7 hábitos essenciais para evitar infarto e AVC

11 hábitos que podem evitar um AVC

7 hábitos essenciais para evitar infarto e AVC

Foto: Thinkstock

O cérebro controla tudo o que o corpo faz – não só os movimentos, mas também a forma de uma pessoa pensar, se comunicar, sentir. Um AVC (acidente vascular cerebral) acontece justamente quando o fornecimento de sangue para uma parte do cérebro é impedido, fazendo com que as células cerebrais fiquem danificadas e impossibilitadas de cumprir suas funções.

Um exemplo simples: se um AVC danificar a parte do cérebro que controla o movimento dos membros, a pessoa ficará com essa função afetada. Mas ele pode ainda, em outro caso, afetar a fala etc.

Gisele Sampaio, neurologista do Hospital Albert Einstein, destaca que existem dois tipos de AVC: o acidente vascular cerebral isquêmico e o acidente vascular cerebral hemorrágico. O isquêmico acontece quando um coágulo bloqueia a artéria que leva o sangue para o cérebro. O hemorrágico ocorre quando há ruptura de uma artéria intracraniana.

Um AVC costuma ser uma experiência muito ruim, tanto para o paciente como para a família ou pessoas que convivem com ele.

Gisele explica que após o AVC, pacientes podem apresentar complicações como infecções, trombose em membros inferiores e escaras (tipo especial de lesões da pele, de extensão e profundidade variáveis). “Mas, todas essas complicações podem ser evitadas com um bom cuidado médico e de uma equipe multiprofissional”, destaca.

Um AVC pode ser evitado?

Algumas pessoas, infelizmente, estão mais propensas a sofrer AVC devido a fatores que não podem ser alterados:

  • Idade: as pessoas mais velhas estão mais vulneráveis ao AVC;
  • Histórico familiar: a pessoa corre mais riscos se alguém da família já sofreu um AVC;
  • Sexo: os homens com menos de 75 anos sofrem mais AVC do que as mulheres (com menos de 75 anos).

Mas, vale destacar, o AVC não é inevitável. Existem, sim, medidas simples que podem ajudar a reduzir os riscos. Elas se resumem, basicamente, em adotar uma alimentação e hábitos de vida mais saudáveis.

11 passos que você deve seguir para evitar um AVC

Foto: Thinkstock

1. Não fume. O fumo duplica o risco de ter AVC e, por isso, abandonar de vez o cigarro é uma das medidas mais importantes para quem quer evitá-lo.

Veja também Baby blues: conheça a forma leve da depressão materna

2. Evite o consumo de álcool. Tomar um copo de cerveja ou de vinho, por exemplo, socialmente, não é um problema, mas beber muito eleva a pressão arterial, o que pode ser extremamente perigoso.

3. Coma vegetais e frutas. Uma alimentação saudável, que inclua vegetais e frutas, é fundamental para a saúde do coração e da corrente sanguínea. A recomendação geral é comer pelo menos cinco porções de frutas e vegetais por dia (mas o ideal é seguir as orientações do seu nutricionista).

4. Evite as carnes com muita gordura. Substitua, sempre que possível, as carnes vermelhas (que na maioria dos casos tem muita gordura saturada) por peixes, aves (sem pele) ou pratos vegetarianos.

5. Reduza o consumo de sal. Não acrescente muito sal a saladas e comida em geral e evite alimentos processados, pois o sal eleva a pressão sanguínea.

6. Aumente o consumo de fibras. Presentes nos cereais integrais, aveia, arroz e pães integrais etc., as fibras ajudam a controlar os níveis de gordura no sangue.

7. Não exagere na quantidade de gordura ingerida. Procure seguir uma alimentação balanceada, que contenha somente o mínimo necessário de gordura, para evitar entupir as artérias e aumentar excessivamente seu peso.

8. Controle seu peso. Siga uma alimentação saudável, se necessário, com o acompanhamento de um nutricionista, para se manter no seu peso ideal. O sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para pressão arterial alta, doença coronária e diabetes – que aumentam o risco de AVC.

9. Exercite-se. A prática de atividades físicas frequente te ajuda a controlar o peso, a baixar a pressão arterial, cria um equilíbrio saudável das gorduras do sangue e oferece muitos outros benefícios.

10. Visite seu médico com frequência. De acordo com a neurologista Gisele, tratar hipertensão arterial, diabetes, dislipidemia; conhecer a presença de fatores de risco, como estreitamento das artérias cervicais e arritmias como a fibrilação atrial (batimento irregular do coração) e tratá-los adequadamente são atitudes que ajudam a reduzir o risco de AVC.

11. Tente evitar o estresse. Nem sempre é fácil, mas é importante evitar situações que te deixem nervosa, triste. O estresse e a depressão, se não tratados, podem provocar problemas de saúde a longo prazo. Procure estar entre sua família e pessoas que são, de fato, importantes para você e te fazem bem.

Os principais sinais do AVC

A neurologista Gisele destaca quais são os sintomas do acidente vascular cerebral:

  • Paralisia de um lado do corpo;
  • Perda de sensibilidade de um lado do corpo;
  • Perda de visão súbita (em um campo visual);
  • Visão dupla;
  • Dificuldade súbita para falar ou compreender a linguagem;
  • Cefaleia intensa.

“Diante desses sinais, é preciso procurar rapidamente um serviço médico capacitado em atender pacientes com doenças neurológicas agudas”, finaliza Gisele.

Então, lembre-se: hábitos simples – como melhorar sua alimentação, se exercitar, evitar o álcool e o cigarro, etc. – fazem toda a diferença e podem prevenir um AVC. Cuide-se sempre!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Источник: https://www.dicasdemulher.com.br/habitos-que-podem-evitar-um-AVC/

Reduza os riscos de infarto e AVC em 5 passos

7 hábitos essenciais para evitar infarto e AVC

Você já ouviu falar sobre infarto e AVC? Anualmente, milhares de pessoas são acometidas por esses problemas, que podem deixar sequelas ou até mesmo levar os pacientes ao óbito. Embora atinjam pessoas de todas as idades, essas doenças são, infelizmente, muito mais comuns entre a população idosa das mais diversas partes do mundo.

Por isso, é fundamental que saibamos exatamente o que são esses problemas. Afinal, é impossível nos protegermos de algo que não conhecemos, não é mesmo? Assim, saberemos quais são as melhores formas de prevenção dessas patologias.

Pensando nisso, preparamos um artigo para auxiliá-lo a reconhecê-las e preveni-las de maneira eficaz, garantindo um envelhecimento muito mais saudável e com muita qualidade de vida. Boa leitura!

O que é o AVC?

Também conhecido como derrame, o acidente vascular cerebral se caracteriza por uma deficiência na oxigenação cerebral. Ele pode ser de dois tipos: isquêmico ou hemorrágico.

No primeiro, o fluxo de sangue é interrompido por conta da formação de um bloqueio, que normalmente se dá por coágulos.

Já no segundo tipo, como o próprio nome já indica, há o rompimento de alguma veia e o consequente vazamento de sangue para o interior do cérebro.

O que é o infarto?

Também conhecido como ataque cardíaco, o infarto é uma das principais ocorrências cardiovasculares em nossa população. Todos os anos, milhares de pessoas são acometidas por esse problema, sendo os idosos os maiores afetados.

Esse problema também é caracterizado por problemas de oxigenação. Nosso coração é o responsável por bombear sangue e consequentemente oxigenar todos os tecidos do organismo. Com a ”morte” de algumas áreas do músculo, esse bombeamento é prejudicado e ocorre a insuficiência do fluxo sanguíneo para o coração.

Quais são as principais causas do infarto e AVC?

Há uma grande variedade de fatores que podem contribuir para o surgimento de doenças como o infarto e o AVC. Por isso, dá-se o nome de ”grupo de risco” ao conjunto de indivíduos com determinada característica e que apresentaram, em algum momento de suas vidas, uma das duas doenças.

Os principais fatores de risco para esses problemas são:

  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • hipertensão arterial;
  • diabetes;
  • fatores genéticos;
  • colesterol alto;
  • estresse;
  • tabagismo.

Conhecer tais indícios nos dá uma boa ideia das medidas que podem ser tomadas para prevenir esses problemas, não é mesmo? Falaremos mais sobre isso a seguir!

Como podemos prevenir o aparecimento dessas doenças?

Agora que já conhecemos um pouco mais sobre o acidente vascular cerebral e o infarto, vamos conferir quais são as principais maneiras de efetivamente prevenir o aparecimento desses problemas na vida dos idosos.

Vale a pena salientar que tais medidas devem ser iniciadas o quanto antes para que sejam mais eficazes e que, infelizmente, elas não são uma garantia de que o problema não aparecerá, mas diminuem consideravelmente as chances, já que estão relacionadas aos fatores de risco. Vamos lá? Confira mais a seguir!

1. Fazer uma reeducação alimentar

Investir em uma alimentação equilibrada e balanceada é uma das melhores maneiras de prevenir uma vasta gama de doenças. Afinal de contas, é por meio da alimentação que conseguimos todos os nutrientes necessários para que o nosso organismo realize as suas funções da maneira adequada.

Por essa razão, consumir pratos coloridos e com uma grande diversidade de ingredientes é muito importante para garantir a saúde do cérebro e do corpo. Além disso, uma dieta equilibrada permite a prevenção de problemas como os altos níveis de colesterol ruim na corrente sanguínea, um dos fatores de risco para o surgimento do infarto e AVC.

2. Praticar exercícios diários

A prática diária de exercícios físicos é uma recomendação de praticamente todos os profissionais de saúde. As atividades, é claro, devem respeitar as limitações de cada paciente e indivíduo, permitindo que eles as realizem sem problemas ou risco de lesões.

No entanto, realizar exercícios todos os dias é fundamental para manter muitas doenças longe, incluindo as que são tema de nossa conversa. Elas podem ser bem variadas e incluem caminhadas, pilates e hidroginástica. Em alguns casos, até mesmo caminhar pela casa pode ser considerado uma atividade física. O importante é se mexer!

3. Ter uma boa noite de sono

Nos tempos atuais, ter uma boa noite de sono parece praticamente impossível. É muito complicado relaxar em meio a tantas preocupações e responsabilidades, ainda mais quando estamos constantemente conectados (já que a luz de celulares, por exemplo, é responsável por desregular o nosso relógio biológico).

Durante o sono, nossas memórias são formadas, o aprendizado é fixado e muitos tecidos de nosso organismo passam por regenerações. Por isso, dormir é muito importante para manter o corpo sempre saudável e funcionando da melhor maneira possível, prevenindo uma série de doenças graves.

4. Investir em hobbies

Por mais que estejamos constantemente preocupados com o nosso trabalho e as obrigações do dia a dia, é importante salientar que investir no lazer não é uma perda de tempo. Relaxar, se distrair e se divertir é fundamental para que nossa mente e nosso físico estejam sempre saudáveis.

Por isso, encontre algo que você ama e inclua isso em sua rotina. A leitura de livros, os passeios no parque ou as idas ao cinema são essenciais para nos mantermos ativos e livres do estresse, um grande fator de risco para a ocorrência de problemas como o infarto e AVC.

5. Realizar consultas periódicas

Por fim, a nossa recomendação é que consultas periódicas ao médico sejam sempre realizadas. Afinal de contas, é por meio delas que os check-ups são feitos. A maioria das pessoas só busca a ajuda médica quando algum sintoma aparece e isso não é, de nenhuma forma, recomendado.

Outra dica é sempre buscar clínicas especializadas em sua faixa etária, especialmente quando falamos sobre idosos. Esses ambientes proporcionam uma ajuda direcionada aos problemas mais comuns àquela idade e fazem com que a prevenção e os tratamentos sejam muito mais eficientes e personalizados.

Como podemos perceber, o infarto e AVC são problemas muito sérios e que acometem pessoas de todas as idades. No entanto, são mais comuns entre os idosos e a sua prevenção deve ser iniciada o quanto antes para que problemas futuros sejam devidamente evitados. Além disso, essas dicas oferecem uma melhora na qualidade de vida dos indivíduos.

Gostou deste post? Então, compartilhe-o em suas redes sociais! Assim, outras pessoas que convivem com aqueles que já estão na terceira idade conhecerão mais sobre essas doenças e saberão como preveni-las de maneira efetiva. Até a próxima!

Источник: https://blog.longevitat.com/reduza-os-riscos-de-infarto-e-avc-em-5-passos/

Infarto – O que é – Doenças Cardiovasculares

7 hábitos essenciais para evitar infarto e AVC

O infarto está entre as principais causas de morte no Brasil e no mundo e, por ano, mais de 100 mil brasileiros morrem em decorrência dele, o que equivale a dois estádios do Arena Fonte Nova, em Salvador, lotados em sua capacidade.

Mais conhecido como ataque cardíaco, acontece quando o fluxo do sangue para o coração é interrompido e o coração não recebe sangue e oxigênio suficientes para se manter em atividade

Com isso, o músculo cardíaco morre ou é danificado. Pacientes diabéticos, com hipertensão arterial, obesos e que sofrem de estressem e depressão, assim como quem tem arritmia cardíaca, completam o grupo de risco da doença.

Não são todas as pessoas que sofrem um infarto que chegam ao óbito. Para aumentar as chances de sobrevivência, é indispensável o atendimento médico com rapidez.

Sintomas

Dor no peito é o principal sintoma do infarto. O paciente também pode sentir dores estendidas para braços, ombros e pescoço. Na mulher, os sintomas podem ser diferentes: respiração curta, dor na mandíbula, náusea, dor de estômago e sensação de desconforto no peito.

Esses sinais duram aproximadamente 20 minutos e podem ir e voltar. Pacientes diabéticos geralmente não apresentam sintomas, mas também podem ser acometidos pela doença.

 Outros sintomas são:

  • Desmaio
  • Tontura
  • Falta de ar (principalmente em idosos)
  • Excesso de suor
  • Formigamento

O infarto é considerado uma emergência médica. Ao sentir os sintomas, ligue imediatamente para o 192, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). As duas primeiras horas são decisivas para o risco de morte.

Fatores de Risco

Cada vez mais pessoas jovens sofrem infarto e isso tem relação exclusivamente com os fatores de risco. Muitas pessoas ignoram os cuidados que devem ser tidos com o coração;

Confira abaixo quais os principais fatores que levam a pessoa ao infarto:

  • Tabagismo
  • Hipertensão
  • Colesterol alto
  • Diabetes
  • Histórico familiar de infarto
  • Obesidade
  • Estresse
  • Uso de entorpecentes

Os primeiros socorros são fundamentais para a vida de quem é vítima de um infarto! Neste momento, é importante manter a calma e seguir as orientações do Corpo de Bombeiros para a massagem cardíaca.

Tratamento

O tratamento vai depender da gravidade do infarto. Após o ocorrido, os médicos vão agir para diminuir a lesão e evitar que o doente apresente complicações. Em geral, o atendimento é feito no pronto-socorro e as primeiras ações da equipe médica são:

  • Conectar um monitor cardíaco ao paciente, para verificar a frequência dos batimentos cardíacos
  • Oferecer oxigênio ao paciente, para que o coração não faça muito esforço após o infarto.
  • Para diminuir as dores no peito, a pessoa receberá medicamentos que ajudam na redução deste sintoma.
  • Dependendo da gravidade do infarto, o paciente passa pela angioplastia ou cirurgia de revascularização do miocárdio, que tem como objetivo direcionar as artérias a restaurar o fluxo do coração.
  • Depois deste atendimento, deverá fazer uso de medicamentos que evitam um novo infarto. A medicação é indicada de acordo com cada caso e receitada pelo médico.

Doenças Associadas

Hipertensão, colesterol elevado e diabetes são grandes fatores de risco para o infarto. Por isso, não devem ser olhados isoladamente, mas como partes de uma doença muito maior e irreversível. Além disso, depois de um infarto agudo do miocárdio, o paciente pode desenvolver a arritmia cardíaca ou parada cardiorrespiratória. Saiba mais sobre elas:

 Arritmia cardíaca: é uma alteração no batimento do coração. Se ele bater muito rápido, é chamado de taquicardia. Se for muito lento, é bradicardia. Geralmente, as arritmias ocorrem após as primeiras 24 horas do infarto. Com isso, é ideal que depois do ataque cardíaco o paciente fique 72 horas sob os cuidados médicos.

Parada cardiorrespiratória: o coração deixa de funcionar e é necessário que façam uma massagem cardíaca para que volte a bater.

A prevenção do infarto está na atenção com hábitos saudáveis, além de fazer acompanhamento médico e exames preventivos de rotina.

Dentre as dicas para o dia a dia, a alimentação saudável e atividade física devem estar presentes sempre.

Nutrição

Uma dieta balanceada é indispensável para os cuidados com o coração. Alguns alimentos apresentam vitaminas e proteínas que fazem bem ao órgão e melhoram a qualidade de vida, como soja, lentilha, tomate, feijão, peixe, banana e castanha

O ideal é procurar um profissional para indicar uma dieta saudável, incluindo estes alimentos nas refeições do dia a dia.

Atividades físicas

Manter o corpo em movimento é essencial para a saúde do coração. O indicado é que seja realizado pelo menos 30 minutos de atividade física diária.

Você pode escolher entre caminhar, correr, andar de bicicleta, dançar, ou manter uma rotina de academia. O importante é não deixar de fazer atividades.

A recomendação é que você receba orientações de um profissional sobre qual exercício é mais indicado para sua resistência.

Diagnóstico

Para diagnosticar o infarto, o serviço de saúde usa os sintomas apresentados pelo paciente, além dos fatores de risco de cada caso, e avalia os resultados de exames como eletrocardiograma, ecocardiograma e angiografia coronariana.

Perguntas Frequentes

Pessoas com problemas de coração devem evitar fortes emoções?

Sim, pois a adrenalina pode acelerar demais o coração e levar a pessoa a um infarto.

Pessoas magras sofrem infartos?

Sim. A pessoa pode não ser obesa, mas se não mantiver hábitos saudáveis, fumar ou sofrer de hipertensão pode ter aumentada a possiblidade de infarto.

Jovens sofrem infartos?

Sim. Aumenta a cada ano o número de pessoas com 20 a 40 anos de idade infartando. Isso se dá por conta do aumento dos fatores de risco, como vício em drogas, estresse e tabagismo.

Infarto sempre é fatal?

Não. Nem todas as pessoas que sofrem um infarto chegam a óbito. O socorro rápido é essencial para salvar vidas. Mas o quadro clínico de cada paciente é variável e por isso, alguns resistem outros, infelizmente não.

A dor no peito é o principal sintoma do infarto?

Geralmente é o sintoma mais forte que o paciente sente. Se a pessoa sentir dores fortes e fizer parte do grupo de risco, é importante procurar o serviço de saúde com urgência. Em mulheres, no entanto, os sintomas são menos dramáticos: desconforto no peito, enjoo, falta de ar, dores no pescoço e na mandíbula.

Beber água e tossir diminui a dor do infarto enquanto estou a caminho do hospital?

Não. A dica neste momento é manter a calma e seguir rapidamente para um hospital ou chamar o serviço de atendimento de urgências, pois eles poderão dar os primeiros socorros da forma adequada.

Tive infarto, terei sequelas?

Nem todas as pessoas infartadas ficam com alguma sequela. Esse diagnóstico depende de diversos fatores, entre eles o socorro rápido e o histórico de saúde do paciente.

Posso ter vida normal após o infarto?

 Se o paciente não ficar com sequelas, ele poderá manter sua rotina de trabalho e vida social, porém, com alguns cuidados extras para que não corra o risco de sofrer um novo infarto. Pessoas infartadas devem rever seu dia a dia e incluir atividade física, alimentação saudável e jamais fumar.

Prevenção

A prevenção do infarto está na atenção com hábitos saudáveis, além de fazer acompanhamento médico e exames preventivos de rotina.

Dentre as dicas para o dia a dia, a alimentação saudável e atividade física devem estar presentes sempre.

Nutrição

Uma dieta balanceada é indispensável para os cuidados com o coração. Alguns alimentos apresentam vitaminas e proteínas que fazem bem ao órgão e melhoram a qualidade de vida, como soja, lentilha, tomate, feijão, peixe, banana e castanha

O ideal é procurar um profissional para indicar uma dieta saudável, incluindo estes alimentos nas refeições do dia a dia.

Atividades físicas

Manter o corpo em movimento é essencial para a saúde do coração. O indicado é que seja realizado pelo menos 30 minutos de atividade física diária.

Você pode escolher entre caminhar, correr, andar de bicicleta, dançar, ou manter uma rotina de academia. O importante é não deixar de fazer atividades.

A recomendação é que você receba orientações de um profissional sobre qual exercício é mais indicado para sua resistência.

Источник: https://www.ladoaladopelavida.org.br/infarto-o-que-e-doencas-cardiovasculares

Veja aqui 7 hábitos essenciais para garantir a saúde do coração – Blog da maior rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil

7 hábitos essenciais para evitar infarto e AVC

Quando falamos de doenças cardiovasculares, estamos nos referindo à principal causa de morte, não apenas em nível nacional, mas também mundial. Em 2015, a mortalidade em decorrência de eventos cardiovasculares representou aproximadamente 30% das mortes como um todo.

De fato, é um número expressivo. Embora muitos casos estejam associados à morte súbita, é preciso deixar claro que existem outros fatores associados que predispuseram à ela, como: consumo de álcool, tabagismo, alterações no colesterol, hipertensão arterial, dentre outros.

Sendo assim, vamos abordar neste texto sobre os principais hábitos para manter a saúde do coração, evitando assim a principal causa de morte que acomete o mundo atualmente. Continue a leitura!

A importância da saúde do coração

O coração é um dos órgãos vitais para o bom funcionamento do organismo. A principal função atribuída a ele é a de bombear o sangue, fazendo com que percorra todo o corpo e leve nutrientes para cada região.

Se houver algum tipo de problema no processo, ou seja, caso alguma área do organismo não receba suprimento sanguíneo, as consequências podem ser fatais. Exemplo disso é o chamado acidente vascular cerebral (AVC), que ocorre quando o cérebro não é perfundido de maneira adequada.

Portanto, concluímos que é essencial manter duas estruturas preservadas: o coração e os vasos sanguíneos. Dessa forma, com a propulsão e a distribuição adequada, o indivíduo consegue se ver distante de acometimentos cardiovasculares.

Confira a seguir algumas boas práticas para manter a saúde cardiovascular!

1. Não fume

Antes de tudo, vamos abordar um hábito que, a princípio, pode parecer não estar diretamente associado ao sistema cardiovascular: o tabagismo. Quando é a feita a relação entre cigarro e doença, logo isso é associado ao sistema respiratório.

Porém, dentre as substâncias presentes no mais diversos tipos de fumos, existem importantes componentes lesivos para a parede dos vasos. Sendo assim, expor o organismo a tais substâncias aumenta a predisposição para problemas vasculares.

O principal deles é a formação de trombos, ou seja, o sangue coagula de modo que pode impedir o fluxo. Esse processo é observado tanto no infarto agudo do miocárdio como também no AVC.

2. Faça o controle do peso

Falando agora sobre o controle do peso, explicaremos sua importância por meio de uma análise antagônica: como se comporta o coração em caso de excesso de peso? Antes de tudo, ele fica sobrecarregado, bombear o sangue torna-se mais difícil e exige maior esforço do músculo cardíaco.

Assim como no tópico anterior, aqui também é possível perceber que as doenças relacionadas aos vasos apresentam importância crucial. Um indivíduo acima do peso apresenta elevados níveis de colesterol, ou seja, de gordura no sangue.

Com isso, o indivíduo tem maior predisposição para o desenvolvimento das chamadas placas ateroscleróticas, as quais também podem ocluir a passagem sanguínea e provocar quadros mais graves.

3. Mantenha uma dieta balanceada

Conforme visto acima, o excesso de peso é um dos maiores vilões para a saúde do coração. Portanto, manter uma dieta balanceada se mostra um hábito essencial. Isso não quer dizer se privar de determinados alimentos, mas sim ajustar a quantidade de ingesta deles.

Neste caso, o objetivo maior da alimentação é reduzir os níveis de colesterol. A aveia e as castanhas representam alguns dos alimentos que auxiliam na redução almejada. Além disso, é necessário reduzir o consumo daquilo que é rico em gorduras, açúcares e sal, sendo que este último será explicado com maiores detalhes a seguir.

4. Evite o consumo em excesso do sal

No Brasil, algumas cidades estão incentivando a retirada do sal das mesas de bares e restaurantes. Essa medida não é arbitrária, pois o consumo em excesso do sal representa um fator capaz de agravar condições cardíacas.

Neste caso, estamos falando da hipertensão arterial. O sal é um alimento que interfere nos mecanismos de regulação da mesma, de modo que, com o excesso da substância, a pressão se eleva.

Considerando que a doença crônica referida é um importante fator de risco para acometimentos cardíacos graves, é fundamental manter o consumo de sal apenas em níveis considerados adequados.

5. Pratique atividades físicas

Sem dúvidas, a realização de atividades físicas deve ser um hábito presente no cotidiano das pessoas. Os benefícios da prática são observados nos mais diversos sistemas, como melhora respiratória, fortalecimento muscular e melhor desempenho cardiovascular.

Isso ocorre justamente em decorrência do fortalecimento muscular. Não podemos nos esquecer que o coração é um órgão composto por fibras musculares, as quais se fortalecem com a prática de exercícios físicos.

Além do fortalecimento muscular, a prática de atividades também causa redução do peso e, conforme visto, isso é fundamental para a saúde do coração.

6. Cuide da saúde mental

Diante dos hábitos já mencionados, o cuidado com a saúde mental por vezes é esquecido. Contudo, é preciso reforçar que algumas doenças psiquiátricas apresentam manifestações cardíacas, podendo ser confundidas até mesmo com um infarto.

Sendo assim, é necessário que o indivíduo busque por maneiras de aliviar o estresse e tensão do dia a dia, evitando que as condições emocionais somatizem para o restante do corpo. Não é uma tarefa fácil, porém existem diversas formas para alcançar isso, que vão desde um tempo de descanso até a busca por ajuda profissional.

7. Realize check-ups periódicos

Por fim, não podemos deixar de incentivar a realização de check-ups periódicos. A medicina saiu do âmbito de tratar apenas o doente e evoluiu para assistência completa ao indivíduo, prevenindo, tratando e acompanhando quadros.

Portanto, mesmo que não tenha nenhuma doença detectada, é interessante a ida periódica ao médico para que possam ser realizados exames gerais que confirmam o bom estado de saúde. Ressaltamos ainda que para aquelas pessoas que já possuem algum diagnóstico de doença cardiovascular, não deixe de frequentar o médico e não deixe de colocar em ação do tratamento por ele sugerido.

Vimos, portanto, que a saúde do coração é influenciada por diversos aspectos, que vão desde a alimentação e a prática de atividades física até o acompanhamento médico.

De fato, é assustador pensar na quantidade de mortes provocadas por condições cardiovasculares.

Porém, é preciso trabalhar a ideia no sentido da prevenção e do acompanhamento, colocando em prática os bons hábitos e mantendo-se saudável.

Sendo assim, que tal agendar uma consulta agora mesmo? Entre em contato conosco e conheça sobre nossos serviços!

Источник: https://blog.amorsaude.com.br/veja-aqui-7-habitos-essenciais-para-garantir-a-saude-do-coracao/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: