptivo de emergência, ou seja, é um medicamento que evita uma possível gestação. A mulher deve tomar a pílula o mais próximo possível da relação sexual sem preservativo (de preferência em até 3 dias – 72 horas) porque a sua eficácia vai diminuindo com o passar dos dias. 

São vários os efeitos colaterais desse medicamento tais como  dores de cabeça, sensibilidade nos seios, náuseas e vômitos. O mais frequente deles é a alteração no ciclo menstrual. Sendo assim, a sua menstruação pode atrasar com o uso da pílula do dia seguinte. 

Além disso, a eficácia da pílula é de 88% nas primeiras 24 horas e vai diminuindo conforme os três dias passam, o que significa que você pode ter engravidado.

9. Hiperprolactinemia

A hiperprolactinemia é outra condição que pode levar à irregularidades menstruais. Ocorre quando há excesso de produção de prolactina (hormônio responsável pela produção do leite).

O que fazer quando a menstruação está atrasada? 

Como vimos, existem vários fatores que podem alterar a sua menstruação. Descartada a possibilidade de gravidez, é importante procurar um médico para avaliar a causa do atraso menstrual. 

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando o nosso Blog! Curta a página do Hilab no . 

Источник: https://fazumhilab.com.br/menstruacao-atrasada/

Menstruação atrasada: 9 causas e o que fazer

15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

A menstruação atrasada nem sempre é sinal de gravidez, pois outras situações como o estresse em excesso, emoções muito fortes, alterações hormonais ou mesmo o consumo exagerado de cafeína ou de bebidas alcoólicas, podem levar ao atraso da menstruação.

Geralmente, este atraso na menstruação pode durar desde 1, 2, 3 ou 5 dias até 1 a 2 meses, sendo recomendado consultar o médico se a menstruação continuar atrasada por mais de 3 meses, para que a causa possa ser identificada e tratada.

Porém, se houve contato íntimo desprotegido alguns dias antes, existe a probabilidade de gravidez, sendo recomendado fazer um teste, que pode ser comprado nas farmácias.

Se a menstruação está atrasada e a mulher já realizou pelo menos 2 testes de gravidez no último mês, com 7 dias de intervalo entre a realização do teste, e o resultado tenha dado negativo, é muito provável que não seja gravidez e o atraso na menstruação possa estar a ser causado por outras situações, como:

1. Excesso de atividade física

O excesso de atividade física, como acontece com atletas ou pessoas que estão em preparação para alguma prova ou competição esportiva, por exemplo, podem levar a alterações hormonais, como é o caso do aumento da prolactina, que pode levar ao atraso da menstruação. Porém, é importante que a pessoa saiba que é importante praticar atividade física regular, desde que não seja em excesso.

2. Dietas muito restritivas

Algumas dietas muito restritivas, podem levar a oscilações hormonais que causam alterações na menstruação. Além disso, a redução de aporte de nutrientes faz com que o organismo aproveite a pequena quantidade de nutrientes para funções mais importantes, o que se pode refletir em atrasos ou mesmo ausência na menstruação.

3. Alterações no sistema reprodutor

Alterações no sistema reprodutor, como endometriose, síndrome dos ovários policísticos ou a presença de miomas no útero, também podem causar oscilações nos hormônios sexuais femininos, podendo levar a alterações na menstruação.

4. Alterações do hipotálamo e hipófise

O hipotálamo e a hipófise são glândulas que estão localizadas no cérebro e que são responsáveis pela regulação dos hormônios sexuais. Doenças que causam alterações nestas glândulas podem levar a oscilações no ciclo e, consequentemente, atrasos ou antecipação da menstruação.

5. Pílula de uso contínuo

A pílula ou outros anticoncepcionais de uso contínuo, como fornecem hormônios ao organismo diariamente e sem pausas, impedem que ocorra a menstruação. Porém, podem ocorrer pequenos sangramentos ocasionalmente, mas em diferentes dias do ciclo.

6. Pré menopausa

Quando a fase da menopausa se começa a aproximar, é normal começarem a ocorrer atrasos ou mesmo falhas na menstruação. Algumas mulheres podem entrar na menopausa numa idade precoce e não perceber que é essa a causa dos atrasos da menstruação.

7. Pós-parto

No pós-parto, a menstruação só poderá voltar após a mulher parar de amamentar. Porém, é necessário usar métodos contraceptivos durante a amamentação, para evitar uma gravidez.

8. Uso de anticoncepcional

Em algumas mulheres que deixam de usar anticoncepcional como a pilula, implante ou injeção anticoncepcional, o ciclo menstrual pode demorar cerca de 6 meses a voltar a ser regular, o que é perfeitamente normal, não havendo motivo para preocupação.

9. Estresse e ansiedade

O estresse pode influenciar a regulação hormonal, realizada pelo hipotálamo, no cérebro, levando a alterações na menstruação.

Algumas destas situações podem levar à ausência de menstruação por mais de 3 meses (amenorreia), sendo recomendado consultar o médico caso isso aconteça. Conheça outras causas que podem levar ao atraso da menstruação. 

Também se deve ter em atenção a situações de adolescentes que já tenham completado 16 anos de idade e ainda não menstruaram pela primeira vez.

Nesse caso, o ginecologista pode diagnosticar uma amenorreia primária, que deve ser investigada.

Esse atraso da menstruação pode estar relacionado a problemas como traumatismo craniano, prematuridade ou a defeitos no aparelho reprodutor, como hímen imperfurado, septo vaginal ou ausência de útero.

Se a mulher tiver a menstruação atrasada, o primeiro passo é fazer um exame de gravidez de farmácia. Se a menstruação estiver atrasada por mais de 3 meses, e não for possível identificar a causa, deve-se ir ao ginecologista, para que ele possa identificar a causa e tratar o problema, podendo em alguns casos ser recomendado o uso de remédios para descer a menstruação.

O médico pode pedir exames, como o teste do progestágeno e a dosagem da prolactina, para conseguir identificar o motivo desse atraso e indicar o tratamento mais adequado.

Além disso, dependendo do que está a provocar o atraso na menstruação, também é importante:

  • Reduzir a intensidade do exercício físico;
  • Reduzir o estresse;
  • Manter uma alimentação equilibrada, evitando dietas muito restritivas;
  • Manter o peso ideal;
  • Tomar a pílula anticoncepcional, se recomendado pelo ginecologista, para regular o ciclo menstrual.

Além disso, também é recomendado fazer consultas médicas regulares, para identificar possíveis problemas de saúde ou doenças como ovários policísticos, endometriose, anorexia, bulimia, hipertireoidismo ou hipotireoidismo, que podem provocar alterações no ciclo menstrual.

Remédios Caseiros para Descer a Menstruação

Existem alguns remédios caseiros que podem ajudar a descer a menstruação, porém estes apenas devem ser tomados quando não existem suspeitas de gravidez.

1. Chá de Canela

Para preparar este chá, é necessário:

Ingredientes

  • 2 canelas em pau;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de Preparo

Adicionar a canela em pau à água fervente, tapar e deixar repousar durante 10 a 15 minutos. Passado esse tempo, retirar os paus de canela e beber quando estiver morno. Este chá deve ser bebido 1 a 2 vezes por dia até a menstruação descer e, se necessário, pode ser adoçado com um pouco de mel ou açúcar.

Para preparar este chá, é necessário:

Ingredientes

  • 5 gramas de flores secas de agoniada;
  • 500 ml de água fervente.

Modo de Preparo

Adicionar as flores de agoniada à água fervente e deixar repousar durante 10 a 15 minutos e coar antes de beber. Deve beber 2 a 3 xícaras deste chá por dia até a menstruação descer.

Estes chás são opções naturais para quando a menstruação está atrasada em alguns dias e apenas devem ser tomados durante 5 a 10 dias, sendo recomendado consultar o médico caso a menstruação não venha durante esse tempo. Além disso, não há comprovação científica de que funcionem na regulação da menstruação. 

Quando deve vir a sua menstruação 

Insira seus dados a seguir e saiba quando deve vir a sua menstruação:

Источник: https://www.tuasaude.com/menstruacao-atrasada/

Menstruação atrasada? Conheça alguns motivos além de gravidez

15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

Ah, o drama da menstruação atrasada… Quem nunca ficou preocupada por não ter ficado menstruada no dia que esperava menstruar? Ou até d-e-s-e-s-p-e-r-a-d-a por não ver sangue mesmo após dias de sintomas de TPM e sensação de que já ia descer?

Gravidez?
Problema de saúde?

Uma conspiração uterina contra sua saúde mental?

Não, nem sempre!

Na verdade, a menstruação não atrasa! Ela é super pontual (sério) e acontece exatamente quando deve acontecer.

A grande questão é que o ciclo como um todo – ou seja, o período de uma menstruação a outra – nem sempre tem o mesmo número de dias, e tudo isso devido a outro evento importante: a ovulação.

Esta, que infelizmente não recebe o mesmo destaque que a menstruação, é a verdadeira responsável pela variação em duração dos ciclos.

A ovulação não tem data certa para acontecer, mas, quando acontece, a menstruação vem em um determinado número de dias após. Especificamente, entre 10 e 16 dias depois, pontualmente e sem muito espaço para variações.

Portanto: se a ovulação “adianta”, a menstruação “adianta” também. Se a ovulação “atrasa”, a menstruação “atrasa” também. Simples assim!

Quando falamos em atraso menstrual de fato, o principal motivo é gravidez. Porém, se analisarmos apenas a quantidade de dias do ciclo menstrual, não é possível diferenciar o atraso.

No entanto, se a possibilidade de gravidez é nula (você não fez sexo com penetração do pênis na vagina) ou baixa (você utiliza um método contraceptivo de boa eficácia), é beeeem provável que a sua ovulação não tenha acontecido quando você achou que era pra acontecer.

Mas o que causa, então, esses “atrasos” na ovulação, às vezes bem grandes?

Má alimentação (incluindo dietas muito restritivas!)

O óvulo é uma célula bem grande e “cara” biologicamente. Para ovular regularmente, é extremamente necessário estar bem nutrida. É só pensar: a ovulação é um investimento do nosso corpo para tentar reproduzir. Se o organismo está mal nutrido, ele interpreta que a oferta de alimentos neste período está escassa.

Logo, não tem por que investir energia em reprodução em um período de escassez, certo? Essa lógica vale não só para dietas pobres em vitaminas e minerais, mas também com muita restrição de macronutrientes (gorduras, carboidratos e proteínas).

Estresse contínuo

Se um organismo desnutrido não vai investir em reprodução, um organismo que está sob estresse muuuito menos.

Quando falamos em estresse, não se trata de ficar irritada ou ansiosa em alguns momentos, ou ter alguns dias estressantes ao longo da semana e do mês. Estes são sentimentos humanos que, quando não inseridos em um quadro sintomático que evolui para um transtorno, são comuns e até necessários para a nossa sobrevivência.

Uma situação de estresse que afeta negativamente a saúde é contínua, fisiológica e afeta o sono, a imunidade e o quadro de saúde num geral.

O estresseconstante está relacionado com níveis muito altos do hormônio cortisol.

O cortisol em excesso atrapalha a produção dos hormônios sexuais que regulam o ciclo menstrual e promovem a ovulação.

Mudança de rotina

Às vezes, devido a uma mudança na rotina ou em algum hábito – iniciar um esporte, mudar o horário de sono, fazer uma viagem, “tomar um porre” – pode alteraraduraçãodosciclosmenstruais e adiar a ovulação. Logo, empurra-se a menstruação mais pra frente também. Pode ocorrer, ainda, uma ovulação mais cedo que o habitual, dando a impressão de que a menstruação adiantou.

Desequilíbrios hormonais

Alguns desequilíbrios na tireoide, na hipófise (glândula localizada no cérebro e que regula a atividade de outras glândulas que fabricam hormônios) ou na própria produçãohormonaldosovários afetam a ovulação, alterando a duração do ciclo menstrual.

Além disso, outra razão bastante comum são alguns tipos de SíndromedosOváriosPolicísticos, a famosa SOP, que causam anovulação (ausência de ovulação por alguns meses) ou tornam as ovulações mais espaçadas. Isso faz com que os ciclos menstruais sejam mais longos.

Até mesmo alguns medicamentos podem causar desequilíbrios hormonais e afetar o ciclo. É importante estar atenta e ler as bulas.

Pós-parto ou pós-pílula

Durante o pós-parto, o corpo está preparado para se dedicarfisiologicamente ao recém-nascido.

A prolactina, hormônio produzido durante a amamentação, funciona como um inibidor da ovulação.

Algumas mulheres ficam meses e até anos sem ovular e menstruar por conta disso, e já outras voltam a ter ciclos menstruais rapidamente. Não há muito como prever, visto que cada organismo é único.

Outra razão comum para a ovulação “atrasada” é o período após uso de método contraceptivo hormonal ou método hormonal de emergência, também conhecido como pílula do dia seguinte.

É comum o ciclo voltar à regularidade imediatamente após o uso de hormônios sintéticos, mas também é comum demorar um pouco para o corpo reaprender a fabricar os próprios hormônios e a voltar a ter ciclos. Enfim: é mais uma situação que não tem muito como prever. Portanto, se for o seu caso, esteja preparada!

Источник: https://herself.com.br/blog/menstruacao-atrasada-conheca-alguns-motivos-alem-da-gravidez/

Menstruação atrasada: quais os possíveis significados?

15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada

A menstruação atrasada é a situação na qual a menstruação do mês não ocorre no dia esperado. Nesse sentido, ela pode vir com alguns dias de retardo, ou eventualmente, nem acontecer.

Vale esclarecer que ultrapassar a data da menstruação em poucos dias é comum, inclusive para as mulheres com menstruações regulares.

Porém, a partir de 15 dias, já é considerado um atraso que necessita ser observado.

Nesse sentido, a primeira suspeita para menstruação atrasada é uma possível gravidez. Entretanto, outras situações, como o estresse, alterações hormonais e estilo de vida também podem causar a demora da menstruação. Dessa forma, quando o atraso se repete por mais de três meses, deve ser investigado.

É importante lembrar também que a menstruação é um processo natural na vida das mulheres, e marca a fase reprodutiva feminina. Ela começa na adolescência, com a menarca, e dura até a menopausa. Dessa forma, a menstruação faz parte do ciclo menstrual mensal que prepara o corpo da mulher fértil para uma possível gravidez.

Nesse sentido, as alterações hormonais que ocorrem neste período fazem o endométrio (tecido que reveste o interior do útero) ficar mais espesso para acolher o embrião. Entretanto, quando não há a fecundação do óvulo, este tecido se desprende e é expelido do corpo, caracterizando a menstruação.

Menstruação atrasada e ciclo menstrual: qual a relação? 

Para entender melhor sobre menstruação atrasada, é importante conhecer como funciona o ciclo menstrual. Nesse sentido, ele acontece mensalmente e leva em média 28 dias, embora existam ciclos mais curtos, de 21 dias, e mais longos de até 35 dias, também considerados normais.

Dessa forma, durante os ciclos, ocorrem mudanças hormonais que determinam o período fértil da mulher e preparam o corpo para uma gravidez.

O ciclo menstrual passa por três etapas:

Fase folicular

A fase folicular é a primeira etapa do ciclo menstrual e acontece entre o primeiro dia da menstruação e a ovulação. Neste período, que dura entre 12 e 16 dias, os folículos ovarianos crescem e começam a preparar o corpo para uma possível gravidez.

Sendo assim, há um aumento da produção do hormônio folículo estimulante (FSH), que faz com que os folículos que contêm os óvulos se desenvolvam. Além disso, com esse amadurecimento, o ovário também libera mais estrogênio, hormônio responsável por tornar o revestimento do útero pronto para uma eventual gestação.

Fase Ovulatória

A fase ovulatória é a segunda etapa do ciclo menstrual e consiste na ovulação. Nesse sentido, ocorre a liberação do óvulo maduro que segue para as trompas de Falópio onde poderá acontecer a fecundação. Como o óvulo sobrevive apenas 24 horas fora do ovário, é preciso que ele encontre o espermatozoide neste curto espaço de tempo para dar início a uma gravidez.

Dessa forma, considerando que os espermatozoides duram até 5 dias dentro do corpo da mulher, é possível que a gestação ocorra se o casal tiver relações sexuais até 5 dias antes da ovulação. Ainda, é importante ressaltar que o dia da ovulação varia conforme a duração do ciclo. Em muitos casos, ocorre no 14º dia. Porém, há mulheres que ovulam em dias diferentes do ciclo.

Fase lútea

A fase lútea do ciclo menstrual é aquela que ocorre após a ovulação, quando os hormônios femininos começam a reduzir gradativamente sua concentração no organismo. 

Nesse sentido, caso o óvulo tenha sido fecundado, ele viaja até o útero e se fixa no endométrio. Por outro lado, se não houve a fecundação, o óvulo se desintegra e o endométrio, que estava pronto para receber o embrião, passa a descamar. Essa descamação do endométrio constitui a menstruação que marca o início de um novo ciclo reprodutivo.

Menstruação atrasada e o ciclo menstrual irregular 

Como já vimos, o ciclo menstrual dura em média 28 dias. Porém, cada mulher tem um ritmo diferente. Nesse sentido, mesmo que os ciclos tenham 21 ou 35 dias, o importante é que sejam regulares, de acordo com o seu padrão.

Além disso, a duração do período menstrual, o fluxo e a intensidade também acontecem de forma diferente entre as pessoas. Dessa forma, é considerada menstruação irregular aquela que foge do seu normal e pode dificultar a constatação da menstruação atrasada.

A menstruação pode ser irregular se:

  • O tempo entre cada período começa a mudar, se tornando mais ou menos espaçado.
  • O fluxo menstrual se altera, e o volume de sangue fica mais ou menos intenso.
  • O número de dias da sua menstruação varia.

Não, menstruação atrasada nem sempre é sinal de gravidez, mas com certeza é, na maioria das vezes, a primeira suspeita. Nesse sentido, existem diversas situações que podem causar atraso na menstruação. Porém, quando ocorre em mulheres sexualmente ativas, que tiveram relações sexuais desprotegidas, existe uma grande possibilidade de ser gravidez. 

Além disso, alguns hábitos, doenças e estilos de vida também podem contribuir para menstruação atrasada. Desta forma, quando o atraso se repete por até 3 meses, e a gestação não é confirmada através de exame ou teste de gravidez, o indicado é consultar um médico para que a causa seja identificada e tratada.

Menstruação atrasada: conheça suas causas

Além da gravidez, outros fatores podem alterar a data da descida da menstruação. 

A gravidez é uma das principais causas dos atraso menstrual, e deve ser considerada mesmo pelas mulheres que usam métodos contraceptivos, como camisinha ou pílula anticoncepcional, que às vezes podem falhar. 

Desta forma, as mulheres com ciclos regulares já podem desconfiar de gravidez com 5, 6 dias de atraso menstrual. Nesse sentido, o ideal é realizar um teste de gravidez para descartar ou confirmar esta possibilidade.

Erros de cálculo

As mulheres com ciclo menstrual irregular podem ter dificuldade para calcular o dia certo da próxima menstruação. Dessa forma, o que muitas vezes parece atraso é na verdade resultado de um ciclo maior, de mais dias.

Estresse e ansiedade

O estresse e a ansiedade causados pelos problemas da vida pessoal e profissional podem afetar diretamente o ciclo menstrual. Os fatores emocionais influenciam a regulação hormonal, realizada pelo hipotálamo, no cérebro, levando a alterações na menstruação. Dessa forma, é importante aprender a controlar o stress e encontrar formas de relaxar.

Interrupção da pílula anticoncepcional

Os anticoncepcionais fornecem hormônios sintéticos ao corpo que deixam os ovários “adormecidos”, sem precisar cumprir suas funções. Desta forma, quando a mulher interrompe seu uso, é possível que os ovários demorem até 6 meses para entrar no ritmo novamente. Como resultado, o ciclo menstrual pode ficar desregulado, com atrasos menstruais e até amenorreia. 

Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

A Síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio hormonal comum nas mulheres em idade reprodutiva, definida por um aumento de tamanho dos ovários, com múltiplos e pequenos cistos. Além disso, as mulheres com esta síndrome apresentam elevados níveis de hormônios masculinos, o que causa atrasos menstruais ou ausência completa de menstruação em alguns meses.

Excesso de atividade física

As mulheres atletas, maratonistas, nadadoras, ginastas, ou aquelas que praticam exercício físico em excesso geralmente têm menstruação atrasada. Isto acontece pois os treinos intensos e o gasto calórico elevado causam alterações no ciclo menstrual.

Nesse sentido, vale ressaltar que o prejudicial é exercício em excesso. A prática de atividade física regular e moderada traz muitos benefícios para a saúde, inclusive para a reprodutiva.

Infecções ou doenças

A saúde também impacta no ciclo menstrual. Desta forma, viroses, gripes ou infecções simples, como cistite ou amigdalites, podem ser causas de menstruação atrasada. Da mesma forma, o uso de alguns medicamentos também interfere no ciclo hormonal, desregulando a menstruação. Entre os mais comuns podemos citar:

Variação do peso corporal

Uma variação brusca de peso pode impactar no ciclo menstrual. Nesse sentido, engordar muito ou emagrecer rapidamente acaba interferindo na produção de estrogênio, hormônio feminino responsável pela maturação dos óvulos, influenciando assim na menstruação. Portanto, é indicado que um médico avalie, oriente e acompanhe a variação de peso de mulheres que apresentam menstruação atrasada.

Obesidade

O excesso de peso também prejudica o ciclo menstrual pois provoca excessiva produção estrogênio. Este hormônio feminino é necessário para a ovulação, mas em excesso inibe a liberação do óvulo, provocando períodos anovulatórios, ou seja, sem menstruação.

Magreza excessiva / distúrbios alimentares

A falta de tecido gorduroso também influencia o ciclo ovulatório, pois reduz a capacidade do corpo de produzir estrogênio. Dessa forma, muitas mulheres que sofrem de anorexia, ou fazem dietas extremas, deixam de ovular apresentando não apenas atraso menstrual, mas também risco de amenorreia.

Pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte é um contraceptivo de emergência, usado para tentar evitar uma possível gestação.

Nesse sentido, deve ser tomada o mais próximo da relação sexual desprotegida, em até 72 horas, já que sua eficácia diminui com o passar dos dias.

Além disso, esse medicamento pode causar efeitos colaterais como alteração no ciclo menstrual e consequentemente, atraso na menstruação.

Início recente do ciclo menstrual

A menarca é a primeira menstruação que acontece na vida das meninas e marca o início da vida reprodutiva. Nesse sentido, é normal que o ciclo seja irregular nos primeiros anos pois o sistema reprodutor ainda está em fase de amadurecimento. Desta forma, os atrasos menstruais podem ocorrer até os dois primeiros anos de menstruação.

Climatério / Menopausa

O climatério é o período de transição em que a mulher passa da fase reprodutiva para a fase não-reprodutiva. Nesse sentido, essa etapa da vida feminina é marcada por uma diminuição progressiva da quantidade de hormônios, causando alteração do ciclo menstrual.

Essa etapa inicia geralmente entre os 40 e 45 anos e dura até à última menstruação, que corresponde ao início da menopausa. Além disso, é importante salientar que algumas mulheres podem passar por esse processo ainda jovens, ou seja, ter uma menopausa precoce.

Alterações do hipotálamo e hipófise

O hipotálamo e a hipófise são glândulas que ficam no cérebro, e são responsáveis pela regulação dos hormônios sexuais. Dessa forma, doenças que causam alterações nestas glândulas podem causar alterações no ciclo e, consequentemente, atrasos ou antecipação da menstruação.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre menstruação atrasada e suas possíveis causas, nós produzimos um infográfico para você entender mais sobre a gravidez. O material fala sobre 5 sintomas que a gravidez pode causar. Você pode fazer o download dele gratuitamente clicando na imagem abaixo:

Источник: https://www.nilofrantz.com.br/menstruacao-atrasada-significados/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: