Como controlar a ansiedade com meditação

Meditação para Ansiedade: 5 Técnicas para acalmar sua mente

Como controlar a ansiedade com meditação

A vida atual é estressante e exige bastante do ser humano. Desde que acordamos, até ao momento em que nos deitamos, somos assolados por exigências, responsabilidades e metas a atingir.

Tudo isso gera muita ansiedade. O objetivo principal desse artigo é ajudar você a combater esse mal através de métodos simples e naturais.

De que estou a falar? Adivinhou!

Meditação para ansiedade

Meditação para ansiedade é uma das técnicas mais eficazes para relaxar e diminuir os sintomas ligados ao transtorno da ansiedade e depressão. Ao meditar com frequência, você irá melhorar sua capacidade de foco, concentração, conduzindo a um estado pleno de relaxamento.

Neste artigo irá descobrir:

No final deste artigo, encontrará ainda um exemplo de uma música de meditação que eu próprio utilizo quando pretendo relaxar ao final do dia.

Vamos então começar dando resposta a uma questão fundamental…

A palavra ansiedade vem da palavra grega anshein, que significa “sufocar, oprimir”. Ela é consequência de nossa capacidade de pensar sobre o futuro, de o prever.

Quando você está no dentista, esperando por sua vez, e ouve o barulho dos instrumentos em outro paciente, o que se passa no seu subconsciente? Você pensa no que lhe acontecerá quando for a sua vez e fica ansioso.

Como todos temos essa capacidade de imaginar o futuro, é completamente normal sentir ansiedade.

O grande problema acontece quando, devido a tanta estimulação mental, passamos a viver em um mundo de pensamento, de abstração e não prestamos mais atenção ao nosso corpo e sentidos.

Alan Watts, o autor que popularizou o Zen no ocidente, escreveu que o Homem moderno:

Passa seus dias em atividades que se resumem em grande parte a contar e medir, vivendo em um mundo de abstração racionalizada que tem pouca relação ou harmonia com os grandes ritmos e processos biológicos.

– Alan Watts

Então, o desafio é trazer as pessoas de volta para o momento presente e é para isso que serve a meditação para ansiedade.

O monge budista Gelong Thubten, que muitas vezes colabora aqui conosco na Mindvalley, diz que “o que interessa é gerar consciência e se focar no momento presente”.

Uma revisão de estudos feita em 2014 por Goyal et al, revelou que a meditação mindfulness tem um efeito considerável na redução da ansiedade, depressão e dor.

Segundo esse autor, “essa prática parece diminuir os sintomas da ansiedade e depressão tanto quanto os antidepressivos”.

Outra pesquisa feita em 2008 por Ruth Baer da Universidade de Kentucky descobriu que a meditação reduz os sintomas relacionados com transtornos de ansiedade, como fobias, ansiedade social, comportamentos obsessivo-compulsivos e ataques de pânico.

Mesmo tipos de meditação mais adequados a crianças têm obtido níveis excelentes no controlo da sua ansiedade, aumento do foco, contribuindo assim para o melhorar da sua capacidade de aprendizagem.

Você sabe quem foi a primeira pessoa no mundo a meditar? Terá sido o Buda? Não… ninguém sabe quando começou.

A história da meditação se perde na bruma dos tempos.

O que sabemos é que a meditação tem inúmeros benefícios e já era praticada na Índia há cerca de 7 mil anos. Alguns dos muitos benefícios da meditação são:

  • Diminuição do estresse, ansiedade e níveis de depressão;
  • Promoção da inteligência emocional;
  • Aumento do tempo de atenção;
  • Pode retardar a perda de memória relacionada com a idade;
  • Melhora o sono.

Existem cada vez mais pessoas meditando e por diferentes razões: relaxamento, redução do estresse, autoconhecimento, etc.

Nos parágrafos seguintes mostraremos a você cinco técnicas de meditação para ansiedade.

Experimente e verá que ficará mais tranquilo e solto!

Mindfulness

A Mindfulness ou atenção plena é a forma de meditação para ansiedade mais popular nesse momento. Ela está sendo cada vez mais praticada no Brasil.

Lembre-se da última viagem que fez de ônibus. Você se lembra das pessoas que passaram por você? Se lembra da cor do céu? Se recorda da sensação de seu corpo em contato com o assento? Provavelmente não.

O objetivo da Mindfulness é trazer você de volta para o “aqui e agora”, é fazer você prestar atenção em todas essas coisas e tirá-lo do “turbilhão mental”.

Para começar a praticar essa meditação para ansiedade, você deve começar em um ambiente silencioso e sem confusão e pouco a pouco você conseguirá trazer a prática para locais mais confusos e agitados. Pode fazer o seguinte:

  • Sente-se com uma postura ereta. Isso é muito importante em todas as posturas de meditação, já que a postura certa ajuda a acalmar a mente.
  • Mantenha-se presente. Não resista, nem force sua mente a focar na respiração, simplesmente se mantenha consciente à medida que os fenômenos aparecem e desaparecem em sua “tela mental”.
  • Se um pensamento como “amanhã tenho que mandar um e-mail para meu cliente” aparecer, não tente excluí-lo de sua mente. Limite-se a observá-lo e passado pouco tempo ele desaparecerá.

Para conseguir resultados, faça essa meditação para ansiedade de 10 a 30 minutos todos os dias.

Método 4-7-8

O método 4-7-8 é uma técnica de respiração que pode funcionar como meditação para ansiedade. É uma prática muito simples, derivada do yoga e popularizada pelo Dr. Andrew Weil, um praticante de medicina integrativa.

Este método consiste em ciclos de respiração. Em cada ciclo deve inspirar por 4 segundos, suster a respiração durante 7 segundos e expirar durante 8 segundos.

Nas primeiras vezes não faça mais do que 4 ciclos. Esse método também funciona bem para induzir o sono, então não o faça antes de alguma atividade que exija atenção.

Meditação do riso

Você se recorda de uma situação em que estava ansioso ou estressado e, então, alguém ou alguma coisa faz você rir e tudo mudou?

A meditação para ansiedade não tem que ser uma coisa demasiado séria ou solene. Muitas vezes rir é o melhor remédio!

Assim que acordar de manhã, e ainda com os olhos fechados, comece a rir e durante cinco minutos não pare de dar gargalhadas.

Pode parecer forçado nas primeiras vezes, mas passado pouco tempo, nossas tentativas se transformarão em riso genuíno. Assim que se acostumar a essa prática, ela transformará todos os seus dias, lhes dará mais cor e alegria! 

Este é um excelente exemplo de uma boa meditação matinal.

O Dr. Lee Berk e o Dr. Stanley Tan, professores na Universidade Loma Linda, conduziram estudos que mostraram que o riso reduz a pressão arterial e liberta beta-endorfinas, substâncias que criam uma sensação de euforia.

Estas endorfinas neutralizam os níveis de adrenalina e cortisol que as pessoas ansiosas experimentam diariamente. 

Meditação guiada

Uma das melhores maneiras para aprender a meditar é usar uma meditação guiada. Dessa forma, você pode meditar no conforto de sua casa, ouvindo um instrutor experiente.

Esse vídeo é um bom exemplo de meditação para ansiedade que vai ajudá-lo a identificar zonas do corpo onde a ansiedade se materializa e tornar sua respiração mais lenta e profunda. É uma boa maneira de aliviar a ansiedade!

Uma técnica simples, mas eficaz

Um de meus professores favoritos é o monge zen Thich Nhat Hahn. Ele é considerado por muitos como o responsável por trazer a Mindfulness para o ocidente.

Em um de seus livros, ele oferece esta meditação para ansiedade simples, mas eficaz: 

Inspirando, eu acalmo o meu corpo. Expirando, eu sorrio. Estando no momento presente, eu sei que este é um momento maravilhoso.

– Thich Nhat Hahn

Memorize essa frase e repita-a mentalmente quando estiver se sentindo ansioso. Você pode usar essa técnica em qualquer lugar.

Você também se pode inspirar com com estas 80 afirmações positivas durante a sua meditação.

Existem muitas respostas para combater a ansiedade, como a medicação ou a psicoterapia.

No entanto, para casos mais leves, pode ser uma boa ideia experimentar a meditação para ansiedade. Uma prática que resistiu a vários milénios tem que ter algo de especial. Experimente e verá que se transformará em um fã!

Se fizer uma rápida pesquisa online, é verdade que encontrará várias músicas para relaxar através da meditação.

Contudo, muitas delas não são realmente indicadas para quem procura entrar num estado de foco total e concentração profunda (mesmo, eu próprio já experimentei dezenas delas).

Na nossa aplicação Omvana, encontrará várias batidas, exemplos de músicas selecionadas pela nossa equipa para o ajudar durante a sua meditação.

Para concluir este nosso artigo, gostaria de lhe deixar com um exemplo que para mim sempre funciona quando procuro relaxar após um dia estressante no trabalho. Espero que goste!

Grande parte das pessoas pensa que aprender é a chave para o seu devenvolvimento

Foi assim que fomos criados – quando somos mais novos, nós estudamos matemática, lemos histórias, e memorizamos todos os nomes dos elementos da tabela períodica.

Mas assim que cresce e começa a ver a vida de uma outra forma, você se apercebe que não pode “aprender” certas coisas – como crescimento pessoal.

Vishen Lakhiani, fundador da Mindvalley e autor bestseller do New York Times, descobriu que a chave para o desenvolvimento pessoal não está tanto no “aprender”, mas sim no “transformar”.

✅ A medotologia do Flow: Os 3 grandes pilares da vida que vão ajudar você a se desenvolver, como que em piloto automático, tornando seu desenvolvimento em algo natural.

✅ Como você pode controlar a energia que o rodeia para atrair as ferramentas que precisa para libertar todo o seu verdadeiro potencial, permitindo que você faça mudanças definitivas na sua vida.

✅ Como aplicar o princípio número 1 para eliminar os obstáculos da sua vida, para que você viva o seu melhor “Eu” e saiba como criar um impacto positivo no mundo.

Já experimentou alguma dessas técnicas de meditação para relaxar? O que achou delas?

Partilhe os seus pensamentos conosco.

Источник: https://blog.mindvalley.com/pt/meditacao-para-ansiedade/

Meditação para ansiedade

Como controlar a ansiedade com meditação

A ansiedade é um mal da nossa sociedade moderna. Tentamos viver no futuro todo o tempo, sem conseguir. Queremos planejar, arquitetar, adivinhar e determinar um futuro que é incontrolável. Sabemos disso, mas mesmo assim tentamos estar no comando de tudo e todos, nos grandes e nos pequenos detalhes.

Não percebemos nem as outras oportunidades que se apresentam, por pura rigidez. Nessas horas, a meditação para ansiedade pode ajudar muito.

A palavra ansiedade tem origem do termo gregoanshein, que significa “estrangular, sufocar, oprimir” Se tem esse significado, como manter esse comportamento pode ser bom para nós?

Reveja seus pensamentos, ações e reclamações. Estão todos ou quase todos ligados ao futuro ou ao passado, certo?

A agitação de nossos afazeres nos deixa muito ligados aos resultados. Principalmente quando se trata de trabalho. Pois bem, e se eu te disser que isso é uma cilada produzida pela sua mente desgovernada?

Seu ego pode até argumentar por horas discordando sobre este assunto, mas desta forma não se tem equilíbrio nunca. Essa é a verdade.

Você deve estar pensando que é tudo muito estressante. A qualquer momento alguém pode passar a sua frente ou você pode errar feio e perder o emprego. É exatamente aí que entra o que eu gostaria que você compreendesse.

Atendo muitas pessoas que mesmo dispostas a mudar o padrão de comportamento, ainda se debatem com egos tirânicos, egos coitadinhos, egos dependentes e por aí vai uma enormidade de resistências. Não é fácil, mas é absolutamente possível e agradável. Não adianta nada tentar controlar mentalmente a impermanência.

A realidade é que, a única coisa que existe, é o presente momento. Fora dele tudo é imaginação. E é neste momento que você deve permanecer para ter resultados reais e bons. Se estiver no agora terá condição de perceber o que deve ser feito ou dito – sem o estresse.

Por que razão passamos boa parte de nossa vida perdendo tempo tentando estar em outro momento que não é atual? Imaginamos como vai ser, como queremos que seja, o que o outro vai pensar… puro jogo de adivinhação.

Tentar viver no futuro é a maneira segura que nosso inconsciente achou para se manter no controle.

Quanto mais queremos manipular o desconhecido, mais ansiosos ficamos. Nos manter em padrões predeterminados e antigos nos dá uma falsa segurança.

Você se considera uma pessoa ansiosa? Se a resposta é sim, experimente mudar isso. Eu proponho um exercício bem fácil, mas que deve ser feito algumas vezes todos os dias, por pelo menos 21 dias consecutivos. Você topa?

Exercício para ansiedade

Pare tudo e perceba como seu corpo está. O que você está olhando? Estenda seu olhar a todo o ambiente. Após ver realmente tudo sem se deter em nada, permita-se ouvir os sons a sua volta.

Mantenha-se com apenas estas tarefas durante um minuto. Como foi manter-se no agora? Pode ser difícil no início, mas vale muito se aprimorar. Nossa mente tem o “hábito” de não estar focada no momento exato em que estamos vivendo. Não se esqueça que hábito se adquire.

Perdemos energia e tranquilidade, julgando tudo ao redor. Até os objetos nós julgamos no momento em que os reconhecemos em situações do passado. Observe seus pensamentos e compreenda como funciona nosso exercício.

Ganhamos muito tempo se nos concentramos apenas numa única tarefa, mesmo se esta for não fazer nada (meditação). Então, se estiver sempre focado em suas tarefas no agora, terá a oportunidade de experimentar um sentimento de segurança, de paz interior e de satisfação. Toda a ansiedade irá com o tempo se desfazer completamente.

Minha proposta é que durante no mínimo 21 dias você tente criar o hábito de se manter o maior tempo possível vivenciando o presente momento. Depois que virar um hábito será mais fácil. Invista nesse exercício e lembre-se: estar presente é sempre um presente. Pode acreditar!

Ouça uma meditação para ansiedade

Faça essa meditação para reduzir os sintomas da ansiedade. Durante o exercício, foque em manter sua expiração mais longa que a inspiração, sempre inspirando em um tempo que for confortável para você e expirando no dobro desse tempo.

Além disso, tente mandar o ar para a base da sua barriga, na região do diafragma, a fim de garantir uma respiração profunda. Relaxe e aproveite esta meditação guiada:

Olá, essa matéria foi útil para você?

Источник: https://www.personare.pt/meditacao-para-momentos-de-ansiedade-m101

Meditação: técnicas para acalmar a mente e ser mais feliz

Como controlar a ansiedade com meditação

26 de junho de 2019

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

Meditação é um conjunto de técnicas de origem milenar, relacionadas à tradição oriental, especialmente às culturas chinesa e indiana.

Em virtude de seus comprovados benefícios, atualmente é foco de centenas de estudos científicos, que visam mensurar seu impacto no bem-estar, na prevenção ou tratamento de diversas doenças, além do aprimoramento intelectual e emocional.

Resumidamente, podemos definir a meditação como um treino mental, com foco no desenvolvimento de atenção plena ao momento presente, trazendo maior consciência e autoconhecimento.

De forma simples — e gratuita — podemos incluir a prática em nossa rotina, alcançando resultados em curto espaço de tempo.

Confira, neste artigo, os motivos pelos quais a meditação tem sido tão recomendada por profissionais da saúde e apreciada por seus praticantes. 

Desmistificando a meditação

Quando buscamos informações sobre como a meditação surgiu, nos deparamos com contextos religiosos. 

Embora seja possível que mesmo povos pré-históricos já experimentassem estados meditativos, uma vez que esses não contavam com a escrita para registrar suas práticas, costuma-se atribuir a origem da meditação aos textos hindus (Índia) e taoístas (China) — que datam de 1500 a.C. a 300 a.C. — a origem das técnicas.

Com o tempo, a meditação foi muito difundida no Oriente, sempre atrelada a questões espirituais. 

Apenas na segunda metade do século 20 as técnicas começaram a se popularizar no Ocidente. 

Nos anos 1970, o cardiologista e professor da Faculdade de Medicina de Harvard (EUA), Dr. Herbert Benson, realizou estudos com seus pacientes hipertensos, adaptando técnicas de meditação tradicionais, de forma a utilizá-las como coadjuvantes na promoção de saúde.

O trabalho de Benson foi um importante marco para a compreensão dos benefícios da meditação, desvinculando-a do caráter estritamente religioso.

Certamente, não há problema algum em buscar as técnicas meditativas como exercício de elevação espiritual ou, como se propõe a meditação budista, de iluminação da consciência. 

Validada pela ciência

Contudo, ao agregarmos as avaliações positivas da ciência, ampliamos o alcance do interesse na prática, uma vez que a retiramos de um entendimento, exclusivamente, místico.

As contribuições da meditação, portanto, independem de comprometimento com alguma fé ou rito religioso específico. Todos, sem restrições de inclinações filosóficas e ideológicas, podem experimentar as vantagens da meditação, notando rápidas melhoras na qualidade de vida global.

Outro equívoco que merece especial esclarecimento diz respeito à redução do ato de meditar ao hábito de uma postura de lótus, com objetivo de chegar ao pensamento nulo. 

Nem a postura é absolutamente necessária — pode-se meditar caminhando, por exemplo — e, muito menos, a exclusão absoluta do pensamento é viável. Não conseguimos “pensar em nada”! 

O que a meditação propõe é o apuro da atenção, com maior foco de pensamento — ou seja, praticamente o oposto do que postula o senso comum.

Por que meditar?

Por que a meditação, de repente, ficou tão popular? Empresários, crianças, idosos, criativos… Pessoas dos mais distintos perfis adotam a prática e relatam benefícios factuais. 

Como cada perfil tem estilo de vida e objetivos particulares, não poderíamos imaginar que o efeito de meditar seja idêntico para todos. Cada um a legitima a seu próprio modo.

No entanto, há algo em comum a todos os depoimentos que você pode encontrar. A meditação é definida como algo que melhora processos. 

Felicidade, sucesso, produtividade, tranquilidade. Identificamos nossos propósitos com diferentes palavras, mas todas apontam para um sentido de pleno aproveitamento da vida, com desenvolvimento de habilidades que julgamos essenciais ao nosso bem-estar.

Aí fica a pergunta: como podemos investir nesses objetivos, de forma consciente e contínua, considerando que somos os grandes responsáveis pelo êxito — ou não — em nossos desafios?

Meditação vs. Felicidade

Observe: você aproveita sua felicidade na medida em que está presente no momento em que ela acontece. Você é mais criativo ou produtivo quando está mergulhado em um projeto, com foco, aberto a insights. 

Independente de quais as formas de meditação aplicadas, elas oferecem, precisamente, a possibilidade de uma maior integração com o momento, aumentando a percepção tanto do corpo quanto das emoções. 

A meditação não esvazia a mente. Ela a limpa. Confere clareza, organização de ideias, compreensão do comportamento de sentimentos e das respostas físicas.

Esse autoconhecimento aguçado — que não é mágico ou complexo — fortalece nossa capacidade de atuação. Nosso controle sobre as experiências. Dessa forma, potencializamos nosso ser e estar, o que traz mais qualidade para nosso tempo e escolhas.

Benefícios da meditação

Se você pensa que os benefícios das práticas meditativas são fantasiosas, subjetivas, sem evidências concretas, está na hora de mudar de opinião! Não estamos apelando a crenças: falamos de comprovação científica!

Dentre os resultados positivos do hábito da meditação, de acordo com pesquisas empíricas realizadas desde a década de 1970, podemos citar:

  • ajuda no controle da ansiedade;
  • reduz o estresse e doenças decorrentes desse quadro;
  • auxilia no tratamento da hipertensão;
  • aumenta a proteção cardiovascular;
  • promove alívio de dores crônicas;
  • atenua os sintomas da depressão;
  • melhora o sistema imunológico;
  • potencializa a memória, o aprendizado, a concentração e o raciocínio;
  • favorece a qualidade do sono, com diminuição de episódios de insônia;
  • permite maior controle sobre os estados de humor e emoções.

Como aprender a meditar sozinho?

Você sabe o que é meditação mindfulness? O termo começou a ser usado nas primeiras publicações e experimentos científicos que analisavam os efeitos da meditação na saúde dos indivíduos. 

Na última década, mindfulness ganhou ainda mais projeção, contando com centenas de estudos acadêmicos que validam a técnica da “atenção plena”.

Embora, em sua base, estejam preceitos da meditação budista, a prática é isenta de características religiosas. 

Em síntese, o que mindfulness propõe é um estado de concentração — no corpo e no pensamento — com grande ênfase na observação da respiração como recurso para aprimoramento da atenção.

É possível contar com treinamentos para desenvolver a habilidade do “foco no presente”. Porém, como mindfulness não exige posturas mirabolantes ou conhecimentos filosóficos avançados, é ideal para praticantes que buscam meditar de forma simplificada e autônoma.

Mindfulness: treine seu cérebro!

Respiramos de modo automático. Por que perderíamos tempo para analisar algo que fazemos sem nos dar conta? Basicamente porque, ao aprendermos a dar atenção para algo tão instintivo, estamos convocando nosso cérebro para o desenvolvimento de uma habilidade que se estende a outras áreas.

O problema é que não apenas respiramos de forma inconsciente. Também comemos, caminhamos, reagimos num estado de distração, com pensamentos caóticos ou desligados da ação que empreendemos no momento.

Sem perceber, deixamos o modo automático atingir boa parte de nossa rotina. Nos ocupamos tanto de passado e futuro que perdemos qualidade no presente.

Quanto mais desviamos nossa atenção do que estamos vivendo, mais ansiosos, deprimidos, improdutivos, estressados e infelizes nos sentimos. Isso causa impactos em nossa saúde física e mental, de acordo com a ciência.

As técnicas de mindfulness objetivam interromper essa alienação, estimulando o potencial do cérebro atento e ativo, no momento de nossas ações.

Como se trata de um treino, esse tipo de meditação pede interferências rotineiras, que vão elaborando novos hábitos de pensamentos. 

Recomenda-se que a prática seja realizada por, pelo menos, 15 minutos, diariamente. Todavia, conforme você apurar sua concentração, verá que os exercícios ocorrem naturalmente, incorporados às suas atividades mais banais.

1. Comece com o básico: respiração 

Reserve um momento tranquilo, para se concentrar, exclusivamente, em sua atividade elementar. 

Sente-se, confortavelmente. Pode ser em posição de lótus ou índio, se preferir. O interessante é buscar uma postura ereta, pois a percepção do corpo será facilitada. 

Note o ar entrar e sair. Atente-se às partes do corpo que se movem com esse fluxo. Sinta o ritmo da inspiração e expiração.

A mente pode querer se distrair. Persista, voltando a atenção ao seu organismo, seus músculos, suas sensações com o ar. Ou seja, resgate o foco quando ele lhe fugir.

Com o hábito, o desempenho se aprimora e se torna um recurso valioso para amenizar situações de estresse.

 2. Medite caminhando

Procure um espaço no qual você possa caminhar sem maiores preocupações com desvios ou interrupções. 

A ideia é dar atenção às sensações do corpo. Sentir o pé tocando no chão, o ritmo dos passos, a distribuição do peso conforme o movimento, a postura, o balançar dos braços… 

Imagine-se descobrindo como funciona o caminhar. Investigue seus detalhes. Centre-se, completamente, nas ações — sem pressa.

3. Ative o paladar

Muitas vezes, comemos conversando, assistindo televisão, conferindo o celular, pensando nas próximas tarefas a realizar.

Ao adotar exercícios de mindfulness em algumas situações de refeições, temos o benefício extra de aproveitar com mais intensidade os sabores, enriquecendo o paladar.

Experimente fazer o exercício com uma fruta. Lave-a, como se a estivesse descobrindo pelo tato. Perceba suas características físicas, como cor, formato, peso… 

Sinta seu aroma. Quando levá-la a boca, explore todas as suas texturas. Feche os olhos e dê atenção a cada sabor que puder identificar. Faça da mastigação um ritual lento, com pequenos pedaços por vez.

Uma vez que a fruta — ou qualquer alimento que lhe pareça oportuno — oferece um ponto focal bem específico, concreto e rico em possibilidades de análise, essa estratégia é extremamente útil como forma de meditação para ansiedade.

Pessoas ansiosas têm muita dificuldade de se situar no presente. O objeto exterior ao corpo, portanto, pode representar um interessante recurso para o controle dos pensamentos e concentração no “agora”.

4. Faça do banho uma experiência de meditação

Veja que estamos pontuando uma série de atividades rotineiras e, através delas, convocando a quebra do modo distraído.

Como o banho está em nosso dia a dia e permite privacidade, por que não adotá-lo como momento de treino para atenção?

Sinta a temperatura da água em contato com a pele. Inspire cada aroma dos produtos de higiene que utilizar. Perceba o toque da espuma. Procure a consciência em cada gesto que realizar.

5. Crie momentos de atenção plena

Conforme você pode notar pelos exemplos, o mindfulness é bastante acessível e intuitivo. Pede apenas observação dedicada. Portanto, é possível aplicar o princípio a diferentes circunstâncias. Basta gerarmos a ocasião.

Prepare um café com essa disposição. Beba um copo d’água, cuide do jardim, dobre suas roupas, escute os sons do ambiente. Invista seu presente de sentidos.

A meditação é fácil e natural quando passamos a experimentá-la. Em um mês de prática, seu humor, raciocínio e autocontrole já apresentarão resultados animadores. Faça o teste!

Gostou do post? Então assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Leia também:

Meditação guiada: técnicas e benefícios da prática

Meditação para dormir: aprenda a meditar e durma melhor

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental.

Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.

Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Источник: https://www.vittude.com/blog/meditacao-tecnicas-para-acalmar-a-mente-e-ser-mais-feliz/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: