Cirurgia plástica após grande perda de peso

Contents
  1. Quando fazer cirurgia para o excesso de pele depois de emagrecer
  2. Quando se pode fazer a cirurgia
  3. Qual o tipo de plástica mais indicado
  4. 1. Abdominoplastia
  5. 2. Mamoplastia
  6. 3. Cirurgia de contorno corporal
  7. 4. Lifting dos braços ou das coxas
  8. 5. Lifting facial
  9. Como é a recuperação da cirurgia
  10. Quais cirurgias fazer após um grande emagrecimento
  11. Quando devo recorrer a cirurgia após perder muito peso?
  12. Muito além da estética
  13. Corpo novo, vida nova!
  14. Conheça nosso e-book exclusivo sobre como melhorar e rejuvenescer seu olhar! Baixe agora!
  15. Tudo sobre cirurgia pós obesidade do contorno corporal
  16. O que é um doente obeso?
  17. Porque a pele dos braços fica caída ou em excesso?
  18. Como se calcula o índice de massa corporal?
  19. Que tipos de cirurgias plásticas podem ser realizadas após o tratamento da obesidade?
  20. Quando é o timing ideal para fazer a cirurgia plástica após grande perda de volume e/ou peso?
  21. O que é o peso ideal?
  22. O que é um body lift ou lifting do corpo?
  23. Dicas para evitar a realização de cirurgias
  24. Onde posso realizar esta cirurgia?
  25. Mitos e verdades de cirurgias após grande perda de peso
  26. Conheça os mitos e verdades das próteses mamárias
  27. Cirurgia plástica após grande perda de peso
  28. O que fazer com o excesso de pele gerado pela grande perda de peso?
  29. 1. Cirurgia plástica no abdômen (abdominoplastia)
  30. 2.Cirurgia plástica nas mamas (mamoplastia)
  31. 3. Cirurgia plástica em braços e coxas (braquioplastia e coxoplastia)
  32. 4. Cirurgia plástica na face (lifting facial)
  33. 5. Cirurgia plástica nos glúteos (gluteoplastia)
  34. Quanto custa uma cirurgia para remoção do excesso de pele?

Quando fazer cirurgia para o excesso de pele depois de emagrecer

Cirurgia plástica após grande perda de peso

Após uma grande perda de peso, como a que acontece pela cirurgia bariátrica, pode surgir um excesso de pele em alguns locais do corpo, como abdômen, braços, pernas, seios e nádegas, que pode deixar o corpo com uma aparência flácida e com a silhueta pouco definida. 

Normalmente são necessárias 5 ou mais cirurgias para corrigir os excessos de pele. Estas cirurgias podem ser feitas em 2 ou 3 tempos operatórios.

Nestes casos, está indicada a cirurgia reparadora, ou dermolipectomia, que pode, até, ser feita de forma gratuita por serviços de cirurgia plástica do SUS e também tem a cobertura de planos de saúde.

No entanto, para isso, a cirurgia deve corrigir problemas que o excesso de pele pode causar, como dermatite nas dobras, desequilíbrio e dificuldade na movimentação, não sendo somente feita com o intuito de melhorar a aparência estética. 

Já nos casos em que a pessoa apenas quer melhorar a estética do corpo, este tipo de cirurgia pode ser feito em clínicas particulares.

Antes e depois da abdominoplastia reparadora

Quando se pode fazer a cirurgia

A cirurgia reparadora costuma ser feita em casos de rápido emagrecimento, como após a bariátrica. Nestes casos, a pele, que foi esticada pelo excesso de gordura e não encolhe com a perda de peso, o que causa complicações, não só estéticas, mas que interferem na capacidade de movimentação da pessoa e que acumula suor e sujeiras, provocando assaduras e infecções por fungos. 

Além disso, para poder fazer esta cirurgia, também é importante cumprir os seguintes requisitos: 

  • Estar com o peso estabilizado, sem estar mais em processo de emagrecimento, pois a flacidez pode reaparecer;
  • Não apresentar tendência para voltar a engordar, pois a pele pode ser esticada novamente e haver mais flacidez e estrias;
  • Ter empenho e desejo em manter uma vida saudável, com prática de atividades físicas e alimentação equilibrada.

Para fazer a cirurgia de forma gratuita ou com a cobertura pelo plano de saúde, o cirurgião plástico deverá fazer um relatório que demonstre a necessidade da pessoa, e também pode ser necessário passar pela avaliação de um médico perito para confirmação.

Qual o tipo de plástica mais indicado

A dermolipectomia é a cirurgia para retirada do excesso de pele, e existem diversos tipos, de acordo com o local a ser operado, sendo indicada pelo cirurgião plástico de acordo com o grau de flacidez e a necessidade de cada pessoa. Os principais tipos, que podem ser feitos isoladamente ou combinados são:

1. Abdominoplastia

Também conhecida como dermolipectomia abdominal, esta cirurgia retira o excesso de pele formado no abdômen após o emagrecimento, que fica bastante flácida e causa a chamada barriga de avental.  Em alguns casos o avental de pele pode provocar infecções de fungos por isso se considera uma cirurgia reconstrutiva necessária e não só estética. 

A abdominoplastia é feita puxando-se a pele e removendo a parte em excesso, e pode ser feita em conjunto com a lipoaspiração ou com a junção dos músculos abdominais, para reduzir o volume da barriga e afinar a cintura, dando um aspecto mais magro e jovem. Entenda como é feito o passo-a-passo da abdominoplastia.

2. Mamoplastia

Com a mamoplastia, o cirurgião plástico reposiciona as mamas, retirando o excesso de pele e deixando-as com aspecto mais firmes. Esta cirurgia também é conhecida como mastopexia, e pode ser feita isoladamente, ou com a colocação de próteses de silicone, o que pode aumentar os seios, para mulheres que desejarem. 

3. Cirurgia de contorno corporal

Também conhecida como body lifting, esta cirurgia corrige a flacidez de diversos locais do corpo de uma só vez, como tronco, abdome e pernas, dando uma aparência mais tonificada e delineada ao corpo.

Este procedimento cirúrgico também pode ser feito em conjunto com a lipoaspiração, que ajuda a remover o excesso de gordura localizada, afinar a cintura e causar um aspecto anda melhor. 

4. Lifting dos braços ou das coxas

Este tipo de cirurgia também é chamado de dermolipectomia dos braços ou coxas, pois remove o excesso de pele que prejudica a estética e que dificulta a movimentação e atrapalha atividades profissionais e do dia-a-dia.

Nestes casos, a pele é esticada e reposicionada, para remodelar a região desejada. Entenda como é feita a cirurgia e como é a recuperação do lifting da coxa. 

5. Lifting facial

Este procedimento remove o excesso de flacidez e gordura que caem sobre os olhos, bochechas e pescoço, ajudando a suavizar as rugas e rejuvenescer o rosto.

O lifting facial é muito importante para melhorar a auto-estima e bem-estar da pessoa que passou por um emagrecimento muito intenso. Saiba mais sobre como é feito o lifting facial.

Como é a recuperação da cirurgia

A cirurgia reparadora tem a duração de cerca de 2 a 5 horas, com anestesia geral ou local, o que varia de acordo com o tipo de procedimento e se há outras técnicas associadas, como a lipoaspiração. 

O tempo de internação é de cerca de 1 dia, com necessidade de repouso em casa por um período de 15 dias até 1 mês. 

Durante o período de recuperação é recomendado utilizar medicamentos analgésicos para dor, prescritos pelo médico, evitar carregar peso e voltar às consultas de retorno agendadas pelo cirurgião para reavaliação, geralmente após 7 a 10 dias. Em muitos casos pode ser necessário fazer profilaxia antitrombótica, tomando remédios que afinam o sangue, sob orientação médica. Confira que outros cuidados deve ter após este tipo de cirurgia. 

Источник: https://www.tuasaude.com/plastica-reparadora-pos-cirurgia-bariatrica/

Quais cirurgias fazer após um grande emagrecimento

Cirurgia plástica após grande perda de peso

Muitos pacientes obesos recorrem a diversos procedimentos visando atingir seu peso ideal, seja a cirurgia bariátrica ou mudando sua alimentação com nutricionista e passando a realizar atividades físicas.

Em todos esses casos, ao reduzir drasticamente o peso, o indivíduo usufrui de diversos benefícios, como redução dos níveis de colesterol, controle da diabetes, redução da possibilidade de AVC, além de se sentir mais disposto para as atividades do cotidiano e também uma elevação da autoestima.

Quando a quantidade de peso excessiva é reduzida, há um novo desafio a ser vencido: a flacidez. Isso acontece por não haver mais o preenchimento de gordura para aquela região da pele, já que as células adiposas “esvaziaram”.

  Para melhor compreensão, podemos fazer uma analogia com uma bexiga de aniversário, que quando tem seu ar retirado, fica com aspecto flácido.

É nesse momento que a cirurgia plástica se faz necessária para retirada do excesso de pele.

Quando devo recorrer a cirurgia após perder muito peso?

Ao atingir o peso ideal, ou próximo a ele durante a “reta final” do emagrecimento, o indivíduo deve conversar com o cirurgião plástico sobre sua condição. O profissional avaliará o paciente, e ambos decidirão o que deve ser feito para corrigir o excesso de pele. Os procedimentos mais comuns são:

Abdominoplastia: Cirurgia plástica indicada para retirar o excesso de pele e gordura localizada da região do abdômen, visando tonificar os músculos e dando ao paciente um abdômen mais rígido. Este é o mais procurado após grande perda de peso.

Mamoplastia: Mulheres que perdem muito peso também reduzem o volume das mamas, assim como sua elasticidade e projeção, resultando em ptose (queda), e portanto, a cirurgia plástica pode corrigi-la.

Caso a paciente queira apenas corrigir a flacidez, o processo indicado é mastopexia, também conhecido como lifting mamário.

 A cirurgia  mais comum é a mastopexia associada a utilização de prótese de silicone, neste casos.

Braquioplastia: A pele excedente dos braços também pode ser removida através da cirurgia plástica. Também conhecido como “flacidez do tchau”, esse procedimento ajuda no contorno da região do tríceps.

Lifting de Coxas: Ajudando a remodelar a parte interna das coxas, o lifting da região é uma técnica que ajuda a melhorar o contorno corporal e retira o excesso de pele da região.

Lipoaspiração: Mesmo com o paciente chegando ao peso ideal, ele pode ter um resquício de gordura localizada que não foi eliminada com o emagrecimento. Nesse momento, a lipoaspiração é indicada para removê-la, ajudando no contorno corporal, e ajudando na autoestima do paciente.

Muito além da estética

A correção do excesso de pele ajudará o paciente não só a ter a sua autoestima elevada, como também melhora ainda mais a qualidade de vida.

Isso porque o excesso de pele pode causar assaduras, dermatites (inflamações) e infecções, além da possibilidade de gerar um quadro depressivo no paciente que se sente insatisfeito com o corpo após o grande esforço feito para perder o excesso de peso.

No entanto, vale ressaltar que haverá cicatrizes independente de qual procedimento for escolhido, sendo o “preço” para a correção da pele em excesso. É importante conversar com o cirurgião plástico sobre este assunto para não haver uma insatisfação após a cirurgia. No entanto, o profissional tomará os cuidados necessários para que a cicatriz fique a mais discreta o possível.

Corpo novo, vida nova!

O indivíduo só deve estar consciente de que, mesmo após a cirurgia plástica, ele deve manter um estilo de vida saudável ,fazendo exercícios físicos e  uma boa alimentação  para que  mantenha o seu novo corpo.

Os exercícios físicos ajudam no combate a flacidez, já que os músculos ajudam no desenvolvimento da força e resistência muscular, além de hipertrofiar os músculos que preenchem a região que anteriormente era preenchida pela gordura.

Vale dizer que aqueles que não gostam de academia não precisam necessariamente buscar este tipo de atividade física, mas é importante procurar uma que te dê satisfação, seja a dança, futebol, ou algum outro esporte.

Se interessou pelo assunto? Gostaria de saber mais os procedimentos contra a obesidade?  Acesse o site do Dr.Garabet para tirar todas as dúvidas, e marque uma consulta com um dos maiores especialistas no ramo de cirurgia plástica.

Conheça nosso e-book exclusivo sobre como melhorar e rejuvenescer seu olhar! Baixe agora!

Источник: http://www.garabet.com.br/quais-cirurgias-fazer-apos-um-grande-emagrecimento/

Tudo sobre cirurgia pós obesidade do contorno corporal

Cirurgia plástica após grande perda de peso

Maio 10, 2019

A cirurgia pós obesidade consiste nas várias cirurgias plásticas realizadas no corpo após as grandes reduções do peso e volume corporal com estabilização do peso e cujo objectivo final é a remoção da pele flácida e gordura em excesso e a melhoria estética do contorno corporal. Neste artigo, iremos falar sobre obesidade e de como a pode tratar.

O que é um doente obeso?

A braquioplastia é a cirurgia que é feita para melhoria do contorno corporal ao nível dos braços, quer por excesso adiposo quer por flacidez da pele, devido às grandes oscilações de peso ou após emagrecimento acentuado.

Porque a pele dos braços fica caída ou em excesso?

Um doente obeso é um doente que tem excesso de volume e peso em relação à sua altura, pelo que a sua definição é feita por um índice designado de massa corporal, o qual vai estar alterado com valores igual ou superiores a 30 kg/m2.

Como se calcula o índice de massa corporal?

O índice de massa corporal (IMC) é calculado dividindo o valor do peso em Kg pelo valor da altura em metro ao quadrado.

A obesidade ou excesso de peso pode ser tratada com perda de dezenas de quilos apenas com hábitos de vida e alimentares saudáveis envolvendo a utilização de dietas equilibradas e exercício físico regular ou recorrendo à designada cirurgia bariátrica (balão intragastrico, sleeve, banda ou by-pass gástrico).

Que tipos de cirurgias plásticas podem ser realizadas após o tratamento da obesidade?

Após a cirurgia bariátrica ou após grandes perdas de peso e volume estão indicadas várias cirurgias plásticas para correção, sendo elas:

  • abdominoplastia ou a dermolipectomia circular do tronco que pode envolver a correção de hérnias, ou a correção da diastase dos músculos recto abdominais (comum nas mulheres pós parto);
  • lipoaspiração ou lipoescultura alternada com enxertos de gordura para optimizar o contorno corporal;
  • braquioplastia para a correção da pele caída ou excesso cutâneo ao nível dos braços;
  • mastopexia para correção da ptose da mama com ou sem colocação de implantes;
  • mastectomia subcutânea para tratamento da ginecomastia residual nos homens com ou sem lipoaspiração associada;
  • dermolipectomia ou “lifting” para remoção e correção do excesso na parte interna das coxas ou levantamento;
  • aumento do volume das nádegas (com prótese, retalhos dermoadiposos ou gordura);
  • as cirurgias na face e pescoço (lifting facial ou cervicofacial);
  • as cirurgias das áreas íntimas como as labioplastias e vulvoplastias.

Quando é o timing ideal para fazer a cirurgia plástica após grande perda de volume e/ou peso?

O timing ideal é quando se está próximo do peso ideal e este se mantém estável por um período mínimo de 3-6 meses. Nas doentes pós parto deve-se esperar pelo menos 6 meses após o final da amamentação, pelo que não se aconselha a fazer a cirurgia no mesmo tempo do parto.

O que é o peso ideal?

O peso ideal é habitualmente calculado dividindo o peso em Kg pela altura ao quadrado em metros o qual vai definir um índice de massa corporal (IMC) que depois é definido por uma tabela.

  • Baixo peso = IMC abaixo de 18,5 kg/m2
  • Peso normal = IMC entre 18,5 e 24,9 kg/m2
  • Obesidade grau I = IMC entre 30 e 34,9 kg/m2
  • Obesidade grau II = IMC entre 35 e 39,9 kg/m2
  • Obesidade grau III (obesidade mórbida) = IMC maior que 40 kg/m2

    O que é um body lift ou lifting do corpo?

O lifting corporal ou body lift pode:

  • envolver a parte superior do tronco (braquioplastia com mamoplastia associada nas mulheres e ginecomastia nos homens);
  • envolver a parte inferior do corpo (abdominoplastia ou dermolipectomia circular do tronco com ou sem aumento das nádegas e associada a dermolipectomia da parte interna das coxas).
  • ser um total body lift com envolvimento da face (ritidectomia cervicofacial) que só deverá ser feito em doentes saudáveis, com peso adequado, e que pratiquem exercício físico regularmente, sem patologias associadas e altamente motivado.

Estas três abordagens são realizadas há muitos anos em diversos países do mundo e são consideradas seguras desde que o paciente seja avaliado rigorosamente pelo médico que vai operá-lo.

Cada pessoa é avaliada de maneira individualizada, pois as deformidades decorrentes da grande perda de peso afetam diferentemente os pacientes.

Deve-se sempre priorizar a saúde do paciente e nunca colocá-lo em risco para se obter um bom resultado.

Dicas para evitar a realização de cirurgias

Para quem deseja minimizar a necessidade desse tipo de cirurgia, apresentamos algumas dicas:

  • Emagreça com monitoramento médico e nutricional, sem pressa e de maneira contínua, ou seja, evite o “efeito acordeão de emagrecer e engordar várias vezes, pois não é saudável;
  • Se observar que está a ganhar peso, lembre-se de usar hidratante corporal para tentar evitar a ocorrência de estrias. A presença de muitas estrias juntamente com flacidez de pele ainda não são tratados de maneira eficaz sem a cirurgia;
  • Tenha hábitos saudáveis de alimentação balanceada, com prática regular de exercícios físicos, e lembre-se: não fume!

Onde posso realizar esta cirurgia?

O Dr. Marques Moura realiza este e outros procedimentos cirúrgicos na Clínica Privada do Hospital da Prelada. Se tiver alguma dúvida, não hesite em contactar-nos.

Etiquetas:abdominoplastia, braquioplastia, cervicofacial, contorno-corporal, dermolipectomia, IMC, índice-massa-corporal, labioplastias, lifting, lifting-facial, lipoaspiração, lipoescultura, mastectomia, mastopexia, obesidade, vulvoplastias

Источник: https://marquesmoura.pt/tudo-sobre-cirurgia-pos-obesidade-do-contorno-corporal/

Mitos e verdades de cirurgias após grande perda de peso

Cirurgia plástica após grande perda de peso

Entenda melhor os mitos e verdades de cirurgias após um grande emagrecimento

A obesidade é considerada pela  como um dos maiores problemas de saúde pública do mundo. A preocupação com o peso vai muito além da estética, refletindo nos mais diversos aparelhos e sistemas do corpo humano. Assim, nos últimos anos, várias estratégias têm sido criadas no campo da medicina para facilitar o combate a essa pandemia.

Seja por meio de dietas, cirurgia bariátrica, medicamentos ou outros métodos, um número considerável de pessoas consegue migrar da obesidade para o peso ideal.

 Muitas vezes, porém, surge outro problema: o excesso de pele. O abdome globoso dá espaço para uma barriga com aspecto de “avental”.

Pernas e braços frequentemente também sofrem essa consequência, especialmente a face interna da coxa e a parte interna do braço.

A partir daí surgem várias especulações sobre como e quando é necessário corrigir essas consequências. Afinal, se antes a questão de saúde se sobrepunha à estética para o combate a obesidade, ao se atingir o peso ideal, a imagem corporal toma frente nas preocupações e inseguranças quanto ao corpo.

Aqui abordaremos alguns mitos e verdades, além de diversas opções para quem venceu a batalha contra a obesidade e está em busca de melhorar ainda mais sua imagem e auto-estima.

MITO. Características individuais como a quantidade de peso perdida e a elasticidade da pele definirão se o paciente terá um excesso visível de tecido sobrando ou não. Muitas vezes, mesmo após uma grande perda de peso, a pele mantém-se semelhante ao que era antes.

VERDADE. Não é que a academia deixará a pele mais firme diretamente, mas a realização de exercícios, especialmente de musculação, trará um emagrecimento mais saudável e duradouro do que apenas dietas restritivas.

Isso porque o estímulo desses exercícios fará você “trocar” gordura por músculos. Ou seja, parte do lugar ocupado anteriormente pela gordura dará espaço (mesmo que em menor proporção) a músculos, assim a pele não irá “sobrar” tanto.

MITO. Após o período de recuperação específico de sua cirurgia e da liberação do cirurgião, a mulher pode sim engravidar. A única questão, aqui, é que poderá ocorrer novamente o ganho e perda de peso com o processo de gravidez, e é possível que um novo procedimento seja requerido pela paciente após voltar ao peso inicial.

MITO. Nem a idade, tampouco o tempo passado após o grande emagrecimento são determinantes para a realização ou não de cirurgia. A necessidade será avaliada pelo médico, assim como a condição clínica do paciente, que é o principal fator indicador de possibilidade ou não de se submeter a um procedimento cirúrgico.

VERDADE. O famoso “efeito sanfona” é um dos piores inimigos contra o corpo. Além de mexer com todo o metabolismo e dificultar cada vez mais a perda e manutenção do peso, essa situação pode voltar a distender a pele e causar novas necessidades de correções por meio cirúrgico.

Em geral, as cirurgias retiram o excesso de pele e tecido subcutâneo (a gordura superficial) que estão incomodando o paciente e até mesmo muitas vezes atrapalhando seus afazeres diários.

Aqui listaremos alguns tipos principais de cirurgias realizadas após grandes emagrecimentos, nos locais normalmente mais afetados:

No abdômen: o abdômen é o local de maior queixa dos pacientes e, normalmente, o primeiro a ser abordado.

Pode ser realizada a abdominoplastia convencional, quando não há tanto excesso a ser retirado, ou a abdominoplastia em âncora, quando a convencional não traria os resultados esperados.

Quando há apenas um excesso de tecido subcutâneo, a lipoaspiração pode ser utilizada como uma técnica menos invasiva de correção.

Nas mamas: como os seios são compostos basicamente de tecido mamário e gordura, é comum que eles fiquem pendentes após grande emagrecimento. Nesse caso, pode ser realizado tanto a mamoplastia redutora, com ou sem colocação de prótese, como apenas a colocação de prótese em si (quando o excesso de pele não é tao expressivo).

Em braços: Braquioplastia ou Lifting Braquial é o procedimento de escolha para os excessos de pele nos braços. Ela é realizada através de uma incisão na parte interna do braço e retirada dos excessos.

Em coxas: o lifting de coxas é semelhante ao de braços e sua extensão irá depender das características e vontades de cada paciente. Pode ser realizada, em conjunto, uma lipoaspiração local caso haja gordura em excesso na região.

Nos glúteos: a gluteoplastia pode ir desde apenas a retirada de tecido cutâneo em excesso até a utilização de lipoaspiração para retirar gordura localizada em excesso ou a utilização de próteses, caso seja o desejo da paciente.

No rosto:  a principal queixa, aqui, se concentra na região do pescoço e pálpebras. O lifting facial, com ou sem lipoaspiração de pescoço associada, é o procedimento mais escolhido para essa situação, e sua amplitude dependerá, assim como os outros, das características individuais de cada paciente.

E você? Conseguiu o tão sonhado emagrecimento e quer dar continuidade na sua jornada para melhorar sua imagem corporal, auto-estima e estilo de vida? Fale conosco!

Conheça os mitos e verdades das próteses mamárias

Источник: https://www.lucianapepino.com.br/blog/mitos-e-verdades-de-cirurgias-apos-grande-emagrecimento/

Cirurgia plástica após grande perda de peso

Cirurgia plástica após grande perda de peso

A obesidade é uma pandemia que atinge milhões de pessoas em todo mundo. Para combatê-la, nas últimas décadas, uma grande quantidade de tratamentos foi proposta, variando desde medidas preventivas – como atividade física e dietas hipocalóricas – passando por medicações que interferem no metabolismo de açúcares e gorduras, até a cirurgia bariátrica.

De todas as alternativas, aquela que tem trazido melhor resultado a curto e longo prazo para os pacientes obesos é a cirurgia bariátrica.

Variando de caso a caso, a perda de peso em média é de 40% a 80% do excesso de peso em 12 a 24 meses, podendo chegar a valores maiores dependendo de cada paciente.

No estágio final de perda de peso, quando ocorre a sua estabilização, o paciente encontra-se mais disposto, com melhora acentuada do humor e autoestima, porém com um problema novo a enfrentar: o excesso de pele.

O que fazer com o excesso de pele gerado pela grande perda de peso?

Após a cirurgia bariátrica, o que antes era um grande abdômen, hoje se transformou em um em excesso de pele e gordura que pendem sobre o abdômen inferior e a genitália, ocorrendo fenômeno semelhante em braços e pernas (sobretudo nas faces internas de coxas), além de uma queda acentuada da mama e da face, principalmente na região do pescoço.

Para melhor controle do contorno e harmonização corporal, a Cirurgia Plástica vem se aprimorando com novas e avançadas técnicas, com soluções específicas para cada setor do corpo.

1. Cirurgia plástica no abdômen (abdominoplastia)

O abdômen é a região onde se concentra a maior queixa dos pacientes, além de ser símbolo da obesidade por si só, o excesso de pele e gordura acumulados principalmente sobre o abdômen inferior e região genital comumente é a primeira região a ser abordada.

Dependendo da composição corporal e da perda de peso atingida, a técnica pode variar desde uma abdominoplastia convencional até procedimentos mais complexos, como a abdominoplastia em âncora.

a) Abdominoplastia convencional

Na abdominoplastia convencional uma incisão é feita na altura do púbis, semelhante àquela realizada para a cesariana, porém com extensão lateral até o quadril.

O tecido composto de pele e gordura é descolado em toda região do abdome até o tórax e seu excesso retirado. São dados ainda pontos na musculatura abdominal, para reforçar a parede abdominal e prevenir novo relaxamento da mesma. Um novo umbigo é feito, em dimensões menores que as anteriores. É deixado um dreno no subcutâneo, que deve ser retirado após cinco dias em média.

O paciente tem alta hospitalar em um ou dois dias, dependendo da extensão do ato operatório e da recuperação individual. Uma cinta modeladora específica é usada pelo paciente por pelo menos dois meses, para otimizar o resultado da cirurgia.

b) Abdominoplastia em âncora

Outra técnica para abdominoplastias em pacientes com grande perda de peso é a abdominoplastia em âncora.

Utilizada para ressecar amplas quantidades de tecido, esse procedimento fica reservado para pacientes onde somente a abdominoplastia convencional não ofereceria um bom resultado estético final.

Os princípios da técnica e os cuidados pós-operatórios são os mesmos da cirurgia convencional, diferindo unicamente no tipo de incisão aplicada, onde uma segunda incisão é feita na parte medial do abdome, da incisão do púbis até o limite do tórax, ressecando-se o excesso de pele e gordura da região medial do abdome.

c) Lipoaspiração

Seja qual a técnica escolhida para a abdominoplastia, pode ser necessária a realização de uma lipoaspiração em conjunto ao procedimento para se retirar maior quantidade de gordura em excesso, contribuindo ainda mais para um melhor resultado estético.

Para saber mais sobre lipoaspiração, leia: CIRURGIA DE LIPOASPIRAÇÃO | Técnicas, indicações e riscos.

Excesso de pele no abdômen e braços após emagrecimento

2. Cirurgia plástica nas mamas (mamoplastia)

A mamoplastia é o segundo procedimento mais realizado por pacientes que apresentaram grandes perdas de peso, perdendo apenas para a abdominoplastia.

A perda de peso confere uma queda acentuada do tecido mamário, sendo necessária a reparação local. A dificuldade encontrada aqui é justamente a perda do conteúdo da mama, uma vez que ela é composta basicamente de tecido mamário e gordura.

Diferentes técnicas têm sido desenvolvidas para retomar a forma e o conteúdo mamário, trazendo um resultado final mais gracioso às mamas. Elas envolvem a ressecção do excedente de pele e tecido glandular e variam na utilização ou não de próteses de silicone.

Não são utilizados drenos na maioria dos casos e a paciente tem alta hospitalar no dia seguinte ao procedimento, utilizando um sutiã pós-cirúrgico específico, que deve ser mantido pelos próximos dois meses.

O autor desse artigo prefere o resultado da mamoplastia com a utilização de próteses de silicone. A grande variedade em volumes e formas hoje apresentadas no mercado, como as próteses com perfil alto, super alto, anatômico ou cônico, faz com que o conteúdo mamário seja adequadamente reposto, conferindo resultados mais harmônicos e duradouros.

3. Cirurgia plástica em braços e coxas (braquioplastia e coxoplastia)

O excedente de pele e gordura conferidos nos braços e pernas de pacientes que apresentaram grande perda de peso é corrigido cirurgicamente através de técnicas mais simples.

a) Cirurgia plástica em braços

A braquioplastia ou Lifting Braquial é realizada através de uma incisão na parte interna do braço, estendendo-se da axila ao cotovelo. Todo tecido em demasia é ressecado e a pele suturada.

Pode ser necessária uma Lipoaspiração local, para a retirada de toda gordura redundante. Não são utilizados drenos, e o paciente tem alta hospitalar no dia seguinte, utilizando uma malha compressiva específica nos dois meses seguintes ao procedimento.

b) Cirurgia plástica em coxas

A coxoplastia, dermolipectomia crural ou lifting de coxas é semelhante à braquioplastia em seus princípios. Pode variar de uma simples Lipoaspiração local, até ressecções mais amplas, situadas na face medial das coxas, podendo de estender à região inguinal em casos mais singulares.

De rotina, não são utilizados drenos locais, com o paciente sendo liberado para casa no dia seguinte à cirurgia, andando sem maiores dificuldades, fazendo uso também de uma cinta modeladora específica por dois meses.

4. Cirurgia plástica na face (lifting facial)

A ritidoplastia ou lifting facial tem sido cada vez mais procurada nos consultórios de cirurgia plástica por pacientes que obtiveram grande perda de peso.

A queixa principal se concentra na região do pescoço e pálpebras, porém o tecido da face como um todo sofre uma queda. Muitas vezes é necessária uma lipoaspiração da região do pescoço em conjunto ao lifting facial, para se atingir melhores resultados.

As cicatrizes são escondidas ao máximo na região do couro cabeludo e atrás das orelhas, ficando somente uma incisão mais aparente próxima às orelhas. Usa-se um dreno que é retirado no dia seguinte à cirurgia, antes da alta hospitalar, não sendo utilizadas cintas rotineiramente.

O pós-operatório não costuma ser incômodo, com retorno às atividades rotineiras de forma mais precoce que as demais cirurgias.

5. Cirurgia plástica nos glúteos (gluteoplastia)

Com a perda ponderal, ocorre também uma acentuada mudança na região glútea, sendo necessária a sua remodelação.

A gluteoplastia pode ser realizada com ou sem a inclusão de próteses de silicone específicas. Nos casos onde predomina um excesso de tecido gorduroso, a ressecção deste tecido e a remodelação da região glútea pode ser realizada sem próteses, através de uma incisão na porção superior dos glúteos.

Os casos no quais há somente uma queda dos tecidos locais, a inclusão de próteses de silicone deverá ser a opção escolhida. Em ambas situações, uma lipoaspiração pode ser realizada para a retirada do excesso de gordura local, e a recuperação pós-operatória envolve o uso de cintas modeladoras nos dois meses posteriores à cirurgia.

Quanto custa uma cirurgia para remoção do excesso de pele?

No Brasil, os planos de saúde são obrigados por lei a cobrir todos os gastos com a cirurgia plástica reparadora.

Nesse contexto, os pacientes que se submeteram a uma grande perda de peso, por cirurgia ou não, têm as cirurgias citadas acima cobertas em sua maioria, não havendo qualquer custo por parte do paciente. São elas a abdominoplastia, os lifting braquial e de coxas, além de alguns casos de mamoplastia.

Se você não tiver plano de saúde e quiser pagar pelo procedimento, o valor varia muito, dependendo do procedimento, da equipe médica e do hospital onde a cirurgia será feita.

Em geral, o preço de uma abdominoplastia, mamoplastia ou lifting facial fica em torno de R$ 10 mil a R$ 22 mil.

Este texto foi escrito pelo Dr. Victor Varela, especialista em Cirurgia Plástica e Reparadora, e pelo Dr. Pedro Pinheiro, especialista em Medicina Interna.

Источник: https://www.mdsaude.com/obesidade/cirurgia-plastica-perda-de-peso/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: