8 primeiros sintomas de Malária

Malária: o que é, ciclo, transmissão e tratamento

8 primeiros sintomas de Malária

A malária é uma doença infecciosa transmitida através da picada da fêmea do mosquito Anopheles infectada pelo protozoário do gênero Plasmodium, sendo as espécies mais frequentes no Brasil o Plasmodium vivax e o Plasmodium malariae. Por ser transmitida pela picada de um mosquito, a melhor forma de prevenção da malária consiste em medidas para evitar se picado, através do uso de repelente e proteções nas janelas com o uso de telas.

Uma vez no organismo da pessoa afetada, o Plasmodium vai até o fígado, onde se multiplica e, em seguida, atinge a corrente sanguínea, onde invade e rompe os glóbulos vermelhos do sangue, provocando sintomas como febre, suor, calafrio, náuseas, vômitos, dor de cabeça e fraqueza.

A malária tem cura, mas é importante que o tratamento seja iniciado rapidamente, pois em muitos casos a doença pode se tornar grave, havendo anemia, diminuição das plaquetas, insuficiência renal ou, até, o comprometimento do cérebro, em que as chances de complicações e de morte são maiores.

Mosquito da malária

Principais sintomas

Os primeiros sintomas da malária costumam surgir entre 8 a 14 dias após a transmissão, podendo levar até 30 dias ou mais. O aparecimento dos sintomas dependem de fatores relacionados ao Plasmodium, como taxa de multiplicação e espécie, e fatores relacionados à pessoa, como o sistema imunológico, principalmente. Os sinais e sintomas mais comuns da malária são:

  • Febre, que pode surgir e desaparecer em ciclos;
  • Suores e calafrios;
  • Dor de cabeça forte;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor muscular em todo o corpo;
  • Fraqueza e cansaço constante;
  • Pele e olho amarelados.

A maioria destes sinais e sintomas podem ser difíceis de serem identificados como malária e, dessa forma, caso surjam é importante ir ao médico para diagnosticar a doença e iniciar o tratamento adequado, especialmente se estiver num local em que a malária é frequente, como na região Amazônica e África.

Além disso, estes sinais e sintomas podem aparecer em ciclos, isto é, manifestar-se a cada 48 horas ou 72 horas, dependendo da espécie de Plasmodium que está infectando o corpo. Isto acontece devido ao seu ciclo de vida, à medida que se desenvolvem conseguem chegar na corrente sanguínea e causar sintomas decorrentes da destruição das hemácias.

A forma mais grave da malária acontece quando a infecção compromete o cérebro, causando dor de cabeça, rigidez de nuca, convulsões, sonolência e coma. Outras complicações incluem anemia, redução das plaquetas, insuficiência renal e insuficiência respiratória. Saiba mais sobre os sintomas da malária e malária cerebral.

Como acontece a transmissão

A transmissão da malária acontece através da picada da fêmea do mosquito Anopheles infectado, que adquiriu o parasita ao picar uma pessoa infectada pela doença. É importante lembrar que a malária não é contagiosa, ou seja, não é transmitida de uma pessoa para outra, exceto em casos mais raros de compartilhamento de seringas e agulhas infectadas, transfusões mal controladas e/ ou parto.

Geralmente, o mosquito pica as pessoas durante o entardecer ou anoitecer.

Os locais de maior risco de contaminação são América do Sul, América Central, África e parte da Ásia, principalmente em locais com água limpa com pouca corrente, umidade e com temperatura entre 20º e 30ºC.

No Brasil os estados mais afetados pela malária são Amazonas, Roraima, Acre, Tocantins, Pará, Amapá, Mato Grosso, Maranhão e Rondônia.

Ciclo de infecção da malária

O ciclo do parasita Plasmodium no corpo humano acontece da seguinte forma:

  1. A picada da fêmea do mosquito Anopheles transmite, através da sua saliva, os Plasmodium para a corrente sanguínea da pessoa, na sua fase de Esporozoíto;
  2. Os esporozoítos vão até o fígado, onde amadurecem e se multiplicam, por cerca de 15 dias, dando origem à forma de Merozoítos;
  3. Os Merozoítos rompem as células do fígado e atingem a corrente sanguínea, passando a invadir os glóbulos vermelhos do sangue;
  4. Dentro das células sanguíneas infectadas, que são chamadas de Esquizontes, os parasitas se multiplicam e rompem esta célula, e passam a invadir outras, em um ciclo que dura de 48 a 72 horas.

Dentro de cada esquizonte, o ciclo é variável de acordo com a espécie do Plasmodium, sendo de 48 horas para as espécies P. falciparum, P. vivax, e P.

ovale e de 72 h para P. malariae.

Durante o período em que as hemácias são rompidas e os esquizontes passam a ficar livres no sangue, os sintomas podem se acentuar, principalmente a febre e os calafrios.

Como confirmar o diagnóstico

Após o surgimento dos primeiros sinais e sintomas é recomendado ir ao hospital ou ao pronto-socorro, especialmente se os sintomas surgirem a cada 48 ou 72 horas.

Desta forma, o médico poderá identificar a presença do parasita no organismo através de exames de sangue, como gosta espessa ou testes imunológicos, podendo iniciar o tratamento adequado, evitando que a infecção agrave e coloque a vida do paciente em risco.

Como é feito o tratamento

O tratamento da malária é feito com medicamentos antimaláricos, como Cloroquina, Primaquina, Artemeter e Lumefantrina ou Artesunato e Mefloquina por exemplo, que atuam destruindo o Plasmodium e impedindo a sua transmissão.

Os medicamentos escolhidos, as doses e a duração são indicados pelo médico de acordo com a idade, gravidade da doença e análise das condições de saúde. Crianças, bebês e grávidas precisam de um tratamento especial, com Quinina ou Clindamicina, sempre de acordo com as recomendações médicas e, geralmente, é indicado o internamento hospitalar.

Recomenda-se ainda:

  • Alimentar-se normalmente;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não parar o tratamento mesmo se os sintomas desaparecerem, devido ao risco de recidiva e complicações da doença.

O tratamento da malária deve ser iniciado o mais rápido possível, pois pode evoluir de forma grave e, sem o adequado tratamento, pode levar à morte. Saiba mais sobre como é feito o tratamento para se recuperar mais rápido.

Como se proteger

A prevenção da malária pode ser feita através de:

  • Uso de roupas de cor clara e de tecido fino, com mangas compridas e calças compridas;
  • Evitar as áreas mais propensas à contaminação da doença, principalmente durante o entardecer ou amanhecer;
  • Usar repelente à base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida), respeitando as orientações do fabricante quanto à reposição do repelente;
  • Colocar telas de proteção contra mosquitos em janelas e portas;
  • Evitar lagos, lagoas e rios ao final da tarde e à noite.

Quem vai viajar para um local onde há casos de malária pode receber um tratamento de prevenção, chamado de quimioprofilaxia, com os remédios anti-maláricos, como Doxiciclina, Mefloquina ou Cloroquina.

Todavia estes remédios possuem fortes efeitos colaterais, por isso o médico costuma indicar este tipo de prevenção para pessoas que possuem maior risco de desenvolverem doença grave, como ir para locais com elevados índices de transmissão ou quando a pessoa possui alguma doença que pode ter maiores complicações com a infecção.

Estes medicamentos só devem ser usados após indicação médica e geralmente são iniciados 1 dia antes da viagem e persistem por mais alguns dias ou semanas após o retorno.

Источник: https://www.tuasaude.com/malaria/

Malária | SNS24

8 primeiros sintomas de Malária

A malária é provocada por protozoários do género Plasmodium. O parasita é transmitido através da picada do mosquito (género Anopheles). Uma vez no ser humano, os parasitas vão multiplicar-se no fígado, infetando os glóbulos vermelhos do sangue.

Quais são os sintomas iniciais?

Os sintomas iniciais da malária são:

  • febre
  • calafrios
  • suores
  • dores de cabeça
  • dores musculares
  • falta de apetite
  • náuseas
  • vómitos
  • fadiga

Os sintomas da malária (além de febre) são variáveis, nomeadamente dependendo do tipo de parasita da malária. Em casos extremos, nomeadamente quando causados pela espécie Plasmodium falciparum, os sintomas graves e a morte podem acontecer em menos de um dia.

Quais são os sintomas de doença grave?

Os sintomas de doença grave são:

  • alterações de comportamento
  • alterações de estado de consciência (de sonolência marcada até coma)
  • convulsões
  • anemia grave
  • dificuldade respiratória
  • alterações da coagulação sanguínea
  • tensão arterial baixa
  • diminuição da produção de urina

A malária tem cura?

Apesar de potencialmente muito grave, a malária é uma doença curável. O diagnóstico deve ser o mais precoce possível. Caso tenha estado nos últimos meses em zonas endémicas de malária e desenvolva febre, procure cuidados médicos o mais depressa possível e refira as suas estadias.

Como se transmite?

A transmissão ocorre pela picada do mosquito e consequente inoculação de parasitas da malária na corrente sanguínea humana, onde estes desenvolverão parte do seu ciclo de vida, infetando maioritariamente as células do fígado e os glóbulos vermelhos.

Quais são os países com risco de transmissão?

A malária é endémica (existe sempre) em regiões tropicais e subtropicais de África, Ásia, América Central e América do Sul.

Onde posso fazer o diagnóstico?

O diagnóstico da malária pode ser realizado de diversas formas, desde uma simples consulta médica até testes laboratoriais (avaliação do sangue ao microscópio ou técnicas complexas de imunologia e biologia molecular).

Quais são os tipos de tratamento?

Existem vários tipos de medicamentos utilizados no tratamento da malária (antimaláricos), desde comprimidos para toma oral a fármacos diretamente na corrente sanguínea. A decisão relativa à abordagem terapêutica caberá ao médico responsável.

Como posso prevenir com medicação?

As formas mais graves da malária são evitáveis através da toma de medicação de forma profilática (preventiva). Existem diferentes medicamentos que podem ser tomados com este objetivo, devendo o aconselhamento nesta matéria ser obtido no âmbito de uma Consulta do Viajante.

Como posso prevenir as picadas de mosquitos?

A melhor forma de evitar a malária é evitar as picadas de mosquitos. É importante tomar medidas:

  • use vestuário de forma a cobrir a maior parte das zonas do corpo possível, nomeadamente blusas com mangas compridas e calças
  • use repelentes ou inseticidas nas roupas, uma vez que as picadas podem ocorrer através da roupa
  • utilize repelentes na pele, nas zonas do corpo expostas

Se acampar, dormir em zonas ao ar livre ou sem ar condicionado deve usar uma rede mosquiteira. As redes mosquiteiras são de fácil transporte e estão acessíveis em lojas que vendem material de campismo ou de viagem. Alguns mosquitos de pequenas dimensões podem passar através da rede, pelo que deve impregnar a rede com inseticida.

Que tipo de repelentes existem?

Os repelentes estão disponíveis em várias formulações e em diferentes concentrações. A maioria das formulações contém dietiltoluamida (DEET), uma substância comprovadamente mais eficaz na prevenção de picada de insetos.

As formulações em spray:

  • podem ser aplicadas sobre o vestuário
  • na pele devem ser pulverizadas primeiro na palma das mãos e só depois nas restantes áreas expostas
  • não devem ser aplicadas diretamente na cara

Outras formulações em creme, loção roll-on ou stick são mais adequadas para a aplicação direta na pele.

As formulações numa baixa concentração de DEET (30-50%) são geralmente utilizadas para a pele e as formulações com elevadas concentrações (100%) são recomendadas para aplicar sobre o vestuário.

Como posso utilizar o repelente?

Deve usar o repelente:

  • nas zonas expostas da pele, nomeadamente pescoço, punhos e tornozelos
  • depois da aplicação do protetor solar (use um fator de proteção solar 30-50)

Não deve usar o repelente:

  • sobre cortes ou feridas e pele irritada
  • nos olhos ou na boca

Leia atentamente o folheto informativo do repelente. Em caso de dúvida, contacte o seu médico.

Que cuidados devo ter com o uso de repelentes em crianças?

Os repelentes não devem ser manuseados por crianças, pelo potencial risco de aplicação nos olhos. Devem ser reforçadas as medidas de proteção com vestuário, e utilizado o repelente nas zonas expostas ao sol. Os repelentes podem ser aplicados em crianças com idade superior a 2 meses.

Qual é o período de incubação?

O período de incubação (o tempo entre a infeção e os sintomas) da malária varia normalmente entre 7 e 30 dias, podendo ser mais longo.

Fontes: Sociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV), Direção-Geral da Saúde (DGS)

Источник: https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-infecciosas/malaria/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: