Dor muscular causada por remédios para colesterol

Colesterol: nova medicação aos que não podem tomar estatinas

Dor muscular causada por remédios para colesterol

O tratamento do colesterol é feito através de medicações, principalmente as conhecidas como estatinas. Mas, apesar de reduzirem os níveis da doença no organismo em até 50%, o remédio apresenta efeitos colaterais debilitantes, incluindo dores musculares, o que pode impedir a adesão ao tratamento tradicional.

Por causa disso, cientistas decidiram desenvolver uma nova substância capaz de combater o colesterol que pudesse ser usada como terapia alternativa, especialmente para aqueles que não conseguem ou não podem utilizar estatina.

Com o nome científico de ácido bempedóico, a nova medicação traz os mesmos benefícios, como reduzir o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC), sem causar tantos efeitos colaterais

De acordo com a equipe do Imperial College London, na Inglaterra, responsável pelos testes clínicos do remédio, o ácido bempedóico impede que o corpo crie blocos de construção do colesterol, e com isso, reduz os níveis da doença em 18%. Ainda que seja um valor menor se comparado às estatinas, os pesquisadores afirmam que o medicamento é seguro e produz menos efeitos colaterais, além de poder ser utilizado como opção complementar.

“No geral, as estatinas fazem um ótimo trabalho, mas esta nova substância pode fornecer benefícios reais para as pessoas que não podem tomá-las [estatinas] ou precisam de tratamentos adicionais para chegar ao nível certo [de colesterol]”, comentou Nilesh Samani, da British Heart Foundation, no Reino Unido, ao The Telegraph. Os resultados do estudo foram publicados nesta quinta-feira no periódico The New England Journal Of Medicine. 

O estudo

Para testar a eficácia do ácido bempedóico, a equipe inglesa recrutou 2.230 pacientes com doenças cardiovasculares ou colesterol genético que já tomavam algum medicamento para tratar a doença (principalmente estatinas).

Essas pessoas foram divididas em dois grupos: 1488 foram colocados no grupo que receberia a nova substância, enquanto 742 tomaram placebo. Os pacientes foram acompanhados durante 52 semanas. Ao final do estudo, concluiu-se que o medicamento cumpria a sua função de reduzir o colesterol – ainda que em proporção menor que as estatinas.

“Reduzir os níveis de colesterol é fundamental para diminuir o risco de ataque cardíaco e AVC, principalmente para aqueles com uma doença cardíaca.

Apesar disso, os especialistas não descartaram a existência de efeitos colaterais próprios, mas ressaltam que a taxa de pessoas que os relataram foi semelhante tanto entre o grupo tomando a medicação quanto para os que ingeriram placebo (sem qualquer substância farmacológica na composição), embora tenha sido ligeiramente mais elevado para o ácido bempedóico. Nesse grupo, o efeito mais comum foi a gota – uma forma de artrite que caracterizada por dor intensa, vermelhidão e sensibilidade nas articulações. Por causa disso, os pesquisadores orientam que essa questão seja resolvida entre médico e paciente, que devem analisar benefícios e riscos individuais.

Segundo a equipe, mesmo com os efeitos colaterais, a atuação da substância se restringe apenas ao fígado, sem atingir os músculos e, portanto, não causa dores musculares. Ainda assim, o novo medicamento não estará disponível no mercado pelos próximos anos já que novos testes podem ser solicitados antes que órgãos de saúde ao redor do mundo possam checar os dados e aprovar a comercialização.

Colesterol

O colesterol alto é uma das principais causas de doenças cardiovasculares já que pode causar bloqueio de artérias e vasos sanguíneos. Esses bloqueios privam o coração ou o cérebro de oxigênio, podendo causar ataque cardíaco e AVC.

Para evitar esses riscos, a recomendação é cortar o consumo de gorduras saturadas, como frituras e alimentos processados (biscoitos recheados e lasanha congelada, por exemplo). A prática de exercícios físicos regularmente também faz parte das estratégias para reduzir as taxas de colesterol.

Quando essas medidas não funcionam, especialmente em casos em que a condição tem origem genética, os médicos prescrevem medicamentos, mais comumente estatinas, para diminuir a quantidade de colesterol ruim (LDL) no sangue.

No entanto, alguns efeitos colaterais podem dificultar a adesão ao tratamento. Por causa disso, os pesquisadores acreditam que a nova medicação podem ser tão importante para essa população.

“O ácido bempedóico pode ser outro acréscimo ao arsenal de tratamentos disponíveis para os pacientes”, concluiu Kausik Ray, principal autor do estudo, à BBC.

Continua após a publicidade

  • Colesterol
  • Medicamentos
  • Pesquisa Científica
  • Tratamentos

Источник: https://veja.abril.com.br/saude/colesterol-nova-medicacao-aos-que-nao-podem-tomar-estatinas/

Medicamentos para reduzir colesterol geram perda de massa muscular – BLOG | Ibero Magistral

Dor muscular causada por remédios para colesterol

As estatinas são muito eficazes na redução do colesterol, mas sua ação pode afetar a de outras substâncias importantes. Um dos efeitos colaterais é a perda de massa muscular, efeito que, além de indesejável, pode gerar também dores musculares e fraqueza.

Veja neste artigo o que são as estatinas, como elas interferem na perda de massa magra e como tentar reverter o quadro.

O que são as estatinas? Elas interferem na perda de massa muscular?

Estatinas é o nome de um grupo de medicamentos que têm a função de interromper a produção de colesterol no fígado. As estatinas possuem estrutura esteroide e atuam na enzima HGM-CoA redutase, a enzima que produz o colesterol.

Entre as drogas mais conhecidas desse grupo estão a sinvastatina, rosuvastatina, pravastatina e atorvastatina. Além de serem utilizadas no controle do colesterol, são também úteis na prevenção de doenças cardiovasculares.

O uso contínuo de estatinas, apesar dos benefícios em relação ao LDL alto, pode diminuir a massa magra. Cerca de 5% a 10% dos pacientes desenvolvem miopatia (lesão / perda de massa muscular), caracterizada clinicamente por dor muscular, fraqueza e/ou câimbras.

Por que as estatinas contribuem para a diminuição da massa magra?

Para o colesterol ser formado, existe uma cadeia de substâncias que se interligam. O colesterol é um dos três produtos finais dessa cadeia – a mevalonato.

A enzima na qual a estatina é inibida é a enzima HGM-CoA redutase. Porém, nesse processo de inibição de sua ação, outros elementos são afetados.

Muitos desses elementos têm funções bioquímicas importantes.

Os outros dois produtos resultantes da cadeia de síntese do colesterol são a ubiquinona e o dilochol.

Vamos falar especificamente dos efeitos colaterais provenientes do bloqueio da ubiquinona.

A ubiquinona ou coenzima Q10 (Co-Q10) é um nutriente essencial.

Ela desempenha um papel importante na produção de energia nas células e ajuda no transporte de elétrons para o citocromo-oxidase, a nossa principal enzima respiratória. O coração exige níveis elevados de Co-Q10.

A enzima Co-Q10 é encontrada em todas as membranas celulares, onde ela desempenha um papel na manutenção da integridade da membrana, tão fundamental para a condução nervosa e a integridade muscular.

O Co-Q10 também é vital para a formação de elastina e colágeno. A deficiência dessa enzima pode gerar perda de massa muscular levando à fraqueza e dores lombares severas, insuficiência cardíaca (já que o coração também é um músculo), neuropatia e inflamação dos tendões e ligamentos, levando muitas vezes à ruptura.

Esse efeito colateral faz com que muitas pessoas interrompam o uso de estatinas. Ou, quando continuam o tratamento, podem enfrentar grandes dificuldades ao realizar exercícios físicos, além de não conseguirem obter resultados satisfatórios no ganho de massa muscular.

Como tentar reverter a perda de músculos causada pela estatina?

Recomenda-se que usuários de estatina reponham colágeno. Porém, existem diversas formas de colágeno e é necessário escolher o mais adequado para o ganho de massa magra.

A Iberoquímica trouxe ao mercado BODYBALANCE™, que é uma combinação de Peptídeos Bioativos de Colágeno®. Ele é obtido a partir de um processo tecnológico especial e patenteado, que origina peptídeos específicos para atuar no aumento e/ou manutenção da massa muscular.

Benefícios de BODYBALANCE™ para indivíduos que fazem uso de estatinas:

  • Peptídeos bioativos de colágeno específicos para a musculatura;
  • Melhora a composição corporal em combinação com exercícios físicos;
  • Aumenta a massa magra;
  • Diminui a gordura corporal;
  • Retarda a perda da massa muscular proveniente ao envelhecimento e uso de estatinas;
  • Recuperação de 10 anos de perda de massa em 3 meses de uso contínuo.

Assim, existe uma maneira fácil de tentar reverter a perda de massa muscular. Ótima solução para quem não pode interromper o tratamento com estatinas.

Quer saber mais sobre BODYBALANCE™?
Entre em contato com um de nossos vendedores através do 0800 727 3434. Conheça o programa que fará a sua farmácia vender mais e melhor!

Источник: https://www.iberoquimica.com.br/blog/medicamentos-reduzir-colesterol-geram-perda-massa-muscular/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: