Exame PSA: o que é, para que serve e como entender o resultado

Contents
  1. PSA: a importância do exame para o diagnóstico do câncer de próstata – Blog da maior rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil
  2. O que é PSA?
  3. Como o exame é realizado
  4. Periodicidade
  5. Quem precisa fazer o PSA?
  6. Quais são os valores de referência?
  7. Qual é a relação entre PSA e o diagnóstico de câncer de próstata?
  8. Entenda a relação entre PSA livre e total
  9. O que é o PSA?
  10. Qual é a relação entre PSA livre e total?
  11. Qual é a importância do PSA para a saúde do homem?
  12. Exame de próstata: como é feito, tipos e quando fazer
  13. O que é o exame de próstata e para que serve?
  14. Como é feito o exame de próstata?
  15. Pré-requisitos para o exame de próstata
  16. Preparo 
  17. Contraindicações
  18. Tempo de duração
  19. Periodicidade do exame
  20. Quais fatores de risco do câncer de próstata?
  21. Qual idade para fazer exame próstata?
  22. É possível ter câncer de próstata antes dos 40 anos?
  23. Tipos de exame de próstata:
  24. Ultrassonografia transretal
  25. Medição do jato de urina
  26. Exame de urina de laboratório
  27. Biópsia
  28. Preço do exame de próstata no laboratório
  29. Tudo sobre PSA: saiba o que significa um PSA alto
  30. O que é a próstata?
  31. Hiperplasia prostática benigna (HPB)
  32. Prostatite aguda
  33. Câncer de próstata
  34. Quais são os exames utilizados para investigar o câncer de próstata?
  35. Quais condições podem elevar o PSA?
  36. Quem deve realizar o exame de PSA e quais fatores podem aumentar o risco de ter câncer de próstata?
  37. O que fazer para evitar o câncer de próstata?
  38. Por que o rastreamento de câncer de próstata é tão controverso?

PSA: a importância do exame para o diagnóstico do câncer de próstata – Blog da maior rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil

Exame PSA: o que é, para que serve e como entender o resultado

Quando o assunto é saúde do homem, é preciso falar sobre PSA: exame recomendado no rastreamento do câncer de próstata, de suma importância no diagnóstico precoce da doença, o que aumenta bastante as chances de cura. Portanto, é extremamente importante entender o que é esse exame, como ele é realizado e quais são as suas indicações.

Pensando na relevância do assunto, elaboramos este artigo para solucionar as suas dúvidas sobre esse procedimento. Continue a leitura e saiba mais!

O que é PSA?

A sigla, em inglês, é a abreviação para “Prostate-Specific Antigens”e, traduzida para o português, corresponde a “Antígenos Prostáticos Específicos”. O exame consiste na medição das taxas dessas moléculas no sangue e é recomendado principalmente para o rastreamento do câncer de próstata.

O antígeno é uma proteína produzida pelas células prostáticas e tem a função de tornar o sêmen ejaculado mais líquido. Assim, grande parte do PSA vai para o sêmen, no entanto, pode haver um pequeno refluxo da substância para o sangue.

Qualquer alteração nos níveis de PSA no sangue indica uma lesão na parede da célula prostática, levando a esse escape maior para o sangue. Trata-se de um importante marcador tanto para o câncer quanto para outras doenças e lesões da próstata, como prostatite, infecção urinária e hiperplasia benigna da próstata.

Como o exame é realizado

A verificação dos níveis de PSA se dá pelo exame de sangue, que deve ser colhido após jejum de 4 horas. Podem ser realizadas duas medições, de acordo com o pedido médico: PSA total (quantidade total de PSA no sangue) e PSA livre (quantidade de moléculas de PSA circulando soltas no sangue).

Apesar de ser um exame de sangue comum, o exame PSA requer alguns cuidados específicos:

  • não ejacular por 48 horas antes da coleta;
  • não praticar exercícios como andar de bicicleta ou a cavalo;
  • não fazer sexo anal antes do exame;
  • não ter se submetido ao toque retal, sondagem uretral ou ultrassonografia transretal;
  • não ter realizado biópsia de próstata por, pelo menos, 30 dias antes da coleta.

Periodicidade

Considerando a sua principal indicação, ou seja, detecção e acompanhamento do câncer de próstata, a periodicidade é definida de acordo com o resultado do valor do PSA.

A Sociedade Americana de Câncer (ACS) recomenda a repetição do exame a cada dois anos para homens com PSA menor que 2,5 ng/ml e uma vez por ano quando o nível de PSA é maior de 2,5 ng/ml.

Quem precisa fazer o PSA?

Ainda que o PSA seja importante no diagnóstico e acompanhamento do câncer de próstata, nem sempre é necessário submeter o paciente a esse exame, pois muitos outros fatores podem gerar o aumento dos níveis de PSA, como inflamação (prostatite) ou aumento da próstata (hiperplasia), atividade sexual recente e até mesmo a prática, por algumas horas, de atividades como o ciclismo.

Apesar do exame em si não ter nenhum efeito colateral, os desdobramentos de um resultado alterado incluem biópsia, que é um procedimento invasivo e apresenta alguns riscos. Mas, então, como saber quando é indicado realizar esse exame?

O exame deve ser feito quando houver alguma suspeita, seja pela apresentação de algum dos sintomas (dificuldade de urinar, aumento da frequência urinária, diminuição da força do jato, entre outros), seja pela presença de fatores de risco (genética familiar, hábitos alimentares etc.).

Como exame de rotina, é recomendado apenas em alguns casos. Por exemplo:

  • homens a partir dos 40 anos com parentes próximos (mais de um) que tenham sido diagnosticados com a doença antes dos 65 anos de idade;
  • após os 45 anos, se houver pelo menos um parente de 1º grau que teve câncer de próstata antes dos 65 anos;
  • homens com mais de 50 anos que apresentam risco médio de ter a doença, de acordo com seus hábitos e histórico familiar.

Quais são os valores de referência?

Os valores normais para o PSA total variam conforme a idade, hábitos, etnia e até mesmo o laboratório onde foi realizado. Entretanto, de modo geral, temos:

  • 40 aos 49 anos: até 2,5 ng/ml
  • 50 aos 59 anos: até 3,5 ng/ml
  • 60 aos 69 anos: até 4,5 ng/ml
  • acima dos 70 anos: até 6,5 ng/ml

Qualquer valor acima dos indicados é considerado anormal, mas não significa, necessariamente, um diagnóstico. Em geral, quanto mais alto for o resultado, maiores são as chances de identificar um câncer de próstata, chegando a 50% quando o valor supera os 10 ng/ml. No entanto, a relação entre o resultado do exame e o diagnóstico é um pouco mais complexa, como explicaremos a seguir.

Qual é a relação entre PSA e o diagnóstico de câncer de próstata?

É preciso frisar que o PSA não é um marcador específico para o câncer de próstata e, portanto, seu resultado isolado não conclui qualquer diagnóstico. Normalmente, quando o resultado está entre 2,0 e 10,0 ng/ml, independentemente da idade do paciente, o médico solicita a dosagem de PSA livre. 

Isso porque a relação entre o PSA livre e o PSA total é fundamental para a detecção do câncer. Quando é superior a 20%, indica que a alteração é benigna. Já um valor menor do que esse limite é indicativo de câncer, sendo recomendada a biópsia.

Da mesma maneira, níveis normais de PSA não excluem a possibilidade da doença. Assim, o exame PSA é apenas um dos parâmetros utilizados na pesquisa de câncer de próstata, geralmente associado a outros, como a avaliação da consistência do órgão pelo toque retal.

Como vimos, o PSA é indicado de acordo com cada caso. Entretanto, quando indicado, é essencial para auxiliar os médicos na confirmação ou não de suspeitas acerca do câncer de próstata.

Valores alterados e aumento de valor significativo de um ano para o outro, junto com o endurecimento da glândula, por exemplo, são fortes indícios, especialmente em pacientes com histórico familiar.

Além disso, o exame PSA é utilizado como recurso para acompanhamento de tumores já identificados, uma vez que a doença pode ser assintomática e não representar riscos em alguns casos, tendo evolução muito lenta.

Agora que você já sabe mais sobre esse exame, entre em contato conosco e agende uma consulta! Afinal, não há ninguém melhor do que um especialista no assunto para solucionar as suas dúvidas!

Источник: https://blog.amorsaude.com.br/psa-entenda-a-importancia-do-exame-para-o-diagnostico-do-cancer-de-prostata/

Entenda a relação entre PSA livre e total

Exame PSA: o que é, para que serve e como entender o resultado

Para quem não é da área médica, é difícil compreender a linguagem adotada nas análises clínicas e laboratoriais.

O problema é que, em vez de aguardar a consulta de retorno, para que o médico solicitante realize a análise das informações e explique os resultados, muita gente não controla a ansiedade e tenta desvendar, por conta própria, o que eles querem dizer. Entre os exames de check-up masculino, o resultado do PSA é um dos mais aguardados — o que gera muita curiosidade.

Neste artigo, mostramos as diferenças entre PSA livre e total. Para entender como os respectivos valores devem ser interpretados, continue a leitura!

O que é o PSA?

Biomarcadores (ou marcadores biológicos) são substâncias presentes em diversos fluidos corporais (como moléculas, enzimas, hormônios etc). A partir delas, pode-se investigar uma série de distúrbios no organismo.

O antígeno prostático específico (PSA, na sigla em inglês) é um biomarcador sintetizado, quase que exclusivamente, na próstata. Além de ser, majoritariamente, encontrado no sêmen, ele também circula no sangue (em pequenas quantidades).

A presença de um tumor é um dos fatores que podem levar ao aumento permanente do PSA. Por isso, suas taxas são consideradas marcadores tumorais.

No entanto, um quadro de hiperplasia prostática benigna (HPB) também leva a elevação do PSA.

Sem falar nos aumentos transitórios, decorrentes de inúmeros fatos ocorridos nos dias que antecedem o exame (como relação sexual, uso de bicicleta ou moto, presença de infecção urinária, realização de exames no reto etc). Já o uso de certos medicamentos, por outro lado, pode reduzir sua concentração.

Mas mesmo não sendo específico e com algumas limitações, o PSA é essencial nodiagnóstico precoce, monitoramento e prognóstico do câncer de próstata. Afinal, os médicos sempre consideram os fatores que podem interferir nos seus níveis, ao analisar os resultados.

Qual é a relação entre PSA livre e total?

A relação entre PSA livre e total faz toda a diferença no resultado do exame. Geralmente, pacientes com maior proporção de PSA livre, quando comparado ao PSA total, não têm câncer de próstata. Ainda que não haja um consenso, essa proporção costuma ser igual ou maior que 15%.

No entanto, vale destacar que a coleta precisa ser adequadamente manuseada pela equipe do laboratório, pois o PSA livre apresenta bastante instabilidade. Caso a amostra de sangue não seja centrifugada e refrigerada em, no máximo, 1 hora, o PSA livre se degrada. Assim, o resultado PSA livre/total pode ser falsamente baixo, levando ao diagnóstico errôneo de câncer de próstata.

Em síntese, além do cuidado na realização do exame, o uso do PSA depende das informações colhidas no exame clínico (inclusive, no toque retal). Isso ajuda a evitar o sobrediagnóstico e exames complementares desnecessários (como biópsias prostáticas).

Qual é a importância do PSA para a saúde do homem?

Hoje em dia, 1 em cada 7 homens são diagnosticados com câncer de próstata. Na imensa maioria deles, o tumor aparece após os 50 anos.

O PSA é importante por ser um marcador de rastreio e diagnóstico precoce para a doença. Sabe-se que seu uso ajudou a aumentar, consideravelmente, as taxas de sobrevida — em mais de 80%, pois boa parte dos tumores é identificada em estágios menos avançados e que tendem a ser facilmente tratáveis.

Mas para realmente contribuir para a saúde do homem assintomático, antes de indicar o PSA o médico deve considerar:

  • a idade (principalmente, entre pacientes entre 55 e 69 anos);
  • a expectativa de vida (no mínimo, entre 10 a 15 anos);
  • história familiar da doença (possuir parente de primeiro grau com diagnóstico de câncer de próstata).

Independentemente do resultado da dosagem PSA, o diagnóstico de câncer de próstata, bem como potencial de agressividade do tumor, só é dado após:

  • realização do toque retal;
  • biópsia de tecido prostático;
  • novos marcadores e alguns exames de imagem (em situações específicas).

Por fim, apenas o oncologista, munido de informações sobre o histórico clínico e uma série de dados provenientes de exames complementares, pode prover um diagnóstico assertivo e, então, definir a melhor estratégia de tratamento. Assim, independentemente da relação entre PSA livre e total mostrada no seu exame, não tente adivinhar o resultado. Somente o especialista tem conhecimento para dar esse veredito e indicar os próximos passos.

Esperamos que o artigo tenha sido útil. Se desejar, siga a Magscan no e no Instagram para acompanhar, em primeira mão, a publicação de novos conteúdos sobre cuidados com a saúde!

Источник: https://magscan.com.br/blog/entenda-a-relacao-entre-psa-livre-e-total/

Exame de próstata: como é feito, tipos e quando fazer

Exame PSA: o que é, para que serve e como entender o resultado

O exame de próstata é um grande auxiliador na identificação de câncer de próstata, que é a segunda causa de morte por câncer em homens no Brasil (sendo o câncer de pele não-melanoma a primeira).

Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que houve 68.220 novos casos da doença só em 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.

O que é o exame de próstata e para que serve?

O exame de próstata consiste em avaliar se há alterações presentes na glândula. Os exames mais indicados são o de toque retal e análise sanguínea do PSA.

Se houver alterações nesses exames, o médico especialista poderá solicitar outros, como medição do jato de urina e ultrassonografia transretal, para melhor investigação de tumores que podem ser malignos e evoluírem para câncer.

Como é feito o exame de próstata?

O exame de PSA é realizado através de coleta de uma amostra do sangue venoso, que mede a quantidade de uma proteína produzida pela próstata, o Antígeno Prostático Específico (PSA). Com ele, é possível investigar a possibilidade de câncer de próstata, hiperplasia prostática benigna e a prostatite, que é a inflamação da próstata. 

Já o exame de toque retal é realizado em consulta com urologista ou proctologista.

Consiste na introdução do dedo indicador do médico especialista, protegido por luva de látex e lubrificado, no ânus do paciente.

É um exame rápido e indolor capaz de detectar complicações como coloproctologista, fissura anal, hemorróidas ou nódulos. Ele deve ser sempre realizado para o rastreio de câncer de próstata.

Pré-requisitos para o exame de próstata

O pré-requisito para realizar o exame de próstata é ter no mínimo 40 anos de idade, especialmente quando há histórico familiar da doença. 

Preparo 

Para realizar o exame de PSA é recomendado que o paciente evite prática de esportes intensivos nas 72 horas que antecedem a coleta. Também é recomendado não ter realizado o exame de toque retal durante esse período pois pode dar alteração no valor do PSA. 

Para o teste de toque retal não é necessário nenhum tipo de preparo específico.

Contraindicações

Não há contraindicações para realizar o exame de próstata.

Tempo de duração

Os exames de próstata geralmente são rápidos e indolores, demorando de 10 a 15 minutos para realizá-lo.

Periodicidade do exame

O exame de próstata deve ser realizado anualmente por homens com mais de 40 anos de idade.

Quais fatores de risco do câncer de próstata?

Alguns fatores de risco podem aumentar as chances de desenvolver o câncer de próstata. Entenda:

  • Idade: o risco do câncer aumenta com o avançar da idade. Sendo mais comum em homens com mais de 55 anos. 
  • Histórico de câncer na família: a hereditariedade é um fator de risco importante a se observar e fazem parte do grupo de risco.
  • Obesidade: estudos mostram que pacientes obesos possuem maior risco de desenvolver o câncer de próstata.

O diagnóstico precoce do câncer de próstata pode aumentar as chances de cura. Não deixe de fazer exames periódicos para rastrear a doença.

Qual idade para fazer exame próstata?

É recomendado realizar o exame de próstata a partir de 40 anos de idade.

É possível ter câncer de próstata antes dos 40 anos?

Sim, embora seja raro, é possível ter câncer de próstata antes dos 40 anos. É importante lembrar que a hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença, portanto, recomenda-se procurar um urologista que auxiliará na melhor idade para iniciar os preventivos.

Tipos de exame de próstata:

Além dos dois exames mais comuns de próstata, que são o exame de sangue de PSA e o toque retal, existem outros tipos de preventivos capazes de identificar complicações na glândula, conheça:

Ultrassonografia transretal

 A ultrassonografia transretal é um exame invasivo que consiste em avaliar o tamanho da glândula e identificar possíveis alterações em sua estrutura. O exame permite a identificação do câncer em seu estágio inicial.

Medição do jato de urina

O exame serve para analisar a força do jato e a quantidade de urina em cada micção. Como isso é possível observar se há alterações na urina, o que pode indicar complicações.

Exame de urina de laboratório

O exame de urina de laboratório, PCA3 como é chamado, mostra a agressividade do tumor cancerígeno e auxilia na escolha do tratamento.

Biópsia

A biópsia é um exame confirmatório que pode identificar tanto tumores benignos quanto malignos. É necessária a retirada de um pequeno pedaço da glândula para enviar para análise em laboratório. 

Preço do exame de próstata no laboratório

O preço do exame de próstata varia de acordo com a unidade escolhida para realizá-lo. Consulte através do Atendimento ao Cliente: (61) 4004 3883

Saiba mais: Hemoglobina Glicada

Источник: https://laboratorioexame.com.br/saude/exame-de-prostata

Tudo sobre PSA: saiba o que significa um PSA alto

Exame PSA: o que é, para que serve e como entender o resultado

Muitos homens, quando recebem um resultado alterado do exame de PSA,  logo o associam ao câncer de próstata. No entanto, ter um PSA elevado não quer dizer que você está com câncer.  

A dosagem do PSA (Antígeno Prostático Específico) pode estar alterada por outras doenças que não o câncer, como a Hiperplasia Prostática Benigna (crescimento da próstata) e a prostatite (inflamação na próstata).

Desta forma, o exame de PSA, assim como o exame de toque retal, apenas sugere a necessidade ou não de realizar outros exames (como a biópsia da próstata).

Quer saber mais sobre esses exames e o câncer de próstata? Acompanhe o artigo a seguir.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula que se localiza na parte baixa do abdômen. É um órgão pequeno, que tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. Produz parte do sêmen, o líquido que contém os espermatozoides.

Hiperplasia prostática benigna (HPB)

A HPB é muito comum em homens adultos. É caracterizada pelo crescimento de uma das regiões da próstata e geralmente ocorre a partir dos 50 anos de idade. Esse crescimento pode comprimir a uretra, o que dificulta a passagem de urina.  

Prostatite aguda

As prostatites são infecções agudas da próstata e têm como sintomas febre, dor perineal e dificuldade ao urinar.

Câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens. Em valores absolutos e considerando ambos os sexos é o quarto tipo de câncer mais comum e o segundo mais incidente entre os homens.

Na maioria dos casos, o câncer de próstata cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida. Em outros casos, pode crescer rapidamente, se espalhar para outros órgãos (metástases) e causar a morte. 

Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Quais são os exames utilizados para investigar o câncer de próstata?

Para a detecção precoce do câncer de próstata, dois testes são realizados: o toque retal e o exame de PSA. A dosagem do PSA surgiu como um teste promissor, no entanto, a relação custo-benefício deve ser cuidadosamente avaliada.

  • Exame de toque retal: introduzindo o dedo protegido por uma luva lubrificada no reto, o médico avalia tamanho, forma e textura da próstata. O exame permite palpar somente as partes posterior e lateral da próstata, deixando de 40% a 50% dos tumores fora do seu alcance.
  • Exame de PSA: é um exame que mede a quantidade de uma proteína produzida pela próstata  –  Antígeno Prostático Específico (PSA) no sangue. Níveis altos de PSA podem significar câncer, mas também doenças benignas da próstata, como prostatite e hiperplasia prostática benigna.

Quais condições podem elevar o PSA?

Uma vez que o PSA é produzido pelas células da próstata e não especificamente pelas células cancerosas, a dosagem do PSA pode estar alterada por outras doenças que não o câncer.

Como vimos, a prostatite (inflamação na próstata) e hiperplasia benigna da próstata (crescimento da próstata) são algumas doenças benignas da próstata que elevam o PSA. A ejaculação também pode ocasionar maior liberação de PSA, assim como o ciclismo, o hipismo e o toque retal. ​

Quem deve realizar o exame de PSA e quais fatores podem aumentar o risco de ter câncer de próstata?

  • Idade: o risco de câncer de próstata aumenta com o avançar da idade. Segundo o INCA, no Brasil, a cada 10 homens diagnosticados com câncer de próstata, 9 têm mais de 55 anos.
  • História de câncer na família: homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos.
  • Sobrepeso e obesidade:  segundo estudos, o risco de desenvolver câncer de próstata na idade adulta é quase duas vezes maior em homens com sobrepeso de mais de 20 quilos.
  • Negros: possuem maior incidência de câncer de próstata.

O que fazer para evitar o câncer de próstata?

  • Adotar uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais;
  • Evitar o consumo de gorduras, principalmente as de origem animal;
  • Fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física;
  • Manter o peso adequado à altura;
  • Diminuir o consumo de álcool;
  • Não fumar.

Por que o rastreamento de câncer de próstata é tão controverso?

O rastreamento é a realização do exame na população saudável, ou seja, trata-se de uma ação feita para identificar uma doença, ou um fator de risco, antes que estes se manifestem ou piorem. 

O rastreamento visa diminuir a mortalidade e o adoecimento. 

O rastreamento para o câncer de próstata é controverso porque pessoas podem ser diagnosticadas com câncer de próstata de baixa gravidade – que não necessita de tratamento. Estes pacientes podem ser submetidos a biópsias, às vezes desnecessárias, que têm potencial de complicações como infecções, incontinência urinária e impotência sexual. Por isso, a abordagem individual é fundamental.

Se você realizou um exame de PSA não deixe de discutir o resultado com o seu médico: ele avaliará o seu exame, sua história familiar e outros fatores que indicarão ou não a necessidade de novos exames.

Gostou de saber mais sobre o Exame de PSA? Siga o Hilab no Instagram!

Источник: https://fazumhilab.com.br/o-que-e-psa/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: