Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

Contents
  1. Barriga inchada? Saiba porquê e como prevenir
  2. Desequilíbrios emocionais
  3. Obstipação
  4. Síndrome do Intestino Irritável
  5. SIBO
  6. Intolerâncias Alimentares
  7. Alimentação
  8. Torna-se, assim essencial a identificação de qual ou quais as possíveis causas destes sintomas, permitindo a melhor forma de atuação, trabalhando diretamente na causa e não apenas tratar o sintoma
  9. Abdômen distendido: tratamentos e causas
  10. Causas
  11. Buscando ajuda médica
  12. Na consulta médica
  13. Cuidados
  14. Medicamentos para Abdômen distendido
  15. Referências
  16. Distensão abdominal: Quais as causas e como tratar?
  17. Gases
  18. Tratamento
  19. Constipação intestinal (prisão de ventre)
  20. Síndrome do intestino irritável
  21. Verminoses
  22. Menstruação
  23. Gravidez
  24. Apendicite
  25. Barriga inchada: 7 causas comuns e o que fazer
  26. 1. Excesso de gases
  27. 2. Prisão de ventre
  28. 3. Excesso de peso
  29. 4. Menstruação
  30. 5. Gravidez
  31. 6. Ascite
  32. 7. Obstrução intestinal
  33. #DoutoraFeliz: barriga sempre inchada – causas e o que pode fazer
  34. Lacticínios e alguns alimentos
  35. Doença celíaca ou doenças inflamatórias intestinais
  36. Supercrescimento de Candida
  37. SIBO (“small intestinal bacterial overgrowth”)
  38. A Dra Andreia de Almeida é médica certificada em Medicina Funcional e Medicina Anti-Aging, com treino especializado em Modulação Hormonal e suplementação avançada. Conhecida pela sua abordagem empoderadora e focada na pessoa, através da sua prática clínica procura inspirar as pessoas a encontrarem o equilíbrio, bem-estar e felicidade interior. Escreveu o livro “Saúde para ELAS: o kit de sobrevivência para mulheres dos 20 aos 60+”, um livro dedicado à saúde feminina

Barriga inchada? Saiba porquê e como prevenir

Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

Barriga inchada é um termo frequentemente usado para descrever uma sensação de aumento do volume abdominal, normalmente associada a uma sensação de desconforto.

No entanto, o termo correto para designar barriga inchada é distensão abdominal.

A sensação de enfartamento ou ficar com o estômago dilatado é uma sensação muito subjetiva e pode estar na origem de diferentes problemas, assim como formas de tratamento diferentes.

A distensão abdominal pode estar relacionada com diversos fatores, incluído a acumulação de gases, a obstipação, uma alimentação incorreta ou stress.

Alterações ao nível da acidez do estômago, da flora intestinal e da motilidade gástrica, como por exemplo a obstipação, podem conduzir a este tipo de sintomas.

Ao nível das emoções, a ansiedade e a preocupação podem conduzir a alterações digestivas. Em alguns casos a ansiedade ou mesmo o pouco tempo para a refeição levam a que ocorra uma má insalivação e/ou mastigação dos alimentos.

Por sua vez uma alimentação incorreta apresenta efeitos ao nível digestivo, podendo dificultar o processo digestivo.

Desequilíbrios emocionais

Os intestinos contêm mais de 100 000 milhões de neurónios, sendo o órgão que possui mais neurónios depois do cérebro e da medula. Este é muitas vezes chamado de “segundo cérebro” devido à diversidade de células neuronais e circuitos complexos que permitem regular de forma autónoma muitos processos intestinais.

Cerca de 95% da serotonina (substância química que regula diversas funções, entra as quais o humor) é produzida no trato gastrointestinal pelas células enteroendócrinas e pelos neurónios serotoninérgicos do sistema nervoso entérico.

A serotonina trata-se de um neurotransmissor importante, estando envolvido na interação entre o sistema nervoso entérico e o sistema nervoso central, apresentado funções ao nível do trato gastrointestinal e, consequentemente podendo afetar a sensação de motilidade e secreção intestinal.

Como tal, situações de maior ansiedade, stresse e preocupações podem estar na origem de alterações no trato digestivo.

Obstipação

A obstipação ou “prisão de ventre” como também é conhecida consiste na dificuldade em evacuar de forma regular ou na diminuição do volume e peso das fezes. Consequentemente ocorre uma maior produção de gases assim como um mau funcionamento intestinal, sendo uma das causas possíveis para a distensão abdominal.

No entanto, a obstipação pode apresentar-se como idiopática, ou seja, não ter causas definidas, mas pode também ser derivada do estilo de vida, hábitos alimentares, stresse, sendo assim importante a identificação da mesma.

Síndrome do Intestino Irritável

A síndrome do intestino irritável trata-se de uma doença multifatorial que afeta o bom funcionamento intestinal. Nesta, o intestino reage de forma mais violenta a estímulos, especialmente aos alimentos e stresse.

Como tal, ocorre uma alteração da motilidade dos mesmos e o paciente apresenta diversos sintomas tais como, obstipação e/ou diarreia, sensação de barriga inchada, dor e cólicas abdominais, flatulência, mal-estar, cansaço, náuseas entre outros. No caso da distensão abdominal, esta pode surgir devido a uma dilatação do cólon por uma produção excessiva de gases.

SIBO

A SIBO (Small Intestinal Bacteria Overgrowth) é uma condição na qual ocorre uma alteração tanto na quantidade, devido a um crescimento bacteriano excessivo, assim como na qualidade da microbiota intestinal, no intestino delgado, estando aqui envolvidas espécies bacterianas benéficas e patogénicas. O sobrecrescimento de bactérias conduz ao aumento da fermentação intestinal, ocorrendo uma maior libertação de gases, sendo esta responsável por sintomas como distensão abdominal, diarreia e dor.

Intolerâncias Alimentares

As intolerâncias alimentares podem também causar distensão abdominal, assim como flatulência e diarreia. Nestas o intestino é incapaz de digerir certos alimentos, sendo mais comuns a intolerância ao trigo ou glúten e aos produtos lácteos (lactose). No caso da intolerância à lactose o intestino não é capaz de digerir a lactose (açúcar presente no leite e derivados).

Neste tipo de situações a melhor abordagem é, após a identificação do alimento causador de intolerância, a redução do seu consumo ou mesmo a sua exclusão.

Alimentação

Uma dieta caracterizada pelo consumo de hidratos de carbono refinados e substitutos do açúcar podem levar a alterações na microbiota e consequentemente na saúde.

Tem vindo a ser demonstrado que uma alimentação rica em FODMAPs (oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis) pode desencadear sintomas como por exemplo, inchaço abdominal, dor, alteração dos hábitos intestinais (diarreia e/ou obstipação) e uma maior produção de gases.

Os FODMPAs representam um grupo de alimentos que contêm oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis que são mal absorvidos no intestino delgado e fermentados por bactérias, desencadeando estes sintomas.

Uma restrição excessiva e prolongada de FODMAPs pode apresentar consequências nutricionais a longo prazo, sendo necessário a identificação dos mais reativos e permitir desta forma um reajuste a nível alimentar.

Torna-se, assim essencial a identificação de qual ou quais as possíveis causas destes sintomas, permitindo a melhor forma de atuação, trabalhando diretamente na causa e não apenas tratar o sintoma

Ana Claudia Ferreirinha
Nutricionista nas Clinicas Viver

Referências:

  • Building a second brain in the bowel. Avetisyan, M.; Merrick Schill, E.; Heuckeroth, R.O.. J Clin Invest. 2015; 125(3): 899-907
  • O eixo intestino-cérebro e o papel da serotonina. Vedovato, K.; Trevizan, A.R.; Zucolato, C.N.; Bernardi, M.D.L.; Zaroni, J.N.; Martins, J.V.C.. Arq Ci~enc Saúde Unipar, Umuarama. 18(1): 33-42
  • New insights in IBS- disorders: Pandora’s box has been opened; a review. Gastroenterol Hepatol Bed Bench. 2017; 10(2): 79-89.
  • Irritable Bowel Syndrome: Contemporary Nutrition Management Strategies. Gerard E. Mullin, Sue J. Shepherd, Bani Chander Roland, Carol Ireton-Jones and Laura E. Matarese. JPEN J Parenter Enteral Nutr 2014 38: 781.
  • A Diet Low in FODMAPs Reduces Symptoms of Irritable Bowel Syndrome. Emma P. Halmos, Victoria A. Power, Susan J. Shepherd, Peter R. Gibson, Jane G. Muir. Gastroenterology 2014;146:67.
  • Dietary triggers for IBS symptoms – the low FODMAP diet approach. Biesiekierski J, Yao, C. Digestive Health Matters. 2011; V20N2: 9-14.

Источник: https://clinicasviver.pt/barriga-inchada-saiba-porque-e-como-prevenir/

Abdômen distendido: tratamentos e causas

Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

O abdômen distendido consiste em um inchaço na região abdominal ou um aumento no volume do abdômen provocado pela presença de alguma substância em seu interior, como gás, líquido ou sólido.

Barriga inchada: acabe com ela

Este sintoma, também conhecido como timpanismo abdominal, pode ser notado apenas por meio da observação. A barriga fica visivelmente inchada, o que pode ser um incômodo para quem sofre com o problema.

Causas

Inúmeras razões podem levar a um quadro de abdômen distendido. As causas mais comuns incluem:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Buscando ajuda médica

Procure a ajuda médica se você notar que seu abdômen está com volume maior do que o normal e, principalmente, se você apresentou sintomas que vêm acompanhados deste aparente inchaço.

Fique atento especificamente a esses sinais e sintomas:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar um abdômen distendido são:

  • Clínico geral
  • Gastroenterologista
  • Endocrinologista
  • Metabologista
  • Proctologista
  • Oncologista

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Quando você notou o aumento do volume abdominal?
  • Você apresentou outros sintomas? Quais?
  • Você sente dor na região abdominal?
  • Você foi diagnosticado recentemente com outra condição médica?
  • Você tem alguma doença gastrointestinal?
  • Você faz uso de algum tipo de medicamento? Qual?
  • Você está passando por algum tipo de tratamento? Qual?
  • Como é sua alimentação?
  • Você pratica exercícios físicos? Com que frequência?
  • Você tem algum tipo de intolerância alimentar?
  • Você tem perdido ou ganhado peso recentemente?
  • Você notou sangue em suas fezes?
  • Você tem diabetes?
  • Você tem alguma doença relacionada ao sistema endócrino?

Cuidados

Para aliviar os sintomas de abdômen distendido, procure evitar o consumo de alimentos gordurosos e de bebidas gaseificadas, além de cortar de sua dieta o consumo de repolhos, nabos, lentilha e alguns tipos de grãos.

Procure mudar seus hábitos à mesa. Faça suas refeições sempre no mesmo horário e alimente-se devagar, mastigando bem os alimentos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Se você fuma, pare de fumar, e evite o consumo exagerado de bebidas alcóolicas. Além disso, você também pode adquirir medicamentos de venda livre em farmácias para aliviar o desconforto causado pela distensão abdominal.

Medicamentos para Abdômen distendido

Um abdômen distendido pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento de um abdômen distendido são:

  • Domperidona
  • Drospirenona + Etinilestradiol
  • Ibuprofeno
  • Motilium

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Referências

Ministério da Saúde

Mayo Clinic

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Federação Brasileira de Gastroenterologia

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/abdomen-distendido

Distensão abdominal: Quais as causas e como tratar?

Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

A distensão abdominal tem como principal causa a produção de gases, muitas vezes decorrentes da ingestão de alimentos e bebidas ou má digestão.

Contudo, o abdômen também pode ficar distendido em casos de gravidez, prisão de ventre, síndrome do intestino irritável, verminoses, menstruação ou ainda apendicite.

É comum a distensão vir acompanhada por dores abdominais.

Gases

Os gases são produzidos sobretudo durante a digestão de determinados alimentos, tais como leguminosas (feijão, ervilha, grão-de-bico), cebola, couve-flor, repolho, brócolis, ovo (clara), carboidratos (pães, batata, massas), carne de porco, doces em geral, além de bebidas como cerveja, refrigerantes e leite.

Tratamento

Se a causa da distensão abdominal for os gases, o tratamento consiste em evitar os alimentos e bebidas que deixam a barriga inchada. Também é importante mastigar lentamente a comida e evitar falar muito na hora das refeições, já que a pressa, a ansiedade e a própria conversa fazem a pessoa engolir ar juntamente com os alimentos.

Leia também: Excesso de gases: o que pode ser e como tratar?

Constipação intestinal (prisão de ventre)

A constipação intestinal é outra causa comum da distensão abdominal. Muitas vezes também está relacionada com a alimentação, sobretudo devido à pouca ingestão de fibras e água. A prisão de ventre também pode ser decorrente de falta de atividade física, ansiedade, gravidez e menstruação.

Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável pode causar distensão abdominal, diarreia ou prisão de ventre a seguir às refeições, dor abdominal, gases e cólicas.

Verminoses

A presença de vermes pode provocar distensão e dor abdominal, náuseas, vômitos, fraqueza, emagrecimento, falta ou excesso de apetite, diarreia e constipação intestinal. O tipo de verminose é determinado por exame de fezes.

Menstruação

A distensão do abdômen é um sinal que antecede ou acompanha o período menstrual. O inchaço observado nessa fase é provocado sobretudo pela retenção de líquidos.

Gravidez

A distensão abdominal também pode ser um sinal de gravidez. Se a mulher estiver grávida, o primeiro sintoma é o atraso da menstruação. Depois, a barriga começa a crescer e o umbigo fica virado para baixo, as mamas aumentam e ficam mais sensíveis, podendo haver ainda náuseas, cólicas e dores abdominais.

Apendicite

O principal sintoma da apendicite é a forte dor sentida no lado direito do abdômen, acompanhada de distensão abdominal e vômitos.

O tratamento é cirúrgico e a pessoa deve ser levada com urgência a um hospital logo que se verifiquem os primeiros sinais e sintomas.

Também pode ser do seu interesse: Como identificar uma crise de apendicite?

Se a distensão abdominal e outros sintomas persistirem durante pelo menos 3 dias por mês, ao longo de 3 meses, procure um médico clínico geral, um médico de família ou um gastroenterologista para receber um diagnóstico e tratamento adequado.

Saiba mais em:

Dor abdominal: o que pode ser?

Estou com a barriga inchada, dor e pontadas. O que pode ser e o que fazer?

Referências bibliográficas

Источник: https://medicoresponde.com.br/distensao-abdominal-quais-as-causas-e-como-tratar/

Barriga inchada: 7 causas comuns e o que fazer

Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

A barriga inchada é um sintoma relativamente comum que costuma estar associado com a presença excessiva de gases intestinais, principalmente em pessoas que sofrem com prisão de ventre.

No entanto, se estiverem associados outros sintomas, como sangramento anal, aparecimento de hemorroidas ou pele amarelada, por exemplo, é importante consultar um gastroenterologistas para avaliar a situação e iniciar o melhor tratamento.

Outra situação comum de inchaço na barriga é a má digestão, por isso, se acha que esse pode ser esse o problema, assista o vídeo da nutricionista Tatiana Zanin para conhecer as causas da má digestão e como solucionar:

As principais causas de barriga inchada incluem:

1. Excesso de gases

São a causa mais comum e geralmente ocorrem devido a situações como alimentação rica em gorduras, frituras ou doces. O consumo de alimentos muito condimentados, com temperos em excesso também são algumas das causas frequentes da barriga inchada, pois estimulam a formação de gases intestinais, que tendem a dilatar a região abdominal inferior.

O que fazer: comer devagar, não engolir ar ao comer e tomar chá de erva-doce são algumas opções naturais e simples para acalmar a produção de gases, aliviando os sintomas rapidamente. Pode-se também fazer uso de medicamentos, como o Luftal. Veja outras formas naturais de combater os gases intestinais.

2. Prisão de ventre

A prisão de ventre pode estar relacionada ao baixo consumo de fibras, pouca atividade física e pouca ingestão de água, podendo afetar pessoas de todas as idades, embora seja mais comum em pessoas sedentárias e em acamados.

Além do inchaço da barriga, a prisão de ventre também é acompanhada de dificuldade para defecar e sensação de gases presos na barriga, por exemplo.

O que fazer: consumir alimentos ricos em fibras, pois favorecem a formação do bolo fecal, diminuindo a prisão de ventre e os gases associados a ela. Bons exemplos são aveia, muesli, farelo de trigo, alimentos integrais, frutas e verduras cruas ou cozidas em água e sal.

Além disso, pode-se ainda tomar diariamente um copo de iogurte natural batido com 1/2 mamão papaia. Esta receita não tem contraindicações e podem ser utilizada por pessoas de todas as idades. Veja outras formas naturais de combater a prisão de ventre.

3. Excesso de peso

Por vezes, a barriga não está somente inchada havendo acúmulo de gordura nesta região e neste caso é preciso fazer mudanças no estilo de vida e assim perder peso e queimar a gordura da região abdominal para solucionar o problema.

O que fazer: fazer exercícios diariamente e comer menos alimentos ricos em gordura e em açúcar, além de fazer acompanhamento nutricional e médico para redução de peso. Se você precisa de ajuda para adequar a alimentação assista ao vídeo a seguir:

4. Menstruação

É muito comum as mulheres se queixarem de ter a barriga inchada durante o período da TPM e da menstruação. Isso ocorre devido ao acúmulo de líquidos na zona abdominal nessa fase, que tende a desaparecer naturalmente com o fim da menstruação.

O que fazer: para diminuir a barriga inchada durante a menstruação, o que se pode fazer é tomar um chá diurético, como o chá verde ou comer algumas fatias de melão, por exemplo.

5. Gravidez

Quando a barriga começa a ficar mais inchada do umbigo para baixo e a menstruação está atrasada alguns dias, isto pode ser um sinal de gravidez. É normal que a barriga comece a ficar mais proeminente abaixo do umbigo no 1º trimestre de gravidez e, com o passar do tempo, ela vai crescendo com uma forma mais uniforme até que chegue próxima aos seios.

Se você acha que pode estar grávida faça o teste a seguir:

Durante a gravidez, as mulheres tendem a acumular muitos líquidos, ficando com um aspecto todo inchado, principalmente nos tornozelos, mãos e nariz. Quanto a isto, o que se pode fazer é diminuir o consumo de sal e de sódio e beber bastante água. Não é recomendado tomar nenhum chá sem o conhecimento do médico, pois muitos podem provocar o parto prematuro.

6. Ascite

A ascite é uma condição médica onde ocorre o acúmulo de líquido na região abdominal, principalmente devido a problemas do fígado, como cirrose hepática, por exemplo. A barriga fica inchada não só pelo acúmulo de líquidos, mas também porque órgãos como fígado e baço ficam com suas funções alteradas.

O que fazer: caso se suspeite de ascite é recomendado consultar um gastroenterologista para avaliar a causa do problema e iniciar o tratamento mais adequado. Saiba mais sobre a ascite e como é feito o tratamento.

7. Obstrução intestinal

A obstrução intestinal é uma situação de emergência que acontece quando as fezes não conseguem passar pelo intestino devido à uma interferência no seu trajeto, surgindo sintomas como dificuldade para evacuar ou eliminar gases, inchaço da barriga, náuseas ou dor abdominal.

O que fazer: o tratamento para a obstrução intestinal varia de acordo com a localização e a gravidade dos sintomas, devendo sempre ser feito no hospital, já que pode ser necessária a realização de cirurgia. Entenda melhor quando acontece a obstrução e como se trata.

Источник: https://www.tuasaude.com/barriga-inchada/

#DoutoraFeliz: barriga sempre inchada – causas e o que pode fazer

Causas de Barriga Inchada (abdômen distendido)

Hoje vamos falar um pouco sobre os possíveis motivos de estar inchada e como podemos encontrar algumas respostas. De uma vez por todas.

A distensão abdominal e os gases acontecem a todos nós, de vez em quando; no entanto, se isso acontecer de forma consistente, então podemos estar perante um problema. Enquanto médica funcional, para realmente resolvermos qualquer problema, precisamos identificar primeiro a causa-raiz.

Quais são as causas da produção excessiva de gás?

Lacticínios e alguns alimentos

Os lacticínios causam inchaço em pessoas que não produzem a enzima lactase, responsável por decompor a lactose em açúcares simples. A lactose não digerida chega até ao cólon, onde as bactérias podem começar a fermentá-la, criando gás.

De forma semelhante ao glúten, isso pode causar inflamação e má digestão da lactose e dos alimentos que ingerimos, enquanto o nosso intestino está bastante inflamado. E se não for intolerante à lactose, pode ainda ser intolerante a duas outras proteínas encontradas no leite: a caseína e o soro do leite.

Por isso, lacticínios… testem (ou evitem mesmo).

Outros alimentos, como o feijão e alguns dos vegetais crucíferos, como a couve de Bruxelas ou os brócolos, têm maior probabilidade do que outros de causar gases, porque contêm substâncias que não podem ser digeridas. Esses alimentos contêm rafinose, um trissacárido que leva à fermentação e à produção de gases intestinais.

Outros factores, como os adoçantes – por exemplo, o sorbitol e a frutose – causam também inchaço e problemas digestivos em algumas pessoas, assim como excesso de gordura. Comecem a ler os rótulos dos “alimentos” que andam a comer.

Doença celíaca ou doenças inflamatórias intestinais

A doença celíaca é uma doença auto-imune, que pode causar mais de 300 sintomas (trezentos!), incluindo diarreia, fadiga, perda de peso, gases e distensão abdominal.

Quando alguém tem esse problema, o glúten ataca o revestimento do intestino, causando inflamação percetível e sintomas agudos, que podem levar a doenças graves.

Mas para além da doença celíaca, existe um quadro chamado de “leaky gut”, ou intestino permeável, que é o começo de muitas das doenças auto-imunes.

Quer tenha ou não doença celíaca, recomendo a todos que evitem o glúten, pois este desencadeia a libertação de uma substância chamada zonulina, que causa permeabilidade intestinal. Por sua vez, esse intestino permeável leva à inflamação, que pode causar uma série de problemas em todo o corpo, incluindo inchaço e várias doenças.

Supercrescimento de Candida

Quando há desequilíbrios na microbiota intestinal, pode ocorrer uma hiperproliferação do fungo Candida, sendo muito comum causar sintomas como inchaço, prisão de ventre, infecções fúngicas, erupções cutâneas, cansaço e outros sintomas que nem sempre relacionamos com o intestino.

O excesso de Candida pode iniciar um processo de fermentação no intestino, que causa esse inchaço na barriga, tal como quando observamos o pão a crescer na fermentação.

Pessoas que já eliminaram vários alimentos e mesmo assim mantêm persistentemente uma distensão abdominal, com dor e desconforto, devem ser testadas.

SIBO (“small intestinal bacterial overgrowth”)

A maioria das bactérias intestinais deve estar localizada no cólon. Quando as bactérias normalmente encontradas no cólon começam a colonizar o intestino delgado, ocorre o supercrescimento bacteriano no intestino delgado, ou SIBO. O SIBO também pode ser causado por um crescimento excessivo de bactérias normais no próprio intestino delgado.

Essas bactérias em desequilíbrio alimentam-se de alimentos não digeridos e produzem metano ou hidrogénio, dependendo da estirpe da bactéria que está em excesso, causando os sintomas de inchaço abdominal intenso, flatulência e arrotos. Algumas pessoas incham tanto que parecem estar grávidas de seis meses no final do dia.

Nestas situações, temos que fazer um estudo da microbiota intestinal (teste das fezes).

AS SOLUÇÕES: passos simples por onde pode começar

  1. Testes de intolerância alimentar.
    As alergias e intolerâncias alimentares são causas comuns de inchaço e problemas digestivos. Um teste de intolerância alimentar a diferentes grupos alimentares, ou procurar apoio médico/nutricional para uma dieta de eliminação direcionada para as suas necessidades, podem ser o primeiro passo.
  2. Comer devagar.
    Comer muito rápido fará com que engula uma grande quantidade de ar, que produz gases. Mastigue cada garfada com calma e deguste o sabor dos alimentos.
  3. Reduza a ingestão de álcool.
    Efeitos da pandemia? Alguém se identifica…? O stress e ansiedade dos últimos meses levaram muitas pessoas a aumentar o consumo de bebidas alcoólicas. Dependendo dos seus objetivos, pode decidir evitar o álcool completamente. A retenção de líquidos é um sinal de que o seu corpo está com défices de eletrólitos e que pode estar vulnerável a algumas alterações no fígado. Com uma alimentação e hidratação adequadas, pode repor os eletrólitos de que o corpo está em carência.
  4. Hidrate (mas não abuse!).
    Conforme bebemos mais água, o nosso corpo elimina mais líquidos e pode reduzir o inchaço. No entanto, muita água de uma só vez (principalmente para pessoas que bebem habitualmente pouca água) pode sobrecarregar o sistema e desequilibrar os níveis de sódio. Vá avaliando como o seu corpo se comporta e vá com calma.
  5. Identifique e elimine infecções intestinais.
    Muitas pessoas têm graves desequilíbrios da flora intestinal, que devem ser testados e tratados. Já identifiquei em centenas de pacientes na minha prática clínica, que tiveram infecções de SIBO ou de Candida, como muitos dos sintomas gastrointestinais (e outros) foram resolvidos rapidamente.
  6. Excessos na ingestão de fibra.
    O excesso de fibra pode causar inchaço, porque permanece no corpo por um tempo demasiado longo. As nossas bactérias intestinais podem alimentar-se dela, produzindo excesso de gás. No entanto, pouca fibra também pode causar inchaço, bem como prisão de ventre, porque isso pode desacelerar a sua digestão e dar aos alimentos mais tempo para fermentar enquanto estão no trato digestivo. Fazer um diário alimentar pode ajudar a encontrar o que não está a funcionar para si.
  7. Incluir os alimentos certos.
    Existem muitos alimentos funcionais que podem ajudar a aliviar a distensão abdominal. Inclua um sumo de aipo durante 7-10 dias, logo em jejum, todas as manhãs.

É aqui que uma avaliação funcional mais completa pode ser útil.

Uma consulta de medicina funcional inclui sempre uma avaliação alimentar e devemos tentar identificar junto dos nossos pacientes quais os alimentos, bebidas ou estilos de vida que podem estar a agravar a distensão abdominal. Também permite a avaliação de fatores como ingestão de fibras e líquidos, que podem contribuir para a prisão de ventre e distensão abdominal.

Por vezes temos que ir mais longe, com testes funcionais, como uma análise abrangente das fezes e outros testes gastrointestinais, que nos ajudem a identificar infecções digestivas e/ou desequilíbrios na função ou na flora intestinal.

Esses testes são muito mais abrangentes do que os testes-padrão das fezes, e podem ajudar a descobrir as variações fundamentais responsáveis ​​pela distensão e pelo desconforto abdominal.

Soluções personalizadas, com os suplementos certos e mudanças na dieta, são fundamentais para restaurar a função gastrointestinal.

A medicina funcional também pode avaliar os desequilíbrios hormonais que contribuem para a distensão abdominal.

Desequilíbrios no estrogénio e progesterona, ou um excesso da hormona do stress (o cortisol), podem contribuir para a retenção de água na cavidade abdominal e consequentemente aumento de peso.

O primeiro passo é identificar as verdadeiras causas da distensão abdominal e promover todos os passos que apoiem o equilíbrio hormonal e da flora intestinal.

Sorriam para o vosso intestino, tratem-no com o carinho que ele precisa e vejam a vossa saúde e bem-estar a mudar.

A Dra Andreia de Almeida é médica certificada em Medicina Funcional e Medicina Anti-Aging, com treino especializado em Modulação Hormonal e suplementação avançada. Conhecida pela sua abordagem empoderadora e focada na pessoa, através da sua prática clínica procura inspirar as pessoas a encontrarem o equilíbrio, bem-estar e felicidade interior. Escreveu o livro “Saúde para ELAS: o kit de sobrevivência para mulheres dos 20 aos 60+”, um livro dedicado à saúde feminina

Источник: https://miranda.sapo.pt/outras-coisas/artigos/doutorafeliz-barriga-sempre-inchada-causas-e-o-que-pode-fazer

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: