7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

Contents
  1. 12 sintomas que podem indicar câncer
  2. 2. Cansaço intenso fazendo pequenas tarefas
  3. 3. Dor que não passa
  4. 4. Febre que vai e volta, sem tomar remédio
  5. 6. Dor ao urinar ou urina escura
  6. 8. Sangramentos
  7. 10. Caroços e inchaço das ínguas
  8. 11. Ficar engasgado com frequência
  9. 12. Rouquidão e tosse por mais de 3 semanas
  10. O que fazer se suspeitar de câncer
  11. Por que ficar atento aos sinais e sintomas de câncer?
  12. Como surge o câncer
  13. Como é feito o tratamento
  14. Radioterapia
  15. Quimioterapia
  16. Imunoterapia
  17. Hormonoterapia
  18. Transplante de medula óssea
  19. Fosfoetanolamina
  20. 7 sinais que indicam a necessidade de procurar um mastologista
  21. 1. Aumento de volume na mama
  22. 2. Vermelhidão aparente
  23. 3. Secreção mamilar
  24. 4. Retração mamilar
  25. 5. Surgimento de nódulo palpável
  26. 6. Descamação mamilar
  27. 7. Dores
  28. Outras doenças na mama
  29. Adenose
  30. Mastite
  31. Fibrose
  32. Hiperplasia mamária
  33. Fibroadenoma da mama 
  34. A frequência ideal de consultar um mastologista
  35. 7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA
  36. Nódulo na mama
  37. Mudanças na textura da pele
  38. Secreção no mamilo
  39. Linfonodos na axila
  40. Assimetria da mama
  41. Retração ou reversão do mamilo
  42. Dor na mama
  43. Sintomas do câncer de mama em homens
  44. Referências
  45. 10 sintomas inusitados do câncer
  46. 1.Caroços (pode indicar vários tipos de câncer)
  47. 2.Dificuldades para engolir (câncer de garganta ou de esôfago)
  48. 3.Tosse e rouquidão (câncer na garganta ou nos pulmões)
  49. 4.Mudança na rotina intestinal (câncer colorretal)
  50. 5.Perda de peso sem motivos (vários tipos de câncer)
  51. 6.Alteração no hábito de urinar (câncer de próstata ou de bexiga)
  52. 7.Sangramento sem razão (tumores ginecológicos, colorretal e de medula)
  53. 8.Dor inexplicável (vários tipos de câncer)
  54. 9.Ferida que não cicatriza (vários tipos de câncer)
  55. 10.Modificação na aparência de verrugas (câncer de pele)
  56. Câncer de mama quais os principais sintomas?
  57. Presença de nódulo no seio
  58. Formato e tamanho diferente
  59. Pele parecida com casca de laranja
  60. Inversão do mamilo
  61. Cansaço crônico
  62. Dor
  63. Perda de peso
  64. Presença de sangue ou outras secreções
  65. Nódulos e inchaço nas axilas
  66. Coceira
  67. Quando procurar o médico?
  68. Quais os medicamentos são indicados?
  69. Tipos de Câncer – Câncer de Mama
  70. Fique atento aos sinais e sintomas
  71. Apresentações do câncer de mama
  72. Fatores de Risco
  73. Prevenção
  74. Sintomas
  75. Diagnóstico
  76. Inovação em tratamento – Radioterapia Intraoperatória (IOT) INTRABEAM®

12 sintomas que podem indicar câncer

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

O câncer em qualquer parte do corpo pode provocar sintomas genéricos como perda de mais de 6 kg sem fazer dieta, estar sempre muito cansado ou ter alguma dor que não passa. No entanto, para chegar ao diagnostico correto é preciso fazer uma série de exames para descartar outras hipóteses.

Normalmente o câncer é diagnosticado quando a pessoa apresenta sintomas bem específicos, que podem surgir de uma hora para outra, sem explicação ou como uma consequência de uma doença que não foi corretamente tratada. Como pode acontecer quando uma úlcera gástrica evolui para câncer de estômago, por exemplo. Veja quais os sinais mais comuns de câncer no estômago.

Por isso, em caso de suspeita deve-se ir ao médico para realizar todos os exames necessários, já que diagnosticar o câncer numa fase inicial aumenta as chances de cura.

A perda de peso rápida de até 10% do peso inicial em 1 mês, sem estar fazendo dieta ou exercício físico intenso é um sintoma frequente em pessoas que estão desenvolvendo câncer, principalmente câncer de pâncreas, estômago ou esôfago, mas que também podem surgir em outros tipos. Conheça outras doenças que podem causar perda de peso.

2. Cansaço intenso fazendo pequenas tarefas

É relativamente comum que pessoas que estão desenvolvendo câncer apresentem anemia ou perda de sangue pelas fezes, por exemplo, o que leva à diminuição dos glóbulos vermelhos e à redução de oxigênio no sangue, causando cansaço intenso mesmo quando se faz pequenas tarefas, como subir alguns degraus ou tentar arrumar a cama, por exemplo.

Esse cansaço também pode ocorrer em canceres de pulmão, uma vez que o tumor pode tomar várias células sadias e diminuir a função respiratória, levando a um cansaço que vai piorando progressivamente. Além disso, pessoas com casos mais avançados de câncer também pode ter fadiga logo de manhã após acordar, mesmo que tenham dormido toda a noite.

3. Dor que não passa

A dor localizada numa determinada região é comum em vários tipos de câncer, como câncer no cérebro, nos ossos, no ovário, no testículo ou no intestino.

Na maioria dos casos, esta dor não alivia com o repouso e não é causada por exercício excessivo ou outras doenças, como artrite ou lesão muscular.

É uma dor persistente que não cede com nenhuma alternativa como compressas frias ou quentes, somente com analgésicos fortes.

4. Febre que vai e volta, sem tomar remédio

A febre irregular pode ser um sinal de câncer, como leucemia ou linfoma, surgindo devido ao sistema imune estar enfraquecido. Geralmente, a febre surge por alguns dias e desaparece sem precisar de tomar remédio, voltando a surgir de forma instável e sem estar ligada a outros sintomas como os da gripe.

Ter variações intestinais, como fezes muito duras ou diarreia por mais de 6 semanas, pode ser um sinal de câncer. Além disso, em alguns casos também podem surgir grandes alterações no padrão intestinal, como ter fezes muito duras durante alguns dias e, em outros dias, diarreia, além de barriga inchada, sangue nas fezes, náuseas e vômitos.

Essa variação no padrão das fezes deve ser persistente e não ter relação com a alimentação e outras doenças intestinais, como intestino irritável.

6. Dor ao urinar ou urina escura

Os pacientes que estão desenvolvendo câncer podem ter dor ao urinar, urina com sangue e vontade de urinar com maior frequência, sendo sinais mais comuns no câncer de bexiga ou na próstata. No entanto, este sintoma também é comum na infecção urinária e por isso deve-se realizar um exame de urina para descartar esta hipótese.

O surgimento de feridas em qualquer região do corpo, como boca, pele ou vagina, por exemplo, que demoram mais de 1 mês para cicatrizar, também pode indicar câncer numa fase inicial, pois o sistema imune está mais fraco e ocorre diminuição das plaquetas que são responsáveis por ajudar na cicatrização de lesões. No entanto, a demora para cicatrizar também ocorre nos diabéticos, podendo ser um sinal de diabetes descontrolada.

8. Sangramentos

A hemorragia também pode ser um sinal de câncer, que pode acontecer na fase inicial ou numa fase mais avançada, podendo surgir sangue na tosse, nas fezes, na urina ou no mamilo, por exemplo, dependendo da região do corpo afetada.

Sangramento vaginal que não é o da menstruação, corrimento escuro, vontade constante em urinar e cólica menstrual podem indicar câncer de útero. Confira quais os sinais e sintomas que podem indicar câncer de útero.

O câncer pode provocar alterações na pele, como manchas escuras, pele amarelada, manchas vermelhas ou roxas com bolinhas e pele áspera que causa coceira.

Além disso, podem surgir alteração da cor, formato e tamanho de uma verruga, sinal, mancha ou sarda da pele, podendo indicar câncer de pele ou outro tipo de câncer.

10. Caroços e inchaço das ínguas

O surgimento de nódulos ou caroços pode surgir em qualquer região do corpo, como mama ou testículos. Além disso, pode ocorrer inchaço da barriga, devido ao aumento do figado, do baço e do timo e inchaço das ínguas localizadas nas axilas, virilhas e pescoço, por exemplo. Este sintoma pode estar presente em diversos tipos de câncer.

11. Ficar engasgado com frequência

Em pacientes com câncer pode surgir dificuldade a engolir, provocando engasgamento e tosse persistente, principalmente quando o paciente está desenvolvendo câncer do esôfago, estômago ou faringe, por exemplo.

Ínguas inflamadas no pescoço e ínguas, aumento do abdômen, palidez, suores, manchas roxas na pele e dor nos ossos podem indicar Leucemia.

12. Rouquidão e tosse por mais de 3 semanas

Ter tosse persistente, falta de ar e voz rouca pode ser um sinal de câncer de pulmão, de laringe ou tireoide, por exemplo. Tosse seca persistente, acompanhada de dor nas costas, falta de ar e cansaço intenso podem indicar câncer de pulmão.

Outros sintomas que também podem indicar câncer na mulher são alterações no tamanho da mama, vermelhidão, formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo e saída de líquido pelo mamilo, que pode indicar câncer de mama.

A presença desses sintomas não indica sempre a existência de um tumor, no entanto, podem sugerir a existência de alguma alteração e, por isso, é importante ir no médico assim que possível para avaliar o estado de saúde, principalmente indivíduos com história de câncer na família.

O que fazer se suspeitar de câncer

Em caso de suspeita de câncer deve-se ir ao médico para realizar exames de sangue como PSA, CEA ou CA 125, por exemplo, sendo que os valores ficam normalmente aumentados.

Além disso, o médico pode indicar uma ecografia ou ressonância magnética para observar o órgão e confirmar a suspeita de câncer e, em alguns casos, pode ser necessário a realização de um outro exame de imagem ou de uma biópsia. Veja quais são os exames de sangue que detectam o câncer.

Após saber qual o tipo de câncer a pessoa possui, o médico indica também todas as possibilidades de tratamentos e inclusive a taxa de cura.

Exame de sangue

Por que ficar atento aos sinais e sintomas de câncer?

É importante estar atento aos sinais e sintomas de câncer, recorrendo ao médico logo que sinta algum dos sinais ou sintomas, pois o tratamento é mais eficaz quando o câncer é diagnosticado precocemente, tendo menos probabilidade de se espalhar para outras regiões do corpo, existindo assim maiores chances de cura.

Desta forma, nenhum sinal nem sintoma deve ser ignorado, especialmente se ele está presente por mais de 1 mês.

Como surge o câncer

O câncer pode surgir em qualquer pessoa, em qualquer fase da vida e é caracterizado pelo crescimento desordenado de algumas células, que podem comprometer o funcionamento de algum órgão. Este crescimento desordenado pode acontecer de forma rápida e os sintomas aparecerem em poucas semanas, ou pode acontecer de forma lenta, e após muitos anos é que surgem os primeiros sintomas.

O câncer também pode estar relacionado a complicações como agravamento de alguma doença, mas existem outros fatores relacionados como cigarro, consumo de alimentos ricos em gordura e exposição a metais pesados.

Como é feito o tratamento

Após o diagnóstico do câncer o médico também deve indicar qual o estadiamento do tumor e quais são as opções de tratamento porque elas podem variar dependendo da idade da pessoa, tipo de tumor e estadiamento. As opções incluem:

Para retirada de todo o tumor, parte dele ou até mesmo outros tecidos que possam estar afetados por ele. Este tipo de tratamento para o câncer está indicado para tumores como o câncer de cólon, câncer de mama e da próstata, por serem locais mais fáceis de operar.

Radioterapia

Consiste na exposição a radiação ionizante que podem diminuir o tamanho do tumor, e pode ser indicada antes ou após a cirurgia.

O paciente durante o tratamento não sente nada, mas após a sessão de radioterapia pode ter efeitos colaterais como náuseas, vômitos, diarreia, pele vermelha ou sensível, que duram apenas alguns dias. O descanso é importante na recuperação do paciente após a sessão da radioterapia.

Quimioterapia

Caracterizada pela toma de um coquetel de medicamentos, em forma de comprimidos ou injeções, que são administrados no hospital ou centro de tratamento.

A quimioterapia pode ser constituída apenas por um medicamento ou pode ser uma associação de medicamentos e ser tomada em comprimidos ou injetável.

Os efeitos colaterais da quimioterapia são vários como anemia, queda do cabelo, náuseas, vômitos, diarreia, feridas na boca ou alterações na fertilidade.

A quimioterapia, a longo prazo, pode também provocar leucemia, um câncer no sangue, embora seja raro. Veja mais sobre o que fazer para diminuir os efeitos colaterais da quimioterapia.

Imunoterapia

São medicamentos que fazem com que o próprio organismo seja capaz de reconhecer as células cancerígenas, combatendo-as de forma mais eficaz. A maioria dos tratamentos com imunoterapia são injetáveis e atuam em todo o corpo, podendo provocar sintomas de reações alérgicas como erupção cutânea ou coceira, febre, dor de cabeça, dor muscular ou náuseas.

Hormonoterapia

São comprimidos que servem para combater os hormônios que possam estar relacionados ao crescimento do tumor. Os efeitos colaterais da terapêutica hormonal dependem do medicamento utilizado ou da cirurgia, mas pode incluir impotência, alterações menstruais, infertilidade, sensibilidade nas mamas, náuseas, dor de cabeça ou vômitos.

Transplante de medula óssea

Pode ser usado nos casos de câncer nas células do sangue, como leucemia, e tem como objetivo substituir a medula óssea doente por células normais de medula óssea.

Antes do transplante o indivíduo recebe tratamento com altas doses de quimioterapia ou radioterapia para destruir as células cancerosas ou normais da medula, para depois receber o transplante de medula óssea saudável de uma outra pessoa compatível.

Os efeitos colaterais do transplante de medula óssea podem ser infecções, anemia ou rejeição da medula óssea saudável.

Fosfoetanolamina

A fosfoetanolamina é uma substância que está em fases de testes, que parece ser eficaz no combate ao câncer, aumentando suas chances de cura. Esta substância consegue identificar e eliminar as células cancerígenas, mas ainda são necessários mais estudos que possam comprovar sua eficácia.

Estes tratamentos devem ser orientados pelo oncologista e podem ser usados sozinhos ou combinados entre si para diminuir o risco de metástases, que ocorre quando o tumor se espalha para outras regiões do corpo e também para aumentar as chances de cura.

Источник: https://www.tuasaude.com/sintomas-de-cancer/

7 sinais que indicam a necessidade de procurar um mastologista

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

Realizar o autoexame da mama é fundamental e de extrema importância. O ideal é que ele seja feito uma vez por mês, no terceiro ou quinto dia após a menstruação, ou em data fixa para as mulheres que já entraram na menopausa. Mas esse hábito não dispensa a necessidade de buscar um mastologista.

Tal profissional deve ser visitado sempre ao menos uma vez por ano, logo a partir do início da vida sexual para acompanhamento próximo e elaboração de um histórico familiar preventivo.

Ele também precisa ser visitado em caso de aparecimento de sinais que podem indicar doenças e problemas de saúde. Mas você sabe quais são esses indícios?

Neste post mostraremos os sintomas que, caso identificados, merecem uma investigação. Se você se interessa pelo tema, siga conosco! Acompanhe a leitura.

1. Aumento de volume na mama

Esse sinal pode ser apenas uma Alteração Funcional Benigna da Mama (AM), mas também pode indicar a presença de um tumor maligno. Se for um nódulo canceroso, ele pode se desenvolver, aumentando o tamanho da mama.

O aumento de volume mamário que não tem relação com o ciclo menstrual ou com a gravidez e lactação, deve ser comunicado ao médico. Esse sinal é ainda mais preocupante se acontece de forma unilateral, ou seja, somente em uma das mamas.

2. Vermelhidão aparente

Uma vermelhidão na pele pode ser sintoma de carcinoma mamário inflamatório (câncer raro), ou um sarcoma mamário com comprometimento dos vasos linfáticos da pele

A pele fica avermelhada, pois há um entupimento dos vasos linfáticos pelas células cancerígenas. Normalmente, essa vermelhidão é fria e indolor. O diagnóstico diferencial para esse tipo de câncer inclui as mastites, mais comuns durante o período de lactação.

3. Secreção mamilar

Toda secreção que sai pelo mamilo deve ser investigada. Os exames adequados detectarão a presença (ou não) de células suspeitas de câncer. Caso esse exame detecte esse tipo de célula, uma investigação mais profunda deve ser realizada.

4. Retração mamilar

Se seu mamilo não é do tipo invertido naturalmente e você percebeu alguma retração com ou sem dor, procure um mastologista rapidamente. Esses podem ser sinais indiretos da presença de um tumor.

5. Surgimento de nódulo palpável

É importante procurar um médico se notar qualquer nódulo palpável nas mamas. Eles podem indicar tanto a presença de massa benigna quanto a de algum tumor maligno. Os nódulos cancerosos são espessos, compactos, duros e de contornos mal definidos.

Por isso, se você notou uma massa dura e indolor, visite um mastologista para investigá-la o mais rápido possível, com exames apropriados.

6. Descamação mamilar

As causas das descamações nos mamilos podem ser inúmeras. Por isso, é preciso estar atento se ela está acompanhada de sintomas, como a dor, presença de nódulos, mudanças no formato do seio ou secreção de líquidos do mamilo, pois isso pode estar relacionado a uma mastite — infecção das mamas —, cistos ou a um tumor.

7. Dores

As dores nas mamas, na maioria das vezes, são de origem benigna. Mas ignorá-las não deve ser uma opção, afinal, sempre existem exceções. Informe ao médico sobre as dores para que ele possa investigar as possíveis causas.

Outras doenças na mama

Apesar de o câncer de mama ser o mais falado, há outras doenças que acometem as mamas e que merecem atenção. Elas podem ser detectadas a partir da mastologia.

A maior parte dessas doenças é benigna, ou seja, não indicam câncer, mas precisam estar na zona de atenção da população. Estar atento aos sinais e manter a saúde em dia é parte fundamental de uma vida plena e saudável.

Adenose

Quando a mama tem mais glândulas produtoras de leite que o normal e elas apresentam maior tamanho, o diagnóstico pode ser de uma doença chamada adenose.

Ela pode provocar dor e desaparecer com o tempo naturalmente. Entretanto, mesmo assim, é recomendado consultar um médico no caso do aparecimento desses sintomas.

Mastite

Mais conhecida como inflamação das mamas, ela pode ser causada por infecção. Mulheres que estão amamentando podem apresentar esse sintoma com maior frequência. O tratamento é feito por meio de antibiótico.

Fibrose

Durante a idade fértil podem aparecer nódulos nas mamas devido às mudanças nos tecidos. É uma doença comum e que pode causar inflamação.

Também pode desaparecer naturalmente sem a necessidade de tratamento, mas, em alguns casos, requer cirurgia para extrair o líquido acumulado.

Hiperplasia mamária

Quando há o crescimento excessivo das células que revestem os ductos ou as glândulas mamárias, pode ser possível retirar o tecido circundante para evitar uma maior possibilidade de desenvolver o câncer de mama. Essa doença é identificada apenas nas mamografias.

Fibroadenoma da mama 

Aparecem como tumores e estão localizados dentro do seio, se assemelhando a bolas de gude. Podem ser identificados tanto no exame de toque quanto em mamografias, sendo mais comuns durante a idade fértil.

É importante que casos como esse sejam acompanhados por médicos, uma vez que, caso haja aumento de tamanho, eles precisam ser removidos.

A frequência ideal de consultar um mastologista

O mastologista é o médico especializado nas doenças da mama, benignas ou malignas. Atualmente, médicos indicam que, nos casos em que não há nenhum sintoma de dor ou nódulos na mama, o profissional deva ser procurado a partir dos 35 anos. A mamografia já deve ser realizada a partir dessa idade e a prevenção é o melhor remédio.

No entanto, quem apresenta qualquer sintoma ou faz parte do grupo de risco, ou seja, há casos de doenças mamárias na família, o especialista deve ser procurado o quanto antes. A mamografia deve ser feita anualmente e o histórico familiar pode ser fundamental nesse acompanhamento.

Já o autoexame deve ser realizado em casa desde a primeira menstruação e pode auxiliar na identificação de diversas doenças citadas anteriormente. Não se esqueça de que é sempre necessário consultar um médico.

Estar atento aos sinais e alterações no corpo pode ajudar a entender a necessidade de procurar um mastologista e garantir o tratamento de eventuais doenças, que podem ser benignas ou malignas. Fazer a consulta regularmente, com certeza, garantirá a sua saúde!

Agora que você já conheceu os principais sintomas que indicam a necessidade de buscar um mastologista, procure a Dediq e tenha diagnósticos ágeis e eficientes a seu favor.

Источник: https://dediq.com.br/7-sinais-que-indicam-a-necessidade-de-procurar-um-mastologista/

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

Em todo mundo, o câncer de mama é o segundo tipo de tumor maligno mais diagnosticado, logo atrás do câncer de pulmão. Ele é responsável por mais de dois milhões de casos por ano.

Quando olhamos só para as mulheres, o câncer de mama não só é o tipo de câncer mais comum, como também é o que mais mortes provoca.

Embora a realização de testes regulares de rastreio do câncer de mama seja indispensável, as mamografias não são 100% eficazes para todos os tumores da mama. Resultados falsos negativos existem.

Ainda que os tumores da mama não costumem apresentar sintomas no estágio inicial, a detecção precoce dos primeiros sinais pode transformar um caso de câncer mama em uma história com final feliz.

Sendo assim, saber como é a aparência normal dos seus seios e conhecer os sinais e sintomas do câncer de mama têm um papel importante no diagnóstico precoce e na sobrevida das pacientes com esses tumores.

Neste artigo vamos explicar resumidamente quais são os sinais e sintomas mamários aos quais a mulher deve sempre estar atenta.

Principais sinais de tumor na mama

Nódulo na mama

Um nódulo papável na mama é o sinal de câncer mais conhecido. Porém, nem todo nódulo mamário é maligno. Na verdade, a imensa maioria não é. Aproximadamente 90% das massas palpáveis nas mamas de mulheres entre os 20 e os 50 anos são benignas.

Exemplos de nódulos benignos na mama incluem:

Apenas pela palpação do nódulo não é possível descartar uma lesão maligna. Portanto, todo nódulo novo deve ser avaliado por um ginecologista ou mastologista, que são os profissionais mais capacitados para avaliar as características de nódulos mamários.

Um nódulo benigno tem habitualmente um formato meio arredondado, com bordas regulares, consistência elástica e é móvel à palpação.

Já um nódulo mamário provocado por câncer costuma ter as seguintes características:

  • Duros e bem aderidos aos planos profundos da pele.
  • Massa com bordas e formato irregulares.
  • Nódulo que está crescendo.
  • Nódulo que provoca retração da pele.
  • Podem ou não ser dolorosos.

Cabe destacar que mesmo nódulos com essas características ainda podem ser benignos. Exames de imagem da mama, como a mamografia, ultrassonografia ou a ressonância magnética ajudam a definir a natureza na massa.

Mudanças na textura da pele

O câncer de mama localmente invasivo pode causar alterações e inflamação nas células da pele, o que leva a alterações na sua textura.

Exemplos de alterações da textura da pele nos câncer de mama incluem:

  • Descamação da pele ao redor do mamilo e da aréola, como se a pele estivesse queimada pelo sol ou extremamente seca.
  • Espessamento da pele em qualquer parte da mama.
  • Vermelhidão da pele, habitualmente com aparência de casca de laranja por dilatação dos poros (sinal chamado peau d’orange).

Câncer de mama inflamatório com a caraterística aparência de peau d’orange

Essas alterações inflamatórias cutâneas costumam ocorrer em um tipo raro de câncer de mama, chamado doença de Paget.

Alterações semelhantes também podem ocorrer como resultado de condições benignas da pele, tais como mastite ou eczemas.

Secreção no mamilo

Secreção pelo mamilo (fora do período de aleitamento materno) pode ser um sinal de câncer de mama. 50% das mulheres com carcinoma papilar invasivo apresentam secreção mamária, geralmente de aspecto sanguinolento.

Secreções amareladas, esverdeadas ou leitosas também podem ser sinal de tumor na mama, embora haja diversas outras condições que possam causar alteração semelhante. Alguns exemplos:

  • Infecções de mama.
  • Efeito colateral das pílulas anticoncepcionais ou outros medicamentos.
  • Doença da tireoide.
  • Tumores benignos da mama.
  • Ectasia do ducto mamário.
  • Prolactinoma.

Linfonodos na axila

Os linfonodos são pequenas estruturas arredondadas de tecido linfático que ficam localizados em pontos específicos do corpo. Em condições normais, os linfonodos não costumam ser palpáveis.

Sistema linfático e linfonodos

Os linfonodos filtram fluidos e capturam células e germes potencialmente prejudiciais, incluindo bactérias, vírus e células cancerígenas. Quando isso ocorre, eles ficam inflamados e crescem de tamanho.

Quando uma célula tumoral sai do seio, o primeiro local para onde ela viaja é a região dos linfonodos na axila do lado da mama afetada. Sendo assim, linfonodos palpáveis na região da axila podem ser um sinal de câncer de mama se espalhando.

Assimetria da mama

Alguns tipos de tumor da mama podem causar assimetria entre as mamas, tornando uma delas maior, com desvio para algum lado, com elevações, ondulações, depressões visíveis em alguns pontos ou alterações persistentes da coloração da pele em um dos seios.

Novamente, cabe ressaltar que nem toda mama assimétrica é causada por tumores. Na maioria dos casos, a causa é benigna e está relacionada com traumas, procedimentos médicos anteriores, como biópsia, ou variações hormonais ao longo do ciclo menstrual.

Retração ou reversão do mamilo

O câncer de mama, principalmente os inflamatórios, podem provocar alterações no mamilo e na aréola, incluindo mudanças no tamanho ou inversão do mamilo para dentro da mama.

Dor na mama

A maioria dos tumores mamários não provoca dor. A exceção é a doença de Paget da mama (tumor inflamatório).

Os nódulos mamários provocados por tumores não costumam doer.

Falamos com detalhes sobre as causas de dor nos seios no artigo: DOR NAS MAMAS – Causas, tratamento e risco de ser câncer.

Sintomas do câncer de mama em homens

O câncer de mama ocorre principalmente em mulheres, mas, eventualmente, algum homens também podem desenvolvê-lo.

Muitas pessoas não sabem, mas os homens também têm tecido mamário e, por isso, podem desenvolver câncer de mama. A baixa produção de hormônios femininos, porém, mantém o tecido mamário pequeno e diminui o risco.

Os sintomas do câncer de mama masculino podem ser semelhantes aos experimentados pelas mulheres. Os mais comuns são:

  • Nódulos indolores na mama.
  • Espessamento da mama.
  • Alterações na pele dos mamilos ou dos seios, como ondulações, depressões ou vermelhidão.
  • Secreção um um dos mamilos.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/ginecologia/sintomas-cancer-de-mama/

10 sintomas inusitados do câncer

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

Se o rastreamento de alguns tumores por meio de exames ainda gera debates acalorados entre os médicos, existe uma estratégia mais simples (e muito recomendada) que ajuda a detectar a doença mais cedo: prestar atenção nas pistas que o organismo oferece. “Muitas vezes, elas são ignoradas por temor ou comodidade, e aí o indivíduo não procura o especialista”, lamenta o oncologista Alan Azambuja, do Instituto do Câncer do Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre.

Um levantamento realizado pelo Cancer Research UK, fundação inglesa que patrocina pesquisas na área, listou dez sinais da doença ignorados com frequência. Para chegar a eles, cerca de 1 700 pessoas com mais de 50 anos responderam a questionários sobre os incômodos que eles haviam sentido nos três meses anteriores.

Metade dos participantes declarou ter experimentado algum sintoma relacionado ao desenvolvimento de um tumor. Os autores selecionaram 50 indivíduos do grupo para uma apuração mais criteriosa e descobriram que 45% nem chegaram a consultar o doutor para ver o que estava acontecendo.

Como você verá a seguir, esses sintomas são bastante triviais e, na maioria dos casos, sugerem problemas fáceis de lidar, como um resfriado ou diarreia. Por outro lado, existe a possibilidade de essas manifestações serem o primeiro vestígio de uma condição mais séria.

Então, a pergunta que fica é: quando se inquietar de verdade sem precisar cair na hipocondria? A resposta está na intensidade e no tempo de duração desses sinais.

“Se eles persistirem acima de três semanas, é preciso realizar uma investigação aprofundada”, diz a oncologista Maria Del Pilar Estevez Diz, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

Em casos específicos, em que há outros fatores de risco envolvidos, não dá nem pra esperar esse período. Se um fumante está com tosse e dificuldades para engolir, por exemplo, já passou da hora de visitar o consultório.

Confira agora a relação entre dez sintomas menos conhecidos e o surgimento do câncer:

1.Caroços (pode indicar vários tipos de câncer)

Esses inchaços ocorrem no sistema linfático, rede de vasos e gânglios essenciais para a imunidade. Uma célula cancerosa pode sair de seu lugar de origem e acabar presa ali. “Os caroços são duros e não doem”, diz o oncologista Marcelo Cruz, do Hospital São José, em São Paulo.

2.Dificuldades para engolir (câncer de garganta ou de esôfago)

Lesões malignas nesses órgãos dificultam a deglutição. “Essa obstrução parcial causa um desconforto ao engolir a comida“, conta Maria Del Pilar. Para aliviar o mal-estar, muitos indivíduos adotam uma dieta pastosa e exageram nos líquidos.

3.Tosse e rouquidão (câncer na garganta ou nos pulmões)

São sinais de encrenca nas vias respiratórias. Se um tumor aflige algum setor nos caminhos por onde passa o ar, como os pulmões, o reflexo pode ser uma tosse chata e persistente.

“Já o câncer de garganta é capaz de acometer algum nervo que irradia as cordas vocais, prejudicando a fala”, aponta o cirurgião de cabeça e pescoço Carlos Roberto dos Santos, do Hospital de Câncer de Barretos, no interior paulista.

Leia mais: Os tipos de câncer mais comuns nas mulheres e nos homens

Continua após a publicidade

Embora esses sintomas sejam ligados a alergias e resfriados, é bom examinar mais a fundo o que está acontecendo se eles teimarem por várias semanas.

4.Mudança na rotina intestinal (câncer colorretal)

Ok, é natural ir mais vezes ao banheiro ou sofrer constipação quando você experimenta novos pratos durante uma viagem, tem uma quebra de hábitos muito brusca ou passa por uma situação de estresse.

Mas, se não há nada que justifique o desajuste, é prudente ficar atento.

“Dependendo de sua localização, os tumores de intestino grosso aumentam a frequência das fezes e propiciam quadros de diarreia intensa”, informa Maria Del Pilar.

Leia mais: Por que os peixes são recomendados contra o câncer?

Caso a enfermidade se situe na porção final do órgão, perto do reto, o formato do cocô se modifica: ele se torna fino e quebradiço. A colonoscopia, um exame que vasculha as paredes do órgão, é a melhor maneira de verificar se existe uma multiplicação anormal de células na região.

5.Perda de peso sem motivos (vários tipos de câncer)

Tumores conseguem sequestrar parte do combustível que abasteceria as células saudáveis. “Eles usam a energia do organismo para se desenvolver”, esclarece o oncologista Gustavo Fernandes. Não é raro que a condição também abale o apetite, o que faz o peso cair.

6.Alteração no hábito de urinar (câncer de próstata ou de bexiga)

Esse sinal é mais comum em homens. “O crescimento da próstata provoca um estreitamento do canal da uretra, por onde passa a urina”, detalha Alan Azambuja. Aí o sujeito visita o banheiro repetidamente e sente irritação ao liberar o xixi. “O jato de urina fica fraco e há uma sensação de não conseguir esvaziar a bexiga”, descreve Azambuja.

7.Sangramento sem razão (tumores ginecológicos, colorretal e de medula)

A perda de sangue não pode ser considerada normal. “A formação de úlceras na parede de órgãos com câncer leva a sangramentos”, esclarece Cruz. Para piorar, a doença afeta a coagulação. Daí, o líquido vermelho pode ficar fluido demais e escorrer com facilidade.

8.Dor inexplicável (vários tipos de câncer)

Ramificações do sistema nervoso, que gerencia as sensações dolorosas, podem ser afetadas por uma massa tumoral. “Ela aperta os nervos e causa um desconforto constante”, resume Fernandes.

A dor é contínua e não passa com analgésicos. Tal sintoma varia de acordo com a posição em que a doença se alastra.

“As únicas formas de solucionar a dor é retirar o tumor ou diminuir sua extensão”, diz o médico.

9.Ferida que não cicatriza (vários tipos de câncer)

“O primeiro sinal de câncer na boca ou na garganta é um machucado que não fecha”, alerta Santos. Porém, não basta checar só essas bandas do corpo. Qualquer ferimento na pele que não melhora com remédios e curativos merece cuidados. Isso acontece porque tumores podem interferir na coagulação do sangue e desestabilizar o processo de cicatrização.

10.Modificação na aparência de verrugas (câncer de pele)

Manchas, pintas e verrugas devem ser acompanhadas de perto. “Principalmente aquelas com saliências, bordas irregulares e cores variadas”, detalha Cruz. Também vale cuidado dobrado com estruturas que coçam e sangram. É preciso vigiar a pele no banho e consultar o dermatologista se notar essas marcas estranhas.

Continua após a publicidade

Источник: https://saude.abril.com.br/medicina/10-sintomas-inusitados-do-cancer/

Câncer de mama quais os principais sintomas?

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama é um dos mais comuns no Brasil, ficando atrás do câncer de pele não melanoma.

De todos os tipos, ele responde por cerca de 28%, todos os anos, segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer). Ele também afeta os homens, porém em proporção muito menor: apenas 1%.

Alguns sinais e sintomas podem sinalizar o câncer. Para se proteger melhor desse mal, você precisa conhecer os sintomas do câncer de mama.

O problema costuma aparecer em mulheres com menos de 35 anos, porém, após esta idade, as chances de desenvolver a doença crescem progressivamente. Mulheres com 50 anos ou mais devem estar em constante alerta e realizar sempre os exames necessários, especialmente o autoexame. Assim, pode-se identificar qualquer problema desde muito cedo!

Veja, a seguir, outras formas de identificar o câncer de mama.

Presença de nódulo no seio

Esse é, provavelmente, o sintoma mais conhecido. A presença de nódulo parecido com um caroço ao toque, na região do seio, costuma provocar grande temor nas mulheres.

Quando esse nódulo é identificado pelo autoexame, deve-se consultar um especialista para realizar os exames necessários.

Todavia, nem sempre significa câncer, mas, se for o caso, é o primeiro sinal, ou seja, está no estágio inicial.

Formato e tamanho diferente

Olhamo-nos no espelho a vida toda e conhecemos bem o nosso corpo. Já conseguimos perceber qualquer pequena diferença, especialmente nos seios. O tumor que se forma afeta diretamente o tecido mamário e, assim, o tecido acaba deformado nas regiões próximas. Essa deformação pode fazer com que a mama aumente de tamanho por conta do inchaço, ou diminua por causa da retração do tecido.

Não é só o tamanho que pode ser afetado: o formato também. A região logo acima do tumor pode ficar mais funda ou conter fibrose. Esta acontece quando uma grande quantidade de fibras elásticas acumula-se em uma determinada área, deixando o tecido endurecido. Isso afeta diretamente as glândulas mamárias.

Pele parecida com casca de laranja

Não é apenas a celulite que produz esse efeito: a presença de um tumor na mama também pode deixar o tecido com a aparência de uma casca de laranja. Esse é um dos sinais de que algo está errado e você deve procurar um médico.

A pele de casca de laranja é um dos principais sintomas do câncer de mama inflamatório. É uma reação muito parecida com a que ocorre na pele com celulite, que também é o resultado de um processo inflamatório.

A própria formação da fibrose ajuda nessa questão, pois as fibras presentes na pele começam a deixá-la irregular. Há, também, o inchaço provocado por edema e vermelhidão, sinais clássicos do processo inflamatório.

Inversão do mamilo

Aqui estamos falando de um tumor localizado atrás da auréola. A pele, nessa região, fica repuxada e, assim, o mamilo “afunda”, ficando para dentro da mama. Por isso o nome do sinal é inversão do mamilo. É a mesma situação da qual falamos acima — sobre o afundamento da pele acima do tumor —; diferença aqui é a apenas a região da mama.

Cansaço crônico

Uma rotina muito puxada e cheia de responsabilidades, como trabalhar, cuidar dos filhos, da casa, estudar, deixa as mulheres muito cansadas. Porém, quando o assunto é câncer de mama, esse cansaço nunca acaba. Mesmo depois do fim de semana ou de uma noite de sono tranquila, ele não desaparece. Se esse é o seu caso, procurar o médico é o mais recomendado.

Dor

A dor é uma forma de o corpo nos dizer que algo não vai bem. Quando essa dor ocorre na área das mamas ou das axilas, pode ser um sintoma do câncer de mama. Portanto, é bom ficar atenta a esse sintoma e não tomar um analgésico por conta própria. Você estará apenas camuflando um problema bem maior, tratando a consequência e não a causa. Quanto antes consultar o médico, melhor.

Perda de peso

Se você não está seguindo nenhum tipo de dieta restritiva ou praticando exercícios de alta intensidade, mas, ainda assim, está perdendo peso rapidamente, pode ser um sintoma de câncer de mama. O problema aqui é que, muitas mulheres, ficam satisfeitas porque estão emagrecendo e, por isso, podem não se atentar de que esse pode ser um sinal de alerta do corpo para algo negativo.

Presença de sangue ou outras secreções

Um líquido de cor amarelada, com ou sem sangue misturado, pode sair do seu seio. Apesar de parecer um sinal muito grave, ele é um dos menos preocupantes do câncer de mama. Esses fluidos indicam que o tumor está localizado nos ductos mamários, e o problema está em seu estágio inicial.

Nódulos e inchaço nas axilas

O tumor também pode aparecer próximo às axilas, e os sinais e sintomas passam, então, a se manifestar nesta parte do corpo. Por não aparecer na mama, essa situação costuma ser negligenciada, mas é justamente esse o ponto mais crítico. Isso quer dizer que o câncer já está migrando para outras regiões, fugindo dos gânglios linfáticos e indo para qualquer parte do corpo.

Coceira

Coçar os seios de vez em quando é algo perfeitamente normal, mas, quando essa coceira é freqüente, é preciso ficar atenta, pois algo pode estar errado — inclusive esse é um dos sintomas mais típicos do câncer de mama. Mas há uma boa notícia: isso significa que o câncer não está conseguindo penetrar de maneira mais profunda nos tecidos e, assim, age superficialmente, provocando coceira.

Quando procurar o médico?

Não é porque você está sentindo algum desses sintomas que está com câncer. Por exemplo, a dor é um sintoma do câncer de mama e também de vários outros problemas de saúde. A melhor forma de tirar a dúvida é consultando o médico. Portanto, assim que sentir qualquer um dos sinais listados acima, agende uma consulta.

Fazer a mamografia é a melhor maneira de identificar o câncer precocemente. De acordo com recomendações, mulheres entre 50 e 69 anos devem fazer esse exame a cada 2 anos, pelo menos. Mulheres que têm familiares com histórico de câncer de mama (homem e mulher) e de ovário apresentam maiores chances de desenvolver o de mama.

Quais os medicamentos são indicados?

Como há variações para o câncer de mama, existem indicações de tratamentos diferentes para cada situação. A quimioterapia hormonal, o modulador estrogênico e a quimioterapia comum podem ser ou não recomendados, dependendo de cada caso.

Existem, basicamente, dois medicamentos muito utilizados nos casos de câncer de mama: os inibidores de aromatase (IA), que têm como função impedir que os hormônios femininos estimulem as células cancerígenas e os biofosfatos; e o tamoxifeno, bastante utilizado. Lembrando, é claro, que qualquer substância só deve ser consumida sob indicação médica.

Outro medicamento que pode ajudar mulheres com sintomas do câncer de mama é o Letrozol. Saiba onde encontrá-lo!

Источник: https://www.drogarialiviero.com.br/blog/cancer-de-mama/

Tipos de Câncer – Câncer de Mama

7 SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

Que tal testar seus conhecimentos sobre o assunto? Preparamos um quiz exclusivo para você!

Clique e faça o Quiz

 

Desmistificar o câncer de mama é fundamental para combatê-lo. Nos últimos anos, a taxa de mortalidade da doença caiu mais de 40%, e o diagnóstico precoce foi essencial para isso.

O câncer de mama é o tipo de tumor mais comum entre as mulheres no mundo, e também no Brasil, (não considerandos os casos de câncer de pele não melanoma). Corresponde a cerca de 25% do total de novos casos a cada ano em nosso meio. A doença também acomete homens com mais raridade, representando apenas 1% do total de casos da doença.

Infrequente antes dos 35 anos, crescendo progressivamente após essa faixa etária, especialmente após os 50 anos.

Fique atento aos sinais e sintomas

Para te ajudar a identificar os sinais do câncer de mama e saber mais sobre os fatores de risco, formas de tratamento e prevenção, nós preparamos um material exclusivo para você.

Faça o download

Apresentações do câncer de mama

  • Carcinoma in situ: câncer de mama em fase inicial, sem capacidade de desenvolver metástases;
  • Carcinoma invasor: mais frequente e com capacidade de desenvolver metástases.

Fatores de Risco

O câncer de mama é causado por alterações genéticas, diretamente relacionadas à biologia celular, que podem ser estimuladas por fatores ambientais tais como: tabagismo, uso de hormônios (TRH – terapia de reposição hormonal por tempo prolongado), obesidade, fumo e alcoolismo.

Também é mais frequente nas mulheres que tem início da menstruação em idade muito jovem e menopausa tardia. O uso de anticoncepcionais orais tem sido associado ao aumento da incidência, porém os dados de literatura não são conclusivos.

Em 5 a 10% dos casos o tumor decorre de mutações genéticas encontradas em grupos familiares, e é mais frequente em determinados grupos étnicos como, por exemplo, as mulheres brancas, caucasianas, particularmente as judias de origem europeia.

Atenção deve ser dada às pacientes com antecedentes familiares importantes de câncer de mama, particularmente quando há casos na família de mulheres acometidas antes dos 35 anos de idade.

Tabagismo

Uso de hormônios

Obesidade

Alcoolismo

Genética

Prevenção

Não há como se prevenir o aparecimento do câncer de mama de forma absoluta. Neste sentido, o que se pode fazer é o diagnóstico precoce da doença. Quanto mais cedo for diagnosticado, maiores as chances de sucesso no tratamento. O objetivo dos exames diagnósticos de rotina é encontrá-lo antes mesmo de causar sintomas.

O tamanho do tumor e sua agressividade são fatores importantes para definir a conduta médica apropriada. A identificação precoce destes aspectos, não somente indica o caminho adequado do tratamento, bem como influencia decisivamente na cura. É importante salientar que o câncer de mama pode sim ser curado.

Para tanto é importante que as pacientes, estejam conscientizadas da necessidade de realização dos exames anuais de rotina.

Por outro lado, e como já dissemos acima, o meio ambiente pode atuar como adjuvante na manifestação genética que pode dar início ao crescimento de uma célula tumoral. Sendo assim, assumir hábitos de vida saudáveis é fundamental para que o organismo como um todo funcione melhor. Algumas medidas podem ser tomadas. Entre elas estão:

  • Controle do peso;
  • Prática de atividade física;
  • Evitar abuso de bebidas alcoólicas;
  • Evitar uso de TRH por tempo prolongado;
  • Evitar o fumo.

Controle do peso

Prática de atividade física

Evitar fumo

Evitar uso de TRH por tempo prolongado

Evitar abuso de bebidas alcoólicas

Sintomas

O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de nódulos, que em geral são indolores, frequentemente duros e irregulares, e menos frequentemente macios e arredondados. Por isso é importante consultar o médico e realizar os exames com regularidade.

Alguns sinais observados pelas pacientes podem ajudar a identificar o câncer de mama, mas que precisam ser avaliados pelo médico:

  • Nódulo na mama;
  • Inchaço em parte da mama semelhante à casca de laranja;
  • Irregularidades ou retrações na pele da mama;
  • Dor ou inversão do mamilo;
  • Vermelhidão e descamação do mamilo, ou na pele da mama;
  • Saída de secreção pelo mamilo, particularmente se for sanguinolenta ou translúcida;
  • Nódulo nas axilas.

Diagnóstico

O diagnóstico das lesões de mama é feito com base em alterações na mamografia e ultrassonografia, que são os exames mais utilizados no rastreamento, e que quando realizados em conjunto, diagnosticam perto de 95% dos casos.

Microcalcificações agrupadas são alterações radiológicas somente evidenciadas à mamografia, e que em boa parte dos casos são o primeiro e mais precoce sinal de um tumor de mama, frequentemente na fase pré-nódulo.

Por causa disso a mamografia é o principal exame a ser realizado, e o único que estatisticamente mostrou ganho de sobrevida.

A ultrassonografia associada complementa o exame, sendo mais eficiente na visualização de nódulos, diferenciação entre áreas sólidas e císticas, particularmente nas mamas densas. Estes exames não podem ser negligenciados, e devem ser realizados na periodicidade determinada pelo médico.

A idade ideal para se fazer a primeira mamografia é aos 40 anos, e a partir daí com periodicidade anual. Em casos específicos, este exame pode ser antecipado, ou ter sua periodicidade diminuída, sempre sob supervisão médica.

A ressonância nuclear magnética é mais utilizada para o estadiamento, que é a avaliação de áreas eventualmente não identificadas na mamografia/ ultrassonografia, naquelas pacientes com diagnóstico já definido de câncer de mama. Pode, no entanto, ser utilizada no rastreamento, em situações especiais a critério do médico, e em pacientes com mamas extremamente densas e hereditariedade importante.

Mamografia / Ultrassonografia

Ressonância Nuclear Magnética

Biópsia

Exames anuais a partir dos 40 anos

São esses exames que indicam a necessidade de uma biópsia, que é a retirada de fragmentos do tumor para estudo histopatológico, e que revela o diagnóstico definitivo do tipo, aspectos de sua biologia, agressividade, e em conjunto com outros dados, indicação de condutas terapêuticas.

Inovação em tratamento – Radioterapia Intraoperatória (IOT) INTRABEAM®

O tratamento para o câncer de mama no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, conta com um equipamento inovador, utilizado para radioterapia intraoperatória (IOT), o INTRABEAM®. O Hospital é o primeiro do Estado de São Paulo e segundo no país a utilizar a tecnologia.

O novo procedimento diminui os efeitos colaterais associados ao método convencional de radioterapia.

Conheça o Intrabeam®

Источник: https://centrodeoncologia.org.br/tudo-sobre-cancer/cancer-de-mama/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: