Edema pulmonar: o que é, sintomas e tratamento

EDEMA PULMONAR – Sintomas e tratamento

Edema pulmonar: o que é, sintomas e tratamento

O edema pulmonar agudo, também chamado de edema agudo do pulmão (EAP), é uma emergência médica causada pelo extravasamento de água dos vasos sanguíneos para o tecido pulmonar, tornando a respiração difícil.

Na prática, um paciente com EAP tem os seus alvéolos cheios de água e comporta-se como se estivesse se afogando.

Como surge

O edema do pulmão possui o mesmo mecanismo fisiopatológico de qualquer edema em nosso corpo, surgindo sempre que há extravasamento de água dos vasos sanguíneos para algum tecido.

Ao contrário do que se possa imaginar, os nossos vasos sanguíneos não são tubos impermeáveis, eles apresentam poros que permitem a saída e entrada de células, bactérias, proteínas e água.

O edema do pulmão ocorre basicamente por dois mecanismos:

Aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos

Quando a pressão fica muito elevada dentro dos vasos do pulmão, a água do sangue tende a “sorar” através dos poros, indo se acumular dentro do tecido pulmonar, principalmente nos alvéolos, que são as estruturas que realizam as trocas gasosas.

Aumento da permeabilidade dos vasos

Algumas doenças que serão explicadas a seguir causam um aumento nos poros dos vasos sanguíneos, tornando-os mais permeáveis, o que facilita o extravasamento de água.

Para saber mais sobre a formação de edemas, leia: INCHAÇOS E EDEMAS | Causas e tratamento.

Insuficiência cardíaca congestiva

A causa mais comum de edema pulmonar é a insuficiência cardíaca.  Vamos descrever simplificadamente a circulação cardiopulmonar para que este mecanismo fique facilmente compreensível.

O lado esquerdo do coração é o responsável por bombear o sangue rico em oxigênio em direção ao corpo.

Depois de nutrir todos os tecidos, o sangue, agora pobre em oxigênio e rico em gás carbônico, retorna ao lado direito do coração, sendo imediatamente bombeado em direção aos pulmões.

Nos pulmões, o sangue é novamente oxigenado e retorna para o lado esquerdo do coração, onde será bombeado em direção ao resto do corpo, reiniciando o processo.

Quando o lado esquerdo do coração torna-se fraco, ele passa a ter dificuldade para bombear adequadamente o sangue para o resto do corpo.

Como é o lado esquerdo do coração o responsável por bombear o sangue vindo dos pulmões, quando a bomba cardíaca falha, há um congestionamento, provocando um acúmulo de sangue nos vasos pulmonares.

Esta congestão causa um aumento da pressão sanguínea dentro dos vasos pulmonares, favorecendo o extravasamento de água.

Na insuficiência cardíaca, o edema pulmonar se desenvolve lentamente a não ser que haja algum fator que desencadeie uma piora aguda da função do coração.

Infarto agudo do miocárdio

O infarto agudo do miocárdio, chamado popularmente de ataque cardíaco, pode causar edema pulmonar caso haja necrose de uma grande área do músculo cardíaco do lado esquerdo do coração, levando a uma insuficiência cardíaca súbita. Se grande parte músculo cardíaco morre, o coração torna-se incapaz de bombear o sangue adequadamente, provocando retenção deste nos pulmões. O edema agudo do pulmão é um dos possíveis sintomas de um infarto cardíaco.

Crise hipertensiva

O aumento da pressão arterial costuma ser uma frequente causa de edema agudo do pulmão, principalmente nos pacientes que já possuem algum grau de insuficiência cardíaca.

Em situações normais, o coração do paciente com insuficiência cardíaca moderada pode ainda ser capaz de bombear o sangue adequadamente.

Porém, basta uma elevação súbita na pressão arterial para que haja um aumento na resistência ao fluxo do sangue, exigindo um maior trabalho do músculo cardíaco.

Alguns pacientes não possuem um coração apto a trabalhar contra uma pressão arterial alta, o que leva à congestão pulmonar.

Doença das válvulas do coração

Se o paciente possui uma doença das válvulas do coração esquerdo, isto é, da válvula aórtica ou mitral, o coração pode ter dificuldades em bombear o sangue através delas. A estenose aórtica e a estenose mitral são lesões da válvula que atrapalham a sua abertura. Se a válvula cardíaca não abre corretamente, o sangue não pode ser drenado através dela, causando a congestão pulmonar.

Insuficiência renal

A insuficiência renal leva ao acúmulo de água e sal no organismo, provocando um aumento do volume de líquido dentro dos vasos. Em alguns casos, principalmente se o paciente já não urinar volumes adequados, a quantidade líquido retido nos vasos se torna tão grande que este começa a extravasar, causando edemas no corpo e edema pulmonar.

Infecções

Algumas infecções pulmonares, principalmente as de origem viral, podem causar um quadro de intensa inflamação pulmonar, levando a um aumento da permeabilidade dos vasos e consequente extravasamento de líquidos para o pulmão. Este quadro é geralmente chamado de SARA ou SARS (síndrome da angústia respiratória aguda).

Altitudes elevadas

Algumas pessoas quando expostas a altitudes acima de 2500 metros podem desenvolver edema pulmonar. Não se sabe bem a causa, mas acredita-se que ocorram alterações na microvasculatura pulmonar que favoreçam o extravasamento de líquido em altas altitudes.

Os fatores de risco para esse tipo de edema agudo pulmonar são:

  • Sair do nível do mar e atingir altitudes elevadas em pouco tempo.
  • Praticar esforço físico em altas altitudes sem se dar o devido tempo de aclimatação.
  • Viajar para altitudes elevadas já tendo histórico de problemas cardíacos.
  • Ingestão excessiva de álcool sem tempo adequado de aclimatação à altitude

Drogas e medicamentos

O consumo de algumas drogas, como heroína ou cocaína podem provocar uma intensa inflamação pulmonar, causando aumento da permeabilidade dos vasos e consequente edema pulmonar agudo.

A intoxicação por Aspirina (AAS) também pode levar a um quadro de edema agudo do pulmão.

Lesão neurológica

Alguns pacientes com lesão neurológica grave, como traumatismo craniano, cirurgia cerebral, convulsões, hemorragia cerebral, etc, podem desenvolver edema do pulmão. O edema surge por alterações na hemodinâmica pulmonar, com aumento da pressão e da permeabilidade nos vasos pulmonares.

Sintomas

Dependendo da causa, o quadro de edema pulmonar pode se desenvolver lentamente ou de modo súbito, este último chamado de edema agudo do pulmão.

Nos pacientes que vão acumulando líquido no pulmão de forma lenta e progressiva, os sintomas do edema pulmonar começam com intolerância aos esforços, cansaço (mesmo em repouso), falta de ar quando se deita, havendo necessidade de usar pelo menos dois travesseiros para dormir, edemas nos pés e tornozelos e chiado no peito. Esse quadro é típico nos pacientes com insuficiência cardíaca, que apresentam piora gradual da função do coração e progressiva congestão pulmonar.

Se este mesmo paciente descrito acima apresentar um fator de descompensação da sua insuficiência cardíaca, como um infarto, um pico hipertensivo ou mesmo um infecção grave, o coração subitamente se torna incapaz de bombear adequadamente o sangue para o corpo, havendo, então, uma quadro agudo de retenção de líquidos no pulmão. Neste caso, os sintomas do edema agudo pulmonar são intensa falta de ar, sensação de afogamento, agitação, tosse com secreção espumosa, incapacidade em se deitar e taquicardia (coração acelerado).

A água no pulmão impede a oxigenação do sangue e funciona basicamente como um afogamento. O edema agudo do pulmão é uma emergência médica e se não tratado a tempo, fatalmente levará à parada cardiorrespiratória.

Tratamento

O primeiro passo no tratamento do edema pulmonar agudo é fornecer oxigênio ao paciente. Geralmente o paciente chega ao serviço de urgência em hipoxemia, ou seja, com baixos níveis de oxigenação do sangue. Em alguns casos o edema pulmonar é tão grave e a oxigenação tão baixa, que o paciente precisa ser intubado e acoplado a um ventilador mecânico para não falecer.

O objetivo do tratamento é retirar água do pulmão. Se o paciente urina, diuréticos são administrados por via venosa para terem rápida ação (leia: DIURÉTICOS | Furosemida, Hidroclorotiazida, Indapamida…) Baixar a pressão arterial também é importante para facilitar o trabalho do coração, por isso, vasodilatadores também costumam ser usados.

Se o paciente não urina ou não responde adequadamente aos diuréticos, a opção é a hemodiálise de urgência, um método capaz de remover até mais de um litro de água dos pulmões em apenas 20-30 minutos (leia: HEMODIÁLISE | Como funciona, cateter e fístulas).

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/pneumologia/edema-pulmonar-agudo/

Edema pulmonar: sintomas, tratamentos e causas

Edema pulmonar: o que é, sintomas e tratamento

O edema pulmonar é um acúmulo anormal de líquido nos pulmões, que pode levar à falta de ar.

Tipos

Há três tipos de edema pulmonar:

  • Edema pulmonar agudo
  • Edema pulmonar crônico
  • Edema pulmonar de altas altitudes

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

O edema pulmonar geralmente é causado por insuficiência cardíaca, que leva ao aumento da pressão nas veias pulmonares. À medida que a pressão nesses vasos sanguíneos aumenta, o líquido é empurrado para dentro dos espaços aéreos dos pulmões, chamados alvéolos. Esse líquido acumulado interrompe o fluxo normal de oxigênio nos pulmões, resultando em falta de ar.

Outras condições cardíacas podem levar a um edema pulmonar também:

  • Ataque cardíaco
  • Vazamento ou estreitamento das válvulas cardíacas (válvulas mitral ou aórtica)
  • Qualquer doença cardíaca que resulte em enfraquecimento ou rigidez do músculo cardíaco (cardiomiopatia)
  • Doença da artéria coronária
  • Hipertensão

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas edema pulmonar também pode ser causado por outros motivos. Veja:

  • Lesões pulmonares causadas por gases venenosos ou infecções graves
  • Alguns medicamentos
  • Lesões graves
  • Insuficiência renal
  • Exercícios em altitudes extremas

Fatores de risco

O principal fator que leva uma pessoa a ter mais facilidade para apresentar edema pulmonar é a idade. Pessoas mais velhas, acima dos 60 anos, são mais propensas a ter insuficiência cardíaca e, assim, com risco aumentado de edema pulmonar também.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O mesmo vale para obesidade. Excesso de peso contribui para a insuficiência cardíaca e, consequentemente, para um eventual edema pulmonar também.

Sintomas de Edema pulmonar

Dependendo da causa, os sintomas de edema pulmonar podem aparecer de repente ou se desenvolver ao longo do tempo.

  • Falta de ar extrema ou dificuldade de respirar (dispneia), que piora quando deitado
  • Sensação de sufocamento ou afogamento
  • Ansiedade e inquietação
  • Tosse que produz escarro que pode vir acompanhado de sangue
  • Dor no peito, se o edema for causado por doença cardíacaArritmia cardíaca

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Se você desenvolver algum destes sinais ou sintomas, procure ajuda médica emergencial. Edema pulmonar pode ser fatal se não for tratado.

  • Ter mais falta de ar do que o normal
  • Dificuldade para respirar profundamente
  • Dificuldade para respirar quando se está deitado
  • Chiado
  • Despertar à noite sem fôlego
  • Rápido ganho de peso, resultante do acúmulo de líquido no corpo, especialmente nas pernas (sinal de insuficiência cardíaca)
  • Inchaço nas extremidades inferiores
  • Fadiga.
  • Dores de cabeça, que pode ser o primeiro sintoma
  • Falta de ar após esforço físico, que progride para falta de ar em repouso
  • Tosse
  • Dificuldade para subir ladeiras, que progride para dificuldade em andar em superfícies planas
  • Febre
  • Tosse que produz escarro que pode vir acompanhado de sangue
  • Arritmia cardíaca
  • Desconforto no peito

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Buscando ajuda médica

O edema pulmonar que vem de repente (edema pulmonar agudo) pode representar um risco à vida do paciente.

Obtenha ajuda de emergência se você tiver qualquer um dos seguintes sinais e sintomas deste tipo de edema pulmonar.

Procure ajuda média emergencial, também, se você sentir muita dificuldade para respirar e se houver queda significativa na sua pressão arterial, resultando em vertigens, tonturas, fraqueza ou sudorese.

Piora súbita dos sintomas associados com edema pulmonar crônico ou edema pulmonar de alta altitude devem ser tratados imediatamente também.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar um edema pulmonar estão:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Clínica médica
  • Pneumologia
  • Cardiologia

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando seus sintomas começaram?
  • Você tem dificuldade constante para respirar?
  • Você tem tido tonturas ou vertigens?
  • Você tem dormido bem?
  • Qual a intensidade de seus sintomas?
  • Seus sintomas são frequentes ou ocasionais?

Diagnóstico de Edema pulmonar

O médico realizará primeiramente um exame físico e, depois, usará um estetoscópio para examinar o coração e os pulmões. Pode ser detectado o seguinte:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Estalidos nos pulmões, chamados de estertores
  • Sons cardíacos anormais
  • Aumento da frequência cardíaca (taquicardia)
  • Pele pálida ou azulada (palidez ou cianose)
  • Respiração acelerada (taquipneia)

Em seguida, o especialista poderá solicitar a realização de alguns exames específicos para diagnosticar seu caso como de edema pulmonar ou, ainda, para eliminar possíveis outras causas. Veja:

  • Hemograma completo
  • Perfil metabólico sanguíneo
  • Exames de sangue para avaliar as funções renais
  • Níveis de oxigênio no sangue (oximetria ou gasometria arterial)
  • Raio X do tórax
  • Oximetria de pulso
  • Cateterização da artéria pulmonar, para analisar a pressão dentro das artérias do pulmão
  • Eletrocardiograma para procurar sinais de ataque cardíaco ou problemas com a frequência cardíaca
  • Ecocardiograma para verificar se o músculo cardíaco está enfraquecido, se há vazamento ou estreitamento das válvulas cardíacas ou se há líquido em torno do coração.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de Edema pulmonar

Se o paciente estiver sentindo muita falta de ar, o primeiro passo do tratamento é de primeiro-socorros: fornecer oxigênio, o que pode levar alívio a alguns dos sintomas. O médico irá monitorizar o nível de oxigênio de perto.

Dependendo da sua condição e da causa o edema pulmonar, você também pode receber uma ou mais das seguintes medicações:

  • Diuréticos, que removem o excesso de líquidos do corpo
  • Medicamentos para fortalecer o músculo cardíaco, controlar a frequência cardíaca ou aliviar a pressão no coração

Medicamentos para Edema pulmonar

Os medicamentos mais usados para o tratamento de edema pulmonar são:

  • Aminofilina
  • Acetilcisteína
  • Aires
  • Bricanyl
  • Brometo de Ipratrópio
  • Bromidrato de Fenoterol
  • Betametasona
  • Brondilat
  • Celestone
  • Dobutamina
  • Fluimucil
  • Fluimucil (xarope)
  • Foraseq
  • Ipratropio

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

Dependendo de sua condição, o médico pode recomendar algumas mudanças no estilo de vida, incluindo:

  • Controlar a pressão arterial elevada
  • Controlando a outras condições médicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo
  • Evite fazer uso de medicamentos que possam facilitar o edema pulmonar e evite grandes altitudes, caso elas também possam levar você a sentir os sintomas
  • Se você fuma, parar de fumar
  • Siga uma dieta saudável, com pouco sal e com foco maior em frutas, legumes e grãos integrais
  • Mantenha um peso saudável e faça exercícios regulares

Complicações possíveis

Se edema pulmonar não for tratado, ele pode aumentar a pressão na artéria pulmonar (hipertensão pulmonar) e, eventualmente, o ventrículo direito em seu coração se tornará fraco e começará a falhar. Isso poderá levar a complicações de saúde mais graves, como:

  • Inchaço abdominal
  • Acúmulo de líquido nas membranas que rodeiam os pulmões (derrame pleural)
  • Congestionamento e inchaço do fígado

Edema pulmonar tem cura?

O prognóstico depende da causa subjacente ao edema pulmonar. O problema pode ser resolvido de forma rápida ou lenta, depende muito do caso. Alguns pacientes podem precisar de ajuda para respirar por um longo tempo. Se não for tratado, edema pulmonar pode ser fatal. Em alguns casos, pode ser fatal mesmo se receber tratamento.

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: