6 dicas para diminuir o inchaço das pernas

Contents
  1. 10 formas naturais de tratar as pernas inchadas
  2. 1. Remédios caseiros
  3. Chá de gengibre
  4. Infusão de salsinha
  5. Suco de abacaxi
  6. 2. Diminuir o consumo de sal
  7. 3. Beber líquidos
  8. 4. Elevar as pernas
  9. 5. Movimentar as pernas
  10. 6. Banho de imersão com sais de Epsom 
  11. 7. Banho de contraste
  12. 8. Massagem
  13. 9. Perder peso 
  14. 10. Usar meias de compressão 
  15. Cinco dicas para reduzir o inchaço nas pernas
  16. Caminhada espiritual com a Beata Nhá Chica
  17. Sinais que podem detectar câncer de mama masculino
  18. Posts sobre emagrecimento proibidos no Instagram
  19. Cortes de cabelo gratuitos em prol de pacientes com câncer
  20. 10 maneiras de evitar e diminuir o inchaço das pernas e pés
  21. 1. Evitar longos períodos de inatividade das pernas
  22. 2. Diminua o consumo de sal
  23. 3. Evitar exposição excessiva a ambientes muito quentes
  24. 4. Meias de compressão, sim, calça apertada não
  25. 5. Evitar os saltos  muito altos e também as sandálias rasteiras
  26. 6. Deixar o pé da cama levemente elevado
  27. 7. Tomar água ao menor sinal de sede
  28. 8. Drenagem linfática quando necessária
  29. 9. Fazer qualquer atividade que promova contração e relaxamento da panturrilha
  30. 10. Aumente o consumo de frutas e verduras
  31. Inchaço nas pernas dos idosos
  32. Pernas inchadas na terceira idade
  33. O que são as pernas inchadas?
  34. O que pode causar inchaço nas pernas do idoso?
  35. O que é bom para melhorar o inchaço nas pernas e pés?
  36.  O que provoca inchaço nas pernas?
  37. Problemas circulatórios em idosos
  38. O que fazer para diminuir o inchaço nas pernas?
  39. O que fazer para acabar com a retenção de líquidos?
  40. O que fazer para melhorar a circulação sanguínea nas pernas?
  41. Agradecimentos
  42. Pernas inchadas: 6 dicas de como acabar com o inchaço na gravidez
  43. Por que pernas inchadas são comuns em gestantes?
  44. 6 Dicas de como evitar as pernas inchadas
  45. 1. Beba bastante água
  46. 2. Evite ficar em pé.
  47. 3. Não use roupas apertadas.
  48. 4. Faça exercícios físicos (com acompanhamento médico)
  49. 5. Água fria, água quente
  50. 6. Drenagem linfática sempre!
  51. 7. Dica extra!
  52. Argila Ortomolecular
  53. Emulsão Drenante
  54. Loção Alívio P&P
  55. Escrever Comentário

10 formas naturais de tratar as pernas inchadas

6 dicas para diminuir o inchaço das pernas

Algumas formas de tratamentos naturais para as pernas inchadas são o uso de chá diurético, como o gengibre, beber mais líquidos durante o dia ou diminuir o consumo sal.

Além disso, uma das melhores formas de aliviar esse desconforto é simplesmente elevar as pernas no final do dia ou fazer uma massagem de baixo para cima, para facilitar a circulação do sangue e evitar o acúmulo de líquidos nas pernas. 

As pernas inchadas podem surgir naturalmente com o envelhecimento ou na gravidez, mas também pode acontecer devido a doenças como insuficiência venosa, renal ou cardíaca, trombose ou uso de medicamentos como corticóides ou anticoncepcionais, por exemplo. Nestes casos, é importante fazer acompanhamento com o médico para fazer o tratamento mais adequado.

1. Remédios caseiros

Algumas opções de remédios caseiros são chás, infusões ou sucos com propriedades diuréticas ou anti-inflamatórias, para ajudar a eliminar líquidos e a diminuir o desconforto das pernas inchadas. Alguns exemplos são:

Chá de gengibre

O chá de gengibre é um ótimo diurético natural que permite aumentar a quantidade de urina eliminada durante o dia, diminuindo a carga de líquidos no sistema circulatório. Além disso, este chá também ajuda a diluir a concentração de sódio no organismo, que é uma das principais causas do inchaço nas pernas e pés.

Ingredientes

  • 4 a 6 fatias de 0,5 cm de gengibre;
  • 1 xícara de água;
  • 1 limão.

Modo de preparo

Descascar as fatias de gengibre e cortar em pedaços menores. Adicionar o gengibre em uma panela, adicionar a água e deixar ferver por 10 minutos. Deixar esfriar e coar. Espremer 1 limão e adicionar o suco no chá de gengibre.

Este chá deve ser bebido 2 a 3 vezes durante o dia, especialmente pela manhã e início da tarde, de forma a permitir que a eliminação aumentada de urina não afete a hora de dormir.

Infusão de salsinha

Além de ser um forte diurético natural, a salsinha também ajuda na saúde dos rins, permitindo eliminar mais rapidamente o excesso de líquidos e toxinas do organismo. Além disso, também diminui a concentração de sal no corpo, o que impede que os líquidos se acumulem tão rapidamente, contribuindo para reduzir o inchaço nas pernas.

Ingredientes

  • 1 punhado de salsinha;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Cortar a salsinha em pequenos pedaços e adicionar na xícara de água fervente. Deixar repousar por 5 a 7 minutos. Coar as folhas de salsinha e deixar esfriar.

Esta infusão deve ser ingerida morna, até 3 vezes por dia, para garantir melhores resultados.

Suco de abacaxi

O suco de gengibre é rico em substâncias anti-inflamatórias como a bromelina, além de ser uma fruta rica em água, promovendo a hidratação do corpo. Além disso, o abacaxi é diurético e ajuda na redução do inchaço nas pernas.

Ingredientes

  • ¼ de abacaxi;
  • 1 copo de água.

Modo de preparo

Descascar o abacaxi e cortar em pedaços menores. Adicionar o abacaxi e a água no liquidificador e bater. Beber imediatamente após o preparo.

Este suco pode ser bebido 1 vez ao dia, especialmente pela manhã ou início da tarde.

Confira outras receitas de suco de abacaxi para desinchar.

2. Diminuir o consumo de sal

A ingestão de grandes quantidades de sal na alimentação pode causar inchaço nas pernas e isto ocorre porque o sal contém muito sódio que retém água e, por isso, se tiver em grandes quantidades no corpo, aumenta a retenção de líquidos. Uma boa opção para evitar o acúmulo de líquido nas pernas é usar sal com baixo teor de sódio ou usar ervas aromáticas para reduzir o consumo do sal ou evitar adicionar sal às refeições. 

Assista como preparar o sal de ervas.

3. Beber líquidos

A ingestão de líquidos durante o dia pode ajudar a desinchar as pernas, pois quando o corpo não está hidratado o suficiente, a tendência é reter líquidos. Por isso, é importante tomar pelo menos de 8 a 10 copos de água por dia. 

4. Elevar as pernas

Colocar as pernas para cima, por pelo menos 20 minutos por dia, ajuda a estimular a circulação sanguínea, melhora o sistema linfático, além de proporcionar relaxamento, aliviando o inchaço das pernas.

Uma forma fácil de elevar as pernas é deitar na cama e colocar as pernas na cabeceira ou apoiar as pernas em almofadas ou travesseiros, por exemplo.

5. Movimentar as pernas

Praticar atividades físicas leves como caminhada ou hidroginástica, por exemplo, podem ajudar a diminuir o inchaço nas pernas pois melhora a circulação sanguínea e linfática.

Outra forma de movimentar as pernas, no caso de trabalhar sentado por muito tempo, é andar um pouco a cada hora, dentro da empresa ou andar um quarteirão na hora do almoço, por exemplo.

No entanto, se o trabalho exigir ficar de pé por muito tempo, é importante flexionar os joelhos e os tornozelos a cada hora ou levantar-se com as pontas dos pés para ajudar a panturrilha a bombear o sangue das pernas para o coração, diminuindo o inchaço nas pernas.

6. Banho de imersão com sais de Epsom 

Os sais de Epsom são ricos em sulfato de magnésio que é facilmente absorvido pela pele, facilitando a circulação do sangue nas pernas e pés, reduzindo o inchaço e a inflamação.

Este banho de imersão é muito fácil de preparar e permite aliviar o inchaço rapidamente no final do dia, além de relaxar e pode ser feito antes de uma massagem nas pernas, por exemplo.

Ingredientes

  • 1 copo de sais de Epsom;
  • 1 litro de água.

Modo de preparo

Colocar os sais de Epsom em um recipiente com água morna, mexer até que os sais estejam bem diluídos. Adicionar essa solução na água da banheira e ficar imerso por aproximadamente 15 a 20 minutos.

Outra forma de usar os sais de Epsom é em escalda pés.

Neste caso, usar ½ xícara de sais de Epsom em 2 a 3 litros de água morna ou uma quantidade de água deve ser suficiente para cobrir os pés e chegar até, pelo menos, o meio da panturrilha.

Diluir bem os sais, mexendo a água com a mão e colocar os pés no interior da água durante cerca de 15 minutos. Este processo pode ser feito por até 3 vezes por semana.

7. Banho de contraste

O banho de contraste é feito alternando o uso de água quente que promove a dilatação dos vasos sanguíneos e de água fria que promove a constrição desses vasos. Esta técnica, usada em fisioterapia, é muito eficiente para ajudar a drenar o líquido e desinchar as pernas e os pés.

Assista o vídeo como fazer o banho de contraste.

8. Massagem

A massagem ajuda a diminuir o inchaço nas pernas por estimular a circulação sanguínea e ajudar a melhorar a movimentação e eliminação de líquidos nas pernas, além de ser relaxante. A técnica para fazer a massagem é aplicar movimentos suaves no sentido dos pés para o coração. 

Outra opção para reduzir as pernas inchadas é a drenagem linfática que pode ser feita por um profissional ou em casa. Veja como fazer drenagem linfática em casa.

9. Perder peso 

O excesso de peso ou a obesidade reduz a circulação sanguínea e por isso pode causar inchaço nas pernas e nos pés. Além disso, o sedentarismo também dificulta a movimentação de líquidos que ficam retidos nas pernas causando o inchaço. 

O emagrecimento e a movimentação do corpo promovem uma melhor circulação sanguínea e linfática, reduzindo o aparecimento das pernas inchadas. 

Uma alimentação saudável para emagrecer e evitar o inchaço das pernas deve incluir frutas como melancia, abacaxi ou melão, que além de terem poucas calorias, são ricas em água, promovendo hidratação do corpo e aumento da urina, ou vegetais verde-escuros, como a couve, rúcula ou brócolis que são ricos em potássio e magnésio, que diminuem a retenção de líquidos e o inchaço nas pernas.  

Além disso, é essencial deixar de consumir produtos embutidos, como salame, presuntos ou mortadela e enlatados como ervilha, milho ou atum, por exemplo, pois contêm muito sódio, usado como conservante, que provocam aumento da retenção de líquidos e podem causar inchaço nas pernas. 

É importante consultar um endocrinologista ou nutricionista antes de iniciar qualquer dieta para que seja feita de acordo com as necessidades individuais.

10. Usar meias de compressão 

As meias de compressão funcionam como uma espécie de bomba que atuam contra a força da gravidade, ajudando o sangue a voltar dos pés para o coração. Assim, ajudam a evitar ou diminuir o inchaço nas pernas por melhorar a circulação sanguínea e linfática.

O ideal é usar meias de compressão prescritas pelo médico pois existem meias com compressão e tamanhos diferentes. Estas meias não devem ser usadas para dormir pois podem causar efeito contrário e atrapalhar o fluxo sanguíneo. Saiba como usar as meias de compressão.

Источник: https://www.tuasaude.com/remedio-caseiro-para-pernas-inchadas/

Cinco dicas para reduzir o inchaço nas pernas

6 dicas para diminuir o inchaço das pernas

(foto: Pixabay/Reprodução)

É muito comum que pessoas que ficam paradas por um longo período na mesma posição reclamem de inchaço nas pernas.

Em algumas profissões, como motoristas, por exemplo, ficar sentado por muito tempo pode provocar problemas de circulação e retenção de líquidos nas pernas e pés, ocasionando dores, inchaços e doenças como varizes e trombose.

Segundo o especialista em angiologia e cirurgia vascular Jamil Victor de Oliveira Mariúba, parceiro da Sigvaris Group, empresa de produtos de compressão graduada, há o risco de aparecerem doenças vasculares porque a circulação fica inativa, possibilitando a formação de coágulos, que bloqueiam o fluxo de sangue na região das pernas.

1. Tenha uma boa alimentação – uma rotina alimentar saudável e equilibrada pode evitar o acúmulo de gorduras e líquidos, além de beneficiar o funcionamento correto do corpo.

2. Hidrate-se – é importante manter-se hidratado, tomando bastante água ao longo do dia. Isso contribui para o bom funcionamento dos rins e previne o acúmulo de 

impurezas no organismo.

3. Evite o consumo de álcool e cigarro – as bebidas alcoólicas e o cigarro prejudicam o organismo, pois há um excesso de substâncias nocivas, que podem promover uma série de doenças, como problemas cardiovasculares, câncer e problemas 

hepáticos, entre outros.

4. Pratique atividade física regularmente – a natureza de nosso corpo é estar em movimento, portanto, é essencial praticar, sempre que possível, atividades físicas, como caminhadas. Isso vai ajudar a manter a circulação sanguínea, evitar o acúmulo e a criação de vasos sanguíneos nas pernas e estimular os músculos. Além disso, o exercício ajuda a eliminar impurezas do organismo.

5. Utilize meias ou canelitos de compressão graduada – a compressão graduada atua com mais intensidade no tornozelo e menor intensidade no sentido da coxa, promovendo o direcionamento correto do fluxo venoso. Com isso, podemos observar uma nítida melhora na circulação sanguínea e evitar a sensação de pernas pesadas e cansadas.

Caminhada espiritual com a Beata Nhá Chica

Será amanhã, das 19h30 às 20h30, no Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem (Rua Sergipe, 175), o Encontro Presencial. Os presentes vão cantar, rezar e receber as

 bênçãos de Nhá Chica. É preciso chamar pelo interfone. Mais informações com o coordenador Márcio Barros, pelo (31) 99941-9389 

Sinais que podem detectar câncer de mama masculino

Neste início de outubro, o empresário Mathew Knowles, pai da cantora Beyoncé, revelou em entrevista ao programa de TV Good morning America que foi diagnosticado com câncer de mama no meio deste ano. Apesar de raro, estimativas indicam que 1% dos casos da doença afetam homens.

Apesar de o Outubro Rosa ser o mês de conscientização sobre a questão voltada principalmente para mulheres, é preciso lembrar que um dos grandes mitos da saúde é que o câncer de mama não afeta homens. Das 16.254 pessoas que morreram em decorrência de câncer de mama no país no ano passado, 185 eram homens.

Segundo o oncologista Daniel Gimenes, do Centro Paulista de Oncologia (CPO) Oncoclínicas, apesar da baixa incidência, o câncer de mama masculino pode se manifestar e existe um alto percentual de mortalidade.

“Existe um problema muito comum que faz com que os homens não procurem um médico por questões de machismo, pois não passa pela cabeça de ninguém que o homem pode desenvolver um câncer de mama.

Por isso, a qualquer mudança suspeita na região mamária é preciso procurar um especialista para que o câncer não seja descoberto tarde demais”, explica Gimenes. Ele destaca os principais fatores que podem ser importantes na hora de detectar um câncer de mama no homem:

Genética: se existir caso de alguma mulher (tia, mãe, avó) com câncer de mama na família, as chances de o homem desenvolver aumenta discretamente, mas se for relacionado à mutação do BRCA, os riscos são significativamente maiores.

Para isso, é recomendável que o homem faça uma pesquisa de mutação para saber se terá chances de desenvolver a doença.

Se, por exemplo, um homem no qual a irmã/mãe teve câncer de mama, as chances são maiores; por isso, é preciso ser feito um acompanhamento mais de perto.

Hormônios: o principal motivo pelo qual as mulheres apresentam câncer de mama com mais frequência do que os homens são os hormônios. A mulher produz muito mais estrógeno do que o homem.

A maioria dos cânceres de mama femininos se desenvolve por conta de hormônios sensíveis. O homem apresenta uma baixa taxa de estrógeno no corpo, contendo mais testosterona, que não leva a esse tipo de câncer.

Caroço na área do tórax: como os homens não têm o costume de realizar exames mamários frequentemente é preciso que se atentem a alguns sintomas suspeitos. Caroço na área do tórax é dos principais sintomas do câncer de mama masculino, que pode ser acompanhado de inchaço nos linfonodos axilares.

Retração na pele: em situações mais avançados da doença, também pode ocorrer uma retração do mamilo, ou seja, um inchaço significativo ou distorção da pele, em alguns casos acompanhados de sangue na região. Quando esses sinais são detectados, é imprescindível que se procure um médico para saber o diagnóstico correto.

Cirrose/alcoolismo/obesidade: pacientes com distúrbios do fígado (cirrose, alcoolismo e obesidade) correm mais risco de desenvolver câncer de mama e, quanto mais velho o homem for, maior a possibilidade de a doença aparecer.

Na maioria das vezes, o homem com câncer de mama procura uma orientação quando a neoplasia ainda está no começo, dificultando o tratamento. Quanto mais cedo o câncer é diagnosticado, maiores são as chances de cura.

Por isso, já que a mamografia masculina não é recomendada como um exame de rotina, homens que estão na área de risco de desenvolver um câncer de mama precisam realizar o autoexame. 

Posts sobre emagrecimento proibidos no Instagram

(foto: Pixabay/Reprodução)

A rede social Instagram vai limitar o alcance de publicações sobre produtos para emagrecimento e dietas, além de impor restrições destes posts para menores de idade. Segundo as novas regras, que estão em vigor em todo o mundo desde 18 de setembro, posts com promessas “milagrosas” relacionadas a dietas e produtos para perda de peso que contenham ofertas comerciais e códigos de desconto podem ser removidos da plataforma. Para a nutricionista Lara Natacci, da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região SP-MS (CRN-3), a medida é positiva, pois os resultados de emagrecimento obtidos por uma pessoa não podem necessariamente ser reproduzidos por outras, o que pode ocasionar riscos para a saúde. “Não existe um padrão alimentar para ser aplicado em todas as pessoas. Seguir dietas que não considerem nossas características individuais pode gerar deficiência de nutrientes, perda de massa magra e efeito sanfona – emagrecer, e depois voltar a engordar”, explica Lara.

Cortes de cabelo gratuitos em prol de pacientes com câncer

Quem deseja doar cabelos para mulheres que fazem tratamento contra o câncer poderá cortar as madeixas gratuitamente na próxima quinta-feira (17), em Belo Horizonte.

A ação faz parte da campanha “Doe cabelos, espalhe sorrisos”, iniciativa da marca de cosméticos Mutari, que já realizou cortes também nos dias 3 e 10. Os cortes são feitos na Casa Mutari, na Rua Castelo de Amieira, 110, no Bairro Castelo, Região da Pampulha, entre as 9h e as 16h.

Para participar, o interessado deve entrar em contato pelo (31) 3476-7377 e confirmar a doação, além de escolher o modelo de corte desejado. De acordo com a direção do Instituto Mário Penna, a mecha de cabelo deve ter no mínimo 15cm e pode ter química ou ser tingido.

  “Queremos despertar na sociedade a conscientização pela necessidade do olhar para o próximo, tendo em vista que um dos caminhos para vencer a luta pelo câncer é contribuindo com o nosso afeto e a amizade, mesmo que não conheçamos diretamente aquele que necessita de nosso apoio”, enfatiza Ana Cristina Baptistelli, diretora de marketing da Mutari. Para conhecer de perto as ações sociais da Mutari, acesse: www.mutari.com.br ou pelas redes sociais, seguindo o @mutarioficial no Instagram e no .

(foto: McDonald's/Divulgação)

No ano passado, por meio de parceria com a Rede Cidadã, o McDonald's de BH contratou, de uma só vez, 20 deficientes auditivos para trabalhar em seus restaurantes. Eles já estão bem adaptados e alguns, inclusive, foram destaque do mês em suas funções.

E, no mês passado, seis surdos, quatro deles funcionários do McDonald's em BH, participaram do curso Desenvolvimento sustentável em foco, criado em 2018 pela Universidade do Hamburguer (a universidade corporativa do McDonald's Brasil).

Essa foi a 17ª edição do curso e a primeira cujos conteúdos também foram transmitidos em libras e que contou com a participação, como piloto, de seis pessoas surdas. A intenção do McDonald's é expandir esta experiência para os outros mercados da rede no país.

A maioria das empresas tem muita resistência em contratá-los, por conta da dificuldade de comunicação com eles via libras. Eles são muito discriminados e encontram muita dificuldade de inserção no mercado de trabalho.

Segundo censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 9,8 milhões de brasileiros têm deficiência auditiva, o que representa 5,2% da população brasileira. Desse total, 2,6 milhões são surdos e 7,2 milhões apresentam grande dificuldade para ouvir. Cerca de 1 milhão são jovens de até 19 anos. 

Источник: https://www.em.com.br/app/noticia/bem-viver/2019/10/13/interna_bem_viver,1091656/cinco-dicas-para-reduzir-o-inchaco-nas-pernas.shtml

10 maneiras de evitar e diminuir o inchaço das pernas e pés

6 dicas para diminuir o inchaço das pernas

Sempre que eu ando muito, fico muito tempo trabalhando sentada ou na fase pré-menstrual, meus pés ficam inchados. Aliás eu sempre ouço milhares de reclamações das amigas sobre esse desconforto. Perguntei para o angiologista e cirurgião vascular, Dr.  Eduardo Fávero, as melhores maneiras de evitar o inchaço.

A primeira coisa que o Dr. Eduardo me disse, é que o problema pode ter vários outros motivos. “Disfunções no coração, figado e rins, problemas localizados nas pernas, como as varizes, ou até mesmo problemas nos vasos linfáticos podem causar edema nas pernas”, diz. Ou seja, é sempre bom procurar um médico caso o inchaço seja recorrente.

No entanto, alguns hábitos podem ajudar e muito – desinchar pode emagrecer até 3 kg!

Para descobrir se você está inchada, faça o teste: aperte o osso da canela com o dedo indicador. Normalmente a pele volta imediatamente, não fica nem marcado. Já se você estiver inchada, fica uma depressão que demora para voltar. Você também pode desconfiar de inchaço, se ao tirar as meias sua perna fica marcada, como a minha na foto acima.

1. Evitar longos períodos de inatividade das pernas

Ficar muito tempo sentada, ou em pé sem caminhar, dificulta o bombeamento do sangue das pernas de volta para o coração, comprometendo toda a circulação da área e causando o inchaço. Se você trabalha sentada o dia inteiro, levante a cada 30 minutos ou 1 hora para buscar água, ir ao banheiro, dar uma volta no andar, etc.

2. Diminua o consumo de sal

Quanto mais sal tiver no seu sangue, mais  água seu corpo vai reter. E vale lembrar que os alimentos diet, como os refrigerantes, têm alto teor de sódio. Ou seja, nos dias que estiver inchada, prefira tomar água e chá.

3. Evitar exposição excessiva a ambientes muito quentes

No calor o corpo precisa esfriar, então acontece uma dilatação dos pequenos vasos da pele e extravasamento de líquido para os tecidos – que os deixa inchados.

4. Meias de compressão, sim, calça apertada não

“A compressão das pernas ajuda a evitar o inchaço, porém, o ideal  é uma compressão adequada e homogênea, o que não acontece com um jeans, por exemplo”, diz Dr. Eduardo. Em caso de necessidade de compressão o adequado seria uma meia de compressão, mas sempre peça a indicação do seu médico.

5. Evitar os saltos  muito altos e também as sandálias rasteiras

Um salto de aproximadamente 3 cm  favorece o movimento do pé ao caminhar, que ajuda no bombeamento do sangue de volta das pernas para o coração. “Mas não quer dizer que os demais saltos necessariamente serão prejudiciais”, tranquiliza Dr. Eduardo.

6. Deixar o pé da cama levemente elevado

Colocar um toco de madeira nos pés da cama ajuda o retorno de sangue durante a noite e o resultado são pernas desinchadas pela manhã. Se quiser uma solução mais provisória, antes de dormir deixe as pernas elevadas por 30 minutos ou mais.

7. Tomar água ao menor sinal de sede

Sobre aquela história de que beber mil litros de água ajuda, Dr. Eduardo discorda. “Não sou adepto da filosofia de que devamos nos encher de água desnecessariamente ou de que haja um volume determinado como ideal”, diz. A água é importante, sim, mas deve ser consumida ao primeiro sinal de sede ou ao se notar uma urina muito concentrada de coloração amarela escura.

8. Drenagem linfática quando necessária

A drenagem linfática pode resolver o problema momentaneamente, mas não tem uma frequência ideal que todas nós devamos seguir. A quantidade de sessões e o tempo delas devem ser analisados de acordo com a retenção de cada uma.

Se você retém muito líquido, a frequência deve ser maior, porém vale dar uma olhadinha para os outros fatores e ver se você está fazendo tudo direitinho e, principalmente, consultar um médico para ver a origem do problema de retenção.

9. Fazer qualquer atividade que promova contração e relaxamento da panturrilha

“Atividades como  caminhada, pedalada, natação, ou subir escadas ajudam a evitar o acúmulo de  líquidos”, ensina Dr. Eduardo. E a melhor parte é que você não precisa mudar muito a sua rotina, é só trocar o elevador uma ou duas vezes por dia e ir andando até a padaria ao invés de pegar o carro.

10. Aumente o consumo de frutas e verduras

São alimentos naturais que possuem pouco sódio e muitas vitaminas. Ou seja, você vai consumir toda a energia que precisa, sem prejudicar as perninhas.

Você sofre com inchaço? Como você resolve? Conta tudo aí nos coments e vamos lá pra minha página no conversar mais

HUA HUA

BJÓN

água, alimentos, calor, compressão, desinchar, drenagem linfática, emagrece, exercícios, inchaço, inchados, meias, melhora, o que fazer, pernas, pés, pés inchados, quantidade, quilos, resolver, verão

Источник: http://juromano.com/beleza/10-maneiras-de-evitar-e-diminuir-o-inchaco-das-pernas-e-pes

Inchaço nas pernas dos idosos

6 dicas para diminuir o inchaço das pernas

Ter inchaço (edema) nas pernas não é normal, este sinal deixa claro que algo não vai bem no organismo. Os motivos podem ser variados, assim como varia uma eventual necessidade de intervenção. É fundamental estar atento ao problema.

Na terceira idade, essa atenção deve ser redobrada. O inchaço nas pernas dos idosos podem ser precursores de complicações mais avançadas, tais como as varizes e a trombose.

Leia também:

Exercícios para idosos: confira práticas (em vídeo) que podem ajudar a diminuir o inchaço nas pernas

A pneumonia em idosos: por que devemos manter a atenção?

O Cuidador de idosos é um profissional de saúde? Saiba o que este profissional pode fazer pelo idoso

6 dicas de saúde para idosos com cuidadores

Neste artigo, convidamos a médica Rafaella de Melo, cirurgiã Vascular e Endovascular, membra da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, a responder as dúvidas de nossos leitores. Confira.

Pernas inchadas na terceira idade

Embora a causa do inchaço nas pernas dos idosos possa ser inofensiva (até mesmo o calor, viagens longas ou manter-se sentado por muito tempo pode interferir na espessura dos membros inferiores), doenças cardíacas e alterações hormonais também podem influenciar o transtorno, tornando essencial investigar o que está acontecendo.

O que são as pernas inchadas?

Na terceira idade, os vasos sanguíneos vão ficando mais fracos. Isso faz com que os pés e tornozelos sejam afetados.

As pernas costumam inchar mais frequentemente nas estações quentes do ano. Nesses momentos, os rins nem sempre conseguem processar todos os líquidos que consumimos e as artérias ficam mais cheias de sangue. Com a redução das temperaturas, isso costuma diminuir.

Confira a palavra da especialista.

O que pode causar inchaço nas pernas do idoso?

Pergunta do leitor: O que ocasiona o inchaço nas pernas tão comum na terceira idade?

Dra. Rafaella: Existem várias causas para inchaço nas pernas. Os mais comuns são os problemas circulatórios, alterações ortopédicas, cardiológicas e renais. Em relação à circulação, podem estar relacionadas às varizes ou trombose (coágulo dentro da veia).

Pergunta do leitor: Em que situações um quadro de pernas inchadas deve acender o alerta para os cuidadores do idoso?

Dra. Rafaella: Os sinais mais alarmantes são o inchaço (súbito) de uma perna, enrijecimento da panturrilha (batata da perna) e vermelhidão local. Estes podem ser sinais de trombose venosa profunda.

Pergunta do leitor: O que pode acontecer se um quadro de pernas inchadas persistente for ignorado por familiares e cuidadores? 

Dra. Rafaella: Caso o inchaço seja persistente (especialmente se apenas 1 membro for acometido), a demora no diagnóstico pode acarretar piora de uma possível trombose e, até mesmo, deslocamento do coágulo.

Caso seja em ambas as pernas, pode não ser trombose, mas inchaço é um problema que altera a qualidade de vida e merece ser investigado por profissional médico.

Pergunta do leitor: O que pode ser feito para diminuir o desconforto de idosos independentes com quadros de inchaço mais graves?

Dra. Rafaella: A prática regular de atividades físicas, uso de meias de compressão elástica (devidamente prescrito pelo médico assistente) e hidratação adequada. Caso o inchaço esteja relacionado às varizes, é válido considerar o tratamento das mesmas.

O que é bom para melhorar o inchaço nas pernas e pés?

Pergunta do leitor: No caso de idosos dependentes, como cadeirantes e acamados, como seus cuidadores podem ajudar a diminuir o desconforto das pernas inchadas?

Dra. Rafaella: As medidas mais simples incluem colocar as pernas elevadas (idealmente a 30 graus quando deitados) e auxiliar na colocação da meia de compressão elástica (quando for o caso).

Pergunta do leitor: Um quadro recorrente de pernas inchadas pode ser confundido com o início de elefantíase? Como diferenciar?

Dra. Rafaella: A elefantíase (linfedema – inchaço do sistema linfático) é uma das causas de inchaço nas pernas. O diagnóstico diferencial pode não ser tão fácil. Porém, quando há este tipo de inchaço, a perna costuma ficar globalmente mais rígida. Também é mais comum acometer apenas 1 lado. Na dúvida, consulte o especialista.

 O que provoca inchaço nas pernas?

As causas podem ser variadas, como citado pela Dra. Rafaella. A necessidade de intervenção vai depender de avaliação do médico assistente. Um ponto, em geral, se aplica a todos: a manutenção de uma rotina saudável, incluindo a prática regular de atividades físicas, pode ajudar a diminuir a incidência do transtorno.

Pergunta do leitor: O que é trombose? 

Dra. Rafaella: Trombose venosa é uma situação caracterizada pela formação de coágulos sanguíneos nas veias profundas e superficiais, mais comumente das pernas, que podem dificultar ou bloquear a passagem de sangue, com a oclusão total ou parcial de uma veia. É o TERCEIRO evento cardiovascular mais comum.

Pergunta do leitor: Como proceder em caso de suspeita de trombose em idosos?

Dra. Rafaella: No caso de suspeita de trombose, o paciente deve ser encaminhado imediatamente à consulta com médico angiologista e/ou cirurgião vascular, ou em uma unidade de Pronto Socorro hospitalar.

Problemas circulatórios em idosos

Pergunta do leitor: Quais os fatores de risco mais comuns para trombose em idosos? 

Dra. Rafaella: Listo abaixo.

  • Idade: o risco é maior acima dos 40 anos, havendo aumento exponencial com o avançar dos anos, em especial em pacientes acima dos 70;
  • Trombofilias (doenças da coagulação);
  • Imobilização prolongada (de algum membro);
  • Trombose prévia: pessoas que já tiveram trombose tem 3x a 4x mais chance de desenvolverem uma nova trombose. E nos que já tiveram embolia pulmonar, a probabilidade de surgimento de novos eventos aumenta para 100%;
  • Obesidade (IMC > 30);
  • Cirurgias longas e complexas;
  • Infecções;
  • Câncer (4x a 7x mais chance de eventos trombóticos nestes pacientes);
  • Uso de quimioterápicos;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Reposição hormonal em mulheres.

Pergunta do leitor: Quais os sintomas de um quadro de trombose em idosos independentes? E em idosos dependentes, como cadeirantes e acamados?  

Dra. Rafaella: Depende da localização e extensão das veias acometidas. As mais comuns são: 

  • Dor local (pode aparecer em até 86% dos casos);
  • Inchaço (86% dos casos), que pode não aparecer nos pacientes acamados e pioram quando a pessoa está sentada ou em pé;
  • Aumento da consistência muscular (85% dos casos)
  • Dor à palpação muscular (69% dos casos);
  • Dor no trajeto da veia (63% dos casos);
  • Dilatação de veias superficiais (48% dos casos);
  • Cinose (coloração roxa/azulada) e palidez (17% dos casos, que são considerados mais graves).

Pergunta do leitor:Após um quadro de trombose, o que os cuidadores devem observar na atenção ao idoso?

Dra. Rafaella: Observar piora dos sintomas, o surgimento de tosse, falta de ar e dor nas costas (podem ser sinais de alarme para embolia pulmonar). É essencial o adequado controle da medicação prescrita pelo médico especialista.

Pergunta do leitor: Como diminuir os riscos de uma trombose?

Dra. Rafaella: Listo a seguir.

  • Uso de meias de compressão elástica;
  • Praticar atividades físicas regulares;
  • Evitar ingestão excessiva de bebidas alcóolicas;
  • Manter boa alimentação e hidratação;
  • Em pacientes internados: temos compressão mecânica e anticoagulante preventivo (quando indicado);
  • Acompanhamento com médico vascular – Check-up vascular regular.

O que fazer para diminuir o inchaço nas pernas?

Muitas pessoas acham que, para reduzir o inchaço nas pernas dos idosos, basta oferecer um chá ou medicamento diurético. Ledo engano! Primeiro porque a automedicação é um risco, segundo porque é possível se amenizar o problema mas não atua na causa, mascarando condições potencialmente graves.

O que fazer para acabar com a retenção de líquidos?

Toda e qualquer doença é mais facilmente combatida quando, na verdade, é evitada. Exercícios podem ajudar, mas é necessários que sejam executados sob orientação de médicos e especialistas. A fisioterapia pode ser indicada para aqueles idosos com limitações físicas mais severas.

O que fazer para melhorar a circulação sanguínea nas pernas?

  • Realizar atividades físicas que envolvam a contração da panturrilha;
  • Tomar cuidado com a alimentação para manter o peso equilibrado;
  • Diminuir o consumo de sódio (sal) que está presente em especial nos alimentos ultra processados e embutidos;
  • Tomar bastante água ao longo do dia;

Leia também sobre o que os problemas circulatórios causam em idosos, clique aqui.

Agradecimentos

Agradecemos à Dra. Rafaella pela gentileza de responder às dúvidas de nossos leitores. Seus contatos seguem abaixo.

Источник: https://acvida.com.br/familias/inchaco-nas-pernas/

Pernas inchadas: 6 dicas de como acabar com o inchaço na gravidez

6 dicas para diminuir o inchaço das pernas
02/09/2019

https://blog.buonavita.com.br/wp-content/uploads/2019/09/pernas-inchadas-6-dicas-de-como-acabar-com-o-inchaco-buonavita.mp3

Entenda como você pode evitar as pernas inchadas.

Chegar em casa correndo para tirar a calça que está apertando as pernas e os sapatos que parecem cada vez menores. Pernas inchadas são comuns para mulheres grávidas que estão se aproximando do 6º mês de gestação.

E como o edema fará parte de sua vida pelos próximos meses (inclusive pode continuar após o parto), é melhor descobrir formas de aliviar esses sintomas.

Mas antes disso, você sabe por que o inchaço insiste em aparecer nas gestantes?

Por que pernas inchadas são comuns em gestantes?

Muitas características mudam no organismo de uma mulher grávida. O aumento de hormônios como o estrogênio e o HCG podem causar náuseas. O cabelo nunca esteve tão brilhoso e hidratado, e algumas manchas podem aparecer na pele.

Além dessas e outras mudanças, o útero aumenta de tamanho, podendo estar 20 vezes maior do que o normal, comprimindo a veia cava, desacelerando a circulação e acumulando sangue nos membros inferiores e resultando em pernas inchadas.

Outro hormônio que fica em evidência é a progesterona, que ocasiona acúmulo de líquidos e contribui com a instalação de edema.

Para você ter uma ideia, os líquidos acumulados, no final da gestação, representam ¼ do peso da gestante.

Porém a gestante deve ficar atenta aos sinais das pernas inchadas. O inchaço é comum, mas também é gradativo. Se ele acontecer de uma hora para outra, pode ser sinal de uma pré-eclâmpsia. Também deve-se prestar atenção aos riscos de trombose. Por isso, visitas ao médico devem sempre ser rotineiras.

6 Dicas de como evitar as pernas inchadas

E para fugir do inchaço, como faz? Como essa condição causa bastante desconforto para as mulheres grávidas, não é nada surpreendente que ela busque formas de aliviar o inchaço. Vamos conhecer algumas formas de aliviar os edemas nos membros inferiores.

1. Beba bastante água

Sabe aquela história de que o indicado para o ser humano é ingerir 2 litros de água por dia? Quantas pessoas você conhece que realmente fazem isso? Se você ainda não tem o hábito de tomar água, está na hora de colocar isso em prática. A água auxilia na circulação sanguínea, e ajuda a manter o sistema renal funcionando perfeitamente. Desse jeito, beber água ajuda na remoção de impurezas e toxinas do corpo, aliviando a retenção do líquido.

2. Evite ficar em pé.

O fluxo sanguíneo e o sistema linfático já está com dificuldade de realizar a circulação devido a todas as mudanças físicas do seu corpo. Se você ficar muito tempo em pé, a gravidade entrará em ação, e as pernas inchadas ficarão mais desconfortáveis.

Sim, é difícil não se manter em pé durante o dia, afinal de contas, todos temos nossa rotina, trabalho e afazeres. Porém, mulheres grávidas têm que exigir os seus direitos. Portanto, nada de ficar atrás na fila de espera, ou de ficar em pé no transporte público.

Você está passando por um momento em que todo o cuidado é pouco, e todos esses locais públicos possuem regras especiais para você.

3. Não use roupas apertadas.

No dia a dia, as roupas já podem apertar: um cinto, uma meia desconfortável ou uma camisa que encolheu. Normalmente, não implica nada demais, mas para a gestante a roupa leve e confortável pode fazer toda a diferença.

Por exemplo, deixe as sandálias e sapatos apertados para lá e adote um chinelo. É um visual mais simples? Sim, mas muito melhor para passar o dia, principalmente quando você precisa ir de lá para cá.

Use roupas de algodão com pouca costura, e saias confortáveis que não apertem o abdômen.

4. Faça exercícios físicos (com acompanhamento médico)

Exercícios físicos auxiliam no funcionamento do sistema venoso, melhorando a circulação sanguínea. Caminhadas, por exemplo, que exigem a contração da panturrilha, ajudam a fazer o sangue subir. O ideal é assimilar a atividade física com o bem-estar. Outros exercícios interessantes são a natação, pilates e ioga. Mas lembre-se, tudo deve ter o aval do seu médico.

5. Água fria, água quente

Essa é uma técnica da fisioterapia chamada de banho de contraste, e é usada para tratar lesões articulares, mas também é indicada para pernas e pés inchados. Tudo o que você precisa é de duas bacias: uma com água gelada e outra com água morna ou quente.

Mantenha os pés na água gelada por 3 minutos. Assim que passa esse tempo, retire da bacia de água gelada e coloque na bacia de água quente. Permaneça assim por mais 3 minutos e volte para a água fria.

Faça esse procedimento no mínimo 5 vezes para aliviar as pernas inchadas.

6. Drenagem linfática sempre!

Para reduzir o acúmulo de líquido, não tem nada melhor do que uma drenagem linfática.

Drenagem linfática é uma técnica de massagem que estimula o sistema linfático, responsável por toda a movimentação de líquidos pelo corpo.

A drenagem linfática realiza movimentos específicos para que esse sistema consiga locomover os líquidos e impedir que fiquem acumulados em uma só região. Lembrando que, para realizar uma drenagem linfática, é aconselhado antes ir ao médico.

7. Dica extra!

Vá em sua esteticista para receber uma drenagem linfática profissional. Aproveite para levar os produtos certos para aliviar as pernas inchadas. Conheça os produtos ideias para drenagem linfática em gestantes.

Argila Ortomolecular

Essa máscara rica em oligoelementos essenciais fortalece a pele e ajuda a preservar o colágeno. A argila auxilia no efeito detox, removendo as toxinas dos membros.

A Argila Ortomolecular também pode ser usada para manter a pele firme e saudável, evitando as estrias.

Emulsão Drenante

Essa emulsão deixa a pele com sensação macia e sedosa, criando uma segunda pele protetora. A sua textura permite que a profissional de estética realiza manobras de massagem, como a técnica da drenagem linfática.

A Emulsão Drenante também proporciona hidratação intensa na pele.

Loção Alívio P&P

Essa loção home care possui substâncias com efeitos analgésicos para massagens terapêuticas e alívio na contratura muscular. Contém extrato de arnica, mentol e extrato de castanha da índia. Pode ser usado para alívio das pernas e pés cansados.

Para conhecer a linha completa de cosméticos para gestantes, leia Gestar: lançamento especial para cuidados estéticos da gestante.

Escrever Comentário

Источник: https://blog.buonavita.com.br/index.php/2019/09/02/pernas-inchadas-6-dicas-de-como-acabar-com-o-inchaco-na-gravidez/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: