Como escolher o melhor azeite

Contents
  1. Qual o melhor azeite? Dicas para fazer uma boa escolha
  2. Para chegar ao melhor azeite, conheça os 3 tipos principais
  3. 1- Extravirgem
  4. 2 – Virgem
  5. 3 – Azeite de oliva comum
  6.  Dicas para ajudar na escolha do melhor azeite
  7. Saiba como harmonizar o azeite em diferentes pratos
  8. Benefícios do azeite para a saúde
  9. Comentários
  10. Como escolher o melhor azeite de acordo com a receita?
  11. Classificações do azeite
  12. 1 – Azeite de oliva refinado ou comum
  13. 2 – Azeite de oliva do tipo virgem
  14. 3 – Azeite de oliva do tipo extravirgem
  15. Como escolher o melhor azeite para as suas receitas?
  16. Parâmetros de sabor e aroma do azeite
  17. 1 – Aroma frutado
  18. 2 – Aroma harmônico
  19. 3 – Aroma desequilibrado
  20. Quais são os benefícios do azeite para a saúde?
  21. Dicas essenciais para escolher o melhor azeite
  22. O azeite
  23. Tabela nutricional do azeite (colher de sopa-13,5 gr)
  24. Gastronomia
  25. Os azeites
  26. Os “Azeites da Agricultura Biológica”
  27. Os “Azeites DOP”
  28. O momento da escolha do azeite
  29. Azeite Virgem Extra
  30. Azeite Virgem
  31. Azeite
  32. Azeite extra virgem: ranking das melhores marcas
  33. Azeite extra virgem: benefícios para a saúde
  34. Como escolher um azeite extra virgem
  35. 1. Parus
  36. 2. O-live
  37. 3. Gallo
  38. 4. Andorinha
  39. 5. Borges
  40. Após fraudes, especialistas dão dicas na hora de escolher o melhor azeite
  41. Recomendações
  42. Método de produção
  43. Conservação
  44. Desconfie de preço muito baixo
  45. Tipos e usos
  46. Fontes: Epamig e Empório do Azeite
  47. Como escolher um bom azeite? Veja nossas dicas!
  48. Como surgiu o azeite?
  49. Quais são os processos de fabricação do azeite?
  50. Quais são os tipos de azeite encontrados no mercado?
  51. Azeite de oliva
  52. Azeite virgem
  53. Azeite de oliva extra-virgem
  54. Azeite de oliva xtra-virgem TERROIR BRASIL – CASA MADEIRA
  55. Azeite de oliva extra-virgem TERROIR CHILE – CASA MADEIRA
  56. Como escolher um azeite bom para cozinhar?
  57. Escolha produtos em embalagens que protejam o óleo da luz externa
  58. Observe o percentual de acidez
  59. Verifique a pureza do azeite

Qual o melhor azeite? Dicas para fazer uma boa escolha

Como escolher o melhor azeite
A escolha do melhor azeite: conheça as características do produto.

Quando você vai ao supermercado e entra na seção de óleos e azeites, vem sempre uma pergunta na cabeça: como escolher o melhor azeite?

Vamos começar pela definição desse produto tão apreciado:

Azeite: suco de azeitonas feito de forma prensada, sem interferência de aditivos ou conservantes – diferentemente de outros óleos comestíveis.

O azeite é um produto puro, que preserva os nutrientes e as características de aroma e sabor. Usado como tempero, o azeite torna a comida mais gostosa, realça e complementa o paladar dos alimentos e, ainda, gera benefícios para a saúde.

Em outras palavras: ele é tudo de bom!

Por isso, a gente apresenta algumas dicas de como escolher o melhor azeite e harmonizá-lo com alguns pratos.

Para chegar ao melhor azeite, conheça os 3 tipos principais

A escolha do melhor azeite: Virgem, extravirgem ou comum?

Os azeites se dividem em três tipos principais, classificados com base na forma como são produzidos e na sua acidez.

Aliás, é importante esclarecer um ponto que costuma gerar dúvidas: o nível de acidez informado no rótulo não tem nenhuma relação com o sabor.

A acidez é um parâmetro químico, medido em laboratório –, não dá para sentir na boca. Ele se refere à quantidade de ácidos graxos livres, indicando o grau de deterioração do azeite.


1- Extravirgem

A escolha do melhor azeite: extravirgem e os benefícios para a saúde.

É o mais saudável – e geralmente de maior custo. É resultado da primeira prensagem a frio das azeitonas. Apresenta acidez inferior a 0,8%, mantendo ao máximo a pureza de gosto, aroma, antioxidantes e outros nutrientes. Deve ser usado frio, para finalização de pratos como saladas, massas e pizzas.

Mas atenção: nem sempre o mais caro é o melhor.

Se não tiver sido bem cuidado no transporte e armazenamento, por exemplo, já terá perdido não só suas qualidades gastronômicas, mas também parte dos benefícios que traz para a saúde. Falaremos mais sobre isso daqui a pouco.

2 – Virgem

A escolha do melhor azeite: o virgem pode ser servido diretamente no prato.

É obtido, em geral, na segunda prensagem, tem entre 0,8% e 1,5% de acidez. Também é de boa qualidade, mas, na comparação com o extravirgem, perde um pouco em aroma, pois tem parâmetros químicos e sensoriais diferentes. Pode ser utilizado da mesma forma: diretamente no prato ao servir.

3 – Azeite de oliva comum

Azeite comum pode ir ao fogo.

Mais barato e popular entre os brasileiros, sua acidez varia de 1,5% a 3%. É uma mistura do azeite refinado (que precisa ser purificado artificialmente para tirar o excesso de acidez) com doses de azeite virgem ou extravirgem.

Essa adição serve para recuperar parte da cor, do sabor e do cheiro perdidos no processo de refino. Não tem muito valor nutritivo em relação aos demais tipos de azeite e é bastante usado para frituras, grelhados, assados e refogados.

 Dicas para ajudar na escolha do melhor azeite

Escolher o melhor azeite pode ser um grande desafio durante a compra.

São tantos os fatores a considerar que muita gente fica confusa na hora da compra.

Fique atento a algumas informações importantes que vão ajudar você a fazer uma escolha consciente:

– Luz: ela acelera a deterioração do azeite. Prefira embalagens em vidro escuro, em vez de transparente.

– Datas: fique atento à safra e à validade. Quanto mais novo o azeite, melhor.

– Preço: como já dissemos, nem sempre o azeite mais caro é o de melhor qualidade. Se não seguir parâmetros adequados para transportar e armazenar ou estiver próximo da validade, são grandes as chances de o aroma e o sabor não serem mais os mesmos. Por outro lado, sempre desconfie de azeites excessivamente baratos, pois há risco de terem sido fraudados.

– Produzido X Engarrafado: nos azeites importados, observe qual dos dois termos aparece no rótulo. Prefira os que dizem “produzidos”, pois são feitos e embalados no mesmo local. Os apenas “engarrafados” podem não ter a mesma garantia de procedência.

– Pesquise: tente não comprar por impulso. Antes, procure na internet informações específicas sobre o azeite do seu interesse, para conhecer suas características.

– Aroma e sabor: uma ótima maneira de identificar um bom azeite é aprendendo a reconhecer aromas e sabores positivos ou negativos.

Entre os atributos considerados desejáveis para o paladar de um azeite, estão o de banana, erva molhada, nozes, chá verde, amanteigado.

Por outro lado, são consideradas características indesejáveis o paladar metálico, avinagrado ou queimado.

Saiba como harmonizar o azeite em diferentes pratos

A escolha do melhor azeite: harmonização e usos.

Nenhum azeite é igual ao outro. Além da classificação acima, há uma infinidade de sabores e aromas influenciados por diversos fatores: variedade da azeitona cultivada, país/região, clima, solo, como e quando é feita a colheita, modo de prensagem, etc.

Por isso, quem gosta de gastronomia e tem vontade de se aventurar por diferentes combinações pode ter mais de um tipo de azeite em casa – um intenso, um médio e talvez um terceiro mais leve.

Confira algumas sugestões de como complementar cada prato:

– Azeites mais suaves e adocicados harmonizam com peixes e massas.– Saladas e legumes grelhados combinam muito bem com azeites frutados.– Azeites mais amargos são excelentes para finalizar carnes grelhadas.

– Pratos marcados pelo sal ou de gosto forte ficam bons com azeites delicados. O mesmo vale para alimentos ácidos, cítricos ou com forte sabor de vinagre.

Benefícios do azeite para a saúde

A escolha do melhor azeite: diferentes benefícios para a saúde.

Além de valorizar os pratos, o azeite é uma fonte saudável de gordura, sem contraindicações. Então, quem mantém uma dieta equilibrada tem no azeite um aliado para melhorar a saúde. Ele contribui para:

– reduzir os níveis de colesterol e os riscos de doenças cardiovasculares (por suas propriedades anti-inflamatórias);– prevenir alguns tipos de câncer (como mama e próstata);– manter a pressão arterial adequada;– facilitar o processo digestivo;– prevenir a osteoporose (pois favorece a absorção de cálcio);– aumentar a resposta imunológica e a resistência do organismo contra vírus e bactérias;– ativar a memória;

– melhorar a elasticidade dos tecidos e prevenir o envelhecimento da pele e do cabelo.

Com tantas vantagens, fica difícil imaginar alguém que não queira deixar a comida ainda mais saborosa e, ao mesmo tempo, cuidar da saúde.

Para encerrar esse post, deixamos uma última dica bacana: experimente as marcas nacionais.

O Brasil já começa a trabalhar em escala comercial e nossos produtos são superfrescos e de excelente qualidade, não devendo em nada para os tradicionais azeites importados.

Que tal prestigiar a produção brasileira?

Bom apetite!

Colaboração:
Sandro Marques, docente do Senac Aclimação.

Comentários

Comentários

Источник: https://www.blogsenacsp.com.br/melhor-azeite/

Como escolher o melhor azeite de acordo com a receita?

Como escolher o melhor azeite

Na maioria das casas brasileiras, o azeite é um dos produtos que não podem faltar de jeito nenhum. Utilizado principalmente para temperar e finalizar os alimentos, pode ser consumido inclusive com torradas e pães. Aprenda como escolher o melhor azeite para as suas receitas e deguste um dos sabores mais deliciosos da cozinha.

O azeite traz diferentes benefícios para a saúde humana, quem quer se alimentar de maneira mais saudável, sem dúvidas esse é um excelente produto. Atualmente, existem diferentes tipos e marcas de azeite no mercado. Conhecer as propriedades de cada um desses produtos é ótimo na hora de efetuar a compra.

Para ajudar você nessa escolha, reunimos algumas informações importantes sobre como escolher o melhor azeite para as suas receitas.

Classificações do azeite

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ou ANVISA como é chamada determina que um azeite de oliva só pode receber esse nome se o óleo obtido for do fruto das oliveiras, ou seja, das azeitonas.

A classificação de virgem e extravirgem surge apenas depois do processo físico de extração dos frutos.

São os tipos de azeitonas que vão determinas os tipos de azeite existentes, assim como a sua extração, condições do clima e todo o processo de produção do produto. A qualidade do solo também influencia no resultado final do produto, entre outras condições e fatores.

O que diferencia os tipos de azeite é o grau de acidez que cada um possui. A quantidade de ácidos graxos livres em relação a quantidade de ácido graxo do tipo oleico é o que vai determinar o seu grau de acidez.

Para determinar a qualidade de um azeite, basta verificar a quantidade de ácidos graxos livres, quanto maior for a sua concentração, menor será a qualidade do azeite.

Saber como escolher o melhor azeite implica em saber também o grau de acidez que ele possui.

Quando um azeite possui uma baixa acidez, isso indica que ele foi produzido a partir de um excelente fruto que recebeu tratamento e conservação adequados.

1 – Azeite de oliva refinado ou comum

Esse é um tipo de azeite que passa por todo o processo de refinamento, diversas vitaminas são perdidas, entre outros nutrientes que são altamente importantes para a saúde humana.

A cor desse produto é bem clara, o aroma não é característico e o sabor e a cor também se perdem nesse processo de refinamento.

Você que está procurando aprender mais sobre como escolher o melhor azeite, esse tipo não é a opção mais recomendável para o consumo.

Normalmente é produzido e vendido, misturado no azeite extravirgem, o que gera um azeite totalmente composto. Sua acidez possui uma variação entre 1,5% até 3%.

2 – Azeite de oliva do tipo virgem

A acidez desse tipo de azeite varia entre 0,8% até 1,5%, o seu sabor e aroma são inferiores se comparados ao tipo extravirgem.

A extração desse produto é feita por processos físico e mecânico.

3 – Azeite de oliva do tipo extravirgem

Esse tipo de azeite é obtido através do processo de prensagem a frio, isso significa que todos os nutrientes e as vitaminas foram preservados no produto.

Sua acidez é bem baixa, cerca de apenas 0,8%.

Como escolher o melhor azeite para as suas receitas?

Existem alguns cuidados que são fundamentais na hora de você escolher o seu azeite. Esses cuidados são necessários para que você possa usufruir dos benefícios que ele oferece. Confira a seguir que cuidados são esses.

  • Analise a procedência do seu azeite, onde foi produzido, local de conservação, processo de engarrafamento. Com essas informações dá para se ter uma noção do quanto que ele já foi manipulado até chegar nas suas mãos;
  • Dê preferência para o azeite de embalagem escura e que tenha sido armazenado totalmente longe da exposição solar. Essa recomendação é importantíssima, pois os produtos armazenados sob a luz do sol ficam oxidados;
  • No rótulo do azeite contém as informações sobre o grau de acidez, lembre-se que quanto menor for o seu grau, mais puro ele é, ou seja, mais benefícios ele traz para a saúde;
  • Certifique-se que não haja nenhuma mistura de óleos nesse azeite e que ele não receba o nome de óleo composto.

Existem alguns órgãos especializados na fiscalização de alguns produtos. Acompanhe as informações divulgadas por esses órgãos. O Inmetro e o Proteste são exemplos de empresas especializadas na elaboração e divulgação desse tipo de informações.

Consultar esses órgãos permite que você não compre óleos pensando que fossem azeites.

Diversas receitas podem ser preparadas depois que você aprende como escolher o melhor azeite. Pestos diversos, bacalhau no forno, legumes banhados no azeite são apenas alguns desses exemplos culinários que podem ser degustados com um excelente azeite.

Parâmetros de sabor e aroma do azeite

A qualidade do azeite é determinada também pelo sabor e aroma, existem alguns parâmetros importantes que medem essas informações tecnicamente. Então, dessa forma os azeites podem possuir os seguintes sabores e aromas, confira:

1 – Aroma frutado

Esse tipo de aroma é o mais próximo da azeitona, é totalmente diferente dos azeites que conhecemos vendidos nas prateleiras dos supermercados.

2 – Aroma harmônico

Esse tipo de azeite possui um equilíbrio considerável entre sabor e aroma.

3 – Aroma desequilibrado

A produção desse tipo de produto é totalmente desequilibrada, ou seja, ou o aroma ou o sabor é que se sobressai no produto.

Quais são os benefícios do azeite para a saúde?

O azeite traz diferentes benefícios para a saúde, a seguir listamos alguns para você conhecer, confira:

  • Graças a quantidade de gorduras monoinsaturadas acumuladas, o azeite é eficaz no combate a Diabetes do Tipo 2;
  • Graças a quantidade elevada de nutrientes, o azeite contribui no controle do peso;
  • Por contribuir no aumento de antioxidantes no corpo, o azeite é excelente para a saúde cardíaca, combatendo o envelhecimento das células;
  • Segundo especialistas, o azeite combate os episódios de hipertensão;
  • Previne a perda de cálcio e o surgimento da osteoporose durante a velhice;
  • Faz com que as dores no ouvido sejam mais amenas, inclusive é conhecido como um remédio totalmente natural para esse tipo de desconforto;
  • Descobriu-se que pessoas que seguem a Dieta do Mediterrâneo possuem uma tendência menor de desenvolverem depressão.

Aprender como escolher o melhor azeite é essencial para fazer receitas mais saborosas e agradáveis.

Источник: https://anoteareceita.com.br/como-escolher-o-melhor-azeite/

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Como escolher o melhor azeite

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Confira dicas essenciais para escolher o melhor azeite. O azeite é um produto essencial na nossa gastronomia. É um dos alicerces da dieta mediterrânica. O azeite é um justo protagonista de diversas receitas tradicionais de Portugal. Integra os refogados de muitos petiscos que são servidos diariamente nos restaurantes nacionais e não há casa portuguesa sem este produto imprescindível.

Portugal é um país com uma excelente produção de vinho, mas também tem conquistado elevada reputação nos azeites. Há diversos tipos de azeite e muitas pessoas desconhecem as diferentes qualidades do azeite.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

O azeite

Este produto é usado como ingrediente culinário desde tempos imemoriais. Hoje, é visto como um dos grandes ingredientes da cozinha moderna, sendo uma gordura boa e saudável.

Leia também:As 4 situações onde é proibido usar azeite

O seu consumo moderado está na origem de diversos benefícios para a saúde. É um produto que não está confinado às regiões produtoras. O Japão ou a Austrália são alguns dos países distantes, interessados no azeite nacional.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Tabela nutricional do azeite (colher de sopa-13,5 gr)

Informações nutricionaispor porção% VD*
Valor Calórico119 kcal6,0 %
500 kJ
Gordura13,5 g20,8 %
Gorduras saturadas1,9 g8,5 %
Gorduras monoinsaturadas9,8 g34,0 %
Gorduras poliinsaturadas1,4 g9,5 %
Carboidratos0,0 g0,0 %
Açúcares0,0 g0,0 %
Proteína0,0 g0,0 %
Fibra alimentar0,0 g0,0 %
Colesterol0,0 mg0,0 %
Sódio< 0,1 g< 0,1 %
Água0,0 g0,0 %

(*) O percentual do valor diário (VD) é baseado numa dieta de 2.000 calorias.

Gastronomia

O papel desta gordura boa na gastronomia nacional é de protagonista. Boa parte dos refogados feitos em Portugal levam azeite (normalmente com cebola, alho e/ou tomate).

O azeite é usado nas sopas, para temperar saladas e em 1001 receitas que têm no azeite um dos elementos chave. É que este produto, além do sabor e aroma que fornece ao prato, também dá cor e permite ligar os alimentos.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Os azeites

No mercado nacional, há os “Azeites com Denominação de Origem Protegida” (DOP), havendo ainda os “Azeites da Agricultura Biológica” e os “Azeites Elementares ou Monovarietais” (estes são obtidos de uma só variedade de azeitona).

Os “Azeites da Agricultura Biológica”

Este tipo de azeites é proveniente de olivais que cumprem o que está previsto na Regulamentação Europeia, estando de acordo com o modo de produção biológica.

Assim, está sujeito a vários e importantes condicionalismos, nomeadamente a manutenção do fundo de fertilização dos solos, o uso de rotações adequadas, o respeito por normas fitossanitárias e por normas de fertilização muito rigorosas.

Neste tipo de azeite, é praticamente interdito o recurso a produtos químicos de síntese.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Os “Azeites DOP”

Neste momento, existem no nosso país 6 denominações de origem protegida para azeites. São elas:

“Azeites da Beira Interior (Azeites da Beira Baixa e da Beira Alta)”, “Azeites de Moura”, “Azeites de Trás-os-Montes”, “Azeites do Alentejo Interior”, “Azeites do Norte Alentejano” e “Azeites do Ribatejo”.

São azeites com origem numa área geográfica delimitada, sendo elaborados exclusivamente com azeitonas de determinadas variedades de oliveiras, com soloa e clima característicos dessa região.

Outros fatores relevantes são o saber tradicional da região, que se consubstancia no modo de condução das árvores, também na apanha da azeitona e ainda na extração do azeite. Há assim tipicidade e características qualitativas que permitem que os azeites se distingam entre os demais.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

O momento da escolha do azeite

O azeite não é como o vinho. Não envelhece bem. Não fica melhor ao longo do tempo.

O processo de deterioração do azeite é iniciado a partir do momento em o azeite é extraído. Assim, o azeite deve ser consumido num espaço reduzido de tempo e não deve ser armazenado por períodos muito prolongados.

Leia também: O que acontece se beber 1 colher de azeite, limão e mel em jejum?

O azeite deve ser escolhido de acordo com a finalidade a que se destina. Se é para fins culinários, se é para ser degustado no pão, … O gosto pessoal também deve ser levado em consideração.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Azeite Virgem Extra

Este tipo de azeite apresenta qualidade superior, proporcionando um sabor mais rico e um cheiro a azeitona mais intenso. Apresenta acidez igual ou inferior a 0,8%. É o mais indicado para consumo direto, seja para temperar saladas, seja para colocar num prato e nele molhar um pedaço de pão.

Há versões de azeites virgem extra de sabor mais suave que servem como tempero de saladas e alimentos, mas que também podem integrar a doçaria. A versão de Azeite Virgem Extra mais intenso é ideal para a confeção de alguns molhos.

Azeite Virgem

É de qualidade inferior ao azeite virgem, mas ainda assim é de boa qualidade. A sua acidez é igual ou inferior a 2%. É uma opção mais indicada para ser usada em sopas, refogados, marinadas ou assados.

Dicas essenciais para escolher o melhor azeite

Azeite

Contém azeite virgem e azeite refinado. É um azeite refinado que é enriquecido com azeite virgem. Apresentando um grau de acidez igual ou inferior a 1,0%, é aromático e frutado. Este tipo de azeite revela-se mais destinado a frituras, pois possui maior resistência às altas temperaturas.

É um produto mais barato, havendo ainda uma manutenção do seu valor nutritivo. Este azeite torna os fritos mais secos e apetecíveis, formando uma crosta na superfície, algo que evita a penetração do azeite no interior dos alimentos.

Источник: https://ncultura.pt/dicas-essenciais-para-escolher-o-melhor-azeite/

Azeite extra virgem: ranking das melhores marcas

Como escolher o melhor azeite

Um bom azeite extra virgem é item importantíssimo em qualquer cozinha, e com a enorme variedade de marcas e categorias disponíveis, escolher o produto ideal para o seu paladar e bolso não é tarefa das mais fáceis.

Para te ajudar, fizemos uma seleção com as marcas que são “compra certa” por unirem qualidade e preço, e também reunimos as principais dicas para você fazer a melhor escolha. Acompanhe!

  • Veja também: Manteiga: ranking das melhores marcas

Azeite extra virgem: benefícios para a saúde

Hoje temos no mercado 3 tipos diferentes de azeite: o refinado, o virgem, e o extra virgem. O grande diferencial entre eles é o número de etapas de refinamento.

O extra virgem é o menos refinado, portanto mais puro e menos ácido. O virgem é o “do meio”, e o refinado – o próprio nome já diz – é o mais refinado, portanto menos puro e mais ácido.

Ou seja, o melhor tipo de azeite é o extravirgem, que é o primeiro óleo extraído no processamento da oliva (azeitona). Ele é o mais puro e por isso tem acidez sempre menor que 0,8%, o que possibilita sabores mais intensos e inúmeros benefícios para a saúde.

O Azeite de oliva extra virgem é rico em substâncias antioxidantes, ômega 3 e vitamina E, e ainda possui propriedades anti-inflamatórias. Seu consumo regular fortalece o coração e o cérebro, e também diminui as concentrações de colesterol ruim.

Como escolher um azeite extra virgem

Para escolher o melhor azeite extra virgem é importante verificar os seguintes itens:

  • Pureza;
  • Acidez;
  • Tipo de embalagem.

O azeite de oliva extravirgem é um óleo fresco, obtido a partir da prensagem da azeitona. Portanto, desconfie de marcas que trazem outras substâncias listadas no rótulo.

A acidez apresentada na embalagem é importante para se ter uma ideia da suavidade do óleo para consumo puro ou em receitas, mas é importante deixar claro que essa acidez vai variando de acordo com o tempo de degradação (oxidação) dentro da garrafa, e também após aquecimento.

Por ser muito delicado, a exposição à luz e ao calor pode oxidá-lo. Sendo assim, opte sempre pelos produtos vendidos em garrafas escuras de vidro, que são as que melhor protegem o azeite da oxidação.

Agora que você já sabe como escolher, vamos ao ranking das marcas mais recomendadas pelos consumidores e especialistas:

1. Parus

O azeite português Parus não é muito conhecido nas casas de todo o Brasil, mas ele é um dos preferidos dos chefes de cozinha.

Ele obteve nota 97 na avaliação mais recente do Proteste, e mesmo com tanto reconhecimento, seu preço não ultrapassa a faixa dos R$ 18 (garrafa de 500 ml).

2. O-live

O azeite chileno O-live é sem dúvida o azeite extra virgem com o melhor custo-benefício do país.

Ele já ganhou diversos prêmios e é sempre muito bem avaliado nos testes de qualidade, e mesmo assim continua acessível, com preço na faixa dos R$ 15 (garrafa de 500 ml).

Sua acidez é uma das mais baixas do mercado (0,2%), garantindo um produto super leve e saboroso.

3. Gallo

Esse com certeza você já conhece. Afinal, ele é o azeite mais vendido no Brasil.

Ele é uma excelente escolha para famílias que vão usar bastante o produto no dia a dia em grelhados e receitas, mas fica atrás de outras opções para consumo no pão ou em pizzas, por exemplo.

O preço também fica na faixa dos R$ 15, mas o consumidor pode contar com versões mais sofisticadas do produto, como o Reserva e o Orgânico.

4. Andorinha

Embalado em vidro escuro e com bico dosador, o azeite extra virgem Andorinha é a escolha ideal para consumo com pizzas, massas e pratos especiais.

O produto possui um sabor bastante diferenciado da concorrência e é bastante versátil, sendo perfeito para quem quer “brincar de Master Chef”.

A marca Andorinha é muito popular em Portugal, e no Brasil já é reconhecida como sinônimo de azeite de qualidade.

5. Borges

O azeite espanhol Borges combina diferentes tipos de olivas cultivadas no mediterrâneo, oferecendo sabor que foge um pouco do padrão português ao qual estamos acostumados.

Em nossa avaliação, ele foi um dos mais saborosos para aplicação em saladas e outros pratos frios, e também se sai muito bem em molhos e reduções.

Você concorda com a lista? Qual o melhor azeite extra virgem do Brasil na sua opinião? Conte aí nos comentários!

Источник: https://japrovei.com/azeite-extra-virgem/

Após fraudes, especialistas dão dicas na hora de escolher o melhor azeite

Como escolher o melhor azeite

Em meio a fraudes recentes identificadas pelo Ministério da Agricultura, saiba como comprar um azeite de qualidade, observado o teor de acidez, método de produção, conteúdo fenólico, conservação, entre outros pontos

Um bom azeite possui inúmeras variáveis que devem ser consideradas e a acidez, por exemplo, é um dos parâmetros de escolha, No entanto, está longe de ser o principal.

Método de produção, conteúdo fenólico, conservação, data de fabricação e origem são alguns dos fatores que devem ser considerados também, até mesmo para evitar ser vítima de alguma fraude.

Somente neste ano, 33 marcas de azeite de oliva tiveram a comercialização suspensa por fraudes, segundo uma lista divulgada pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). As falsificações envolveram, principalmente, a mistura de outros óleos ao produto final e uso de nomenclatura incorreta.

“A Instrução Normativa 1/2012 do Mapa define que azeite de oliva é o produto obtido somente do fruto da oliveira, excluído todo e qualquer óleo obtido pelo uso de solvente ou pela mistura com outros óleos”, explica o engenheiro agrônomo Pedro Moura, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

Recomendações

Algumas recomendações podem ajudar o consumidor na escolha de um bom azeite. Chania Chagas, sommelier em azeites de oliva e proprietária do Empório do Azeite, afirma que “diferentemente dos vinhos, o azeite de oliva quanto mais novo melhor é”. Por essa razão, ela sugere sempre o consumo de azeites frescos”.

Dar preferência a produtos envasados no local de origem também é importante.

“O azeite fabricado em um local e engarrafado em outro tem mais chance de ser adulterado ou de ter suas características modificadas do que aquele que já está acondicionado no recipiente em que será comercializado”, observa o coordenador do Programa Estadual de Pesquisa em Olivicultura da Epamig, Luiz Fernando de Oliveira.

Método de produção

Se as azeitonas foram colhidas verdes ou no momento da veraison – quando ainda não mudaram sua cor para escura –, permanece no azeite o gosto amargo delas. Foto: Divulgação Epamig

De acordo com a sommelier Chania Chagas, existem três características básicas no sabor de um azeite extra virgem: o frutado (verde ou maduro), o amargor e a picância. Esses três fatores podem ter sua intensidade suave, média ou intensa.

Ela ainda explica que o processo de produção do azeite de oliva extra virgem está diretamente relacionado com essas características.

“Se as azeitonas foram colhidas verdes ou no momento da veraison (quando ainda não mudaram sua cor para escura), permanece no azeite o gosto amargo das azeitonas.

O frutado do azeite é percebido pelo sentido do olfato, e é um lembrete para uma fruta saudável e fresca, sendo algo que devemos reconhecer e valorizar.

Existem azeites produzidos com olivas mais maduras que têm como característica um sabor mais adocicado e suave, adquirindo uma textura mais delicada”.

Ela também cita a influência do teor de polifenóis, que também varia muito do tipo de oliva utilizada: “Na ficha técnica dos azeites, existe essa informação.

Também é possível verificar de acordo com o tipo de oliva que o azeite é feito, pois cada oliva possui um conteúdo fenólico diferente.

As olivas Picual, Coratina, Peranzana, Cornicabra e Hojiblanca são as que mais trazem esse benefício”.

Segundo a sommelier, o conteúdo de polifenóis contidos no azeite de oliva extra virgem determina o nível de amargor e picância. Quanto maior o índice de compostos fenólicos, maior é a quantidade de antioxidantes contidos nele. E essa característica não só está relacionada com os benefícios à saúde, como também ajuda na conservação do azeite dentro da garrafa.

Conservação

Quanto às embalagens é importante que sejam de vidro e escuras. Foto: Divulgação Epamig

Quanto às embalagens é recomendado que sejam de vidro e escuras. E tem uma razão: “As latas poderiam ser uma opção interessante pela proteção da luz, porém, após abertas, não oferecem a mesma vedação”, alerta aazeitóloga Ana Beloto.

Outro ponto a ser observado é a conservação das garrafas no ponto de venda. É indicado que o azeite fique armazenado em local fresco e seco, longe da luz e calor, impedindo a oxidação e deterioração. Garrafas claras devem ser sempre guardadas e nunca podem ficar expostas à luz.

Sobre a conservação dos azeites após a compra, Ana indica que as embalagens devem ser guardadas em armários protegidos da luz e do calor. Depois de abertas, elas devem ser acondicionadas na geladeira.

“Na geladeira, o azeite de boa qualidade vai condensar um pouco, mas conservará suas características de sabor e aromas. Antes de consumir, basta deixá-lo em temperatura ambiente por alguns minutos, para que ele volte a consistência habitual”, informa a azeitóloga.

Desconfie de preço muito baixo

Outro parâmetro importante é o preço: “Temos de desconfiar de azeites baratos. Um dado a ser lembrado é que, para a produção de cada litro de azeite, são necessários, no mínimo, cinco quilos de azeitona”, conta Ana.

“Temos de considerar que o azeite tem um alto custo de produção, principalmente aqui, no Brasil, onde a cultura ainda está em desenvolvimento. Na região da Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, são necessários, em média, dez quilos kg de azeitona para cada litro de azeite produzido”, destaca engenheiro agrônomo Pedro Moura, da Epamig.

Segundo ele, “os azeites importados, que atendem quase a totalidade do mercado consumidor brasileiro, têm um custo menor de produção, mas existem as despesas com transporte, impostos, além de outros fatores que interferem nos preços”.

Tipos e usos

A qualidade do azeite é aferida por dois métodos: análise química e análise sensorial. Foto: Epamig

Os azeites mais comumente consumidos pertencem ao grupo “Azeite de Oliva Virgem”, que está dividido em três categorias de tipo: extravirgem (com acidez de até 0,8%), virgem (com acidez de até 2%) e lampante (com acidez superior a 2%), sendo esse último impróprio para o consumo, pois é usado como combustível.

Os especialistas lembram que a qualidade do azeite é aferida por dois métodos: análise química e análise sensorial. Nos rótulos dos produtos são apresentados esses dados químicos.

“É interessante que o consumidor observe as características das marcas que ele consome, se são padronizadas ou se mudam de uma garrafa para a outra. O próprio usuário deve fazer sua avaliação de aromas e sabores e optar por aquele que mais lhe agradar”, indica Moura.

Outra sugestão é sempre buscar informações sobre as inspeções feitas pelo Ministério da Agricultura, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por outros órgãos competentes, como a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste).

Fontes: Epamig e Empório do Azeite

Источник: https://alavoura.com.br/colunas/alimentacao-nutricao/apos-fraudes-especialistas-dao-dicas-na-hora-de-escolher-o-melhor-azeite/

Como escolher um bom azeite? Veja nossas dicas!

Como escolher o melhor azeite

É impossível falar sobre alguns tipos de alimento e não pensar em tradição no consumo e na fabricação. O vinho é um ótimo exemplo disso. Os chás também podem ser citados. Mas, afinal, você já parou para pensar na importância de um azeite bom para muitas pessoas?

Em algumas nações, como Brasil, Portugal, Chile, Itália e França, o azeite é um item indispensável na cozinha. Ele participa tanto da preparação real de pratos variados quanto da sua finalização, dando aquele toque especial que só a alta gastronomia pode proporcionar.

No Brasil, a sua utilização vem crescendo cada vez mais. Por isso, saber escolher um azeite bom para os seus preparos culinários — e até para a finalização daquela saladinha tão saudável — é algo fundamental. Confira, então, dicas importantes para lidar com essa questão. Boa leitura!

Como surgiu o azeite?

A história do azeite é bem antiga. Esse produto vem, de certo modo, acompanhando a humanidade há muitos milênios. Sim, milênios! Há relatos que mostram que as oliveiras eram cultivadas há mais de 3000 anos antes do nascimento de Cristo e que o seu óleo já seria utilizado pelas populações daquela época.

Esse produto começou a ser espalhado por todo o mundo com o avanço da civilização grega. Esse foi um processo natural pelo qual muitos itens alimentícios passaram. Os gregos e os romanos foram grandes disseminadoresda gastronomia pelo mapa.

Hoje, esse produto é fabricado em larga escala em todo o mundo. Alguns dos países com maior produção são, atualmente, Espanha, Portugal, Itália, Chile, Argentina e Grécia.

Dica: É verdade que o vinho faz bem para o coração? Entenda esse e outros benefícios!

Quais são os processos de fabricação do azeite?

O azeite passa por processos de fabricação muito rigorosos, que se tornam mais exigentes a cada degrau subido na categorização desses produtos (falaremos mais sobre isso no decorrer do artigo).

No entanto, de modo geral, o óleo das azeitonas é obtido com a ajuda de uma prensa. No entanto, elas não levadas diretamente da oliveira para esse mecanismo. Passam, antes, por uma minuciosa seleção e são moídas, gerando uma espécie de pasta.

Depois, sim, essa pasta é levada para a prensa, que aperta todo o conteúdo e extrai o óleo. Há outros métodos, ainda mais modernos, que utilizam uma espécie de centrífuga que separará o óleo da parte sólida da pasta.

Quais são os tipos de azeite encontrados no mercado?

Se você já foi ao mercado comprar azeites, é bem provável que tenha se deparado com várias denominações diferentes. Isso é perfeitamente normal e é um modo de garantir, de certa forma, a procedência dos produtos que são comercializados, trazendo mais transparência para o consumidor.

Mas, afinal, quais são os tipos e o que cada categoria quer dizer na prática? Confira, a seguir, uma explicação breve sobre esse assunto.

Azeite de oliva

Esse é o tipo “standard” do produto. A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) diz que essa denominação deve ser utilizada em todos os óleos produzidos a partir da azeitona. A designação genérica, então, pode ser utilizada mesmo para misturas que contenham esse fruto.

Dica: Suco de uva: confira essas informações e receitas imperdíveis!

Azeite virgem

O azeite virgem é um óleo extraído a partir de processos mecânicos, que trazem uma melhora considerável ao produto, deixando-o com uma acidez bem mais baixa. Eles são, por definição, produtos puros, sem a mistura de qualquer outro tipo de óleo em sua composição.

Azeite de oliva extra-virgem

Por fim, temos o azeite extra-virgem, o produto mais nobre de todos os citados. Ele é obtido a partir da prensa a frio de azeitonas de altíssima qualidade.

É um óleo puro, denso e cristalino, sem a adição de qualquer outro tipo de composto e com a acidez mais baixa do mercado: ela não pode ultrapassar 0,8%.

Dentro dessa categoria estamos lançando dois azeites especiais, de dois terroirs, um do Brasil e o segundo do Chile.

Clique na imagem para mais detalhes do produto!

Azeite de oliva xtra-virgem TERROIR BRASIL – CASA MADEIRA

Excelentes azeites extra virgem são resultado de blends de duas, três ou até mais variedades, resultando em um óleo muito equilibrado.

No azeite de oliva extra-virgem Terroir Brasil escolhemos duas variedades, a Arbequina com caráter frutado, fresco e com atributos apreciados, e a variedade Arbosana que traz uma ligeira picância e um toque frutado médio para compor esse blend.

Para harmonização é ideal com saladas leves, carnes brancas, legumes cozidos, queijos frescos, frutas e doces.

Crie harmonizações incríveis com os vinhos da Famiglia Valduga. Acesse nossa loja online e confira todos os rótulos!

Azeite de oliva extra-virgem TERROIR CHILE – CASA MADEIRA

Reconhecido por ser um grande Terroir na produção de azeites de oliva, o azeite de oliva extra-virgem Terroir Chile é composto de duas variedades, resultando em um óleo muito particular.

No azeite de oliva extra-virgem Terroir Chile escolhemos as variedades, Coratina que possui caráter frutado, amargo epicante, além de ser rico em polifenóis, o que o torna muito estável.

Já a variedade Arbosana traz uma ligeira picância e um toque frutado médio para compor esse blend. Para a harmonização é ideal com risotos, massas, carnes, queijos e pizzas.

Como escolher um azeite bom para cozinhar?

Agora, vamos às dicas fundamentais para a escolha de um azeite de boa procedência e com muita qualidade e sabor. Confira!

Escolha produtos em embalagens que protejam o óleo da luz externa

O azeite, apesar de bem diferente, tem alguns conceitos muito parecidos com os do vinho. Por isso, é natural que as suas embalagens também precisem ser escuras ou com embalagens que bloqueiem a luz e preferencialmente fabricadas com vidro. Isso garante a integridade do produto, evitando a oxidação.

Além disso, é muito importante observar se há rachaduras ou qualquer tipo de dano às garrafas. Caso a resposta seja positiva, notifique imediatamente a loja e escolha outro produto, com a embalagem intacta.

Dica: Como escolher um bom vinho para cozinhar?

Observe o percentual de acidez

Outro ponto que não pode ser deixado de fora na hora de escolhermos um bom azeite é a observação do teor e do percentual de acidez.

Mais uma vez, ressaltamos que, quando o assunto é acidez, é fundamental que o número seja o mais baixo possível. Quanto menor ele for, melhor é o azeite. Esse número tem total relação com a qualidade do produto, suas propriedades naturais e até mesmo o seu sabor.

Verifique a pureza do azeite

Muitas marcas comercializam, como azeite, uma mistura de óleos (inclusive refinados) e outros compostos que removem todo o potencial de pureza daquele ingrediente nobre.

Sendo assim, opte sempre por marcas que são apenas azeites puros, sem misturas e conservantes variados. Além de serem potencialmente nocivas para a saúde, essas substâncias podem deixar um gosto desagradável no azeite.

Gostou de saber como escolher um azeite bom para cozinhar e de conhecer mais sobre a história desse produto? Fazer uma boa escolha na hora de comprá-lo faz toda a diferença no resultado final de seus pratos! Por isso, leve esse processo bem a sério, para o bem de seu paladar e de sua saúde.

Gostaria de ampliar ainda mais os seus conhecimentos sobre produtos importantes para a culinária? Conheça, então, o creme balsâmico e saiba melhor quais são os seus usos na gastronomia mundial!

Источник: https://blog.famigliavalduga.com.br/como-escolher-um-bom-azeite-veja-nossas-dicas/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: