Doenças que impedem a doação de sangue

Contents
  1. Posso dar sangue? | SNS24
  2. Posso dar sangue enquanto estou a amamentar?
  3. Estou grávida. Posso dar sangue?
  4. Fiz um exame endoscópico (endoscopia, colonoscopia). Posso dar sangue?
  5. Fui operado. Posso dar sangue?
  6. Posso dar sangue se estiver com gripe?
  7. Já dei sangue este ano. Posso repetir a dádiva?
  8. Estou a tomar medicação para o colesterol. Posso dar sangue?
  9. Mudei de parceiro/a sexual. Posso dar sangue?
  10. Não sei o meu grupo sanguíneo. É grave?
  11. O meu tipo de sangue é necessário?
  12. Estou menstruada. Posso dar sangue?
  13. Fiz uma pequena cirurgia. Posso dar sangue?
  14. Fiz exames solicitados pelo médico de família. Posso dar sangue?
  15. Recebi uma transfusão. Posso dar sangue?
  16. Será a minha profissão de risco?
  17. Fiz um tratamento dentário. Posso dar sangue?
  18. Tenho diabetes. Posso dar sangue?
  19. Tenho hipertensão. Posso dar sangue?
  20. Estou a tentar engravidar. Posso dar sangue?
  21. Tenho fibromialgia. Posso dar sangue?
  22. Tenho mais de 65 anos de idade. Posso dar sangue?
  23. Tenho um piercing. Posso dar sangue?
  24. Tenho uma tatuagem. Posso dar sangue?
  25. Tive epilepsia. Posso dar sangue?
  26. Estou a tomar antibiótico. Posso dar sangue?
  27. Estou a tomar antidepressivos. Posso dar sangue?
  28. Viajei recentemente. Posso dar sangue?
  29. Tive um aborto. Posso dar sangue?
  30. Doação de sangue: importância, requisitos, mitos
  31. → Por que doar sangue é importante?
  32. → Requisitos para doar sangue
  33. → Triagem de doadores de sangue
  34. → Quanto tempo dura a doação de sangue?
  35. → Como proceder após uma doação de sangue?
  36. → Quem não pode doar sangue?
  37. → Alguns mitos relacionados à doação de sangue
  38. Quem tem asma pode doar sangue? Entenda as limitações
  39. Por que é importante ser doador?
  40. O procedimento
  41. Quais cuidados os asmáticos devem ter para doar sangue?
  42. Uso de medicamentos
  43. Doenças que impedem a doação
  44. Janela imunológica
  45. Como fazer a doação de sangue?
  46. DOAÇÃO DE SANGUE – Informações Úteis
  47. Doação de sangue
  48. Quem não pode doar sangue?
  49. Impedimentos temporários para doação de sangue
  50. Vacinação e doação de sangue
  51. Vacinas com vírus ou bactérias vivos atenuados
  52. Vacinas com vírus ou bactérias mortas ou com toxoides
  53. Cirurgias e tempo de intervalo para doação de sangue
  54. Remédios que contraindicam a doação de sangue
  55. Como é feita a doação?
  56. Doar sangue é seguro?
  57. Orientações após a doação
  58. Observações finais

Posso dar sangue? | SNS24

Doenças que impedem a doação de sangue

O dador deve formalizar o seu consentimento para a dádiva por escrito (preenchimento do consentimento informado) e deve responder com verdade, consciência e responsabilidade às questões que lhe são colocadas. Desta forma, pretende-se garantir a sua saúde e do recetor/doente, preservando também a qualidade e segurança do componente doado.

Posso dar sangue enquanto estou a amamentar?

Não é aconselhável, uma vez que a dádiva de sangue durante a amamentação pode reduzir as reservas de ferro e afetar a quantidade deste componente no leite materno. Deve suspender temporariamente a doação de sangue até 3 meses após a amamentação.

Estará apta a dar sangue se a amamentação for superior a 12 meses.

Estou grávida. Posso dar sangue?

Enquanto estiver grávida não pode dar sangue. Poderá candidatar-se à dádiva de sangue 6 meses após o parto.

Em caso de interrupção da gravidez, aborto, gravidez ectópica antes das 12 semanas e sem perda significativa de sangue, pode candidatar-se à dádiva de sangue, sendo avaliada pelo profissional que realiza a triagem clínica.

Caso haja perda significativa de sangue nas circunstâncias anteriormente mencionadas deve aguardar 6 meses para se candidatar à dádiva de sangue.

Fiz um exame endoscópico (endoscopia, colonoscopia). Posso dar sangue?

Sim. Pode dar sangue 4 meses depois da realização do exame.

Fui operado. Posso dar sangue?

Pode dar sangue 4 meses depois, caso não tenha tido complicações e não tenha recebido transfusão de sangue.

Caso tenham ocorrido complicações (reinternamento, dificuldade de cicatrização) deve aguardar 6 meses.

Posso dar sangue se estiver com gripe?

Caso apresente síndrome gripal (febre, tosse e mialgias) ou sintomatologia compatível com febre indeterminada no período temporal compreendido entre 1 de maio e 31 de outubro de cada ano, é suspenso por 28 dias.

Fora do período referido, e, em presença de uma gripe, poderá dar 15 dias depois, se não apresentar sintomas e não estiver a tomar medicação.

Já dei sangue este ano. Posso repetir a dádiva?

Sim. Pode repetir a dádiva sem qualquer inconveniente para a sua saúde e bem-estar desde que sejam respeitados os intervalos definidos entre as dádivas de sangue.

Os homens podem dar sangue 4 vezes por ano e as mulheres 3 vezes por ano, com um intervalo mínimo de 2 meses entre as dádivas.

Estou a tomar medicação para o colesterol. Posso dar sangue?

A medicação para o colesterol não é impedimento para a dádiva de sangue, desde que se sinta bem.

Mudei de parceiro/a sexual. Posso dar sangue?

A mudança de parceiro sexual implica um período de suspensão de 6 meses.

Todas as unidades de sangue colhidas são, conforme a lei obriga, submetidas ao rastreio de doenças infecciosas potencialmente transmissíveis pela transfusão de sangue (hepatite B, hepatite C, sífilis e vírus da imunodeficiência humana).

Esta avaliação é feita durante a triagem clínica pelo profissional de saúde, que analisa e decide sobre a elegibilidade do potencial dador de sangue baseando-se na evidência científica, nas diretivas europeias e na legislação em vigor, tendo em conta as circunstâncias concretas que são apresentadas pelo dador.

Não sei o meu grupo sanguíneo. É grave?

Não saber o grupo sanguíneo não é impedimento para a dádiva de sangue.

O meu tipo de sangue é necessário?

Sim. Todos os grupos de sangue são necessários, mesmo aqueles que são mais comuns. A raridade/necessidade depende da proporção de pessoas que doa e recebem o mesmo tipo de sangue (se pensar que o grupo mais comum é o A+, também é este grupo o mais necessário).

Estou menstruada. Posso dar sangue?

Na avaliação clínica do dador faz-se a determinação da hemoglobina. Se o valor da hemoglobina for superior ou igual a 12.5gr/dl e não tiver cólicas menstruais (dismenorreia) poderá dar sangue.

Fiz uma pequena cirurgia. Posso dar sangue?

Se fez uma pequena cirurgia pode dar sangue 1 semana depois, desde que esteja sem sintomas.

Fiz exames solicitados pelo médico de família. Posso dar sangue?

Se realizou exames complementares de diagnóstico e aguarda os seus resultados, não deve dar sangue. Assim que tiver um diagnóstico e os resultados dos exames realizados pode dirigir-se a um local de colheita de sangue para ser esclarecido sobre a elegibilidade para a dádiva de sangue.

Recebi uma transfusão. Posso dar sangue?

  • se recebeu uma transfusão antes de 1980 pode continuar a dar sangue
  • se recebeu uma transfusão após 1980 não poderá dar sangue

A implementação deste critério de suspensão da dádiva de sangue surge na sequência do risco de transmissão de uma variante da Doença de Creutzfeldt-Jakob (vCJD), também designada por doença das vacas loucas.

Será a minha profissão de risco?

Apesar de muitas profissões estarem expostas a um certo grau de risco, o que importa considerar na dádiva de sangue é a exposição ao risco infeccioso (trabalhar em enfermaria, matadouro, exposição acidental a doença, sangue ou fluidos, etc).

Assim e apesar de as profissões terem um risco inerente, não são por si só impedimento para a dádiva de sangue, mas pode, eventualmente, durante a triagem clínica, ser identificado pelo profissional de saúde qualquer circunstância de risco que impeça a dádiva de sangue.

Fiz um tratamento dentário. Posso dar sangue?

No caso de:

  • destartarização, ajuste de aparelho ortodôntico, branqueamento e polimento dentários: pode dar sangue 24 horas após tratamento e se não tiver sintomas de doença
  • extração dentária, obturação e implante: pode dar sangue 7 dias após terminar o tratamento e se não tiver sintomas de doença
  • sutura na cavidade oral: pode dar sangue 7 dias após remoção dos pontos e se não tiver sintomas de doença

Tenho diabetes. Posso dar sangue?

Sim. Pode dar sangue desde que os valores da glicemia (açúcar no sangue) estejam normalizados e não esteja a fazer insulina.

Tenho hipertensão. Posso dar sangue?

É recomendável que no momento da dádiva de sangue os valores da tensão arterial estejam compreendidos entre:

  • sistólica: igual ou superior a 100mmHg e igual ou inferior a 180mmHg
  • Diastólica: igual ou superior a 60mmHg e igual ou inferior a 100mmHg.

A tensão arterial elevada é um fator de risco para a doença cardiovascular e a existência de doença pode condicionar a resposta do coração à dádiva de sangue.

Estou a tentar engravidar. Posso dar sangue?

Sim. Pode dar sangue desde que não tenha atraso menstrual e não esteja em investigação ou sob tratamento de infertilidade.

Tenho fibromialgia. Posso dar sangue?

Sim, se a medicação que o dador realiza não contraindicar a dádiva de sangue e se o dador se sentir bem. No entanto, deverá ser sempre avaliado na triagem clínica pelo profissional de saúde por forma a que a decisão seja adequada ao estado.

A fibromialgia é uma síndroma dolorosa não inflamatória caracterizada por dores musculares difusas, fadiga, distúrbios do sono e parestesias.

Tenho mais de 65 anos de idade. Posso dar sangue?

Não há limite de idade para a dádiva de sangue. Os dadores com mais de 65 anos poderão dar sangue com autorização do médico do serviço de sangue.

Tenho um piercing. Posso dar sangue?

Sim. Pode dar sangue 4 meses depois da colocação do piercing.

Tenho uma tatuagem. Posso dar sangue?

Sim. Pode dar sangue 4 meses depois da realização da tatuagem.

As pinturas, stencilling e uso de transfers não contraindicam a dádiva de sangue.

Tive epilepsia. Posso dar sangue?

Pode dar sangue desde que tenham passado 3 anos desde a última data em que tomou a medicação anticonvulsiva sem reaparecimento de convulsões.

Estou a tomar antibiótico. Posso dar sangue?

O antibiótico não é impedimento para a dádiva de sangue, mas sim doença infecciosa subjacente.

Os agentes infecciosos (bactérias, vírus, protozoários, fungos), apesar de localizados, podem ser encontrados no sangue circulante.

Em caso de infeção aguda (limitada no tempo) poder dar sangue 7 dias após terminar o antibiótico e desde que esteja sem sintomas.

Estou a tomar antidepressivos. Posso dar sangue?

Sim. Os antidepressivos não são impedimento para a dádiva de sangue, desde que se sinta bem e não tenha sintomas associados (tristeza profunda, indiferença, baixa autoestima, choro fácil).

Viajei recentemente. Posso dar sangue?

Para uma informação correta é importante saber:

  • para onde viajou ou residiu temporariamente
  • durante quanto tempo
  • se ficou doente (ocorrência de sintomas durante ou após regresso)

Tive um aborto. Posso dar sangue?

Pode dar sangue passado 6 meses, desde que se sinta bem.

Pode consultar mais informações sobre doação de sangue.

Veja este vídeo sobre a dádiva de sangue.

Fonte: Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST)

Источник: https://www.sns24.gov.pt/guia/posso-dar-sangue/

Doação de sangue: importância, requisitos, mitos

Doenças que impedem a doação de sangue

A doação de sangue é um ato voluntário que pode ajudar a salvar muitas vidas. Em cada doação, uma pessoa doa, no máximo, 450 ml de sangue e essa única doação pode salvar a vida de até quatro pessoas.

Vale destacar que, em cerca de um dia, o organismo já repõe a quantidade de sangue que foi retirada na doação. Além disso, doar sangue é um ato seguro e todos os materiais usados no procedimento são descartáveis.

Desse modo, não há riscos de você ser contaminado ao doar sangue.

Leia também: Doação de medula óssea

Por que doar sangue é importante?

Quando doamos sangue, fornecemos um produto essencial para a sobrevivência de um indivíduo. Em algumas situações, a transfusão é inevitável, sendo, portanto, essencial que haja sangue em estoque, o qual é conseguido exclusivamente por doação.

Várias são as situações em que uma pessoa necessita de sangue. Entre as situações mais conhecidas, podemos citar as cirurgias de grande porte, transfusão para pacientes com doenças crônicas, como a doença falciforme e após acidentes graves.

A doação de sangue é um ato de amor ao próximo.

Requisitos para doar sangue

A doação de sangue é um gesto voluntário e repleto de solidariedade, entretanto, ele não pode ser realizado por todas as pessoas, havendo alguns requisitos que devem ser obedecidos. De acordo com o Ministério da Saúde, são requisitos para doação de sangue:

Requisitos para doação de sangue
Idade entre 16 e 69 anos. Menores de idade devem possuir autorização do responsável e pessoas entre 60 e 69 anos só podem doar se já forem doadores frequentes.
Pesar no mínimo 50 kg.
Estar bem alimentado, porém se a doação for feita após o almoço aguardar 2 horas.
Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas.
Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial.

Leia também: Transplantes de órgãos e tecidos

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Triagem de doadores de sangue

Antes do sangue ser disponibilizado para um receptor, é realizada uma triagem do doador. A triagem é feita em três etapas que incluem registro, entrevista e também a realização de exames específicos.

  • Etapa 1- Registro do doador: O doador é cadastrado e é feita sua identificação com o registro de algumas informações básicas, tais como nome, sexo, idade, profissão e endereço. Nessa etapa, o candidato apresenta documento emitido por órgão oficial com fotografia.
  • Etapa 2- Triagem clínica: Nessa etapa, são analisados critérios, como peso, a temperatura, a pressão arterial, entre outros. Também é feita uma entrevista, que é completamente sigilosa e visa a identificar, por exemplo, situações em que o sangue do doador possa ter sido contaminado.
  • Etapa 3- Triagem sorológica: Nessa etapa, são feitos testes laboratoriais para verificar se o sangue está em condições de ser usado.

Quanto tempo dura a doação de sangue?

O procedimento de doação de sangue é relativamente rápido. Desde o cadastro e triagem clínica até a coleta de sangue, o processo dura em média 40 minutos, ou seja, menos de uma hora.

Após a doação, o sangue passará por uma série de exames.

Como proceder após uma doação de sangue?

A doação de sangue é um processo rápido e bastante simples, entretanto, isso não significa que algumas precauções não devam ser tomadas. Veja, a seguir, as principais recomendações após a doação de sangue:

  • Faça um pequeno lanche após a doação;
  • Não realize grandes esforços físicos pelo menos nas 12 horas seguintes à doação;
  • Após a doação, aumente a ingestão de líquidos e evite bebidas alcoólicas por um período de 12 horas;
  • Nas duas horas após o procedimento, procure não fumar;
  • Espere pelo menos quatro horas para retirar o curativo do local da punção.

Quem não pode doar sangue?

Algumas pessoas apresentam impedimentos que impossibilitam a doação.

Algumas pessoas possuem restrições que impedem a doação de sangue, portanto, é importante consultar a unidade onde será feita a doação. Segundo o Ministério da Saúde, existem alguns impedimentos que são temporários e outros que impedem definitivamente a doação. Veja, a seguir, quais são esses impedimentos:

Impedimentos temporários para a doação de sangue
Gripe, resfriado e febre: aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sintomas;
Período gestacional;
Período pós-gravidez: 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana;
Amamentação: até 12 meses após o parto;
Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
Tatuagem e/ou piercing nos últimos 12 meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação);
Extração dentária: 72 horas;
Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses;
Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses;
Transfusão de sangue: 1 ano;
Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina;
Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
Ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição).
Impedimentos definitivos para a doação de sangue
Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade;
Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de Chagas;
Uso de drogas ilícitas injetáveis;
Malária.

Alguns mitos relacionados à doação de sangue

Quando o assunto é doação de sangue, muitos mitos rondam o processo. Veja, a seguir, algumas afirmações muito ouvidas, mas que não apresentam confirmação científica.

Mitos sobre a doação de sangue
A mulher não pode doar sangue menstruada: Isso é um mito, uma vez que o período menstrual não é impedimento para a doação.
Quem tem tatuagem não pode doar sangue: Isso é um mito, pois pode-se doar após um ano de realizada a tatuagem.
A quantidade de sangue doada pode causar danos à saúde: Isso é um mito, porque a quantidade de sangue retirada é pequena e o organismo repõe esse volume de sangue em até 24 horas.
Doar sangue engrossa o sangue: Isso é um mito, já que o processo não engrossa e também não afina o sangue.
Fumantes não podem doar sangue: Pessoas que fumam podem doar sangue, entretanto, o Ministério da Saúde recomenda um intervalo sem fumar de pelo menos duas horas antes da doação.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Источник: https://mundoeducacao.uol.com.br/saude-bem-estar/doacao-sangue.htm

Quem tem asma pode doar sangue? Entenda as limitações

Doenças que impedem a doação de sangue

Pessoas com asma que apresentam quadro clínico estável podem, sim, fazer a doação de sangue. Mas quem toma medicamentos, seja para asma, seja para outras doenças, deve ter alguns cuidados.

A doação de sangue ainda gera imensa curiosidade na população, principalmente no que diz respeito aos critérios para conseguir ser um doador e aos exames que precisam ser realizados para confirmar a viabilidade do sangue a ser doado. Por isso, se você já é um doador ou tem vontade de doar, acompanhe a leitura deste artigo e tire suas dúvidas.

Vamos explicar a importância de ser um doador atualmente, os cuidados que um asmático precisa ter para fazer a doação e a quem recorrer para contribuir com essa causa em total segurança. Confira!

Por que é importante ser doador?

A doação de sangue é um ato de imensa generosidade e que pode, literalmente, salvar milhares de vidas se mais pessoas tomarem consciência disso. Hoje, o cenário é alarmante.

Falta sangue nos bancos, apesar das constantes campanhas realizadas pelo Ministério da Saúde em parceria com os Hemocentros (instituições públicas e privadas voltadas à coleta e ao fornecimento de sangue para hospitais).

Acidentes que demandam o recebimento de bolsas de sangue se intensificam nos meses de janeiro, julho e dezembro, mas infelizmente o número de transfusões ainda é baixo quando comparado à quantidade de sangue necessária para sustentar os hemocentros.

E os casos de acidentes não são os únicos a exigirem o recebimento de sangue. Pacientes com leucemia, doenças renais, câncer e outros problemas de saúde estão na lista de pessoas que precisam dos sangues doados aos hemocentros.

O cenário não é muito favorável, mas pessoas saudáveis que ainda não são doadoras podem ajudar a melhorá-lo. Quem tem entre 16 e 67 anos, peso acima de 50 quilos e porta documento oficial com foto aceito em território nacional, pode se tornar um doador.

Pessoas abaixo de 18 anos precisam estar acompanhas de pelo menos um responsável ou apresentar autorização legal. Homens podem doar sangue a cada 3 meses, enquanto as mulheres podem doar a cada 4 meses, devido à perda natural de sangue ocorrida no período menstrual.

O procedimento

O futuro doador realiza o teste para saber se não é anêmico e se tem sangue suficiente para fazer a doação.

Em seguida, é feita uma avaliação para medir o peso e a pressão arterial da pessoa, além de uma entrevista para o profissional do hemocentro conhecer seu estilo de vida e uma retirada de amostra de sangue para eliminar a possibilidade de doenças como aids, doença de chagas, sífilis e hepatites.

Pessoas com asma, por outro lado, são aptas a serem doadores, desde que correspondam aos outros critérios exigidos pelo Ministério da Saúde. Com a análise e aprovação nos exames e testes sorológicos, o sangue é liberado para a transfusão. A doação dura mais ou menos 30 minutos.

Quais cuidados os asmáticos devem ter para doar sangue?

Vimos que asmáticos não são impedidos de fazerem a doação de sangue apenas por conta da asma, mas outros critérios ainda podem se tornar impeditivos. Isso exige um cuidado maior por parte do futuro doador, pois, na entrevista realizada antes da transfusão, algumas perguntas precisam ser respondidas com total sinceridade e consciência.

Os cuidados normalmente envolvem os seguintes pontos.

Uso de medicamentos

Analgésicos não impedem a doação de sangue, mas o profissional do hemocentro avaliará os sinais que motivam o uso, procedimento que pode inviabilizar a doação. Por isso, a recomendação é não usar analgésicos no dia de doar sangue. O uso de antitérmicos, por outro lado, impede a doação de sangue, devido ao que motivou o seu uso: uma doença febril.

O uso de anti-inflamatórios deve ser informado durante a entrevista, assim como o uso de antibióticos. Nesses casos, o tempo de inaptidão pode variar em relação à droga. O uso de corticoides exige 48 horas após a suspensão das dosagens para a viabilidade do sangue. De todo modo, é necessário que o profissional do hemocentro avalie cada caso.

A fundação Hemominas, do Governo Federal, disponibiliza em seu site oficial uma lista completa dos medicamentos que podem inviabilizar a doação de sangue.

Doenças que impedem a doação

Existem condições que impedem totalmente uma pessoa de doar sangue na vida, enquanto outras inviabilizam a transfusão de sangue temporariamente. Entre as doenças mais comuns que impedem totalmente a doação estão: hepatite B e C, doença de Chagas, malária, uso de drogas injetáveis, câncer, infecção pelo vírus HIV e Aids.

As condições mais comuns que inviabilizam temporariamente o sangue para a doação são: consumo de bebidas alcoólicas (inviabiliza por cerca de 12 horas), doenças respiratórias, como resfriado e gripe (cerca de 7 dias após a cura completa); tatuagem ou piercing (cerca de 4 meses); gravidez ou aborto (de 6 meses a 1 ano) e múltiplos parceiros sexuais (cerca de 12 meses).

Janela imunológica

A janela imunológica é o período entre a contaminação do organismo por um agente infecciono e a detecção desse agente nos exames laboratoriais. Nesse tempo, os exames podem dar negativo para doenças que estão presentes no sangue.

Há pessoas que procuram os hemocentros para simplesmente saberem se foram contaminadas por infecções, devido à rigorosidade dos exames realizados antes de viabilizar determinado sangue para doação. Esse é um risco enorme, já que o sangue contaminado pode infectar outros organismos e espalhar doenças.

Portanto, quem apenas deseja realizar exames para verificar a presença de doenças deve se direcionar ao posto de saúde mais próximo e solicitar o teste.

Como fazer a doação de sangue?

Para doar sangue basta ir a uma unidade de coleta de sangue da sua cidade, como os hemocentros. Nesse local, o primeiro passo é a sua identificação mediante documento com foto e o preenchimento de uma ficha de cadastro que terá as informações atualizadas para as suas próximas visitas ao hemocentro.

Agora que você já sabe que quem tem asma pode doar sangue e entende a importância dessa atitude, entre já para o grupo de doadores e incentive os seus amigos e familiares a aderirem à causa. Trata-se de um procedimento simples, mas que pode salvar várias vidas. Portanto, seja você também um doador de sangue!

Gostou dessas informações? A asma é um problema de saúde que ainda causa uma série de dúvidas em muitas pessoas! Conheça agora 6 coisas que você não sabia sobre essa doença crônica.

Источник: https://conteudo.omronbrasil.com/quem-tem-asma-pode-doar-sangue/

DOAÇÃO DE SANGUE – Informações Úteis

Doenças que impedem a doação de sangue

Em todos os hospitais do mundo, diariamente, são realizadas transfusões sanguíneas. Não existe sangue artificial, nem outra substância que possa substituí-lo; portanto, para que haja transfusão, é preciso que haja doação.

A doação de sangue é um ato voluntário de generosidade ainda pouco difundido na população. Estima-se que apenas 1 a cada 30 pessoas seja doadora, uma proporção muito pequena, ainda mais quando se sabe que 1 a cada 3 indivíduos, eventualmente, necessitará de uma transfusão de algum componente do sangue ao longo de sua vida.

Doação de sangue

O ato de doar sangue deve ser sempre voluntário, porém, nem todos os candidatos estão aptos para serem doadores, o que só aumenta a necessidade de um volume maior de candidatos.

Os requisitos básicos para doar sangue são:

  • Estar bem de saúde.
  • Ter mais de 18 e menos de 60 anos (acima de 60 e entre 16 e 18 anos há critérios especiais).
  • Pesar mais que 50 kg.
  • Homens não podem doar sangue 2 vezes em um espaço menor que 60 dias, respeitando o limite máximo de 4 doações por ano.
  • Mulheres não podem doar sangue 2 vezes em um espaço menor que 90 dias, respeitando o limite máximo de 3 doações por ano.
  • Mulheres não podem estar grávidas, nem amamentando.
  • Mulheres não podem ter tido um aborto ou parto há menos de 3 meses.

Se você se enquadra nestes requisitos, já pode se candidatar (ou recandidatar) à doação. Para que o procedimento não traga riscos nem ao doador, nem ao receptor do sangue, algumas outras condições devem ser respeitadas.

Quem não pode doar sangue?

Não costumam ser considerados aptos para doação de sangue os indivíduos que apresentem as seguintes condições:

  • Diabéticos insulinodependentes.
  • Pessoas que têm ou tiveram sífilis.
  • Pessoas que têm ou tiveram hepatite viral após os 10 anos de idade.
  • Pessoas com câncer.
  • Portadores do vírus HIV.
  • Pessoas com doença pulmonar, como DPOC.
  • Pessoas com insuficiência renal crônica.
  • Pessoas com passado de tuberculose extrapulmonar.
  • Pessoas com antecedentes de AVC.
  • Portadores do vírus HTLV I ou HTLV II.
  • Pessoas que tiveram malária ou que tenham morado em região endêmica nos últimos 6 meses.
  • Pessoas com doença de Chagas ou que tenham contato com o inseto barbeiro.
  • Portadores de doenças autoimunes.
  • Pessoas que sofrem de epilepsia.
  • Pessoas com doenças psiquiátricas que gerem inimputabilidade jurídica.
  • Pessoas com comportamento de risco tais como não usar preservativos em relações sexuais, ter tido mais de dois parceiros sexuais nos últimos 3 meses ou ser usuário de drogas injetáveis.

ATENÇÃO: homossexualidade não é impedimento para doar sangue. Não há motivos científicos para impedir a doação sangue baseado na orientação sexual do indivíduo. Isso é lei:

PORTARIA Nº 1.353, DE 13 DE JUNHO DE 2011 – § 5º A orientação sexual (heterossexualidade, bissexualidade, homossexualidade) não deve ser usada como critério para seleção de doadores de sangue, por não constituir risco em si própria. (http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1353_13_06_2011.html).

Impedimentos temporários para doação de sangue

Algumas situações impedem a doação apenas temporariamente. Neste caso, o candidato pode será orientado a retornar ao banco de sangue quando já não mais tiver nenhum tipo de impedimento. Abaixo, listo as principais situações que podem impedir a doação de sangue apenas de modo temporário.

  • Estar em jejum. O doador deve se alimentar tendo apenas o cuidado para não ingerir comidas muito gordurosas dentro das 4 horas que antecedem a doação.
  • Hipertensão não controlada. Para poder doar sangue é preciso que no momento da coleta a pressão arterial esteja abaixo de 180 x 100 mmHg.
  • Diabetes tipo 2 descontrolado.
  • Ter sido tatuado ou colocado piercing há menos de 1 ano.
  • Nova tatuagem há menos de 1 ano.
  • Ter realizado sessão de acupuntura sem material descartável há pelo menos 1 ano.
  • Atraso menstrual em mulheres em idade fértil.
  • Diarreia na última semana.
  • Resfriado: somente após estar 1 semana sem sintomas.
  • Tuberculose pulmonar nos últimos 5 anos.
  • Dengue no último mês.
  • Ter ingerido bebida alcoólica até 24 horas antes da doação.
  • Não ter dormido por pelo menos 6 horas na noite anterior a doação.
  • Ter recebido transfusão de sangue há menos de 1 ano.
  • Pessoas com doença febril não devem se candidatar a doação de sangue até estarem clinicamente curadas.
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após parto cesariano.

Vacinação e doação de sangue

Uma das dúvidas mais frequentes é em relação a vacinações antes da doação. Algumas vacinas, principalmente aquelas com vírus ou bactérias vivas não podem ser tomadas logo antes da doação, uma vez que o paciente a receber o sangue pode ser um imunossuprimido, que ficaria exposto a estes germes.

Em geral, as recomendações quanto às vacinas são as seguintes:

Vacinas com vírus ou bactérias vivos atenuados

  • Pólio Oral (Sabin), Febre Tifoide Oral, Sarampo, Caxumba (Parotidite), Febre amarela, BCG » Intervalo mínimo de 3 semanas para doação de sangue
  • Rubéola, Varicela (Catapora), Varíola » Intervalo mínimo de 4 semanas para doação de sangue

Vacinas com vírus ou bactérias mortas ou com toxoides

  • Cólera, Pólio (Salk), Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite, Hepatite A, Pneumococo, Febre Tifoide (Injetável), Leptospirose, Brucelose, Peste » Intervalo mínimo de 48 horas para doação de sangue.
  • Haemophilus influenzae, Hepatite B recombinante, Influenza (gripe) » Intervalo mínimo de 4 semanas para doação de sangue.
  • Vacinação contra raiva humana após exposição a animal suspeito » Intervalo mínimo de 1 ano para doação de sangue.

Leia Também:
VACINAS – Calendário de vacinação, efeitos colaterais.

Cirurgias e tempo de intervalo para doação de sangue

Após procedimentos cirúrgicos, existe uma janela de tempo que o paciente deve respeitar antes de poder doar sangue. O intervalo de tempo varia de acordo com o procedimento:

  • Extração dentária: 72 horas
  • Cirurgias de pequeno porte, como para apendicite, correções de hérnias, retirada das amígdalas, cirurgia de varizes: 3 meses.
  • Cirurgias de médio e grande porte, como colecistectomia (retirada da vesícula), nefrectomia (retirada de um rim), histerectomia (retirada do útero), nódulo de mama, ressecção de aneurismas, politraumatismos: 6 meses a 1 ano.
  • Cirurgia cardíaca, pneumectomia (retirada de um pulmão), gastrectomia (retirada do estômago), esplenectomia (retirada do baço): inaptidão definitiva.

Esses intervalos podem mudar de acordo com a avaliação feita pelo banco de sangue.

Remédios que contraindicam a doação de sangue

Na maioria dos casos, estar tomando remédios não contraindica a doação, uma vez que concentração da droga por unidade de sangue costuma ser baixa.

Muitas vezes o que contraindica a doação é a doença que está sendo tratada e não o próprio medicamento.

Por exemplo, pessoas tomando antibióticos não devem doar sangue por causa da infecção que está ativa e não somente pelo fato de haver antibiótico circulante no sangue.

Existem, porém, algumas poucas drogas que são contraindicadas para doação de sangue por causarem má formações em fetos mesmo quando em concentrações muito pequenas no sangue, o que é preocupante para grávidas que possam vir a precisar de transfusão sanguínea.

  • Isotrentinoína (Roacutan®) usada para o tratamento da acne e a Finasterida usada para hiperplasia benigna de próstata e calvície não podem ter sido administradas nos últimos 30 dias antes da doação.
  • Dutasterida, também usada para hiperplasia benigna de próstata não pode ter sido tomada nos últimos 6 meses
  • A Acitretina usada na psoríase não pode ter sido tomada nos últimos 3 anos. Alguns bancos de sangue consideram o uso da Acitretina como contraindicação definitiva, independente do tempo de suspensão.
  • O Etretinato, também usado na psoríase, contraindica a doação para o resto da vida, já que ainda é possível detectá-lo no sangue mesmo vários anos após o fim do tratamento.

Pacientes em uso de coagulantes como Varfarina e Heparina também não devem doar sangue. Pacientes que usaram aspirina ou anti-inflamatórios nos últimos 5 dias ou clopidogrel e/ou ticlopidina nas últimas 2 semanas, também não estão aptos a doar.

Como é feita a doação?

O candidato é primeiramente questionado sobre sua atual condição de saúde e seu histórico clínico à procura de dados que possam contraindicar a doação de sangue, seja temporariamente ou de modo permanente. É também realizada uma rápida avaliação dos sinais vitais e uma gota de sangue é retirada do dedo para determinação do grupo sanguíneo e para saber se o paciente está com anemia.

Durante a doação são retirados cerca de 450 ml de sangue, o volume de uma bolsa de sangue. O procedimento todo, desde a entrevista à doação do sangue propriamente dita, dura menos de 1 hora.

O volume de sangue retirado é sempre o mesmo, pois as bolsas são padronizadas com uma quantidade exata de anticoagulante. Qualquer volume de sangue a mais ou a menos pode resultar em um sangue sem qualidade para a transfusão.

Doar sangue é seguro?

Todo o material usado para coleta do sangue é esterilizado e descartável, não havendo risco de contrair doenças.

Cerca de 7% a 8% do nosso peso equivale ao volume de sangue circulante. Ou seja, em uma pessoa de 50 quilos há algo em torno de 4 litros de sangue dentro dos vasos.

Os 450ml de sangue doados seriam, portanto, aproximadamente 10% do volume de sangue circulante.

Por isso, pessoas muito magras não devem ser doadoras, pois a quantidade necessária para preencher um bolsa ultrapassa o limite de segurança.

O corpo repõe:

  • em 24 horas a quantidade de líquido doada;
  • em 4 semanas a quantidade de hemácias (glóbulos vermelhos);
  • os estoques de ferro somente em 60-90 dias, daí o intervalo mínimo obrigatório entre as doações.

Mantidos os cuidados acima, a doação de sangue é um procedimento praticamente inócuo. Eventualmente pode ocorrer uma equimose (mancha roxa) no braço, no local da punção, sem maiores consequências. Alguns indivíduos mais ansiosos podem desmaiar durante a picada, mas como esta é feita já com o candidato deitado, não ocorrem maiores problemas. (leia: DESMAIO, SÍNCOPE E REFLEXO VAGAL).

Nas pessoas mais magras, pode ocorrer um certo grau de cansaço nas primeiras 24h após a doação do sangue.

Que doenças serão testadas no meu sangue doado?

– HIV, hepatite B, hepatite C, doença de chagas, sífilis, HTLV I e II. Se qualquer uma dessas doenças for detectada, o sangue será desprezado e o doador contactado e informado sobre a necessidade de repetir as sorologias.

Orientações após a doação

  • Assegure-se de ter uma boa hidratação nas 24h subsequentes a doação. Beba bastante líquido e evite bebidas alcoólicas.
  • Alimente-se bem.
  • Não fume na primeira hora após a doação.
  • Não faça atividades desgastantes no primeiro dia.
  • Se tiver sentindo tonturas, deite-se e coloque as pernas apoiadas para cima. Isto deverá ser suficiente.
  • O curativo pode ser removido após 4 horas.

Observações finais

  • Doar sangue não engorda nem emagrece.
  • Doar sangue não vicia nem cria dependência.
  • Doar sangue não afina nem engrossa o sangue.
  • Mulheres podem doar sangue durante o período menstrual.
  • Não se pega doenças doando sangue.

DOE SANGUE! Não custa nada, é rápido e você poderá salvar várias vidas.

Источник: https://www.mdsaude.com/hematologia/doacao-sangue/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: