Doenças transmitidas pelos pombos: sintomas e o que fazer

Evite contaminação com doenças transmitidas por pombos

Doenças transmitidas pelos pombos: sintomas e o que fazer

'Ratos que voam'. Popularmente difundida, a definição se refere aos pombos, animais que, a exemplo do mamífero, também trazem prejuízos à saúde dos humanos. Para reduzir os impactos causados por essas aves, é necessário diminuir ao máximo as condições que favorecem a sua proliferação.

A população é uma grande aliada do poder público, seja para fazer as mudanças necessárias no ambiente em que vive ou denunciar situações passíveis de fiscalização. No primeiro semestre de 2019, a Seção de Vigilância e Controle de Zoonoses (Sevicoz) fez 116 fiscalizações com foco em pombos, após denúncias na Ouvidoria Municipal.

Para sobreviver e se reproduzir, os pombos necessitam de '4 As': água, alimento, acesso e abrigo. Embora o primeiro elemento não seja possível evitar, os demais são. Não oferecer alimentos a qualquer tipo de ave e não jogar restos orgânicos sem o acondicionamento devido já ajuda a afastar os pombos, que costumam se concentrar em regiões onde a oferta de alimento é maior.

Não havendo comida, a ave tem a sua capacidade de reprodução diminuída e migra para outra região, em busca de melhores condições de sobrevida.

O acesso a um local que sirva como abrigo também favorece a proliferação do pombo, em especial durante o período reprodutivo e de incubação dos ovos, que dura apenas 19 dias. Os lugares preferidos dos pombos para fazer seus ninhos são telhados, forros, caixas de ar-condicionado e marquises.

Para afastar os pombos desses locais, são necessárias algumas adaptações que trazem bons resultados: retirar ninhos e ovos; vedar buracos ou vãos entre paredes, telhados e forros; telar varandas, janelas e caixas de ar-condicionado; instalar trilho elétrico, passarinheiro ou cabo de aço tensionado no telhado para que não pousem.

Vale lembrar que os pombos são animais protegidos por lei e não podem sofrer maus-tratos.

 

As doenças mais comuns transmitidas pelos pombos aos seres humanos são provenientes de suas fezes. É o caso da salmonelose, histoplasmose e criptococose.

A salmonelose, provocada pela bactéria Salmonela spp, acomete a pessoa que ingeriu alimentos com resquícios de fezes de pombo contaminadas. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, náuseas, vômitos, falta de apetite, cólicas, diarreia com ou sem sangue.

A histoplasmose, causada pelo fungo Histoplasma capsulatum, atinge o ser humano após a aspiração do fungo presente nas fezes do pombo. A doença ataca o sistema respiratório e não costuma causar sintomas em sua forma aguda.

Já na forma crônica, que geralmente acomete pessoas com o sistema imunológico comprometido, provoca tosse seca, febre, dor no peito e nas juntas e inchaço nas pernas. Em casos mais severos, dá sudorese excessiva, falta de ar e tosse com sangue.

Já a criptococose, causada por fungos do gênero Cryptococcus, pode levar à morte dependendo do tipo de fungo que acomete a pessoa após inalação.

Frequentemente, a doença atinge o sistema neurológico, causando meningite subaguda ou crônica, cujos sintomas são febre, fraqueza, dor no peito, rigidez na nuca, dor de cabeça, náusea, vômito, suor noturno, confusão mental, alterações de visão, podendo haver comprometimento ocular, pulmonar e ósseo.

“Limpar as fezes dos pombos requer cuidados, já que os fungos nelas presentes não podem entrar em contato com as vias aéreas dos seres humanos. Para evitar o contágio, basta lavar o local com água clorada; jamais varrer ou usar pano seco. Pode-se ainda proteger o nariz com algum pano ou lenço”, ensina Laerte Carvalho, veterinário da Sevicoz.

DENÚNCIAS

Pessoas que alimentam pombos; acúmulo de fezes de aves sem a devida higienização; descarte indevido de matéria orgânica que atrai pragas urbanas; locais inabitados que atraem grande número de pombos. Estas são as principais denúncias recebidas pela Sevicoz, que checa a informação no local dos fatos e orienta os munícipes em relação ao que deve ser feito.

As denúncias devem ser feitas à Ouvidoria Municipal, pelo telefone 162; pelo site www.santos.sp.gov.br/ouvidoria ou pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, no Paço Municipal (Praça Mauá s/nº – térreo).

Источник: https://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/evite-contaminacao-com-doencas-transmitidas-por-pombos

06 doenças causadas pelos pombos

Doenças transmitidas pelos pombos: sintomas e o que fazer

Doenças causadas direta ou indiretamente pelos pombos podem ser fatais, ou deixar sequelas graves.

De acordo com Ministério da Saúde, os pombos urbanos são aves que se adaptaram muito bem a qualquer ambiente.

Pois, estão acostumados a se alimentar de migalhas e restos de comida e não se incomodam com a presença de pessoas, como resultado, essas aves costumam utilizar telhados, forros, marquises, torres de igrejas e caixas de ar condicionado para fazerem seus ninhos, por serem ambientes extremamente seguros de fácil acesso a alimentos.

Esses animais carregam agentes patogênicos que causam complicações para a saúde humana e embora não seja necessário eliminar os pombos, é preciso fazer um controle efetivo para manter essas aves longe.

Principalmente de locais que tenham armazenados alimentos ou produtos que sejam destinados ao contato e consumo dos seres humanos.

Antes de falar das 6 principais doenças transmitidas pelos pombos, vamos entender como funciona o ciclo de transmissão e contaminação de doenças infecciosas.

Agente Infeccioso

São micro-organismos que pode causar uma doença infecciosa, existem vários tipos:

  • Bactérias
  • Vírus
  • Fungos
  • Parasitas
  • Príons

Fonte ou Reservatório

A fonte da infecção ou reservatório, é o local onde o agente infeccioso consegue viver, crescer e se multiplicar.

Podendo ser uma pessoa, um objeto, um ambiente, etc.

Quando a fonte ou reservatório é uma pessoa, ela não necessariamente precisa estar doente.

Pode ser que ainda esteja no período de incubação, isso quer dizer que, o agente ainda não causou sintomas.

Também pode estar com sintomas inespecíficos, e muitas são sintomas bem leves. Outra possibilidade, é da pessoa estar apenas colonizada, ou seja, o organismo vive nela, mas sem causar nenhuma doença.

Exemplos de doenças transmitidas de pessoa a pessoa, sem nenhum intermediário: Infecções Sexualmente transmissíveis, Vírus Influenza, Caxumba

As fontes ambientais podem ser qualquer tipo de superfície: Roupas, móveis, equipamentos, solos, plantas enfim, qualquer superfície que o agente possa se alojar.

O sistema de água também pode ser fonte de vários micro-organismos  e bactérias como a cólera, ou fungos, como o Aspergillus e Fusarium

Já o ar condicionado, pode ser grande fonte de infecções em hospitais, principalmente por fungos.

Até mesmo soluções como o álcool e sabão podem ser fontes de infecção se não forem cumpridas as regras de uso.

Por fim, chegamos a fonte ou reservatório animal.

Nesse caso, o animal pode estar apenas colonizado pelo micro-organismo como, por exemplo, bactérias em boca, pelos ou unhas de cães e gatos.

As doenças são normalmente transmitidas de animal a animal, tendo o ser humano como hospedeiro acidental, estas são as chamadas zoonoses.

Um veículo pode funcionar apenas para um meio de transporte para o agente infeccioso, ou como um reservatório (onde ele pode crescer e se multiplicar).

Isso acontece com os pombos. Pois,  são considerados um vetor/veículo intermediário de parasitas, e reservatório de fungos e bactérias que estão alojadas em seu organismo.

Contudo, para haver a contaminação é necessária uma porta de saída desses micro-organismos, e em sua maioria, é feita por contato com as fezes dos pombos com:

Comida – Através do contato de, alimento ou matérias-primas, com as fezes pombos.

Água – Através da contaminação com fezes e penas dos pombos.

Fômites – Qualquer objeto ou substância capaz de absorver, reter e transportar organismos contagiantes ou infecciosos como luvas, roupas, equipamentos, etc .

Ar – Através da suspensão de partículas com fungos e bactérias que podem ser inaladas ou aspiradas.

Doenças transmitidas por pombos

Separamos as 6 zoonoses mais comuns transmitidas pelos pombos, seja como vetor ou reservatório.

1- Criptococose / meningite:

A criptococose é uma doença causada pelo fungo Cryptococus neoformans e é adquirida por inalação, por isso, normalmente afeta os pulmões.

A contaminação acontece através da inalação da poeira de solos contaminados com fezes secas de pombos e outras aves. Ele possui um formato de levedura e é caracterizado pela presença de uma cápsula que envolve toda a sua célula, cuja função é impedir o ataque do sistema imune do hospedeiro.

É chamada de doença oportunista, pois ocorre majoritariamente em indivíduos imunocomprometidos, como pacientes submetidos à quimioterapia ou pacientes transplantados tratados com imunossupressores.

Como resultado, o pulmão é comprometido e também pode afetar o sistema nervoso central, causando alergias, micose profunda e até meningite subaguda ou crônica.

Sintomas: febre, tosse, dor torácica, podendo ocorrer também dor de cabeça, sonolência, rigidez da nuca, acuidade visual diminuída, agitação e confusão mental.

2- Histoplasmose:

A histoplasmose é uma micose sistêmica causada por um fungo dimórfico, o Histoplasma capsulatum. E é transmitida pela inalação dos esporos microscópicos do fungo, comuns em fezes secas de pombos e outras aves.

Uma vez dentro do organismo, esses esporos são capazes de causar inflamações diversas, que atacam pontos como o pulmão e se espalha para outros órgãos, como o fígado.

Sintomas:  febre e calafrios, tosse seca e persistente, dor no peito, fadiga, palidez, falta de ar, sudorese noturna e perda de peso.

3- Salmonelose:

Salmonelose é uma infecção transmitida por inúmeras espécies de salmonelas, bactérias gram-negativas da família Enterobacteriaceae. São transmitidas pela ingestão de alimentos crus ou mal cozidos contaminados por fezes. Inclusive de pombos.

Os sintomas mais comuns são: gastrenterite (inflamação da mucosa intestinal) e enterocolite aguda(inflamação do trato digestivo). O seu período de incubação varia de oito a 48 horas após a pessoa ter ingerido alimento ou líquidos contaminados.

Lembrando que, matérias-primas contaminadas também podem causar salmonelose.

4- Ornitose:

A ornitose, também conhecida como psitacose,  clamidiose, é uma doença infecciosa que apresenta como agente a bactéria Chlamydia psittaci.

Um dos principais reservatórios desse agente são as aves, principalmente os pombos.

E a contaminação ocorre quando o pó das penas ou fezes das aves infectadas é inalado. Seu período de incubação em humanos é de cerca de quatro semanas. E os sintomas incluem febre, arrepios, cefaléia, cansaço e perda de apetite, além de acessos de tosse, que inicialmente é seca, no entanto, tende a se tornar um muco esverdeado.

Alguns pacientes também podem apresentar um quadro pulmonar similar a de uma pneumonia atípica. A febre costuma durar de duas a três semanas, desaparecendo gradativamente.

De acordo com a idade do indivíduo infectado e da extensão do tecido pulmonar acometido, a doença varia de leve a severa.

5- Dermatites:

Doença Parasitose causada pelo piolho do pombo, um ácaro (Ornithonyssus), que provoca erupções na pele e coceiras semelhantes às de picadas de insetos.

A contaminação não necessita de um contato direto, apenas a proximidade pode fazer com que o ácaro chegue ao ser humano através do vento ou superfície contaminada.

Sintomas: lesões vermelhas na pele e irritações que coçam bastante.

Normalmente, as lesões aparecem de forma isolada, mas em casos menos comuns, podem aparecer disseminadas por todo o corpo.

A intensidade da irritação na pele depende da quantidade de piolho que contaminou a pessoa e da área em que ele teve contato da pele.

Alergias respiratórias:

A inalação de penugens de pombos ou de um ar carregado de poeira com fezes de pombos, pode causar ou agravar doenças alérgicas pulmonares.

Entre elas, rinites, asmas e  de bronquites alérgicas.

Os sintomas incluem, tosse (especialmente à noite),  falta de ar, chiado no peito, e  dor ou pressão no peito.

Evite essas e outras doenças

Para evitar as doenças citadas e outras, é importante que o controle de pombos seja feito. Principalmente de forma preventiva.

O método de controle de pombos adotado pela Robotx, tem como diferencial o controle personalizado. Uma vez que, é realizado uma visita técnica ao local.

Após essa visita, é realizado um projeto único, observando todas as características do local e as necessidades apresentadas.

Com isso, também é definido se o equipamento pode e deve ser instalado, além de avaliar qual é a intensidade necessária para afastar os pombos de maneira efetiva.

Cada projeto é único, pensado e executado para não causa nenhuma interferência no projeto arquitetônico do local de instalação.

Além disso, o sistema HTX MAXX é instalado de maneira limpa e sem afetar o andamento da produção da sua indústria ou rotina da sua empresa, ou casa.

Pare de perder tempo com produtos e soluções paliativas.

Invista em um sistema que realmente irá trazer os resultados esperados. Conheça melhor a Robotx e descubra o que o nosso sistema HTX-MAXX pode fazer por você, sua família ou empresa.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com um dos nossos representantes e agende uma visita.

Источник: https://robotx.com.br/sem-categoria/06-doencas-causadas-direta-ou-indiretamente-pelos-pombos/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: