6 dicas para o cabelo crescer rápido depois da quimioterapia

Outubro rosa: o que ocorre com o cabelo durante e depois da quimioterapia?

6 dicas para o cabelo crescer rápido depois da quimioterapia

Ingressamos em Outubro, mês conhecido pela campanha de conscientização da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e do colo de útero. Chamado de Outubro Rosa, esse mês é marcado por uma diversidade de campanhas que busca alertar as mulheres sobre a importância de realizar o toque de mama.

O Instituto do Câncer (INCA) disponibilizou um relatório que apresenta a estimativa de 59.700 novos casos de câncer de mama nos anos de 2018 e de 2019.  Isso quer dizer que a cada 100 mil mulheres, há 56,33 novos casos de câncer de mama.

A tendência é que de esses casos aumentem ainda mais nos anos por vir. E, por esse motivo, é essencial que as mulheres tenham consciência da importância de absorver as informações que são disponibilizadas a respeito do Outubro Rosa durante todo o mês. Realizar o teste de toque é uma das formas mais conhecidas de realizar um diagnóstico precoce do câncer de mama.

Como fazer o autoexame. Instagram: @allynefernandesmakeup

No entanto, não são apenas esses dois tipos de câncer mencionados que apresentam como consequência a queda acentuada dos fios. Todos àqueles que estão sujeitos ao tratamento de quimioterapia podem fazer com que os cabelos caiam com um volume maior do que aquele considerado normal.

Se você está passando por uma dessas doenças ou tem alguém que ama e que está lutando contra essas doenças e passando por tratamentos, é importante entender o que acontece com os cabelos durante e depois da quimioterapia.

Nesse artigo iremos explicar tudo o que você precisa saber a respeito dos cabelos durante e depois desse tratamento e daremos dicas para elevar a autoestima neste momento tão delicado.

Vamos lá?

Por que o cabelo cai durante a quimioterapia?

O objetivo do tratamento de quimioterapia é agir diretamente nas células cancerígenas, que se reproduzem de forma muito mais rápida do que a maioria das células presentes no nosso corpo. Isso não quer dizer que não tenhamos células saudáveis que se reproduzam dessa maneira, o problema é que elas também acabam sentindo o efeito da medicação.

E é justamente isso que acontece com a raiz do cabelo: ela é atingida pela ação do medicamento que identifica as células que se multiplicam mais rápido, uma vez que nossos cabelos estão em constante crescimento. O mesmo acontece se o paciente precisar de sessões de radioterapia na cabeça.

Em quanto tempo ele começa a cair? E quando volta a crescer?

Uma das principais preocupações em relação ao cabelo ao iniciar um tratamento como a quimioterapia é saber quando os fios irão começar a cair. Há quem decida raspar os cabelos de uma vez e quem prefira comprar uma peruca. Mas como exatamente você pode saber quando essa queda irá começar?

Instagram: @taynabalandiuk

Alguns fatores podem interferir nessa conta, como a sensibilidade do paciente e a intensidade do tratamento, mas pode-se esperar a queda gradual dos cabelos a partir da décima sessão de quimioterapia. Muitas vezes, há a queda apenas parcial, mas alguns pacientes mais sensíveis podem ter também a queda de pelos em outras regiões do corpo.

Atualmente, existem alguns medicamentos como vinorelbina, a cisplatina, a capecitabina e a fluorouracila (5FU), que podem causar pouca ou nenhuma queda. Também há uma técnica que consiste na aplicação de uma touca gelada nos cabelos (criopreservação capilar), mas dependendo da intensidade da quimioterapia, ela pode não surtir o efeito desejado.

E, como falamos, nosso cabelo está em constante crescimento, portanto, entre 15 e 30 dias após o final do tratamento já é possível ver o cabelo voltando a crescer. E isso nos leva a uma outra pergunta…

É verdade que o cabelo cresce diferente após a quimioterapia?

Sim, essa informação é verdadeira. É muito comum que mulheres que tinham cabelos superlisos passem a ter fios ondulados e mais volumosos após realizar o tratamento contra o câncer.

Isso acontece por conta dos medicamentos que são utilizados durante a quimioterapia, que influenciam no ciclo metabólico dos fios. Ah! É possível também que eles voltem um pouco mais claros.

Instagram: @danielebritto

Durante a fase de retorno dos fios, utilize shampoos neutros e invista em hidratações para fortalecer o couro cabelo e ainda estimular o crescimento com a massagem na região.

Esse quadro, porém, é reversível! Dentro de um ano, aproximadamente, o cabelo vai retornando à cor e textura “originais”. Mas, é bom prestar atenção ao período de crescimento: caso o cabelo tenha caído todo, mas não esteja crescendo uniformemente, deixando alguns “buracos”, é bom procurar um dermatologista para averiguar o que está causando esse retardo em algumas regiões.

E, afinal, como lidar com a queda dos cabelos?

A gente bem sabe como os cabelos são importantes na autoestima de uma mulher, mas quando a saúde está em jogo, o importante é manter em mente que esta é uma situação temporária e logo, logo os fios estarão de volta!

Instagram: @nesmesoficial

Isso não quer dizer que se olhar no espelho e se sentir bonita não seja importante, muito pelo contrário! Manter a autoestima nesse momento é crucial, até mesmo para que não sejam desenvolvidas doenças psicológicas, como a depressão. Por isso, nesse outubro rosa, separamos algumas dicas para você aprender que a sua beleza está muito além dos seus cabelos!

Raspar a cabeça

Nem sempre os fios caem todos, além de aqueles que sobram ficarem muito mais finos e fragilizados. Muitas mulheres optam por raspar a cabeça para evitar as falhas muito aparentes e também evita aquele sentimento ruim de ver as madeixas indo embora aos poucos.

Apostar nos acessórios

Os lenços e chapéus são muito comuns entre as mulheres que enfrentam o câncer e nem sempre são utilizados apenas para esconder a perda dos cabelos, mas também para proteger a região da exposição solar.

Instagram: @carolpessoademello

Investir na maquiagem

Sabe aquela história de que o cabelo é a moldura do rosto? Pode até ser, mas na falta da moldura, por que não valorizar a obra? Aprender um pouquinho mais sobre maquiagem vai ensinar você a ressaltar o que tem de mais bonito no seu rosto, além de ser um ótimo passatempo!

Enfrentar o câncer é uma batalha que exige coragem e ter por perto quem você ama, com certeza, torna tudo mais fácil.

Por isso, se você está ao lado de alguma mulher que está passando por isso, ajude-a a recuperar a autoestima e sentir que não é apenas nos cabelos que moram a sua beleza e feminilidade! E, claro, aproveite as campanhas do Outubro Rosa para continuar se informando e não esqueça de realizar o autoexame!

Источник: https://cabelo.com.br/outubro-rosa-o-que-ocorre-com-o-cabelo-durante-e-depois-da-quimioterapia/

Terapia com led acelera recuperação do cabelo após quimioterapia – Emais – Estadão

6 dicas para o cabelo crescer rápido depois da quimioterapia

O cabelo começa a crescer de dois a três meses após o fim do tratamento com quimioterapia de maneira mais lenta. Foto: Unsplash/@danielapodaca96

A queda de cabelo em decorrência da quimioterapia varia de acordo com o tipo de droga utilizada no tratamento, que pode ser mais ou menos agressiva ao organismo.

Quando a perda ocorre, o crescimento dos fios se dá após dois ou três meses do término das sessões, mas é possível acelerar o processo por meio da ledterapia, que estimula as células capilares a trabalharem mais e com melhores resultados.

A técnica não é uma novidade no universo de tratamento dos fios. Segundo o cirurgião vascular Álvaro Pereira, já se sabe há muito tempo que essa radiação, na dose e frequência certas, estimula o crescimento do cabelo. Ela já é utilizada por quem sofre com a perda por outros motivos que não o efeito colateral da quimioterapia.

No caso do tratamento contra o câncer, o medicamento tem o objetivo de atingir as células de crescimento acelerado, que é o caso das células cancerígenas. Mas ele não diferencia as tumorais das boas e aquelas que dão origem aos fios, saudáveis, também se enquadram nessa categoria e são afetadas paralelamente, causando a queda do cabelo.

Para recuperá-lo com a ledterapia após esse processo, a pessoa usa um boné ou capacete que emite uma radiação com frequência específica, de baixa potência.

Os raios vão promover a dilatação dos vasos sanguíneos, o que aumenta a entrada de nutrientes e oxigênio nas células capilares.

Com isso, também cresce a produção de energia celular e, consequentemente, a capacidade de produzir mais fios de cabelo de melhor qualidade.

E é justamente por causa do efeito de vasodilatação que a ledterapia só é indicada após o fim do tratamento quimioterápico. Se ela for utilizada durante, o medicamento tende a penetrar ainda mais nas células e provocar o resultado contrário. Assim, a técnica não é uma prevenção contra a perda do cabelo, mas um acelerador de crescimento pós-quimioterapia.

VEJA TAMBÉM: Mitos e verdades sobre a queda de cabelo

8 imagens

Pereira observa que, caso a pessoa ainda opte por fazer ledterapia durante o tratamento contra o câncer, é preciso esperar cerca de três dias após a sessão de quimioterapia para garantir que a droga não esteja mais no organismo. Algumas podem durar menos tempo no corpo, porém, no geral, a orientação é usar no final. “A cada sessão de quimio, a ledterapia não vai ser suficiente para 'inibir' a queda tanto quanto se fizer depois da quimio.”

A decoradora Luciana Bottura de Medeiros, de 48 anos, começou a usar o boné de ledterapia após o segundo tratamento contra o câncer.

Aos 40 anos, ela descobriu um tumor na mama esquerda, que foi totalmente retirada, e teve de fazer 30 sessões de radioterapia, que não afetou o cabelo.

Quatro anos depois, a doença voltou mais agressiva, em outros órgãos, e ela passou por 26 sessões de quimioterapia. “Fiquei careca 20 dias após a primeira sessão”, conta.

Luciana começou a usar o boné de ledterapia no fim de 2019, uma vez ao dia durante dez minutos, e vê crescimento rápido dos fios. Foto: Arquivo pessoal

Luciana relata que, após o fim do tratamento, o cabelo começou a crescer lentamente, mais fino e com falhas. Na clínica onde se tratou, uma dermatologista indicou a terapia de led com boné, que pode ser usado em casa.

Em novembro de 2019, ela começou a usar o produto uma vez ao dia durante dez minutos.

Antes, ela lava o cabelo e passa algumas gotas de minoxidil, fármaco que também promove vasodilatação e é comumente usado para recuperação do cabelo.

“Percebo que os fios estão mais encorpados e o crescimento foi acelerado tendo em vista a comparação com outras meninas que não usaram o boné. Para mim, o resultado tem sido bastante satisfatório, me sinto bem e confiante que logo estarei com meu cabelo mais comprido para conseguir fazer um corte bem estiloso”, comenta Luciana.

Tratamento evita queda de cabelo durante quimioterapia

A dermatologista Estrela Machado, especialista em oncologia e tricologia, do Centro Paulista de Oncologia, afirma que a crioterapia é um dos tratamentos que se mostraram mais eficazes para minimizar a queda de cabelo devido à quimioterapia. A touca que permanece com temperaturas entre 18 e 22 graus Celsius tem de ser usada enquanto a pessoa faz a sessão de quimio. Curiosamente, o método de resfriamento da cerveja foi o que inspirou a criação do equipamento.

A técnica tem duas ações importantes: o congelamento das células capilares, que vão deixar de ter crescimento acelerado e de serem vistas como 'más' pelo quimioterápico, e o estreitamento dos vasos sanguíneos, fazendo com que menos droga chegue até as células do cabelo. Pela literatura médica, Estrela diz que a melhora da queda de cabelo com a crioterapia é em torno de 50%, algo que ela observa na própria experiência clínica.

A touca inglesa (crioterapia) permite que o couro cabeludo fique a uma temperatura entre 18ºC e 22º C. Foto: Paxman/Divulgação

“Tem casos de muito bom resultado e outros que são ruins, em torno de 30% de preservação dos fios. Mas, independente do resultado, quando acaba a quimioterapia, a recuperação é superior a de pacientes que não fazem e vem com qualidade muito melhor. A quimio faz cair e nascer três meses depois, mas nunca igual”, diz a médica.

A variação dos resultados depende, por exemplo, do tipo de quimioterápico utilizado, do tempo de infusão da droga e da quantidade de ciclos do tratamento. Por observação, a dermatologista aponta que quem já tem alguma patologia no couro cabeludo, haste dos fios mais fina e usa muitos produtos químicos no cabelo pode ter um resultado pouco satisfatório também.

Estrela diz que durante o tratamento quimioterápico pode haver uso de minoxidil e cisteína, que garante a qualidade dos fios, mas, segundo ela, os resultados só dessas substâncias são pobres. Outro problema é que o uso de medicamentos orais por quem faz quimioterapia pode deixar a pessoa mais sensível e haver intercorrência. “O que mais entrega resultado é a crioterapia.”

Tratamentos capilares após a quimioterapia

Passado o tratamento contra o câncer, a dermatologista também aponta a terapia com led como benéfica, pois a ação dos lasers de baixa potência aumenta o número de fios. O cirurgião vascular Álvaro Pereira é sócio da Cosmedical e idealizador de um capacete de ledterapia da Capellux que pode ser usado em casa.

A versão em boné do produto foi a utilizada pela Luciana e é mais indicado para quem tem pouco cabelo, que é o caso dela. “Para quem tem mais cabelo, o boné não é tão eficiente quanto o capacete com espícula, que é como um dente de pente que atravessa os cabelos e encosta direto no couro cabeludo”, explica o médico.

Luciana percebeu que com o uso da ledterapia, o cabelo dela cresceu mais rápido e com melhor qualidade do que das pessoas que não usaram. Foto: Arquivo pessoal

No dia do fechamento desta reportagem, o boné era vendido por R$ 984 e o capacete, R$ 2,5 mil no site da marca. Pereira diz que os dispositivos também estão disponíveis em farmácias de manipulação e lojas distribuidoras. Clínicas médicas podem oferecer o serviço que, segundo ele, é com um aparelho de maior potência.

Para a dermatologista, o resultado da técnica é bastante potencializado com outros tratamentos, não sozinho. “Vai usar [a ledterapia] para crescer mais rápido, com medicações a base de vitamina e tópicos que vão fazer vasodilatação para chegar mais nutrientes ao cabelo.” Outras técnicas que ela cita são: suplementação oral, microagulhamento e aplicação de produtos dentro da derme capilar.

Источник: https://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,terapia-com-led-acelera-recuperacao-do-cabelo-apos-quimioterapia,70003289535

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: