Como vencer a insônia sem remédio

Como vencer a insônia sem remédios

Como vencer a insônia sem remédio

As preocupações do seu dia lhe perturbam durante a noite? Você tem dificuldade para dormir e acaba vendo o dia amanhecer assistindo televisão, ou olhando para o teto? Se ficar em repouso é algo incômodo para você, a esperança surge em um comprimido para dormir todas as noites, apenas para conseguir fechar os olhos por alguns momentos.

Esse é um cenário muito comum e familiar para grande parte (senão todos) os empreendedores, com suas dúvidas, dívidas, e milhares de problemas.

Sendo assim, aqui vão algumas dicas preciosas para superar a insônia sem a ajuda de medicamentos:

1. Evite alimentos processados

Você provavelmente está começando a notar um padrão: mudar a sua dieta é a chave para manter uma saúde invejável.

Isso vale para as pessoas que comem alimentos com grande quantidade de açúcar refinado, farinhas processadas, realçadores de sabor cheios de química, corantes, óleos perecíveis e conservantes. As pessoas não estão recebendo os nutrientes de que necessitam com o consumo desses alimentos.

Os acúcares e os hidratos de carbono, por exemplo, são rapidamente absorvidos na corrente sanguínea, onde tentam interferir nos padrões normais do sono.

“Os corantes artificiais podem ser os culpados, uma vez que esses corantes químicos desencadeiam uma resposta estimulante que pode colocar o seu corpo em luta, aonde a adrenalina (cortisol) e os outros hormônios são liberados em excesso, sinalizando para o seu corpo que está na hora de se manter acordado e em alerta”

Corte os alimentos processados de sua dieta, especialmente a partir do momento em que o sol se põe até quando for para a cama. Isso pode ajudar a promover a tranquilidade e a calma, além de se preparar para o sono.

Reduza ao máximo o açúcar. Além de dormir melhor, você viverá mais.

2. Fortaleça sua dieta com super-alimentos

A partir do momento em que cortar alguns alimentos de sua dieta deixar um vazio na sua alimentação é importante que eles sejam substituídos por outros alimentos mais adequados.

No caso de insônia frequente, o consumo de frutas e verduras orgânicas são uma contribuição muito importante para a sua dieta, uma vez que elas promovem a alcalinidade e elimina o consumo de outros nutrientes que possam ser causadores da insônia.

Muitas pessoas relataram sucesso em superar a insônia mudando a dieta completamente para o consumo de alimentos alcalinos, pelo menos por alguns dias. Junto com isso, o consumo de grandes quantidades de verdes podem ajudar a nivelar o seu sistema nervoso.

Alimentar o seu corpo com doses superconcentradas de frutas e legumes, bem como um conjunto diversificado de alimentos probióticos, microalgas e outros alimentos que você provavelmente não esteja comendo o suficiente.

Sucos frescos, frutas e vegetais orgânicos pela manhã e mistura de um complemento alimentar verde é uma excelente maneira de começar o dia com o pé direito. Isso vai permitir pronto para dormir assim a que noite chega.

3. Desligue todos os equipamentos eletrônicos

Para que o seu corpo consiga entender que está na hora de começar a produzir os hormônios do sono, como a melatonina, é necessário se manter afastado das fontes de luz.

O brilho constante que aparelhos como televisão, computador, tablet e celulares emanam, basicamente mandam sinais para o cérebro de que ainda é dia e isso inibe a produção de hormônios do sono.

“Nós todos sofremos com poluição luminosa. Temos luzes diariamente e em todos os momentos do nosso dia, o que mantém nosso cérebro cronicamente acordado. Além disso, a maioria das pessoas não têm ideia de quanto a escuridão é essencial para uma boa noite de sono”

4. Gaste energia com exercícios diários

Outra causa comum de insônia é a falta de exercícios físicos, o que cria sonolência natural em seu corpo depois de um longo dia.

Muitas pessoas sentam-se em ambientes fluorescentemente iluminados durante a maior parte do dia, e volta para casa gastando o seu tempo sedentário no sofá, assistindo televisão.

Ao praticar pelo menos 30 minutos de atividade aeróbica moderada diariamente, mesmo que isso signifique uma caminhada em torno do bairro, ou levantar alguns pesos leves (se você for homem), você naturalmente fadiga o seu corpo para que o sono venha ao final do dia.

O corpo precisa exercer energia para chegar fisicamente cansado ao final do dia. E este esforço de energia tem mostrado, através de vários estudos têm mostrado na verdade funcionar melhor do que as pílulas para dormir e induzir o sono e ajustar melhor a qualidade do sono.

Técnica de respiração de Dr.Andrew Weill, muito recomendada:

___

Este artigo foi adaptado do original, “How to overcome insomnia without prescription drugs”, do Natural News.

Alimentação, Empreendedorismo, Insônia, saúde

Источник: https://jornaldoempreendedor.com.br/destaques/vida-saudavel/como-vencer-a-insonia-sem-remedios/

Como dormir melhor sem o uso de remédios?

Como vencer a insônia sem remédio

É impressionante a quantidade de pessoas que não consegue dormir sem o uso de remédios.

Afinal, existe uma justificativa biológica para o fato de passarmos 1/3 da vida dormindo.

O sono é um período de repouso essencial para que nosso organismo comece a reorganizar os seus sistemas para uma nova jornada.

Durante o sono, nosso sistema imunológico é reforçado, as nossas células são renovadas, ocorre a neutralização  dos radicais livres e nossa memória é consolidada.

Assim, muitas pessoas que sofrem com distúrbios do sono acabam vendo nos remédios uma solução rápida para os tantos males da insônia.

A medicina alternativa traz opções menos nocivas e tão eficazes quanto para o tratamento dos distúrbios do sono. Este é um assunto longo mas que merece a sua atenção.

Remédio como primeira opção?

Antes de optar pelo uso de um indutor do sono, ansiolítico ou qualquer remédio para tratar uma insônia, é fundamental refletir se realmente existe essa necessidade.

Porque, apesar de ser de fácil acesso, remédio é remédio.

Apesar dos benefícios pontuais,  não tragam também transtornos para a sua saúde. Vou dar um exemplo clássico:

Para tratar um distúrbio de sono, começa-se com um medicamento, e com o tempo aumenta-se a dose, vai para outro porque perdeu o efeito e assim sucessivamente.

Seu sono pode estar aparentemente regulado, mas você estará tomando um verdadeiro coquetel de medicamentos com potencial altamente aditivo, além de vários outros efeitos colaterais.

Os remédios para sono são de uso contínuo: se você precisa fazer uso deles permanentemente, quer dizer que não está curado. Os alívios de melhoria de sono são apenas paliativos.

Em outras palavras, tapamos o sol com uma peneira.

Além disso, todas as vezes que fazemos uso destas medicações, nosso corpo passa a colocar como prioridade a metabolização e excreção dessas substâncias.

O organismo tentará “se livrar” deste químico durante toda a noite, através dos nossos rins e fígado, ao invés de trabalhar nas funções metabólicas essenciais do próprio sono.

Não sou de forma alguma contra os remédios. Realmente existem casos onde o uso é recomendado.

É sempre melhor que a pessoa consiga dormir com o uso do remédio do que não dormir e sofrer com todas as alterações que isso acarreta – irritabilidade, indisposição, falta de concentração, cansaço e até depressão.

Entretanto, deixo claro que existem outras formas mais naturais e menos nocivas à saúde que auxiliam em um tratamento de distúrbios de sono e que devem ser levadas em conta.

Fatores Externos

Em muitos casos, os hábitos que a pessoa mantém na hora de dormir influenciam diretamente na qualidade do seu sono. Em geral, para conseguirmos um descanso reparador, é preciso prestar atenção em alguns pontos fundamentais para dormir melhor sem o uso de remédios:

Silêncio

Nossa audição é o sentido que não desliga nunca. É por isso que acordamos ao som do despertador.

Dormir com música ou com excesso de barulhos externos pode estar prejudicando o seu corpo na tarefa de produzir toda a cadeia hormonal e de outras centenas de substâncias produzidas especificamente durante o sono.

Ambiente Escuro

E falo de escuridão total. Nosso corpo é primitivo e sabe quando é dia ou noite graças a mudança de claridade. É claro, com o tempo e a evolução da eletricidade, a noite tornou-se tão clara quanto o dia.

Nossas células fotossensíveis e suas funções são reguladas exatamente por essa noção de luminosidade ou escuridão.

Se você dorme com a televisão ligada (aliada ao barulho, que comentei antes), ou até mesmo com a porta do quarto aberta para um corredor com iluminado atrapalha a sensibilidade celular e confunde nosso corpo.

Se você mora próximo a um local com muito barulho ou não consegue por algum motivo alcançar a escuridão necessária na hora de dormir, invista em um tampão de ouvidos e de olhos, que é a mesma solução que uso quando me vejo tendo de dormir nestas condições.

Desacelere o ritmo

Diminua os estímulos na hora de dormir. Evite se possível atividades físicas, assistir televisão, trabalhar e mexer no celular (no máximo leia um livro).

Assim você consegue condicionar seu corpo para que a hora que você vá para a cama ele entenda que é hora de dormir. Diminua barulho, luzes, telas de TV e computadores e vá preparando o seu corpo para o sono.

Refeições pesadas

Comer muito próximo a hora de dormir não é aconselhado se você deseja uma boa noite de sono.

Eventualmente, é claro que irá acontecer, mas é importante que você não torne essa prática uma rotina.

Quando nos alimentamos em excesso, nosso corpo passa a preocupar-se com a digestão desse alimento, deixando de lado todas as funções que normalmente realiza enquanto dormimos.

Substâncias naturais

Estes fatores citados acima são importantes, mas talvez não sejam suficientes para resolver o seu problema com a insônia.

De qualquer modo, não é preciso partir de imediato para um tratamento através de medicamentos para tratar sua insônia.

Ainda existem outras possibilidades a serem exploradas: substâncias naturais, que já são utilizadas a milhares de anos. Falo de fitoterápicos que bioquimicamente agem na indução do sono. Dos quais destaco:

Maracujá

Indico principalmente consumir o maracujá na forma de um chá quente. O calor irá ajudar a induzir a sensação de aconchego, ideal para a hora de dormir.

A passiflora presente na planta do maracujá estimula o GABA – importante neurotransmissor que acalma, baixa os níveis de cortisol, baixa nosso estresse e melhora a qualidade do sono.

Camomila

Novamente na forma de chá, a camomila age na diminuição da ansiedade. A Glicenia, substância presente na planta, exerce um efeito calmante sobre nossos nervos.

Além disso, os flavonoides (composto bioativo da camomila) possuem uma ótima ação anti-inflamatória e antioxidante – fornecendo um benefício global para a saúde.

Extrato de Valeriana

Pode ser encontrado facilmente em lojas de produtos naturais na forma de cápsulas e extratos.

Contendo compostos importantes que a tornam funcional não apenas para a melhora do sono, a Valeriana também age na redução da ansiedade. Entre esses compostos cito o ácido isovalérico, o ácido valerênico e antioxidantes.

Leia também: Sono ruim e má nutrição estão relacionados, apontam estudos

Chá de Lúpulo (Humunus Lupus)

Também conhecido por engatadeira, vinha-do-norte e pé-de-galo, possui uma série de benefícios e se mostra uma boa opção para aqueles que sofrem com distúrbios do sono. Entre eles:

  • Tratamento da agitação, taquicardia, ansiedade e perturbações do sono
  • Alivia as dores de cabeça, de dentes, de estômago, ouvido e outras dores comuns
  • Auxilia na eliminação das toxinas do organismo

Cito ainda o Inositol, a Taurina e a Relora como alternativas naturais a serem pensadas antes de se partir para o uso de medicamentos – todas as substâncias acima podem ser encontradas em lojas de produtos naturais.

Melatonina

A Melatonina é a substância mais importante para a regulação do sono e não é por acaso que seja conhecida como o “hormônio do sono”!

Secretada principalmente pela glândula hipófise no cérebro durante a escuridão, ela serve, entre outras coisas, para modular o ciclo circadiano do nosso relógio biológico. A melatonina ainda serve como:

  • Neuroprotetor
  • Antioxidante
  • Antidepressivo
  • Neutralização a imunodepressão induzida pelo estresse
  • Elevação dos níveis de linfócitos (glóbulos brancos que agem como defesa do nosso organismo)
  • Elevação da capacidade imunológica durante o inverno (quando aumentam os fatores de estresse ambiental)
  • Ativação do sistema de citocinas anti-inflamatórias

Toda substância que já existe na natureza, como é o caso da melatonina, é considerada como bioidêntica e não pode ser patenteada, ou seja, nenhuma empresa pode comprar os seus direitos de produção e venda.

Não existem indústrias interessadas na comercialização da Melatonina: a substância competiria no mercado com as drogas patenteadas e qualquer farmácia de manipulação poderia produzir e vender este hormônio por preços muito mais baixos.

A produção de melatonina pode ser estimulada através de fitoterápicos e principalmente de uma substância conhecida como 5-HTP (Cinco Hidroxitriptofano) que pode ser manipulado.

Porém, o uso da melatonina deve ser prescrito e não é para todos.

Quem deve recomendar seu uso é um especialista que esteja a par do caso específico de cada paciente. A prescrição deve ser pensada e ponderada com base nos hábitos do indivíduo e deve-se investigar a causa deste déficit antes de qualquer coisa.

Quando uma pessoa utiliza melatonina e ainda não consegue alcançar os resultados desejados, é porque existe uma alteração em alguma outra parte que deve ser ajustada dentro de cada metabolismo individual.

Leia também: Qual é a relação entre sono e magnésio?

E se eu já uso remédios para dormir?

O ideal seria diminuir gradativamente o uso destas substâncias e inserir aos poucos alternativas mais naturais. Desta forma auxiliando o paciente no “desmame” dos remédios.

Tenho uma enorme responsabilidade com aquilo que escrevo.

São anos de pesquisa e estudos por trás dos conceitos que trago através de meu blog e redes, buscando desmistificar os tantos equívocos acerca da saúde humana para que você que está lendo possa ver também o outro lado da moeda antes de tomar as decisões.

Mas saiba: é possível alcançar uma boa qualidade de sono e dormir sem o uso de remédios! Falo mais sobre o assunto neste artigo.

Se você tem amigos ou é alguém que utiliza remédios para dormir, pesquise. Leia sobre o assunto e faça suas próprias reflexões.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do .

Uma aula sobre Depressão e Falta de Energia

Preparei uma aula exclusiva sobre Depressão e Falta de Energia. Nessa aula, explico como os nossos hábitos de vida influenciam diretamente em nossa saúde e bem-estar.

Assista agora de forma 100% gratuita: Aula Depressão e Falta de Energia.

Se este artigo te ajudou, meu livro pode te ajudar mais

O livro digital QUERO VIVER 150 ANOS é uma coletânea de tudo que você precisa saber para viver longos anos de vida com máxima energia e vitalidade.

Esse material pode mudar radicalmente a sua opinião sobre saúde. E vai mudar também o seu conceito sobre longevidade humana e o seu futuro.

Para garantir o seu livro digital, basta clicar abaixo e solicitar esse material 100% on-line:

Dr. Victor Sorrentino

Источник: https://drvictorsorrentino.com.br/como-dormir-melhor-sem-o-uso-de-remedios/

Não consegue dormir? 7 maneiras de combater a insônia sem remédio

Como vencer a insônia sem remédio

Quem já sofreu com insônia sabe: a sensação de saber que você vai ter que levantar em algumas horas e simplesmente não conseguiu desligar é aterrorizante. Mas, antes de apelar para os remédios (que podem causar vícios e danos ao corpo), veja aqui as consequências e sinais de um sono ruim e experimente essas x maneiras de combater a insônia sem remédio.

“A insônia é a dificuldade para pegar no sono e manter-se dormindo por horas suficientes, apesar das condições ideais. Ela pode ser aguda, e durar menos de 3 semanas, ou crônica. Nesse último caso, ocorre pelo menos três vezes na semana, em períodos superiores a um mês.

As causas mais comuns da insônia aguda são os fatores estressores, como mudança no ambiente de dormir, alterações no turno de trabalho, uso de substâncias estimulantes (como cafeína e nicotina), estresses psicológicos intensos, entre outros.

Já a insônia crônica tem como principal causa a má higiene do sono, e, em menor frequência, pode estar ligada a doenças neurológicas, como Mal de Parkinson ou Alzheimer”, explica Gustavo Mury, otorrinolaringologista do Hospital CEMA.

Consequências da insônia

“A qualidade de sono é um dos grandes pilares da medicina do estilo de vida e, hoje, sabemos que um sono ruim pode ser responsável por vários problemas de saúde.

Desde hipertensão arterial e obesidade até quadros de demência precoce, já que o sono é diretamente relacionado à saúde cognitiva.

O sono ruim pode levar também a quadros mentais como ansiedade, perda de concentração e depressão”, ensina Aline Lamaita, Cirurgiã vascular e angiologista, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Sinais de que você não está dormindo bem – e não está percebendo

Há ainda pessoas que não passam a noite em claro mas ainda acordam com cansaço todo dia, devido a um sono agitado. “Irritabilidade, dificuldade de concentração e cansaço durante o dia podem ser sinais de que seu sono não está sendo reparador, mesmo se você tem a impressão que dormiu tempo suficiente.

Pode ser um sinal de que a qualidade do sono não está sendo ideal”, aponta Aline. Algumas aplicativos para celular detectam de maneira superficial a qualidade do sono, monitorando sua movimentação durante a noite.

É uma ferramente que ajuda mas para realmente detectar se você está com problemas para dormir sem perceber, o ideal é procurar um profissional especializado em distúrbios do sono.

Pexels/Reprodução

7 maneiras de combater a insônia sem remédio

1. Guarde a cama para dormir e para o sexo

Se você a usar para outras atividades, como trabalhar, comer, ou assistir TV, seu cérebro afasta a associação do móvel com o sono e corre o risco de desenvolver hábitos que levam à insônia, explica Gustavo.

2. Medite

É difícil se desligar quando você teve um dia muito agitado ou terá um pela frente. Infelizmente, o nosso cérebro não tem um botão de liga e desliga.

Por isso, a meditação é um ótimo exercício de conscientização para relaxar.

A respiração profunda vai ajudá-lo a desligar das atividades e pensamentos sobre o mundo exterior (como preocupações com atividades do dia seguinte), se concentrar e dormir melhor.

3. Mantenha um horário consistente

Manter uma rotina de sono é importante para aqueles com insônia crônica. Tente não dormir mais cedo que um horário determinado mas manter a hora com a qual o seu corpo está acostumado.

A única exceção é se você realmente não estiver cansado no horário determinado, então precisa esperar até que seu corpo desacelere, mas fique longe de tecnologia e alimentos pesados enquanto espera o sono vir, já que esses fatores vão atrapalhar seu sono, como explicamos a seguir.

4. Não cheque o relógio ou celular

Se você acordar no meio da noite e não pode voltar a dormir, não olhe para o relógio. Se fizer isso, é provável que comece a pensar sobre quanto tempo falta para o alarme disparar, e isso não vai lhe fazer nenhum bem.  O telefone é proibido nessa hora, já que a sua luz azulada pode perturbar ainda mais o sono. Portanto, resista!

5. Monte o ambiente ideal

Segundo Gustavo e Aline, qualquer forma de energia é contra-indicada dentro do quarto. Deixe a televisão restrita à sala, para evitar que a luz azul reprima a produção do hormônio do sono. Além disso, a temperatura amena (em torno de 21ºC) é a ideal para a produção hormonal correta. Também promova um ambiente silencioso e com pouca luz.

6. Pratique atividade física durante o dia

Segundo Aline, a prática, além de gastar energia, ajuda a regular a produção hormonal, diminuindo as chances de insônia. Mas preste atenção: Gustavo chama atenção para limitar a prática a até no máximo 2 horas antes da sua hora de dormir, já que a atividade causa um pico temporário de energia logo após ser feita.

7. Faça refeições leves antes de dormir

Nutrientes de difícil digestão como gordura ou carboidratos simples vão exigir mais do nosso corpo para serem processados, fazendo com que o corpo se mantenha desperto.

Procure comer apenas proteínas leves (como de carnes brancas ou legumes), carboidratos leves (como grãos integrais) e saladas.

“Também fique longe de cafeína, energéticos, bebidas alcoólicas e cigarros até pelo menos 4 horas antes de dormir”, indica Gustavo

Continua após a publicidade

  • Atitudes positivas
  • Distúrbios do sono
  • Prevenção e Tratamento
  • Saúde da Mulher

Источник: https://boaforma.abril.com.br/saude/nao-consegue-dormir-5-maneiras-de-combater-a-insonia-sem-remedio/

Não consigo dormir: como saber se sofro de ansiedade ou de insônia?

Como vencer a insônia sem remédio

Pelo menos uma vez por semana me deito na cama achando que vou capotar, mas fico lá por minutos (às vezes horas), virando de um lado para o outro. Lembro sempre que minha mãe dizia: “Feche os olhos que a fada do sono vem”. Aí, sem dormir, penso que essa fada não gosta muito de mim e me exclui da festinha no mundo dos sonhos.

Pois é, quando o sono se recusa a dar as caras, minha cabeça começa a fabricar milhares de histórias e também pensar no que preciso fazer. Inclusive, foi assim que surgiu essa reportagem. Sem pregar os olhos me questionei: como sei se tenho insônia ou se estou ansiosa e por isso não durmo? 

Para encontrar a respostas e aprender a diferenciar cada problema, é preciso antes compreendê-los.

O que é insônia?

É a dificuldade de pegar no sono ou de mantê-lo durante a noite. Já se caracteriza como insônia quando você passa mais de meia hora na cama tentando dormir e não consegue. Também quando sabe que os despertares noturnos vão trazer problemas pela manhã.

VEJA TAMBÉM:

“Quem tem insônia costuma passar o dia seguinte de mau humor, com dificuldade de concentração, dor de cabeça, cansaço e até problemas de memorização. Os efeitos variam de pessoa para pessoa, alguns ficam acabados e outros não sofrem,” afirma Shigueo Yonekura, neurologista do Instituto de Medicina do Sono de Campinas e Piracicaba. 

A doença pode ser crônica, mas os médicos costumam identificar o diagnóstico ocasional quando tais contextos se repetem cerca de três vezes por semana no decorrer de um a três meses.

Os gatilhos variam e vão desde dores e doenças (de hipotireoidismo à depressão) até interferências comportamentais (como tomar muito café ou não ter rotina antes de deitar).

Vale lembrar que não há uma regra específica, cada caso é um caso.

O que é ansiedade?

Quem sofre desse mal não está sozinho, muito menos no Brasil. O país é o campeão em ansiedade de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), com impressionantes 9,3% da população.

A ansiedade pode começar como uma pulguinha atrás da orelha: você pensa em um assunto qualquer, como um trabalho que precisa entregar ou uma briga que teve, e o pensamento vai crescendo de forma descontrolada na sua cabeça.

Aparecem desde sensações subjetivas de medo, angústia e inquietação, até pensamentos catastróficos e sintomas físicos, como sudorese, tremores e falta de ar.

 

É importante consultar um médico para descobrir qual o seu real problema e começar um tratamento

Imagem: iStock

O que elas têm a ver com o sono?

É aí que a história se complica. A ansiedade e a insônia são amigas de longa data e uma gosta de aparecer junto com a outra.

Acontece que quando você está com insônia, fica lá deitado na cama pensando como o seu tempo de sono diminuiu, como precisava estar sem olheiras para a reunião amanhã, o que fará para aguentar o dia seguinte… E, assim, a ansiedade pode tomar conta da sua cabeça. Isso, é claro, se você tiver pré-disposição a ser uma pessoa ansiosa.

Resumindo, a insônia pode ser gatilho para ansiedade em pessoas sensíveis ao transtorno. Quem não tem ansiedade e tem insônia fica sem angústia na cama, mesmo sem dormir.

Por outro lado, quando estamos ansiosos, imaginando tudo que pode dar errado no mundo, aceleramos o cérebro e afastamos o sono, o que pode causar insônia, já que a mente não desliga. Assim, a insônia pode ser descrita até como um dos sintomas da ansiedade.

Ou seja, quem sofre de ansiedade tem maior tendência a ter insônia, e quem tem insônia pode agravar ou desenvolver crises de ansiedade pela falta de sono. Uma pode levar a outra.

“É claro que nem todo ansioso tem insônia, e nem todo insone sofre com ansiedade, mas o perfil das pessoas com essas tendências costuma ser parecido, são mais exigentes, controladoras, perfeccionistas.

Costumam ser aqueles que querem dar conta de tudo e, quando não conseguem, levam os problemas para a cama”, comenta Luciana Palombini, especialista em medicina do sono e médica do Instituto do Sono de São Paulo e da Associação Brasileira do Sono.

O mais comum é ver a ansiedade causando insônia, por ter aquela preocupação excessiva, dificuldade de relaxar, hipervigília, de acordo com Fabio Porto, neurologista do Hospital das Clínicas em São Paulo.

Tenho insônia ou ansiedade?

Para saber de qual problema você sofre, basta identificar quais são os gatilhos. Não dorme por estar com a cabeça transbordando de pensamentos incômodos? É mais provável que sua ansiedade esteja levando à falta de sono. Agora, se você só não consegue pregar os olhos e isso não desperta angústia, deve ser insônia.

De qualquer forma, o indicado é consultar um médico para avaliação e tratamento adequado.

Como melhorar o sono?

No caso de ansiedade, é importante consultar psicólogos ou psiquiatras para aprender a lidar com a agitação. Dependendo do caso, remédios podem ser indicados para ajudar a tranquilizar.

Quando o diagnóstico é de insônia, também podem ser receitados medicamentos, o uso deve ser sempre acompanhado por médico e em curto prazo, apenas para ajudar na reeducação e não fazer o paciente depender do remédio.

Independente da causa, especialistas afirmam que manter uma boa higiene do sono ajuda a dormir melhor. Veja dicas para conseguir manter uma rotina antes de ir para cama e turbinar a qualidade do sono:

– Cerca de 40 minutos antes de se deitar, evite eletrônicos como celular e televisão. A luz desses aparelhos desperta e inibe a melatonina, hormônio que induz ao sono.

– Não deite na cama enérgico. Se estiver muito empolgado, tente fazer uma atividade relaxante antes, para se preparar para dormir quando o cérebro não estiver funcionando em força total.

– Tente manter uma rotina de horários: acorde na mesma hora e deite sempre no mesmo período. Caso não consiga dormir, no dia seguinte não tire cochilos durante à tarde, aguente firme para regular o sono na noite seguinte.

– Quem tem distúrbios de sono deve evitar produtos com cafeína (café, chá, refrigerante) depois das 17h, para não despertar.

– Álcool não é indicado. Apesar de iniciar o sono mais rápido, bebidas alcoólicas aumentam a tendência de acordar durante a noite e respirar mal durante o sono.

– Só ingira comidas pesadas até duas horas antes de dormir. Refeições completas alteram o metabolismo e influenciam no sono. Se tiver fome, opte por algo leve como frutas.

– Faça exercícios, eles podem ajudar a cansar o corpo e dar mais sono ao fim do dia. Mas termine de malhar, no máximo, três horas antes de dormir. Caso contrário, a atividade física pode acelerar o metabolismo e deixar você elétrico em um horário em que é necessário se acalmar.

– Seu quarto precisa estar confortável, nem muito frio, nem muito quente, bem escuro, com pouco barulho e roupa de cama adequada para estação do ano.

– O travesseiro também é importante, você não deve ficar com a cabeça nem muito alta, nem muito baixa. A melhor posição para dormir bem é de lado (tanto faz qual), com os joelhos levemente dobrados em direção ao abdômen.

– Exercícios de respiração e meditação podem ajudar a relaxar antes do sono, se não conseguir dormir ou se despertar durante a noite.

– Se não dormir em meia hora, levante. Faça uma atividade mais monótona, como ler um livro, para ficar sonolento. Só volte ao quarto quando o sono aparecer. Ao ficar muito tempo na cama sem dormir e irritado você pode ensinar o cérebro que o colchão não é um lugar de relaxamento e, sim, de estresse. Uma vez que essa ligação for estabelecida, fica ainda mais difícil de dormir ali. 

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
 – Instagram – 

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/11/12/nao-consigo-dormir-de-jeito-nenhum-e-insonia-ou-ansiedade.htm

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: