Como combinar os alimentos corretamente

Combinações de alimentos que prejudicam o estômago

Como combinar os alimentos corretamente

Muitas pessoas gostam de combinar diferentes sabores e texturas dentro de uma mesma refeição, mas não sabem que existem combinações de alimentos que prejudicam o estômago.

Estas uniões entre os alimentos dificultam a digestão, além de nos fazer sentir mais pesados, com acidez e refluxo gástrico.

É muito importante pensarmos corretamente sobre os alimentos que estamos a ponto de consumir se queremos cuidar de nosso sistema digestivo e, é claro, manter um peso saudável.

Se você tem sofrido de inchaço ultimamente, além de sensação de estômago pesado ou dores no estômago depois de cada refeição, hoje explicaremos quais são as combinações de alimentos que prejudicam o estômago e que você deveria evitar para proteger a sua saúde digestiva.

Benefícios de combinar os alimentos corretamente

Combinar os alimentos indicados é de grande ajuda para melhorar a digestão e a saúde do corpo em geral:

  • Muitas combinações fermentam os alimentos dentro do estômago. Evitar isso vai nos ajudar a prevenir as dores estomacais, os gases e a sensação de inchaço.
  • Teremos mais energia graças ao fato de que produziremos menos toxinas.
  • Preveniremos a acidez estomacal.
  • Nosso sistema imunológico será fortalecido, graças ao fato de que a absorção de nutrientes será mais eficaz.
  • Controlaremos nosso peso efetivamente.

Proteínas e carboidratos

A decomposição de cada um destes alimentos requer a utilização completa dos sucos gástricos alcalinos e ácidos.

Ao misturá-los eles se neutralizam e criam uma bomba para o estômago, interferindo uma digestão normal.

  • Cada um requer um tempo e uma forma diferente para se digerir. Se interrompemos este processo natural, surgem as dores estomacais, a indigestão e a acidez.

Duas proteínas

Misturar duas proteínas em uma só refeição cria uma combinação pesada para o estômago, podendo até dobrar o tempo de digestão.

Quanto mais se demorar a processar uma refeição, mais se compromete o sistema digestivo e se perde mais energia.

  • Portanto, não é recomendável misturar peixe com carnes vermelhas ou frango em uma mesma refeição.

Ambos os ingredientes não geram sensação de estômago cheio, por isso tendemos a consumi-los em maiores quantidades, o que retarda o processo digestivo.

O amido é fermentado dentro do estômago e as proteínas são decompostas e apodrecem, enchendo o intestino de gases e gerando sensação de estômago pesado.

  • A melhor opção para compensar as enzimas de carboidratos e enzimas de proteínas é adicionando ao seu prato folhas ou vegetais verdes livres de amido.
  • Uma salada de alface ou agrião é excelente para diminuir os efeitos secundários da mistura.

Ao introduzir uma porção cheia de açúcar combinada com amido, a saliva expulsada durante a mastigação carece de ptialina, o que gera um atraso na digestão do amido muito antes de chegar ao estômago.

Quando isso acontece, o açúcar cai diretamente em nosso estômago até que consigamos digerir o amido, causando a fermentação do mesmo.

Quando os açúcares fermentam, são criados ácidos, os quais interferem ainda mais na digestão dos amidos.

Ainda que não acreditemos, o açúcar é muito fácil de digerir do que as gorduras, por isso, se são misturados, o processo se torna muito mais lento do que o habitual.

  • Alimentos como o pão doce, os sorvetes e as vitaminas à base de leite são os inimigos número 1 da digestão.
  • As vitaminas com leite de vaca misturados com frutas como a banana são uma das piores combinações, já que causam gases, estômago pesado e mais toxinas prejudiciais para o nosso organismo.

Também não é uma boa opção misturar frutas ácidas com laticínios, isso envolve iogurte e leite, já que alteram a digestão e nosso sistema imunológico, causando tosse, congestão nasal e alergia.

Combinar frutas

A melhor opção para consumir frutas é fazer isso sem a combinação de nenhum outro alimento.

O açúcar que as frutas contêm ajuda a acelerar a fermentação dos alimentos, o que causaria indigestão e uma má absorção das vitaminas e minerais.

Você já conhecia estas combinações de alimentos que prejudicam o estômago? Agora que já sabe quais podem ser seus efeitos, evite-as sempre que possível.

Pode interessar a você…

Источник: https://melhorcomsaude.com.br/combinacoes-de-alimentos-que-prejudicam-o-estomago/

Veja como fazer a combinação de alimentos ideal?

Como combinar os alimentos corretamente

A correta combinação de alimentos é fundamental para colocar no prato itens que se complementem, de modo que haja um bom equilíbrio nutricional. Dessa forma, a ação nutritiva se potencializa e promove mais saúde e bem-estar no dia a dia.

Neste artigo, explicamos o que é equilíbrio nutricional e a diferenciação desse conceito para as dietas. Na sequência, trazemos 5 dicas de combinação de alimentos para quem quer tirar o maior proveito possível de cada refeição — a união da carne com o alecrim é um desses exemplos. Por que será que eles combinam tanto?

Vamos em frente com a leitura para descobrir esse e outros segredos da nutrição!

O que é equilíbrio nutricional

A combinação de alimentos ideal é feita a partir da ideia de equilíbrio nutricional. Já ouviu falar nesse conceito? O principal objetivo de uma alimentação saudável é fornecer os nutrientes necessários para viver de forma plena, evitando que as toxinas tomem conta do organismo.

Quando uma pessoa se alimenta com pouca variedade e, pior ainda, fazendo refeições ricas em sódio, açúcar, farinha branca e frituras, a tendência é de que mais toxinas e gorduras se acumulem no corpo.

As toxinas fazem com que o corpo inche e forme mais tecido gorduroso, o que, eventualmente, traz impactos negativos para a saúde. Isso tudo pode ser evitado a partir de um equilíbrio nutricional e consumo de refeições mais saudáveis e variadas.

Um alerta importante: quando se fala em equilíbrio nutricional, não se está falando em “fazer dieta”. Trata-se de consumir verduras, legumes e frutas — associadas a carnes, massas e grãos — de forma equilibrada.

Ao contrário de uma dieta, em que se busca restringir temporariamente o consumo de alimentos com o objetivo de perder peso, o equilíbrio nutricional estimula comer saudavelmente de forma contínua, evitando o acúmulo de toxinas.

No entanto, não se deve simplesmente misturar ingredientes de forma aleatória. A combinação de alimentos, se feita de modo a potencializar a absorção de nutrientes, torna o prato e a vida de quem o consome muito mais saudável. Continue a leitura para saber mais sobre isso!

Dicas de combinação de alimentos

Como vimos, a combinação de alimentos é um dos fatores essenciais para obter o chamado equilíbrio nutricional. Na prática, quais alimentos devemos combinar para conseguir o máximo benefício de cada um deles para nossa saúde, ao mesmo tempo em que apreciamos pratos saborosos?

Associe carboidratos e proteínas

O consumo de carboidratos e proteínas é essencial para uma boa saúde. Porém, para que haja equilíbrio nutricional, é fundamental que a quantidade seja correta, assim como a associação entre ambos.

Especialistas apontam que, em geral, os carboidratos devem compor aproximadamente 60% do total da alimentação diária de uma pessoa, e as proteínas, 25% — os 15% restantes ficam por conta das gorduras.

Especialmente para quem pratica exercícios físicos, a associação entre carboidratos e proteínas é fundamental para obter melhores resultados e ajudar na recuperação muscular. Na primeira hora após o fim das atividades físicas, deve-se consumir carboidratos leves, como frutas.

Até duas horas depois, uma fonte de proteína também deve ser ingerida, como ovos, carnes ou proteínas vegetarianas. Além disso, essa associação deve continuar ao longo do dia, com refeições em intervalos de três horas.

Faça uma tabela de combinação de alimentos

Outra dica é montar uma tabela com uma combinação de alimentos que ajude a manter a saúde em dia! Para você não precisar correr atrás de mais informação, a gente já traz aqui mesmo algumas ideias para começar a sua. Confira:

  • arroz e feijão — não é à toa que os brasileiros combinam esses dois alimentos desde a infância. A união de diferentes aminoácidos que fazem parte desses grãos forma uma poderosa proteína;
  • cenoura e laranja — ambas são ricas em vitamina C, porém, as fibras do legume ajudam a controlar o açúcar da fruta, deixando a combinação ainda mais completa;
  • carne e alecrim — quando aquecida, a carne causa danos ao DNA e acelera o envelhecimento. O alecrim, no entanto, desacelera um pouco esse processo, graças aos ácidos que o compõem;
  • tomate e azeite — o tomate é rico em licopeno, um antioxidante maravilhoso que desacelera o envelhecimento, mas que só é ativo quando faz uma parceria com uma gordura — o azeite dá um empurrãozinho para o licopeno chegar lá.

Alie minerais e vitaminas

Os minerais e vitaminas estão presentes em diversos alimentos — frutas, carnes, legumes, leite, verduras —, e seu consumo é essencial para a boa saúde. Eles atuam fortemente no metabolismo e são vitais para qualquer pessoa.

Uma alimentação variada, colorida e rica ajuda a obter os mais diferentes tipos de minerais e vitaminas, todos importantes para o bom funcionamento do organismo. Se a alimentação é sempre a mesma, pode, inclusive, ocorrer o contrário: excesso de determinadas vitaminas ou minerais no organismo, o que pode ter consequências negativas para a saúde.

Equilibre fibras solúveis e insolúveis

Entre os mais importantes tipos de fibras estão as solúveis e as insolúveis. Fazer a combinação de ambas no dia a dia ajuda a manter o corpo saudável. As solúveis são fundamentais por ajudarem, principalmente, no bom funcionamento do coração, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares e controlando o colesterol.

Além disso, esse tipo de fibra traz outros benefícios, como:

  • redução da glicose;
  • controle do peso;
  • bom funcionamento do intestino.

As fibras insolúveis também têm uma função intestinal bastante importante. Elas evitam a constipação e as hemorroidas e, para complementar, previnem até mesmo o surgimento de doenças mais graves, como o câncer colorretal.

Insira leguminosas na alimentação

As leguminosas estão entre os alimentos mais completos, justamente por conterem grande variedade de vitaminas, fibras (tanto solúveis quanto insolúveis), carboidratos e minerais diversos. Por isso, são fundamentais em uma alimentação que busca ter equilíbrio nutricional.

As mais conhecidas e fáceis de encontrar são o feijão e a lentilha, mas há outras bastante populares. Entre elas, o grão-de-bico, a fava e a soja (presente em diversos alimentos). A ervilha, a vagem e o amendoim também são considerados leguminosas.

A dica final é procurar o acompanhamento especializado para fazer a combinação de alimentos de forma correta. Afinal, cada pessoa tem suas particularidades e necessidades, o que apenas um profissional qualificado, a partir de exames detalhados, poderá detectar.

Gostou do artigo? Então, que tal complementar a leitura com um conteúdo sobre alimentos construtores? Continue com a gente! 

Источник: https://blog.livup.com.br/combinacao-de-alimentos/

As 9 combinações de alimentos mais saudáveis da culinária

Como combinar os alimentos corretamente

A DIETA DA CIÊNCIA
Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4

Na cozinha, a soma de um mais um nem sempre é dois. Pode ser três, quatro… Os nutrientes dos alimentos interagem entre si, melhorando ou dificultando a absorção pelo organismo.

Para fazer o corpo extrair tudo o que é bom da comida, aprenda a fazer combinações. Por exemplo: as vitaminas A, D, E e K precisam de gordura para ser absorvidas – a função do azeite de oliva não é só deixar a salada mais saborosa.

Lembre-se disso quando estiver diante de um prato de agrião (A), brócolis (E) e alface (K).

Não que as nossas avós já não soubessem disso instintivamente. Arroz e feijão, por exemplo, é prato padrão do Brasil há gerações.

E não é que, cientificamente, a coisa faz todo o sentido? Um aminoácido presente no arroz e o outro no feijão dão à luz uma proteína específica. Separados, eles não formam a tal proteína. Um mais um igual a três.

Outra combinação tradicional com o carimbo da ciência é a de tomate com azeite: nosso extravirgem amigo ativa um antioxidante presente no vegetal.

Também existem os ingredientes de “redução de danos”.

Carne, por exemplo, vem com um defeito de fábrica: quanto mais ela for aquecida, mais libera componentes que aumentam a oxidação das células – ou seja: causa pequenos danos ao DNA, o que acelera o processo de envelhecimento. Mas uma combinação simples ajuda a mitigar esse efeito, olha só. O alecrim, quando aquecido, libera um ácido que bloqueia a oxidação.

Mas nem tudo são couve-flores no mundo das combinações. Matar a refeição com café, por exemplo, pode não ser a melhor opção se você for vegetariano.

É que a cafeína dificulta a absorção do ferro presente em vegetais de folhas escuras – um nutriente que vale ouro para quem não come carne vermelha.

Mas não precisa passar a tarde com sono depois: depois de meia horinha já dá pra tomar seu espresso de consciência limpa.

1. Arroz + feijão

A mais clássica combinação da cozinha brasileira é sábia. O arroz fornece um aminoácido (a metionina) e o feijão, outro (a lisina). Juntos, eles formam uma proteína – as cadeias de aminoácidos que compõem os nossos tecidos.

Reprodução/iStock

2. Salmão + salada de alface, agrião, brócolis e nozes

As vitaminas A (agrião), D (salmão), E (brócolis) e K (alface) são lipossolúveis – ou seja, precisam de lipídios (nozes e gordura do salmão) para serem absorvidas.

Reprodução/iStock

3. Cenoura + laranja

A vitamina C combinada com o ácido fenólico da cenoura baixa os níveis de colesterol ruim. Fora que as fibras da cenoura retardam a absorção de açúcares tanto dela quanto da laranja. Resultado: não disparam a produção de insulina e ajudam a controlar o apetite e prolongar a saciedade.

Continua após a publicidade Reprodução/iStock

4. Feijão + rúcula

A vitamina C aumenta em até 30% a absorção do ferro em vegetais. É que não é fácil assimilar ferro dos vegetais. Da próxima vez que comer feijão (ferro), coma com a rúcula (vitamina C).

Reprodução/iStock

5. Carne + Alecrim

A carne produz substâncias tóxicas enquanto você assa um churrasco ou frita um bife. O alecrim faz o contrário. Aquecido, ele produz duas substâncias benéficas: o ácido carnósico (um anti-inflamatório) e o ácido rosmarínico (antioxidante). Essa dupla corta o efeito das toxinas da carne.

Reprodução/iStock

6. Tomate + azeite

As células queimam oxigênio para funcionar e liberam radicais livres que, quando em excesso, deixam o ambiente do organismo tóxico e podem danificar o DNA, prejudicar a imunidade e acelerar o envelhecimento.

O tomate (cru ou cozido) é rico em um antioxidante chamado licopeno, que se liga aos radicais na área e os neutraliza. Mas o licopeno precisa de uma ajuda da gordura para entrar em ação. Um fio de azeite resolve.

Seus lipídios ajudam o organismo a reter esse nutriente.

Reprodução/iStock

7. Ovo + brócolis + arroz integral

O magnésio presente principalmente na casca do arroz integral se junta à vitamina D do ovo para fixar o cálcio dos brócolis.

Reprodução/iStock

8. Atum + frutas vermelhas

O ácido elágico de um suco de frutas aumenta a capacidade do corpo de reter o ômega 3 do peixe, que ajuda a reduzir o colesterol ruim .

Reprodução/iStock

9. Chá-verde + limão + castanha-do-pará

O ácido ascórbico do limão estabiliza a catequina, um antioxidante presente no chá-verde. Ou seja: também atrasa o envelhecimento celular. Para petiscar: castanha-do-pará, rica em vitamina E, que também atua contra os radicais livres e é mais bem assimilada na presença da catequina do chá-verde.

Reprodução/iStock

Para saber mais

Prato Sujo
Marcia Kedouk, Superinteressante, 2013

Continua após a publicidade

Источник: https://super.abril.com.br/saude/as-9-combinacoes-de-alimentos-mais-saudaveis-da-culinaria/

Cardápio saudável: como combinar e aproveitar os alimentos?

Como combinar os alimentos corretamente

Assim como o tradicional e brasileiríssimo arroz com feijão, a combinação de alguns alimentos pode ir muito além de uma saborosa mistura. Afinal, existem ingredientes que, quando combinados em uma mesma refeição, podem auxiliar e facilitar a absorção de nutrientes e vitaminas, turbinando o cardápio e tornando a alimentação mais saudável e saborosa.

Inclusive, algumas associações práticas podem ser feitas no dia a dia, oferecendo muitos benefícios à saúde. Mas, para uma maior efetividade nessas combinações, recomendamos um acompanhamento especializado e orientação nutricional individual.

Combinações que contribuem para uma alimentação mais saudável

• Carboidratos + proteínas: segundo a nutróloga Cristiane Braga Kanashiro, os carboidratos, quando associados às proteínas, tornam o prato ainda mais saudável, pois evitam os picos de insulina em pessoas que possuem algum tipo de resistência a ela. “O arroz é rico em carboidratos, que fornecem energia, e o feijão é uma leguminosa com proteína vegetal. O prato ideal combina esses dois com uma proteína animal (carnes magras, aves ou peixes), legumes e folhas”, comenta a nutróloga.

Ferro + Vitamina C: alimentos ricos em ferro, como o feijão, são melhor aproveitados pelo organismo, quando consumidos com alimentos ricos em vitamina C, pois essa vitamina ajuda o organismo a absorver melhor o ferro dos vegetais. Uma ótima dica é investir no consumo de suco natural de laranja, ou mesmo a fruta in natura, após uma refeição que inclui uma leguminosa rica em ferro, como o feijão.

Magnésio + Vitamina D + Cálcio: o magnésio, quando associado à vitamina D, facilita a absorção do cálcio presente nos vegetais.

A vitamina D, por exemplo, ajuda o organismo a absorver o cálcio, já o magnésio é responsável por fixar o cálcio nos ossos.

Portanto, na hora de montar o cardápio, invista no consumo de alimentos como ovos (vitamina D), arroz integral (magnésio) e brócolis (cálcio).

De acordo com a nutróloga Cristiane, também existem alimentos que dificultam a absorção de alguns nutrientes, por isso, devem ser evitados ou consumidos separadamente.

“A associação de carne e queijo, por exemplo, dificulta a absorção do ferro presente na carne e do cálcio presente no queijo”, sinaliza.

“Além disso, a ingestão de leite ou café após as refeições também dificulta a absorção de cálcio e ferro dos alimentos”, completa a nutróloga.

Trocas para começar um cardápio saudável

Uma  um hábito alimentar por outro não é uma tarefa simples. Mas para começar uma vida com mais saúde, energia e uma alimentação saudável, o primeiro passo é, sem dúvidas, querer de verdade mudanças na sua qualidade de vida.

Entenda as diferenças entre chia e linhaça

Segundo a nutricionista Aline Maldonado Franzini, é importante começar um hábito alimentar saudável consumindo alimentos no tempo certo, a cada três horas, realizando a prática no café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Nesses períodos, o que você come influencia diretamente na mudança do seu hábito alimentar. Essas dicas podem ajudara manter um cardápio saudável com boas trocas:

1. Tomar bastante água: o ideal é ingerir dois litros de água durante o dia para manter o corpo bem hidratado. Isso também ajuda a melhorar a pele, sabia?

2. Preferir alimentos naturais faz a diferença na alimentação: enriquece a refeição com nutrientes e vitaminas que influenciam no bom funcionamento e desintoxicação do nosso organismo.

3. Fazer pratos bem coloridos é mais divertido e saudável: a salada é uma boa opção de prato de entrada, pois possui uma quantidade de fibras que ajudam a aumentar nossa saciedade e enriquecem a refeição com vários tipos de nutrientes.

4. Praticar atividades físicas regularmente proporciona mais resultados: auxilia na manutenção da saúde, no controle do peso, prevenção de doenças cardiovasculares, prevenção de diabetes, hipertensão e até mesmo alguns tipos de câncer.

5. Montar um diário alimentar é garantir uma rotina mais saudável: é uma ótima opção para começar e se atentar ao que você está comendo. Nele você anota os horários, alimentos e quantidades que ingeriu durante todo o dia, além de poder se policiar mais nos excessos, diminuindo alimentos não saudáveis e fazendo as substituições adequadas.

Como montar um prato equilibrado

Para elaborar um prato saudável, o ideal é que ele seja colorido, pobre em gorduras e composto por:

• 50% Hortaliças: verduras e legumes, preferindo os crus ou refogados. Quantidade média por refeição: duas a três colheres de sopa de legumes (30g).
Sugestões: tomate (rico em licopeno), couve (rica em ferro), brócolis (rico em cálcio), cenoura (rica em vitamina A), agrião (rico em vitaminas do complexo B).

• 12% Carboidratos: arroz, massas, pães, batatas, milho, mandioca.Quantidade média por refeição: três colheres de sopa (45g).

Sugestões: alimentos integrais que são ricos em fibras e vitaminas do complexo B, como: arroz integral, macarrão integral, quinoa, aveia e batata doce.

Источник: https://www.jasminealimentos.com/alimentacao/cardapio-saudavel-combinar-alimentos/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: