5 Dicas para melhorar a Memória Rápido

Dicas poderosas de como melhorar a sua memória

5 Dicas para melhorar a Memória Rápido

Já percebeu que algumas pessoas parecem ter a memória melhor que a de um computador? Elas lembram, sem muito esforço, de detalhes insignificantes contados em histórias de mesas de bar há 10 anos; compreendem assuntos novos com facilidade e são capazes de discutir os eventos do mundo com bons argumentos apenas assistindo o noticiário ou lendo alguns textos na internet.

Você já desejou ser uma pessoa assim? Provavelmente todos pensam nisso uma vez ou outra e acabam se convencendo de que ter uma boa memória é privilégio de alguns sortudos. No entanto, qualquer pessoa pode impulsionar o potencial de seu cérebro.

Grande parte do conteúdo criado e compartilhado aqui no blog do Curseduca é dedicado a mostrar como você pode se encarregar da sua própria educação e/ou da sua vida profissional ensinando ou estudando por meio de cursos online. No entanto, estudar por conta própria nem sempre é uma tarefa fácil. E muito disso se deve ao pobre uso que fazemos da nossa memória.

Recentemente, a organização irlandesa de psicólogos corporativos Davitt publicou um infográfico intitulado How To Master Your Memory (ou Como dominar a sua memória, em português), que mostra, entre outras informações, que fatos científicos têm sido descobertos em relação à memória, que truques podemos usar para ‘hackeá-la” e que exercícios podemos fazer para treiná-la.

O que os estudos dizem?

  • A maior parte do processo de consolidação da memória acontece durante o sono e é um dos elementos mais importantes do que é considerado uma boa memória;
  • Segundo uma pesquisa da Universidade da Georgia, exercitar-se por 20 minutos facilita o processamento de informações e as funcionalidades da memória;
  • A meditação tem mostrado impulsionar resultados de testes e habilidades da memória de trabalho depois de apenas duas semanas de prática;
  • Um estudo recente concluiu que tomar uma pílula de cafeína depois de uma sessão de estudo pode melhorar a memória de retenção até 24 horas depois do contato com a informação.

Técnica Palácio da Memória

  • Essa técnica sugere que você faça uma “caminhada mental” por um lugar familiar – por exemplo, a sua vizinhança -, associando cada coisa que você precisa lembrar a objetos que você vê. Não tem problema se você colocar uma impressora na calçada ou um rosto de alguém pra quem você precisa ligar no lugar de uma placa de trânsito;
  • O palácio da memória é uma técnica eficaz para lembrar sequências longas de itens.

Meditação

  • Praticar a meditação ajuda a construir matéria cinzenta mais densa em partes do cérebro que se associam com aprendizado e memória, controle de emoções e compaixão;
  • De acordo com um estudo feito por pesquisadores de Harvard, oito semanas de meditação já são suficientes para produzir mudanças estruturais no cérebro, que podem ser observadas numa ressonância magnética.

O Mapa de Nomes

  • Criar um mapa de nomes ajuda a lembrar nomes e associar rostos de novas pessoas. É uma técnica ideal para reuniões de trabalho ou se você começou num novo trabalho;
  • Desenhe um mapa de acordo com a posição que as pessoas se sentam ao redor da mesa, adicionando características que as identifiquem (barba, óculos, cabelo ruivo etc.).

Ouvir em vez de ler

  • É normal lembrarmos melhor de informações que ouvimos em vez de informações que lemos;
  • Use seu celular para gravar notas de voz e as ouça para ajudar a lembrar informações importantes.

Tire uma soneca

  • Pesquisas mostram que privação de sono pode afetar a nossa habilidade de reter novas informações ou consolidar novas memórias criadas;
  • Uma soneca de 45 minutos a uma hora pode melhorar em até 5 vezes a nossa capacidade de recuperar informações da memória.

*Há algumas semanas, falamos sobre como o sono pode afetar a sua carreira. Confira o artigo clicando aqui.

Exercícios para desenvolver a memória

Crédito: Randy Mora/YCN

  1. Desenhe um mapa “de cabeça”. Após retornar de um lugar novo, tente desenhar um mapa da área;
  2. Desafie seu paladar. Quando estiver comendo, tente identificar ingredientes individuais no seu prato, incluindo ervas e temperos;
  3. Complete um jogo de palavras-cruzadas;
  4. Memorize os números de telefone de 10 amigos próximos ou familiares. Depois, memorize mais dez;
  5. Resolva problemas matemáticos sem a ajuda de papel, lápis, celular ou computador;
  6. Crie “figuras de palavras”. Visualize a soletração de uma palavra na sua cabeça e tente pensar em outras palavras que começam (e terminam) com as mesmas duas letras;
  7. Memorize a sua lista de compras, principalmente se você precisar de 12 itens ou menos;
  8. Quando estiver fazendo compras, mantenha uma conta mental de quanto vai custar o que está no seu carrinho;
  9. Use 10 minutos por dia para memorizar as capitais de países ao redor do mundo;
  10. Memorize as letras de suas músicas preferidas.

Confira o infográfico completo abaixo:

CONCLUSÃO

Boa memória é o resultado da soma de uma rotina saudável e do hábito de exercitar o cérebro ativamente. Ao fazer isso, você vai melhorar a sua memória e aprender muito mais, mesmo estudando por conta própria.

Tão importante quanto acompanhar as mudanças conjunturais dos modelos educacionais é garantir que a sua aprendizagem seja sólida e consistente.

Para isso, é fundamental aprender a usufruir ao máximo das capacidades do cérebro.

Compartilhe nos comentários os seus exercícios e hábitos preferidos para melhorar a memória!

Com a ferramenta curseduca fornecemos funções que permitem gerar mais tráfego, Leads, vendas e relacionamentos para sua empresa, através de landing pages, home pages otimizadas, eCommerce de conteúdos e um ambiente completo de ensino online.Nós do curseduca ajudamos você a crescer com uma estratégia alinhada com metodologia e tecnologia aumentando os resultados e poupando tempo, potencializando assim o crescimento da sua empresa.

Источник: https://curseduca.com/blog/como-melhorar-sua-memoria/

Memória fica fraca com a idade? Veja 5 dicas para deixar a sua afiada

5 Dicas para melhorar a Memória Rápido

Não é à toa que nos acostumamos a associar envelhecimento com esquecimento – e até nos divertimos com isso. Com o passar dos anos, a memória, assim como outros processos do corpo, sofre um desgaste e pode começar a falhar.

“A velocidade de transmissão do impulso nervoso entre os neurônios diminui com o envelhecimento.

Com isso, as habilidades cognitivas podem não ter a mesma eficiência de quando a pessoa era mais jovem”, afirma o neurocientista e neurocirurgião Fernando Gomes, colunista do VivaBem.

Lucas Porcello Schilling, neurologista e pesquisador do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul, explica que o declínio da memória começa a ser perceptível a partir dos 50 anos, intensificando-se após os 60.

Mas isso não quer dizer que todo mundo terá problemas de esquecimento ao envelhecer. Schilling afirma que uma pessoa ativa intelectualmente, que estuda e lê bastante, por exemplo, tende a postergar o surgimento de falhas de memória.

Portanto, quanto mais utilizada, mais eficiente se torna essa aptidão cognitiva.

O médico compara o cérebro a uma cidade com vários bairros: o bairro da memória, o da linguagem e o da atenção, entre outros. Enquanto o trânsito nas ruas flui, é possível chegar aonde quiser. Se alguma coisa acontece e trava uma via, o fluxo para e fica impossível acessar os bairros. O mesmo acontece do ponto de vista cognitivo.

Tipos de memória

Nosso cérebro possui estruturas muito organizadas. A memória, por exemplo, é dividida em de curto e longo prazo. Cada uma, por sua vez, tem várias categorias de organização.

A memória de curto prazo tem relação mais direta com a capacidade de atenção imediata, que é influenciada pela eficiência dos órgãos do sentido, como visão e audição. É ela que nos ajuda a memorizar a vaga onde deixamos o carro no estacionamento do shopping, o nome de alguém que acabamos de conhecer ou o resultado de um cálculo matemático feito mentalmente.

A memória de longo prazo é onde ficam guardados fatos e episódios de nossa vida (formatura da escola e da faculdade, casamento, nascimento de filhos, uma viagem etc.), aprendizados como dirigir, andar de bicicleta e escrever, além de dados e conhecimentos aprendidos como históricos.

Com o passar dos anos, as duas memórias passam a funcionar com menos eficiência. A diminuição relativa na entrada de novas informações sensoriais é um dos fatores para isso.

Quando comparadas às habilidades de alguém jovem, a atenção e a memória de curto prazo de um indivíduo acima dos 50 ou 60 são piores.

“O que é interessante é que alguns tipos de memória, como a do vocabulário (de longo prazo), por exemplo, permanecem preservadas até uma idade avançada. Por isso muitos idosos são bons em fazer palavras cruzadas”, diz Schilling.

Como manter a memória ativa?

Organize seu estilo de vida, buscando ter uma alimentação saudável (dieta mediterrânea é uma ótima em nutrientes que ajudam a preservar a saúde do cérebro), fazer exercícios físicos diários (atividades mistas combinando musculação, tarefas aeróbicas e alongamento são desafiadoras) e dormir um sono reparador. Um estudo de pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro detectou que a irisina, hormônio liberado durante o esforço físico, pode até reverter a perda da memória causada por Alzheimer – o que reforça a importância da atividade física.

Treine o tempo todo. Aproveite mesmo pequenas oportunidades (montar a lista do supermercado ou ligar para pessoas conhecidas sem recorrer à agenda do celular) para exercitar a memória. Leitura e estudo também são muito positivos. Aprenda um idioma ou alguma coisa nova, faça cursos de disciplinas e atividades apenas porque se interessa pelo assunto.

Cultive relações saudáveis. Manter atividades sociais é importante sempre. Estar junto com amigos e pessoas queridas, e trabalhar para não perder esse tipo de vínculo ao longo da vida, é importante para manter a saúde mental e a memória.

Recorra a lembretes. Agenda, calendário, despertador e notificações, sejam as ferramentas do celular ou objetos físicos, são aliados da memória porque facilitam o acesso a informações sem tanto esforço. A linha de pensamento é: ajude seu cérebro para que ele ajude você.

Domine a ansiedade. Estar em estado permanente de alerta e expectativa reduz sua capacidade de entrar em amplo contato com novas informações. Colocar atenção plena nas atividades que realiza ajuda a se lembrar das coisas porque lembre-se: memória depende de atenção.

Falhas acontecem

Lapsos de memória ocorrem em todas as fases da vida e não devem surpreender tanto a partir de determinada idade.

Pode ser considerado normal para um idoso, por exemplo, não conseguir se lembrar de algum nome ou palavra, mas chegar a ela depois de alguns segundos ou de uma deixa.

“Se a pessoa tiver algum grau de demência, não deve conseguir de recordar nem com pistas, pois a falha está no processo de retenção ou fixação da informação”, explica Gomes.

O neurocientista complementa que, como a memória depende da atenção, diversos fatores podem interferir nela – ansiedade, estresse, depressão, por exemplo. Além disso, a memória tem etapas: se uma falha, a habilidade fica comprometida. São elas:

Primeira etapa: atenção e contato inicial com a nova informação; acontece principalmente nos lobos frontais.

Segunda etapa: consolidação e mudança na estrutura das conexões neurais e na eficiência das sinapses; hipocampo e os lobos temporais são envolvidos.

Terceira etapa: evocação e lembrança da informação à luz da consciência nos lobos frontais.

Quando se preocupar?

Schilling afirma que nem sempre é fácil distinguir entre um nível de declínio da memória considerado normal da idade e quando é motivo para se preocupar, pois pode haver relação com Alzheimer ou demência, por exemplo.

Quando falhas e esquecimentos que antes não ocorriam passam a ser frequentes, pode ser um alerta.

“Se há prejuízo nas atividades do dia a dia, com necessidade de repetição de ações por ineficiência da memória, é aconselhável buscar orientação médica”, sugere Fernando Gomes.

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/10/18/a-memoria-fica-fraca-com-a-idade-veja-5-dicas-para-deixar-a-sua-afiada.htm

Confira 7 dicas para melhorar a memoria e concentração

5 Dicas para melhorar a Memória Rápido

Melhorar a memória e concentração é o desejo de muitas pessoas para aumentar o desempenho em diversas tarefas do dia a dia, como nos estudos e no trabalho. Isso porque essas duas capacidades são fundamentais para conquistar bons resultados em qualquer tipo de atividade.

No entanto, diante de tantas interferências do ambiente (sons, luzes, notificações de aplicativos, entre outras), ter uma boa concentração virou um desafio para a maioria de nós. Ao mesmo tempo, somos bombardeados de informações durante a maior parte do dia, o que torna mais difícil nos lembrarmos de tudo, até mesmo das coisas mais relevantes.

Sendo assim, o que fazer para melhorar a memória e concentração? Neste post, vamos dar 7 dicas que vão ajudá-lo a ter melhores resultados no trabalho e nos estudos. Acompanhe!

1. Cuide da sua saúde mental

Tanto a memória quanto o foco são resultados de diversas conexões cerebrais funcionando em harmonia. Para que todo esse processo ocorra de maneira satisfatória, nada melhor que manter sua mente longe de distrações capazes de comprometer a saúde dela.

Em outras palavras, cuidar da sua saúde mental é fundamental para ter um bom desempenho em suas atividades. Isso implica dar um bom descanso para o seu corpo e mente, evitar situações frequentes de estresse, ter uma alimentação nutritiva e, se necessário, procurar ajuda médica e terapia.

Muitas doenças psicológicas conseguem prejudicar a sua disposição para realizar as tarefas cotidianas e, principalmente, sua capacidade de prestar atenção por um longo período, como é o caso da ansiedade e da depressão. Por essa razão, é importante ficar atento aos sinais do seu corpo e procurar tratamento, caso seja necessário.

2. Pratique exercícios de memorização

Imagine que o seu cérebro é como um músculo: quanto mais você exercitá-lo, mais forte ele se tornará. Por isso, praticar atividades que ajudam na memorização é essencial para que consiga reter mais conteúdos e se lembrar facilmente deles.

Trabalhar a sua memória é útil, inclusive, para evitar complicações de saúde que geram esquecimento, principalmente durante a fase idosa, como é o caso do Alzheimer, Parkinson, demência, entre outras patologias afins.

Portanto, vale a pena apostar em exercícios de lógica (sudoku, cruzadas, caça-palavras), quebra-cabeças, jogo da memória, entre outros. Existem alguns outros truques que também ajudam a memorizar efetivamente as informações, como:

  • mudar o caminho de trajetos que você faz diariamente, como o de sua casa até o trabalho;
  • fazer atividades como dança, teatro e diversos tipos de arte;
  • tomar banho de olhos fechados e tentar pegar as coisas sem olhar;
  • decorar trechos de livros, filmes e afins;
  • escrever um diário, à noite, relembrando todas as atividades que você fez ao longo do dia.

3. Medite regularmente

A meditação traz ótimos efeitos ao corpo e à mente de um indivíduo. A prática meditativa contribui para ter mais consciência de si mesmo, incentivando a prestar atenção na própria respiração e conseguir controlar os pensamentos.

Ela, por si só, já é um exercício de concentração. Afinal, passar alguns minutos parado, em silêncio, observando como você está se sentindo já envolve um grande empenho. Como resultado, a sua mente se acostuma a focar naquilo que interessa e a reter esse conhecimento. Ou seja, um ótimo método para melhorar a memória e concentração.

4. Desligue o “piloto automático”

Lembra-se do exemplo de mudar o caminho para ir ao trabalho? É uma maneira de desligar o piloto automático. Esse é o nome dado para quando alguém faz as coisas de forma pragmática, sem prestar atenção, principalmente por já estar acostumado a realizar determinada tarefa.

O piloto automático, muitas vezes, permite que os pensamentos se dispersem para outros assuntos, que não estão necessariamente relacionados à ação executada no momento. Desse modo, a sua concentração fica cada vez mais prejudicada por estar muito dispersa.

Por isso, um truque para fortalecer o seu foco e memória é passar a realizar as suas atividades prestando atenção nos detalhes, sem deixar a mente divagar. Isso vai proporcionar, inclusive, mais eficiência para a realização de suas tarefas cotidianas.

5. Dedique-se a aprender coisas novas

Aprender algo novo é outra dica muito interessante para melhorar o seu desempenho nas atividades do dia a dia. Isso porque é mais fácil se concentrar em coisas novas, justamente por não ser possível usar o piloto automático.

As técnicas manuais são bons exemplos de atividades que ajudam a exercitar a sua memória e concentração, como se dedicar ao artesanato, aprender a tocar um novo instrumento, praticar um esporte, treinar um estilo de pintura ou desenho, entre outros exercícios interessantes.

6. Evite o consumo de álcool e cigarros

Maus hábitos como o tabagismo e o consumo excessivo de álcool podem acarretar inúmeros danos à saúde. Além de serem fatores de risco para o surgimento de câncer, doenças respiratórias, complicações no fígado e vários outros prejuízos, quando consumidos a longo prazo, ambos geram problemas de memória, por levarem toxinas ao cérebro e, com isso, comprometer o bom funcionamento do órgão.

7. Faça planejamentos semanais

Manter a disciplina é uma forma de se manter focado em suas atividades. No entanto, é muito difícil seguir a mesma rotina por muitos dias consecutivos e fazer com que o planejamento seja cumprido fielmente. Por isso, é interessante fazer planos curtos, dentro do seu alcance.

Para isso, você pode, por exemplo, sentar-se no domingo e listar todas as tarefas que precisa realizar ao longo da semana. Depois disso, divida-as entre os dias e, se possível, coloque o horário que você deve realizar cada uma delas.

Um planner ou uma agenda podem ser essenciais para otimizar a rotina. Assim, você sempre tem onde consultar, no início do dia, para saber o que precisa ser realizado. Com isso, é possível relaxar e se concentrar em uma atividade por vez, sem se sentir ansioso pelo que ainda não foi feito.

Viu só como dá para melhorar a memória e concentração com algumas técnicas simples de serem adotadas no dia a dia? Por isso, aproveite e coloque em prática essas dicas para ter mais sucesso em suas atividades e alcançar os seus objetivos.

Gostou das sugestões? Então compartilhe este post agora mesmo em suas redes sociais. Assim, os seus amigos também podem ficar por dentro do assunto!

Источник: https://www.faculdadeide.edu.br/blog/melhorar-a-memoria-e-concentracao/

Saiba como melhorar a memória

5 Dicas para melhorar a Memória Rápido

A memória é uma das funções mais importantes do cérebro humano. E quando ela começa a falhar, as coisas tendem a sair dos eixos. Esquecer uma coisa ou outra é até normal, mas não pode ser rotineiro. Se isso tem acontecido com você, é bom ficar de olho. A situação pede cuidado, mas não é o fim do mundo. Tem como melhorar a memória!

Sabe por quê? A perda de memória nem sempre está relacionada aos efeitos do tempo. Muitas vezes, os lapsos são consequências da falta de concentração e até mesmo de um estilo de vida nada saudável.

“Não é normal esquecer nem se conformar [com a falta de memória]. Isso se torna um problema quando traz prejuízos funcionais, para o seu dia a dia”, explica o dr. Guilherme Cherpak, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

Quer saber como melhorar a memória? Anote essas 5 dicas de ouro:

1. Durma bem

O sono é importantíssimo para a saúde. Mesmo que estejamos “desligados”, o cérebro não deixa de funcionar. E é nesse período de descanso que ele reorganiza suas atividades, guardando as informações que recebeu durante o dia.

Shutterstock

“Precisamos do período para que as estruturas de memórias se reorganizem, temos que deixar o cérebro trabalhar sozinho. Se eventualmente não deixarmos isso acontecer, teremos um déficit de memória”, conta o dr. Cherpak.

2. Evite o estresse

Às vezes, perdemos a paciência com algumas situações de nosso dia a dia. Trânsito, demandas de trabalho, problemas de casa… Para melhorar a memória, contudo, é preciso deixar esse nervosismo de lado, respirar fundo e ficar relaxado.

Shutterstock

O geriatra explica o motivo: “Quando a gente vive estressado, preocupado com os problemas, pilhado, não cria um ambiente favorável para que o cérebro assimile e guarde o que a gente precisa.”

Já listamos 9 sintomas que provam que você pode estar muito estressado. Clique no link!

3. Qualidade de vida

Quer ter uma memória de ferro? Então preste atenção aos seus hábitos. Pratique exercícios físicos, que fazem tão bem à mente, mantenha uma dieta balanceada e tenha o sono em dia. 

Shutterstock

“O que mais atrapalha a memória é o estilo de vida, a quantidade grande de informações, que fazem com que o cérebro não consiga diferenciar o que é memória de trabalho ou de longo prazo.”

Perder a memória por péssimos hábitos não é nada legal.

4. Leia mais

Nada como melhorar a memória apostando em um hábito saudável como esse. A leitura é uma forma muito eficaz de estimular a memória, sabia? Para manter o cérebro funcionando bem, faça resumos depois de cada leitura e teste seu raciocínio como palavras cruzadas.

Shutterstock

“A memória é um circuito. Quanto mais a gente ativa, seja falando, ouvindo ou lendo, mais sentidos diferentes são ativados”, resume o dr. Guilherme Cherpak.

Já listamos 10 benefícios da leitura para a saúde, vale a pena conferir.

5. Gerencie suas emoções

Muitas lembranças são acessadas por sentidos. Um cheiro pode te trazer boas ou más recordações, por exemplo. “Uma memória de longa duração é aquela que a gente estuda, aprende, que ativa nossas emoções, sinalizando para o cérebro que aquela é uma memória para ser guardada”, comentou o geriatra.

Shutterstock

Por isso, é fundamental “treinar” suas emoções para saber como melhorar a memória. Isso é possível e nós já mostramos como aprimorar sua inteligência emocional.

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA DO DR. GUILHERME CHERPAK:

O que é memória?

“A memória é a capacidade de recordar eventos e situações passadas. Biologicamente falando, é uma rede neural que foi formada para lembrar de algumas coisas. São conexões que envolvem sentidos, emoções. A gente cria essa rede e ele é ativada em algumas situações.”

“De uma forma alegórica, é como se fosse um grande armário, com pequenas gavetas.”

Como a memória é formada?

“Para fazer uma memória de longa duração, precisamos de esforço. Estudar, treinar aquele circuito. Quanto mais acessado for, mais a memória estará disponível”.

“Ela é uma rede, que ativa várias locais do cérebro, como o cheiro. Para formar uma memória de longa duração, é preciso esforço, ter foco, concentração. Tudo que atrapalha a concentração, atrapalha a formação de memória. Se a gente não tiver uma boa estratégia de concentração, ler, ouvir o que se quer guardar, não formaremos essa memória.”

Perda de memória

“O cérebro não elimina memórias, mas vai deixando no 'fim da fila'. Se uma lembrança não é mais acessada, não tem mais necessidade de usar, não desperta mais nenhuma emoção para ser ativada por outros mecanismos, fica ali, guardadinha.”

“Quanto mais a gente usa, mais reforça o circuito.”

Sintomas da perda de memória

— Tem dificuldade para se lembrar de fatos recentes, mesmo que sua memória do passado esteja boa; — Acha que é difícil acompanhar conversas ou programas de televisão; — Começar a repetir para você mesmo o que tem que fazer com maior frequência ou se perder em sua linha de pensamento; — Tem dificuldade em fazer tarefas rotineiras (por exemplo, manejar suas finanças, seguir uma receita ou fazer compras de supermercado);

— Observa que as outras pessoas estão comentando sobre o seu esquecimento.

Источник: https://www.boavontade.com/pt/saude/como-melhorar-memoria

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: