Como cuidar do bebê com refluxo

Bebê com refluxo – o que fazer

Como cuidar do bebê com refluxo

Muito comum entre bebês, o refluxo é o retorno do leite, ou do alimento, a boca, logo após a alimentação. Embora seja comum, muitas vezes quando temos um bebê com refluxo constante, acabamos ficando sem saber bem o que fazer.

O que é refluxo

Quando um alimento é ingerido, ele entra no corpo pela boca e chega até o estômago, fazendo o seguinte caminho:

boca -> faringe -> esôfago -> estômago

Entre o esôfago e o estômago existe um músculo chamado esfíncter, que deve permanecer fechado a maior parte do tempo.

O músculo funciona como uma válvula que deve abrir quando engolimos para a passagem da comida.

Se o esfíncter abre fora de hora, pode deixar passar o conteúdo do estômago de volta para o esôfago. Quando isto ocorre, é chamado de refluxo gastroesofágico.

Válvula entre estômago e esôfago

Quais são tipos de refluxo em bebê

O refluxo gastroesofágico se divide em dois: fisiológico patológico.

Refluxo fisiológico

Considerado completamente normal, especialmente em bebê.

Tanto durante o processo, quanto após o vômito a criança não sente nenhum mal estar, dor ou qualquer desconforto.

No refluxo fisiológico a criança continua se alimentando normalmente e ganhando peso. Não apresenta sinais de irritação ou desconforto regularmente.

 Compartilhe este post no clicando aqui.

Refluxo patológico

Neste tipo de refluxo o bebê apresenta desconforto e o choro aumenta. Em alguns casos o ganho de peso da criança é prejudicado, pois ela tende a recusar ou reduzir a alimentação.

Para confirmar o tipo de refluxo o pediatra que acompanha a criança pode solicitar um exame chamado PHMetria, feito com uma sonda que desce do nariz até o estomago do bebê o sensor do aparelho vai medir a concluir o tipo de refluxo.

Quais são os sintomas do refluxo em bebê?

No refluxo fisiológico do bebê, as regurgitações (eliminação em pequena quantidade do conteúdo do estômago) são frequentes, com vômitos ocasionais. Esse sintoma pode se iniciar no primeiro mês de vida, desaparecendo, geralmente, após 1 ano de idade.

Já na condição patológica, que requer tratamento, os sintomas são mais intensos:

  • Regurgitações
  • Vômitos frequentes
  • Irritabilidade
  • Perda de peso
  • Choro intenso após o vômito

O que causa refluxo em bebê

Nos casos de refluxo patológico algumas doenças ou mau formações podem estar associadas a condição. Após confirmado o diagnóstico um pediatra ou um gastro pediátrico deve passar a fase de investigação da causa e indicar o melhor tratamento para o bebê.

Quando se trata de refluxo fisiológico ele normalmente está associado a:

Tipo de dieta: os bebês se alimentam essencialmente de líquido;

Postura: até passar a sentar sem apoio o bebê passa a maior parte do tempo deitado, favorecendo o refluxo;

Imaturidade do sistema gástrico: a barreira anti refluxo natural no organismo ainda não está amadurecida e acaba permitindo alguns escapes.

Excesso de alimento: se o bebê comer demais em cada uma das mamadas a tendencia é que um pouco do alimento retorne.

 Você pode compartilhar isto no Pinterest

Como cuidar do refluxo em bebê

Para o refluxo patológico deve ser feita a investigação da causa e o médico que acompanha a criança vai indicar o melhor tratamento em cada caso, mas para o refluxo fisiológico algumas medidas simples podem amenizar a situação.

Amamentar o bebê na posição vertical: quando o bebê mama e a cabeça dele está elevada a própria gravidade ajuda na descida do alimento e favorece a redução do refluxo;

Fazer o bebê arrotar: ao mamar o bebê pode estar também engolindo ar junto ao leite, fazer com que ele arrote, logo após a mamada, com a cabeça elevada também pode ajudar;

Verificar a pega correta na mamada: o bebê deve pegar com a boquinha toda a aureola da mama durante a mamada, para evitar engolir muito ar junto com o leite. Este vídeo também trata sobre isto.

Mamadeira anti refluxo: estas mamadeiras são especialmente desenvolvidas para evitar que o bebê tome muito ar junto com o leite;

Deixar o bebê com a cabeça elevada durante as brincadeiras: estes brinquedos podem ajudar

Tapete de atividades anti refluxo

Este tapete de atividade – Ergo Gym – pode ser ajustado para que a cabeça-tronco do bebê fique elevada a 45o. Ideal para bebês que já seguram bem o pescocinho – normalmente a partir dos quatro meses de idade.

Está disponível para locação aqui.

Centro de atividades

Os centros de atividades permitem que o bebê fique brincando e se divertindo, com a cabeça elevada.

Usando uma cadeirinha de tecido o bebê fica sentado, com as pernas para baixo, para quando a criança sentir confiança de colocar peso sobre elas, e a cabeça elevada, atenuando o refluxo.

Existem centros de atividades mais fixos, como este, e outros com mais movimento, como os jumperoos.

Idealmente para bebês com forte refluxo os centros de atividades que ficam mais fixo costumam ajuda melhor.

O  brinquedo é excelente e a maioria dos bebês adora, mas o custo é alto para comprar e ser usado por pouco tempo. Você pode alugar o produto clicando aqui.

O triple fun jungle pode ser usado por bebês que já estão bem firmes, por volta dos 6 meses.

Cadeira bumbo baby como medida anti refluxo

A cadeirinha bumbo baby é uma das queridinhas das mamães dos pequenos. Muito versátil e fácil de usar e limpar ela também é uma aliada contra o refluxo dos pequenos.

Também por conta da gravidade e de manter a cabeça elevada.

A maioria dos pediatras recomenda o uso a partir dos 4 meses, desde que a criança tenha o pescoço bem firme.

A cadeira é feita de espuma de baixa densidade, revestida para facilitar a higienização diária. Apresenta versões com ou sem cinto.

Para as mamães de São Paulo nós temos disponível para alugar aqui.

Tratamentos caseiros para refluxo em bebê

Sabe aquelas dicas da vovó para tratar o refluxo, pois algumas delas funcionam sim e sua eficácia já foi comprovada por cientistas.

Elevar o colchão do bebê: elevar um pouquinho a cabeceira do colchão do bebê faz com que a gravidade atue no alívio do refluxo. Se você optar por esta técnica a elevação deve ser feita debaixo do colchão e nunca com travesseiro onde está a criança, para evitar risco de sufocamento.

Chá de camomila: a camomila é um produto natural que atua como um poderoso calmante, para os bebês que já iniciaram a introdução alimentar (a partir de 6 meses), usar oferecer um pouquinho de chá de camomila entre as refeições alivia o desconforto no estômago;

Aliviar a pressão na barriguinha: verifique se as roupinhas do bebê estão folgadas na barriga e se não há nenhum elástico ou cinto fazendo pressão na área;

Comer mais devagar: se o bebê está mamando muito rápido é possível que o refluxo e os soluços sejam frequentes. Procure retirar o bebê da mama ou da mamadeira, conforme o caso, em intervalos regulares para reduzir a velocidade da mamada e a ingestão de ar;

Comer mais vezes, em menos quantidade: procure reduzir as mamadas do bebê em quantidade e aumentar em frequência, assim o corpo terá menos material para digerir por vez e a eliminação tende a reduzir.

Bebê com refluxo, o que a mãe pode comer

Ainda hoje não há nenhum alimento, que se consumido pela mãe que amamenta, comprovadamente provoque, ou piore, o refluxo no bebê, de forma ampla e generalizada.

Algumas mães notam que ao consumir determinado alimento o seu bebê passa a sofrer mais de refluxo ou cólica, por exemplo, porém é preciso atentar que estes casos são pontuais e individuais, ou seja, acometem especificamente aquela dupla mamãe-bebê.

Alguns alimentos tendem a provocar mais refluxo na mamãe e nestes casos deve-se observar se o mesmo esta ocorrendo com o seu bebê. Por exemplo:

  • suco de laranja;
  • leite de vaca;
  • chá rico em cafeína (mate, preto, verde);
  • alguns tipos ou preparações de carne.

Se está amamentando não há nenhuma razão para deixar de fazê-lo se há sintomas de refluxo, apenas observar se ao consumir estes alimentos o seu bebê está sendo impactado, e neste caso suspender o consumo por um tempo.

Lembrando que todo planejamento de dieta deve ser feito com acompanhamento de um nutricionista de sua confiança.

Este vídeo fala um pouco sobre a alimentação da mamãe e as cólicas do bebê. Confira

Trocar o leite ajuda com o refluxo?

Existem vários leites maternizados compostos especificamente para bebês com refluxo. Pergunte ao seu médico para mais informações. O leite mais grosso funciona em muitos bebês que sofrem de refluxo, mas alguns não gostam.

Quando conversar com o pediatra verifique duas ou três marcas diferentes para poder testar, vale até verificar se ele não tem amostras para oferecer, diminuindo assim o seu custo com a experiência.

Resumão do post

O que é refluxo: é o retorno do alimento do estômago para a boca. Comum entre bebês.

Quais são os tipos de refluxo: refluxo fisiológico (normal) e refluxo patológico (demanda investigação)

O que causa refluxo: dieta essencialmente líquida, postura deitado a maior parte do tempo, imaturidade do sistema digestório, excesso de alimento.

Como cuidar do refluxo em bebê: amamentar em posição vertical, verificar a pega da mamada, optar por mamadeira antirefluxo, sempre colocar o bebê para arrotar, colocar o bebê para brincar com a cabeça elevada.

Quais são os tratamentos caseiros contra o refluxo: elevar o colchão, chá de camomila, comer mais devagar, aliviar a pressão da barriguinha, comer menos.

O que a mamãe pode comer quando o bebê tem refluxo: nenhum alimento é universalmente proibido, mas é importante avaliar as reações do seu bebê de acordo com a sua dieta e remover os alimentos que causam desconforto.

Trocar o leite ajuda a combater o refluxo: pode ajudar sim, algumas marcas de fórmula possuem especificidades para aliviar o refluxo, converse com o pediatra que acompanha o seu bebê para escolher a que melhor se encaixa na necessidade.

Gostou do post: Bebê com refluxo – o que fazer? Deixe seu comentário aqui embaixo.

Источник: http://www.brinquedoebrincadeira.com.br/blog/bebe-com-refluxo-o-que-fazer/

Refluxo e regurgitação em bebês: como identificar e tratar

Como cuidar do bebê com refluxo

Quando o esfíncter abre fora de hora e deixa passar o conteúdo do estômago para o esôfago, ocorre o refluxo. Quando esse conteúdo chega na faringe ou na boca, algumas vezes sendo expelido, ocorre a regurgitação. Por isso, os dois episódios estão associados: a regurgitação é uma consequência do refluxo.

Por que o refluxo fisiológico é comum em bebês?

Porque o organismo ainda é muito imaturo e seu esfíncter costuma ficar relaxado. Portanto, o alimento pode voltar para o esôfago, chegar até a garganta e sair pela boca, o que causa vômitos ou regurgitações. Conforme o bebê cresce, ocorre a maturação  do esfíncter  e o refluxo vai diminuindo.

Além disso, bebês se alimentam com muita frequência e, por isso, têm mais refluxo do que crianças e adultos. O pico geralmente acontece aos quatro meses de idade e diminui muito após o primeiro ano de vida. Depois dos 18 meses, os episódios de refluxo e regurgitação praticamente cessam.

Como diferenciar o refluxo gastroesofágico fisiológico (RGE) da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)

O bebê que regurgita, mas está ganhando peso e não apresenta outros sintomas, provavelmente apresenta apenas o refluxo gastroesofágico fisiológico. No entanto, quando outros sinais aparecem, é preciso ficar atento. Apenas o pediatra é capaz de identificar o refluxo fisiológico e diferenciá-lo da doença do refluxo gastroesofágico, um distúrbio mais sério e que inclui diversos sintomas.

A doença do refluxo gastroesofágico caracteriza-se por apresentar sintomas incômodos ou complicações, como perda de peso ou ganho de peso insatisfatório, esofagite e problemas no trato respiratórios, entre outros.

Para identificá-la, o pediatra irá observar a frequência da regurgitação e/ou vômitos, assim como a quantidade de material regurgitado, o histórico clínico do paciente, o resultado do exame físico e os sintomas apresentados.

Diagnóstico da Doença do  Refluxo Gastroesofágico

Feito pelo pediatra ou gastroenterologista pediátrico, o diagnóstico da doença do refluxo gastroesofágico não é simples. Até porque regurgitação e vômitos podem ser características de muitas outras doenças.

O primeiro passo é fazer o diagnóstico diferencial. O médico faz a análise clínica e exame físico: avalia o bebê e o quadro de sintomas já apresentados até então. Os pais devem estar sempre atentos a mudanças de comportamento de seus filhos, assim como ao surgimento de novos sinais para dar ao médico um relato detalhado.

Como tratar o refluxo

O pediatra ou gastroenterologista pediátrico são os profissionais que devem indicar o melhor tratamento para cada bebê. Algumas das medidas podem ser orientações posturais e alimentares para aliviar os sintomas.

No caso do refluxo fisiológico, os pais podem ser orientados a não vestir o bebê com roupas que apertem suas barrigas e a usar um travesseiro antirrefluxo abaixo do colchão para manter a cabeceira elevada.

Durante as mamadas, o pediatra poderá ensinar a posição ideal. Após a amamentação, manter o bebê em posição vertical também pode ser indicado.

O médico deve ser sempre consultado para saber qual é o tratamento ideal para o bebê.

Há, ainda, a possibilidade de a criança ser alérgica ao leite de vaca, o que pode causar sintomas do refluxo.

Em casos extremos, há a cirurgia antirrefluxo. Ela é reservada aos pacientes que não respondem ao tratamento clínico ou apresentam condições que ameacem a vida.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Ministério da SaúdeSociedade Brasileira de PediatriaRevista da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão PretoVandenplas Y et al.

Pediatric Gastroesophageal Reflux Clinical Practice Guidelines: Joint Recommendations of the North American Society for Pediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (NASPGHAN) and the European Society for Pediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (ESPGHAN). JPGN. 2009; 49:498–547.

Benninga MA et al. Childhood Functional Gastrointestinal Disorders:Neonate/Toddler. Gastroenterology 2016;150:1443–1455.Ferreira CT et al.  Gastroesophageal reflux disease: exaggerations, evidence and clinical practice.  J Pediatr (Rio J). 2014;90(2):105−118.Guimarães EV, Marguet C, Camargos PAM.

Treatment of gastroesophageal reflux disease. J  Pediatr. 2006; 82(5): S133- 145.

Escobar, A. Boas Vindas, Bebê 1: Do Nascimento aos 3 meses de idade. 1ª Edição. São Paulo: Principium, 2014

Источник: https://www.danonenutricia.com.br/infantil/dificuldades-alimentares/refluxo-e-regurgitacao-em-bebes-como-identificar-e-tratar

Refluxo em Recém-Nascido – Como Identificar?

Como cuidar do bebê com refluxo

Muitas mamães percebem que o seu bebê tem refluxo quando ele regurgita com maior frequência.

É super normal refluxo em recém nascido, já que o aparelho digestório nessa fase ainda é muito imaturo, mas as vezes uma mamãe de primeira viagem pode não conseguir identificar imediatamente os sintomas de refluxo em recém nascido e aí o problema pode se agravar se não houver os cuidados necessários.

O que é Refluxo?

Para entendermos o refluxo em recém nascido, precisamos saber que o aparelho digestório tem ácidos responsáveis pela digestão do alimento que vai para o estômago, no caso do recém nascido, esse alimento é apenas líquido e mais fácil de voltar. O leite seja ele materno (preferencialmente) ou leite fórmulas pode voltar ocasionando a famosa “golfada” ou gorfada.

O refluxo gástrico nada mais é do que o conteúdo que está no estômago que volta pelo esôfago e normalmente esse refluxo tem ácido gástrico misturado que faz com que o refluxo machuque a por onde passa pois além do estômago, os demais órgãos não estão preparados para a agressividade do suco gástrico. Exatamente por isso é tão importante verificar o grau de refluxo em recém-nascido, pois a única forma do bebê se comunicar é através de choro e se está sentindo dor, fica ainda mais sensível.

Normalmente os bebês tem crises de refluxo, e isso é normal até certo ponto. O bebê que tem crises diárias e em quase todas as mamadas, por exemplo, pode ter uma forma mais complicada de refluxo em recém-nascidos.

Como é a Aparência do Refluxo?

O líquido que volta é talhado e cheira “azedo” como se fosse um iogurte mais ralo com pedacinhos e há bebês que basta mamar para daqui a 10, 15 minutos regurgitar essa “nata”.

 O refluxo é normal e muito frequente entre os recém-nascidos, o problema só passa a ter certa relevância quando o problema começa a influenciar no ganho de peso do bebê.

Também em alguns casos dificultar a alimentação, afinal de contas, o ácido pode machucar o esôfago e garganta. Sinais claros de refluxo em recém nascidos podem ser:

Sinais do Refluxo

  • Inquietação depois das mamadas
  • Regurgitação frequentes
  • Tosse depois e durante as regurgitações
  • Irritabilidade durante a mamada
  • Menos ganho de peso, ou nenhum ganho de peso
  • Sinais de problemas respiratórios em bebês maiores
  • inquietação no sono

Como Diagnosticar

O diagnóstico normalmente é dado pelo pediatra mesmo em consultório na consulta de rotina, os sintomas podem deixar claro porém alguns exames de imagem podem ser solicitados.  Esses exames são raramente pedidos, pois é um exame que é necessário dar contraste e não se sabe a reação que o bebê pode ter com essa substância, pode ser alérgico.

Como Tratar o Refluxo

O tratamento para o refluxo com medicamentos em recém nascidos é simples, medicação anti refluxo Domperidona e Label de 8 em 8 horas, mas é preciso que o pediatra prescreva a quantidade pertinente para o bebê.

Como Evitar o Refluxo

Macetes podem ajudar a reduzir o refluxo dos bebês e em algumas vezes nem medicação é necessária para eliminar os sintomas.

Por exemplo, deixar o bebê mais inclinado depois das mamadas é uma grande ajuda para evitar o refluxo.

Hoje existem essas cadeirinhas de brincadeiras para bebês que podem ser aliadas das mamães para deixar o bebê mais levantadinho depois da mamada, reparem que o bebê fica meio que sentadinho.

Outra técnica usada é levantar um pouco o colchão do bebê ou usar travesseiros para bebês anti refluxo. Dar menos quantidade de leite na mamada e mais vezes também pode ajudar, o estômago muito cheio promove o refluxo com mais facilidade. Dormir de lado é uma boa posição para o bebê, assim evita qualquer perigo de engasgue com o refluxo.

Experiência de uma Leitora

A Viviane recentemente teve a noticia no consultório do pediatra após uma consulta de rotina, ela levou Rafick de 1 mês para a consulta e descreveu os sintomas.

Atualmente Rafick tem feito o tratamento contra o refluxo. Veja o depoimento da Viviane a seguir. Rafick tossia muito e também chorava.

Além de regurgitar com frequência, levei ao pediatra que receitou alguns medicamentos e procedimentos para melhorar o refluxo.

Comecei a usar o Peridal e o Label. Suspendi o Peridal pois não vi nenhum resultado e continuei com o Label que é uma espécie de anti-inflamatório, com ele senti uma leve melhora na irritação.Percebi que pequenas mudanças físicas e posturais ajudariam o meu bebê a sofrer menos com o refluxo.

Passei a Elevar a cabeceira da cama em um ângulo de 30 graus, permanecer após a mamada com o bebê ereto por 40 minutos e diminuir o intervalo das mamadas, ou seja, ele bebendo pouco leite com mais frequência, evita do estômago ficar cheio demais e com isso diminui o refluxo.

Mamãe, preste muita atenção nos sintomas e no porque do choro do bebê, se ele chora muito sem motivo aparente e está perdendo peso ou não está ganhando peso como deveria, é essencial levar ao pediatra de confiança para uma avaliação.

Lembre-se de que regurgitação pode ser normal até 1 ano de idade, mas se o seu bebê “golfa” ou vomita demais é sempre bom fazer uma avaliação com o especialista, porém nem sempre o refluxo está associado a regurgitação, e por isso a mamãe deve ficar de olho nos sinais da mesma forma, mesmo na ausência do vômito. Refluxo é normal e passa, façam o tratamento e os procedimentos corretamente que dá tudo certo no final.

Bjokas e até a próxima!

Veja também: Primeira Alimentação: Papinha de Bebê

Foto: Daniel Peinado

Источник: https://www.famivita.pt/refluxo-recem-nascido-diagnosticar-tratar/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: