Até que idade o homem é fértil?

Como a idade afeta a fertilidade masculina?

Até que idade o homem é fértil?

Todas as mulheres vivem, desde muito cedo, a realidade de verem suas taxas de fertilidade diminuírem, sobretudo após os 35 anos. Já para os homens, existe a ideia de que se mantêm igualmente férteis por toda a vida. Porém, isso é um mito. A fertilidade masculina também é afetada com o avançar da idade, mas de forma diferente.

Neste post, explicamos os fatores que influenciam nessa mudança, como verificar a fertilidade do parceiro e também como preservá-la ao máximo ao longo da vida. Quer saber mais? Está tudo abaixo!

A curva da fertilidade masculina

A fertilidade masculina está, culturalmente, relacionada à virilidade. O homem infértil é visto, muitas vezes, como “menos homem” — um preconceito que precisa ser frontalmente combatido. Essa visão estereotipada da masculinidade faz com que a fecundidade masculina acabe sendo negligenciada, e os mitos se multiplicam.

Ao contrário do que é comum pensar, os homens também vão perdendo a fertilidade com o passar dos anos. O que normalmente ocorre é que a qualidade e a quantidade de produção dos espermatozoides pode ser afetada por uma série de fatores.

Em alguns casos, os gametas produzidos têm sua motilidade comprometida. Assim, eles não conseguem se locomover até o meio externo para encontrar o óvulo, e a fertilização não é realizada.

A quantidade dos espermatozoides também diminui com o passar dos anos. Um artigo publicado por pesquisadores dos Estados Unidos aponta que, entre os 20 e 30 anos, 90% dos túbulos seminíferos (estruturas onde o esperma é gerado) contêm espermátides (que irão se diferenciar em espermatozoides). Aos 40 a 50 anos, esse percentual cai para 50% e continua diminuindo ano a ano.

O mesmo artigo, que é uma revisão bibliográfica de vários estudos sobre o tema, também nota que outro aspecto que sofre com o avançar da idade é a morfologia dos espermatozoides. Isso quer dizer que os gametas começam a ter maiores taxas de malformações à medida que o homem envelhece.

Isso interfere não só na capacidade de fertilização, mas pode também ser a causa de possíveis malformações no feto e até abortos espontâneos.

Hormônios

Os hormônios são fundamentais para o bom funcionamento do sistema reprodutor, tanto em homens como em mulheres. Nos homens, algumas disfunções e doenças podem afetar a produção hormonal. Algumas causas disso são:

  • excesso do hormônio prolactina;
  • baixa produção do hormônio FSH (Hormônio Folículo Estimulante), que estimula a produção dos espermatozoides;
  • problemas na tireoide;
  • uso de anabolizantes.

Função sexual

O LH é o hormônio responsável por incitar a produção de testosterona, ajudando a manter a libido do homem e também a função erétil. Baixos níveis desse hormônio — situação relativamente comum depois dos 50 anos — podem prejudicar a função sexual, interferindo na fertilidade.

Além disso, outros fatores, como estresse, traumas e outros aspectos psicológicos também costumam atrapalhar a função sexual masculina.

Doenças

Algumas doenças podem colocar em risco a saúde do aparelho reprodutor masculino. Veja algumas delas:

  • Diversos tipos de doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia, tricomoníase e ureaplasma, podem levar à inflamação dos testículos. Como consequência, pode haver o comprometimento da produção dos espermatozoides, ou a obstrução dos ductos deferentes (que levam os gametas até o meio externo).
  • No sistema reprodutor masculino, há algumas estruturas que acompanham os testículos e vão da cavidade abdominal até a bolsa escrotal. São os cordões espermáticos. A varicocele é o desenvolvimento de varizes nesses cordões, ou seja, os vasos dos testículos ficam dilatados e têm a circulação sanguínea alterada. Isso faz aumentar a temperatura dos testículos e pode afetar a produção e características dos espermatozoides.
  • Alguns tipos de câncer, como os que atingem diretamente órgãos do sistema reprodutor masculino, podem levar a alterações ou até mesmo interrupção na produção de espermatozoides. Além disso, a realização de quimio ou radioterapia, tratamentos usados para diversos tipos de tumores, também pode prejudicar a fertilidade.

Com o aumento da expectativa de vida, os casos de câncer têm se tornado mais frequentes. Por isso, o câncer é um dos fatores a serem considerados quando falamos no impacto da idade sobre a fecundidade masculina.

Genética

Alguns fatores genéticos podem fazer com que o homem não produza espermatozoides. Também pode ocorrer de o organismo produzir uma quantidade muito baixa, dificultando a fecundação do óvulo.

Exames para avaliar a fertilidade do homem

Quando um casal está com dificuldades para engravidar, é muito comum a responsabilidade cair sobre a fertilidade da mulher. Porém, para garantir um diagnóstico preciso, é fundamental também avaliar como anda a saúde do homem. Para isso, alguns exames podem ser feitos. Veja:

Espermograma

O Espermograma é  o teste realizado com uma amostra de sêmen, geralmente colhido por masturbação. Tem a função de verificar a quantidade e a qualidade dos espermatozoides. Esse exame analisa se o homem está produzindo a quantidade normal de gametas e se eles têm morfologia adequada. É o teste mais comum para avaliar a fertilidade masculina.

Fragmentação do DNA espermático

Este já é um exame mais minucioso, que analisa o DNA dos espermatozoides para verificar se eles possuem alterações que impeçam a fecundação.

Como preservar a fertilidade masculina

Muitas das causas dos problemas de fertilidade são relacionados a fatores ambientais, portanto, é possível tomar medidas para que eles não interfiram na capacidade do homem de ser pai biológico. Veja algumas medidas para manter a saúde reprodutiva do parceiro em dia:

Hábitos de vida saudáveis

Alimentação equilibrada e atividades físicas são as receitas para saúde e qualidade de vida de uma forma geral. E é claro que a fertilidade também vai ser beneficiada por isso. Uma pesquisa dinamarquesa, por exemplo, evidenciou que homens que comem mais gorduras saturadas podem ter menor contagem de espermatozoides.

Além disso, o tabagismo e o consumo excessivo de álcool também são fatores que prejudicam a produção de espermatozoides.

Distância de anabolizantes

Muita gente cai na armadilha dos anabolizantes — substâncias proibidas no Brasil sem indicação médica — em busca do corpo perfeito. Porém, as altas quantidades de testosterona presentes nessas drogas podem comprometer a produção de espermatozoides em longo prazo. Então, quem deseja ser pai deve se manter longe delas!

Uso de preservativo

Algumas doenças sexualmente transmissíveis podem ser contraídas e ficar latentes no organismo sem apresentarem sintomas específicos. É o caso de HPV, clamídia, gonorreia, entre outras. Por isso, é fundamental que o homem (e a mulher também) se proteja em suas relações, principalmente quando não tem parceira ou parceiro fixo.

Check-up geral de saúde

Algumas vezes, problemas de fertilidade são sintomas de outras condições subjacentes, como uma disfunção na tireoide, por exemplo. Fazer um check-up geral com regularidade evita situações que possam levar a problemas de fecundidade.

A fertilidade masculina é um assunto ainda muito rodeado de tabus e mitos, mas precisa ser encarada de frente, principalmente pelos casais que têm o sonho de ter um bebê. Para isso, ambos devem se informar, romper as barreiras do preconceito e tomar providências para que a saúde do parceiro esteja em dia.

Aproveite que você está interessado neste assunto e saiba mais sobre como é feito o diagnóstico de fertilidade do casal!

Médica ginecologista com especialização em Reprodução Humana na HCFMRP – USP. CRM-SP 164.436

Источник: https://ceferp.com.br/blog/como-a-idade-afeta-a-fertilidade-masculina/

Como a idade interfere na fertilidade masculina?

Até que idade o homem é fértil?

Revisado pelo: Ginecologista e Obstetra Dr. Rodrigo da Rosa Filho (CRM 119789)

Muito se ouve a respeito de mulheres que apresentam problemas de fertilidade devido terem adiado muito a gravidez, precisando, muitas vezes, recorrer a tratamentos de reprodução humana para realizarem o sonho da maternidade. Contudo, estudos recentes apontam que não é apenas o organismo feminino que pode sofrer alterações nas taxas de fertilidade com o passar dos anos. A fertilidade masculina também é afetada pela idade.

Atualmente, os casais têm engravidado cada vez mais tarde. Isso se deve porque as pessoas estão optando por se estabelecerem e realizarem estabilidade profissional antes de se tornarem pais. Devido a esse adiamento de uma possível gestação, alguns casais podem apresentar problemas quando realmente passarem a planejar a gravidez.

A idade afeta mais a fertilidade feminina?

A resposta inicial é sim, pois, diferentemente do organismo masculino, as mulheres já nascem com uma quantidade de óvulos que ao longo da vida, vai reduzindo conforme o passar do tempo, chamada de reserva ovariana.

De acordo com especialistas em reprodução humana, considerando uma mulher saudável, sem histórico de doenças crônicas, ao atingir os 35 anos a reserva ovariana dela estará em cerca de 10% e, após essa idade, continua em queda até atingir a menopausa, que representa o fim da capacidade ovulatória dela.

Além da quantidade de óvulos reduzir, a qualidade deles também é comprometida com o passar dos anos. Sendo assim, é possível afirmar que o avanço da idade afeta mais a fertilidade feminina do que a masculina. No entanto, a fertilidade dos homens também é comprometida.

Qual a relação entre a idade e a infertilidade masculina?

Estudos recentes comprovaram que, apesar de não ser tão preocupante quanto a infertilidade feminina, a idade avançada também interfere na capacidade fértil nos homens. Essa relação está interligada diretamente à demora do casal conseguir engravidar naturalmente e também às maiores chances de abortos quando o homem é mais velho.

A correlação da idade do homem e a fertilidade dele pode envolver diversos fatores, como alterações nos hormônios masculinos, perda da função sexual, entre outras. Contudo, as modificações do sêmen e a fragmentação do DNA do espermatozoide são as causas mais predominantes em homens com idade avançada.

Modificações do sêmen

Ao suspeitar de infertilidade o casal deve procurar um médico especialista em reprodução humana, que irá solicitar diversos exames para analisar o potencial fértil tanto da mulher quanto do homem a fim de identificar a causa da dificuldade em engravidar. Um dos exames solicitados ao homem é o espermograma, que permite avaliar diversas condições do espermatozoide, como:

  • Concentração;
  • Volume;
  • Motilidade – capacidade de se mover, e
  • Morfologia (forma).

Há estudos que mostram que homens acima de 50 anos têm maior risco de ter espermatozoides alterados, em especial na motilidade e na forma dos espermatozoides, características muito importantes para haver a fecundação e, consequentemente, a gravidez, apresentando assim maior chance de crianças com autismo e maior risco de abortos.

O teste de fragmentação do DNA espermático deve ser solicitado pelo especialista em reprodução humana que acompanha o caso de casais em que o homem possui idade acima dos 50 anos e que apresentem alterações no espermograma, abortos de repetição ou falhas repetidas de implantação.

Fragmentação do DNA espermático

A fragmentação do DNA espermático é uma das principais causas de infertilidade masculina.

Devido não possuírem um DNA considerado normal, caso esses espermatozoides consigam fecundar o óvulo, acabam gerando embriões com aneuploidias (alterações cromossômicas), que apresentam dificuldade em implantar-se no útero e, caso seja implantado, com aumento os episódios de abortos.

A fragmentação do DNA espermático pode ser causada devido aos maus hábitos, como o tabagismo, obesidade e à idade avançada e pode ser diagnosticada por meio de uma análise complementar ao espermograma.

O diagnóstico da causa da infertilidade masculina é essencial para indicar o tipo do tratamento de reprodução humana ideal para o caso, como a FIV clássica, ICSI ou até mesmo conhecer a necessidade de utilizar o material de banco de sêmen.

Источник: https://materprime.com.br/como-idade-interfere-na-fertilidade-masculina/

Entenda quais são as reais chances de engravidar em cada idade

Até que idade o homem é fértil?

Estudar, fazer uma carreira de sucesso, encontrar a pessoa certa, ter filhos. Esse é o sonho de muitas mulheres. Só que nem sempre os planos que fazemos se realizam no período que imaginamos, não é?

Com isso começam a surgir as preocupações em relação a idade e as chances para engravidar. Infelizmente o tempo não é gentil quando o assunto é fertilidade feminina. Decidir ficar grávida somente para aproveitar que você está na melhor idade para manter uma gestação também não parece uma boa alternativa.

Afinal, ser mãe não inclui apenas a capacidade do corpo de gestar um bebê, mas estar preparada emocionalmente para assumir esse novo papel, ter estabilidade financeira, entre várias outras coisas.

Com os tratamentos de fertilização e reprodução assistida esse assunto ficou menos complicado e pode ser solução para muitas mulheres. Entretanto, você sabe quais são as chances reais de engravidar em cada idade? Confira o nosso post e aprenda um pouco mais sobre esse assunto.

Gravidez aos 18 anos

Do ponto de vista biológico, uma gravidez aos 18 anos é ideal, se a mulher não tem nenhum problema de saúde, ela encontra-se em uma das suas épocas mais altas de fertilidade (http://www.procriar.com.br/blog/2017/07/06/fertilidade-o-que-voce-precisa-saber/)  da vida.

A quantidade e a qualidade dos óvulos é ótima, o risco de que haja algum problema durante a gestação e de má formação do feto são pequenos.

A fertilidade feminina está ligada diretamente a idade pois quando uma menina nasce ela já tem uma espécie de estoque de óvulos, cerca de 2 milhões. Eles não são mais produzidos durante a vida, ou seja a medida que a mulher envelhece menos óvulos ela terá.

Para se ter uma ideia, quando a mulher chega na puberdade ela tem aproximadamente 400 mil óvulos. Já houve uma perda considerável desde o nascimento.

Quando falamos do ponto de vista emocional, uma gravidez aos 18 anos não soa como o ideal hoje em dia. Normalmente, quando elas ocorrem são gestações não planejadas e a mulher precisa se adaptar a situação sem ter se preparado para isso antes.

Com 18 anos, a maioria das pessoas estão começando a faculdade, se dedicando aos estudos, buscando conhecer o mundo e descobrir que rumos tomar no futuro. Se você fizer uma entrevista com adolescentes do ensino médio, quantas delas você imagina que dirão que desejam engravidar aos 18? Provavelmente, serão poucas.

Gravidez aos 25 anos

Aos 25 anos, as chances de uma mulher conseguir engravidar permanecem grandes. Ela continua em seu período de vida mais alto de fertilidade, que vai até os 30 anos, e com o organismo em condições ideais para manter a gestação.

As chances de engravidar são de 18% por mês, que representa 85% de chances de engravidar durante o período de um ano.

Nesta faixa da vida, entre os 25 e 30 anos, provavelmente a mulher se encontra em uma situação de maior maturidade emocional. Ela teve tempo para analisar se quer mesmo uma gravidez e planeja-la. Porém, é importante lembrarmos que todos os casos variam dependendo de cada pessoa.

Uma mulher pode se sentir preparada para ser mãe aos 18 anos, enquanto outra pode não sentir o mesmo aos 25. O que estamos abordando aqui são alguns aspectos que devem ser levados em consideração, dentre eles o biológico e o emocional.

Gravidez aos 30 anos

Como mencionamos acima, os médicos consideram que o período de fertilidade alta da mulher  continua até os 30 anos. Entretanto, as chances de engravidar começam a diminuir de maneira acentuada após essa idade, principalmente depois dos 35 anos.

Dos 31 aos 35 anos a probabilidade de engravidar é de 15%  em cada mês de tentativa, ou seja 80% de chances de gravidez em um período de 12 meses. Com 35 anos, essa taxa cai significativamente para 9% ao mês e 50% durante o ano.

Um estudo do Ministério da Saúde, divulgado em 2014, demonstrou como as mulheres tem optado por engravidar mais tarde. Até o início do século 20, somente 22,5% das mulheres se tornavam mãe aos 30 anos, na atualidade esse percentual subiu para 30,2.

Esse indicativo está fortemente ligado ao aumento do número de mulheres nas faculdades e no mercado de trabalho, que com isso acabam deixando a gravidez para quando tiverem mais estabilidade.

Gravidez aos 40 anos

A gravidez após aos 40 anos é considerada de risco e as chances de conseguir engravidar são pequenas. Nesta idade a probabilidade é a mesma que com 35 anos, 9% durante um mês de tentativas e 50% dentro de um ano.

Entre os 41 e 42 anos as chances caem para 4% durante o mês  e 20% durante o ano. O cenário muda ainda mais dentre os 43 e 45 anos, quando as probabilidade de engravidar dentro de um mês é de apenas 0,2% e de 1% em um ano inteiro de tentativas.

Quando uma mulher tenta engravidar a partir dos 40 anos é porque ela realmente tem esse sonho e deseja ser mãe. As porcentagens não parecem favoráveis, mas os métodos de reprodução assistidas podem ajudar muito nisso.

Uma alternativa é quando a mulher sabe que quer ser mãe no futuro, fazer a coleta dos óvulos antes dos 35 anos e congelá-los. Existe uma técnica chamada criopreservação (http://www.procriar.com.

br/blog/2016/11/04/5-fatores-que-levam-as-mulheres-fazer-criopreservacao-de-embrioes/)  que permite essa possibilidade.

E no futuro, caso seja necessário, a fertilização com óvulos mais novos aumenta muito a taxa de sucesso da mesma.

Idade e fertilidade masculina

Já conseguimos entender como as chances de engravidar e a idade da mulher estão ligadas, mas e com o homem será que acontece algo similar? De acordo com estudo realizado pela Escola de Medicina de Harvard, apresentado no ano passado, sim.

O processo não acontece com a mesma intensidade como na mulher, mas o estudo liderado pela especialista em Biologia Reprodutiva, Laura Dodge, apontou que a idade do homem tem uma influência importante para o sucesso da fertilização in vitro.

De acordo com os resultados, quando a fertilização era feita em uma mulher com menos de 30 anos e um homem entre 30 e 35 anos, a taxa de sucesso foi de 73%. Quando o sêmen utilizado era de homens entre 40 e 42 anos, a taxa caiu para 42%.

Para entender melhor sobre a fertilidade de cada pessoa é necessário fazer uma avaliação individual. Acesse o nosso site e agende sua consulta (http://www.procriar.com.br/agendar-consulta)  em uma de nossas clínicas para descobrir as suas chances de engravidar e qual o melhor tratamento para você e seu parceiro.

Quer saber mais?

Se você gostou deste artigo e quer saber mais sobre outros fatores que influeciam a infertlidade feminina, leia o nosso texto sobre as causas da infertilidade femina.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Источник: https://www.procriar.com.br/blogprocriar/entenda-quais-sao-as-reais-chances-de-engravidar-em-cada-idade/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: