Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

Colonoscopia

Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

A colonoscopia ou endoscopia digestiva baixa é um exame que serve para observar o intestino grosso (cólon) embora, em determinadas situações, permita também a observação de alguns centímetros da porção final do intestino delgado.

O Gastrenterologista é o médico que realiza o exame. Para o efeito, utiliza um aparelho tubular, fino e flexível, que possui uma lente e uma fonte de luz. A lente permite captar imagens do interior do tubo digestivo, transmitindo-as para um monitor para observação por parte do médico. A este aparelho dá-se o nome de colonoscópio.

Atualmente, a colonoscopia utiliza a tecnologia vídeo, daí também ser vulgarmente designada de videocolonoscopia.

Existem três tipos de exames colonoscópicos, diferindo em termos de extensão percorrida, ou seja, segmentos do intestino visualizados.

Assim, a retossigmoidoscopia é o exame mais simples, percorrendo uma extensão de cerca de 60 cm de intestino, permitindo observar, tal como o nome indica, o reto e o sigmóide.

Por seu turno, a colonoscopia esquerda é um exame em que é observada a metade esquerda do intestino, ou seja, para além do reto e sigmóide, o médico examina também o cólon descendente. 

colonoscopia total é o exame de excelência hoje em dia, pois é aquele em que todo o intestino grosso (cólon e reto) é examinado de forma completa.

Em condições normais o exame pode demorar entre 15 a 60 minutos. A duração poderá ser superior de acordo com outros procedimentos a executar, como veremos adiante.

Indicações da colonoscopia

O exame de colonoscopia é um importante método de diagnóstico em diversas doenças do sistema digestivo.

Este exame permite ao Gastrenterologista avaliar sintomas tais como: dor abdominal, diarreia, obstipação (“intestino preso” ou “prisão de ventre”), perdas de sangue, etc.. É também um exame indicado para detetar inflamação do intestino (colite) e tumores do colon e reto.

Uma das suas principais utilizações está relaciona com o rastreio do cancro do cólon e reto. Neste contexto, é o método mais eficaz e deve ser usado em pessoas com 50 ou mais anos, sem sintomas relevantes. No caso de história de cancro na família, o exame pode mesmo ser antecipado para idades mais jovens.

Preparação para a colonoscopia

Um intestino limpo é fundamental para a realização de um exame seguro e eficiente, por isso, ser-lhe-ão dadas indicações relativamente à dieta alimentar a seguir durante alguns dias que precedem o exame bem como ser-lhe-á prescrito um produto a ingerir. De um modo geral, a preparação intestinal consiste na ingestão de um grande volume de líquidos de uma solução de limpeza que lhe irá provocar diarreia.

De uma forma geral, em relação à dieta, é recomendável que, na semana anterior se evite a ingestão dos seguintes alimentos: sementes, fruta seca, leguminosas secas (feijão, grão, milho, etc.), qualquer tipo de cereais e farelos. Nos três dias anteriores ao exame, um exemplo de dieta a seguir pode ser:

Pequeno-almoço: infusão de tília, erva cidreira ou chá, iogurte, biscoitos secos. Almoço e Jantar: Sopas brancas passadas, caldos de carne, carnes magras, cozidas ou grelhadas (vaca, vitela, galinha, peru, coelho), peixes magros, cozidos ou grelhados (pescada, robalo, faneca, linguado, caparau), arroz, puré de batata, ovo cozido, pão branco, biscoitos secos, queijo fresco e iogurte.

Os preparados para limpeza intestinal consistem em laxantes, usados para permitir limpar o intestino eficazmente e deste modo permitir realizar a colonoscopia de uma forma segura e eficiente. No mercado existem vários tipos de preparados, com várias marcas comerciais (Klean-Prep®, Moviprep®, CitraFleet®, entre outros).

Normalmente, o local onde vai realizar o seu exame, fornece ao paciente instruções precisas quanto à forma de ingestão do preparado para limpeza intestinal.

É comum a todos que após o início da sua ingestão, o paciente não poderá ingerir mais nenhum alimento sólido.

Poderá apenas efetuar uma dieta liquida à base de líquidos transparentes, como água, chá açucarado, sumos de fruta diluídos sem polpa e água de sopa.

Deve ter acesso a um quarto de banho, pois a preparação provoca diarreia.

Se se sentir nauseado/enjoado ou tiver vómitos, faça intervalos mais prolongados. Normalmente, essa sensação atenua-se a partir do momento em que a preparação começa a surtir efeito.

Deve sempre avisar o médico sobre toda a medicação que toma.

A maioria dos medicamentos podem ser tomados como habitualmente contudo, alguns devem ser interrompidos por interferir na qualidade da preparação ou porque podem constituir risco acrescido para o exame.

Medicamentos “para o sangue” (antiagregantes e hipocoagulantes) bem como medicamentos para a artrite (anti-inflamatórios) podem levar ao aparecimento de hemorragias durante ou após o procedimento.

Alergias medicamentosas (a medicamentos), problemas cardíacos (do coração) ou pulmonares (dos pulmões) devem ser sempre notificados. O médico Gastrenterologista deve também ser informado se o paciente necessita de tomar antibióticos previamente a tratamentos dentários.

A Colonoscopia dói?

A maior parte dos doentes submetidos à colonoscopia (não anestesiados) não sente dor violenta durante a realização do exame, referindo apenas algum desconforto no decorrer do mesmo.

No entanto, a tolerância à dor é altamente variável de pessoa para pessoa e pode também depender de algumas condições clínicas (aderências de cirurgias anteriores, problemas respiratórios ou cardíacos, stress,…).

Os doentes anestesiados não têm qualquer percepção da realização do exame, como veremos de seguida.

Colonoscopia com sedação

A colonoscopia com sedação (anestesia geral) pode ser considerada nos casos onde existem algumas condições clínicas (stress ou ansiedade, aderências de cirurgias anteriores, problemas respiratórios ou cardíacos, etc.). No entanto, como vimos, a colonoscopia sem sedação pode ser bem tolerada por um número significativo de doentes.

O doente estará sempre acompanhado e monitorizado até acordar.

Depois de terminar o exame não vai poder conduzir mesmo que se sinta capaz de o fazer. A anestesia poderá afetar a capacidade de reação e de atenção do doente. Assim, o doente deverá neste caso fazer-se acompanhar sempre por um acompanhante que o leve de regresso a casa.

A colonoscopia tanto pode ser realizada em adultos como nas crianças. Neste caso, a endoscopia em idade infantil é, normalmente, efetuada sob sedação / anestesia.

Como vimos a colonoscopia (sem sedação) pode ter uma duração que varia, habitualmente, entre 15 a 60 minutos. A colonoscopia com anestesia geral é obviamente mais demorada (tempo total) que uma colonoscopia sem anestesia.

Como é feito o exame de colonoscopia?

No caso da colonoscopia ser realizada sem anestesia (com o doente acordado), o médico vai iniciar o procedimento com a aplicação de um gel anestésico/lubrificante através de um toque retal.

No caso da colonoscopia ser realizada com anestesia (com o doente a dormir), o doente é previamente puncionado (colocado um cateter numa veia para administrar os medicamentos).

É realizada monitorização dos parâmetros vitais do doente (registo dos batimentos e do ritmo cardíaco, da tensão arterial (TA), dos níveis de oxigénio no sangue) e aí, o toque retal será realizado sem a perceção do doente.

De seguida, o exame é feito através da introdução do colonoscópio que permitirá a visualização do intestino por parte do Médico (especialista em gastrenterologia, abreviado, por vezes, para Gastro). Para tal, o paciente é previamente deitado numa maca sobre o lado esquerdo e com as pernas dobradas (posição fetal).

O colonoscópio passa através do ânus para o reto e segue depois ao longo do colon. Chegando ao final do colon (cego), o aparelho é removido lentamente para uma observação mais cuidada.

O procedimento pode demorar entre 15 a 60 minutos pelo que o doente deve sempre contar, especialmente no caso de exames com anestesia, com duas a três horas de duração total entre o tempo de espera, preparação e recuperação.

Em alguns casos o médico pode chegar à conclusão que não pode completar o exame (chegada ao cego) quer por motivos clínicos, técnicos ou de má preparação. Apesar de poder ser necessária a realização de outro ou outros exames, o médico também poderá entender que o exame realizado é suficiente para a avaliação desejada.

Após a realização do exame, o Médico Gastrenterologista poderá transmitir-lhe alguma informação sobre o procedimento e o resultado parcial do exame, no entanto, há outros resultados (por exemplo, de biópsias ou polipectomias) que poderão demorar vários dias. Assim sendo, deverá ser sempre agendada uma consulta com o seu médico para uma avaliação final.

Colonoscopia com biópsia

Por vezes, o médico entende que determinada área do intestino necessita de uma avaliação mais detalhada e, para isso, recorre à remoção de pequenas amostras de tecido (biópsias).

As biópsias servem para identificar todo o tipo de patologias, mesmo que não haja qualquer suspeita de malignidade.

Colonoscopia como método de Tratamento

A colonoscopia pode ser usada também como método de tratamento de certos problemas do tubo digestivo.

Através de instrumentos muito finos que passam por um canal no interior do colonoscópio é possível ao médico resolver alguns problemas, tais como: apertos (estenoses), remover pólipos (polipectomia) ou parar hemorragias.

A remoção de pólipos durante uma colonoscopia é um procedimento frequente e considerado de boa pratica clínica, sendo a medida mais eficaz na diminuição da taxa de incidência do cancro colo-retal. No caso dos doentes não anestesiados, o procedimento não provoca dor.

Os pólipos após serem removidos são enviados para exame patológico para garantir que são benignos (não contêm cancro). A existência de um pólipo do intestino permite identificar os doentes com risco acrescido de virem no futuro a desenvolver novos pólipos ou cancro intestinal. 

Dependendo do número de pólipos, do seu tamanho e do seu tipo histológico, o Gastrenterologista aconselhará sobre a necessidade e timing de efetuar uma colonoscopia de vigilância. Normalmente, a colonoscopia de vigilância ocorre entre 3 a 5 anos após o exame inicial, no entanto, este intervalo de tempo poderá, em situações específicas, ter de ser encurtado.

Saiba, aqui, tudo sobre pólipos do intestino.

Sintomas após exame de colonoscopia

Depois deste procedimento pode sentir algum desconforto, distensão ou dor abdominal devido à passagem do colonoscópio e, sobretudo, devido ao ar que se introduziu. A expulsão de gases permite aliviar estes sintomas.

Vai poder beber ou comer uma refeição ligeira a menos que lhe sejam dadas indicações contrárias.

Riscos da colonoscopia

Na colonoscopia as complicações são raras mas podem acontecer:

  • Perfurações intestinais, especialmente em doentes submetidos a polipectomia, ou com condições de risco (divertículos, aderências, idade avançada,…). Estas complicações são graves e geralmente requerem cirurgia;
  • Hemorragia após a realização de biopsias ou remoção de pólipos. Geralmente são de pequeno volume e controladas durante o procedimento. Contudo, podem surgir hemorragias tardias (algumas horas ou alguns dias após o procedimento), especialmente nos doentes de maior risco (exemplo, doentes que tomam medicamentos “para o sangue” –antiagregantes ou hipocoagulantes);
  • Reações aos medicamentos anestésicos;
  • Complicações respiratórias e cardíacas.

Apesar das complicações serem raras é bastante importante que o doente reconheça precocemente sintomas de possíveis complicações: se tem febre, dor abdominal persistente, perda de sangue, dificuldade em respirar deve informar rapidamente o médico. Tenha em atenção que uma hemorragia por remoção de um pólipo pode surgir vários dias depois do procedimento.

Quanto custa uma colonoscopia?

O preço de uma colonoscopia ou endoscopia digestiva baixa pode variar em função do subsistema de saúde (SNS; ADSE; ADMG, etc.), ou se o exame é realizado a título particular. O valor também difere se o exame for realizado com anestesia ou sem anestesia.

A realização de biopsias, polipectomias (remoção de pólipos) ou outras técnicas terapêuticas (dilatações, mucosectomias,…) possuem custos acrescidos.

Veja informação adicional sobre custos da colonoscopia e clínica onde fazer o exame, seleccionando o seu concelho.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/gastrenterologia/colonoscopia/

Colonoscopia: o que é, para que serve, preparo, preço e mais

Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

Embora seja motivo de preocupação e vergonha para muitos pacientes, a colonoscopia é um exame importante para diagnosticar diversas doenças, como o câncer de cólon — que é a porção média do intestino grosso. O procedimento é realizado sob sedação e, portanto, não oferece incômodo ao paciente, porém exige uma dieta específica nos dias anteriores. Entenda:

O que é colonoscopia?

Doro Guzenda/Shutterstock

É um exame endoscópico que obtém detalhes que outros testes laboratoriais não conseguem.

O procedimento permite que o médico – gastroenterologista, colonoscopista ou endoscopista – olhe para dentro do cólon por meio do colonoscópio (uma sonda flexível com uma pequena câmera que é introduzida a partir do ânus até o intestino delgado) e analise possíveis alterações na região.

Diagnóstico

O exame de colonoscopia é o único capaz de identificar com precisão a presença de pólipos, lesões, inflamações, úlceras, tumores e outras alterações presentes na região.

Indicação terapêutica

O exame também pode ter indicação terapêutica e ser usado para inserções de próteses intestinais e retirada de pólipos e outros corpos estranhos que ficaram presos no intestino.

Preparo para colonoscopia

Para que o colonoscopista consiga examinar corretamente o intestino, sem que sua visão seja obstruída por resíduos de fezes, é muito importante seguir corretamente as instruções médicas que envolvem dieta específica e uso de laxantes.

Confira as indicações mais comuns para a realização do exame:

Dieta

As seguintes orientações são indicadas para um a três dias antes do exame:

Alimentos proibidos

  • Alimentos sólidos
  • Bebidas alcoólicas
  • Líquidos vermelhos ou roxos
  • Leite e derivados
  • Carne vermelha e branca
  • Fibras, sementes, alimentos integrais e cereais
  • Refrigerante ou qualquer outra bebida com gás
  • Leguminosas
  • Pipoca
  • Alimentos gordurosos

Alimentos permitidos

  • Muita água
  • Sopas, purês e cremes
  • Macarrão amassado
  • Batatas cozidas
  • Chás claros
  • Água de coco
  • Sucos coados
  • Bolacha de água de sal

Medicamentos

No dia anterior ao exame, o paciente será orientado pelo médico ou laboratório responsável a ingerir laxantes que provocarão diarreia e flatulência. Em alguns casos, ainda pode haver enjoo e cólicas.

No dia da colonoscopia — a depender do horário em que será realizada — deve-se manter jejum por oito horas, exceto pela ingestão de um líquido que finaliza a limpeza do cólon, como a solução de manitol.

Como o exame é feito?

Naeblys/Shutterstock

Após seguir a dieta recomendada, que visa a limpeza do intestino, o paciente vestirá uma camisola do hospital e deverá permanecer sem as roupas íntimas. Em seguida, terá seus sinais vitais medidos e receberá um acesso venoso. Depois, será deitado de lado e com os joelhos flexionados e receberá a sedação por meio do acesso.

O médico fará o exame de toque para relaxar a região anal e, logo em seguida, introduzirá o colonoscópio (tubo flexível com câmera) no reto. Essa sonda é fina e possui cerca de um metro de comprimento. Para que a visualização da câmera seja melhorada, pequenas quantidades de ar podem ser injetadas no intestino, as quais possivelmente podem causar um pouco de desconforto após o exame.

Quanto tempo demora?

O exame requer preparação de meia hora para a sedação e dura aproximadamente 45 minutos, mas pode demorar mais se a biópsia for necessária.

Recuperação

Após a finalização, o paciente sedado deverá ficar sob observação por uma a duas horas. Neste período, ele poderá receber soro por via venosa que visa a reposição de água, açúcares e sais minerais, perdidos devido à diarreia induzida pelos laxantes durante o preparo.

É necessário que esteja junto a um acompanhante, que será responsável por conduzir o indivíduo de volta para casa, visto que ele pode estar com os sentidos comprometidos devido à sedação.

É comum que o intestino demore alguns dias para voltar a funcionar regularmente, o que explica alguns desconfortos que podem ser sentidos, como gases e inchaço na região abdominal.

Para reduzir os problemas, é recomendada a suspensão de alimentos que causam gases, tais como leguminosas, bebidas com gás, doces, ovos, brócolis, batata doce e repolho. Em caso de biópsia, o paciente poderá sentir um leve desconforto que passará em poucos dias.

Colonoscopia dói?

A colonoscopia é totalmente indolor, já que o paciente recebe sedação, o que também o livra de incômodos e possíveis retrações que podem atrapalhar o sucesso do procedimento.

Outras recomendações importantes

  • O especialista deverá ser informado em caso de suplementações, medicações, implantes, próteses ou uso de drogas pelo paciente;
  • Medicamentos para diabetes, anticoagulantes e cápsulas de óleo de alho deverão ser suspensos antes do exame, sob orientação médica;
  • O médico deverá ser avisado sobre possíveis alergias medicamentosas, cirurgias anteriores e problemas de saúde;
  • O paciente ficará impedido de dirigir e andar de moto após o exame – mesmo que na garupa;
  • É importante usar roupas confortáveis, sapatos sem salto e levar uma troca de roupa.

Riscos

A colonoscopia costuma ser segura, mas, como qualquer outro exame, pode apresentar complicações em casos raros  (aproximadamente um a cada mil). São elas:

Perfuração

É a complicação mais comum, apesar de sua ocorrência ser de menos de 1%. É mais frequente em portadores de diverticulite, pois as paredes do intestino se tornam mais espessas e irregulares.

A perfuração também pode ocorrer quando a indicação do procedimento é direcionada para a remoção de pólipos ou lesões.

Sangramento

Os sangramentos podem ser decorrentes de perfurações e remoções de pólipos ou de pequenas fissuras causadas pela passagem do colonoscópio em pessoas com alterações na coagulação sanguínea. O tratamento inclui a cauterização da lesão.

Sangue nas fezes

É decorrente de algum machucado causado pela passagem do tubo e pode aumentar com o ato de fazer força para eliminar as fezes. Neste caso, é necessário procurar auxílio especializado imediatamente.

Febre, vômitos ou diarreia

Pode ser sinal de alguma bactéria ou ferida aberta dentro no trato digestivo. É importante consultar um médico o quanto antes.

Quando o médico solicita o exame?

crystal light/Shutterstock

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo indivíduo saudável deve realizar o exame a partir dos 50 anos, idade em que o risco de câncer colorretal é maior. Já a repetição varia de acordo com a visão médica, podendo ser de 2 a 10 anos de intervalo.

Entretanto, existem grupos de risco que precisam ter mais atenção com as doenças de cólon e devem iniciar os exames antes. São eles:

  • Pessoas com doenças inflamatórias intestinais
  • Histórico pessoal ou familiar de pólipos intestinais
  • Histórico pessoal ou familiar de câncer de cólon

Tem alguma contraindicação?

Pessoas que tenham suspeita de abdômen agudo perfurativo, diverticulite em estado avançado ou megacólon tóxico não podem se submeter ao exame. Neste caso, uma opção é a colonoscopia virtual, um exame de imagem que visa visualizar o cólon e reto por meio da tomografia computadorizada.

Além disso, pacientes gestantes a partir do segundo semestre, com infarto recente do miocárdio, embolia pulmonar, aneurisma ou neutropenia também devem conversar com um médico sobre os riscos do exame.

Possíveis resultados

Como o médico visualiza o trato digestivo durante o exame, consegue diagnosticar doenças prontamente. Em caso de biópsia, é necessário esperar a análise laboratorial.

No resultado saudável, é esperado que a mucosa esteja rosada, sem lesões, inflamações ou bolsas.

Já para resultados que requerem atenção, podem ser identificados tumores, lesões, feridas, diverticulite, colite e, em casos extremos, câncer inicial ou avançado de reto ou cólon.

Média de preço da colonoscopia

O valor para a realização do exame varia de acordo com a clínica ou o hospital elegido pelo médico e paciente. A média de preço é de aproximadamente R$ 600*.

*Preços checados em junho de 2018.

Источник: https://www.ativosaude.com/saude/colonoscopia/

ProGastro

Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

Colonoscopia é o exame endoscópico do cólon (intestino grosso) e muitas vezes também do íleo terminal (porção final do intestino delgado).

Além da inspecção da superfície intestinal, a colonoscopia permite também a realização de biópsias que podem ser úteis no estabelecimento do diagnóstico.

Procedimentos terapêuticos também podem ser realizados durante a colonoscopia, entre eles o mais frequente é a remoção de pólipos (polipectomia).

Quando é usado?

A colonoscopia é a forma mais direta e completa para verificar a mucosa do cólon inteiro. Geralmente é feito por uma das seguintes razões:

  • Uma colonoscopia pode ajudar a encontrar pequenas verrugas (pólipos), que podem se tornar câncer. Os pólipos podem ser removidos antes de se tornarem câncer. O exame também pode permitir que seu médico encontre tumores cancerosos precocemente, quando o câncer é mais fácil de curar.Se você tem mais de 50 anos de idade, voçê deve fazer uma colonoscopia. Se você tem uma história pessoal ou familiar que aumenta o seu risco, o seu médico pode recomendar que você começe a fazer o exame em uma idade mais precoce.
  • Se você tiver sintomas e ainda não tem o diagnóstico, você pode ter que realizar este exame para tentar encontrar a causa. Por exemplo, se você estiver tendo dor abdominal, alteração do hábito intestinal ou sangramento pelas fezes.Através da colonoscopia seu médico pode verificar se existe alguma irritação da mucosa ou divertículos na parede do intestino que podem justificar estes sintomas.

Qual o preparo para o exame?

Para a realização da colonoscopia é muito importante que se faça um preparo intestinal para que os resíduos sejam removidos do interior do cólon e assim o exame pode ser feito com o máximo de segurança e eficácia.
Habitualmente, para o preparo intestinal é recomendado dieta nos dias que antecedem o exame, laxativos e eventualmente lavagens.

Certifique-se de completar o preparo intestinal. O exame pode não ser realizado se o cólon tem ainda de fezes . Além disto se o preparo estiver inadequado, pequenos pólipos ou lesões podem não serem vistos pelo médico, prejudicando assim a qualidade do exame e consequentemente a sua saúde também.

Beba bastante líquidos claros durante a preparação intestinal para evitar a desidratação. É útil beber líquidos que ajudam a repor eletrólitos que você perde durante a preparação. Por exemplo, você pode beber “bebidas esportivas” em qualquer cor, menos vermelho ou roxo.

O exame demora cerca de 20 a 30 minutos. No entanto, você terá que planejar ficar na clínica cerca de 2 horas para o cadastro, realização do exame e recuperação.

É obrigatória a presença de um acompanhante maior de idade.

O que acontecerá durante o exame ?

Após o preparo do cólon, o paciente é levado à sala de exame onde será sedado. A sedação é realizada por via endovenosa e ajuda o paciente a dormir e relaxar.

O colonoscópio é então introduzido pelo reto até o ceco (porção inicial do cólon) ou até o íleo terminal (porção final do intestino delgado).

Durante a retirada do aparelho é feita uma minuciosa inspeção identificando as eventuais alterações.

Se necessário, pequenas amostras de tecido (biópsias) podem ser colhidas durante o exame para análise microscópica detalhada. Não se preocupe, não dói.

Na presença de lesões elevadas (pólipos), o médico poderá realizar, dependendo do caso, a retirada da lesão (polipectomia) durante o exame.

As amostras retiradas durante o exame (biópsias ou pólipos) são enviadas ao laboratório de patologia para análise. O resultado da análise deve ser retirado diretamente no laboratório onde o material foi analisado e fica pronto geralmente em sete dias.

Quais os riscos do procedimento ?

As complicações relacionadas à colonoscopia podem decorrer do preparo do colon, da sedação, do exame propriamente dito ou de procedimentos complementares realizados. O preparo pode gerar intolerância gástrica que se refletirá em nauseas, vômitos e distensão abdominal. Como o preparo induz a diarréia, pode ocorrer desidratação e desequilíbrio dos eletrólitos do organismo.

As complicações relativas à sedação variam de uma irritação da veia puncionada (flebite) até situaçõses de maior gravidade com hipotensão arterial, bradicardia, depressão respiratória, broncoaspiração e até parada cardiorrespiratória.
Pode ocorrer perfuração intestinal durante a introdução do colonoscópio.

Porém esta complicação ocorre apenas em cerca de 0,05% das colonoscopia com finalidade diagnóstica. Ressecção de pólipos podem acarretar em duas complicações: a perfuração e a hemorragia.Tais eventos relacionam-se principalmente ao tamanho dos pólipos ressecados.

A perfuração pode ocorrer com freqüência de 0,03 a 1% das polipectomias e a hemorragia em cerca de 0,02% dos procedimentos, podendo acontecer no momento da ressecção do pólipo ou até dias após.

O que devo fazer após o procedimento ?

Após o exame, você pode descansar até que você esteja acordado e alerta o suficiente para ser levado para casa (não pode dirigir veículos). Você deve planejar continuar a descansar por algumas horas depois de chegar em casa. É normal ter gás e cólicas leves por algumas horas após o exame.

Depois de descansar, você deve sentir vontade de comer. A dieta volta ao normal novamente, mas recomenda-se alimentação leve. Certifique-se de beber muitos líquidos após o exames.

Se pólipos ou outro tecido for removido, você pode notar um pouco de sangue nas fezes por um tempo curto. No caso de mal estar, náuseas e vômitos, sangramento intestinal ou dor abdominal de grande intensidade o paciente deve entrar em contato com serviço de endoscopia ou procurar um serviço de emergência com o laudo do exame em mãos.

Clique aqui para ler o preparo para o exame

Источник: http://progastrojoinville.com.br/procedimentos/endoscopia_gastrointestinal/colonoscopia

Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

Colonoscopia: o que é, preparo, sedação e riscos

A colonoscopia é um exame cujo o objetivo é permitir que o médico gastroenterologista possa olhar diretamente para dentro do cólon, também conhecido como intestino grosso. Para tal, é usado um aparelho endoscópico chamado colonoscópio.

O colonoscópio é um longo e fino tubo flexível, com comprimento que pode chegar até aproximadamente 185 cm e um diâmetro que varia entre 1,0 e 1,3 cm.

A colonoscopia é feita através da introdução do colonoscópio pelo ânus e progressão do mesmo até o início do cólon e final do intestino delgado. O aparelho é semelhante ao endoscópio utilizado na endoscopia digestiva feita para avaliar esôfago e estômago.

Se você procura de informações sobre a endoscopia digestiva alta, leia: ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA.

Na extremidade do colonoscópio há uma microcâmera que transmite em tempo real as imagens para um monitor, permitindo que o médico veja e grave o que ocorre dentro do intestino grosso. Os últimos centímetros do colonoscópio são articulados e podem girar em vários ângulos, para facilitar a visualização de todo o interior do cólon.

A colonoscopia é um procedimento endoscópico que fornece informações que os testes radiológicos comuns podem não ser capazes de dar. A colonoscopia tem a vantagem de poder ser usada tanto para fins diagnósticos como para tratamento de algumas doenças que acometem o cólon e o reto.

O colonoscópio também permite que o médico introduza uma espécie de pinça, que pode ser usada para fazer biópsias e remover lesões suspeitas, como pólipos.

O que é retossigmoidoscopia?

A retossigmoidoscopia é uma variação da tradicional colonoscopia, sendo feita com um aparelho mais curto, que só vai até o final do cólon descendente (segmento em amarelo na ilustração acima).

A retossigmoidoscopia permite a visualização do reto, sigmoide e cólon descendente, que são as regiões do intestino que mais frequentemente apresentam lesões tumorais.

Razões para se fazer uma colonoscopia

Como a colonoscopia permite a visualização direta do interior do intestino, ela costuma ser indicada como meio diagnóstico para uma variedade de condições do trato intestinal. As razões mais comuns para se indicar a realização de uma colonoscopia são:

Como é o preparo?

Antes de colonoscopia, o cólon deve estar completamente limpo para que o médico possa ver a mucosa do cólon sem interferências. A maioria dos pacientes considera a preparação mais desagradável do que o exame em si.

O seu médico deve lhe dar instruções específicas sobre como se preparar para a colonoscopia. É comum você receber um kit com instruções de como proceder. Certifique-se de ler as instruções com antecedência para poder entrar em contato com o médico em tempo hábil caso surja alguma dúvida.

O preparo começa com uma dieta livre de alimentos sólidos por 1 a 3 dias. Para limpar o cólon, é habitual a utilização de um laxante forte para tomar na noite anterior ao exame. Alguns médicos também indicam a realização de um enema para ajudar na limpeza.

O objetivo é mesmo causar uma forte diarreia, de modo a que não sobre restos de fezes no cólon, capazes de atrapalhar a colonoscopia. Não programe nada fora de casa na véspera do exame.

Você vai estar com uma grande diarreia, precisando ir ao banheiro frequentemente para evacuar.

É importante que você beba bastante líquido na véspera. Os mais indicados são:

  • Suco de frutas coado.
  • Água.
  • Café puro.
  • Chá comum.
  • Bebidas esportivas, como Gatorade.
  • Gelatina.

Deve-se evitar refrigerantes, leite ou qualquer líquido de coloração avermelhada.

Devo parar com os meus remédios habituais antes da colonoscopia?

Você deve informar ao seu médico todos os medicamentos que toma para que ele possa saber se há alguma droga que deva ser suspensa antes da colonoscopia.

A maioria dos medicamentos não precisa ser interrompida antes do exame, porém, algumas doses podem necessitar de ajuste, como no caso dos medicamentos para a diabetes, devido à diminuição da ingestão de alimentos antes do procedimento.

Também é importante avisar ao médico quanto ao uso de medicamentos à base de ferro, pois estes podem atrapalhar a visualização do cólon.

Drogas que agem na coagulação são as que devem receber maior atenção, já que o médico pode optar por retirar pequenas amostras de tecido intestinal durante a colonoscopia.

Habitualmente, a aspirina, clopidogrel e os anti-inflamatórios, que são substâncias que aumentam o risco de sangramento por inibirem a ação das plaquetas, não precisam ser interrompidos antes da colonoscopia.

A maior preocupação é em relação a anticoagulantes, como heparina e varfarina. Nesses casos, a decisão de interromper cabe ao médico, que irá avaliar os riscos e os benéficos.

O exame dói?

O nosso intestino parece um daqueles balões de festa vazio. Seu interior é oco, mas as paredes ficam “coladas” umas nas outras.

Para que o colonoscópio possa entrar e visualizar as paredes do intestino grosso em todos os ângulos é preciso provocar uma insuflação do mesmo.

Por isso, enquanto o colonoscópio vai sendo introduzido ele vai ao mesmo tempo jogando ar (gás carbônico, na verdade) para dentro, descolando, assim, as paredes e permitindo sua progressão.

O desconforto que a colonoscopia provoca é devido ao ar usado para inflar o cólon. O paciente costuma sentir cólicas, que podem ser mais fortes ou mais fracas dependendo de cada caso.

Como injeta-se ar para dentro do intestino, durante o exame o paciente frequentemente sente vontade de eliminar flatos (soltar pum). Não é preciso ter vergonha e não se deve tentar impedir a saída desses gases. Na verdade, a eliminação do ar ajuda o médico a ter ideia do quanto você tolera a insuflação, permitindo que ele a controle de modo a que o exame seja menos incômodo.

Há pessoas que acham a colonoscopia um exame muito desconfortável, enquanto há outras que o toleram sem problemas. Isso é muito individual, mas depende também da habilidade do médico.

Sedação

A colonoscopia pode ser feita sem sedação, com sedação leve ou com sedação mais profunda. Quando uma sedação mais profunda é desejada, geralmente um anestesiologista é chamado para acompanhar o exame.

O grau de sedação é decidido de acordo com o nível de ansiedade do paciente, da sua capacidade de colaborar durante o exame e das condições do seu estado clínico.

Pacientes obesos, com doenças cardíacas ou pulmonares, por exemplo, toleram mal sedações mais agressivas.

O ideal é sempre realizar o exame com o mínimo de sedação necessário para que o paciente sinta-se bem e permita a realização adequada da colonoscopia. Em geral, os pacientes ficam sonolentos, mas mantêm-se acordados.

Antes do exame, pergunte ao seu médico como ele planeja realizar a sua sedação.

Como é feito o exame de colonoscopia?

Na hora do exame você será colocado de lado e ficará com seus sinais vitais monitorizados. Uma enfermeira irá pegar uma veia sua para administração de soro e medicamentos. Quando você estiver relaxado e adequadamente sedado, o exame terá início.

O médico ira introduzir o colonoscópio através do seu ânus, progredindo lentamente pelo reto e depois cólon, conforme vai injetando gás carbônico para insuflar as alças intestinais. Durante o exame o médico pode pedir para você fazer pequenos movimentos com o corpo de modo a facilitar a passagem do colonoscópio.

Se durante o procedimento o médico identificar pólipos, os mesmo podem ser retirados pelo colonoscópio. Do mesmo modo, lesões suspeitas podem ser biopsiadas para melhor avaliação por um médico patologista à procura de sinais de câncer. O resultado da avaliação do material retirado costuma demorar alguns dias para ser liberado.

O exame demora entre 20 e 60 minutos. Se a limpeza do cólon não estiver satisfatória, o médico costuma optar por interromper o exame, remarcando-o para outra data.

O sedativo leva tempo para desaparecer completamente. Os pacientes podem ter que permanecer na clínica durante 1 a 2 horas após o fim da colonoscopia.

A recuperação total da sedação só está prevista para o dia seguinte. Por isso, o paciente deve sempre ir acompanhado para o exame, pois alguém terá que ajudá-lo a voltar para casa.

O paciente não deve mais trabalhar, dirigir veículos, nem operar máquinas pesadas neste dia.

Após chegar em casa o paciente pode lanchar ou jantar, se assim desejar. Se o médico tiver retirado um ou mais pólipos é possível que ele indique uma dieta especial para os próximos dias.

Nos casos em que houve retirada de pólipos ou biópsia de lesões suspeitas, uma pequena quantidade de sangue nas primeiras fezes após o exame é normal.

Todavia, grandes quantidade de sangue e/ou sangramento persistente nas fezes não são habituais e devem ser comunicados ao médico.

Cólicas e eliminação de flatos podem ocorrer durante uma ou duas hora após o procedimento. Se você ainda estiver cheio de gases ao chegar em casa, andar ajuda a eliminá-los.

A colonoscopia é perigosa?

A colonoscopia é um exame bastante seguro. Porém, como qualquer procedimento médico, há sempre risco de problemas. A taxa de complicações é 0,2% e o risco de morte é de 0,007%. As complicações são mais comuns quando se necessita retirar um ou mais pólipos. Ainda assim, o risco é muito baixo.

Sangramentos podem ocorrer a partir de biópsias ou remoção de pólipos, mas é geralmente mínimo e podem ser facilmente controlados. Outra complicação possível, mas rara, é a perfuração do cólon.

É possível ter efeitos colaterais dos medicamentos usados para sedação.

A transmissão de doenças pelo colonoscópio é muito rara e teoricamente só poderia ocorrer se o mesmo não for esterilizado adequadamente após cada exame. Não há relatos de casos de transmissão do HIV através da colonoscopia (leia: COMO SE PEGA AIDS?).

Você deve entrar em contato com o seu médico imediatamente se após o exame tiver qualquer um dos seguintes sintomas:

  • Dor abdominal intensa (não apenas cólicas dos gases).
  • Grande distensão do abdômen.
  • Vômitos
  • Febre
  • Sangramento nas fezes persistente ou em grande volume.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/gastroenterologia/colonoscopia/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: