Dieta para baixar o colesterol ruim

7 alimentos indispensáveis para aumentar o colesterol bom

Dieta para baixar o colesterol ruim

Quando se fala em aumentar o colesterol o que você pensa? Provavelmente que é algo ruim para o corpo, não é mesmo? Muita gente realmente acredita que o colesterol representa algo negativo para o organismo, mas a verdade é que não é bem assim, pois existe o outro lado da história, e é possível aumentar colesterol bom.

O colesterol é basicamente um tipo de gordura presente em todas as células do corpo que exerce funções importantes no organismo. O que, talvez, você não saiba é que manter níveis satisfatórios do colesterol bom, também chamado de HDL, é essencial para ter uma boa saúde.

E é claro, tudo que está relacionado ao seu bem-estar nos interessa, por isso, nós, das Drogarias Santo Remédio, preparamos esta matéria para explicar o quanto aumentar o colesterol bom é importante e como você pode fazer isso colocando alguns alimentos específicos no seu prato.

Pronto para descobrir?

Por que você deve aumentar o colesterol bom imediatamente

Para manter o seu colesterol controlado, é importante uma alimentação saudável.

Manter os níveis de colesterol bom acima de 60 mg/dL pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares como o infarto, o acidente vascular cerebral (AVC) e a hipertensão arterial.

Ainda que os níveis de colesterol ruim (LDL) estejam dentro da normalidade, se o seu exame de sangue identificar o colesterol bom em baixa quantidade, é preciso ficar atento aos riscos para a saúde!

O HDL também ajuda a remover o colesterol ruim que se acumula nas artérias. Falando nisso, controlar o mau colesterol é igualmente importante, afinal, quando a situação é considerada alarmante, pode trazer desencadear sérias complicações. Confira 5 doenças graves causadas pelo problema.

Assuntos relacionados:
– Como o colesterol baixo afeta a sua saúde
– Quais são as causas e os sintomas do colesterol alto?

1. Azeite de oliva

Consumir azeite de oliva extravirgem, ou seja, o tipo que não foi submetido a processos de refinamento, pode ajudar a impedir o acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos, sem falar que o líquido também controla o colesterol total no organismo. Bastam duas colheres por dia para obter os benefícios.

2. Aveia

Considerado um dos melhores alimentos para a saúde do coração, quando se junta à água, a aveia auxilia o intestino a eliminar o excesso da gordura prejudicial ao corpo. Comer o cereal com frequência pode até otimizar a eliminação do colesterol ruim e do triglicerídeos. Você pode incluir a aveia em qualquer refeição, inclusive no lanche.

3. Alimentos antioxidantes

Alimentos ricos em oxidantes ajudam a reduzir o colesterol ruim no sangue.
As propriedades antioxidantes podem reduzir o colesterol ruim e fazer com que o HDL tenha uma vida útil mais longa.

Não bastasse este benefício, eles também tem fibras que limpam o organismo e ajudam a eliminar a gordura através das fezes. Você pode estar pensando: quais são os alimentos antioxidantes?.

Bem, nós separamos algumas frutas e vegetais com alto teor antioxidante que podem ajudar na composição da sua dieta:

  • Tomate;
  • Cenoura;
  • Abóbora;
  • Laranja;
  • Melão;
  • Mamão papaia;
  • Abacaxi;

4. Peixes

O ômega 3 é um nutriente que regula de forma natural os níveis de colesterol. Peixes como a sardinha, o atum e o salmão têm uma grande quantidade dessa gordura, que pode ser muito benéfica para a sua saúde, como um todo.

5. Abacate

Muita gente acredita que o abacate engorda, mas ao contrário do que se pensa, o fruto é um grande aliado do bom funcionado do sistema cardiovascular.

Rico em gorduras insaturadas (as famosas gorduras boas), o abacate tem efeito anti-inflamatório e vasodilatador que potencializa a melhora da circulação sanguínea.

Ele pode ser consumido de diversas maneiras: sozinho, em saladas, vitaminas, etc.

6. Feijão

Os feijões e todas variedades de sementes de plantas da família Fabaceae são muito ricos em fibras solúveis. Por demorarem para fazer digestão, eles trazem uma sensação de saciedade por mais tempo. Essa é uma razão pela qual se recomenda o consumo de feijão para pessoas que querem perder peso.

7. Peixes

Comer peixes duas ou três vezes por semana pode diminuir o colesterol ruim, fornecendo gorduras ômega 3 que baixam o LDL. O ômega 3 reduz os triglicerídeos na corrente sanguínea, além de proteger o coração ajudando a prevenir o aparecimento de arritmia cardíaca e outras doenças cardiovasculares.

O que você NÃO deve comer

Como você viu, os alimentos exercem um papel super importante no aumento do colesterol bom.

Na verdade, tudo o que você coloca no prato pode influenciar de forma positiva ou negativa na sua saúde, logo, existem alimentos que você deve fugir para ter bons níveis de colesterol.

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, frituras, bacon, enchidos (como as linguiças), refrigerantes, chocolates e alimentos industrializados pode ser um bom começo.

Veja também:
– Como montar um cardápio saudável e melhorar sua alimentação? Veja!

Outras formas de aumentar o colesterol bom

Nenhuma ação isolada pode realmente alterar o seu HDL. Por exemplo, se você começar a comer todos os dias os alimentos citados acima e não ter outros bons hábitos, provavelmente seu colesterol deve ficar o mesmo, mas e você combinar com outras práticas o resultado será bem melhor.

Algumas atitudes que você pode tomar e melhorar seu HDL são:

Fazer exercícios aeróbicos – exercícios em geral tendem a melhorar e muito a saúde, como você já deve saber. 20 minutos de exercícios, pelo menos 3 vezes por semana, é o mínimo aceitável. Só o fato de sair do sedentarismo já aumenta suas chances de ter um HDL elevado.

Parar de fumar – as pessoas que têm HDL baixo e fumam, com a interrupção do cigarro pode elevar os níveis em até 10%.

Evite medicamentos que reduzam o HDL – esteroides anabolizantes ou qualquer outra droga que contenha androgênios ou seus precursores colaboram para redução do HDL.

Evite consumir carboidratos – o consumo excessivo de carboidratos pode elevar os níveis de triglicerídeos e reduzem os de HDL. Pães, massas e doces, por exemplo, podem agravar os níveis do colesterol bom. Dê preferência para pães e massas integrais, sucos naturais e chocolate preto com mais de 70% de cacau.

Uma receita incrível para aumentar seu HDL

Alguns tipos de sucos podem ajudar bastante no aumento do colesterol bom no seu organismo.Como o de frutas vermelhas, elas são as que possuem os melhores efeitos em relação ao HDL.

Que tal experimentar um suco para aumentar o colesterol bom à base dessas frutas?
Confira uma receita de suco frutas vermelhas:

Ingredientes:

-1/2 limão; -250 g de uvas rosadas sem sementes; -200 g de frutas vermelhas (amora, cereja, cranberry, morango, por exemplo); -1 colher de chá de óleo de linhaça;

-125 ml de água.

Источник: https://drogariasantoremedio.com.br/aumentar-o-colesterol-bom/

Dieta para baixar o colesterol (com cardápio de 3 dias)

Dieta para baixar o colesterol ruim

A dieta para diminuir o colesterol deve ser pobre em gorduras, principalmente as saturadas e as gorduras trans, e açúcares, de forma a que se melhore a circulação sanguínea e se reduza o risco de acumular gordura no sangue, evitando doenças cardiovasculares, como infarto ou AVC.

Além disso, é importante aumentar o consumo de frutas, vegetais e alimentos integrais, que, devido ao seu rico conteúdo em fibras, ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue ao diminuir a sua absorção a nível intestinal.

É importante que a dieta seja acompanhada pela realização de algum tipo de atividade física, pelo menos 3 vezes por semana durante 1 hora. Isso porque o exercício favorece a perda de peso e aumento da massa muscular, o que tem como consequência a diminuição dos níveis de colesterol e a melhora da saúde do coração.

Alimentos permitidos na dieta

Os alimentos que devem ser incluídos na alimentação para diminuir a quantidade de colesterol são:

  • Alimentos ricos em fibras, devendo dar preferência ao consumo de aveia, pão integral, arroz integral, macarrão integral e farinhas integrais como a farinha de alfarroba, de amêndoas e de trigo sarraceno, por exemplo;
  • Frutas e vegetais, de preferência crus e com casca para aumentar a quantidade de fibras, devendo ser consumida 3 a 5 porções desses alimentos por dia;
  • Aumentar o consumo de leguminosas, como feijão, grão de bico, lentilhas e soja, devendo consumir 2 vezes por semana;
  • Frutos secos como nozes, amêndoas, castanha do Pará e amendoim, já que além de fornecer fibras para o organismo, também são ricas em gordura monoinsaturadas e poliinsaturadas, que favorecem o aumento do colesterol bom, o HDL. É importante que sejam consumidas pequenas quantidades diariamente, já que o seu aporte calórico é alto;
  • Leite e derivados lácteos desnatados, devendo dar preferência a queijos brancos baixos em gordura e iogurte natural sem açúcar;
  • Carnes brancas como frango, peixe e peru.

Além disto, os alimentos devem ser preparados cozidos ou ao vapor, evitando-se frituras, guisados, temperos prontos e molhos. Para dar sabor às comidas é possível utilizar temperos naturais como alecrim, orégano, coentro ou salsa.

Também é importante tomar cerca de 2,5 L de água por dia e realizar 3 refeições principais e 2 lanches, pois assim é possível também controlar o peso. Veja qual o seu peso ideal.

Existem ainda alguns alimentos que podem ser incluídos na dieta para regular os níveis de colesterol no sangue devido às suas propriedades. Esses alimentos são:

AlimentosPropriedades Como consumir
Tomate, goiaba, melancia, toranja e cenouraEsses alimentos contém licopeno, que é uma substância com propriedades antioxidantes que ajuda a diminuir o colesterol mal, o LDL, no sangue e a aumentar o colesterol bom, o HDL.Podem ser usados para preparar saladas, molhos naturais, sucos ou vitaminas.
Vinho tintoEssa bebida contém resveratrol e outros compostos que atuam como antioxidantes e impedem que as moléculas de gordura fiquem depositadas na parede das artérias, favorecendo, assim, a circulação de sangue.Só deve ser consumida apenas 1 a 2 taças de vinho ao almoço ou ao jantar.
Salmão, pescada, atum, nozes e sementes de chiaSão ricos em ômega 3 com propriedades anti-inflamatórias, além de também ajudar a prevenir o surgimento de coágulos que podem entupir as artérias e levar ao infarto, além de evitar a formação de placas de gordura nas artérias.Esses alimentos devem ser incluídos na alimentação de forma variada, devendo ser consumidos 3 a 4 vezes por semana, pelo menos.
Uvas roxasEssa fruta é rica em resveratrol, taninos e flavonoides, que são compostos que exercem um poderoso efeito antioxidante, ajudando a relaxar os vasos sanguíneos e a diminuir o colesterol.Podem ser utilizadas em sucos ou consumidas como sobremesa.
Alho/ alho negroContem uma substância chamada alicina, que combate os níveis do mau colesterol (LDL), ajuda a reduzir a pressão sanguínea e evita a formação de trombos, diminuindo, assim, o risco de infartos.Pode ser usado para temperar os alimentos.
Azeite de olivaImpede a oxidação do colesterol, possui propriedades anti-inflamatórias e reduz a pressão arterial.Deve ser acrescentada pelo menos 1 colher de azeite de oliva por dia, podendo ser acrescentado em saladas ou na comida depois de pronta, já que quando aquecido, o azeite de oliva pode perder as suas propriedades.
LimãoContém antioxidantes que previnem a oxidação do colesterol bom, o HDL.Pode se adicionar o suco de limão em saladas ou misturar com outros sucos ou chás.
AveiaÉ rica em beta-glucanos, um tipo de fibra solúvel que ajuda a diminuir os níveis de colesterol.Pode ser acrescentado em sucos ou vitaminas ou ser utilizado no preparo de bolos e biscoitos. Também é possível consumir 1 xícara de aveia no café da manhã ou usar o leite de aveia em substituição do leite de vaca.
AlcachofraÉ uma planta rica em fibras e luteolina, um antioxidante que previne o aumento do colesterol e favorece o aumento do colesterol bom (HDL).Esta planta pode ser cozinhada e acompanhar as refeições, além de também poder ser consumido na forma de suplemento ou chá.
Canela e cúrcumaEsses condimentos são ricos em antioxidantes e fibras que ajudam a melhorar a circulação sanguínea e favorecem a diminuição do colesterol.Esses condimentos aromáticos podem ser utilizados na preparação dos alimentos.

Também existem alguns chás que podem ser incluídos nas opções naturais para baixar o colesterol, como por exemplo o chá de alcachofra ou o chá de dente-de-leão. Confira como preparar estes e outros chás para o colesterol.

Veja mais detalhes sobre a dieta para baixar o colesterol no vídeo a seguir:

Alimentos que se deve evitar

Alguns alimentos que favorecem o aumento do colesterol mau (LDL) por serem ricos em gorduras saturadas, trans e/ ou açúcares são:

  • Vísceras dos animais, como fígado, rins e coração;
  • Embutidos como salsichas, chouriço, bacon, salame e presunto;
  • Carnes vermelhas ricas em gordura;
  • Leite integral, iogurte com açúcar, manteiga e margarina;
  • Queijos amarelos e cream cheese;
  • Molhos tipo ketchup, maionese, aioli, barbecue, entre outros.
  • Óleos e frituras em geral;
  • Comidas processadas ou congeladas e do tipo fast-food;
  • Bebidas alcoólicas.

Além disso, alimentos ricos em açúcar como os bolos, biscoitos e chocolates também não devem ser consumidos, isso porque o excesso de açúcar fica acumulado em forma de gordura e favorece a produção de colesterol no fígado.

Saiba mais no vídeo a seguir o que parar de comer por causa do colesterol:

Cardápio da dieta para baixar o colesterol

A tabela a seguir indica um exemplo de cardápio de 3 dias que mostra como os alimentos que ajudam a diminuir o colesterol podem ser usados:

RefeiçõesDia 1Dia 2Dia 3
Café da manhã1 copo de leite de aveia + 1 fatia de pão integral torrada com manteiga de amendoim1 xícara de café sem açúcar acompanhada de 1 fatia de pão integral com 2 colheres de queijo ricota + 2 xícaras de uvas roxas1 xícara de aveia em flocos com 1 colher de chá de canela + 1/2 xícara de frutas cortadas + 1 copo de suco de laranja sem açúcar
Lanche da manhã1 copo de suco de uva natural sem açúcar com 1 colher de sopa de aveia + 30 g de nozes1 banana média cortada em rodelas com 1 colher de sopa de aveia1 iogurte natural sem açúcar + 1/2 xícara de frutas cortadas + 1 colher de chá de sementes de chia
Almoço/ JantarPurê de batatas com salmão grelhado + 1/2 xícara de salada de brócolis e cenoura cozida temperada com 1 colher de chá de azeite de oliva + 1 maçãMacarrão integral com peito de peru cortado em cubos e preparado com molho de tomate natural e orégano + salada de espinafre ao vapor temperada com 1 colher de chá de azeite de oliva + 1 pêraAspargos salteados com frango grelhado + salada com alface, tomate de cenoura + 1 colher de chá de azeite de oliva + 1 xícara de uvas roxas.
Lanche da tarde1 iogurte natural sem açúcar com pedaços de frutas + 1 colher de sopa de sementes de chia1 xícara de melancia em cubos1 vitamina (200 mL) de abacate com iogurte natural + 1 colher de chá de linhaça, acompanhado de 30 g de amêndoas.
Lanche da noite1 xícara de chá de alcachofra sem açúcar1 xícara de chá de dente de leão sem açúcar1 xícara de chá de cúrcuma sem açúcar

As quantidades incluídas no cardápio variam de acordo com a idade, gênero, atividade física e se a pessoa possui alguma outra doença associada ou não. Por isso, o ideal é consultar um nutricionista para que seja realizada uma avaliação completa e seja elaborado um plano nutricional adequado às suas necessidades.

O ovo aumenta o colesterol?

A gema do ovo é rica em colesterol, no entanto alguns estudos demonstraram que o colesterol encontrado naturalmente nos alimentos têm baixo risco de provocar danos, diferentemente do colesterol encontrado nos alimentos processados.

A Associação Americana do Coração recomenda que uma pessoa saudável pode consumir 1 a 2 unidades de ovo por dia, e no caso das pessoas com diabetes ou doenças do coração, o ideal é que o consumo seja de 1 unidade por dia. Por esse motivo, é possível incluir o ovo dentro da dieta para baixar o colesterol, desde que o seu consumo não seja em excesso. Confira os benefícios do ovo para a saúde.

Como saber se o colesterol está bom

Para saber se o colesterol está dentro dos níveis considerados adequados e não representa risco para a saúde, é importante fazer a dosagem no sangue do colesterol total e frações, como LDL, HDL e triglicerídeos, que devem ser indicados pelo médico. Caso tenha feito um exame de sangue recentemente, coloque o seu resultado na calculadora a seguir e veja se o seu colesterol está bom:

O exame do colesterol pode ser feito tanto em jejum de até 12 horas quanto sem jejum, no entanto é importante seguir a recomendação do médico, principalmente se outro exame tiver sido indicado. Veja mais sobre a calculadora do colesterol.

Источник: https://www.tuasaude.com/dieta-para-baixar-colesterol/

O Poder dos Alimentos

Dieta para baixar o colesterol ruim

Apesar da fama de vilão, o colesterol é uma substância que desempenha papel importante no funcionamento das células do corpo, sendo matéria-prima para alguns hormônios, como o cortisol, por exemplo.

O que o torna perigoso, porém, é quando os índices estão acima do normal, já que seu excesso provoca o risco de doenças cardiovasculares.

E, apesar da predisposição genética de cada pessoa, a alimentação também é responsável na hora de controlar o problema.

Dennys Esper Corrêa Cintra, professor das disciplinas de Nutrigenômica, Farmacologia e Avaliação Nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas); Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do HCor (Hospital do Coração-SP) e Marcelo Assad, presidente do Departamento de Cardiologia Clínica da Socerj (Sociedade de Cardiologia da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro), listam os melhores e piores alimentos para cuidar do seu colesterol.

Imagem: iStock

Sardinha em lata
O ômega-3 presente no alimento é reconhecido por sua atividade cardioprotetora, contribuindo, assim, de forma significativa para a redução dos triglicérides, que são gorduras presentes no nosso corpo. O mais saudável é incluir, no mínimo, duas porções por semana na dieta. A sardinha em lata é uma boa opção, pois consumimos o peixe inteiro e não apenas o filé, tendo acesso a mais fontes desse ômega-3.

Imagem: Getty Images

Margarinas enriquecidas com fitoesteróis
Os fitoesteróis são substâncias que funcionam bloqueando, parcialmente, a absorção de colesterol no intestino, auxiliando assim em sua redução. O consumo de duas porções diárias (duas colheres de sopa) do produto, que não contém gordura trans, já garante a quantidade recomendada.

Imagem: iStock

Abacate
Possui gorduras monoinsaturadas, que são muito eficientes na diminuição de triglicérides, do colesterol ruim (LDL) e colesterol total.

Também é rico em fitosteróis e possui uma série de micronutrientes, como potássio e magnésio, que aumentam a capacidade anti-inflamatória do organismo.

Vale ressaltar que, apesar de todos os benefícios, é rico em calorias. Por isso, cuidado para não exagerar.

Imagem: Getty Images

Soja
O consumo diário de uma a duas porções (15 a 30 gramas) de alimentos à base da proteína de soja está associado à redução de 5% de LDL (colesterol ruim) e ao aumento de 3% de HDL (colesterol bom). Aqui, cabe qualquer item derivado da soja, como o próprio grão cozido, a carne de soja (PVT) ou o tofu –com exceção do óleo de soja. Seu benefício vem da presença de isoflavonas.

Imagem: iStock

Farelo de aveia
É rico em fibras solúveis (betaglucanas), que não são absorvidas pelo intestino e levam o colesterol da refeição para as fezes, contribuindo, assim, para diminuir a absorção deste tipo de gordura. Além disso, essas fibras também são fermentadas pelas bactérias do intestino, gerando ácidos graxos de cadeia curta que caem na corrente sanguínea e diminuem a absorção do colesterol ruim.

Imagem: iStock

Nozes
Um consumo pequeno, mas diário, tem um importante papel na redução do colesterol, causando ainda ligeiro aumento do colesterol bom.

Apesar de sutil, o efeito é interessante por conta do ácido oleico presente em sua composição, que também é encontrado no azeite de oliva, outra fonte excelente de gordura saudável.

Vale refogar os alimentos com o azeite e utilizar uma colher de sopa na salada de cada refeição.

Imagem: iStock

Morango
De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Nutritional Biochemistry, comer morangos pode reduzir significativamente o colesterol total, o colesterol LDL e os triglicérides.

Para conseguir tais benefícios, os voluntários ingeriram 500 gramas de morangos todos os dias durante um mês.

Após esse período, houve melhora na função plaquetária, nos níveis de antioxidantes e de lipídios plasmáticos.

Imagem: iStock

Vinho tinto seco
A casca da uva tem uma propriedade importantíssima, chamada resveratrol, e durante o processo de fermentação da fruta, o álcool consegue concentrar essa substância, que ajuda a regular a produção de colesterol ruim.

Só não exagere na dose, para não ter mais efeitos negativos do que positivos. A recomendação é uma taça por dia. Beba com moderação, porque o consumo exagerado de bebida alcoólica também está associado ao surgimento de outras doenças, como o câncer.

Melhor moderar

Imagem: Getty Images

Ovo
Naquela pessoa predisposta a ter um acúmulo de colesterol, comer um ovo por semana já é o limite.

Já outros possuem uma capacidade excelente de remoção do colesterol do corpo e podem comer vários por semana, sem problemas.

No entanto, os exames genéticos ainda não são capazes de dizer em qual desses grupos você está. Assim, o recomendado é regular o consumo. Vá de dois ou três ovos por semana, no máximo.

Imagem: iStock

Carne de porco
Qualquer fonte animal vai ter gordura saturada e colesterol. O truque está em escolher um corte magro do animal, como o lombo, que possui menos desses itens. A linguiça, por exemplo, tem muita gordura saturada, por isso tenha bastante cuidado e não exagere no consumo. Mas comer em um churrasco, bem de vez em quando, não tem problema.

Tire do cardápio

Imagem: Getty Images

Óleo de coco
Tem níveis de gordura saturada altíssimos (86%), ainda maiores do que os da manteiga (51%) ou da banha de porco (39%).

De acordo com o posicionamento da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia), quando comparado a óleos vegetais menos ricos em ácido graxo saturado, ele aumenta o colesterol total (particularmente o LDL-colesterol), o que contribui para um maior risco cardiovascular. A Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) também é contra seu uso.

Imagem: iStock

Óleo de milho e girassol
São problemáticos por serem fontes de ômega-6 que, apesar de ser essencial, depois de uma certa dose ativa o sistema inflamatório do corpo, aumentando os índices do colesterol ruim.

Imagem: iStock

Gordura trans
Devem ser excluídos da dieta por aumentarem a concentração plasmática de LDL e induzirem intensa lesão aterosclerótica, condições que elevam o risco cardiovascular. São exemplos: biscoitos recheados e pipoca de micro-ondas.

Imagem: Getty Images

Fígado
Como é um alimento rico em ferro, o fígado pode ser um prato saudável para alguns. Para outros, no entanto, pode aumentar os níveis de colesterol ruim, já que este órgão é a principal fonte de colesterol do corpo, sendo onde a substância é produzida e armazenada. Se o seu colesterol está alto, melhor cortar do cardápio.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
| Instagram |

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/04/06/quer-abaixar-o-colesterol-ruim-aposte-na-sardinha-em-lata-e-na-aveia.htm

Dieta mais adequada para quem tem colesterol alto

Dieta para baixar o colesterol ruim

Mudanças no estilo de vida, incluindo a prática regular de exercícios físicos e uma dieta adequada, são importantes medidas para o controle dos níveis de colesterol. Em indivíduos com níveis de colesterol apenas um pouco elevado, simples alterações na dieta  podem reduzir ou até mesmo evitar o uso de medicamentos contra o colesterol.

Qualquer grau de redução no colesterol é bem-vindo, já que a cada 1% de redução dos níveis de colesterol LDL no sangue diminui-se em 2% o risco de doenças cardiovasculares. É importante salientar que além da dieta, para reduzir o colesterol também são essenciais o controle do peso corporal e a prática de exercícios físicos regulares.

Neste artigo faremos uma rápida revisão sobre a dieta mais indicada para o controle do colesterol. Sugerimos também a leitura de outros textos nossos sobre colesterol alto, onde explicamos as diferenças entre os tipos de colesterol (HDL, LDL e triglicerídeos) e as opções de tratamento com medicamentos: ARQUIVO DE TEXTOS SOBRE COLESTEROL

Quem deve fazer dieta para baixar o colesterol?

Uma dieta saudável é indicada para qualquer indivíduo, mesmo aqueles com níveis de colesterol controlados. Entretanto, quanto maior for o valor do colesterol LDL, mais importantes se tornam as mudanças de hábito de vida.

Uma dieta voltada para controle do colesterol está indicada para todos aqueles com colesterol LDL acima de 130 mg/dL.

No caso de pacientes com antecedentes pessoais de doença coronariana (leia: INFARTO DO MIOCÁRDIO | Causas e prevenção) a dieta deve ser feita de modo a ajudá-lo a manter o LDL abaixo de 100 mg/dL.

O que segue abaixo são dicas gerais sobre alimentos e suplementos no controle do colesterol. Para se otimizar os resultados é sempre importante ter uma consulta com um nutricionista, para que este possa traçar uma estratégia apropriada para o seu caso em particular.

Alimentos que interferem com o colesterol

Regra geral, deve-se evitar gorduras saturadas, principalmente as saturadas do tipo trans. As gorduras mais saudáveis são as gorduras insaturadas, principalmente as monoinsaturadas, encontradas em alimentos como o azeite, canola, abacate, amendoim e nozes. Vamos explicar com mais detalhes.

Carnes

Não é preciso cortar carnes da dieta, mas dê preferência a peixes. Carnes de aves sem pele também são uma opção. Carne de boi ou porco somente se forem cortes magros. A quantidade ideal de carne por dia é de 150 a 200g. Deve-se evitar:

  • Carnes com cortes gordos, entrecosto, carne de órgãos e carnes fritas (inclusive peixes).
  • Linguiça, salsicha, mortadela, salame, presunto e bacon.
  • Camarão, polvo e lulas.

Deve-se sempre dar preferência à proteína vegetal em vez da proteína de origem animal. A carne de soja é um ótimo substituto para as carnes de origem animal.

Para saber sobre os riscos do consumo de carne vermelha, leia: CARNE VERMELHA CAUSA CÂNCER?

Ovos

Pode-se comer ovos, porém, não mais do que 4 gemas por semana nos casos mais leves e não mais do que 2 gemas por semana nos casos de colesterol mais elevado ou alto risco cardiovascular. Nesta conta inclui-se alimentos que levam ovos, como bolos e massas. A clara não tem colesterol e pode ser consumida sem medo.

Leite e derivados

O leite deve ser sempre desnatado. O mesmo vale para queijos e iogurtes. Dê preferência ao queijo cottage, o mais magro de todos. Queijo Minas light também é uma boa opção. Evite queijo gorgonzola, cheddar, provolone e parmesão.

Ao contrário do muita gente pensa, a muzarela de búfala não é um queijo magro. Na verdade, ela é mais gordurosa até do que a muzarela comum.

Se quiser usar creme de leite na preparação de algum prato, use o à base de soja, cujo sabor é muito parecido. Também tenha cuidado com sorvetes cremosos.

Há alguns estudos novos que desafiam a nossa atual noção de que laticínios ricos em gordura saturada são maus para o colesterol, porém, isso ainda é motivo para debate e de forma alguma há evidências suficientes para mudança no atual consenso.

Margarina

Não se deve usar manteiga, mas sim margarina especiais. Já há no mercado margarinas com esteróis vegetais (fitosteróis) que comprovadamente ajudam a baixar os níveis de colesterol LDL. As duas marcas mais famosas são Becel pro-activ® e Benecol®.

Óleo de peixe (Omega 3)

O omega 3 é um tipo de gordura encontrada em peixes gordos, principalmente salmão, nas sementes de linhaça, óleo de linhaça, óleo de canola, óleo de soja e nozes.

O óleo de peixe também pode ser encontrado em cápsulas. O seu consumo regular reduz a incidência de eventos cardiovasculares e ajuda a reduzir os níveis de triglicerídeos.

Sugere-se o consumo de no mínimo duas refeições por semana com peixes ricos em omega 3.

Para saber mais sobre o ômega 3, leia: ÔMEGA 3 – Benefícios para a saúde

Soja

A proteína de soja apesar de não baixar diretamente os níveis de colesterol é indicada nos pacientes com colesterol alto por ser uma fonte de proteína com baixa quantidade de gordura saturada e grande quantidade gorduras insaturada.

Nozes

Nozes, amêndoas, avelã, pistáchio e castanha são boas opções para redução do colesterol LDL.

Alho

Apesar da crença popular, não há evidências de que o alho tenha ação direta na redução do colesterol LDL.

Chá verde

O chá verde comprovadamente reduz os níveis de LDL. É uma boa opção.

Fibras

O consumo regular de alimentos ricos em fibras ajuda a reduzir os níveis de LDL. Coma o máximo de alimentos com fibras que conseguir.

Frutas e vegetais

Ajudam a reduzir o colesterol LDL e devem ser a base da alimentação.

Óleos vegetais

Os óleos vegetais, como azeite, soja, girassol, canola, milho, algodão e arroz não possuem gordura saturada e são ótimas fontes de gordura saudável (gorduras insaturadas). Mas atenção, eles não devem ser fervidos, pois altas temperaturas mudam sua estrutura química transformado-os em gordura saturada (gordura ruim).

Chocolate amargo

Enquanto o chocolate comum costuma aumentar os níveis de colesterol, o chocolato amargo é rico em flavonoides, substâncias que diminuem o LDL.

Pão

Pão integral e cereais de aveia, milho ou trigo são indicados. Deve-se evitar: croissants, pães nos quais ovos, gordura ou manteiga sejam os ingredientes principais, biscoitos com alto teor de gordura, bolos, muffins contendo leite integral, gemas de ovos ou óleos saturados.

É importante salientar que a dieta e os exercícios conseguem baixar os níveis de colesterol em até 20-30%, sendo muitas vezes o suficiente para se atingir níveis adequados.

Mesmo naqueles pacientes que precisam de remédios para controlar o colesterol, a dieta é importante pois potencializa a ação das drogas, fazendo com que seja necessário o uso de doses menores, diminuindo os custo do tratamento e a incidência de efeitos colaterais.

Источник: https://www.mdsaude.com/cardiologia/colesterol/dieta-colesterol/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: