Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

Contents
  1. Dieta Macrobiótica: como funciona? (março 2021)
  2. Como funciona?
  3. Preciso mudar muito?
  4. O que você pode comer?
  5. Mas ela emagrece?
  6. Com tantos alimentos naturais, por que não ocorre o emagrecimento?
  7. Quais são as principais vantagens da Dieta Macrobiótica?
  8. Veja aqui algumas receitas da Dieta Macrobiótica:
  9. Dieta Macrobiótica para Emagrecer com Cardápios:
  10. Dieta Macrobiótica como funciona?
  11. Dieta macrobiótica zen
  12. Dieta macrobiótica padrão
  13. Alimentos permitidos na dieta macrobiótica
  14. Alimentos proibidos dieta macrobiótica
  15. Particularidades
  16. Benefícios dieta macrobiótica
  17. Cardápio da dieta macrobiótica para emagrecer
  18. Pirâmide Alimentar Macrobiótica
  19. Dieta macrobiótica: saiba como funciona – Namu
  20. O que é dieta macrobiótica
  21. Conceitos da dieta macrobiótica 
  22. Dieta macrobiótica: depoimentos
  23. Alimentos da dieta macrobiótica
  24. Dieta macrobiótica: quais alimentos são permitidos?
  25. Alimentotos proibitivos na dieta macrobiótica
  26. Dieta macrobiótica: benefícios
  27. Refeições principais
  28. Lanches e sobremesas
  29. Temperos e condimentos
  30. Arroz com sal marinho
  31. Chá de três anos (banchá)
  32. Cevada com legumes
  33. Cursos online de alimentação saudável 
  34. Dieta macrobiótica: o que é, benefícios e como fazer!
  35. O que é uma dieta macrobiótica?
  36. 1. Menor Risco de Doenças Cardíacas:
  37. 2. Perda de peso:
  38. 3. Comer consciente:
  39. Ingestão inadequada de vitamina:
  40. Difícil de manter:
  41. 1. DIA:
  42. 2.DIA:
  43. 3. DIA:
  44. Precauções ao seguir uma dieta macrobiótica:
  45. Dieta Macrobiótica: O que é e como fazer – Cuidaí
  46. Pilares da dieta macrobiótica
  47. Como preparar os alimentos
  48. Alimentos permitidos:
  49. Alimentos proibidos
  50. Benefícios da dieta macrobiótica
  51. Quem pode fazer
  52. Desvantagens da dieta macrobiótica
  53. Café da manhã
  54. Lanche da manhã
  55. Almoço
  56. Lanche da tarde
  57. Jantar
  58. Ceia
  59. Como Emagrecer com a Dieta Macrobiótica
  60. Fazendo uma refeição macrobiótica
  61. Você já tinha ouvido falar na dieta macrobiótica? Conhece alguém que já tenha feito? E esta pessoa, conseguiu emagrecer? Comente abaixo!

Dieta Macrobiótica: como funciona? (março 2021)

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer
Dieta Macrobiótica: como funciona?

Tudo o que queremos na vida é o equilíbrio não é mesmo? Seja quanto ao corpo, mente, trabalho, lazer e até mesmo alimentação. O melhor é ter uma dosagem que nos traga leveza, felicidade e também bem-estar.

Pois bem, essa é a principal proposta da Dieta Macrobiótica, que de tão diferenciada vai fazer você mudar completamente seus hábitos.

Foi um japonês, Sagen Ishuzuka, que no início do século passado reuniu conceitos para criar uma das dietas que, segundo estudos, podem até mesmo prevenir doenças graves como o câncer.

  • Gordura da barriga – como perder rápido

Como funciona?

Como ela funciona? É mais simples do que você imagina, mas há também  certa complexidade e vamos explicar porquê. Em primeiro lugar, a Dieta Macrobiótica leva em conta a saúde.

Comer para ele significa enviar ao corpo não só a nutrição necessária, mas também bem-estar, equilibrando os dois polos do nosso corpo, o yin (negativo) com o yang (positivo).

O sentido é evitar que esses dois polos de nosso corpo entrem em atrito, e que consigam conviver harmonicamente com todas as suas diferenças através de uma nutrição ideal.

  • >> Como perder peso rápido com queimadores de gordura

Preciso mudar muito?

Sim. Se você vai iniciar uma Dieta Macrobiótica, saiba que é uma quebra de hábitos antigos e um novo recomeço quando se trata de alimentação. Nada de produtos industrializados ou processados, bebidas com muito açúcar como os refrigerantes ou que contenham álcool.

 Carnes, café, alimentos lácteos, aves, chocolates, farinha refinada. Tudo é proibido. Mas, em compensação, você terá inúmeras possibilidades saudáveis.

Calma, antes que você desista, pense na sua saúde e nos inúmeros estudos que já foram feitos destacando que certos tipos de alimentos, principalmente os que contêm muita gordura, açúcar, produtos químicos e conservantes podem causar doenças graves.

  • Alimentos para a perda de peso

O que você pode comer?

Em primeiro lugar, o melhor hábito é o preparo de forma tradicional da comida.  Estão permitidos frutas, sementes, nozes, peixes, vegetais, feijões, grãos, soja fermentada e sopas.

Voltando ao equilíbrio corporal, é preciso dosar os alimentos yin e os yang. Como? É simples.

Há uma lista de alimentos que são considerados com energia yin como o centeio, aveia, milho, cogumelo, abóbora, entre outros.

Já os alimentos com polaridade yang são o repolho, alface, alecrim, sal marinho não refinado, baunilha, rabanete, cebola, salsa, cenoura, somente para citar alguns.

Ao equilibrar o consumo desses alimentos, nosso corpo também consegue equilibrar as características individuais de cada pessoa. Por priorizar a alimentação natural, o corpo responde melhor, com um ótimo funcionamento do intestino e também eliminação de toxinas.

  • [Livro virtual revela] Saiba como reduzir 10 KG de Gordura ou Mais

Mas ela emagrece?

Aí é que está a grande questão. Ela não é, propriamente, uma dieta para emagrecimento. O que ela propõe são hábitos de vida mais saudáveis. Há, nessa dieta, muito carboidrato e também cereais.

Esses fatores podem não produzir os quilos a menos tão desejados em uma dieta para emagrecimento convencional. Se há pontos positivos? Diversos. Restringir a proteína, cortar o álcool e o açúcar são muito favoráveis para o corpo.

Há diversos estudos associando diversos tipos de câncer ao uso indiscriminado desses alimentos. Mas, pelo menos a princípio, não há um emagrecimento substancial.

Com tantos alimentos naturais, por que não ocorre o emagrecimento?

Porque a Dieta Macrobiótica segue um padrão criado Sagen Ishuzuka para equilibrar o consumo de grãos, vegetais, sopas, além de água e chá. Os grãos inteiros devem integrar 60% da dieta, enquanto as frutas e vegetais, 25% e o restante pode ser consumido com sopas e missô.

Se você quiser tentar fazer a Dieta Macrobiótica, nosso conselho é que antes procure um especialista.

Isso porque esse tipo de dieta tem um cardápio que tem carência de vitaminas e minerais como as vitaminas B12 e D, além do cálcio e do ferro.

Por causa dessas restrições, é sempre bom procurar o seu nutricionista para que ele indique todos os exames necessários para avaliar o seu estado de saúde.

Retirar drasticamente alguns tipos de alimentos pode, a princípio, gerar ansiedade, mal-estar, irritação, fraqueza, e outros tipos de sintomas.

Nossa dica é que após conversar com o seu médico, você comece sua dieta com calma e vá, aos poucos, modificando sua alimentação.

Se sentir confortável, vá retirando os alimentos proibidos na Dieta Macrobiótica e acrescentando os que são mais indicados.

Mulheres grávidas, lactantes ou crianças não devem fazer essa Dieta sem antes conversar com o médico. Isso porque em grávidas, ela pode aumentar o risco de anemia, além de levá-la a tomar suplementos de minerais. Já crianças e adolescentes podem ter atraso de crescimento devido à falta de alguns nutrientes e vitaminas.

  • O Que São Alimentos Termogênicos?

Quais são as principais vantagens da Dieta Macrobiótica?

São vários os benefícios comprovados desse tipo de dieta. Ela reduz o risco de obesidade, equilibra o colesterol, previne a diabetes, controla a pressão arterial, além de facilitar o funcionamento do intestino e evitar diversos tipos de câncer.

Veja aqui algumas receitas da Dieta Macrobiótica:

Arroz integral

No preparo, coloque 4 copos de água para ferver e coloque 2 copos de de arroz, com um pouco de sal. Deixe cozinhar por 45 minutos.

Banana assada

+DICAS DE CABELOS

Источник: https://patricinhaesperta.com.br/dieta/dieta-macrobiotica

Dieta Macrobiótica para Emagrecer com Cardápios:

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

A dieta macrobiótica para emagrecer é um tipo de dieta que segue os princípios macrobióticos. A palavra macrobiótica vem do grego macros que quer dizer longo ou grande, e bios que significa vida.

Os registros mais antigos desse termo foram encontrados nos textos de Hipócrates, o pai da medicina ocidental, se referindo às pessoas que tinham hábitos de vida saudáveis através de uma alimentação mais saudável e, assim, prolongavam suas vidas.

A dieta macrobiótica para emagrecer é mais que uma simples dieta. É, na verdade, uma filosofia de vida trazida da medicina chinesa que inclui não só uma alimentação saudável, mas também uma filosofia espiritual, social e incentivo à prática de atividades físicas.

No ocidente, a filosofia macrobiótica foi difundida pelo Japonês George Ohsawa que adaptou essa dieta para a vida moderna. Segundo a filosofia macrobiótica, as pessoas que a seguem terão mais saúde, qualidade de vida e longevidade.

Dieta Macrobiótica como funciona?

A dieta macrobiótica para emagrecer e para manter uma boa qualidade de vida se baseia no princípio yin-yang. Esse princípio é onde a medicina chinesa se baseia e, segundo ele, existem dois tipos de energia no universo: a yin e a yang que são opostas, mas que se complementam.

No caso dos alimentos, por exemplo, alimentos opostos se complementariam como o açúcar que seria yin e o peixe que seria yang.

Os alimentos que são a base do estilo de vida macrobiótico são os temperos e condimentos asiáticos como sal marinho, miso e tamari processados naturalmente, algas, arroz e raízes.

Dieta macrobiótica zen

É uma dieta mais restrita. Ela é dividida em 10 níveis que, de acordo com a filosofia macrobiótica, seriam 10 maneiras de se comer e beber para obter saúde e longevidade. Começa do nível -3 e vai até o nível 7. À medida que os níveis aumentam, os alimentos como carnes, laticínios e outros produtos de origem animal, além de frutas e vegetais vão sendo eliminados gradualmente.

No primeiro nível, o -3, os alimentos incluídos são os de origem animal, cereais, vegetais, saladas, sopas, frutas, sobremesas e bebidas. No nível 7 só é permitido o consumo de cereais integrais, predominantemente o arroz integral.

Dieta macrobiótica padrão

Esse tipo de dieta macrobiótica para emagrecer é uma adaptação da dieta zen só que menos restrita. À ela foram adicionados os seguintes alimentos: temperos e condimentos, peixes, mariscos, frutas da época e bebidas.

Diariamente: os alimentos inclusos nessa dieta são com suas respectivas proporções de consumo diário são:

  • 50 a 60% de cereais integrais: podem ser em grãos e cozidos. Entre eles estão incluídos arroz integral, milho, aveia, centeio, trigo e cevada.
  • 25 a 30% de vegetais: incluem hortaliças selecionadas de acordo com a sazonalidade e podem ser cenoura, abóbora, cebola, alho, couve-flor, couve, agrião, repolho, cebolinha, nabo e outros vegetais. Uma parte desses vegetais pode ser utilizada nas saladas cruas.
  • 5 a 10% de leguminosas e algas: leguminosas mais indicadas são feijão, lentilhas e grão de bico. Outras leguminosas assim como seus derivados só podem ser consumidas ocasionalmente.
  • 5% de sopas: incluem vegetais, grãos, leguminosas e algas. Deve ser temperada com miso ou tamari de forma natural.

Semanalmente:

  • 5 a 10% na semana podem ser incluídos alimentos como peixes que contenham carne branca como bacalhau, carpa, truta, linguado, entre outros.
  • Frutas e sobremesas de frutas: de 2 a 3 vezes na semana de forma crua ou cozida. Não é aconselhado consumir o sumo da fruta com muita frequência.
  • Sementes e oleaginosas podem ser consumidos torrados.

As bebidas recomendadas são: água (de poço ou nascente) à temperatura ambiente, chá de cereais e chás que não sejam estimulantes e nem aromáticos.

Os principais condimentos são: picles, picles de ameixa, vinagre de arroz integral, molho de soja, condimento de raízes, pó de algas marinhas, sal marinho e miso.

Adoçantes utilizados: mate de cevada e xarope de arroz.

A dieta macrobiótica padrão não recomenda o consumo de forma diária ou frequente dos seguintes alimentos: todo o tipo de batata, tomate, beterraba, espinafre, aspargos, pimentas, berinjela e abacate.

Alimentos permitidos na dieta macrobiótica

No início, a dieta macrobiótica para emagrecer utilizava apenas alimentos vegetais, ou seja, era um tipo de vegetarianismo estrito. Porém, no ocidente, havia uma certa dificuldade para abolir carnes totalmente da alimentação. Por isso, as carnes foram incluídas na dieta, mas para serem consumidas esporadicamente.

Os alimentos que a dieta macrobiótica permite são: cereais integrais, vegetais, leguminosas, algas, sementes, oleaginosas, frutas, carnes brancas, peixes e mariscos.

Alimentos proibidos dieta macrobiótica

Na dieta macrobiótica para emagrecer, não é permitido o consumo de suplementos alimentares, alimentos fortificados, alimentos processados que contenham corantes, aromatizantes e conservantes (industrializados) e fermento.

Alimentos restritos que devem ser evitados: alimentos enlatados e congelados, cereais refinados, condimentos picantes, ovos, laticínios, açúcar refinado e outros adoçantes, refrigerante e bebidas artificiais, café e bebidas alcoólicas.

Particularidades

  • É recomendado que as refeições sejam feitas em ambientes tranquilos e que os alimentos sejam mastigados muitas vezes. Comer e beber somente quando o corpo pedir, ou seja, somente quando tiver fome e sede, respectivamente.
  • Métodos de cocção: cozimento a vapor, cozimento com pouca água e cozimento em panela de pressão. Não são utilizados micro-ondas e nem eletricidade para cozinhar os alimentos.
  • Utensílios: espátulas, coadores, raladores, panelas de pressão, entre outros.
  • Métodos de conservação: refrigerar ou congelar os alimentos não é muito recomendado.

Benefícios dieta macrobiótica

A dieta macrobiótica para emagrecer promete não só a perda de peso, mas também o tratamento e até cura de algumas doenças como o cancro. Com isso, os principais benefícios oferecidos por essa dieta são:

  • Redução de peso por causa dos alimentos pobres em açúcar e gordura e ricos em fibras que ajudam a reduzir os níveis de gordura corporal, além da prática de atividade física;
  • Previne o aparecimento de doenças devido á adoção de uma alimentação mais saudável;
  • Reduz o estresse por causa do incentivo à meditação;
  • Diminui os níveis de toxinas do corpo e previne o câncer devido à menor exposição de produtos químicos como aditivos químicos usados pela indústria alimentícia;
  • Ajuda a combater a constipação (prisão de ventre) devido ao alto teor de fibras da dieta;
  • Ajuda a reduzir o colesterol e a prevenir doenças cardiovasculares, devido ao baixo consumo de gorduras como as trans as gorduras saturadas presentes em alimentos industrializados e alimentos de origem animal, respectivamente;
  • Previne a hipertensão, a diabetes e a obesidade por causa da exclusão dos alimentos industrializados que são ricos em sódio, açúcar e gorduras.

Cardápio da dieta macrobiótica para emagrecer

Opção 1

Café da manhã

  • 4 bolachas integrais
  • 1 copo de leite de soja
  • 1 fatia de melão

Lanche da manhã

  • 1 copo de suco de couve com maçã

Almoço

  • 4 colheres de sopa de arroz integral
  • 2 colheres de sopa de feijão azuki com abóbora
  • Salada verde à vontade
  • 1 filé médio de truta grelhado
  • 1 ameixa de sobremesa

Lanche da tarde

  • 1 xícara de pera e maçã picadas com castanhas

Jantar

  • 2 conchas de sopa de vegetais
  • 1 pão integral

Ceia

  • 1 copo de mingau de aveia com:
  • 200 ml de leite de soja
  • 2 colheres de sopa de aveia

Opção 2

Café da manhã

  • 1 pão integral
  • 1 copo de suco de laranja

Lanche da manhã

Almoço

  • 4 colheres de sopa de arroz integral
  • 2 colheres de sopa de lentilhas
  • 1 colher de servir de couve refogado
  • 1 filé de peito de frango grelhado
  • 1 maçã de sobremesa

Lanche da tarde

  • 4 torradas integrais
  • 1 copo de leite de soja

Jantar

  • 3 colheres de sopa de arroz integral
  • 1 pedaço de torta de legumes
  • 1 fatia de melancia

Ceia

  • 1 copo de leite de soja
  • 3 bolachas integrais

Opção 3

Café da manhã

  • 1 pão de centeio
  • 1 copo de leite de aveia
  • 1 fatia de mamão

Lanche da manhã

  • 1 porção de 4 castanhas do Pará

Almoço

  • 4 colheres de sopa de arroz integral
  • 2 colheres de sopa de feijão
  • 1 pedaço de torta de camarão
  • 1 goiaba de sobremesa

Lanche da tarde

  • 1 copo de vitamina de:
  • 1 banana
  • 200 ml leite de soja
  • 1 colher de sopa de linhaça

Jantar

  • 1 pedaço de lasanha de legumes
  • 1 copo de suco de goiaba

Ceia

  • 1 copo de leite de aveia
  • 1 banana

Pirâmide Alimentar Macrobiótica

Gostou?  Compartilhe e Avalie!

Quantas estrelas merece esse artigo? Avalie é muito importante saber sua opinião!!

Salvar

Salvar

Источник: https://euprecisoemagrecer.com.br/dieta-macrobiotica-para-emagrecer-com-cardapios/

Dieta macrobiótica: saiba como funciona – Namu

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

17/08/19

Cada vez mais pessoas estão aderindo à dieta macrobiótica em sua vida ou buscando maneiras de fazer essa transição. Você é uma delas?

Não é de se surpreender: com ingredientes orgânicos, preparo cuidadoso e filosofia que busca o equilíbrio em cada prato, a comida macrobiótica pode fazer muito bem para o corpo e para a mente. 

Entenda neste artigo como funciona esse tipo de alimentação, quais são seus ingredientes mais comuns e ainda receba algumas dicas de cardápio para facilitar sua transição.

O que é dieta macrobiótica

A dieta macrobiótica têm como promessa mudar a alimentação diária e o estilo de vida de uma pessoa. 

A palavra macrobiótica, de origem grega, significa: macro (grande) e bio (vida). Ela é vista não apenas como uma mudança no cardápio alimentício, mas como uma filosofia. 

Criada pelo japonês George Ohsawa, no final do século XIX, a prática da alimentação macrobiótica acabou difundida no Ocidente. 

Conceitos da dieta macrobiótica 

A dieta macrobiótica é baseada na teoria das energias yin (negativa) e yang (positiva), que representam opostos: o yin é o doce, o frio e o passivo; o yang, o salgado, o quente e o agressivo.

Na alimentação macrobiótica, o yin e o yang devem estar sempre em equilíbrio para uma vida sadia, em harmonia com a natureza, por meio de uma alimentação simples, equilibrada e balanceada. 

Além disso, os mantimentos devem ser naturais, com pouco ou nenhum tipo de processamento. “A dieta requer mudanças profundas, relacionadas aos hábitos alimentares”, explica a nutricionista esportiva e funcional Marina Gorga. 

Para culturas como a chinesa, a japonesa e de outros países do leste asiático, yin e yang atuam como forças fundamentais do universo. Com o tempo, foram adaptados para uso na medicina. 

Na acupuntura e alimentação praticadas pela medicina tradicional chinesa, a energia, ou qi, é composta por yin e yang. Para essas culturas, é imprescindível que essas duas forças fiquem sempre em equilíbrio. Só assim é possível ter uma boa saúde.

Dieta macrobiótica: depoimentos

A professora de educação física Mariana Braz, de 27 anos, do Rio de Janeiro, começou a dieta macrobiótica em 2014. Veja o depoimento que fez sobre o começo da dieta.

“Não foi fácil se desvencilhar de alimentos industrializados. A parte mais difícil foi adequar ao dia a dia corrido o preparo dos alimentos. Mas os benefícios compensam. Me sinto muito mais disposta, fico menos gripada. Antes, era mais sonolenta durante o dia. Senti muita falta do pão de forma, mas me adaptei testando receitas de pães integrais feitos em casa”, comenta.

Mariana conta que inseriu na alimentação macrobiótica vegetais orgânicos, ovos caipira, cogumelos frescos e suco verde (com couve, maçã, limão e capim limão), além de substituir o leite normal pelo de amêndoas e de inhame – tudo sem agrotóxicos. 

Outra vantagem da dieta macrobiótica é o consumo elevado de fibras, que contribui para o bom funcionamento do intestino.

A nutricionista Andréa Santa Rosa Garcia, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional, explica que o estilo de vida da alimentação macrobiótica “dá ênfase à atividade física, ao evitar a exposição a pesticidas, químicos e radiação eletromagnética, com o objetivo de reduzir os níveis de estresse”. 

Sobre dieta macrobiótica, ela ainda complementa que: “essa é uma dieta que prioriza os alimentos na sua forma natural, livre de farinhas brancas e industrializados, ricos em gordura hidrogenada, trans, sódio e conservantes”.

Alimentos da dieta macrobiótica

As comidas devem ser cultivadas localmente, plantadas e preparadas de maneira tradicional. Tudo isso pode pedir muito tempo, dedicação e disciplina. 

Dieta macrobiótica: quais alimentos são permitidos?

Fazem parte do grupo de alimentos permitidos na dieta macrobiótica:

  • grãos; 
  • vegetais;
  • feijões;
  • cereais integrais;
  • soja fermentada;
  • sopa, 
  • peixes; 
  • nozes; 
  • legumes; 
  • leguminosas; 
  • verduras; 
  • sementes;
  • frutas. 

Alimentotos proibitivos na dieta macrobiótica

Veja quais alimentos não são recomendados:

  • alimentos lácteos; 
  • refrigerantes;
  • açúcar;
  • café;
  • chá cafeinado;
  • bebidas estimulantes;
  • álcool;
  • chocolate;
  • farinha refinada; 
  • condimentos picantes, aromáticos e artificiais; 
  • produtos químicos; 
  • conservantes; 
  • alimentos processados, congelados ou enlatados.

A divisão do que devemos ou não comer produz alguns desafios. “A dieta para se tornar equilibrada deve ser acompanhada por um profissional da área. Os alimentos de origem animal, por exemplo, possuem aminoácidos essenciais que precisam ser ingeridos”, afirma Andréa. 

Portanto, a dieta macrobiótica deve ser cuidadosamente feita por um nutricionista. Se não for feita dessa forma, o risco é o de adotar uma alimentação que irá produzir complicações nutricionais. 

Outro problema comum da dieta macrobiótica é que o elevado consumo de carboidratos e cereais, por exemplo, pode não ajudar no processo de emagrecimento, “além da alimentação possuir um baixo consumo de proteínas”, explica Marina.

Dieta macrobiótica: benefícios

Segundo a alimentação macrobiótica, consumir alimentos do tipo yin e yang pode influenciar nas características pessoais de cada indivíduo. 

Pessoas que possuem uma alimentação extremamente yang podem adquirir um caráter agressivo, impaciente e dominador. 

De forma inversa, as que possuem uma alimentação extremamente yin, por sua vez, podem se tornar depressivas, dependentes e com comportamento relaxado.

Por isso, a dieta macrobiótica busca principalmente equilibrar o yin e o yang. Em razão desse objetivo, muitas vezes, esse tipo de alimentação acaba não considerando, primordialmente, a distribuição de macronutrientes, micronutrientes e calorias, mas sim, ressaltando pontos da personalidade de uma pessoa, tornando-a mais calma e/ou divertida.

Elisa da Gloria Antonio, de 57 anos, mora em São Paulo e trabalha no comércio de recicláveis. Ela conta que após iniciar a dieta macrobiótica, sua “síndrome do pânico caiu para um nível bem baixo”, em função das propriedades calmantes dos alimentos e da filosofia na alimentação. 

“Porém, de vez em quando, ainda tenho vontade de comer um x-salada”, brinca.

Refeições principais

Na dieta macrobiótica, pelo menos 50% dos alimentos de cada refeição pode incluir cereais integrais biológicos, em grão e cozidos. Esse é o caso de alimentos como arroz integral, cevada, aveia, milho, centeio e trigo. 

“Uma pequena parte poderá consistir em massas e pães integrais não fermentados”, explica Garcia.

Aproximadamente, 5 a 10% da ingestão diária deve corresponder a sopas preparadas com vegetais, algas (wakamé ou kombu), grãos ou leguminosas. 

Os temperos recomendados são: missô ou tamari, naturalmente processados.

Além disso, na dieta macrobiótica, é importante contar com hortaliças cultivadas localmente e produzidas biologicamente para saladas cruas, leguminosas e algas marinhas cozidas, entre elas, o feijão azuki, o grão-de-bico e a lentilha

Os peixes indicados na alimentação macrobiótica são os de carne branca, como linguado, solha, bacalhau, carpa, halibute ou truta.

Lanches e sobremesas

Na dieta macrobiótica, frutas frescas, secas e cozidas podem ser consumidas de duas a três vezes por semana. 

Sementes e oleaginosas, ligeiramente torradas, de abóbora, gergelim e girassol, amendoins e nozes podem fazer parte de um pequeno lanche da tarde. 

O xarope de arroz, o malte de cevada, o amazake e o mirin (tipos de saquê doces) podem ser utilizados como adoçantes. 

“Para um gosto mais amargo, utilize vinagre de arroz integral ou de umeboshi. Qualquer chá tradicional não aromático e não estimulante pode ser tomado”, comenta Garcia.

Temperos e condimentos

Na dieta macrobiótica, são recomendados condimentos como gomásio (sementes de gergelim com sal), picles, chucrute, pó de algas marinhas, gergelim, tekka (condimento produzido a partir de diferentes raízes), molho de soja tamari ou shoyu e ameixas umeboshi (picles de ameixa).

Ainda pelo preparo da alimentação macrobiótica, o arroz é cozido na panela de pressão para intensificar o sabor e preservar as vitaminas. Veja abaixo algumas dicas de receitas:

Arroz com sal marinho

Ingredientes

  • 2 xícaras de arroz integral cateto (grão curto, mais redondinho)
  • 3 xícaras de água
  • 1 pitada de sal marinho.

Modo de preparo

Deixe o arroz de molho na água durante a noite. Adicione-o à panela de pressão, com uma pitada de sal, água e cozinhe em fogo baixo, por 20 minutos. 

Posicione uma placa difusora de calor (à venda em casas de utensílio para cozinha) embaixo da panela. Aumente o fogo até levantar pressão. Cozinhe por mais 15 minutos, em fogo médio. Desligue e deixe a pressão sair naturalmente.

Chá de três anos (banchá)

Bebida habitual na dieta macrobiótica, o chá não contém cafeína nem teína. 

“É ótimo depois das refeições para fortalecer e desintoxicar o organismo, diminuindo a fadiga (sobretudo se for colocada uma colher de chá de tamari ou de shoyu)”, comenta Gorga. 

O banchá deve ser previamente tostado. Para o seu preparo, use 1 colher de chá tostado para uma chávena de água fervida e deixe em fogo brando por 10 minutos.

Cevada com legumes

Ingredientes

  • 2 xícaras de cevada cozida
  • cebola, cenoura e brócolis
  • molho shoyu;
  • azeite para untar o tacho.

Modo de preparo

Cozinhe previamente a cevada somente com sal. Corte a cebola e coloque para dourar. 

Em seguida, adicione a cenoura e o brócolis cortados em pequenos pedaços. 

Feche o tacho e deixe-o em uma temperatura baixa durante cerca de 10 minutos. Adicione a cevada.

Cursos online de alimentação saudável 

Agora que você sabe muito mais sobre dieta macrobiótica, ficou com vontade de experimentar e também de conhecer outros tipos de alimentação saudável? Chegou a sua chance! 

Faça nossos cursos online de alimentação saudável: tem vegetariana, vegana e até plant based. Você assiste em casa, aprende receitas e melhora seu estilo de vida.

Источник: https://namu.com.br/portal/alimentacao/macrobiotica/dieta-macrobiotica/

Dieta macrobiótica: o que é, benefícios e como fazer!

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

Uma dieta macrobiótica é mais uma filosofia do que uma dieta, e seguir um estilo de vida do que uma maneira de comer. no entanto, a filosofia é baseada nos conceitos taoístas chineses de yin e yang, ou seja, que existem forças complementares no mundo físico e espiritual que devem ser equilibradas.

Adeptos estritos de uma dieta macrobiótica tentam equilibrar as qualidades percebidas de yin e yang de diferentes tipos de alimentos e ingredientes.

dieta macrobiótica

Os proponentes citam uma longa lista de vantagens e razões para seguir os princípios macrobióticos, incluindo redução do risco de doenças cardiovasculares e crônicas. Algumas dessas vantagens, no entanto, são devidas à redução geral do consumo de produtos animais e alimentos processados, e não totalmente atribuíveis às especificidades da dieta em si.

O que é uma dieta macrobiótica?

A dieta macrobiótica reverenciada por alguns por suas qualidades saudáveis ​​e curativas, é uma dieta com raízes na comida tradicional japonesa, que ganhou popularidade no Ocidente no final do século 20, começando por volta da década de 1960.

Uma dieta deste tupo enfatiza a ingestão de muito poucos produtos animais de qualquer tipo, embora permita uma pequena quantidade de peixe, por isso não é tecnicamente uma dieta vegetariana ou vegana, mas é, na verdade, uma dieta de pescadores.

Em vez disso, uma dieta macrobiótica inclui principalmente alimentos veganos não processados, como grãos integrais (particularmente arroz integral), algumas frutas e muitos vegetais, feijões e legumes (como lentilhas e ervilhas) e permite o consumo ocasional de peixes. Juntamente com a maioria das carnes e laticínios, de acordo com a definição de uma dieta macrobiótica, o açúcar e os óleos refinados devem ser evitados.

1. Menor Risco de Doenças Cardíacas:

A dieta macrobiótica, juntamente com outras dietas à base de plantas, tem demonstrado consistentemente ajudar a diminuir o risco de doenças cardíacas, câncer e diabetes.

Além disso, o poder anti-inflamatório dos alimentos à base de plantas pode ajudar a diminuir o risco de doenças crônicas.

A dieta também foi mostrada para reduzir os níveis de estrogênio circulante em mulheres, o que pode ajudar a diminuir o risco de câncer de mama e outros.

Nota: Embora alguns promotores da dieta macrobiótica afirmam que pode prevenir ou até mesmo curar o câncer, não houve nenhuma evidência específica para apoiar esta afirmação.

2. Perda de peso:

Seguir uma dieta macrobiótica também pode ser benéfico para a perda de peso, especialmente se alimentos processados ​​e carnes com alto teor de gordura forem substituídos por vegetais.

3. Comer consciente:

A dieta foi originalmente projetada para ajudar a trazer harmonia e equilíbrio para a vida cotidiana. Devido à ênfase colocada em comer conscientemente (mastigar um certo número de vezes, criar um prato bem equilibrado e parar quando estiver satisfeito), pode ajudar a promover uma relação positiva com a comida.

o que e dieta macrobiótica

Ingestão inadequada de vitamina:

Há alguma preocupação se a dieta fornece uma ingestão adequada de vitamina B12, ferro, ácidos graxos ômega-3, zinco e vitamina D.

Difícil de manter:

A  dieta macrobiótica pode ser difícil de seguir, uma vez que os alimentos devem ser preparados a partir do zero e comprados localmente sempre que possível.

A versão de Ohsawa da dieta macrobiótica envolveu 10 estágios progressivamente restritivos, com o estágio final consistindo apenas de arroz integral e água. No entanto, essa abordagem não é mais recomendada pela maioria dos proponentes.

1. DIA:

Café da manhã: leite de amêndoas mais 3 colheres de granola sem açúcar;
Lanche da manhã: 1 banana mais 1 colher de sopa de aveia;
Almoço: Arroz integral cozido com algas, cogumelos e legumes;
Lanche da tarde: Iogurte de soja com biscoitos integrais e geleia sem açúcar;
Jantar: Arroz integral cozido com algas, cogumelos e legumes.

2.DIA:

Café da manhã: Chá de camomila com gengibre mais biscoitos integrais de arroz e pasta de amendoim integral;
Lanche da manhã: 2 fatias de mamão mais 1/2 colher de farinha de linhaça;
Almoço: Robalo ao forno com legumes grelhados e azeite;
Lanche da tarde: Pão caseiro com tofu e chá;
Jantar: Robalo ao forno com legumes grelhados e azeite.

benefícios da dieta macrobiótica

3. DIA:

Café da manhã: Leite de amêndoas com pão integral caseiro;
Lanche da manhã: 2 colher de sopa de sementes de abóbora;
Almoço: Sopa de legumes;
Lanche da tarde: Salada de frutas com aveia;
Jantar: Sopa de legumes.

Fazer a dieta macrobiótica o aproximará de uma verdade espiritual, fará com que você se torne um com a natureza, estenda sua expectativa de vida e previna ou até mesmo reverta algumas doenças.

Precauções ao seguir uma dieta macrobiótica:

Embora a dieta macrobiótica seja considerada uma das abordagens dietéticas alternativas ou complementares mais populares para o tratamento de doenças crônicas, incluindo o câncer, poucos estudos conseguiram comprovar sua efetividade na prevenção ou tratamento de doenças.

Portanto, mais pesquisas ainda são necessárias antes de tirar conclusões sobre os benefícios de cura dessa dieta. Segundo alguns especialistas, existem preocupações em relação ao tratamento do câncer com abordagens dietéticas, como a macrobiótica, incluindo:

Pacientes potencialmente atrasando tratamentos convencionais e consultas médicas;
Possivelmente desenvolvendo deficiências nutricionais que dificultam a função imunológica, como consumir muito pouca vitamina D, cálcio e proteína;
Consumir muito poucas calorias em geral, o que pode causar perda de massa muscular e fadiga – estas podem ser agravadas devido aos baixos níveis de ferro e vitamina B.

Источник: https://www.saudedica.com.br/dieta-macrobiotica/

Dieta Macrobiótica: O que é e como fazer – Cuidaí

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

Uma dieta rica em nutrientes, com baixas calorias, que ajuda a emagrecer (emagreça com o Tecnonutri) e ainda lhe conecta com sua mente. Essa é a promessa da dieta macrobiótica, que tem como princípios um estilo de vida em harmonia com a natureza e uma alimentação simples, equilibrada e balanceada. 

Nesse programa, associa-se a comida e a suas propriedades com efeitos maiores nas nossas vidas, atingindo não apenas a saúde física, mas também o bem-estar mental.

George Ohsawa, o criador desse estilo alimentar, garantiu curar uma doença séria por meio da dieta macrobiótica, baseada na filosofia chinesa Yin e Yang, representando sempre os opostos.

O Yin o doce, frio e passivo e o Yang é o salgado, quente e agressivo. Na dieta macrobiótica, o Yin e o Yang devem estar sempre em equilíbrio para uma vida saudável.

Para George, tudo tem energias metafísicas, inclusive alimentos, e a harmonia é atingida alcançando o equilíbrio entre essas energias.

A dieta está relacionada à alimentos naturais, com pouco ou nenhum processamento, e dá-se a preferência é por comidas cultivadas localmente, plantadas e preparadas da maneira tradicional. 

Pilares da dieta macrobiótica

  • 50 a 60% da alimentação diária devem consistir de cereais integrais
  • Peixe, preferivelmente de carne branca
  • Sopa deve ser consumida 1 a 2 vezes por dia
  • 25 a 35% incluem os mais diversos vegetais crus ou pouco cozidos
  • Sementes, oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas)
  • 10 a 15% da alimentação consistem de leguminosas, derivados das leguminosas e algas

Como preparar os alimentos

O cozimento dos alimentos deve ser feito em pouca água, para manter o máximo de nutrientes e energia dos vegetais, sendo proibido usar micro-ondas e panelas elétricas.

Além disso, deve tentar aproveitar o máximo dos alimentos, evitando retirar sementes. As cascas, por exemplo raramente são retiradas, a não ser no caso de algumas raízes.

O uso de temperos também deve ser moderado para não aumentar a sede e obter-se o máximo do sabor natural dos alimentos.

Alimentos permitidos:

Grãos, vegetais, feijões, soja fermentada, sopa, peixes, nozes, sementes e frutas

Alimentos proibidos

Carne, alimentos lácteos, açúcar, café, chá cafeinado, bebida estimulante, álcool, chocolate, farinha refinada, pimentas muito picantes, produtos químicos e conservantes, aves e batatas.

Benefícios da dieta macrobiótica

Por adotar um estilo de vida mais natural, com alimentos ricos em antioxidantes, a dieta macrobiótica pode reduzir a inflamação do organismo, sendo interessante para prevenir alguns problemas como:

  • Doenças cardiovasculares
  • Problemas intestinais
  • Alguns tipos de câncer.

Quem pode fazer

Basicamente, pessoas saudáveis dispostas a mudarem os hábitos alimentares podem adotar a dieta. Porém, é preciso ter disciplina e começar aos poucos para o corpo lentamente se adaptar à nova rotina.

Quanto às restrições, por ser uma dieta que não leva em consideração a pirâmide alimentar indicada para cada faixa etária, não é indicada para indivíduos que apresentem patologias. 

Como toda dieta, é de extrema importância consultar ajuda profissional antes de fazer qualquer mudança nos hábitos alimentares.

Desvantagens da dieta macrobiótica

A dieta possui elevado consumo de carboidratos e cereais, o que não irá ajudar no processo de emagrecimento. Além de possuir um baixo consumo de proteínas. Não é aconselhado fazê-la com o intuito de perda de peso, devido sua complexidade e alto grau de dedicação, o que levará a poucos resultados com relação ao emagrecimento.

Café da manhã

  • Opção 1: Chá bancha ou mu.
  • Opção 2: Cereais integrais com leite desnatado ou de soja.
  • Opção 3: Biscoitos de arroz com molho de gergelim.

Lanche da manhã

  • Opção 1: Compota de fruta.
  • Opção 2: 1 banana com aveia.

Almoço

  • Opção 1: Sopa missô, arroz integral cozido com algas e legumes, compota de maçã e chá bancha.
  • Opção 2: 1 porção de arroz integral, 1 xícara de sopa de feijão, 1 porção de feijão cozido no vapor e 1 fruta da época para sobremesa.

Lanche da tarde

  • Opção 1: Chá com bolachas de arroz com geleia ou patê de legumes.
  • Opção 2: 1 laranja

Jantar

  • Opção 1: sopa de legumes com shitake e daikon, legumes no vapor com arroz integral.
  • Opção 2: salada de 1  cenoura ralada, ¼ cebola, alface e alho-poró, temperado com óleo de gergelim, algas

Ceia

  • Opção 1: Chá com bolachas de arroz com geleia ou patê de legumes.
  • Opção 1: chá de ervas branca

Leia também: Ranking: As melhores dietas para seguir

Источник: https://cuidai.com.br/dieta-macrobiotica/

Como Emagrecer com a Dieta Macrobiótica

Como fazer a Dieta Macrobiótica para emagrecer

Seguir uma Dieta Macrobiótica pode te ajudar a ser mais saudável e emagrecer? Você provavelmente já ouviu falar da macrobiótica, tanto a Madonna quando a Gwyneth Paltrow dizem que ela é responsável por seu brilho. Outras celebridades que seguiram uma abordagem ocidentalizada da dieta macrobiótica para comer e viver harmoniosamente incluem John Travolta, Alicia Silverstone e Sting.

  Continua Depois da Publicidade  

A macrobiótica não é realmente uma dieta, é mais uma filosofia que coloca ênfase na prática alimentar correta na vida cotidiana. Muitos especialistas afirmam que se você quer ficar mais saudável e emagrecer, com certeza vale a pena experimentar, ainda mais se você gosta de comida japonesa e culinária asiática em geral.

A filosofia macrobiótica é levemente ligada ao budismo, com os alimentos refletindo influências asiáticas, de acordo com o The Dietitians’ Guide To Vegetarian Diets de Mark Mesina e Virginia Kisch Messina (Editora Aspen).

O nutricionista Andrew MacPherson, do Instituto Australiano de Estudos Macrobióticos em Queensland, descreve o plano de alimentação da dieta macrobiótica como uma “dieta pré-industrial, baseada mais em grãos e vegetais e menos alimentos processados e de origem animal”.

A boa notícia para os adeptos é que esta dieta é cheia de alimentos com índice glicêmico muito baixo, ricos em fibras e baixo índice de gorduras, que fazem com que você fique saciado e têm menos chance de serem armazenadas como gordura.

Eles incluem carboidratos complexos como arroz integral, cevada, produtos de soja fermentados, frutas, vegetais e outros alimentos naturais não processados, todos que os praticantes da dieta macrobiótica acreditam que criam um equilíbrio e harmonia com a natureza e o universo.

Um bônus para as mulheres é que esta dieta também é rica em fitoestrógenos, que podem ajudar quem sofre de tensão pré-menstrual, endometriose ou sintomas da menopausa.

Outros benefícios da macrobiótica são os princípios que foram refinados pelo educador japonês do século XXI George Ohsawa, que incluem uma compleição radiante, olhos brilhantes e, a longo prazo, um risco menor de problemas do coração e envelhecimento prematuro.

Além de se alimentar de alimentos não processados, os seguidores da macrobiótica se alimentam de acordo com as estações, seu ambiente e suas necessidades individuais, explica McPherson. Na primavera e no verão, alimentos mais leves, como vegetais de folhas largas, milho e frutas e grãos mais leves como cevada, bulgur e cuscuz – que são recomendados cozidos ou crus.

Nos meses mais frios, comidas mais concentradas, como raízes e grãos mais pesados como painço e trigo sarraceno, estão no menu. Devido à sua ênfase em produtos agrícolas locais, a dieta macrobiótica sugere ignorar produtos tropicais, como bananas e mangas, se você vive em uma zona temperada. Ao invés disso, coma maçãs e pêras, diz McPherson.

Adeptos da dieta macrobiótica também são incentivados a evitar carne de aves, bovinos e ovos, por considerarem muito “yin”, significando que o consumo exagerado pode ter um efeito estagnante no corpo.

No entanto, Trent Watson, da Ethos Health Network em NSW, comenta que “Embora não existam problemas em não comer esses alimentos, comê-los torna muito mais fácil conseguir todos os seus nutrientes essenciais”.

Os nutrientes essenciais incluem cálcio, vitamina D, vitamina B12 e ferro. A dieta macrobiótica não é recomendada para crianças, adolescentes e mulheres grávidas e lactantes.

Outros alimentos na lista de proibições da dieta incluem açúcar, álcool, mel, café, chocolate, pimentas muito ardidas, produtos químicos e conservantes, óleos vegetais de má qualidade, leite industrializado, iogurte e queijos macios, porque são considerados muito “yang”, ou estimulantes.

É claro, alimentos como chocolate e álcool são cheios de calorias vazias, então eliminá-los é um bônus ao invés de um problema para adeptos da dieta, diz Watson.

Fazendo uma refeição macrobiótica

  • Até 60% da sua refeição principal deve ser composta de grãos integrais como arroz integral, cevada, painço ou centeio.
  • Até 30% da sua refeição deve ser composta de vegetais e até um terço destes podem ser crus.
  • Use tofu, ou tempeh, para 10% das suas refeições e vegetais aquáticos como wakame para mais 5% da sua dieta.
  • Se você é fisicamente ativo, você pode comer uma pequena quantidade de frutos do mar, com nabo, wasabi ou gengibre diversas vezes por semana. Mas evite carne, aves, ovos e laticínios.
  • Você pode comer sementes e castanhas com moderação.
  • Coma uma tigela de sopa Missô todo dia, talvez antes do prato principal.
  • Cozinhe com um pouco de óleo de gergelim, óleo de milho ou óleo de sementes de mostarda e cozinhe no vapor ou grelhe. Nunca use o microondas.
  • Condimentos e temperos para a dieta macrobiótica incluem sal marinho natural, shoyu (molho de soja japonês), vinagre de arroz integral, vinagre umeboshi, ameixas umeboshi, raiz de gengibre ralada, picles fermentados, gomashio (sementes de gergelim tostadas), algas assadas e cebolinha cortada.

Você já tinha ouvido falar na dieta macrobiótica? Conhece alguém que já tenha feito? E esta pessoa, conseguiu emagrecer? Comente abaixo!

(9 votos, média: 3,22 de 5)
Loading…

Источник: https://www.mundoboaforma.com.br/como-emagrecer-com-dieta-macrobiotica/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: