Como tratar a pressão baixa (hipotensão)

Causas de Pressão Arterial Baixa (Hipotensão)

Como tratar a pressão baixa (hipotensão)

Hipotensão é o termo médico utilizado para descrever os casos em que a pressão arterial encontra-se abaixo de 90/60 mmHg.

A pressão arterial normal é, em média, 120/80 mmHg. Porém, valores como 80/50 mmHg ou até 149/89 mmHg também podem ser adequados, dependendo do contexto clínico do paciente.

A pressão baixa não é necessariamente um problema, principalmente se ela não atrapalhar o indivíduo nas as atividades normais.

Neste artigo vamos explicar o que é a pressão baixa e quais são os problemas que ela pode acarretar.

Qual é a pressão arterial normal?

A pressão arterial (PA) é um dos indicadores da perfusão sanguínea dos tecidos. Quando a pressão arterial está normal, isso significa que todos os tecidos do corpo estão conseguindo ser adequadamente perfundidos. Em geral, consideramos uma pressão arterial entre 100/60 mmHg e 120/80 mmHg.

Chamamos de hipertensão arterial quando a pressão arterial sanguínea está acima do necessário para uma normal perfusão tecidual, podendo, inclusive, causar danos aos vasos e órgãos a longo prazo.

Por outro lado, chamamos de hipotensão arterial quando a pressão arterial está baixa, não sendo suficiente para nutrir todos os tecidos do corpo.

Portanto, mais do que um número absoluto, a pressão arterial normal é aquela que mantém todos os órgãos e tecidos bem supridos de sangue, sem perigo de causar lesão aos mesmos.

Se uma pessoa saudável tem uma pressão de 85/55 mmHg e consegue fazer suas atividades diárias normalmente, ela não tem necessariamente uma pressão baixa, ela tem uma pressão adequada que apenas é mais baixa que a média da população.

Em contrapartida, uma pessoa hipertensa que há anos tem a pressão ao redor de 180/100 mmHg e após começar a tomar medicamentos para hipertensão consegue baixar rapidamente sua pressão para 110/70 mmHg pode sentir-se mal, com sintomas de hipotensão, apesar de ter uma pressão arterial com valores considerados normais. Isso ocorre porque o organismo deste paciente não está habituado a trabalhar com valores de pressão arterial nesse nível, o que acarreta em uma baixa perfusão de sangue nos tecidos.

Portanto, apesar do valor da pressão arterial ser um dado importante, em determinadas situações ele precisa ser interpretado dentro do contexto clínico do paciente.

Para saber mais sobre os valores da pressão arterial, leia: Valores normais da pressão arterial.

Causas

Diversas são as causas de hipotensão arterial. Algumas são graves, outras não. O que importa é contexto clínico do paciente e os seus sintomas associados.

As principais situações que podem provocar queda da pressão arterial são:

  • Sepse.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Bradicardia (frequência cardíaca muito lenta).
  • Infarto agudo do miocárdio.
  • Cirrose hepática.
  • Gravidez.
  • Desidratação.
  • Hemorragias.
  • Reação alérgica grave (anafilaxia)
  • Hipotireoidismo descontrolado.
  • Hipoglicemia.
  • Choque térmico.
  • Excesso de medicação anti-hipertensiva.

Sintomas

Todas as vezes que o paciente tiver valores de pressão arterial menor que 100/60 mmHg e apresentar sintomas de pressão baixa, dizemos que o paciente tem um quadro de hipotensão arterial.

Os principais sintomas da hipotensão arterial são:

  • Fraqueza.
  • Sonolência.
  • Dificuldade de raciocínio.
  • Incapacidade de ficar em pé.
  • Tontura.
  • Suor frio.
  • Pele úmida e fria.
  • Parestesias nas mãos (formigamento e perda de sensibilidade).
  • Taquicardia (coração acelerado).
  • Enjoo e vômito.
  • Câimbras.
  • Redução do nível de consciência.

Em alguns casos, a pressão baixa também preocupa, mesmo que não haja sintomas. Em fases mais avançadas, doenças como a insuficiência cardíaca ou a cirrose hepática provocam alterações na distribuição de sangue pelos vasos sanguíneos do corpo, fazendo com que esses pacientes apresentem uma pressão arterial baixa.

Nesses casos, mesmo que os pacientes não apresentem sintomas, não consideramos a pressão baixa como normal, uma vez que ela está sendo provocada por uma doença, não é apenas uma característica do paciente.

A hipotensão é um sinal ainda mais preocupante se o paciente estiver tendo uma infecção aguda. Se um indivíduo costuma ter pressão normal ou alta, e durante um quadro de infecção a sua pressão arterial abaixa muito, isso pode ser um sinal sepse, que é um importante sinal de gravidade. Esse paciente deve ser avaliado por um médico e provavelmente tratado em nível hospitalar.

Uma outra situação que também é preocupante e potencialmente fatal são os casos de hipotensão associados à dor no peito ou palpitações, pois estes sintomas podem indicar um problema cardíaco grave.

O que é hipotensão postural?

Quando estamos submetidos a situações de estresse, como medo, calor intenso, dor, etc., o corpo pode apresentar uma súbita queda da pressão arterial por uma situação que chamamos de reflexo vagal.

Já aquelas tonturas que sentimos quando nos levantamos muito rapidamente ocorrem pela chamada hipotensão postural.

Quando estamos deitado, o corpo não precisa vencer a gravidade para levar sangue de volta ao coração e ao cérebro. Ao nos levantarmos subitamente, a pressão arterial que era suficiente quando estávamos deitado, pode ser insuficiente nos primeiros instantes em que ficamos em pé.

Em geral, o corpo rapidamente se adapta e não sentimos nada de mais, mas os pacientes idosos, diabéticos, pessoas desidratadas ou com dose excessiva de anti-hipertensivos, essa resposta pode demorar alguns segundos, o suficiente para ocorrerem sintomas mais fortes, como tonturas, vista escurecida, suores e até quedas da própria altura.

Ter tontura ou uma fraqueza eventualmente pode acontecer com todo mundo. Porém, se essa situação ocorrer com frequência, o ideal é procurar um médico. Isso pode ser sinal de desidratação, efeito colateral de algum remédio, dose excessiva de anti-hipertensivos ou algum problema de coração.

Para mais informações, leia: Desmaio, síncope e reflexo vagal.

Situações nas quais as pessoas acham que é hipotensão, mas não é

Algumas pessoas acreditam ter pressão baixa porque apresentam constantemente desânimo, preguiça, falta de energia, sono frequente, letargia, etc. Esses não são necessariamente sintomas de hipotensão. Muitas situações podem cursar com esses sintomas sem que a pressão arterial esteja baixa.

Um caso particular são os pacientes com síndrome da fadiga crônica, que é uma doença que provoca um quadro de cansaço persistente, muitas vezes incapacitante. Esses pacientes muitas vezes apresentam níveis de pressão arterial um pouco abaixo da média da população, mas os sintomas são pela doença, e não por uma baixa perfusão de sangue para os tecidos.

Na verdade, ao contrário da hipertensão, a hipotensão não é uma doença, mas sim um sinal de uma doença. Se a pessoa tem pressão baixa, mas não tem sintomas relevante e consegue ser produtiva, levando uma vida normal, ela tem, na verdade, uma pressão normal, que é apenas mais baixa que a média.

Portanto:

  • Nem toda pressão arterial abaixo de 90/60 mmHg indica algum problema de saúde.
  • Nem toda pressão arterial precisa estar abaixo de 90/60 mmHg para ser sintomática. Hipertensos de longa data podem sentir-se mal com valores de pressão arterial considerados normais para a maioria das pessoas, caso haja uma redução rápida da pressão.
  • A maioria das pessoas que acredita ter pressão baixa, não tem. Tem uma pressão normal que é apenas mais baixa que a média.
  • Pessoas com pressão considerada baixa, mas que são saudáveis e levam uma vida normal não são consideradas hipotensas.
  • Hipotensão não é doença em si, mas sim um sinal de uma possível doença.
  • A hipertensão normalmente surge sem causa aparente. A hipotensão que surge subitamente e provoca sintomas tem sempre um motivo que deve ser investigado.
  • Mais importante que os valores absolutos da pressão arterial são os sintomas que o paciente sente e o contexto clínico no qual a hipotensão está ocorrendo.

Tratamento

Se o paciente tem pressão baixa de forma crônica, mas não apresenta nenhuma queixa ou sintoma, não é necessário nenhum tratamento.

Nos casos de hipotensão postural ou mal estar de curta duração por conta de uma baixa da pressão arterial, o ideal é manter o paciente deitado, com o rosto virado para o lado e as pernas erguidas.

Na maioria dos casos, o mal-estar some em menos de 1 ou 2 minutos. Não é preciso pôr sal em baixo da língua.

O sal não tem efeito imediato, e se o paciente for hipertenso isso pode acabar causando um pico hipertensivo depois que a pressão normalizar.

Se o paciente tem pressão arterial normal e subitamente apresenta uma hipotensão com sintomas, o ideal é que ele seja avaliado por um médico. Nestes casos, o tratamento será para o problema que está causando a hipotensão, e não para a hipotensão em si.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/cardiologia/hipotensao/

Pressão baixa (hipotensão arterial)

Como tratar a pressão baixa (hipotensão)

Algumas pessoas, principalmente no calor, sentem sentem tontura, fraqueza e suor frio, decorrentes da pressão baixa. Se a sensação for sentida com frequência, pode ser necessário procurar um médico.

A pressão arterial é consequência da força que o sangue exerce contra as paredes das artérias para conseguir circular pelo corpo.

Quando o coração se contrai (sístole) para expulsar o sangue de seu interior, a pressão nas artérias atinge o valor máximo (pressão máxima ou sistólica).

Quando a musculatura cardíaca relaxa (diástole) para permitir que o sangue volte a encher suas cavidades, a pressão cai para seus valores mínimos: é a pressão mínima ou diastólica.

De acordo com os critérios internacionais estabelecidos, os valores de referência desejáveis da pressão arterial estão ao redor de 120 mmHg x 80 mmHg, ou 12 por 8.

Veja também: Você tem aparelho para medir pressão em casa? Ótimo! Mas alguns detalhes podem interferir na aferição. Aprenda a medir corretamente

Considera-se que uma pessoa está com pressão baixa, ou hipotensão arterial, quando esses níveis são menores que 9 por 6. É comum pessoas que sofrem desse problema apresentarem desmaios quando a pressão cai, mas é preciso ressalvar, porém, que pessoas saudáveis podem ter níveis baixos a esse ponto sem manifestar os sinais negativos da hipotensão arterial.

Pressão baixa não é considerada uma doença em si, mas pode estar relacionada com doenças graves como infarto do miocárdio, embolia pulmonar, diabetes, doença de Addison e a síndrome de Shy-Drager, por exemplo.

Causas de pressão baixa

Quedas de pressão podem acontecer em situações que favorecem a perda do controle do fluxo de sangue e a hipovolemia, ou seja, a diminuição da quantidade de sangue no corpo.

Desidratação, jejum prolongado, uso excessivo de medicamentos contra hipertensão, de diuréticos e de remédios para emagrecer, entre outros, podem ser os responsáveis por essa condição.

Da mesma forma, nos dias de calor, a tendência é diminuírem os níveis de pressão, porque as artérias ficam mais dilatadas e o sangue não precisa exercer muita força para circular.

Quedas de pressão podem ocorrer também, quando a pessoa se levanta de repente depois de muito tempo deitada, agachada ou sentada, em decorrência de um déficit momentâneo na irrigação do cérebro por causa do retorno venoso mais lento e do subsequente débito cardíaco. Nesse caso, elas recebem o nome específico de hipotensão postural ou ortostática. Esses quadros são mais frequentes nos idosos tratados com drogas hipertensivas ou nos portadores de diabetes.

Já a chamada hipotensão neuralmente mediada pode manifestar-se quando a pessoa fica muito tempo em pé, parada, sem se movimentar, ou em resposta a uma experiência de grande impacto emocional.

O limite aceitável da hipotensão é determinado pela capacidade de perfusão tecidual, ou seja, pelo fluxo sanguíneo e aporte de oxigênio oferecido aos tecidos para mantê-los funcionando. Abaixo desses níveis, a situação é considerada de choque circulatório, estabelecido ou iminente, uma urgência médica de extrema gravidade.

Sintomas da pressão baixa

Quando a pressão arterial está baixa, o fluxo de sangue para os tecidos cai e o oxigênio não chega às células em quantidade suficiente. Podem surgir, então, os seguintes sintomas, que variam de intensidade conforme o caso.

  • Fraqueza;
  • Perda de força;
  • Baixa de energia;
  • Tontura;
  • Visão turva;
  • Suor frio;
  • Taquicardia;
  • Sensação de desmaio ou desmaio.

Diagnóstico de pressão baixa

O exame clínico e o levantamento da história do paciente são dados importantes para o diagnóstico da hipotensão, mas testes de laboratório podem fazer-se necessários para respaldar o diagnóstico. Em alguns casos, é necessário pedir um exame chamado MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial).

Tratamento da pressão baixa

O tratamento da hipotensão arterial é determinado pelas características, gravidade e causas dos sintomas. Na ausência deles, em geral as pessoas saudáveis com pressão baixa não necessitam de nenhum tipo de intervenção terapêutica. No entanto, quando a hipotensão é determinada por uma doença de base, o objetivo do tratamento deve ser reverter, atenuar ou corrigir esse distúrbio.

Nos casos de queda brusca de pressão arterial, as seguintes medidas podem ajudar a controlar a crise:

  • A pessoa deve deitar-se numa posição confortável e, se possível, com os pés mais elevados do que o coração e a cabeça;
  • Deve também ingerir bastante líquido para aumentar o volume do fluxo sanguíneo, mas em pequenos goles e dar preferência a sucos de frutas, se estiver em jejum há muito tempo.

No entanto, se os sintomas persistirem por mais de 15 minutos, a pessoa deve ser encaminhada para atendimento médico de urgência sem demora.

Recomendações para evitar a pressão baixa

  • Levante-se com cuidado. Se estiver deitado/a, sente-se primeiro na cama e permaneça nessa posição por alguns minutos antes de ficar em pé;
  • Beba bastante líquido para evitar a desidratação e a hipovolemia;
  • Verifique se os medicamentos que está usando têm algum tipo de ação sobre pressão arterial;
  • Pratique exercícios físicos regularmente: eles têm ação benéfica sobre a circulação sanguínea e a pressão arterial;
  • Evite permanecer por longos períodos em ambientes muito quentes e úmidos;
  • Mantenha o travesseiro levemente elevado para diminuir o risco de hipotensão ao se levantar;
  • Procure um médico para avaliação clínica se as crises de hipotensão se repetirem. A pressão baixa pode ser sinal de algumas doenças que precisam ser investigadas e tratadas.

Perguntas frequentes sobre pressão baixa

Adianta comer sal para se recuperar das crises de pressão baixa?

Não. Essa ideia surgiu porque, como o sódio é associado à hipertensão, ingeri-lo faria a pressão subir e a pessoa com hipotensão se recuperaria. Contudo, o sal demora muito tempo para ter reflexo na pressão arterial e, portanto, não serve para ajudar nas crises repentinas de pressão baixa.

Pressão baixa dá sono?

É comum algumas pessoas acreditarem que têm pressão baixa por sintomas como sono, falta de ânimo e cansaço. Esses, porém, não são sintomas tão comuns da pressão baixa. O que ocorre é que sintomas frequentes da hipotensão, como fraqueza e perda de força, podem ser confundidos com sono.

Como saber se a pressão baixa é reflexo de algo grave?

Hipotensão durante um quadro de infecção é uma emergência médica e deve receber atenção profissional com rapidez. Também é necessário assistência médica se a pressão baixa vier acompanhada de dor no peito. Procure um médico também se você tem episódios frequentes de pressão baixa, pois cada caso exige investigação personalizada.

É normal ter pressão baixa na gravidez?

Sim. Durante a gravidez, o sistema circulatório se expande de forma geral para atender as necessidades do feto em formação, o que pode fazer o fluxo sanguíneo perder força. Esse quadro é normal e a pressão deve voltar à normalidade após o parto, diferentemente dos casos de eclâmpsia, que exigem atendimento médico com urgência.

Medicamentos podem causar pressão baixa?

Sim, certos medicamentos têm a hipotensão como um possível efeito colateral. É o caso, por exemplo, de alguns tipos de diuréticos, antidepressivos, medicamentos para doença de Parkinson, disfunção erétil, entre outros. Consulte sempre a bula e seu médico para tirar todas as dúvidas.

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/pressao-baixa-hipotensao-arterial/

Sua pressão está baixa? Entenda o que pode estar acontecendo com seu organismo – Blog da maior rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil

Como tratar a pressão baixa (hipotensão)

A pressão arterial é resultado da força que o sangue exerce para conseguir circular pelo corpo. Para os médicos, o ideal é que ela seja em torno de 12 por 8. A pressão baixa, também conhecida como hipotensão, é quando ela está abaixo de 9 por 6.

O que pode ser considerado pressão baixa para umas pessoas, pode não ser para outras. Os sintomas, muitas vezes, sequer são sentidos na maioria dos adultos saudáveis. Mas algumas pessoas podem apresentar fraquezas, sensação de tontura e vista escura. Em casos mais graves, a hipotensão pode ser fatal.

As causas variam desde gravidez, desidratação até questões mais graves, como problemas do coração. Em algumas situações, a pressão baixa é normal. Porém, se cair subitamente ou apresentar sintomas constantemente, como desmaios e vertigens, a hipotensão pode ser considerada um problema de saúde.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia este post até o fim e descubra as principais causas e os sintomas mais comuns da hipotensão. Confira!

Principais sinais da pressão baixa

Pessoas que se exercitam regularmente tendem a ter a pressão arterial mais baixa que as pessoas sedentárias. Nesses casos, a hipotensão é considerada normal. Porém, a partir do momento que sintomas recorrentes começam a aparecer, é sinal de que há algum problema.

Cada pessoa pode apresentar um sinal diferente. Por isso, é importante fazer check-up para descobrir as reais causas da pressão baixa. Entre os mais comuns estão:

  • tontura, desmaios e vertigem;
  • náuseas e vômitos;
  • batimento cardíaco irregular ou rápido;
  • sede maior que o normal;
  • sensação de fraqueza;
  • visão embaçada;
  • cansaço excessivo;
  • confusão mental;
  • respiração ofegante;
  • suor frio;
  • febre.

Normalmente, a pressão baixa não é causada por problemas de saúde e não leva risco para as pessoas. Mas quando vem acompanhada de vertigens, desmaios e sensação de cansaço excessivo, pode indicar um agravo, como infecção e desidratação. Por isso, é importante prestar atenção e, caso apresente qualquer sintoma, um médico deverá ser consultado imediatamente.

Causas da hipotensão arterial

A hipotensão arterial pode acontecer por vários motivos. Vamos apresentar os mais comuns.

Desidratação

Quando o corpo perde mais água do que a quantidade que foi ingerida, temos um quadro de desidratação. Nesses casos, os vasos sanguíneos apresentam menos sangue nas paredes arteriais, levando à pressão baixa e causando sintomas como fraqueza, cansaço e sensação de desmaio.

O uso de diurético, atividades físicas excessivas, perda de muito sangue devido a lesão ou ferimentos, além de infecções graves na corrente sanguínea podem levar ao quadro de desidratação. Ela é muito frequente no verão e acomete, principalmente, crianças e idosos.

Em algumas situações, a reidratação pode ser feita com ingestão de soro caseiro. Porém, em casos mais graves da doença, é preciso procurar atendimento médico para receber soro diretamente na veia.

Gravidez

Como o sistema circulatório se expande muito rápido no período da gravidez, é normal que a pressão caia um pouco. Na maioria dos casos, a pressão volta ao normal depois do parto.

Deficiência de ácido fólico e vitamina B12

A vitamina B12 e o ácido fólico são fundamentais para a formação de células vermelhas no sangue e a falta dessas vitaminas no organismo pode gerar anemia. Nesses casos, a pressão pode cair e sintomas como palidez, formigamento em mãos e pés e perda de sensibilidade ao toque podem aparecer.

É muito importante consultar um médico ao desconfiar do quadro de anemia. É ele quem vai identificar a causa do problema e indicar o tratamento adequado, como o uso de suplementação vitamínica.

Hipoglicemia

Disfunções endócrinas, como insuficiência adrenal, tireoide, paratireoide e alguns casos de diabetes, podem causar a hipotensão arterial. A baixa taxa de açúcar no sangue, ou seja, a hipoglicemia, também pode gerar a queda de pressão.

Problemas no coração

A redução da quantidade de sangue circulando no corpo, gerada por alguns problemas cardiovasculares, também pode causar a diminuição da pressão arterial. Entre as doenças mais comuns estão: arritmia, insuficiência cardíaca e alterações nas válvulas do coração.

Nesses casos, outros sintomas, aliados à queda de pressão, podem surgir, como falta de ar, desconforto no peito, sensação de cansaço excessivo e suor frio. Caso exista histórico familiar de problemas cardíacos, é preciso consultar o cardiologista para diagnóstico correto e tratamento adequado.

Hemorragia interna

A hemorragia interna é quando acontece sangramento dentro no corpo. Essa perda excessiva esvazia os vasos sanguíneos e causa a pressão baixa.

Alguns sinais de hemorragia interna são dores de cabeça constantes, fraqueza, dificuldade de respirar e tonteiras. Ao sinal de qualquer sintoma de sangramento interno, é preciso procurar atendimento médico imediatamente.

Infecção grave

Em casos mais raros, a queda de pressão pode acontecer por causa de alguma infecção no organismo, chamada de choque séptico ou sepse. Quando as bactérias se espalham pelo corpo, liberando toxinas, os vasos sanguíneos são diretamente afetados, causando diminuição da pressão arterial.

Sintomas como tontura, fraqueza e desmaio são comuns em casos de infecção. Nessas situações, consultar um médico também é fundamental.

Identificação da pressão baixa

A pressão baixa pode ser identificada por meio de exames de rotina e avaliações feitas para acompanhamento de atividades físicas. Alguns testes ajudam no diagnóstico — entre eles, os de sangue — pois são responsáveis por oferecer informações sobre a saúde do paciente de uma forma mais ampla.

São capazes de mostrar a taxa de açúcar circulando no organismo e a quantidade de glóbulos brancos existentes, fatores que levam à alteração da pressão. Exames específicos do coração, como eletrocardiograma e ecocardiograma, também ajudam a diagnosticar o problema.

Além disso, os testes físicos de estresse, como bicicleta e esteira, conseguem analisar a saúde coronária e, consequentemente, fatores que podem levar à queda da pressão.

A hipotensão pode ocorrer em qualquer pessoa, mas alguns fatores aumentam o risco, como idade, uso de medicações (diuréticos e alguns tipos de antidepressivos) e doenças, como Parkinson e diabetes.

Quando procurar um médico

Em muitos casos, a pressão baixa não é grave, mas ao sinal de qualquer alteração na saúde, é imprescindível que o paciente procure ajuda médica. Os clínicos gerais ou cardiologistas são responsáveis por determinar medicamentos e tratamentos mais adequados, além de orientar sobre hábitos de vida que possam estabilizar a pressão arterial.

Como vimos, a pressão baixa pode ser comum, mas é fundamental observar o corpo e ficar atento a determinados sintomas, como tonturas e desmaios, que podem ser sinal de problemas mais graves. Portanto, no caso de qualquer alteração, observe, anote a frequência dos sintomas e procure um especialista. Dessa forma, você terá um diagnóstico preciso e receberá o tratamento mais adequado.

Gostou do artigo? Entre em contato com o AmorSaúde e descubra formas de melhorar ainda mais sua qualidade de vida!

Источник: https://blog.amorsaude.com.br/pressao-baixa/

5 dicas para tratar a pressão baixa

Como tratar a pressão baixa (hipotensão)

A pressão baixa, também chamada de hipotensão, acontece quando a pressão arterial atinge valores iguais ou inferiores a 9 por 6, ou seja 90 mmHg x 60 mmHg. Geralmente, as pessoas com pressão baixa não apresentam sintomas e, por isso, esta situação, normalmente, não é problemática, podendo até ser normal em pessoas que sempre têm a pressão baixa.

No entanto, também existem algumas pessoas que podem ter uma queda rápida da pressão e apresentar sintomas como dor de cabeça, tontura, fraqueza ou sensação de desmaio, por exemplo.

Nestes casos, a situação geralmente melhora após deitar e elevar as pernas acima do nível do coração e, por isso, não é preciso qualquer tipo de tratamento.

Confira o que fazer quando a pressão diminui muito rápido.

Porém, também existem pessoas em que a pressão está constantemente baixa e que causa o aparecimento de sintomas que impedem a realização das atividades diárias.

Quando isso acontece pode ser sinal de que existe menos sangue chegando no coração e, por isso, é aconselhado consultar um clínico geral para identificar a causa do problema e iniciar o tratamento mais adequado, que pode incluir alterações na dieta e até o abandono de alguns tipos de medicamentos.

Assim, dependendo das causas, as principais formas de tratamento incluem:

1. Beber mais água

Este é um passo muito simples, mas também muito importante do tratamento, que pode ser feito independente da causa. Isso porque, pessoas que não estão corretamente hidratadas, com a quantidade de água que necessitam para o funcionamento do organismo, geralmente apresentam um volume inferior de sangue nas artérias, o que faz com que a pressão diminua.

Da mesma forma, também se deve evitar o consumo exagerado de bebidas alcoólicas, já que promovem a desidratação, além de causar dilatação dos vasos sanguíneos, contribuindo para uma diminuição mais acentuada da pressão arterial.

2. Usar meias elásticas

Este tipo de tratamento normalmente é sugerido para pessoas que têm dificuldade de retorno venoso nas pernas ou em pacientes com insuficiência cardíaca, já que, em ambos casos, acontece um acúmulo de sangue nas pernas, o que faz com que exista menos sangue chegando ao coração, o que leva à diminuição da pressão arterial.

O uso das meias elásticas é especialmente importante durante o dia, principalmente quando se fica muitas horas de pé, e ajuda no retorno do sangue para o coração, melhorando a pressão arterial.

3. Aumentar o consumo de sal

Embora seja recomendado diminuir a quantidade de sal para prevenir doenças cardiovasculares, pessoas que têm pressão baixa sintomática, podem precisar aumentar o consumo de sal, de forma a tentar aumentar a pressão arterial. No entanto, esse aumento só deve ser feito sob a orientação de um médico ou nutricionista, uma vez que o uso exagerado de sal pode acabar sendo prejudicial para a saúde.

Alguns remédios, especialmente os diuréticos, medicamentos para problemas cardíacos e antidepressivos podem ter um efeito colateral de diminuição da pressão arterial quando utilizados por longos períodos.

Quando isso acontece, o médico pode avaliar a possibilidade de trocar o medicamento que está sendo utilizado ou parar seu uso, caso seu benefício não esteja compensando os sintomas da pressão baixa, por exemplo.

5. Fazer refeições pequenas várias vezes por dia

Esta técnica é geralmente utilizada em pessoas que apresentam diminuição da pressão arterial depois das refeições, pois pode ser causada pelo desvio do sangue para o estômago, que faz com que exista menos sangue circulando e chegando no coração.

Assim, o ideal é que se façam refeições menores, para diminuir a quantidade de sangue desviado para o estômago, e várias vezes ao dia, para evitar uma desnutrição.

O que fazer para pressão baixa na gravidez

Se a gestante apresentar sintomas de pressão baixa também deve deitar de barriga para cima, mantendo as pernas elevadas para normalizar a pressão. No entanto, se não houver melhora dos sintomas é recomendado que a mulher consulte o seu obstetra para investigar as causas dessa hipotensão e sua possível correção.

A pressão baixa na gravidez é frequente no início da gestação, mas geralmente, não traz complicações para o bebê, e está relacionada com a ação do hormônio relaxina sobre as veias. Além disso, o feto necessita de uma maior quantidade de sangue, e por isso, naturalmente, diminui a quantidade de sangue nas artérias da mãe, causando a pressão baixa.

Quando ir ao médico

É recomendado ir ao médico sempre que surgem sintomas de pressão baixa, para avaliar se existe alguma causa que precise de tratamento, no entanto, alguns sinais que podem indicar uma situação mais séria incluem:

  • Acontecer mais do que um desmaio;
  • Os sintomas não melhorarem em algumas horas;
  • Existir confusão, aumento do batimento cardíaco ou respiração rápida.

Nestes casos, a diminuição da pressão baixa pode estar sendo causada por causas mais graves, como hemorragia, problemas cardíacos ou uma infecção, que precisam ser identificadas e tratadas o mais rápido possível.

Veja quais as causas mais comuns de pressão baixa e o que fazer em cada caso.

Источник: https://www.tuasaude.com/pressao-baixa/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: