ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL

Grupo Sanfil Medicina | Aneurisma da aorta abdominal

ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL

Um aneurisma da aorta abdominal é uma zona enfraquecida e protuberante na parte inferior da aorta, o principal vaso sanguíneo que fornece sangue ao corpo.

A aorta, com uma espessura aproximada de uma mangueira de jardim, vai desde o coração até ao centro do tórax e abdómen. Porque a aorta é o principal fornecedor de sangue para o corpo, um aneurisma da aorta abdominal rompido pode provocar uma hemorragia fatal.

Embora possa nunca ter tido sintomas, descobrir que tem um aneurisma da aorta abdominal pode ser assustador.

A maior parte dos aneurismas da aorta abdominal de pequenas dimensões e de desenvolvimento lento não se rompem, mas os de grandes dimensões e de desenvolvimento rápido podem.

Dependendo do tamanho e da taxa à qual o aneurisma da aorta abdominal se desenvolve, o tratamento pode variar de vigilância atenta até cirurgia de emergência.

Após um aneurisma da aorta abdominal ser detetado, os médicos irão controlá-lo atentamente de modo a que a cirurgia possa ser planeada se for necessário. A cirurgia de emergência a um aneurisma abdominal rompido pode ser arriscada.

Sintomas

Os aneurismas da aorta abdominal normalmente desenvolvem-se lentamente e geralmente sem sintomas, tornando-os difíceis de detetar. Alguns aneurismas nunca romperão.

Muitos começam pequenos e permanecem pequenos, embora muitos se expandam ao longo do tempo. Alguns aneurismas da aorta expandem-se lentamente, aumentando menos de metade de 1,2 centímetros ao ano.

Outros expandem-se a uma velocidade mais rápida, aumentando o risco de rutura. É difícil prever o quão rapidamente um aneurisma da aorta pode aumentar.

À medida que um aneurisma da aorta aumenta, algumas pessoas podem notar:

  • Uma sensação de pulsação perto do umbigo
  • Rigidez ou dor no abdómen ou tórax
  • Dor nas costas

Quando consultar um médico
Deve consultar um médico caso tenha algum dos sintomas listados abaixo.

Qualquer pessoa a partir dos 60 com fatores de risco para desenvolver um aneurisma da aorta deve considerar o exame regular da condição.

Os homens entre os 65 e os 75 anos que já fumaram tabaco devem realizar um exame único para detetar um possível aneurisma da aorta abdominal através de uma ecografia abdominal.

Os homens a partir dos 60 com um historial de família com aneurisma da aorta abdominal também devem ponderar a realização de um exame.

Causas

A maior parte dos aneurismas da aorta ocorrem na parte da aorta que está no abdómen. Embora a causa exata de aneurismas da aorta abdominal seja desconhecida, vários fatores podem contribuir, incluindo:

  • Consumo de tabaco. Fumar cigarros e outras formas de consumo de tabaco parece aumentar o risco de aneurismas da aorta. Além dos efeitos prejudiciais que fumar provoca diretamente nas artérias, fumar contribui para a acumulação de placas gordas nas suas artérias (aterosclerose) e pressão alta. Fumar também pode fazer com que o seu aneurisma se desenvolva mais rapidamente danificando a sua aorta.
  • Pressão sanguínea alta. A pressão sanguínea alta, especialmente se indevidamente controlada, aumenta o risco de desenvolver um aneurisma da aorta. Isso deve-se à pressão sanguínea alta poder danificar e enfraquecer as suas artérias.
  • Infeção na aorta (vasculite). Em casos raros, o aneurisma da aorta pode ser provocado por uma infeção ou inflamação que enfraquece uma secção da parede da aorta.

Os aneurismas podem desenvolver-se em qualquer local ao longo da aorta, mas quando ocorrem na parte superior da aorta, são denominados aneurismas da aorta torácica.

Mais geralmente, os aneurismas formam-se na parte mais baixa da aorta e são denominados aneurismas da aorta abdominal. Raramente, um aneurisma pode ocorrer entre as partes superior e inferior da aorta.

Este tipo de aneurisma é denominado aneurisma toracoabdominal.

Diagnóstico

A maior parte dos aneurismas da aorta abdominal são detetados durante um exame por outro motivo. Por exemplo, durante um exame de rotina, o seu médico pode sentir uma protuberância no abdómen, embora seja improvável que o seu médico possa ouvir sinais de um aneurisma através de um estetoscópio.

Os aneurismas da aorta normalmente são detetados durante testes médicos de rotina, tal como um raio-X ao tórax ou ecografia do coração ou abdómen, às vezes solicitado por um motivo diferente.Se o seu médico suspeitar que tem um aneurisma da aorta, testes especializados deverão confirmá-lo. Estes testes podem incluir:Raio-X ao tórax.

O seu médico pode detetar primeiro que tem um aneurisma da aorta abdominal olhando para as imagens de raio-X. O seu médico pode solicitar um raio-X ao tórax como um primeiro teste para verificar se existem problemas na sua aorta ou pode detetar um aneurisma da aorta abdominal através de imagens do raio-X para verificar outra condição.Ecografia abdominal.

Este exame pode ajudar a diagnosticar um aneurisma da aorta abdominal. Durante este exame indolor, permanece de costas numa mesa de exames e uma pequena quantidade de gel quente é aplicada no abdómen. O gel ajuda a eliminar a formação de bolsas de ar entre o seu corpo e o instrumento que o técnico utiliza para ver a sua aorta, denominado transdutor.

O técnico pressiona o transdutor contra a pele sobre o abdómen, movendo-o de uma zona para outra. O transdutor envia imagens para o ecrã do computador que o técnico controla para verificar um potencial aneurisma.Exame de tomografia digital (TC). Este teste indolor pode fornecer ao seu médico imagens claras da sua aorta.

Durante uma tomografia digital, deita-se numa mesa dentro de uma máquina denominada ponte. Os detetores no interior da ponte medem a radiação que atravessou o seu corpo e convertem-na em sinais elétricos. Um computador reúne estes sinais e atribui-lhes uma cor variando de preto a branco, dependendo da intensidade do sinal.

O computador associa então as imagens e exibe-as num monitor de computador.Imagem por ressonância magnética (IRM) IRM é outro teste de imagiologia indolor. A maior parte das máquinas de IRM contém um íman de grandes dimensões formado com a forma de um donut ou túnel. O paciente deita-se numa mesa móvel que desliza para o interior do túnel.

O campo magnético alinha as partículas atómicas em algumas das suas células. Quando as ondas de rádio são transmitidas em direção a estas partículas alinhadas, produzem sinais que variam de acordo com o tipo de tecido que são. O seu médico pode utilizar as imagens produzidas pelos sinais para ver se tem um aneurisma.

Exame regular para pessoas com risco de aneurismas da aorta abdominal

O Grupo de Trabalho de Serviços Preventivos dos Estados Unidos recomenda que os homens entre os 65 e os 75 anos que já fumaram tabaco realizem um exame único para detetar um possível aneurisma da aorta abdominal através de uma ecografia abdominal. Os homens a partir dos 60 com um historial de família com aneurisma da aorta abdominal também devem ponderar a realização de um exame.

Tratamento

A seguir são apresentadas as diretrizes gerais para tratar aneurismas da aorta abdominal:

  • Aneurisma pequeno. Caso tenha um aneurisma abdominal da aorta de pequenas dimensões — aproximadamente 4 centímetros (cm) em diâmetro ou menos — e não tiver quaisquer sintomas, o seu médico pode sugerir uma aguardar e manter em observação, em vez de uma cirurgia. Em general, não é necessária uma cirurgia para aneurismas de pequenas dimensões porque o risco da cirurgia ultrapassa o risco de rutura.
  • Se optar por esta abordagem, o seu médico controlará o seu aneurisma com ecografias periódicas, geralmente a cada 6 a 12 meses e encoraja-o a informá-lo imediatamente caso comece a sentir uma rigidez abdominal ou dor nas costas – potenciais sinais de uma dissecação ou rutura.
  • Aneurisma médio. Um aneurisma médio mede entre 4 e 5,6 cm. São menos claros os riscos de cirurgia por oposição a esperar no caso de um aneurisma abdominal da aorta de tamanho médio. Deverá discutir os benefícios e riscos de esperar por oposição a uma cirurgia e tomar uma decisão em conjunto com o seu médico.
  • Aneurisma de grandes dimensões, de desenvolvimento rápido ou com hemorragia. Caso tenha um aneurisma de grandes dimensões (com mais de 5,6 cm) ou que esteja a desenvolver-se rapidamente (mais de 0,5 cm ao longo de seis meses), provavelmente necessita de uma cirurgia. Além disso, um aneurisma com uma hemorragia, delicado ou doloroso requer tratamento. Há dois tipos de cirurgias para aneurismas da aorta abdominal.

Cirurgia abdominal aberta corrigir um aneurisma da aorta abdominal envolve remover a secção danificada da aorta e substituí-la por um tubo sintético (enxerto), que é suturado no sítio através de uma abordagem abdominal aberta. Através deste tipo de cirurgia, provavelmente demorará vários meses até recuperar completamente.

A cirurgia endovascular é um procedimento menos evasivo por vezes utilizado para reparar um aneurisma.

Os médicos colocam um enxerto sintético na extremidade de um tubo fino (cateter) que é introduzido por uma artéria na sua perna e conduzido no sentido ascendente até à aorta.

O enxerto — um tubo de tecido coberto por um apoio de malha metálica — é colocado no local do aneurisma e fixado com gancho ou pinos pequenos. O enxerto reforça a secção debilitada da aorta para prevenir a rutura do aneurisma.

O tempo de recuperação para as pessoas submetidas a uma cirurgia endovascular é menor do que para as pessoas que são submetidas a uma cirurgia abdominal aberta — cerca de uma ou duas semanas em comparação com as seis semanas para a cirurgia aberta.

As opções para o tratamento do seu aneurisma dependerão de diversos fatores, incluindo a localização do aneurisma, a sua idade, função renal e outras condições que podem aumentar o risco para uma cirurgia ou correção endovascular.

Источник: https://www.sanfil.pt/aneurisma-da-aorta-abdominal/

ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL

ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL

Aneurisma é uma dilatação anormal e localizada que habitualmente surge devido a uma fragilidade na parede de um vaso sanguíneo. Para que um aneurisma surja, o vaso sanguíneo precisa estar enfraquecido, seja por uma condição hereditária ou por uma doença adquirida ao longo da vida.

Os aneurismas surgem com mais frequência nas artérias, pois esses vasos lidam com pressões sanguíneas muito mais elevadas que as veias. As artérias precisam ter paredes fortes e elásticas para não cederem, mesmo quando há um grande aumento da pressão arterial.

Se um segmento de uma artéria por algum motivo torna-se mais fraco, a pressão do sangue irá lentamente causar uma dilatação nesta região.

Com o passar dos anos, a dilatação vai ficando cada vez maior e a parede da artéria cada vez mais fraca, até o ponto em que a pressão interna vence a resistência da parede e a artéria rompe-se, provocando hemorragia interna.

Como as artérias transportam grandes volumes de sangue sob elevada pressão, o rompimento de um desses vasos costuma causar intensa hemorragia e elevado risco de morte. Quanto maior for o diâmetro de um aneurisma, maior será o risco do mesmo se romper. A existência de um aneurisma, portanto, é um quadro grave e potencialmente fatal.

Neste artigo vamos falar exclusivamente dos aneurismas que surgem na aorta abdominal, se você procura mais informações sobre aneurismas, acesse os seguintes textos:

  • O que é um aneurisma.
  • Aneurisma Cerebral – Sintomas, Causas e Tratamento.

O que é a artéria aorta?

A artéria aorta é a maior e mais calibrosa artéria do nosso corpo. A aorta nasce na saída do ventrículo esquerdo, o que significa dizer que ela é o primeiro vaso sanguíneo a receber o sangue bombeado pelo coração. Todo o sangue do organismo obrigatoriamente passa pela artéria aorta antes de ser distribuído para o resto do corpo.

Logo após sair do coração, a aorta faz uma grande curva, chamada de arco aórtico, e libera seus primeiros ramos, que irão levar sangue para os membros superiores e para a cabeça. A aorta segue, então, em direção à parte inferior do corpo, atravessando todo o tórax e abdômen.

Conforme a aorta vai descendo, seu diâmetro torna-se progressivamente menor. Ela nasce na saída do ventrículo esquerdo com cerca de 3,5 cm de diâmetro, diminui para 2,5 cm após o fim do arco aórtico e apresenta cerca de 1,5 cm no segmento já abaixo dos rins.

Conforme a aorta vai descendo, dezenas de ramos vão sendo sendo lançados, de modo a nutrir tecidos e órgãos ao longo do corpo, incluindo intestinos, estômago, baço, fígado, rins, etc. Na parte mais baixa do abdômen, a artéria aórtica bifurca-se, transformando-se nas artérias ilíacas, responsáveis pela irrigação dos membros inferiores e da pelve.

Tecnicamente, a aorta abdominal inicia-se logo após a passagem da artéria pelo diafragma, estrutura que separa fisicamente o tórax do abdômen.

Aneurisma da aorta abdominal

Aneurismas que surgem na porção torácica da aorta são chamados de aneurisma da aorta torácica enquanto os aneurismas que surgem na porção abdominal são chamados de aneurismas da aorta abdominal.

Um aneurisma aórtico é definido como uma dilatação segmentar da aorta que é 50% maior que o diâmetro normal. Na maioria dos adultos, a aorta abdominal apresenta um diâmetro de aproximadamente 2,0 cm. Sendo assim, consideramos a existência de um aneurisma sempre que algum segmento dessa artéria apresente uma dilação maior que 3,0 cm.

Risco de rompimento de um aneurisma da aorta abdominal

É importe realçar que nem todo aneurisma da aorta abdominal encontra-se sob risco de rompimento a curto prazo. Dois fatores devem ser sempre observados quando se avalia o risco de rotura de um aneurisma: tamanho e velocidade de crescimento.

Estudos mostram que aneurismas com diâmetro menor que 4 cm não apresentam risco de ruptura e aqueles com até 5,5 cm apresentam risco muito baixo. As chances de um aneurisma de aorta abdominal se romper no intervalo de um ano são as seguintes:

  • 0% para aneurismas menores que 4,0 cm de diâmetro.
  • 0,5 a 5% para aneurismas entre 4,0-4,9 cm de diâmetro.
  • 3 a 15% para aneurismas entre 5,0-5,9 cm de diâmetro.
  • 10 a 20% para aneurismas entre 6,0-6,9 cm de diâmetro.
  • 20 a 40% para aneurismas entre 7,0-7,9 cm de diâmetro.
  • 30 a 50% para aneurismas a partir de 8,0 cm de diâmetro.

Em relação à velocidade de expansão, sabemos que aqueles que crescem cerca de 0,5 cm em seis meses também apresentam elevado risco de rompimento.

Fatores de risco

A maioria dos aneurismas da aorta surge na aorta abdominal. Destes, mais de 90% se localizam abaixo no nível das artérias renais.

O principal fator de risco para um aneurisma de aorta é a idade do paciente, pois essas lesões são incomuns em pessoas com menos de 50 anos.

Sua incidência começa a subir a partir do 60 anos, atingido pico nos indivíduos entre 75 e 80 anos de idade. Cerca de 10% da população acima dos 60 anos possui um aneurisma da aorta abdominal.

Felizmente, a maioria são pequenos e com baixo risco de rotura.

Além da idade, há outros fatores que aumentam o risco de uma pessoa desenvolver um aneurisma da aorta abdominal. São eles:

  • Cigarro: fumar aumenta significativamente o risco. Mais de 75% dos aneurismas de grande porte ocorrem em fumantes. O risco está diretamente relacionado à quantidade e ao tempo de tabagismo.
  • Sexo: homens apresentam de quatro a seis vezes mais riscos de desenvolverem aneurismas da aorta que as mulheres.
  • Etnia: caucasianos (brancos) são o grupo com o risco mais elevado.
  • História familiar:  há uma clara associação genética no risco de desenvolver um aneurisma da aorta. Quem tem um familiar próximo com história de aneurisma da aorta abdominal apresenta maior risco de também tê-lo.
  • Obesidade: pacientes obesos apresentam maior risco.
  • Aneurismas em outras artérias: pacientes que possuem aneurismas em outras artérias do corpo, principalmente nos membros inferiores, apresentam elevado risco de também.

Algumas doenças também estão mais relacionadas, entre elas podemos citar:

Todos os aneurismas da aorta abdominal precisam ser operados?

Não. A reparação cirúrgica de um aneurisma é uma complexa cirurgia e traz riscos. A cirurgia está indicada nos casos em que o risco de rotura a curto prazo é maior que os risco da cirurgia em si.

Sendo assim, a cirurgia geralmente não é aconselhável se você tiver um aneurisma menor que 4,0 cm de diâmetro.

Nestes casos, o paciente deve apenas realizar ultrassonografias abdominais regularmente (a cada 6 meses) para confirmar que o aneurisma encontra-se estável, sem crescimento e sem risco de rotura a curto prazo.

Pacientes com um aneurisma entre 4,0 e 5,5 cm devem discutir suas opções com seu médico. A melhor solução irá depender do risco cirúrgico do paciente e do risco de rotura a curto prazo do aneurisma. Nestes casos, as características que influenciam na decisão incluem:

  • O tamanho e a velocidade de crescimento do aneurisma.
  • Presença de dor abdominal.
  • A existência de outros aneurismas.
  • Risco cirúrgico. O paciente com múltiplas doenças, cujo risco cirúrgico é elevado, deve preferencialmente evitar a cirurgia.

Cirurgia

Nos pacientes em que a cirurgia está indicada, existem duas opções.

A cirurgia tradicional consiste na remoção de todo o segmento aneurismático e substituição por um enxerto (prótese). Apesar dessa operação ser de grande porte, ela costuma ser bem sucedida na maioria dos casos. O enxerto geralmente funciona bem para o resto da vida do paciente.

A cirurgia tradicional leva de 4 a 6 horas e é feita sob anestesia geral. Após a cirurgia, o paciente é levado para a unidade de terapia intensiva. Os pacientes geralmente são capazes de ter alta hospitalar depois de quatro a sete dias, e podem retomar suas atividades normais em cerca de quatro a seis semanas.

Um procedimento cirúrgico mais recente e menos invasivo, chamado reparação endovascular tem apresentado sucesso na reparação dos aneurismas da aorta. Nessa técnica, um enxerto (stent) é levado até o local do aneurisma através da cateterização de uma artéria dos membros inferiores, geralmente a artéria femural. A técnica é semelhante à implantação de stents no cateterismo cardíaco.

A técnica endovascular é mais segura, pois não é propriamente uma cirurgia. O procedimento costuma durar de 1 a 3 horas, e os pacientes habitualmente deixam o hospital dentro de 1 ou 2 dias. As atividades normais podem ser retomadas de 2 a 6 semanas.

Mas nem tudo é perfeito. Há menos experiência, menos dados sobre resultados a longo prazo e a taxa de sucesso da técnica endovascular não é tão alta quando a da cirurgia aberta. Além disso, com o tempo, o stent pode sair do lugar, obrigando a realização de um novo procedimento.

Atualmente, a reparação endovascular com stent tem sido mais indicada em pacientes idosos, com múltiplas condições médicas que aumentam o risco da cirurgia convencional.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/cardiologia/aneurisma-da-aorta-abdominal/

Aneurisma da aorta abdominal: sintomas, tratamentos e causas

ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL

Um aneurisma da aorta abdominal é uma dilatação (protuberância) dessa artéria na altura do abdômen.

A aorta é a maior artéria do corpo humano. Ela leva sangue do coração para todos os órgãos, passando pelo tórax e abdômen.

É uma doença grave, com altas taxas de mortalidade, mas com grandes chances de cura quando diagnosticado precocemente.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cerca de 4% da população sofre com o problema e, em pessoas com mais de 60 anos, o percentual aumenta para 6%. Algumas vezes pode se apresentar em faixas mais jovens da população, mas é raro.

Causas

Os dados são estatísticos e tudo indica que se deve à aterosclerose, que é caracterizada pela presença de placas de gordura nas artérias. Entretanto, estudos recentes mostram sua relação com uma alteração na estrutura da parede da aorta.

Se não for tratado, o aneurisma cresce, tornando as paredes da artéria mais frágeis, até que se rompam. A ruptura de um aneurisma da aorta abdominal pode levar à morte.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores de risco

Os fatores de risco para o desenvolvimento de um aneurisma da aorta abdominal incluem:

Sintomas de Aneurisma da aorta abdominal

Os aneurismas desenvolvem-se lentamente, geralmente ao longo de muitos anos e mais da metade dos doentes não apresenta sintomas. Pessoas diagnosticadas com essa condição relatam sinais de pulsação abdominal, dor na região lombar ou sensação de peso abaixo das costelas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O mecanismo que leva à morte é uma rotura ou um buraco que se abre na parede da aorta abdominal, com consequente hemorragia vultosa, que pode matar em minutos. O paciente sangra, leva um choque chamado de hipovolêmico e vai a óbito.

Muitas vezes, o paciente não tem tempo hábil para chegar ao hospital. Então, o rompimento do aneurisma da aorta abdominal é um evento dramático. É o problema vascular de maior mortalidade que temos.

Buscando ajuda médica

O melhor tratamento é a prevenção, portanto, quem possui um dos fatores de risco ou mais deve procurar um angiologista ou cirurgião vascular. O diagnóstico é realizado através de exame clínico, ultrassonografia com Doppler e angiotomografia do abdômen e pelve. Ou seja, exames acessíveis e pouco invasivos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em casos de ruptura do aneurisma, a taxa de morte é de 90%. Metade dos pacientes com rotura não chega com vida ao hospital. Atendimento médico e imediato é essencial nesses casos.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar um aneurisma da aorta abdominal são:

  • Angiologista
  • Cirurgião Vascular
  • Clínico Geral

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Os sintomas são ocasionais ou frequentes?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Você sente dores? Qual a intensidade?

Diagnóstico de Aneurisma da aorta abdominal

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

Normalmente, o aneurisma da aorta abdominal é detectado por meio de exames de rotina. Em outros casos, durante a consulta médica, o especialista pode solicitar alguns exames para ter certeza da origem dos sintomas. Estes incluem:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Ultrassonografia abdominal com Doppler
  • Angiotomografia do abdômen e da pelve
  • Ressonância magnética.
  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Os sintomas são ocasionais ou frequentes?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Você sente dores? Qual a intensidade?

Tratamento de Aneurisma da aorta abdominal

Há duas formas de tratar. Uma é o tratamento clínico, quando o aneurisma é fusiforme, ou seja, ambas as paredes da aorta estão dilatadas, mas é pequeno. Esse aneurisma requer acompanhamento e controle dos fatores de risco. A cada seis meses ou anualmente, o médico avalia a sua evolução.

A outra forma é cirúrgica. Neste caso, o paciente tem um aneurisma fusiforme maior, com diâmetros considerados perigosos pela literatura médica. Nestes casos, a cirurgia pode ser feita de duas maneiras: através de uma técnica convencional, com abertura da cavidade abdominal, ou de uma técnica minimamente invasiva chamada de cirurgia endovascular.

Aqui, o acesso é pelas artérias femorais localizadas na virilha, com implantação de uma endoprótese, que evita que o sangue continue empurrando a parede já dilatada da aorta. Tem grandes vantagens, como diminuição do tempo de internação e menor incidência de complicações nos primeiros 30 dias.

É uma técnica que veio revolucionar o tratamento do aneurisma da aorta abdominal.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Se o paciente apresentar hemorragia interna originária de um aneurisma da aorta abdominal, então, ele será submetido a uma cirurgia para reparar o dano.

Convivendo/ Prognóstico

O uso de medicamentos vendidos sem necessidade de prescrição médica em farmácias ajuda no tratamento e na recuperação de um aneurisma da aorta abdominal. O tratamento recomendado pelo médico é essencial para o paciente, a fim de evitar e prevenir uma ruptura do aneurisma.

Complicações possíveis

Quando um aneurisma da aorta abdominal se rompe, trata-se de uma emergência médica. A dissecção aórtica ocorre quando a parte mais profunda da artéria se abre e o sangue vaza por meio da parede da artéria. Isso geralmente ocorre na aorta dentro do tórax.

Outras complicações decorrentes deste problema incluem:

Aneurisma da aorta abdominal tem cura?

O resultado do tratamento geralmente é bom, especialmente em caso de cirurgia. No entanto, quando ocorre a ruptura do aneurisma, o caso é muito mais grave. Menos de 10% dos pacientes sobrevivem a um aneurisma da aorta abdominal rompido.

Para reduzir o risco de desenvolver aneurismas da aorta abdominal, mantenha uma dieta saudável para o coração, exercite-se, pare de fumar e reduza a tensão do dia a dia. Controle também seu colesterol por meio de medicamentos que o médico poderá lhe recomendar. Além disso, se lhe forem receitados medicamentos para pressão arterial ou diabetes, siga a orientação médica corretamente.

Referências

Revisado por: Dr. Julio Peclat, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ) – CRM: 609748

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/aneurisma-da-aorta-abdominal

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: