Como tratar os pés e calcanhares rachados

6 dicas para tratar e acabar de vez com os pés ressecados

Como tratar os pés e calcanhares rachados

Foto: Getty Images

Quem tem os pés ressecados sabe o quanto é incômodo e, por isso, está sempre em busca de medidas que realmente ajudem a melhorar este desconforto. Mas, afinal, o que causa os pés ressacados? Existe mesmo tratamento? E tem como evitar o problema?

A médica dermatologista Livia Pino, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e pós-graduada em Dermatologia pela Policlínica Geral do Rio de Janeiro, comenta que os pés (assim como as mãos) não têm pelos e, por isso, falta a lubrificação natural da pele, deixando-os naturalmente mais ressecados. “Além disso, algumas questões genéticas e algumas condições e doenças podem fazer peles serem mais ressecadas que outras. Andar descalço ou de sandália rasteira, por exemplo, geralmente faz o pé ficar mais grosso e ressecado”, diz.

Sara Bragança, médica pós-graduada em Dermatologia, explica que existem diversas causas para os pés ressecados. Dentre as mais comuns estão: andar descalço, uso frequente de sapatos abertos, obesidade, problemas vasculares, micoses, falta de hidratação, hipotireoidismo. “A hereditariedade também é um fator importante, além de maus hábitos alimentares”, diz.

Juliana Jordão, médica pós-graduada em Dermatologia, membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, com Especialização em Laserterapia e Fotodermatologia na Skin and Laser Center of Boom em Boom (Bélgica), ressalta que os pés ressecados podem ser causados por diversos fatores, como: o atrito constante de quem anda com os pés descalços; a falta de hábito de hidratar a pele após o banho; o excesso de peso que facilita o aparecimento de fissuras na pele; e doenças que favorecem o ressecamento, como insuficiência venosa (varizes) e diabetes.

Dessa forma, nem sempre é possível identificar uma única causa que justifique a pessoa ter os pés ressacados. Mas existem, sim, medidas que ajudam a combater o problema e também a evitá-lo. Confira as principais maneiras de combater o ressecamento dos pés abaixo!

1. Hidratar diariamente

Foto: iStock

Livia destaca que os pés devem ser hidratados diariamente, assim como a pele do corpo. “Recomendo colocar o hidratante na mesa de cabeceira, para não esquecer e assim também ninguém correrá o risco de escorregar”, diz.

Sara comenta que a hidratação no período noturno é o mais recomendado. “Isso porque, além do hidratante ficar em contato mais tempo com a área a ser tratada, reduz o risco de acidentes (pois os pés ficam escorregadios depois da hidratação)”, diz.

Sara acrescenta que os produtos devem, de preferência, ser específicos para esta área. Cremes à base de ureia são os mais recomendados, de acordo com a médica.

2. Usar produtos específicos no caso de pés com fissuras

Foto: Getty Images

Juliana destaca que para peles descamativas, cremes com ureia ajudam muito. Porém, para pés com fissuras, é recomendado evitar a ureia dentro das lesões para não haver ardência. “Deve-se utilizar um creme cicatrizante ou reparador (com dexpantenol, entre outros) nas fissuras para seu fechamento”, diz.

3. Dormir com meias de algodão após a hidratação

Foto: iStock

Uma dica simples e muito válida é, após hidratar os pés antes de dormir, colocar uma meia de algodão e permanecer com ela durante toda a noite. Ou ainda, enrolar os pés em plástico filme.

“Quando ocluímos (tapamos) o creme hidratante com as meias ou plástico filme fazemos o hidratante ser mais bem absorvido pela pele”, destaca Livia.

4. Esfoliar levemente e com moderação

Foto: Getty Images

Sara comenta que a esfoliação é importante para que a hidratação seja mais efetiva e os pés fiquem mais macios. “A frequência da esfoliação deve ser semanal, porém, essa esfoliação não pode ser muito vigorosa”, diz.

Livia destaca que os pés só devem ser lixados ou esfoliados no máximo uma vez por semana em caso de Ceratodermia (parte grossa espessada do pé).

Para Juliana, a esfoliação deve ser feita apenas uma vez ao mês. “A esfoliação intensa deve ser evitada, pois a pele interpreta como uma agressão e, ao ser agredida, ela reage se espessando. Por este motivo, o hábito de esfoliação em excesso ou muito vigorosa cria um ciclo vicioso que leva a um espessamento progressivo da pele”, explica.

“Pode ser feita, inclusive, a esfoliação com açúcar ou grãos de fubá misturados em um pouco de sabonete liquido durante o banho, uma vez por mês, no máximo, e de forma suave”, recomenda Juliana.

Assim, o ideal é conhecer as particularidades dos seus pés e esfoliar conforme as orientações do seu dermatologista, visto que a esfoliação é, sim, útil, mas, se feita de forma errada e/ou exagerada, pode agravar o problema (ressecamentos dos pés) em vez de ajuda.

5. Não lixar o pé diariamente

Foto: Getty Images

Por mais que muitas pessoas pensem o contrário, os pés não devem ser lixados diariamente no banho. “Isso pode fazer o pé engrossar mais”, destaca Livia.

“Em geral, indicamos lixar com cuidado depois de deixar o pé de molho na água pois fica mais fácil e agride menos a pele”, orienta.

6. Não andar com os pés descalços

Foto: iStock

Sara explica que o hábito de andar descalço faz com que a sola dos pés e principalmente os calcanhares se tornem mais espessos devido ao atrito direto com a derme – que, por estar sofrendo compressão direta, necessita se proteger, e essa proteção se dá pelo espessamento da derme, deixando-a mais áspera e ressecada.

Além dessas orientações, é muito importante procurar um dermatologista para que cada caso seja tratado individualmente. “O ideal é sempre procurar o dermatologista e ver o que é mais indicado no seu caso. Algumas manifestações de ressecamento nos pés podem ser manifestações de doenças genéticas, micoses e etc.”, destaca Livia.

Produtos que podem te ajudar no tratamento

Confira exemplos de produtos que podem ajudar no tratamento dos pés ressecados. Os cremes foram selecionados com base nas avaliações das blogueiras.

Imagem: Dicas de Mulher

Onde comprar e a opinião das blogueiras

  1. Nativa SPA creme para os pés O Boticário
  2. “É bem cremoso, mais grossinho mesmo, e hidrata muito. Eu aplico sempre à noite, antes de dormir, e de manhã a pele está super macia.” – Coisas de Diva

  3. Ekos castanha para os pés da Natura
  4. “O de castanha é um pouco mais consistente e parece ser melhor absorvido pela pele. (…) O cheiro do de castanha é muito bom, gostoso demais.” – Coisas de Diva

  5. Creme de silicone Biosegredo
  6. “Adoro cremes que possuem dupla finalidade como este da BioSegredo, pois é uma loção hidratante para mãos e pés.” – Bruna Karlla

  7. Creme para os pés Granado
  8. “O produto é feito para ser usado com os pés secos, logo após o contato com a água (do banho ou da bacia) – achei tão diferente! Como a textura é mais líquida, dá para massagear a região tranquilamente.” – Coisas de Diva

  9. Creme com ureia Ligia Kogos
  10. “Eu adorei o resultado que ele traz gradativamente aos pés. Por ser um creme com ativos de alta concentração proporciona para os pés vários tratamentos como os de rachaduras, asperezas e fissuras e ainda hidrata super bem deixando-os macios e suaves desde a primeira aplicação.” – Virou Tendência

  11. Creme Dermopés
  12. “Meus pés ficaram muito macios, eu tinha rachaduras leves que me incomodavam demais e elas sumiram! Estou muito satisfeita com esse produto, a aparência dos meus pés melhorou demais!” – Ellen Soares

  13. Creme para os pés Weleda
  14. “Ele é absorvido rapidinho pela pele e não fica aquela sensação de ‘engordurado’, então é ótimo para passar durante o dia se você está com o pé mais ressecado. Gostei!” – Corre Mulherada

  15. La Roche-Posay Lipikar
  16. “Eu achei o hidratante bem potente e também notei que ele parece afinar a pele dos pés. Mas não dá para passar o creme, colocar um calçado e sair bem louca porque ele é meio melequentinho. Eu costumo usar só à noite antes de dormir, daí no dia seguinte a pele está uma lindeza!” – Coisas de Diva

Agora é só escolher qual ou quais produtos você terá como aliados e caprichar no cuidado dos pés, lembrando que a hidratação dos pés deve ser feita diariamente.

Em caso de dúvida sobre as substâncias mais indicadas para cada caso (levando em conta se o pé é muito ou pouco ressecado, se há fissuras ou não etc.), o ideal é consultar um dermatologista, que indicará os melhores produtos.

Como prevenir o ressecamento dos pés

Foto: Getty Images

As dicas para se evitar o ressecamento dos pés são basicamente as mesmas daquelas recomendadas para quem já sofre com o problema.

1. Hidratar os pés diariamente: ainda que não sinta aquele incômodo de ter os pés ressacados, é importante hidratá-los todos os dias, após o banho ou antes de dormir, por exemplo. “Para prevenção, hidratantes comuns com silicone, manteiga de karité ou óleos vegetais são bem indicados”, destaca Juliana.

2. Não andar com os pés descalços: o hábito de andar descalço deve ser evitado por quem não quer que os pés fiquem ressecados, pois, conforme explica a dermatologista Juliana, o atrito contínuo faz a pele do pé se espessar como uma forma de defesa.

3. Não lixar os pés diariamente e nem esfoliar sempre: vale lembrar que este hábito de lixar o pé no banho diariamente tende a fazer com que o pé engrosse. Então, até mesmo quem não sofria com o problema, pode a passar a ter os pés ressecados com o tempo. O mesmo cuidado vale com a esfoliação, que não deve ser feita com frequência e nem de forma muito vigorosa.

4. Ter uma alimentação saudável: ainda que pouca gente se dê conta disso, maus hábitos alimentares podem causar o ressecamento dos pés (e de outras partes do corpo).

5. Manter-se no peso: é importante ter este cuidado, pois o excesso de peso facilita o aparecimento de fissuras na pele.

Vale lembrar que, além dos cuidados diários, a consulta com um dermatologista de confiança é muito válida para pessoas que já sofrem com o ressecamento dos pés.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Источник: https://www.dicasdemulher.com.br/pe-ressecado-rachado-tratamentos/

Casca grossa, mas partida: saiba por que os pés racham

Como tratar os pés e calcanhares rachados

(foto: Valdo Virgo/CB/D.A.Press)

Embora seja motivo de piada para alguns, qualquer pessoa pode sofrer com pés rachados. A época da seca brasiliense predispõe todos ao problema — até crianças.

Ainda mais no momento atual, de pandemia e de isolamento social para alguns, em que se passa muito tempo em casa, de chinelo ou mesmo descalço. Isso faz com que mais pessoas tenham esse contratempo.

A situação, além de constrangedora para quem quer usar sapatos abertos, causa dor, pode significar problemas mais sérios e favorece infecções. “Quando se tem uma rachadura no pé, há perda da barreira cutânea.

Ela abre portas para a entrada de bactérias e fungos.

É o que a gente chama de infecção secundária”, explica a dermatologista Luanna Portela, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia do Distrito Federal.

Portanto, é preciso prevenir, tratar e ficar de olho, se não melhorar. Nesse caso, é necessário uma avaliação médica. Pode ser que a causa não seja apenas a secura, mas outras doenças. “Psoríase, dermatite de contato e algumas micoses causam descamação”, exemplifica a especialista.

Como acontece

Fatores externos fazem com que a pele do calcanhar fique mais espessa. Alguns deles são:- Secura- Andar muito descalço

– Lixar o pé: a prática é uma agressão à pele, que fica mais fina temporariamente, mas pode até agravar o quadro

Outras causas

De tão espessa e dura, a pele começa a ter fissuras, as famosas rachaduras, especialmente se houver:- Excesso de peso- Uso de sapatos desconfortáveis

– Uso de sapatos abertos

Tratamento e prevenção

Segundo a dermatologista Luanna Portela, é importante tratar as rachaduras, mesmo que a questão estética não incomode ou que não causem dores, para evitar infecções. As medidas de tratamento coincidem também com a prevenção.

Ela recomenda:- Cuidar da hidratação oral, ou seja, beber muito líquido. – Cuidar da hidratação tópica, ou seja, usar hidratante nos pés duas vezes ao dia, o que vale também para prevenção. “De preferência após o banho, para melhor absorção do produto”, orienta.

– Usar cremes com ureia e vaselina- Antes de dormir, passar hidratante e colocar meia ou enrolar os pés com papel filme- Evitar andar descalço e com sapatos abertos- Secar bem entre os dedos após o banho.

Caso essa seja uma dificuldade, a especialista sugere colocar o vento do secador na temperatura fria. Isso evita fungos

– Se a pele estiver muito espessa, pode ser necessário associar a hidratação a ácido salicílico para melhorar a absorção do hidratante pela pele.

Diagnósticos diferenciais

Caso não melhores em cerca de 30 dias, é importante avaliação médicas, pois é possível que seja:- Psoríase- Micose (algumas causam descamação)

– Dermatite de contato, ou seja, alergia ao material de algum sapato. Nesse caso, é possível fazer o teste em casa, parando de usar certos calçados. Segundo Luanna, uma das alergias mais comuns é à borracha

Palavra do especialista

Muitos diagnósticos de problemas hormonais começam por sinais nos pés?
Sim.

Inclusive, é muito importante os pacientes, principalmente os mais idosos, os com histórico familiar de diabete e os obesos, na hora do banho, fazerem um exame minuciosos dos pés.

Ver se tem lesões neles, entres os dedos, porque isso pode ajudar um diagnóstico de diabetes, sobretudo quando há infecções fúngicas de repetição. Até porque o diabético pode perder um pouco da sensibilidade e não sentir as lesões.

Então, as rachaduras nos calcanhares podem estar associadas a desequilíbrios hormonais?
De certa forma, sim. O hipotiroidismo leva ao ressecamento dos pés.

A diabetes predispõe infecções fúngicas, como frieiras, que são as lesões entre os dedos, mina a água, causa hiperuricemia. Então, as rachaduras podem ocorrer com paciente diabéticos.

A doença pode desencadear lesões descamativas nos pés.

Quando desconfiar que é mais do que só secura?
Quando tem dores nos dedos, presença de inchaço, principalmente no primeiro dedão, como se fosse uma artrite.

Nesse caso, pode ser gota, ou seja, ácido úrico alto. No hipotiroidismo, ocorre ressecamento da pele como um todo, braço, e vemos também edema.

Quando a descamação é causada por fungos, tem bolhas, presença de líquido, é um indício indireto de diabetes.

Rafaela Cordeiro Corrêa é endocrinologista da Clínica Simone Neri

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Источник: https://www.correiobraziliense.com.br/revista-do-correio/2020/09/4874561-casca-grossa-mas-partida-saiba-por-que-os-pes-racham.html

Dores e rachadura nos pés podem indicar doenças e problemas de saúde

Como tratar os pés e calcanhares rachados
Imagem: Cristian Newman on Unsplash

Nossos pés, em geral, são mal apreciados por todos nós.

Passam boa parte do dia enclausurados nos confins de nossos sapatos, levando-nos de um lugar a outro, seja a pé, dirigindo ou até de bicicleta, sempre nos auxiliando no afazeres do dia a dia. E os pés não ajudam apenas na hora de nos locomovermos.

Eles também são ótimos indicadores de problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, gastrointestinais, deficiência vitamínica, diabetes e muito outros. Fique atento aos sinais de possíveis doenças através dos pés:

Problema: má circulação

A queda de pelos nos pés pode indicar problemas circulatórios, já que, ao não receber circulação suficiente, os folículos capilares não são capazes de se manterem intactos e acabam caindo; é muitas vezes acompanhada de baixa temperatura na região dos pés.

Esse problema é tipicamente encontrado em doenças vasculares – normalmente arteriosclerose – que consiste no endurecimento das artérias que trazem sangue para as extremidades.

Má circulação também pode ser relacionada a problemas cardíacos, como o fraco mecanismo de bombeamento de sangue do coração – o que pode causar problemas circulatórios. Recomenda-se marcar uma consulta com um cirurgião vascular para avaliação.

Problema: problemas gastro-intestinais, pulmonares ou cardíacos

Durante exames, pacientes apresentam a extremidade de seus dedos elevadas; chega a assemelhar um dedo mal angulado.

O chamado hipocratismo digital ou baqueteamento digital, pode ocorrer em um único dedo ou vários, e normalmente é visto como um sinal para doenças pulmonares, e até câncer no pulmão.

Pode indicar também um problema gástrico, como Doença de Crohn ou problemas no coração. O médico só poderá saber mais pedindo testes adicionais.

Problema: neuropatia

“A sensação de queimação nos pés é, geralmente, causada por algum tipo de problema nos nervos”, diz Dr. John Scheffel, DPM, fundador do Scheffel Foot Center, em Worcester, Massachussets (EUA). Neuropatia é um termo generalizado para disfunção nervosa.

Suas causas incluem diabetes, deficiência de vitaminas e efeitos colaterais de medicamentos. O primeiro passo é determinar a causa da neuropatia ou dormência. Se nenhuma causa puder ser identificada, isso é chamado de neuropatia periférica idiopática.

Medicamentos podem ser prescritos para diminuir a dor nos nervos e a sensação de queimação.

Problema: diabetes

Podólogos realizam diferentes tipos de testes nos nervos para checar as sensações agudas ou entorpecidas.

Pessoas com diminuição sensorial possuem neuropatia periférica, que pode indicar diabetes, já que o alto teor de açúcar impacta os nervos, fazendo com que eles não funcionem bem.

“Alguém com neuropatia pode ter uma pedra no sapato e não saber”, diz Anthony Weinert, um podólogo de Michigan (EUA) e autor do livro “Stop Feet Pain Fast

Se você tem neuropatia, mas bons níveis de açúcar no sangue, você pode ter uma posição desalinhada do pé em que ao colocar o peso sobre ele, ele sucumbe ao peso. Um nervo que funciona ao longo da lateral do pé se torna alongado e eventualmente se comprime, o que levará à perda da sensação nervosa na região. Órteses e pequenas inserções em sapatos ajudam a corrigir o alinhamento.

Problema: deficiência vitamínica

Unhas quebradiças podem significar falta de vitamina A e D, já que a vitamina D, junto com o cálcio e magnésio, são a base para unhas saudáveis.

“Quantidades suficientes de vitamina D obtidas tanto por exposição casual à luz solar ou a partir de suplementos pode aumentar a absorção de cálcio e elevar o nível de magnésio no corpo,” diz Afsane Latifi, um podólogo de Manhattan (EUA).

A falta de ácidos graxos também pode causar condições inflamatórias ao redor das unhas, deixando-as fracas e quebradiças. Algumas condições medicas responsáveis por causa do enfraquecimento das unhas também incluem Doença de Raynaud, hipotireoidismo, doenças pulmonares, tuberculose e Síndrome de Sjogren.

Problema: gota

“É um dedão vermelho, quente e inchado e é tão doloroso que os pacientes não aguentam nem mesmo um lençol tocando-o”, diz Weinert. É como uma dor de dente severa no dedão.

Gota se desenvolve quando há uma grande quantidade de ácido úrico, normalmente derivado de sua dieta, seja do consumo excessivo de vinho, queijos ou carne vermelha.

Pacientes com gota produzem um excesso de ácido úrico ou o excretam em pouca quantidade. Pacientes começam uma dieta com baixo nível de purina, que envolve uma alimentação com carboidratos, laticínios com baixo teor de gordura e pouquíssimas carnes e outras fontes de proteína, além de tomar medicamentos preventivos.

Problema: desidratação ou falta de potássio

Câimbras nos pés e dores musculares na panturrilha, geralmente, resultam em baixo nível de potássio ou desidratação. Se você possuí um problema com câimbras nos pés ou pernas, coma uma banana antes de exercícios vigorosos e beba bastante água antes e depois de realizá-los. Vale também alongar seus pés antes de dormir.

Problema: excesso de peso ou desidratação

A rachadura nos pés pode indicar que você toma pouca água, passa muito tempo descalço ou com calçados abertos, toma banho muito quente ou está acima do peso. Seus pés podem estar sofrendo com a sobrecarga – de peso, de calor ou de esforço.

Para aliviar o problema, inclua o escalda-pés na sua rotina de cuidados de saúde pelo menos duas vezes por semana. Seque bem os pés após o escaldá-los e passe um creme hidratante suave.

Se as rachaduras forem muito profundas ou já tiverem virado cortes, é melhor procurar ajuda médica.

Problema: psoríase

Em cerca de metade do pacientes com psoríase, são encontrados pequeninos buracos nos dedos e nas unhas dos pés, como fendas.

Mais de 3/4 daqueles com artrite psoriática, um tipo de artrite relacionada com psoríase que afeta as juntas, também possuem unhas marcadas por pústulas. As unhas também podem ser grossas, amareladas ou amarronzadas.

Seu médico pode diagnosticar e tratar psoríase e artrite psoriática com medicação e mudanças na dieta e estilo de vida. As unhas podem, às vezes, voltarem ao normal se o problema for tratado cedo.

No vídeo abaixo a podóloga e cirurgiã, Suzanne Levine, explica um pouco mais sobre os pés e o que eles têm a ver com sua saúde:

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/2803-pes-doencas-saude

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: