Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

10 sinais de câncer de próstata que todo homem deve saber

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

O câncer de próstata é um tipo de câncer muito comum nos homens, especialmente após os 50 anos de idade.

Em geral, este câncer cresce muito lentamente e grande parte das vezes não produz sintomas na fase inicial.

 Por esse motivo é muito importante que todos os homens façam regularmente exames para confirmar a saúde da próstata.

Esses exames devem ser feitos a partir dos 50 anos, para a maioria da população masculina, ou a partir dos 45 anos, quando existe histórico deste câncer na família ou quando se é de descendência africana.

Sempre que surgirem sintomas que possam levar a suspeitar de alguma alteração na próstata, como dor ao urinar ou dificuldade para manter a ereção, é importante consultar um urologista para fazer exames de diagnóstico, identificar o problema e iniciar o tratamento mais adequado. Confira os 6 exames que avaliam a saúde da próstata.

Nesta conversa, o Dr. Rodolfo Favaretto, urologista, fala um pouco sobre o câncer de próstata, seu diagnóstico, tratamento e outras dúvidas de saúde masculina:

Principais sintomas

Os sintomas do câncer de próstata normalmente só aparecem quando o câncer se encontra numa fase mais avançada. Por isso, o mais importante é fazer os exames de rastreio do câncer, que são o exame de sangue PSA e o toque retal. Estes exames devem ser feitos por todos os homens a partir dos 50 anos ou a partir dos 40, caso exista histórico do câncer em outros homens da família.

Ainda assim, para se saber se existe risco de ter algum problema na próstata é importante estar atento a sintomas como:

Para saber se você tem risco de estar com um problema na próstata, assinale, na lista anterior, o que está sentindo.

O fato de ter risco de um problema na próstata não significa que seja câncer, já que outros problemas, como prostatite ou hipertrofia benigna da próstata, são mais frequentes. Ainda assim, se surgirem alguns destes sintomas deve-se consultar um urologista.

Assista o vídeo seguinte e confira quais os sintomas que indicam problemas na próstata e quais os exames que podem ser feitos:

Sintomas do câncer avançado

Nos casos mais avançados, em que a próstata está muito aumentada e o câncer está mais desenvolvido, podem surgir outros sintomas mais graves, como:

  • Dor ao urinar ou ejacular;
  • Presença de sangue na urina ou esperma;
  • Jato de urina fraco;
  • Dificuldade para ter uma ereção;
  • Incontinência urinária ou fecal.

Além disso, se o câncer tiver se espalhado para outras regiões do corpo, também é comum a presença de outros sintomas menos específicos como dor constante nas costas, fraqueza nas pernas ou insuficiência renal.

Nos estágios mais avançados o tratamento é mais difícil, mas ainda assim é importante procurar o médico para que ele avalie a extensão da doença e se outros órgãos foram atingidos, adequando o tratamento.

Como confirmar o diagnóstico

Uma vez que este câncer não causa sintomas no início da sua evolução, a melhor forma de avaliar se existe câncer se desenvolvendo na próstata consiste em fazer o exame de toque retal e o exame de sangue PSA.

Se durante o toque retal o médico palpar um nódulo ou se o exame de sangue PSA estiver muito alterado, a próstata deve ser investigada através de uma biópsia, que irá retirar pequenos pedaços da próstata para depois serem analisados em laboratório. Entenda como é feita a biópsia e quando está indicada.

Estádios do câncer de próstata

Caso seja confirmada a existência de câncer de próstata é fundamental identificar o estadiamento do câncer para orientar o tratamento.

Os principais estádios do câncer de próstata são:

  • T0: não existem evidências de tumor;
  • T1: tumor que não foi identificado por palpação ou exame de imagem;
  • T2: tumor primário que está limitado à próstata;
  • T3: tumor que além da próstata também afeta a cápsula prostática e que pode afetar as vesículas seminais;
  • T4: tumor que invade outras estruturas próximas, como esfíncter, reto ou músculos;
  • N0: não existem metástases nos nódulos linfáticos próximos à próstata;
  • N1: existem metástases nos nódulos linfáticos próximos da próstata;
  • M0: não existem metástases à distância;
  • M1: existem metástases em outros órgãos, ossos ou nódulos linfáticos mais afastados da próstata.

O grau do câncer permite definir o melhor tratamento e entender quais as chances de cura.

Possíveis causas do câncer de próstata

Não existe uma causa específica para o desenvolvimento do câncer de próstata, no entanto, alguns fatores estão associados a um maior risco de ter este tipo de câncer, e incluem:

  • Ter um parente de primeiro grau (pai ou irmão) com histórico de câncer de próstata;
  • Ter mais de 50 anos de idade;
  • Fazer uma dieta pouco equilibrada e muito rica em gorduras ou cálcio;
  • Sofrer de obesidade ou ter excesso de peso.

Além disso, homens de etnia Afro-americana também têm duas vezes mais chances de ter câncer de próstata, do que qualquer outra etnia.

Como é feito o tratamento

O tratamento para câncer de próstata deve ser orientado por um urologista, que escolhe a melhor forma de tratamento de acordo com a idade do paciente, gravidade da doença, doenças associadas e expectativa de vida.

Os tipos de tratamento que, normalmente são mais utilizados incluem:

  • Cirurgia/prostatectomia: é o método mais utilizado e consiste na retirada completa da próstata através de uma cirurgia. Saiba mais sobre a cirurgia para câncer de próstata e a recuperação;
  • Radioterapia: consiste na aplicação de radiação em determinadas áreas da próstata para eliminar as células de câncer;
  • Tratamento hormonal: é usado para os casos mais avançados e consiste no uso de remédios para regular a produção dos hormônios masculinos, aliviando os sintomas.

Além disso, o médico também pode recomendar apenas a observação que consiste em fazer consultar regulares no urologista para avaliar a evolução do câncer. Este tipo de tratamento é mais utilizado quando o câncer está numa fase inicial e a evoluir muito lentamente ou quando o homem tem mais de 75 anos, por exemplo.

Estes tratamento podem ser usados individualmente ou combinados, dependendo do grau de evolução do tumor.

Источник: https://www.tuasaude.com/sintomas-de-cancer-de-prostata/

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

Urologia

O câncer da próstata é o tumor maligno mais comum do sexo masculino (excetuando-se os cânceres de pele) e o segundo que mais mortes causa, perdendo apenas para o câncer de pulmão.

Apesar da alta mortalidade, a maioria dos cânceres de próstata costuma ter crescimento lento, ficando anos restrito à próstata sem causar metástases.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz, com 3 cm de diâmetro e aproximadamente 20 gramas de peso, presente apenas no sexo masculino. Localiza-se na base da bexiga e circunda a parte inicial da uretra, canal que leva a urina da bexiga para o pênis.

A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino, sendo responsável pela secreção de um fluído alcalino (i.e. com pH elevado) que protege os espermatozoides do ambiente ácido da vagina e aumenta sua mobilidade, facilitando a chegada dos mesmos ao óvulo.

Como apresenta íntima relação com a uretra, alterações no tamanho da próstata podem comprimir a mesma e dificultar a drenagem de urina, levando aos sintomas de prostatismo, que serão explicados mais à frente.

Como a próstata encontra-se encostada ao reto, ela pode ser palpada através do toque retal, um dos métodos mais simples de avaliação da glândula. Uma próstata aumentada de tamanho ou de forma irregular devido à presença de um tumor pode ser facilmente identificada por este método. Falaremos com mais detalhes sobre o toque retal na parte de diagnóstico.

A próstata pode crescer e causar sintomas por três motivos:

  • Hiperplasia benigna da próstata.
  • Câncer de próstata.
  • Prostatite.

Para mais detalhes sobre a próstata e suas funções, leia: O QUE É A PRÓSTATA?

Câncer de próstata

Como já referido no início do texto, o câncer de próstata é o câncer mais comum do sexo masculino. É um tumor que costuma ser indolente, com um crescimento lento o suficiente para permanecer assintomático por vários anos.

Não sabemos por que o câncer de próstata surge e existem poucos fatores de risco identificados; o principal é a idade, sendo este câncer raro em pacientes com menos de 40 anos e extremamente comum após os 80 anos.

Conforme o ser humano começa a viver mais anos, as doenças da próstata começam a ficar cada vez mais frequentes. Como o câncer da próstata costuma ter crescimento lento, permanecendo assintomático por muitos anos, muitos idosos têm a doença e não sabem. Na verdade, estima-se que entre 50% e 80% dos homens acima de 80 anos tenham câncer de próstata em algum grau de desenvolvimento.

Além da idade, também são fatores de risco já identificados:

  • Afrodescendência (neste grupo, o câncer de próstata é mais comum e costuma ser mais agressivo).
  • História familiar positiva.
  • Obesidade.
  • Tabagismo.

Sintomas

Os sintomas dos câncer de próstata costumam ocorrer devido à obstrução da uretra pelo tumor. Entretanto, como a doença costuma progredir lentamente, essa obstrução normalmente só se torna aparente nas fases mais avançadas do câncer.

Tumor da próstata pode comprimir a uretra

Ao contrário da hiperplasia prostática benigna que faz a próstata crescer de modo uniforme e simétrico, o tumor da próstata apresenta crescimento irregular e localizado. Por isso, dependendo da área onde surge o câncer, pode não haver compressão da uretra e, portanto, sintomas de uma próstata aumentada.

Na ilustração acima mostramos dois exemplos de câncer de próstata: à esquerda, um que cresceu ao lado da uretra causando sua compressão; à direita, outro que surgiu longe da uretra e só causará sintomas urinários quando estiver muito grande.

Quando o tumor cresce em direção à uretra e causa obstrução, os sintomas mais comuns são:

  • Dificuldade para urinar.
  • Jato de urina fraco.
  • Dor ao urinar.
  • Necessidade de urinar com frequência, uma vez que, com a obstrução da passagem da urina, a bexiga está constantemente cheia, conseguindo apenas esvaziar pequenos volumes de cada vez.

Aqui vale ressaltar que, pelos motivos explicados nos parágrafos anteriores, estes sintomas urinários são muito mais comuns na hiperplasia benigna da próstata do que no câncer de próstata.

A maioria dos idosos com queixas urinárias tem, na verdade, hiperplasia da próstata.

Como ambas as doenças são muito comuns nos idosos, o paciente pode até ter a hiperplasia e um câncer juntos, mas os sintomas são normalmente causados pelo primeiro.

Atualmente, a maioria dos cânceres da próstata são detectados em fases iniciais, antes de causarem sintomas, através do exame de PSA, da ultrassonografia de próstata e do toque retal.

A hematúria e a hematospermia (sangue na urina e no esperma, respectivamente) podem ocorrer no câncer de próstata, mas não são sintomas comuns. Nestes casos, deve-se pensar também em cálculo renal, infecção urinária ou câncer da bexiga (leia: HEMATÚRIA – URINA COM SANGUE).

A disfunção erétil pode ser um dos sintomas do câncer de próstata, mas também é pouco comum. A imensa maioria dos casos de dificuldade de ereção em idosos não é causada pelo câncer de próstata (leia: IMPOTÊNCIA SEXUAL | Causas e tratamento).

Alguns pacientes que não fazem exames para o rastreio da doença podem só descobrir o tumor de próstata quando as metástases começam a provocar sintomas. Se o tumor surgir longe da uretra, ele irá causar metástases antes de provocar sintomas urinários. Neste caso, os sintomas mais comum são as dores e fraturas por metástases para os ossos.

Para evitar situações como esta última, as sociedades internacionais de urologia recomendam o rastreio para o carcinoma de próstata de todos os homens com mais de 45 anos de idade.

Para saber mais sobre os sintomas de doenças da próstata, leia: SINTOMAS DA PRÓSTATA.

Diagnóstico

Existe um tabela de pontos chamada de ESCORE INTERNACIONAL DE SINTOMAS PROSTÁTICOS. São sete perguntas e cada uma recebe uma pontuação de 0 a 5

  • Quantas vezes ficou a sensação de não esvaziar totalmente a bexiga?
  • Quantas vezes teve de urinar novamente menos de duas horas após ter urinado?
  • Quantas vezes observou que, ao urinar, parou e recomeçou várias vezes?
  • Quantas vezes observou que foi difícil conter a urina?
  • Quantas vezes observou que o jato urinário estava fraco?
  • Quantas vezes teve de fazer força para começar a urinar?
  • Quantas vezes, em média, teve de se levantar à noite para urinar?

0 = Nenhuma1 = Menos de 1 vez em 52 = Menos da metade das vezes3 = Metade das vezes4 = Mais da metade das vezes

5 = Quase sempre

  • Leve: 0 a 7;
  • Moderada: 8 a 19;
  • Severa: 20 ou mais

O escore acima avalia a severidade dos sintomas prostáticos, mas não diferencia entre hiperplasia prostática benigna, câncer e prostatite. O diagnóstico diferencial envolve o toque retal, a dosagem do PSA, ultrassonografia transretal e a biópsia da próstata.

Toque retal pode ou não identificar o tumor da próstata

O toque retal consegue detectar aqueles tumores que crescem em direção ao reto. Porém, até 35% dos cânceres de próstata em estágio inicial não são detectados pelo toque. A ilustração ao lado mostra um exemplo de tumor não detectável pelo toque retal.

O PSA é um marcador de doença prostática, colhido através de análises de sangue, que se eleva na HPB e, principalmente, no câncer de próstata.

  • PSA menor que 2,5 – Baixo risco de câncer.
  • PSA entre 2,5 e 10 – Risco intermediário de câncer.
  • PSA maior que 10 – Alto risco de câncer.
  • PSA maior que 20 – Muito alto risco de câncer e elevada chance de doença com metástases.

Quando o PSA e o toque retal levantarem suspeitas de neoplasia, a biópsia da próstata deve ser realizada.

Uma vez realizado o diagnóstico de câncer, deve-se avaliar o grau de invasão (estadiamento do tumor) e de agressividade (escore de Gleason).

O escore de Gleason é obtido após análise da biópsia de próstata, indo de 1 a 10; quanto maior o valor, mais agressivas são as células do câncer.

Pacientes com sinais de invasão tumoral local, Gleason maior que 6 ou PSA muito elevado, apresentam alto risco de doença disseminada e devem realizar cintilografia óssea para identificar possíveis metástases ósseas.

Após esta avaliação inicial o câncer de próstata é dividido em quatro grupos:

  • Grupo I: doença inicial com tumor microscópico e confinado à próstata (PSA menor que 10 e Gleason menor que 6).
  • Grupo II: Tumor confinado à próstata, mas já grande o suficiente para ser palpado ao toque retal (PSA menor que 20 ou Gleason = 7).
  • Grupo III: Tumor já com invasão do órgãos ao redor da próstata.
  • Grupo IV: Metástases à distância.

Tratamento

Os cânceres de próstata em estágios iniciais são potencialmente curáveis através de cirurgia e radioterapia. Os cânceres de baixa agressividade demoram entre dez a vinte anos para invadir outros tecidos.

Quando ocorrem em doentes com idade avançada, podem não ser tratados, uma vez que os riscos e sequelas do tratamento não se justificam em alguém com expectativa de vida menor do que o necessário para a progressão do tumor.

As complicações do tratamento incluem impotência, incontinência urinária e diminuição da libido.

Tumores avançados sem metástases são tratados com radioterapia.

Tumores com metástases são tratados com medicamentos que fazem bloqueio hormonal (inibição da testosterona) e geralmente apresentam mau prognóstico.

Dúvidas comuns sobre o câncer de próstata

Masturbação ajuda a prevenir o câncer de próstata?

Este é um tema polêmico. A melhor resposta à luz do atual conhecimento médico é: provavelmente sim.

Na verdade, o que parece influenciar é a frequência de ejaculações, seja ela através de relações sexuais ou pela masturbação. Um dos estudos mostrou que homens que tinham mais de 20 ejaculações por mês apresentavam um risco significantemente menor de câncer de próstata quando comparados ao grupo que tinha no máximo 7 ejaculações por mês.

Porém, esta relação necessita de confirmação em estudos posteriores para se tornar um fato aceito incondicionalmente.

Homens jovens podem ter câncer de próstata?

Sim, mas o risco é muito baixo. Na verdade, o câncer de próstata é um dos tipos de câncer que apresenta relação mais forte com a idade. Enquanto menos de 2% dos homens de 30 anos têm câncer de próstata, entre os acima de 80 anos, esta taxa chega a ultrapassar os 70%.

Vitaminas ajudam a prevenir o câncer de próstata?

Não. Nenhum estudo até hoje conseguiu mostrar benefícios claros. Na verdade, um deles até detectou um aumento do risco nas pessoas que tomam multi-vitamínicos diariamente (leia: MITOS E VERDADES SOBRE VITAMINAS).

Com a dosagem do PSA é possível dispensar exames pela via retal na investigação do câncer de próstata?

Não. Apesar do PSA ser um grande avanço no diagnóstico, tanto o toque retal quanto a ultrassonografia pela via transretal ainda são exames essenciais na investigação do câncer de próstata. É perfeitamente possível, embora incomum, ter câncer de próstata sem PSA elevado.

Qual é o valor do PSA que indica câncer de próstata?

Não existe um valor definido no qual possamos afirmar com 100% de certeza tratar-se de câncer de próstata. Atualmente, usa-se o valor de corte de 4 ng/mL para indicar uma investigação mais cuidadosa, pois a partir deste valor, o risco de existir um câncer oculto começa a ser relevante.

A tabela abaixo mostra o risco do paciente ter um tumor de próstata de acordo com o valor do PSA

Valor do PSARisco de haver câncer de próstata na biópsia
Menor que 2.0 ng/ml7.1%
Entre 2.0 e 3.9 ng/ml18.7%
Entre 4.0 e 5.9 ng/ml21.3%
Entre 6.0 e 7.9 ng/ml28.6%
Entre 8.0 e 9.9 ng/ml31.7%
10.0 ng/ml ou mais56.5%

É importante ressaltar mais uma vez que a maioria dos casos de PSA elevado são provocados por prostatite ou hiperplasia benigna da próstata.

Sexo anal aumenta o risco de câncer de próstata?

Não, não há nenhuma relação.

Quais são as complicações mais comuns da cirurgia para retirada da próstata?

Incontinência urinária e impotência sexual. Quanto mais idoso for o paciente, maior será o risco destas complicações.

O câncer de próstata costuma ser um câncer muito agressivo?

Não, na maioria das vezes é um câncer de crescimento lento. Inclusive, em pacientes muito idosos, com expectativa de vida natural menor que 10 anos ou muito debilitado por outras doenças, é possível que o médico opte pelo não tratamento do câncer, uma vez que os efeitos colaterais deste podem piores do que a evolução do tumor.

Hiperplasia benigna da próstata pode virar câncer?

Não, HBP e câncer de próstata são duas doenças distintas. Um indivíduo com hiperplasia da próstata pode desenvolver câncer da próstata como qualquer outro paciente da mesma idade, mas a hiperplasia em si não vira câncer.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/urologia/cancer-prostata/

Quais são os 10 primeiros Sintomas de Problemas na Próstata?

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

As doenças da próstata são muito comuns, geralmente com o avançar da idade.

A boa notícia é que, nos dias de hoje, já existem muitas soluções de diagnóstico e tratamento, que procuram devolver ao paciente a sua qualidade de vida.

Contudo, para que tal seja possível, é preciso, em primeiro lugar, reconhecer os sinais de que algo não está bem, para saber quando agir e pedir ajuda.

Hoje vamos dar a conhecer os primeiros sinais de alarme para que seja activo na preservação de um bom estado de saúde.

Como saber que existe um problema na Próstata?

Quando a próstata sofre alguma alteração, o seu funcionamento habitual é condicionado.

A partir daí, é bastante comum que comecem a ser perceptíveis alguns sinais que, por norma, tendem a condicionar a vida dos pacientes e são fonte de desconforto e constrangimentos.

Assim, deve estar atento à seguinte sintomatologia:

  1. Sensação de ardor ou dor ao urinar;
  2. Vontade de urinar com muita frequência;
  3. Acordar várias vezes durante a noite para urinar (noctúria);
  4. Dificuldade em parar ou iniciar a micção;
  5. Sangue na urina (hematúria) ou no sémen;
  6. Dor ao ejacular;
  7. Incapacidade de reter a urina;
  8. Disfunção eréctil;
  9. Jacto/fluxo urinário fraco ou intermitente;
  10. Dor na região lombar, pélvica, rectal, inguinal, testículos ou coxas.

Contudo, tenha em atenção que mesmo apresentando a doença, não significa que tenha de sentir todos os sintomas ao mesmo tempo.

O que está na base desta sintomatologia?

Quando se fala em problemas na próstata é comum pensar em cancro em primeiro lugar.

Apesar de ser uma patologia que afecta muitos homens ao longo da vida –ocupa os primeiros lugares das doenças oncológicas mais diagnosticadas no mundo -, não é a única causa deste tipo de sintomas.

Aliás, alguém que seja diagnosticado com Cancro na Próstata pode até nem apresentar nenhum dos sinais descritos anteriormente.

Desta forma, existem três doenças principais da próstata com sinais de alarme semelhantes:

  • Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP): caracteriza-se por um aumento do volume da próstata, causando uma compressão da uretra e consequentes condicionantes do aparelho urinário. É muito comum a partir dos 50 anos, sendo que o risco aumenta com o avançar da idade;
  • Prostatite: causa inflamação na glândula prostática e na área em redor. Pode ter várias origens, como uma infecção bacteriana, mas em algumas situações a causa não é conhecida. Pode ser temporária ou tornar-se crónica. É a única da lista que é mais comum em homens mais jovens, com menos de 50 anos;
  • Cancro da Próstata: mais comum em homens acima dos 50 anos, de raça negra, histórico familiar de doença ou com hábitos alimentares pouco saudáveis. Apesar de, por vezes, apresentar sintomas, em algumas situações só são notórios em estádios mais avançados da doença.

Ainda que o cancro seja a patologia mais grave e que pode representar um real risco de vida, nenhuma das outras deve ser ignorada, de forma a evitar que se tornem situações de saúde mais sérias.Por exemplo, a HBP pode causar infecções graves, pedras na bexiga, sangue na urina, retenção urinária e, mais grave, insuficiência renal (“falência” dos rins).

Quais são as soluções para cada patologia?

Independentemente da patologia, todas apresentam um aspecto em comum: são mais facilmente tratáveis, e os seus efeitos revertidos, quando diagnosticadas em fases precoces.

Assim sendo, deverá estar atento aos sintomas que possam surgir. Além disso, deverá fazer com regularidade os exames recomendados.

Além do mais, todas as condições – Hiperplasia Benigna da Próstata, Prostatite ou Cancro Prostático – têm tratamento ou, pelo menos, métodos que permitem atenuar os seus efeitos e sintomas.

Nos casos de Hiperplasia Benigna da Próstata, se os sintomas não condicionarem demasiado o quotidiano do paciente, esta doença pode ser apenas vigiada activamente ao longo do tempo. Por outro lado, se necessário, podem ser usadas técnicas cirúrgicas, métodos minimamente invasivos ou fármacos.

No caso da Prostatite, se a origem for bacteriana são recomendados antibióticos e outros medicamentos que atenuam os sintomas da doença.

Relativamente ao Cancro da Próstata, os procedimentos podem ser cirúrgicos ou outras técnicas, como abraquiterapia ouradioterapia.

Reconhece os sintomas? Aconselhe-se com um médico o quanto antes!

O melhor conselho em casos em que os pacientes identificam alguns dos sintomas característicos de problemas na próstata é sempre pedir ajuda médica, para que o especialista seja capaz de realizar um diagnóstico preciso através da avaliação clínica e dos exames necessários, seguido de um tratamento eficaz.

Se deixar que os sinais evoluam para situações mais graves a recuperação de uma vida normal pode ser mais difícil e morosa.

Portanto, não protele a decisão de procurar um médico – marque uma consulta de diagnóstico e usufrua da experiência e cuidados dos profissionais do Instituto da Próstata.

Источник: https://www.institutodaprostata.com/blog/quais-sao-os-10-primeiros-sintomas-de-problemas-na-prostata

Câncer de próstata: sintomas, riscos, tratamento

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

Ocâncer de próstata é um dos tumores mais frequentes em homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Ele atinge a próstata, uma glândula responsável pela produção de uma secreção que faz parte do sêmen.

Esse tipo de câncer possui tratamento e apresenta cura se tratado adequadamente nas fases iniciais. Sobrepeso e obesidade são fatores de risco para a doença, portanto, tratar esses problemas pode ser uma forma de prevenção.

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) estima que, somente em 2018, 68.220 novos casos da doença surgiram em nosso país. Apesar de bastante frequente, é um tipo de fácil cura, apresentando cerca de 90% de chance de melhora quando tratado em suas fases iniciais.

Leia também: O que é um tumor?

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

O câncer de próstata afeta uma glândula masculina responsável por produzir uma secreção que faz parte do sêmen.

O câncer de próstata normalmente é assintomático, uma vez que, na grande maioria dos casos, o crescimento do tumor ocorre de maneira bastante lenta.

Algumas vezes, no entanto, o câncer avança rapidamente e pode espalhar-se para outras partes do corpo (metástase).

Dentre os sintomas que podem surgir, destacam-se dificuldade para urinar, jato de urina fraco e vontade de urinar várias vezes. Em alguns casos, o paciente pode observar ainda sangue na urina.

É importante deixar claro que a presença desses sintomas não indica necessariamente o câncer de próstata, entretanto, merece atenção. Assim, deve-se procurar um médico para confirmação de diagnóstico. A inflamação da próstata e a hiperplasia prostática benigna (aumento benigno do volume da próstata) também podem desencadear esse problema.

Leia também: 5 problemas de saúde que mais matam no mundo

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Quais os fatores de risco para o câncer de próstata?

O câncer de próstata é diagnosticado principalmente em homens com idade igual ou superior a 65 anos, raramente acomete pessoas mais jovens.

Segundo o Inca, 75% dos casos no mundo desse tipo de câncer ocorrem a partir dos 65 anos.

Sendo assim, podemos concluir que a doença está intimamente relacionada com a idade do paciente, sendo esse, portanto, o principal fator de risco.

Além do fator idade, outras características relacionam-se com as chances de se ter essa doença. Pesquisas comprovam que homens negros apresentam maiores riscos de desenvolver câncer de próstata que os brancos. Além disso, a obesidade e casos da doença na família também são considerados fatores de risco.

Leia também: Relação entre o consumo de carnes processadas e o câncer

Como é feito o diagnóstico do câncer de próstata?

O diagnóstico do câncer é obtido por meio de exame de toque retal e do teste do antígeno prostático específico (PSA), um tipo de exame de sangue. Apesar da existência desse último exame, é fundamental o exame de toque retal, pois ele permite ao médico analisar a estrutura da próstata.

Além disso, o PSA frequentemente sofre alterações, sendo necessária a realização do exame físico para confirmar a suspeita. Vale destacar, no entanto, que o câncer de próstata só é realmente confirmadoapós realização de biópsia.

O diagnóstico precoce é importante para garantir maior chance de cura.

A mortalidade ocorre principalmente em razão da falta de cuidado do homem com a sua saúde e o consequente diagnóstico tardio da doença. O problema principal está no fato de que o homem evita a ida ao urologista por se sentir envergonhado ou por ter preconceito com os exames feitos para confirmar a patologia.

Como é feito o tratamento do câncer de próstata?

Feito o diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes. Cada caso deve ser tratado individualmente, uma vez que diversos fatores estão envolvidos no tratamento, como estadiamento da doença, idade do paciente e expectativa de vida. Dentre os tratamentos mais adotados, destacam-se cirurgia, radioterapia e terapia hormonal.

Como podemos nos proteger do câncer de próstata?

Não existe fórmula mágica para se proteger contra o câncer de próstata. Entretanto, quando analisamos seus fatores de risco, percebemos que algumas medidas podem ser adotadas a fim de evitá-lo.

Dentre essas medidas, podemos citar uma alimentação saudável, que evita, por exemplo, o sobrepeso e a obesidade, fatores de risco para a doença.

Uma dieta rica em vegetais, tais como frutas, legumes e cereais, e pobre em gordura animal pode ajudar a prevenir essa e outras doenças.

Também é recomendada a realização de atividades físicas, não fumar e evitar o consumo de álcool.

Novembro Azul

O mês de novembro volta-se para a luta contra o câncer de próstata. ONovembro Azulé um movimento internacional que tem por objetivo conscientizar as pessoas a respeito dessa doença.

Durante todo o mês de novembro, atividades são realizadas com o intuito de esclarecer a população a respeito do câncer de próstata.

A iluminação de alguns pontos turísticos na cor azul ajuda a divulgar o movimento.

O sistema reprodutor masculino e a importância da próstata

Osistema reprodutor masculino é o responsável por produzir e transportar o gameta masculino, ou seja, o ­.

Os órgãos reprodutivos externos que fazem parte desse sistema são o pênis e o saco escrotal, enquanto os órgãos internos são os testículos (estruturas responsáveis pela produção dos espermatozoides), ductos que garantem o transporte do espermatozoide (epidídimo, ducto deferente, ducto ejaculatório e uretra) e glândulas acessórias (próstata, glândula bulbouretral e vesícula seminal).

A próstata é uma glândula acessória do sistema reprodutor masculino do tamanho aproximado de uma castanha. Localiza-se abaixo da bexiga e em frente ao reto.

Está diretamente relacionada com a reprodução, uma vez que produz uma substância que participa da composição do sêmen e que possui como função principal a proteção e a nutrição dos espermatozoides.

Essa glândula produz e armazena a secreção até o momento da ejaculação, quando ela é liberada e fará parte do sêmen.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Источник: https://mundoeducacao.uol.com.br/doencas/cancer-prostata.htm

Câncer de próstata: sintomas, tratamentos e causas

Câncer de Próstata: sintomas e tratamento

É o tipo de câncer que ocorre na próstata: glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis.

Quanto mais avançado é um tumor mais mutações ocorrem, conferindo maior agressividade.

Estas células se multiplicam mais velozmente que as células normais da próstata. As células neoplásicas têm a capacidade de invadir os tecidos e se disseminam por órgãos distantes, seja por via linfática (comprometendo os gânglios) ou sanguínea (principalmente os ossos).

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O câncer de próstata é um tumor que acomete homens maduros e pode ser curado quando ainda está localizado. Se identificado já em estágio avançado, o risco de sobrevida do paciente é muito menor. Portanto, o diagnóstico precoce é fundamental no controle e cura da doença.

Fatores de risco

Antecedente familiar assume grande importância – um paciente cujo pai ou tio tiveram câncer de próstata tem o dobro de risco para desenvolver a doença do que a população em geral.

O risco é ainda maior para os homens que têm um irmão com a doença. Se o paciente tiver menos de 65 anos e mais de um parente afetado pela doença, o risco aumenta de 6 a 11 vezes.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Pacientes com parentes do primeiro grau com câncer de próstata diagnosticados com menos de 55 anos podem ser portadores de câncer de próstata hereditário (menos de 2% dos casos).

Outros fatores de risco envolvem a alimentação (dieta rica em gordura e carne vermelha, pobre em legumes, vegetais e frutas), sedentarismo e obesidade (estes pacientes tem câncer de próstata mais agressivo), taxas de estrogênio (quanto maior a taxa, maior o risco), etnia (negros têm maior incidência, enquanto descendentes asiáticos apresentam menor), região onde se vive (americanos têm mais câncer de próstata que asiáticos), nível de poluição ambiental, assim como contato com derivados de borracha e substâncias como ferro, cromo, chumbo e cádmio.

Atualmente tem se valorizado o valor do PSA para predizer a chance de câncer de próstata no futuro do paciente. Pacientes com PSA menor que 1 ng/ml tem chance menor que 5% de apresentarem câncer de próstata num seguimento de 10 anos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de Câncer de próstata

Na fase inicial, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas relevantes, mas podem apresentar sintomas relacionados a outra doença comum que acompanha o envelhecimento do homem, a hiperplasia prostática benigna, com sintomas miccionais leves a moderados de dificuldade miccional. Nenhuma anormalidade pode ser observada ao toque ou pode-se sentir um nódulo endurecido na próstata.

Na doença avançada, podem ocorrer sintomas mais intensos obstrutivos miccionais causado pelo crescimento local do tumor com compressão da uretra prostática. Em alguns casos os sintomas são decorrentes da doença que está se espalhando pelo organismo, principalmente para os ossos ou pelo seu crescimento loco-regional, causando obstrução dos rins pela invasão dos ureteres.

Diagnóstico de Câncer de próstata

Em homens acima de 50 anos, pode-se realizar o exame de toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA), por meio de exame de sangue, para saber se existe um câncer de próstata sem sintomas. O toque retal e a dosagem de PSA não dizem se o indivíduo tem câncer, eles apenas sugerem a necessidade ou não de realizar outros exames.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O toque retal identifica outros problemas além do câncer de próstata e é mais sensível em homens com algum tipo de sintoma. O PSA tende a aumentar de acordo com o avanço da idade. Cerca de 75-80% dos homens com aumento de PSA não têm câncer de próstata.

Cerca de 20% dos homens com câncer de próstata sintomático apresentam um PSA normal. Dependendo da região da próstata, o câncer também pode não ser palpável pelo toque retal. A melhor estratégia é realizar os dois exames, já que são complementares.

Pacientes considerados de alto risco (com parentes com câncer de próstata) devem realizar o primeiro exame aos 40 anos de idade. Atualmente, conforme o achado desta investigação o paciente é aconselhado a realizar seus exames anualmente ou até bianualmente, ou a cada 3 anos, tudo dependendo do toque e idade do paciente sob investigação clínica.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A sociedade americana de oncologia recomenda realizar exames a cada 2 anos para homens com PSA

Hoje em dia é aceito solicitar PSA para:

  • Homens com mais de 50 anos que estão em risco médio de câncer de próstata (CaP) e com esperança de vida de pelo menos mais 10 anos
  • Homens com idade 45 nos com alto risco de desenvolver CaP: Afro-americanos e homens que têm um parente de 1º grau (pai, irmão ou filho) diagnosticados com CaP em idade precoce (menos de 65 anos de idade)
  • Homens com 40 anos em risco mais elevado (aqueles com mais de um parente de 1º grau que tiveram CaP em idade precoce)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cirurgias para Câncer de próstata

O tratamento padrão para o câncer de próstata é a prostatectomia radical, que consiste na retirada da próstata, das vesículas seminais e linfadenectomia ilíaco-obturadora bilateral.

A linfadenectomia estendida está indicada para pacientes considerados de risco intermediário e alto.

A prostatectomia radical tem por objetivo curar o paciente portador do câncer de próstata e além disso remover o câncer por completo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A prostatectomia radical pode ser feita por via perineal, retropúbica ou robô assistida. Todas podem ter resultados bons desde que seja aplicada a técnica operatória adequada.

Referências

Ministério da Saúde

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/cancer-de-prostata

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: