5 dicas de alimentação para controlar a asma

8 maneiras de controlar a asma

5 dicas de alimentação para controlar a asma

Quarta causa de internação hospitalar no Brasil, a asma atinge 20 milhões de brasileiros, entre crianças e adultos. Mas é possível que esse número seja bem maior, aponta uma pesquisa encomendada pela farmacêutica Boehringer Ingelheim do Brasil ao Ibope.

É que de 2 010 pessoas entrevistadas entre maio e junho de 2015, 44% disseram ter sintomas respiratórios, como tosse, chiado no peito e falta de ar – que podem ser sinais de doenças como asma, bronquite e doença pulmonar obstrutiva crônica (a DPOC).

Durante a investigação, 35% dos indivíduos disseram ter “asma” e 37% mencionaram a “bronquite crônica”.

A questão é que a bronquite é bem menos frequente e costuma dar as caras após anos de tabagismo. Logo, para o médico José Eduardo Delfini Cançado, professor da Santa Casa de São Paulo e diretor da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, que analisou os dados, é possível que, na verdade, essa parcela sofra mesmo é de asma.

Outro dado preocupante, agora do Instituto de Asma da Grã-Bretanha, é que nem metade dos portadores da doença reconhece a gravidade da condição – e um ataque de asma pode ser fatal. A boa notícia é que, de acordo com a pesquisa, 75% das internações de emergência seriam evitadas com atitudes simples no dia a dia. Conheça algumas e coloque-as em prática.

1. Pratique exercícios

Em um estudo conduzido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), 58 pessoas com a forma moderada ou grave da doença, na faixa dos 30 aos 50 anos, foram convidadas a caminhar em ritmo acelerado na esteira por 30 minutos, duas vezes por semana.

Ao final de três meses, os pesquisadores observaram uma redução nos sintomas e na gravidade do quadro — ou seja, os asmáticos ficaram mais dias livres de episódios de falta de ar. Além disso, tornaram-se mais tolerantes a fatores que irritam o sistema respiratório, como ácaro e fumaça.

Uma notícia e tanto se pensarmos que, às vezes, um mínimo contato já dispara o maior sufoco.

2. Coma peixes, verduras e legumes

Depois de analisar mais de 32 mil voluntários, um estudo da Universidade do Porto, em solo português, identificou esses alimentos como aliados na prevenção das crises — e no descanso das bombinhas.

A razão por trás disso estaria na abundância de antioxidantes detectados nos vegetais, além do ômega-3, a gordura boa dos pescados.

Por outro lado, os estudiosos portugueses viram que exagerar na gordura saturada, no sal e no açúcar tornava a asma mais grave.

3. Invista em alimentos ricos em fibras

Pesquisadores do Hospital Universitário Lausanne, na Suíça, perceberam que doses caprichadas de fibras — como soja, grão-de-bico, ervilha, feijão-carioca, cereal à base de trigo — induzem a uma reação menos intensa aos alérgenos que provocam crises.

Tudo leva a crer que as fibras modificam a flora intestinal, culminando na multiplicação de bactérias boas. Essas, por sua vez, desempenham várias funções, como ajudar na formação de ácidos graxos capazes de reduzir processos inflamatórios.

O que resultaria, em última instância, em menos muco nas vias aéreas.

Continua após a publicidade

4. Deixe o cigarro de lado

Ele favorece inflamações nas vias respiratórias. Atenção: o fumo passivo também leva à piora dos sintomas. Ou seja, mesmo se o asmático não fumar, ele pode ser prejudicado pelo fumacê dos outros.

5. Cuidado com animais de estimação

Não é apenas o pelo do bicho que pode deflagrar o surto. Segundo informações da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), a descamação natural da pele do animal, além de sua saliva e urina são capazes de atuar como gatilhos para a doença.

6. Perca peso

Acredite: os quilos extras atrapalham quem tem a doença respiratória. Pesquisas mostraram que a leptina, hormônio conhecido por controlar a fome, também dilata as vias aéreas. Só que o excesso de gordurinhas pelo corpo faz com que essa substância não trabalhe direito.

7. Evite ficar em ambientes sujos, empoeirados e cheios de ácaros

Esses bichinhos microscópicos e seus excrementos pioram a asma e a inflamação dos brônquios, segundo a SBPT. Eles também são encontrados em locais como colchões, travesseiros, carpetes, bichos de pelúcia, estantes e papéis, de acordo com informações da SBPT.

8. Previna infecções virais

Elas podem causar sintomas de asma. Por isso, proteja-se da gripe e do resfriado comum.

E não se esqueça: existem medicamentos para aplacar os sintomas e trazer maior qualidade de vida para os pacientes. O tratamento é distribuído gratuitamente aos usuários pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para ter acesso aos remédios, é necessário apresentar um documento de identidade com foto, o CPF e uma receita médica dentro do prazo de validade (120 dias) — a receita pode ser emitida tanto por um profissional do SUS quanto por um médico da rede privada.

Continua após a publicidade

Источник: https://saude.abril.com.br/medicina/8-maneiras-de-controlar-a-asma/

6 alimentos que as pessoas asmáticas deveriam evitar

5 dicas de alimentação para controlar a asma

As pessoas asmáticas devem procurar saber quais receitas caseiras ou alimentos precisam consumir para diminuir as crises, mas nem todas sabem que alimentos deveriam evitar.

Existem alimentos que podem aumentar os sintomas nos asmáticos. Por isso, leia o seguinte artigo para saber mais.

Dieta ideal para pessoas asmáticas

Os alimentos não são a única receita para as pessoas asmáticas. No entanto, a dieta tem uma grande influência no dia a dia de qualquer pessoa com uma doença desse tipo.

Limitar o consumo de certos alimentos e ter uma nutrição saudável pode ajudar a tratar a asma. Trata-se de um excelente complemento para os tratamentos convencionais.

Recomendamos ler: Asma crônica e alergias: o que fazer?

Pessoas asmáticas devem evitar o consumo de:

Gorduras saturadas

Encontram-se em muitos dos alimentos que compõem nossos jantares ou almoços, como, por exemplo, em sobremesas, na carne vermelha ou nas frituras.

As gorduras saturadas também estão presentes nos alimentos processados e, segundo a Clínica Mayo, aumentam os sintomas da asma.

Isso se deve à resposta do sistema imunológico ao “receber” essas substâncias.

Portanto, recomenda-se consumir ácidos graxos ômega 3 (presentes nos peixes azuis, nas sementes de linhaça e nas nozes, por exemplo), e fontes de proteínas magras (leite desnatado, peito de frango e leguminosas).

Quando você fizer as compras, verifique se os alimentos contêm gorduras saturadas. Opte também por formas de preparo saudáveis, como no vapor, assados ao forno ou na grelha.

Laticínios integrais

Como os laticínios integrais possuem gordura em muita quantidade, pioram os problemas para pessoas asmáticas. Mas não é necessário que se convertam ao veganismo.

Basta consumir laticínios de maneira inteligente: escolha produtos desnatados e tente substituí-los de vez em quando (você já experimentou, por exemplo, o leite de amêndoas ou o queijo de batata?)

Além disso, você também pode comer muitos laticínios sem perceber, já que estão presentes em várias receitas e alimentos cotidianos: sopas cremosas, massas recheadas, sorvetes, café com leite, batidas, manteiga etc.

Como se isso não fosse suficiente, a consistência e textura dos laticínios aumentam a produção de muco e, por fim, a congestão. Isso dificulta a respiração e pode resultar num episódio de asma.

Carnes vermelhas

Novamente temos que falar das gorduras saturadas, porque a carne as contém em grandes quantidades. Ainda que existam exceções, como a carne de cordeiro, que é mais magra, a verdade é que a de vaca ou de porco pioram os quadros de asma.

Segundo uma pesquisa da revista Nutrition, as pessoas que consomem muita carne vermelha são mais propensas a ter uma crise de asma. Coma uma vez por semana, no máximo, e opte por alternativas mais saudáveis, como o frango, peru ou peixe.

Cítricos e tomates

Como essas frutas podem nos fazer mal, já que supostamente são boas para a saúde? Tanto os cítricos quanto os tomates têm muitos nutrientes e fibras, mas também possuem componentes que poderiam piorar os sintomas em pessoas asmáticas.

Não é preciso que você deixe de consumi-los da noite para o dia, mas ao menos procure reduzir seu consumo.

Alimentos salgados

O excesso de sódio no corpo causa problemas renais, obesidade e inchaço nas pernas.

Também pode ter efeitos negativos nos pacientes com asma, já que aumenta as respostas do sistema imunológico e desencadeia os sintomas dessa doença.

Use muito pouco sal nos seus pratos, evite os alimentos processados, como as sopas enlatadas ou purê instantâneo, batatas fritas ou snacks.

Não leve o saleiro à mesa e leia muito bem as embalagens do que você comprar no mercado, porque os produtos têm “sódio escondido” (até os doces contêm sal).

Gorduras trans

Também conhecidas como gorduras sólidas, são produzidas graças a um processo em que o hidrogênio é incorporado ao óleo vegetal.

Não são nada saudáveis e aumentam os riscos de sofrer de doenças cardíacas ou de diabetes, e também agravam os sintomas da asma.

Evite todos os produtos que contenham gorduras trans (entre eles, a margarina, frituras de restaurante e os óleos parcialmente hidrogenados).

Essas gorduras estão presentes também nos biscoitos e bolos industriais, doces e massas.

Escolha alimentos que tenham “gorduras boas”, como o azeite de oliva, o abacate, as sementes de linhaça e as oleaginosas, como as amêndoas e as nozes.

Assim, você não apenas reduzirá o risco de sofrer com a asma, como também evitará muitas outras doenças.

Ver também: Aprenda a preparar leite de amêndoas e de coco em casa

O magnésio contra a asma

Na dieta de alguém que sofre com a asma, não podem faltar alimentos ricos em magnésio. Esse mineral é necessário para relaxar os músculos e o para fortalecer o sistema respiratório.

Além disso, é anti-inflamatório e broncodilatador. A dose diária recomendada é de 500 mg.

Para ingerir magnésio, temos que ter uma alimentação rica em frutas e verduras cruas, além de consumir leguminosas e oleaginosas.

Se você sofre com a asma, não hesite em acrescentar a seus pratos todos estes alimentos:

  • Sementes de gergelim e de abóbora
  • Soja (em todas as suas apresentações)
  • Leguminosas (lentilhas, feijões, ervilhas)
  • Gérmen de trigo
  • Óleo de prímula
  • Verduras (acelga, espinafre, feijões, brócolis, salsa, cenoura, cebola)
  • Frutas (banana, tâmaras, uvas passas, maracujá)
  • Frutas secas (pistache, nozes)
  • Aveia
  • Algas wakame
  • Alho

Pode interessar a você…

Источник: https://melhorcomsaude.com.br/6-alimentos-pessoas-asmaticas-evitar/

Alimentos contra asma – 7 tipos que amenizam os sintomas da doença

5 dicas de alimentação para controlar a asma

Aproximadamente, 16 milhões de brasileiros sofrem de crises asmáticas, segundo dados do Ministério da Saúde. A boa notícia, no entanto, é que é possível usar a força dos alimentos contra asma, juntamente com o tratamento adequado. Mas, antes de irmos ao tema principal, que tal entender melhor a doença?

Para quem não sabe do que se trata, a asma consiste em uma inflamação crônica. Basicamente, ela dificulta a passagem de ar pelas vias respiratórias. Como resultado, ela provoca tosses, chiado no peito, sensação de falta de ar, entre outros sintomas típicos.

Embora nada possa substituir os remédios indicados por seu médico, a verdade é que existem um conjunto que alimentos contra asma e contra os sintomas da doença. Eles não fazem milagres, obviamente, mas se ingeridos diariamente, levantam a imunidade do organismo e previnem crises intensas do desconforto.

Abaixo, preparamos uma lista com sete desses nutrientes e alimentos que você deve incluir em sua dieta caso você seja asmático. E, como você vai perceber, eles também cumprem outras ótimas funções no metabolismo.

1. Vitamina D

A falta dessa vitamina no organismo pode contribuir para o acúmulo de massa muscular nos brônquios. Como resultado disso, eles acabam se contraindo mais e deixando a respiração mais difícil.

Isso, claro, sem falar nas outras consequências que a falta da vitamina D pode trazer à saúde. Você, aliás, já conferiu aqui algumas delas.

A suplementação da vitamina deve ser receitada por médicos, devido à dosagem, que deve ser personalidade. Contudo, no dia a dia, você pode incluir alimentos ricos em vitamina D em sua alimentação. Gema de ovo, fígado, manteiga, peixes, como a cavala, o salmão, o arenque; por exemplo, atendem bem a essa funções.

2. Magnésio

Oleaginosas, leguminosas, cereais integrais, frutos do mar, vegetais e folhas verdes escuras são ótimos alimentos contra asma por serem fontes de magnésio. Aliás, esse nutriente é muito importante para as épocas de crise, por promover o relaxamento muscular e, assim, a broncodilatação.

O magnésio, inclusive, é usado em tratamentos de asma severa. Ele pode ser encontrado no mercado em versão intravenosa ou inalada.

3. Vitamina A

Além de regular o crescimento, a vitamina A ajuda na regeneração de vários tipos de tecidos e de células, inclusive do trato respiratório. No pulmão, esse nutriente auxilia ainda na produção de muco, que ajuda a expelir partículas nocivas e deixar o pulmão menos vulnerável a infecções.

Caso você queira aumentar sua ingestão de vitamina A, aposte em alimentos como fígado, ovos, manteiga, talos de verduras e legumes amarelos e vermelhos, especialmente a cenoura.

4. Vitamina C

Estudos da Universidade de Tanta, no Egito, provaram, recentemente, que a vitamina C melhora a respiração de crianças com sintomas moderados de asma. Isso porque a vitamina ameniza a inflamação e estabiliza a liberação de histamina, uma das principais substâncias por trás das crises asmáticas.

Por isso, podem também ser considerados alimentos contra asma as frutas cítricas como a acerola, o limão, a laranja, o kiwi, entre outros.

5. Selênio

Encontrado, especialmente, em oleaginosas e em cereais integrais, o selênio é um antioxidante poderosíssimo. Ele ajuda a produzir radicais livres, como os produzidos durante o processo inflamatório da crise asmática; o que evita quedas agudas na imunidade de quem tem a doença.

6. Vitamina E

Esse é outro antioxidante poderoso contra os processos inflamatórios da crise de asma. Aliás, mulheres grávidas que apresentam carência dessa vitamina têm mais chances de dar à luz bebês asmáticos.

Sobre os alimentos que são fonte desse nutriente, estão no topo da lista o gérmen de trigo, os óleos vegetais, a gema de ovo e as folhas.

7. Ômega 3

Presente na carne de peixes de água fria, na canola, na linhaça e no gérmen de trigo; o ômega 3 inibe a produção de prostaglandinas, substâncias que estreitam a abertura dos brônquios e está diretamente associada às alergias respiratórias. Esse nutriente também combate as inflamações.

E então, você costuma comer esses alimentos? Quais deles pretende incluir em sua dieta? Não deixe de comentar!

Agora, falando em alimentos que podem surpreender, esses aqui também surpreendem, mas de um jeito negativo: 7 alimentos que aumentam a pressão arterial e você não sabia.

Fonte: Minha Vida

Источник: https://segredosdomundo.r7.com/alimentos-contra-asma/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: