Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

Dieta do Tipo Sanguíneo: Saiba como funciona e o que evitar – Cuidaí

Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

A Dieta do tipo Sanguíneo foi desenvolvida pelo médico naturopata Peter D’Adamo e publicada no livro “Eat right for your type” (“Coma certo para o seu tipo”), em 1996. A ideia é que cada grupo sanguíneo evite ou priorize determinados alimentos.

De acordo com as características do indivíduo, o ingrediente correto pode ajudar em processos inflamatórios, melhorar o sistema imunológico e favorecer o metabolismo. O resultado é o emagrecimento, o bem-estar, a melhora do estado emocional e a mudança nos hábitos.

Leia também: Dieta da proteína: cardápio e como fazer para emagrecer (emagreça com o Tecnonutri)

Saber a tipagem sanguínea, O, A, B ou AB, é importante para entender a necessidade do organismo, e até evitar aquelas comidas que não caem bem. A disciplina alimentar mantém o pH mais próximo do alcalino. 

Três categorias de alimentos:

Muito benéficos: protetores e indispensáveis nas refeições diárias. São capazes de evitar e tratar doenças, assim como favorecer a perda de peso

Neutros: não fazem bem,nem mal. Não curam doenças e podem ser consumidos com frequência ou não. Sempre com moderação

Poucos benéficos: Devem ser evitados ao máximo porque deixam o pH ácido. Contribui para o ganho de peso e para o acúmulo de gordura. Podem agravar doenças

Tipo O

Conhecido como o grupo mais antigo, um caçador. Devem seguir uma dieta rica em proteínas animais diariamente. A falta de carne pode desenvolver doenças no sistema digestivo devido a alta produção de suco gástrico.

Carnes e peixes: bovina, de carneiro, cordeiro, vitela, bacalhau, badejo, salmão, sardinha e linguado

Laticínios e ovos: ovo caipira ou orgânico

Óleos: azeite de oliva

Verduras e legumes e feijões: alface, abóbora, acelga, brócolis, espinafre e ervilha 

Grãos e cereais: trigo-sarraceno e feijão-rajado

Frutas, castanhas e sementes: abacate, ameixa-preta, acerola, figo, nozes e sementes de abóbora

Ervas e condimentos: curry, salsa, alga, pimenta caiena, gengibre, hortelã

Bebidas: chá-verde e água com gás natural

Tipo A

Grupo dos agricultores, dos vegetarianos. Pessoas com dificuldade em digerir proteínas de origem animal por ter a produção de suco gástrico mais limitada, aparelho digestivo mais sensível

Carnes e peixes: frango, peru, bacalhau e salmão selvagem.

Laticínios e ovos: queijo de soja (tofu)

Óleos: azeite de oliva, óleo de coco

Verduras, legumes: abóbora, acelga, alface, brócolis, cenoura, couve, espinafre, ervilha e lentilha

Grãos e cereais: feijão azuki, feijão-preto, amaranto, trigo-sarraceno, farinha de aveia e farinha de quinoa

Frutas, castanhas e sementes: abacaxi, cereja, figo, limão, damasco fresco, abacate, ameixa-preta, ameixa fresca, amendoim, amêndoa, sementes de abóbora, linhaça e chia

Ervas e condimentos: alho, missô (pasta de soja), gengibre

Bebidas: chá-verde, café e vinho tinto

Tipo B

Toleraram uma dieta mais variada e é o único grupo que aceita bem os laticínios em geral

Carnes e peixes: carneiro, cordeiro, bacalhau, badejo, garoupa, sardinha, salmão e linguado

Laticínios e ovos: iogurte natural, queijo de cabra e mussarela de búfala

Óleos: azeite de oliva

Verduras, legumes: brócolis, beterraba, berinjela, cenoura, batata-doce, inhame, couve-flor

Grãos e cereais: farelo de aveia, farinha de quinoa, arroz integral, , feijão-branco, feijão-rouxinho e soja

Frutas, castanhas e sementes: abacaxi, abacate, ameixa vermelha, uva e mamão

Ervas e condimentos: gengibre, salsa, hortelã, sálvia

Bebidas: chá-verde

Tipo AB

Necessita de uma dieta equilibrada contendo um pouco de tudo. É é uma evolução dos grupos A e B, e a alimentação desse grupo é baseada no cardápio dos dois

Carnes e peixes: carneiro, cordeiro, peru, atum, bacalhau, garoupa, salmão, sardinha e truta

Laticínios e ovos: coalhada desnatada, mussarela, leite de cabra, ricota e queijo de minas

Óleos: azeite de oliva e óleo de coco

Verduras, legumes: aipo, pepino, brócolis, couve, couve-flor e inhame 

Grãos e cereais: arroz integral, pão com grãos germinados e pão com farinha de amêndoa

Frutas, castanhas e sementes: ameixa, uva vermelha, figo, limão, abacaxi, kiwi, amendoim e nozes

Ervas e condimentos: curry, pimenta caiena, salsa e alga

Bebidas: chá-verde, chá de gengibre e de camomila, café normal e descafeinado

Ajuda mesmo a perder peso?

Dado que a dieta recomenda que qualquer um dos tipos evite comida processada e coma de maneira saudável, você pode sim perder peso. Ela foca em comidas reais e saudáveis e a coloca em uma rotina, em vez de deixar você seguir seu comportamento ordinário que pode te levar a ganhar peso. Você pode ver resultados em apenas uma semana, dependendo do que você comia antes.

Leia também: Dieta Dukan: Saiba o que é e como seguir esse estilo alimentar

Vantagens e desvantagens

É uma dieta simples de seguir e ter disciplina, já que é só seguir os alimentos que estão autorizados de acordo com a tipagem. Também não exige gastos com comidas especiais.

Por outro lado, é difícil acompanhar em família. Cada membro da casa teria que seguir sua própria dieta. Para algumas pessoas, restringir um grupo de alimentos pode causar falta de nutrientes e trazer problemas à saúde. É indicado consultar um médico para avaliar a possibilidade.

Leia também: Dieta mediterrânea: Saiba como fazer e os benefícios para a saúde

Источник: https://cuidai.com.br/dieta-do-tipo-sanguineo/

Veja como seu tipo de sangue determina a sua alimentação (e saiba o que comer)

Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

A dieta do tipo sanguíneo é um tipo de alimentação em que as pessoas adaptam os alimentos de acordo com o seu tipo de sangue, ou seja, se possui sangue do tipo A, B, AB ou O.

Essa dieta foi desenvolvida pelo médico naturopata Peter d'Adamo e publicada em seu livro “Eat right for your type” que significa “Alimente-se corretamente de acordo com seu tipo de sangue”, publicado em 1996 nos Estados Unidos da América.

De acordo com esta dieta os tipos sanguíneos têm forte influência no organismo, pois podem determinar a eficiência do metabolismo, do sistema imunológico, o estado emocional e até a personalidade de cada pessoa, promovendo o bem-estar, diminuindo o peso e fortalecendo a saúde a partir de uma mudança de hábitos alimentares.

Como funciona a dieta

O Dr. Peter d'Adamo sugere que o tipo de sangue desempenha um papel essencial em todas as etapas do processo digestivo, desde o momento em que se cheia a comida, durante a sua digestão e até mesmo a eliminação dos excessos, podendo também influenciar no surgimento de algumas doenças.

Também defende que, dependendo do tipo de sangue podem surgir alterações ao nível da saliva, estômago e do intestino, o que pode condicionar o tipo de alimento a ser ingerido. Para cada tipo sanguíneo (A, B, O e AB) os alimentos são considerados como:

  • Benéficos, que são alimentos que evitam e curam doenças;
  • Nocivos, que são alimentos que podem piorar doenças;
  • Neutros, que não causam ou curam doenças.

Além dos alimentos a serem consumidos, também é recomendado realizar atividade física, o que também depende do tipo de sangue da pessoa.

Assim, é indicado que as pessoas com sangue do tipo A pratiquem exercícios do tipo ioga e meditação e 25 minutos, 2 a 3 vezes por semana, de exercícios cardiovasculares.

Para as pessoas que possuem sangue do tipo O é recomendada a realização de exercícios aeróbicos, como corrida e andar de bicicleta, enquanto que para as pessoas do tipo B é indicada uma mistura dos dois tipos de exercício.

Principais características de acordo com o tipo de sangue

Segundo o Dr. Peter d'Adamo, cada grupo sanguíneo tem as suas características e por isso deve de fazer uma alimentação específica. Dessa forma, a alimentação de cada grupo deve ser caracterizado por

  • Sangue tipo O: a alimentação deve incluir proteínas de origem animal diariamente, sendo este um nutriente essencial para esse grupo sanguíneo, pois a ingestão inadequada pode interferir na capacidade de metabolizar as gorduras, provocando diabetes e problemas cardiovasculares, assim como obesidade. As pessoas desse grupo sanguíneo são consideradas “carnívoras”, com um aparelho intestinal forte sendo considerados basicamente caçadores.
  • Sangue tipo A: é indicado evitar o consumo de carnes vermelhas e brancas, já que as pessoas desse grupo sanguíneo apresentam maior dificuldade para digerir esses alimentos já que a produção de suco gástrico é mais limitada, devendo a pessoa preferir o consumo de peixes. Os lácteos e derivados também devem ser consumidos em pequenas quantidades, devendo ser dada a preferência ao consumo de proteínas de origem vegetal como feijão e lentilha, por exemplo. Essas pessoas são consideradas vegetarianos com um aparelho intestinal sensível;
  • Sangue tipo B: tolera uma dieta mais variadas, conseguindo metabolizar com eficiência a proteína animal e os lácteos de forma geral. As pessoas desse grupo sanguíneo equilibram as forças do reino animal e vegetal;
  • Sangue tipo AB: necessita de uma dieta equilibrada contendo um pouco de tudo. É uma evolução dos grupos A e B, sendo que a alimentação desse grupo é baseada na dieta dos grupos sanguíneos A e B.

Além disso, existem alguns alimentos ricos em leptina, que são as proteínas encontradas nos alimentos, que de acordo com o tipo sanguíneo poderiam interferir na digestão, no metabolismo e no sistema imunológico da pessoa. Assim, alguns alimentos ricos em leptina que poderiam afetar qualquer grupo sanguíneo são trigo, tomate e amendoim.

Essa dieta funciona?

A dieta do tipo sanguíneo não possui qualquer comprovação científica, já que os estudos realizados são bastante limitados e não determinaram que a perda de peso ou que a melhora em sintomas tenham relação com o que comem de acordo com o tipo sanguíneo.

Em 2014, investigadores da Universidade de Toronto, no Canadá, publicaram um estudo em que é relatado que as necessidades nutricionais das pessoas não variam de acordo com o seu tipo sanguíneo, não sendo necessário que exista restrição de algum tipo de alimento só pelo fato de se ter sangue A, B ou O.

Além disso, não há comprovação de que esse tipo de dieta melhore a digestão ou proporcione mais energia, sendo uma alimentação bastante restritiva em termos de seleção de alimentos, portante a sua manutenção a longo tempo não é fácil.

Por esse motivo, é recomendado que caso se deseje perder peso ou controlar alguma doença específica, o nutricionista seja consultado para que através de uma avaliação completa possa ser estabelecido um plano nutricional adaptado às necessidades.

Veja as dicas de alimentação para cada tipo de sangue:

Источник: https://www.tuasaude.com/dieta-do-tipo-sanguineo/

Dieta do tipo sanguíneo – O que é, como funciona?

Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido falar que nem todas as dietas funcionam para todas as pessoas. Pois bem, a Dieta do tipo sanguíneo tem como objetivo a adaptação de um estilo de alimentação baseado no tipo sanguíneo.

O conceito da dieta do tipo sanguíneo parte do princípio de que o tipo de sangue influencia na metabolização dos alimentos no organismo. Sendo assim, cada tipo de sangue tem uma resposta aos diferentes grupos de alimentos.

Quer saber como isso funciona? Neste artigo estão algumas evidências sobre a dieta do tipo sanguíneo e uma explicação sobre como funciona.

O que é a dieta do tipo sanguíneo

A ideia por trás da dieta do tipo sanguíneo, é que seguir uma dieta e estilo de vida que se adapte ao seu tipo de sangue vai fazer você mais saudável.

Já que, pode te ajudar a chegar ao seu peso ideal, e até mesmo retardar o envelhecimento processo.

Dieta do tipo sanguíneo ajuda perder peso

O médico naturopata  Peter J. D’Adamo, foi quem propôs esse conceito de que o tipo sanguíneo impacta o metabolismo. A dieta do tipo sanguíneo foi originalmente publicado em 1996 e rapidamente atingiu listas de best-sellers, e desde então, o Dr. D’Adamo publicou uma série de livros sobre a dieta (1)

D’Adamo diz que os componentes proteicos dos alimentos chamados lectinas se ligam a antígenos nas células do sangue e levam à aglutinação das células sanguíneas.

No entanto, evitar essa aglutinação pode melhorar a saúde, ajudando as pessoas a gerenciarem melhor o peso e combater o câncer e doenças cardíacas.

D’Adamo argumenta que a maneira de evitar essa aglutinação é consumindo uma dieta adequada ao tipo de sanguíneo.

Sendo assim, D’Adamo usa sua teoria para desenvolver dietas separadas para pessoas com tipos sanguíneos A, B, AB e O (2).

Além disso, ele recomenda exercícios e hábitos saudáveis ​​gerais, como beber bastante água.

A dieta

No entanto, a dieta é específica sobre quais grupos de alimentos são permitidos para diferentes tipos sanguíneos. O que acaba restringindo os alimentos para alguns grupos sanguíneos.

Embora as pessoas muitas vezes tenham necessidades nutricionais diferentes, os seres humanos são animais complexos. Ou seja, incluir esses detalhes específicos no tipo sanguíneo pode simplificar demais essas necessidades.

Afinal, uma dieta inteira baseada no tipo sanguíneo pode ser muito restritivo e desmotivador.

A dieta do tipo sanguíneo deve servir como uma estratégia de auto-conhecimento. De como os grupos alimentares são metabolizados e absorvidos pelo seu organismo.

Comer alimentos com base no tipo sanguíneo

A dieta do tipo sanguíneo requer um regime chamado complacência. Isso se refere a comer “benéficos”.

Os beneficiários são escolhidos para cada tipo sanguíneo, com base nas lectinas, ou moléculas, que o alimento contém.

Nesta dieta, as pessoas são definidas como sendo “secretores” ou “não-secretos”.

Esses termos referem-se à capacidade de um indivíduo de secretar antígenos do tipo sanguíneo em fluidos corporais.

Ou seja, o que você come é parcialmente baseado em seu status secretor. É por isso que a dieta é conhecida como um plano individualizado.

Além disso, as proporções alimentares também são fornecidas para cada grupo do tipo sanguíneo.

A promessa da dieta do tipo sanguíneo

D’Adamo afirma que os alimentos que você come reagem quimicamente com o seu tipo sanguíneo.

Então, se você seguir uma dieta projetada para seu tipo sanguíneo, seu corpo vai digerir os alimentos com mais eficiência. Como resultado disso, você vai perder peso, ter mais energia e ajudar a prevenir doenças.

Mas então, o que você pode comer?

Isso depende do seu tipo de sangue. Veja o que é recomendado para cada tipo de sangue.

Sangue Tipo O

Para pessoas com sangue tipo O, o recomendado é uma dieta rica em proteínas.

Rica em carne magra, aves, peixe e vegetais, e leve em grãos, feijões e laticínios.

D’Adamo também recomenda vários suplementos para ajudar com problemas de barriga e outras questões que ele diz que as pessoas com o tipo O tendem a ter.

Sangue Tipo A

Já as pessoas que pertencem ao grupo sanguíneo A, devem manter uma dieta sem carne. Ou seja, baseada em frutas e vegetais, feijões e legumes, grãos integrais,  idealmente orgânicos e frescos.

Isso porque D’Adamo afirma que pessoas com sangue tipo A têm um sistema imunológico sensível.

Sangue Tipo B

As pessoas que têm o sangue B, devem evitar milho, trigo, trigo mourisco, lentilha, tomate, frango, amendoim e sementes de gergelim.

Ele incentiva a ingestão de verduras, ovos, certas carnes e laticínios com baixo teor de gordura. Indivíduos com sangue tipo B são encorajados a consumir bastante cabra, cordeiro, coelho, veado e peixe, como salmão, sardinha, bacalhau, linguado, cavala, truta do mar, solha e linguado.

A carne, em particular, supostamente aumenta a taxa metabólica de pessoas do tipo B.

Sangue Tipo AB

Se você tem o sangue tipo AB os alimentos para aumentar a concentração são tofu, frutos do mar, laticínios e verduras.

Isso porque, ele diz que pessoas com sangue tipo AB tendem a ter baixo ácido estomacal.

Por isso, deve evitar cafeína, álcool e carnes fumadas ou curadas.

Condições de saúde associadas a tipos sanguíneos

Apesar da falta de evidências de que o tipo sanguíneo possa determinar uma dieta saudável para você, existem muitos estudos sobre como seu tipo sanguíneo pode determinar determinadas condições de saúde.

Alguns estudos relacionaram tipos sanguíneos com certos riscos para a saúde

  • Um estudo de 2012 ligou um risco menor de doença arterial coronariana a ter um tipo sanguíneo O (3).
  • Outro estudo de 2012 mostrou que o tipo sanguíneo pode estar ligado à sua reação a certas bactérias e condições como câncer de pâncreas, trombose venosa profunda e ataque cardíaco (4).

Ainda há mais a ser entendido sobre o tipo de sangue e condições de saúde associadas que podem ser descobertas em estudos científicos futuros.

O fato é que a dieta do tipo sanguíneo, apesar de restritiva para os grupos, é toda baseada em uma alimentação de verdade. E como D’Adamo orienta, é necessário realizar alguma atividade física.

É o que eu sempre falo, a alimentação baseada em alimentos de verdade, naturais e orgânicos é o melhor que você tem a oferecer para seu corpo e sua saúde.

Agora que você já conhece os grupos alimentares indicados para cada tipo de sangue, sugiro que você comece a observar os benefícios que os alimentos sugeridos oferecem para seu corpo. E faça também o contrário, esteja atento às indisposições causadas no seu corpo, pelos alimentos não indicados para seu tipo de sangue.

E independente do grupo sanguíneo, vegetais fazem bem para todos. Por isso, eu fiz uma seleção de sucos antioxidantes, para impulsionar seu metabolismo.

Clique na imagem abaixo para receber as receitas e se beneficiar das vantagens. 

Sucos Vegetais pode fazer parte da dieta do tipo sanguíneo

Abraço e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel

Источник: https://drjulianopimentel.com.br/artigos/dieta-do-tipo-sanguineo-o-que-e-como-funciona/

Dieta do grupo sanguíneo: a ciência desmente os seus benefícios

Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

A dieta do grupo sanguíneo defende recomendações alimentares específicas para cada tipo de sangue. Será que faz sentido? Terá sucesso na perda de peso?

Desenvolvida por Peter J. D’Adamo, a dieta do grupo sanguíneo defende um padrão alimentar específico para cada tipo de sangue, baseando-se na teoria de que o tipo sanguíneo influencia as funções digestivas, imunológicas e os alimentos mais corretos para potenciar o emagrecimento.

Grupos sanguíneos existentes

Mas antes de avançar para a teoria da dieta do grupo sanguíneo, importa salientar que o grupo sanguíneo é determinado pelos antigénios existentes na superfície dos glóbulos vermelhos, sendo que estes antigénios estão também presentes em alguns neurónios, plaquetas e no tecido vascular.

De uma forma geral, existem 4 grupos sanguíneos: A, B, AB e O.

Atualmente, existem já provas de que existe uma correlação direta entre os grupos sanguíneos e determinadas doenças, nomeadamente:

  • Grupos sanguíneos A, B e AB – as pessoas que pertencem a estes grupos têm taxas de doenças cardiovasculares e mortalidade mais elevadas, devido à presença de mais fatores de coagulação e, consequentemente, uma maior tendência para a formação de trombos;
  • Grupos sanguíneos A, B e AB – também parece haver uma relação direta entre estes grupos e o risco de cancro do pâncreas e do estômago;
  • Grupo sanguíneo A – no que toca ao cancro gástrico, este é o grupo sanguíneo que apresenta maior risco, por possuir maior propensão à infeção pela bactéria Helicobacter pylori.
  • Grupo sanguíneo O – têm risco cardiovascular baixo.

No entanto, e apesar do que foi referido anteriormente, a manutenção de um peso saudável e de um estilo de vida equilibrado é um objetivo a atingir por todos independentemente do seu grupo sanguíneo.

Dieta do grupo sanguíneo: em que consiste?

Na dieta do grupo sanguíneo defende-se que para cada grupo, existem os produtos benéficos, ou seja, aqueles alimentos que são capazes de prevenir e de tratar de doenças, para além de facilitarem a perda de peso, os quais devem ser ingeridos diariamente.

Já os alimentos neutros são os que não fazem nem bem, nem mal e, por esse motivo, podem ser consumidos com alguma regularidade, mediante os gostos pessoais.

Finalmente, os ingredientes “nocivos” são eliminados totalmente da dieta do tipo sanguíneo. São estes “produtos que desequilibram o organismo, diminuindo a taxa metabólica basal e potenciando a doença”.

Neste contexto, esta dieta define os seguintes hábitos alimentares para cada grupo.

Segundo o autor, é o mais ancestral da humanidade, e as pessoas que detêm este tipo de sangue têm um sistema digestivo e imunológico mais robusto e preparado, pelo que devem optar por ingerir uma maior quantidade de proteínas animais e produtos hortícolas (alimentos benéficos), em detrimento de alimentos ricos em hidratos de carbono, como cereais e leguminosas (alimentos nocivos).

O azeite (alimento neutro) deverá ser a gordura de eleição para quem pertence a este grupo sanguíneo.

Acreditando que este grupo sanguíneo se desenvolveu em locais com menos proteína animal e que, por isso, as pessoas com este grupo sanguíneo têm um sistema digestivo mais sensível, o autor defende que a escolha destes indivíduos deveria passar por uma dieta vegetariana ou com pouca inclusão de carne (alimento nocivo), com preferência por carnes magras.

Segundo a teoria de que teria sido desenvolvido sobretudo por tribos nómadas, as pessoas que integram este grupo seriam as únicas a poder ingerir laticínios (alimento neutro) por terem um sistema digestivo tolerante, acompanhados por produtos hortícolas e grande diversidade de frutas (alimentos benéficos). Toleram bem os cereais, mas devem moderar o consumo de trigo.

Em conclusão

Enquanto a dieta do grupo sanguíneo indica que uma alimentação à base de plantas é melhor para o grupo sanguíneo A e menos favorável ao grupo sanguíneo O, a evidência mostra que uma alimentação à base de plantas é benéfica para qualquer pessoa, independentemente do seu grupo sanguíneo (1).

Na verdade, todos os grupos sanguíneos benificiam de igual forma de uma dieta à base de vegetais, frutas, leguminosas e cereais integrais principalmente em casos de perda de peso, saúde cardiovascular e sobrepeso nos adultos.

Assim é possível constatar que apesar de algumas orientações nutricionais propostas por esta abordagem parecerem fazer sentido, é importante perceber que uma dieta saudável passa pela inclusão de todos os macronutrientes, independentemente do tipo de grupo sanguíneo e que os benefícios de uma dieta à base de vegetais é transversal a todos os grupos sanguíneos.

PORTANTO, VALE A PENA ADOTAR A DIETA DO GRUPO SANGUÍNEO?

Analisando os factos e a evidência conhecidos sobre esta dieta, é possível constatar:

  • Não existem provas irrefutáveis e consensualmente aceites de quando e onde se desenvolveram os grupos sanguíneos
  • O tipo de sangue não foi associado aos efeitos de uma dieta à base de plantas no peso corporal, gordura corporal, concentração de gordura no plasma nem com o controlo glicémico (1)

Posto isto, se pretende ter hábitos alimentares saudáveis que contribuem para um bom funcionamento do organismo, deve optar por uma alimentação variada, com grande foco em vegetais, sem esquecer que outros macronutrientes como a proteína também são essenciais e que fontes de origem animal também podem ser contempladas.

No caso de querer perder peso, lembre-se que o único factor que faz realmente diferença é o défice calórico, ou seja, ingerir menos calorias do que as que gasta.

Em caso de dúvida, consulte um nutricionista que será certamente o melhor profissional de saúde para o ajudar a atingir o seu objetivo.

Nutricionista Rita Lima Licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2015 e membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas (3003N). A sua principal área de intervenção passou pela nutrição desportiva e emagrecimento, tendo atuado em ginásios, clubes de futebol, de judo e natação, realizando consultas de nutrição, formações e workshops.

Recomendamos

Источник: https://www.vidaativa.pt/dieta-do-grupo-sanguineo/

A dieta do tipo sanguíneo: exemplos, como funciona, controvérsias e contraindicações – GreenMe

Dieta do tipo sanguíneo: o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido falar sobre a Dieta do Tipo Sanguíneo que diz que determinados alimentos fazem bem a determinados grupos de sangue – uma dieta tão amada quanto criticada. Vamos ver, mais de perto, como é que essa dieta funciona e, o que comer, ou não comer, em função do seu tipo de sangue.

A dieta dos grupos sanguíneos foi concebida por Peter D’Adamo, naturopata norte-americano que já publicou diversos livros sobre o assunto onde explica os princípios sobre os quais fundamentou sua teoria, e dá detalhes sobre os alimentos favoráveis, e os desfavoráveis, para cada tipo sanguíneo.

Junto com a dieta em si, também estão conselhos e dicas sobre estilo de vida, atividades físicas e medicamentos naturais mais adequados. Você pode aprofundar o assunto, aqui, no site do autor.

Essa dieta do tipo sanguíneo, apesar de não existirem estudos específicos que a fundamentam, se espalhou pelo mundo justamente pela mão de médicos e especialistas em nutrição. Hoje, até os que praticam medicina ortomolecular a recomendam (aqui você poderá assistir a diversas palestras sobre essa dieta segundo a ótica ortomolecular).

Mas vejamos antes, como funciona essa dieta, segundo o seu autor.

Como funciona a dieta do tipo sanguíneo

Segundo Peter D’Adamo é muito importante considerar o tipo sanguíneo como parâmetro para buscar desfrutar de boa saúde.

O tipo de sangue que temos é uma característica genética que nos agrupa em outras características similares então, porquê não aceitarmos que também nos agrupe quanto aos alimentos que nos fazem bem ou mal, o potencial do nosso sistema digestivo, o que necessitamos quanto à atividade física ou como as plantas podem interagir com o nosso sistema imunológico?

De acordo com a teoria que fundamenta a dieta dos grupos sanguíneos os diferentes tipos de dietas surgem em diferentes períodos históricos, definem um perfil para cada grupo sanguíneo e uma lista de alimentos, dividida em 3 categorias: dos alimentos benéficos, neutros ou negativos (que devem ser evitados).

Veja as características particulares de cada grupo sanguíneo:

Tipo O – CAÇADOR / COLETOR

Este é o grupo sanguíneo mais antigo da humanidade. Apareceu no continente africano há 40 mil anos atrás, quando os seres humanos eram caçadores-coletores que se alimentavam basicamente de carne e algumas sementes e raízes. O tipo O tem um sistema imunológico forte, ativo e boa digestão. Seu ponto fraco é a tireoide (que pode ser fraca).

Para este tipo sanguíneo D’Adamo escreve “pessoas com sangue tipo O se sentirão bem ao seguirem uma dieta rica em proteína animal e um programa de exercícios vigorosos (…) não toleram bem os produtos lácteos e cereais“. Devem dar preferência às carnes magras e peixes assim como frutas e legumes.

Este grupo deve evitar a vida sedentária e praticar atividade física regular e intensa.

Tipo A – O FAZENDEIRO

Neste grupo estão, predominantemente, pessoas que se sentirão melhor “seguindo uma dieta vegetariana, herança transmitida de seus antepassados que se tornaram agricultores sedentários e pouco agressivos…“. Os do tipo A têm metabolismo oposto ao do tipo O, mais lento, com um aparelho digestivo frágil e um sistema imunológico mais sensível e menos adaptável.

As pessoas deste tipo sanguíneo se beneficiarão da prática de atividades relaxantes como a ioga.

Quanto à dieta alimentar, devem evitar carne, trigo e produtos lácteos e favorecer uma dieta de legumes, verduras, frutas, frescas e secas, sementes oleaginosas e cereais.

Tipo B – O Pastor

“A dieta alimentar do grupo B é muito equilibrada e inclui uma grande variedade de alimentos.” Este é o grupo de pessoas verdadeiramente omnívoros e a fonte alimentar para estas pessoas, segundo indica D’Adamo, deve incluir carnes magras (exceto frango), peixe, vegetais de folhas verdes, frutas.

Quanto à atividade física, o grupo B tem a recomendação de praticar moderadamente qualquer tipo de esporte (natação, ciclismo e artes marciais são opções adequadas).

Tipo AB – O moderno

Este tipo sanguíneo é o mais novo pois apareceu, cerca de mil anos atrás e representa entre 2 e 5% da população. Tem semelhança tanto com o grupo A quanto com o B pois é uma combinação desses e, é chamado por D’Adamo, também de “O enigmático”, justamente pela dificuldade que há em definir suas características específicas.

Este é um grupo de pessoas que deve restringir o consumo de carne vermelha, frios e massas, dar preferência a peixes, produtos lácteos, vegetais, gordura vegetal, frutas e bebidas como chá e café. Algumas das atividades físicas mais recomendadas são: ioga, tai chi, ciclismo, tênis ou natação.

No entanto, outras teorias também relacionam o tipo sanguíneo com características que afetam a saúde, como é o Ketsueki-gata, teoria japonesa que fala do tipo de influência que seu tipo sanguíneo pode ter nas suas características físicas, mentais e até emocionais.

O que cada grupo come?

Bem, é preciso ter claro que alguns alimentos são bons, outros neutros e outros, fazem mal, então, dependendo do seu tipo sanguíneo, faça uma lista bem clara destes alimentos, se quiser seguir essa dieta.

Para ter uma ideia, dê uma olhada nesse pdf elaborado por Leandro Marshal.

GRUPO O

Para as pessoas deste grupo é recomendada uma dieta bastante rica em proteínas de origem animal, carnes de todo tipo, peixe (mas não todos os tipos) e ovos para associar com abundância de frutas e legumes (sem couve-flor, couve Bruxelas, repolho roxo, cogumelos, milho, batata, berinjela e azeitonas pretas).

Quanto aos cereais, evitar aqueles que contêm glúten, assim como também deve evitar todos os produtos lácteos.

Dentre as leguminosas, este grupo só se beneficia, realmente, do feijão vermelho e do azuki.

GRUPO A

O grupo A é vegetariano por excelência. Neste caso, você que tem tipo sanguíneo A se beneficiará de um consumo mínimo, ou mesmo nenhum consumo, de carne de qualquer tipo (exceto frango e peru), do consumo moderado de peixe que contenham elevado teor de ômega 3 (peixes de águas frias como salmão) e ovos, em geral.

Esse grupo também se beneficiará do consumo de soja e derivados assim como da maioria das leguminosas conhecidas mas, devem evitar leite e produtos lácteos e cereais ricos em glúten.

São recomendados a maioria dos vegetais e, no caso das frutas, são desaconselhadas as frutas cítricas, banana e melão.

GRUPO B

O grupo B pode seguir uma dieta variada: pode comer carne (excepto frango e porco) e peixes (mas não salmão fumado, anchovas e amêijoas). Este grupo também pode comer certos tipos de legumes (embora não sejam recomendados alguns como lentilha e grão de bico) e devem evitar trigo e outros grãos com glúten.

A peculiaridade deste grupo reside no fato de que qualquer um que pertence a ele pode tomar leite e derivados (com exceção de queijo gordo e temperado).

Os alimentos neutros, para as pessoas do grupo B, são alguns vegetais com exceção de abóbora, alcachofras, azeitonas verdes e pretas, tomates, rabanetes e alcachofra de Jerusalém e as frutas, romã e tomate, que devem ser evitados.

GRUPO AB

O grupo AB mistura um pouco as características dos dois grupos anteriores. Quanto ao consumo de carne são recomendados apenas alguns tipos: coelho, cordeiro e peru. No caso do peixe, as pessoas deste grupo sanguíneo em vez há mais chance (para evitar salmão defumado, mariscos, anchovas e mariscos).

Você pode comer queijos macios como feta, ricota e mussarela, não temperados ou leite integral.

Dentre as leguminosas as mais recomendados são os feijões (fresco e seco), vermelho e verde, lentilhas, evitar o feijão azuki, feijão preto e grão-de-bico.

Entre os cereais, no entanto, prefira milho e arroz. Quase todos os vegetais são permitidos exceto aqueles negativos tanto para os grupos A ou B.

Alguns exemplos para sua alimentação diária

Vamos deixar algumas sugestões que combinam alimentos, conforme o tipo sanguíneo do grupo ao qual você pertence. São sugestões muito gerais só para orientar quem se interessa.

O mais interessante é você se aprofundar no estudo do seu grupo sanguíneo e escolher, de acordo com as suas preferências e características genéticas, o tipo de alimentação que lhe é mais adequada.

CONTRAINDICAÇÕES

Não há desvantagens reais em se seguir este tipo de dieta a não ser o fato de que ela pode não te dar os resultados prometidos ou, como é o caso do grupo O, pode acontecer de você ultrapassar a dose recomendada em proteína animal e recair nas desvantagens do exageros que dela decorrem.

Claro que, se você mantém uma dieta equilibrada, sem excessos, retira o trigo da sua vida e outros alimentos inflamatórios (os que contêm glúten, em geral) e faz um pouco de exercícios físicos para fugir ao sedentarismo, com certeza irá se sentir muito melhor do que se não o fizer.

O parecer do nutricionista

No Greenme Itália pedimos o parecer de uma nutróloga, Paola Assunta Buccarella sobre as recomendações da dieta sanguínea e, eis o que ela nos disse:

“Do meu ponto de vista e experiência pessoal, a dieta dos grupos sanguíneos deve se considerar dentro de uma avaliação de 360 graus sobre o assunto.

Na minha prática médica eu era capaz de reconhecer, em uma avaliação do ponto de vista da história clínica e exame físico dos meus clientes, características psico-físicas e atitudes alimentares muito semelhantes em pessoas que pertenciam a um determinado tipo de sangue mas, me sinto compelida a enfatizar isso.

Estou absolutamente convencida de que inexiste qualquer padrão alimentar que suplante a maravilhosa complexidade do ser humano como um todo.

O que temos a fazer é ouvir o nosso corpo que se comunica com a sua linguagem ‘não-verbal’, o que todos realmente precisamos é aprender a ouvir e seguir o caminho certo para além de todos os esquemas e hábitos mentais que construímos durante a nossa existência. E você pode, desviando a atenção de tudo o que nos rodeia e do que se ouve por aí, cultivar a concentração em si mesmo, ativando a sua percepção natural. Basta experimentar!”.

Especialmente indicado para você:

O QUE O SEU TIPO DE SANGUE DIZ SOBRE VOCÊ?

SANGUE E PERSONALIDADE: A TEORIA QUE ASSOCIA O TIPO SANGUÍNEO COM AS CARACTERÍSTICAS DE CADA UM

A DIETA DA PROTEÍNA EMAGRECE? QUAIS SÃO OS RISCOS? RESPONDE UM NUTRICIONISTA

Источник: https://www.greenme.com.br/alimentar-se/alimentacao/66050-a-dieta-do-tipo-sanguineo-exemplos-como-funciona-controversias-e-contraindicacoes/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: