Como usar o absorvente interno (O.B) de forma segura

Contents
  1. 13 perguntas e respostas sobre absorvente interno
  2. 2. Posso usar só esse tipo de absorvente?
  3. 3. Até durante o sono?
  4. 4. Existe o risco de vazar?
  5. 5. Se o fluxo for leve, no finzinho da menstruação, posso ficar com o mesmo absorvente o dia todo?
  6. 6. Por que não é bom ficar com ele por mais tempo?
  7. 7. Quem tem DIU pode usar esse tipo de produto?
  8. 8. O que fazer se a cordinha sumir?
  9. 9. Depois de sair da piscina ou do mar, ele precisa ser retirado imediatamente?
  10. 10. Como saber se está no lugar certo?
  11. 11. Qual é o melhor jeito de introduzi-lo?
  12. 12. Há algum tipo de contraindicação?
  13. 13. O coletor menstrual é uma boa alternativa?
  14. Absorvente interno – como colocar, como tirar, riscos e dúvidas frequentes
  15. Como usar o absorvente interno?
  16. Como saber se está certo e como tirar o absorvente interno?
  17. Riscos do absorvente interno
  18. Síndrome do Choque Tóxico (SCT)
  19. 1. Como devo escolher o tamanho do absorvente interno?
  20. 5. Quem tem DIU pode usar esse tipo de produto?
  21. 6. O que fazer se a cordinha sumir?
  22. 7. Depois de sair da piscina ou do mar, ele precisa ser retirado imediatamente?
  23. 8. Há algum tipo de contraindicação?
  24. 9. O coletor menstrual é uma boa alternativa?
  25. Como colocar O.B.® de forma correta? Confira o passo a passo que a gente preparou!
  26. Abrir do jeito certo é importante para preservar o produto  
  27. Relaxe para facilitar a colocação do O.B.®  
  28. Na hora de tirar…  
  29. Como saber se o O.B.® está bem colocado?  
  30. Posso ir ao banheiro usando o absorvente interno?  
  31. Como o absorvente interno retém o fluxo menstrual? 
  32. Quais são os riscos de vazar? 
  33. Posso usar O .B.® mesmo sendo virgem? 
  34. O .B.® pode ser usado a partir de que idade?

13 perguntas e respostas sobre absorvente interno

Como usar o absorvente interno (O.B) de forma segura

Os absorventes internos são práticos e confortáveis, é verdade. Mas é preciso cuidado e atenção ao usá-los. Prova disso são casos recentes de Síndrome do Choque Tóxico (SCT), uma infecção bacteriana associada ao uso prolongado de tampões e que pode levar a insuficiência renal aguda e até morte.

Na última semana, a escocesa Katie Knight, de 20 anos, virou notícia por ter ficado internada – e quase perdido a vida – devido à SCT. Ela passou 48 horas usando um absorvente interno e, no quarto dia do período menstrual, começou a sentir um mal-estar. No dia seguinte, o incômodo se transformou em vômitos e desmaios a cada 25 minutos, segundo o jornal Metro.

Leia mais: 8 coisas que você nunca deve fazer com a sua vagina

Katie foi levada ao hospital, onde ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e recebeu o diagnóstico da síndrome, marcada pela proliferação de um tipo específico de bactéria, a Staphylococcus aureus, que existe naturalmente na pele humana.

O problema é quando ela se multiplica de forma intensa e cai na corrente sanguínea – causando os sintomas da SCT.

Um dos fatores que pode levar a esse crescimento descontrolado do micro-organismo é o absorvente, um meio propício a sofrer contaminação quando usado por muito tempo.

Mas calma! Apesar de assustadora, essa doença é bem rara – 1 caso em cada 100 mil mulheres. De qualquer forma, para você poder usar absorvente interno sem encanação, fomos atrás das respostas para as principais dúvidas sobre o produto. Confira:

O critério é a intensidade do fluxo – e não as características locais, como o tamanho da vulva.

A vagina é elástica e, por isso, se adapta facilmente ao produto, informa a ginecologista Graciela Morgado Folador, de São Paulo, filiada à Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). O super é para as mulheres que têm um sangramento abundante e o míni para aquelas que sangram pouco.

2. Posso usar só esse tipo de absorvente?

O absorvente interno pode ser usado desde o sinalzinho do primeiro dia até a borrinha do último, portanto está liberado durante toda a menstruação. Mas, para isso, precisa ser utilizado direito – ou seja, ele deve permanecer na vagina por, no máximo, quatro horas”, orienta a ginecologista.

3. Até durante o sono?

Enquanto dorme, você pode ficar com o mesmo absorvente por até oito horas, ensina Graciela. Caso pretenda dormir dez horas ou mais, no meio desse período é melhor se levantar, trocar e voltar para a cama. Se não tiver intenção de interromper o sono, é melhor optar por um absorvente externo.

4. Existe o risco de vazar?

Só se você tiver um ciclo abundante e escolher um tamanho insuficiente (míni ou médio) ou, mesmo que use o super, permaneça com o mesmo absorvente por mais de quatro horas. A possibilidade de alergia também é remota, já que o material é hipoalergênico.

Continua após a publicidade

5. Se o fluxo for leve, no finzinho da menstruação, posso ficar com o mesmo absorvente o dia todo?

O tempo de uso continua sendo de apenas quatro horas, pois o produto, além do sangue, absorve o muco cervical. Mas vale a pena mudar para o tamanho míni a fim de facilitar a retirada: quando se puxa um absorvente úmido, ele sai de modo mais confortável. Nos últimos dias, como o sangramento diminui, ele fica mais seco, daí, quanto menor, menos desagradável é a saída.

6. Por que não é bom ficar com ele por mais tempo?

Apesar de ser chamado de tampão, o absorvente interno faz mais do que obstruir a saída do sangue pela vagina.

O algodão que o compõe absorve o fluxo e, se esse sangue ficar parado ali por um tempo prolongado (mais de oito horas), existe o risco do crescimento de bactérias capazes de alterar a flora da vagina, causando infecções genitais.

Se esquecer de retirá-lo por vários dias, a mulher corre o risco de inflamações também no útero e nas trompas. Nos casos mais graves (e felizmente raros!), a bactéria pode atingir a corrente sanguínea, causando infecção generalizada.

7. Quem tem DIU pode usar esse tipo de produto?

Sim. Eles ocupam espaços diferentes: o dispositivo anticoncepcional é inserido pelo ginecologista dentro do útero, e o absorvente fica na vagina. Não há perigo de ao retirar o absorvente trazer junto o DIU ou de puxar a cordinha errada. A do absorvente é deixada na entrada da vagina enquanto a do DIU fica lá no alto, saindo apenas 1,5 centímetro para fora do colo do útero.

8. O que fazer se a cordinha sumir?

Não há perigo de o absorvente se perder dentro do corpo. “A vagina é uma rua sem saída”, diz Graciela Folador. Nos rigorosos testes feitos pelos fabricantes, a cordinha não arrebenta, mas às vezes ela pode ficar dentro da vagina. Nesse caso, faça uma pinça com os dedos para puxar. Se não der certo, vá ao seu ginecologista.

Às vezes, a mulher não acha o absorvente e acaba se desesperando. Ele pode ter caído quando foi ao banheiro e fez força para evacuar. Deixando a cordinha sempre visível, a retirada é mais fácil e diminui o perigo de você esquecer o tampão ali dentro. Você também pode adquirir o costume de trocar o absorvente quando fizer cocô.

Isso diminui o risco de contaminação da cordinha por bactérias eventualmente presentes nas fezes.

9. Depois de sair da piscina ou do mar, ele precisa ser retirado imediatamente?

Apenas se você sentir que ele encharcou ou começou a vazar, mas isso não é comum. Se estiver no lugar certo, a água não penetra na vagina.

10. Como saber se está no lugar certo?

É fácil: se você ficar incomodada, significa que o absorvente está mal colocado. O lugar certo é a pelo menos 1 centímetro de distância da entrada da vagina (intróito vaginal), uma porção que é menos enervada, portanto tem sensibilidade menor.

11. Qual é o melhor jeito de introduzi-lo?

Em pé, com uma perna flexionada e o pé apoiado no vaso sanitário. Ajeite o absorvente entre os dedos indicador e polegar, formando uma pinça, introduza e empurre com o indicador até a metade do dedo ou use o aplicador.

12. Há algum tipo de contraindicação?

Não. Até virgens podem usar. Mas é interessante ir antes ao ginecologista para checar o tipo de hímen – a maioria das mulheres tem abertura circular, que não oferece resistência, porém algumas podem apresentar uma película no meio, que inviabiliza a introdução do absorvente.

Segundo a médica, ele pode ser usado mesmo na presença de candidíase, que se caracteriza por corrimento esbranquiçado, coceira e ardor. Durante a menstruação, como a vagina fica lubrificada pelo sangue, esses sintomas costumam dar trégua.

“Em geral, o absorvente interno é mais higiênico que o externo, uma vez que o sangue menstrual não fica em contato com a vulva”, explica Graciela.

13. O coletor menstrual é uma boa alternativa?

O copinho de silicone, existente no mercado em dois tamanhos, inserido na vagina para recolher o sangue menstrual, é ecologicamente correto: diminui os gastos com absorventes e a produção de lixo.

Porém requer mais atenção na introdução e na higienização. “A abertura tem que estar virada para o colo do útero, senão o sangue vaza”, adverte a médica.

“É preciso retirá-lo a cada quatro horas e lavar muito bem antes do próximo uso, do contrário pode levar bactérias para a vagina.”

Continua após a publicidade

  • Absorvente Interno
  • Saúde da Mulher

Источник: https://boaforma.abril.com.br/saude/13-perguntas-e-respostas-sobre-absorvente-interno/

Absorvente interno – como colocar, como tirar, riscos e dúvidas frequentes

Como usar o absorvente interno (O.B) de forma segura

Pode até parecer um assunto ultrapassado, mas o absorvente interno ainda é um tabu para muitas mulheres. Aliás, é bem comum encontrar por aí mulheres que nunca usaram esse tipo de absorvente. Claro a fama do absorvente interno, ginecologicamente falando, não é das melhores; mas muitas deixam de usar o produto por não saber colocar, por exemplo.

Basicamente, esse tipo de absorvente é bem mais prático e também possui muitas vantagens quanto o uso. Além de ser mais discreto que o absorvente comum, ele também é menos incômodo. Outra vantagem do absorvente interno é a possibilidade de entrar na água, sem riscos, mesmo durante a menstruação.

Aliás, caso você tenha interesse em saber, as vantagens também são enormes para quem opta pelo copinho coletor. Claro que esse é um assunto para um outro momento. Contudo, caso queira saber mais sobre o assunto, nós temos um post sobre isso por aqui.

No entanto, voltando ao absorvente interno; mesmo com todas suas vantagens, ele  não é o mais usual no dia a dia da mulherada. Ainda surgem muitas dúvidas quanto ao modo correto de uso e se existem contraindicações.

Abaixo, como você vai ver, fizemos uma combo de informações capazes desmistificar esse assunto.

Como usar o absorvente interno?

1. Primeiramente, para introduzi-lo, o melhor jeito é você ficar em pé. Ficar com uma perna flexionada e o pé apoiado no vaso sanitário, por exemplo, costuma ajudar muito.

Porém, caso essa posição não te deixe confortável, o melhor jeito é você ir testando. Encontrar sua posição mais confortável é o ideal, e vai garantir que o absorvente interno seja introduzido corretamente. Vale ressaltar que ele também pode ser inserido com você deitada, com as pernas flexionadas; sentada no vaso sanitário, ou de cócoras.

2. Após a escolha da posição, você deve retirar o plástico que protege o absorvente. Então, é preciso segurar o fiozinho do absorvente interno. Nesse momento, é seguro ainda fazer um teste, puxando o fio, para saber se ele está bem preso ao produto.

3. Em seguida, ajeite o absorvente entre os dedos indicador e polegar, de modo que forme uma pinça. Logo após, você já pode introduzi-lo, empurrando com o indicador. O correto é que a metade do dedo seja encoberta, durante a inserção.

Mas, claro, existem marcas que também oferecem o aplicador. Nesse caso, a profundidade correta já é dada pelo acessório.

4. Então, quando ele estiver todo para dentro, empurre suavemente até sentir que o absorvente atingiu um obstáculo.

Como saber se está certo e como tirar o absorvente interno?

5. Por fim, retire o dedo indicador. O fio do absorvente interno, aliás, precisa estar para fora, nesse momento. Afinal, é ele que vai garantir que você retire o absorvente sem dificuldades.

6. Depois de colocar, você só precisa verificar se ele está no lugar correto. Assim, se você sentir algum tipo de desconforto, é porque ele pode estar no lugar errado.

Caso isso ocorra, o melhor a fazer é tentar introduzir o dedo indicador e empurrar o absorvente um pouco mais para o interior.

7. Se o desconforto persistir, retire o absorvente e introduza um novo. É importante destacar que o lugar correto do absorvente é pelo menos 1 centímetro de distância da entrada do órgão, no introito vaginal. Na verdade, é uma porção menos enervada, portanto possui uma sensibilidade menor.

8. Por fim, para retirar o absorvente interno, você deve puxar com suavidade o fio que fica pendente.

Riscos do absorvente interno

Basicamente, como já sabemos, o absorvente interno é realmente bem mais prático e também confortáveis. Porém, usá-lo também requer cuidados e um pouco mais de atenção.

Por exemplo, o ideal é fazer a trocar com frequência. Portanto, o tempo máximo indicado para ficar com o mesmo absorvente interno é de 8 horas.

Até porque o absorvente é composto por algodão, que absorve o fluxo. Resumidamente, isso aumenta o risco de infecções bacterianas, as quais poderão ser capazes de alterar a flora da vagina.

Agora, se você esquecer de retirá-lo por vários dias, a situação pode ser ainda mais crítica. De forma geral, é possível que ocorram inflamações também no útero e nas trompas. Em casos mais graves e raros, a bactéria pode atingir a corrente sanguínea, causando infecção generalizada, por exemplo.

Abaixo, listamos algumas possíveis complicações do uso indevido desse tipo de absorvente.

Síndrome do Choque Tóxico (SCT)

Essa é uma síndrome rara. Basicamente, ocorre 1 caso a cada 100 mil mulheres que utilizam o absorvente interno.

A síndrome, aliás, se trata de uma infecção bacteriana associada ao uso prolongado de tampões. Uma de suas possíveis consequências é a insuficiência renal aguda e, em casos mais extremos, até a morte.

No entanto, essa síndrome é marcada pela proliferação de um tipo específico de bactéria, a Staphylococcus aureus. Ela existe naturalmente na pele humana, contudo ao se multiplicar de forma intensa, ela pode cair na corrente sanguínea. É essa a causa da SCT.

E a principal forma de evitar que ocorra essa síndrome é não usando o absorvente por mais de 8 horas. Esse, como já mencionamos, é o tempo limite indicado pelos fabricantes. Caso você use por muito tempo, pode levar ao crescimento descontrolado do micro-organismo e de contaminação.

1. Como devo escolher o tamanho do absorvente interno?

Basicamente, esse critério você terá que levar em conta se o seu fluxo é muito ou pouco. Portanto, você não precisa se preocupar com o tamanho da vulva. Até porque a vagina é elástica, ou seja, ela consegue se adaptar facilmente com o produto.

Sobretudo, vale destacar que o tamanho super é para as mulheres que possuem um sangramento abundante. Já o míni é para as meninas que sangram pouco.

5. Quem tem DIU pode usar esse tipo de produto?

Sim, basicamente, os dois são inseridos em locais diferentes. Ou seja, o dispositivo anticoncepcional é inserido pelo ginecologista dentro do útero, já o absorvente fica na vagina.

Por isso, não existe perigo de quando for tirar o absorvente, retirar também o DIU. Até porque, o absorvente é colocado na entrada da vagina enquanto o DIU fica mais no alto, saindo apenas 1,5 centímetro para fora do colo do útero.

6. O que fazer se a cordinha sumir?

Primeiramente, vale ressaltar que é muito raro da cordinha arrebentar. Porém, existem casos em que ela pode dentro da vagina.

Portanto, nesse caso você deve pegar uma pinça com os dedos e puxar ou então, introduzir o dedo indicador na vagina, localizando o fio e puxando para fora. Agora se não der certo, vá ao seu ginecologista.

Mas, calma. Tudo pode ser resolvido. E você se desesperar em momentos assim, é bem pior.

7. Depois de sair da piscina ou do mar, ele precisa ser retirado imediatamente?

Não existe uma regra clara para isso. Como já dissemos, o ideal é não ultrapassar de 8 horas no seu corpo. Agora se você se sentir desconfortável com ele após o banho de piscina ou de mar, é melhor você trocar.

Além do mais, vale ressaltar que se ele estiver no lugar certo, a água não irá penetrar na vagina. Portanto, se você sentir que ele encharcou ou que começou a vazar, é porque você pode ter colocado no lugar errado. Por isso, recomenda-se trocar.

8. Há algum tipo de contraindicação?

Não, tanto é que até virgens pode usar. Porém, é importante você ir ao ginecologista antes para checar o tipo de hímen.

Até porque, a maioria das mulheres possuem uma abertura circular, que não oferece resistência. Porém algumas podem apresentar uma película no meio, o que inviabiliza a introdução do absorvente.

No mais, eles podem também ser usados até mesmo em casos de candidíase. Ou seja, quando você está com corrimento esbranquiçado, coceira e ardor.

9. O coletor menstrual é uma boa alternativa?

Claro. Primeiramente, ele é bem mais ecológico que os demais absorventes. No mais, ele existe no mercado em dois tamanhos diferentes. Porém, ele requer mais atenção na introdução e na higienização do mesmo. Basicamente, a abertura dele deve estar virada para o colo do útero, para o sangue não vazar.

Além do mais, ele deve ser retirado a cada quatro horas e também lavar muito bem antes do próximo uso. Caso não lave da forma correta, você pode levar bactérias para a vagina.

Ainda têm dúvidas sobre o absorvente interno?

Leia mais: Menstruação: 10 dúvidas comuns, mitos e verdades sobre o assunto

Fontes: Boa forma, A revista da mulher

Imagens: Boa forma, A revista da mulher, Vix, Veja SP, Portal do Zacarias, Boa forma, MVS Notícias, Tupa city, Elo 7, Dicas da doutora, Vix

Источник: https://areademulher.r7.com/dicas-truques/absorvente-interno/

Como colocar O.B.® de forma correta? Confira o passo a passo que a gente preparou!

Como usar o absorvente interno (O.B) de forma segura

Aprender a colocar o absorvente interno é apenas uma questão de prática. O mais importante é você estar relaxada e seguir o passo a passo indicado pela marca no folheto direitinho.

Quando colocado corretamente, você não sente nenhum incômodo e fica muito mais confortável durante o período menstrual. Se essa for a sua primeira vez usando esse tipo de produto, recomendamos começar pelo O.B.® ProComfort Mini.

Ah! É muito importante lavar as mãos antes de manusear o produto na vagina, tá? Confira o infográfico para aprender a usá-lo!

Abrir do jeito certo é importante para preservar o produto
 

Para evitar qualquer contaminação, é muito importante manter o lacre higiênico do O.B.® antes de usá-lo. Evite deixar a caixinha no chão ou algumas amostras jogadas em uma gaveta para não correr risco de danificá-las. O ideal é você mantê-lo em um local limpo e alto. Confira o passo a passo para descobrir como abrir o absorvente interno corretamente!

1) Com as mãos limpas, retire a parte de baixo do plástico protetor de O.B.® puxando a fita colorida central;

2) Estique o cordão azul e comprove sua resistência;

3) Gire o cordão em movimentos circulares para abrir a base de O.B.®;

4) Assim que a base estiver mais aberta, encaixe seu dedo indicador nela;

5) Com o dedo indicador já encaixado na base de O.B.®, remova a parte de cima do plástico protetor.

Relaxe para facilitar a colocação do O.B.®
 

Na hora de colocar O.B.®, nossa dica é que você esteja relaxada e escolha uma posição confortável para facilitar a colocação. Uma opção é que você fique de pé, com uma perna apoiada em um lugar mais alto, com as pernas separadas e flexionadas; ou então sentada, com os joelhos separados.

1) Com a mão que está livre, abra delicadamente os lábios da entrada da vagina, colocando a ponta do O.B.® na abertura;

2) Bem relaxada, empurre o produto devagar até a vagina, usando todo o comprimento do dedo indicador;

No começo você pode sentir alguma resistência, o que é natural por conta dos músculos dessa região, que ajudam a segurar o O.B.® no lugar. Então relaxe um pouco e continue a empurrar até que fique na posição certa. E Pronto! Ele já está corretamente posicionado! Não esqueça de manter o cordão para fora de seu corpo para auxiliar na remoção do produto, tá?

Na hora de tirar…
 

A retirada deve ser feita segurando firmemente o cordão e puxando-o lentamente. Você pode sentir alguma resistência natural, já que o O.B.® se expande nas laterias durante o uso. Tente ficar mais relaxada ao puxar o cordão, pois isso ajuda na retirada.

Caso tenha dificuldade de achar o cordão você pode fazer força na posição de cócoras, o que irá facilitar a descida do tampão. Se você não conseguir remover o O.B.®, ligue para sua ginecologista para pedir orientação! Além disso, sempre confirme se o absorvente interno usado foi retirado do corpo antes de inserir um novo produto.

Também é importante ficar atenta ao tempo máximo de até 8 horas de permanência com o mesmo O.B.®. 

Como saber se o O.B.® está bem colocado?
 

Quando o absorvente interno está no lugar certo, você nem sente a presença dele em sua vagina e também evita vazamentos. A dica é dar algumas voltinhas pela casa ou sentar após colocá-lo e, se sentir algum desconforto, não ter medo de empurrar mais um pouco para dentro, afinal ele não corre risco de sumir.

Posso ir ao banheiro usando o absorvente interno?
 

Você pode ir ao banheiro normalmente usando o O.B.®, até porque a uretra, a vagina e o reto são três áreas independentes, então cada um tem a sua abertura e o absorvente interno entrará apenas na vagina. Porém, como a cordinha do O.B.® pode ficar molhada de urina, nossa dica é você aproveitar este momento para fazer a troca por um novo ;)  

Como o absorvente interno retém o fluxo menstrual? 

 É importante reforçar que O .B.® não prende o fluxo menstrual dentro da vagina. Ele possui canais curvos que direcionam o fluxo menstrual para dentro do absorvente interno, absorvendo o sangramento e se expandindo lateralmente. Outra vantagem de usar O .B.® é que ele se adapta ao contorno do seu corpo oferecendo máxima proteção e conforto.

Quais são os riscos de vazar? 

Assim como qualquer absorvente, também existe risco de vazar usando O .B.®. O ideal é sempre usar o tamanho do absorvente interno de acordo com a quantidade de fluxo menstrual. Se o seu fluxo for intenso, escolha o tamanho super. Para fluxos leves e moderado, o indicado é o uso do tamanho mini e médio, respectivamente. 

Posso usar O .B.® mesmo sendo virgem? 

Não há problema nenhum em usar O .B.® mesmo sendo virgem. O absorvente interno não é capaz de romper o hímen, pois ele tem um diâmetro suficiente para a colocar e retirar o tampão.

Além disso, o hímen é uma membrana que pode se estender sem se romper. Se mesmo assim você se senti insegura, uma ica é escolher os tamanhos menores, como o médio e mini.

Eles são menores e mais fáceis de se adaptar. 

O .B.® pode ser usado a partir de que idade?

 Não existe uma idade certa para começar a usar O .B.®. O ideal é que a mulher se sinta confortável segura, pois usar absorvente interno exige mais conhecimento do corpo e da genital. Por isso, antes de usar pela primeira vez, busque orientação com um ginecologista e pesquise bem como colocar.

*Matéria atualizada em 06/12/2019

Источник: https://www.sodelas.com.br/noticia/como-colocar-o-ob-de-forma-correta-confira-o-passo-a-passo-que-a-gente-preparou

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: