ASSADURAS NO BEBÊ (dermatite da fralda)

Contents
  1. Dermatite de fralda
  2. Quais os sintomas da dermatite de fralda?
  3. Porque motivo os bebés têm eritemas da fralda ou assaduras?
  4. Como se pode prevenir e tratar assaduras?
  5. Algumas medidas que devemos adoptar para prevenir o eritema das fraldas são:
  6. Quando se deve contatar um médico no caso de dermatite da fralda?
  7. É por minha culpa se o meu bebé tiver erupção de fralda?
  8. Em que idade a criança é mais propensa a desenvolver dermatite?
  9. Qual a vantagem do aleitamento materno na dermatite da fralda?
  10. Há alguma relação entre a erupção dos dentes e dermatite da área da fralda?
  11. Há uma relação da dermatite com o design e qualidade das fraldas?
  12. Qual o impacto das fraldas descartáveis nas assaduras?
  13. Rabinho assado: Causas e dicas para aliviar a assadura da fralda
  14. 5 Principais causas do rabinho assado
  15. 1. Fralda suja aumenta a probabilidade de assaduras
  16. 2. Amamentação e novos alimentos podem provocar dermatite da fralda
  17. 3. Alguns medicamentos podem originar assadura da fralda
  18. 4. Problemas com os produtos de higiene
  19. 5. Fralda apertada
  20. 8 Gestos para cuidar do rabinho do seu bebé
  21. 1. Mudança frequente da fralda
  22. 2. Lavar o rabinho do bebé com frequência
  23. 3. Escolha de toalhetes adequados
  24. 4. Limpeza com suavidade
  25. 5. Aplicar creme ou pomada
  26. 6. Evitar o uso de pó de talco
  27. 7. Deixar a pele respirar
  28. 8. Cuidados com a higiene
  29. Subscreva o nosso blog!
  30. Dermatite de fralda: sintomas, tratamentos e causas
  31. Causas
  32. Fatores de risco
  33. Sintomas de Dermatite de fralda
  34. Buscando ajuda médica
  35. Na consulta médica
  36. Diagnóstico de Dermatite de fralda
  37. Tratamento de Dermatite de fralda
  38. Convivendo/ Prognóstico
  39. Referências

Dermatite de fralda

ASSADURAS NO BEBÊ (dermatite da fralda)

2019/12/09 15:26:52 | Catarina Vilela

A dermatite das fraldas, também designada por assaduras e erupção da fralda, é a erupção cutânea mais comum em bebés e crianças pequenas.

Ocorre tipicamente em superfícies convexas da pele que estão em contato direto com a fralda, incluindo as nádegas, o abdómen inferior, os genitais e parte superior das coxas.

A fralda aumenta a temperatura e a humidade local e, consequentemente, a pele fica suscetível ao atrito com a fralda. Há vários fatores desencadeantes. O melhor é a prevenção, por exemplo com loções à base de óxido de zinco

Quais os sintomas da dermatite de fralda?

Dermatite de fralda tem os seguintes sintomas:

  • Pele vermelha (vermelhidão).
  • Pele irritada, que podem ficar quente.
  • Podem surgir pontinhos vermelhos ou com pus e exsudação (humidade).
  • Mudanças na disposição do bebé: Fica mais desconfortável do que o habitual e chora quando a área de fralda é lavada.

Porque motivo os bebés têm eritemas da fralda ou assaduras?

As dermatites da fralda podem ocorrer:

  • se o bebé tiver uma pele muito sensível.
  • quando a fralda húmida de urina e dejeções permanece em contato com a pele por um longo período de tempo, principalmente se o bebé se encontrar sentado por longos períodos. Os principais agentes irritantes que causam a dermatite da fralda são as lipases e as proteases das fezes.
  • devido a uma situação de diarreia, pelos agentes digestivos na dejeção. O bebé pode ficar com vermelhidão que não desaparece e pequenos inchaços vermelhos, descascando a pele e até sangrando.
  • dermatite alérgica de contato ao material plástico da fralda (muito raro).
  • por reação alérgica aos produtos sintéticos que compõem a fralda.
  • quando o bebé está a fazer antibióticos (fica suscetível ao aparecimento de microrganismos que podem infetar a pele).
  • quando o bebé começa a comer alimentos sólidos, o que provoca mudanças nas características e acidez do cocó.
  • por alergia aos produtos de lavagem da roupa dos bebés ou das fraldas, quando se usam fraldas não descartáveis, ou seja, as fraldas de pano. Deve usar-se um detergente suave e pouco concentrado para que ocorra um enxaguamento correto.
  • se o bebé (ou a mãe que amamenta) está a tomar antibióticos.
  • de uma forma mais exacerbada pelo uso de fraldas, no caso da psoríase, dermatite atópica, dermatite seborréica, miliar, candidíase, dermatite alérgica de contato. E aqueles que estão presentes na região, mas não estão relacionados ao uso de fralda como a acrodermatite enteropática, histiocitose de células de Langerhans, granuloma glúteo pediátrico, dermatite estreptocócica perianal, impetigo bolhoso, escabiose, sífilis congênita, SIDA.
  • e serem complicadas por infecções fúngicas, habitualmente candidíase.
  • quando há infeção provocada pelas bactérias “más”, de outros locais da pele ou mucosas, transportadas pelas mãos mal lavadas durante a mudança da fralda.
  • A urina (amónia), por si só, não é um fator desencadeante.

Assim, o diagnóstico da dermatite da área da fralda pode não ser específico, mas sim um diagnóstico de localização, que engloba um grupo de dermatoses e resulta da interação de vários fatores.

Como se pode prevenir e tratar assaduras?

Sendo a dermatite atópica caracterizada por uma inflamação da pele o seu tratamento é inteiramente focado na redução do prurido (comichão), na reparação da pele e na redução da inflamação sempre que necessário.

O tratamento é simples e depende do tipo e da gravidade da dermatite.

Basicamente deve manter-se a área limpa e seca, minimizando o contacto com os factores agressivos e irritantes e não expondo a irritantes desnecessários.

Algumas medidas que devemos adoptar para prevenir o eritema das fraldas são:

  • Pele seca: Manter a pele do bebé limpa e seca.
  • Mudar a fralda: Mudar com frequência a fralda, especialmente se tiver tido uma dejeção, para evitar a irritação da pele em contato com fezes e urina. De uma modo genérico a fralda deve ser mudada seis a oito vezes por dia.
  • Limpeza: deve ser suave com água tépida ou com óleo dispersível na água ou com vaselina líquida. Usar sabonete, dentro do possível, no máximo 2x/dia. Este deverá ser suave sem perfume, com pH neutro ou ligeiramente ácido.
  • Vermelhidão: Se se verificar vermelhidão, aplicar uma pomada como óxido de zinco ou vaselina, que pode servir como uma barreira para evitar que a fralda adira na pele. E não é necessário limpar esta camada protetora em cada troca de fralda. Isto no caso de haver já vermelhidão.
  • Fraldas super absorventes: para reter a humidade, mantendo-a fora do contato com a pele do bebé. Atenção que uma boa fralda absorvente não é necessariamente uma fralda de uma marca cara ou conhecida!
  • Evitar o atrito: usando, por exemplo o tamanho adequado da fralda. Não tenham medo das alergias às fraldas, como explicado anteriormente, os eritemas raramente são causados por verdadeiras alergias à fralda.
  • Não apertar demasiado a fralda. Além de ser desconfortável, não favorece a circulação de ar dentro da fralda.
  • Sem fralda: Procurar não usar fralda, tanto quanto possível, para facilitar o arejamento.
  • Toalhitas: O uso de toalhetes não é contraindicado, no entanto podem ser irritantes e conter conservantes capazes de causar sensibilização de contacto. No caso de usar toalhitas, devem ser sem perfume e sem álcool. As toalhitas da marca Waterwipes são 99,9% de água e uma gota de extrato de fruta (toranja). Não tem qualquer produto químico agressivo, nem álcool, nem perfumes. São toalhitas puras, macias e seguras para a pele mais delicada do bebé.
  • Compressas: Se uma erupção cutânea não desaparecer, outra opção é usar compressas TNT (tecido não tecido) ou um pano húmido com água morna.
  • Secar bem! Boa secagem, sem friccionar em qualquer das opções.
  • Anter de ir para a cama: Nas crianças maiores, mude sempre a fralda antes de ir para a cama.
  • Limpo e seco: Antes de colocar uma nova fralda, o rabinho do bebé deve estar completamente limpo e seco.
  • Limpar bem os cremes: Cada vez que fizer uma nova aplicação de creme, certifique-se de que retira com óleo ou água mineral, eventuais vestígios do creme colocado anteriormente.
  • Dedo limpo: se necessitar de aplicar mais creme utilize um dedo limpo para o retirar da embalagem.
  • Creme barreira: Utilize um creme barreira à menor irritação da pele nesta zona. A camada deve ser fina, a cada muda de fralda.
  • Lavar as mãos: Lave as mãos após a mudança da fralda, e se necessário, limpe as do bebé também.
  • Pó de talco, nunca! Evitar o uso de pó de talco (ainda que as nossas avozinhas nos digam que é a melhor forma de prevenir os eritemas das fraldas) pelo risco de aspiração e problemas pulmonares
  • Profissional de saúde: Se não houver melhoria,consultar um profissional de saúde. Poderá eventualmente ser necessário outro tipo de cremes como pomadas com cortisona, se existir uma reacção inflamatória extensa ou pomadas com antifúngico se as lesões sugerirem candidiase.
  • Candidíase: Se a dermatite da fralda se mantiver por mais de três dias, a pele estiver muito encarnada e com manchas arredondadas pode existir uma Candidíase. Esta é causada por um fungo que existe no intestino sem provocar doença, mas na presença de dermatite da fralda pode provocar infeção.
  • Cremes esteróides: Não se deve usar cremes esteróides (com hidrocortisona, por exemplo) sem prescrição médica. Os corticóides muito potentes são contraindicados por risco de atrofia e estrias, risco de absorção sistémica e porque a oclusão aumenta a potência dos mesmos.

Quando se deve contatar um médico no caso de dermatite da fralda?

  • Se, apesar de todos os cuidados, após cerca de uma semana, a inflamação não passar e/ou se agravar;
  • Se existirem bolhas, feridas, pus, lesões com sangue;
  • Se existirem lesões noutras áreas da pele que não esteja em contacto com a fralda;
  • Se a criança tiver febre, diarreia, prostração, ou chorar intensamente quando urina ou defeca;
  • Se a criança tiver doença crónica, nomeadamente doenças do aparelho digestivo ou do sistema imunitário.

É por minha culpa se o meu bebé tiver erupção de fralda?

“Não se sinta mal se o seu bebé tiver erupção de fralda”, diz Ellen Schumann, MD, pediatra em Weston, WI. A maioria dos bebés tem, e alguns o terão muitas vezes. “Não é um reflexo de suas habilidades de pais. Na maioria dos casos, não é sua culpa.”

Em que idade a criança é mais propensa a desenvolver dermatite?

O período crítico situa-se entre o primeiro e o sexo mês de via, sendo nesta fase que são requeridos cuidados redobrados.

Qual a vantagem do aleitamento materno na dermatite da fralda?

O aleitamento materno é vantajoso na prevenção da dermatite das fraldas porque a urina e fezes dos bebés que são amamentados é menos irritante.

Há alguma relação entre a erupção dos dentes e dermatite da área da fralda?

Estes dois eventos acontecem sensivelmente na mesma altura mas não está provado que estejam relacionados.

Há uma relação da dermatite com o design e qualidade das fraldas?

Nos últimos anos o design das fraldas teve um grande avanço tecnológico, todavia a dermatite da pele leva a aproximadamente 20% de todas as consultas na área dermatologia da infância.

Nos últimos anos, tem havido uma diminuição na frequência e gravidade da dermatite das fraldas, especialmente devido à melhor qualidade do material utilizado para fabricá-las, o que contribuiu significativamente para o avanço dos cuidados de higiene.

As fraldas Bambo Naturesão dermatologicamente testadas.

Qual o impacto das fraldas descartáveis nas assaduras?

As fraldas descartáveis  possuem três camadas:

  • uma interior que tem função de filtro,
  • uma intermediária com capacidade de absorção de líquidos,
  • uma exterior impermeável.

A última camada é de extrema importância na impermeabilização da fralda, porém previne a perspiração, o que aumenta a temperatura e humidade. Estes fatores são favoráveis à dermatite. As fraldas modernas são mais oclusivas, sendo por esse motivo, responsáveis pelos casos raros de dermatite de contacto alérgica.

A fralda ideal deveria ter boa capacidade de conter água, permitir bom arejamento (menos oclusiva) e mudar de cor imediatamente após a criança urinar. Essa fralda ainda não existe.

A Enfermeira, Catarina Vilela

Источник: https://mipmed.com/dermatite-fralda-vulgo-assadura

Rabinho assado: Causas e dicas para aliviar a assadura da fralda

ASSADURAS NO BEBÊ (dermatite da fralda)

O rabinho assado é um problema de pele muito comum, que afeta principalmente as crianças ao longo do primeiro ano de vida. Saiba, no entanto, que existem gestos simples para ajudar a manter a suavidade e a saúde da pele do rabo do seu bebé.

5 Principais causas do rabinho assado

Muitas pessoas pensam que a assadura da fralda é um fenómeno que advém da negligência dos pais com a higiene do bebé. Contudo, isto não é necessariamente verdade. Existem várias causas que originam este problema tão comum durante o primeiro ano de vida.

1. Fralda suja aumenta a probabilidade de assaduras

O contacto excessivo da pele do bebé com o xixi e o cocó potencia a assadura da fralda. No caso da urina, esta liberta amónia.

A acumulação desta substância química na fralda vai resultar na destruição da barreira natural da pele, o que acaba por causar irritação e as famosas assaduras da fralda.

Além disso, as enzimas que compõem as fezes têm igualmente um efeito agressivo na pele dos bebés, sobretudo quando se trata de diarreia.

Assim, manter o bebé durante longos períodos de tempo com a fralda molhada ou suja aumenta a probabilidade de ficar com o rabinho assado e de agravar a inflamação.

2. Amamentação e novos alimentos podem provocar dermatite da fralda

O surgimento do rabinho assado também pode estar relacionado com a dieta do bebé. Alguns alimentos ácidos que sejam ingeridos pela mãe, como por exemplo o tomate, podem provocar dermatite da fralda.

Ademais, a diversificação da alimentação entre os 4 e os 6 meses provoca uma alteração da composição das fezes. Ao torná-las mais nocivas para a pele do rabinho, pode aumentar a probabilidade de desenvolver dermatite.

3. Alguns medicamentos podem originar assadura da fralda

Medicamentos – como por exemplo os antibióticos – ingeridos pelo bebé ou pela mãe durante o período de amamentação podem provocar perturbações no equilíbrio da pele. Isto significa que esta se torna mais vulnerável a bactérias e fungos, que habitam nas zonas mais húmidas e quentes do rabinho. Esta situação pode provocar as assaduras, principalmente nas pregas.

4. Problemas com os produtos de higiene

A presença de alguns elementos demasiado ativos em produtos de higiene é responsável pelo rabinho assado nos bebés. Estes produtos, bem como algumas variedades de fraldas, podem provocar a irritação da pele.

5. Fralda apertada

Por fim, a opção por uma fralda abaixo do tamanho do seu bebé também pode provocar as assaduras. Devido ao atrito, podem surgir as famosas irritações na pele.

8 Gestos para cuidar do rabinho do seu bebé

Apesar de o rabinho assado ser apenas uma situação passageira, pode tornar-se mais grave caso não sejam tomadas medidas adequadas. Existem alguns cuidados simples que podem ajudar a prevenir e tratar este problema.

1. Mudança frequente da fralda

Evitar que o bebé esteja em contacto prolongado com urina e fezes pode ser importante para a prevenção da dermatite da fralda. Além disso, existem hoje opções de fraldas, como as Bambo Nature, que foram testadas para não causarem irritação na pele.

2. Lavar o rabinho do bebé com frequência

A lavagem com recurso a água tépida em cada mudança de fralda é outra das formas de prevenir o rabinho assado. Permite hidratar e limpar quaisquer substâncias que possam irritar a pele do bebé.

3. Escolha de toalhetes adequados

De forma a proteger o seu bebé de possíveis assaduras, deve optar por opções que protejam a sua pele. Por exemplo, os toalhetes WaterWipes são constituídos por 99,9% de água e 0,1% de extrato de fruta.

4. Limpeza com suavidade

Utilize uma toalha macia para limpar a pele do seu bebé. Tenha atenção para não esfregar, mas sim aplicar toque suaves, focando-se em zonas mais húmidas, como as pregas.

5. Aplicar creme ou pomada

Hoje em dia, existem inúmeras opções para completar a proteção do seu bebé após a mudança de fralda. O Halibut é uma das mais populares na hora de prevenir a assadura da fralda.

6. Evitar o uso de pó de talco

Noutros tempos, esta era uma solução muito utilizada. No entanto, hoje em dia, está comprovado que o pó de talco pode potenciar o aparecimento do rabinho assado.

7. Deixar a pele respirar

Sempre que possível, deixe o seu bebé sem fralda. Assim, a pele do rabinho poderá respirar, reduzindo a probabilidade de irritações.

8. Cuidados com a higiene

Após a mudança da fralda, deve lavar bem as mãos. Este hábito permite evitar a transmissão de bactérias ou fungos para outras regiões do corpo do seu bebé.

Na Farmácia Nova da Maia, queremos ajudar todos os pais a garantir a proteção dos seus bebés. Para isso, temos um leque diversificado de produtos para prevenir o surgimento do rabinho assado ou ajudar a aliviá-lo. Consulte aqui a nossa gama de produtos.

Deseja saber mais sobre este problema que afeta grande parte dos bebés? Descarregue gratuitamente o ebook que preparamos para si. Conheça os principais motivos da assadura da fralda, cuidados a ter e formas de prevenção.

Download ebook

Subscreva o nosso blog!

Источник: https://blog.farmacianovadamaia.pt/mama-e-bebe/rabinho-assado-causas-dicas-aliviar/

Dermatite de fralda: sintomas, tratamentos e causas

ASSADURAS NO BEBÊ (dermatite da fralda)

A dermatite de fralda ou assadura é uma inflamação da pele que ocorre devido ao contato com urina ou fezes. É muito comum em crianças, especialmente menores de dois anos de idade, grupo que mais usa fraldas. A dermatite de fralda provoca uma sensação de queimação na pele e vermelhidão nas áreas que entraram em contato com a fralda.

Causas

A dermatite das fraldas pode ser de origem irritativa, ou seja, causadas por fatores que irritam a pele, como fezes e urina por um tempo prolongado. Quando o bebê evacua frequentemente, as chances dele desenvolver a dermatite de fralda é maior porque as fezes são mais irritantes do que a urina;

A mistura de fezes e urina faz com que o pH da região aumente e haja ativação de enzimas das fezes, chamadas lipases e proteases.

Essas substâncias, quando ativadas, causam a irritação da pele e a deixam mais propensa á infecção por um fungo, denominado cândida, que pode aparecer através das fezes, principalmente em crianças com diarreia.

Esse fungo penetra na pele, causa coceira, ulcerações na pele e ardor intenso, incomodando muito o bebê.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Pode haver também irritação por algum produto químico, como resíduos de sabonetes ou de lenços umedecidos, ou até mesmo pelos produtos de higiene da roupa, como amaciantes e sabões.

Por outro lado, pode haver um agravamento de doenças já existentes, pelas fraldas, como a dermatite seborreica, psoríase, eczemas.

Mudanças na alimentação do bebê, como a introdução de alimentos sólidos, podem levar a alterações na composição das fezes ou em sua frequência, podendo desencadear a dermatite das fraldas;

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Atrito ou fricção da fralda ou da roupa com a pele, ou mesmo fraldas muito apertadas, podem deixar a pele mais sensível e mais propensa á dermatite das fraldas.

Doenças como a acrodermatite enteropática, que é causada por deficiência de zinco, pode ocorrer nesta área e pode ser diagnosticada por um dermatologista ou pediatra.

Fatores de risco

A dermatite das fraldas tem incidência igual entre os sexos e tem seu pico entre 6-9 meses. Bebês que amamentam correm menos risco de desenvolver o problema por causa da acidez reduzida em suas dietas.

Todos os bebês que usar fraldas podem desenvolver o problema. O risco de ter a dermatite de fralda é maior entre três meses e um ano.

Com as fraldas mais modernas, descartáveis, com géis superabsorventes, a incidência de dermatite das fraldas diminuiu muito.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de Dermatite de fralda

Dermatite de fralda tem os seguintes sintomas:

  • Pele vermelha e irritada e que podem ficar quente
  • Mudanças na disposição do bebê, ele fica mais desconfortável do que o habitual e chora quando a área de fralda é lavada.

Buscando ajuda médica

Entre em contato com o dermatologista se a pele do bebê no local onde fica a fralda estiver com a coloração vermelha.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma dermatite da fralda são:

  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Dermatologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando você notou os primeiros sintomas no seu bebê?
  • Você suspeita de algo que pode ter ocasionado a dermatite de fralda?
  • Qual o tipo de fralda que seu bebê usa?
  • Com que frequência você ou o cuidador trocam a fralda do seu bebê?
  • Quais produtos você utiliza para limpar seu bebê?
  • Quais produtos você usa para lavar a roupa do seu bebê?
  • Você amamenta?
  • Você já introduziu alimentos sólidos na dieta do seu bebê?
  • Você já tentou algum tratamento para o problema do seu bebê? Se sim, qual?
  • Algum tratamento ajudou?
  • Seu bebê apresentou algum outro problema de saúde?
  • Seu bebê toma ou tomou alguma medicação recentemente?

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para dermatite de fralda, algumas perguntas básicas incluem:

  • Qual é a causa mais provável do problema do meu filho?
  • Existe alguma outra causa possível?
  • O que eu posso fazer para ajudar na recuperação da pele do meu bebê?
  • Quais pomadas ou cremes podem ser utilizados?
  • Existe algum outro tratamento que você sugere?
  • Existe algum produto que eu deva evitar?
  • Devo evitar expor meu bebê a algum alimento?
  • Quando você acredita que os sintomas irão melhorar?

Diagnóstico de Dermatite de fralda

A dermatite de fralda é diagnosticada com base em seus sinais e sintomas. Contudo, é sempre interessante consultar um dermatologista, que pode fazer um diagnóstico mais preciso, uma vez que várias podem ser as causas e doenças envolvidas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de Dermatite de fralda

Para a dermatite das fraldas causada pelo contato com as fezes e urina, o melhor a fazer é a troca frequente das fraldas. A limpeza da região das fraldas deve ser preferencialmente com água corrente e sabonete neutro, sem deixar nenhum resíduo deste no final. A pele deve ser mantida seca e, se possível, ter alguns períodos de ventilação, sem as fraldas.

Devem ser evitados tratamentos caseiros, e o médico deve orientar bem como deve ser a limpeza da região, além de poder prescrever:

  • Cremes contendo calêndula, óxido de zinco e petrolato, para proteger a pele de agentes agressores
  • Creme antifúngico, caso a infecção seja causada por um fungo
  • Antibióticos tópicos ou orais, caso seu bebê tenha uma infecção bacteriana
  • Uso de cremes ou pomadas esteroides, em alguns casos, não fluorados, por poucos dias, para que não ocorram efeitos colaterais, como infecções e estrias.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo/ Prognóstico

A maneira mais efetiva de tratar a dermatite de fralda é manter a pele do bebê o mais seca e limpa possível. E a melhor maneira de fazer isso é trocando as fraldas frequentemente. Algumas pomadas podem ser utilizadas após a orientação médica.

Também é interessante aumentar o fluxo de ar na região da fralda. Algumas atitudes que ajudam a fazer isto são:

  • Deixar a criança sem fralda durante curtos períodos
  • Use fraldas de tamanho maior do que o habitual
  • Evite lenços umedecidos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

Clínica Mayo, organização sem fins lucrativos da área de serviços médicos e de pesquisas médico-hospitalares.

Revisado por: Natalia Cymrot, dermatologista da Sociedade Brasileira de dermatologia e especialista do Portal Minha Vida – CRM 84332/SP

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/dermatite-de-fralda

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: