Como combater as ondas de calor da menopausa

O Que São as Ondas de Calor Feminina | Plenitud®

Como combater as ondas de calor da menopausa

Por Rebecca Hulem. 

Quase toda mulher já ouviu falar das ondas de calor, o sintoma mais comum durante a transição para a menopausa.

Mas o que é uma onda de calor? O que acontece dentro do corpo da mulher que causa a onda de calor? Toda mulher na menopausa experimenta esta fase? São perigosas? Existe algo que possa ser feito para minimizar ou interromper as ondas de calor?

Descrição de uma onda de calor

Uma onda de calor no que se refere à menopausa é simplesmente isso: uma sensação intensa de calor que geralmente começa na cintura e move-se rapidamente em direção ao rosto. Levar de 30 a 60 segundos para chegar ao rosto onde finalmente se dissipa.

  Em geral acompanhadas de vermelhidão no rosto e sudorese intensa, junto com a transpiração, você notará elevação da frequência cardíaca. Você vai se deparar com um enorme desejo de arrancar as roupas ali mesmo. Você terá a sensação de que as ondas de calor vão durar eternamente e vai desejar a morte.

  A frustração precisa ser controlada para não acabar em tragédia. Raramente, levam a quadros de náusea ou tontura. 

Depois dessa apresentação assustadora, fica evidente que as ondas de calor são um suplício à parte. Mas alívio de todas nós mulheres, nem todas as ondas de calor tem a mesma intensidade.

Algumas são acompanhadas de vermelhidão no rosto e sudoreses intensas, outras bem menos intensas e passam rapidamente. As ondas de calor são imprevisíveis, você nunca sabe quando vão começar e de que tipo são.

 

As ondas de calor afetam tantas mulheres e são tão comuns que são o indicativo de que a menopausa chegou.

Porém, não há motivos para generalizar, algumas mulheres sortudas talvez tenham tido apenas 1(uma) experiência de ondas de calor em toda sua vida.

Portanto, não se chateie se sua melhor amiga não esteja passando pelo mesmo sofrimento que você.

Fisiologia das Ondas de Calor 

Ondas de calor durante a transição da menopausa são causadas pela queda repentina do estrogênio, hormônio responsável pela regulação da temperatura corporal.

A temperatura do corpo é controlada por um processo denominado vasodilatação, que mantém os vasos sanguíneos abertos com o sangue fluindo.

Quando você está tendo uma onda de calor, os vasos são temporariamente contraídos, o que não é um processo perigoso, apenas incômodo.

Recuperando o poder

Há muitas opções quando se trata de controlar ondas de calor. Se as ondas estiverem arruinando o seu dia, procure um médico especializado para que possa ser feita uma avaliação do seu caso específico, lembre-se que cada caso é um caso, então nem sempre a prescrição que resolve o problema da sua melhor amiga vai resolver o seu. 

No entanto, se você não estiver desesperada com o problema, controlar a frequência das ondas de calor ajustando hábitos pode funcionar melhor. 

As opções para controlar as ondas de calor são divididas em três categorias:

  • Mudanças de estilo de vida: o mais simples e não invasivo
  • Terapia complementar e alternativa
  • Terapia hormonal

Hábitos saudáveis e estilo de estilo de vida

Tenho certeza que você já ouviu esse conselho antes; vista-se utilizando a técnica das camadas, diminuía a ingestão de cafeína e álcool, pare de fumar e controle o estresse. O uso de produtos de resfriamento: ventiladores de mão, rolos de resfriamento em gel e toalhas de refrigeração são ótimas opções. Um passo adicional seria:

Pratique exercícios aeróbicos:

de 4 a 5 vezes na semana – melhora a circulação, o que diminui a frequência e intensidade das ondas de calor.

Consumo diário de proteínas vegetais:

soja, leguminosas, lentilhas, feijão – aumentar a ingestão de peixes gordurosos ômega 3 – salmão, sardinha, atum – pelo menos três vezes por semana.

Descanso adequado:

pode ser difícil se você não está dormindo bem devido a suores noturnos, no entanto, quando você está bem descansado lidar com ondas de calor é muito mais fácil.

Terapia complementar e alternativa:

esta abordagem rapidamente ganhou popularidade no controle de ondas de calor, especialmente porque os hormônios caíram em desuso como primeira abordagem devido ao risco a longo prazo e efeitos colaterais. A terapia não tem risco ao longo prazo e pode ser interrompida a qualquer momento sem efeitos colaterais.

Exemplos seriam: 

  • Tai Chi, yoga, meditação e massagem terapêutica
  • Acupuntura
  • Aromaterapia

Ervas e suplementos:

experimente isoflavonas de soja, erva cohosh preto e / ou ômega 3 ácidos graxos

Terapia hormonal:

tratamento padrão por mais de cinquenta anos no controlo de ondas de calor. Lembre-se que uma diminuição dos níveis do estrogênio durante a transição da menopausa é a causa de ondas de calor.

Faz sentido que com a reposição do estrogênio, que o corpo já não produz mais, as ondas de calor sessem.

A liberação do estudo WHI, sigla do inglês “Women's Health Initiative” em 2002, demonstrou haver maior risco de doenças cardíacas entre as usuárias da combinação de estrogênios conjugados e outras substâncias, por via oral. 

Está além do escopo deste artigo discutir em profundidade os prós e contras da terapia hormonal. Apenas podemos afirmar que a maioria das mulheres de fato não precisa, algumas mulheres vão precisar, mas não há evidências de que sirva para todas. Somos todos únicos!

Colocando tudo junto

Como você pode ver, não há nada “normal” quando se trata de ondas de calor; quantas ondas de calor você terá em um determinado dia, a intensidade ou até mesmo o tempo que você vai tê-las. Cada mulher tem uma saúde única. Existem muitas variáveis, de mulher para mulher.

Embora algumas relatem que continuam a ter ondas de calor muito depois de terem concluído a transição para a menopausa, para a maioria, um período de dois a dez anos é mediano. Existem muitos tratamentos e hábitos que ajudam a lidar com as ondas de calor. Você não precisa sofrer.

Esteja aberto a explorar as opções, conversar com amigos, manter a mente aberta e sempre lembrar – isso também passará.

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.

Источник: https://www.vivaplenitud.com.br/sobre-a-incontinencia/a-vida-com/menopausa/o-que-sao-as-onda-de-calor-femininas

Alimentos para menopausa: o que comer para combater os sintomas

Como combater as ondas de calor da menopausa

Uma das principais queixas das mulheres que estão passando pelo climatério, período que antecede a menopausa (data da última menstruação), são os fogaches –fortes ondas de calor que chegam a deixar a pele vermelha e, em alguns casos, até atrapalham o sono. Certos alimentos devem ser evitados para não desencadear estes calorões.

Por outro lado, alguns nutrientes são essenciais para este momento da vida, como o leite e os derivados, por conta do cálcio. Não tente, no entanto, controlar os sintomas apenas com alimentação.

Apesar de não ser indicada para todas mulheres, a reposição hormonal, feita com acompanhamento médico, auxilia a passar por esta fase da vida com maior facilidade.

Consulte seu médico e veja se este é seu caso.

Para listar alimentos importantes para quem está na menopausa, UOL VivaBem entrevistou Mara Diegoli, ginecologista pela FMUSP (Faculdade de Medicina da USP) e estudiosa da TPM e menopausa, e Maria Celeste Wender, presidente da Comissão Nacional Especializada em Climatério da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Coloque no prato:

Imagem: Getty Images

Soja
O grão é conhecido por conter isoflavona, um fitoestrogênio que “imita” características do estrogênio –hormônio feminino que a mulher passa a produzir em menor quantidade quando entra no climatério.

Os alimentos ricos em isoflavona diminuiriam as ondas de calor, embora tenham pequena atividade estrogênica e os resultados de estudos que analisaram os benefícios para o alívio dos sintomas da menopausa são heterogêneos e discordantes. Algumas pesquisas mostram que teve melhora e outras mostram que não.

As fontes consultadas, no entanto, não descartam o efeito placebo que estes alimentos podem exercer em mulheres que estão passando pelos calorões. A soja pode ser consumida cozida.

Imagem: iStock

Framboesa e amora
Essas frutas também contêm a isoflavona citada a cima. Podem ser consumidas em forma de suco ou in natura. A vantagem da segunda forma é a maior quantidade de fibras, que contribuem para digestão e para o emagrecimento.

Imagem: iStock

Leite e derivados
Cálcio é obrigatório nesta fase da vida. Depois dos 50 anos, quando a mulher para de produzir o estrogênio, ela começa a sofrer osteopenia –queda na densidade óssea.

O cálcio deve ser reposto com leite (integral, de preferência) e derivados (queijo e iogurte, por exemplo). No entanto, é importante a mulher suplementar vitamina D, que ajuda o corpo a absorver o cálcio ingerido.

Fale com seu médico.

Imagem: Getty Images

Couve
Por conta do cálcio, os vegetais verdes-escuros também devem ser consumidos em abundância pela mulher que está nesta fase da vida. Além da couve, entram nessa categoria o agrião, chicória, espinafre e rúcula.

Veja também:

Melhor evitar:

Imagem: iStock

Sal
Por conta da falta de estrogênio, as mulheres, quando entram na menopausa, têm maior tendência a ter problemas cardíacos.

Portanto, devem consumir com moderação tudo que se relacione hipertensão, como o sal e qualquer outro item que contenha sódio. A quantidade diária de sal recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) é de 5 gramas, cerca de 1 colher (chá) do condimento.

Ou seja, é bem pouco, levando em conta que o sal está “escondido” em diversos alimentos que consumimos no dia a dia.

Imagem: iStock

Carboidratos simples
A mulher deve prestar muita atenção neste período para não ganhar peso. Acontece que, por conta das alterações hormonais, ela tem mais tendência a acumular gordura.

Além disso, esta é uma fase da vida em que as pessoas tendem a ingerir mais alimentos e a fazer menos exercícios físicos.

E carboidratos simples, como o arroz branco e alimentos com açúcar refinado ou farinha branca, contribuem para o ganho de peso e acúmulo de gordura. Opte pelos cereais integrais.]

Imagem: iStock

Doces
Como esta é uma fase em que a mulher pode passar por altos e baixos emocionais, por conta de todas as mudanças que a menopausa promove no organismo, é comum que ela queira recorrer aos doces como uma “bengala emocional”, em alguns momentos. É preciso atentar para isso para evitar o aumento de peso e, consequentemente, o aparecimento de outras doenças decorrentes da obesidade.

Imagem: iStock

Sopas e chás
Os alimentos muito quentes ajudam a desencadear as ondas de calor. Se for consumi-los, portanto, opte por esperar eles ficarem mornos, assim corre menos risco de ter fogachos.

Imagem: Getty Images

Pimenta
Evite excessos para não aumentar a temperatura do corpo. Vale ressaltar que aquela pimenta-do-reino temperando a comida do dia a dia não fará mal algum. O problema seria comer comidas excessivamente apimentadas, como aqueles pratos bem picantes da culinária tailandesa ou mexicana, por exemplo.

Imagem: iStock

Café
Um estudo da conceituada Mayo Clinic, nos Estados Unidos, mostrou como a cafeína agrava os calorões. A pesquisa analisou 2.507 mulheres entre 2005 e 2015 e chegou a conclusão de que o uso de cafeína é associado a maiores fogachos em mulheres que estão no período pós-menopausa. Por ser estimulante, a bebida também prejudica o sono.

Imagem: istock

Bebidas alcoólicas
Também servem de gatilho para os calorões. Quando consumimos algo alcoólico, o fluxo sanguíneo aumenta por conta da vasodilatação que o corpo sofre quando o álcool circula pelas veias. Apesar desse efeito ser rápido, é o suficiente para aquecer o corpo e desencadear uma onda de calor.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
• Instagram •

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/08/24/alimentos-para-menopausa-o-que-comer-para-combater-os-sintomas.htm

Opções de tratamento da menopausa

Como combater as ondas de calor da menopausa

De: April Merritt, MD

Quando você diz a palavra menopausa, as mulheres podem olhar para você com simpatia, enquanto os homens podem olhar para você com um medo desconfortável. A palavra menopausa é bastante benigna, vinda da palavra grega que significa literalmente “pausa mensal”.

O que é menopausa?

A verdadeira definição de menopausa é quando você para de ter um ciclo menstrual por 12 meses. No entanto, a menopausa geralmente significa muito mais do que apenas interromper o ciclo menstrual.

Pode ser acompanhada por ondas de calor, suores noturnos, secura vaginal, diminuição do desejo sexual, irritabilidade, estresse emocional, pele seca e cabelo ralo.

Para torná-lo ainda mais interessante, você pode ter qualquer variedade de sintomas durante os anos que antecedem e após a menopausa, conhecidos como perimenopausa.

Você nem sempre tem sintomas com a menopausa; um pequeno número de mulheres pode não apresentar sintomas. A menopausa é uma ocorrência natural ou pode ser desencadeada pela remoção dos ovários.

Freqüentemente, me perguntam: “Se for uma ocorrência natural, eu deveria deixar acontecer naturalmente e não fazer nada. Direito?” A resposta depende da gravidade dos sintomas. Às vezes, os sintomas são tão frequentes ou grandes que interrompem a vida diária.

É nesses momentos que você deve saber que existe tratamento. Não há razão para alguém sofrer os sintomas da menopausa. Então, quais são suas opções de tratamento?

Opções de tratamento

1. Over the counter (OTC) ou terapia natural. Essa opção vem como uma variedade de terapias. Existem black cohosh e don qui, vendidos juntos como “Estroven”. Essa combinação pode diminuir ondas de calor e suores noturnos. Outra opção de venda livre é o “icool”, um suplemento de soja que também pode diminuir as ondas de calor.

Recentemente, Relizen começou a ser vendido nos Estados Unidos. Este é um suplemento natural feito de extrato de flor de pólen sueco, que é comercializado como dizendo que pode diminuir ondas de calor e suores noturnos. Se você caminhar pelo supermercado, poderá ver uma variedade de “chá da menopausa” que também visa diminuir os sintomas.

Mas e se você tentar isso e ainda estiver sofrendo?

2. SSRI ou inibidor seletivo da recaptação da serotonina. Effexor é um antidepressivo que, em doses baixas, pode ajudar as ondas de calor. Como uma vantagem, também pode ajudar com o mau humor e a irritabilidade associados à menopausa. Nem todos os antidepressivos podem ser usados ​​dessa maneira; no entanto, Effexor é aquele que pode funcionar.

3. Terapia de reposição hormonal (TRH). Ao discutir TRH, geralmente nos referimos a estrogênio e progesterona. A perda de estrogênio é o que causa as ondas de calor e os suores noturnos. Se você substituí-lo, ele deve eliminar as ondas de calor.

A progesterona é necessária se você estiver tomando estrogênio e ainda tiver útero. O útero responde ao estrogênio e pode formar um revestimento, causando sangramento. A progesterona é prescrita para proteger o útero e impedi-lo de formar um revestimento interno.

A progesterona também pode ajudar no sono em alguns casos. A desvantagem da TRH é que não é um tratamento benigno. Pode ter efeitos colaterais como hipertensão e coágulos sanguíneos na perna. São raros, mas podem acontecer.

Algumas mulheres com um forte histórico familiar de câncer de mama ou histórico pessoal de câncer de mama podem não ser elegíveis para a TRH.

4. Terapia de testosterona. Por que o “hormônio masculino” a ajudaria na menopausa? Somos compostos de estrogênio e testosterona. Em nossos corpos, temos uma enzima chamada aromatase.

A aromatase decompõe a testosterona em testosterona utilizável (que pode aumentar o desejo sexual) e estrogênio (para ajudar a combater as ondas de calor).

A melhor maneira de obter testosterona é por meio de pellets colocados a cada três ou quatro meses; no entanto, algumas mulheres respondem ao creme de testosterona também.

O resultado final é que somos todos diferentes e lidamos com a menopausa de maneiras diferentes. No Women's Care Florida, um profissional de saúde pode sentar-se com você para avaliar seus sintomas e desenvolver uma estratégia de tratamento personalizada para você.

O que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Estamos aqui para ajudá-lo a encontrar o tratamento que se adapta aos seus sintomas. Não sofra porque algo que acontece “naturalmente” está afetando você de forma negativa.

Entre em contato com o provedor do Women's Care Florida para obter ajuda.

Источник: https://womenscarefl.com/pt/health-library-item/menopause-treatment-options/

Calores da Menopausa (Fogacho)

Como combater as ondas de calor da menopausa

As ondas de calor da menopausa, chamadas de fogachos ou afrontamentos, acometem 3/4 das mulheres no período pós-menopausa (climatério). Os seus sintomas costumam ser uma sensação de calor, transpiração e ruborização da pele, principalmente na face.

Neste texto falaremos especificamente sobre as ondas de calor da menopausa. Para saber mais sobre outros sintomas menopausa, leia:

Antes de falarmos nos fogachos, vamos esclarecer dois conceitos. Há muita confusão, principalmente entre o público leigo, com os termos menopausa e climatério. Menopausa é a última menstruação da vida da mulher.

O período que se segue após a cessação da menstruação é chamado de climatério.

Portanto, apesar de ser muito comum ouvirmos dizer que uma mulher está na menopausa, o mais correto seria dizer que ela teve a menopausa e agora está no climatério.

Ao longo do texto usarei o termo “ondas de calor da menopausa” em vez de “ondas de calor do climatério” por ser a primeira uma expressão mais consagrada, apesar de não ser a mais correta tecnicamente.

Sintomas

As ondas de calor da menopausa surgem por uma desregulação no nosso mecanismo de controle térmico, aparentemente causada por diminuições dos níveis circulantes de estrogênio.

O fogacho costuma começar como uma sensação súbita de calor localizada na face e na parte superior do tórax, tornando-se rapidamente generalizada.

Essa onda de calor ocorre por uma má interpretação da temperatura corporal real pelo hipotálamo, região do sistema nervoso central que age como termostato.

A paciente sente-se muito quente, mas sua temperatura mantém-se normal, ao redor dos 36,5ºC.

A sensação de calor dura entre dois e quatro minutos e está frequentemente associada a intensa transpiração e vermelhidão da pele. Como o organismo pensa que o corpo está muito quente, ocorre uma inapropriada dilatação dos vasos da pele, o que leva à vermelhidão e à transpiração.

Com a vasodilatação, sudorese e consequente perda de calor, há uma rápida queda da temperatura corporal, causando uma leve hipotermia. Neste momento, o fogacho começa a se dissipar e surgem os calafrios, um mecanismo usado pelo corpo para gerar calor, numa tentativa de restaurar a temperatura habitual do organismo.

Em algumas mulheres as ondas de calor surgem várias vezes por dia, podendo também aparecer enquanto dormem. Os calores noturnos atrapalham o sono e podem levar à insônia. Se a paciente também tiver problemas como ansiedade ou depressão, comuns na idade da menopausa, podem surgir distúrbios importantes do sono.

O fogacho acomete até 3/4 das mulheres e costuma surgir quando a menopausa se aproxima. Em 80% dos casos as ondas de calor da menopausa duram por mais de um ano. Na maioria das vezes, o fogacho dura por dois ou três anos. Entretanto, 25% das mulheres sofrem com calores por mais de cinco anos e cerca de 10% mantém os sintomas até depois dos 70 anos de idade.

Mulheres com sobrepeso, fumantes ou sedentárias apresentam maior risco de desenvolver fogachos. Não se sabe o porquê, mas afrodescendentes têm mais fogachos que mulheres de origem europeia, que por sua vez têm mais fogachos que mulheres asiáticas.

Tratamento

É sempre bom lembrar que o fogacho costuma desaparecer espontaneamente após alguns anos. Como muitas mulheres têm sintomas brandos, não se indica tratamento a não ser que os calores sejam realmente incômodos.

O tratamento mais efetivo para as ondas de calor da menopausa é a reposição de estrogênio, porém, atualmente, devido aos efeitos colaterais, seu uso só está indicado por curtos períodos (dois ou três anos) e em mulheres com sintomas de moderada a forte intensidade.

O estrogênio pode ser administrado por via oral ou transdérmica. Nas mulheres que não retiraram o útero, o estrogênio de deve ser administrado junto com a progesterona para evitar proliferação da mucosa uterina, um efeito que aumenta o risco de câncer do endométrio (câncer do útero).

Pacientes com história de doença cardiovascular, trombose ou câncer de mama (leia: Câncer de mama – Sintomas, auto exame e diagnóstico) não devem ser tratadas com estrogênios.

Outras opções de tratamentos incluem os antidepressivos (ex. fluoxetina ou citalopram), Gabapentina ou Clonidina, um medicamento usado no tratamento da hipertensão.

Tratamentos naturais para o fogacho

Algumas terapias não medicamentosas também ajudam. Perder peso e parar de fumar é imperativo. Evitar bebidas alcoólicas, comidas apimentadas e cafeína também funciona para algumas mulheres.

O calor piora os fogachos, por isso, no verão, procure ficar em ambientes ventilados ou com ar-condicionado. Use roupas leves e beba bastaste líquidos gelados.

A prática regular de atividades físicas e técnicas de relaxamento também são efetivas.

O uso de isoflavonas ou fitoestrogênios (estrogênios das plantas) não apresenta nenhuma comprovação científica. Pelo contrário, os trabalhos indicam que os mesmos possuem apenas efeito placebo e podem ser prejudiciais em mulheres com histórico de câncer de mama

Também não há evidências inequívocas de que a acupuntura tenha efeito no alívio dos calores da menopausa.

Источник: https://www.mdsaude.com/ginecologia/menstruacao/fogacho/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: