Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

Contents
  1. Furosemida: para que serve, como tomar e quais os efeitos colaterais?
  2. Como tomar furosemida?
  3. Quais são as contraindicações da furosemida?
  4. Furosemida na gravidez e amamentação
  5. Efeitos colaterais muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos casos)
  6. Efeitos colaterais comuns (ocorrem em 1% a 10% dos casos)
  7. Efeitos colaterais incomuns (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos)
  8. Efeitos colaterais raros (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos)
  9. Efeitos colaterais muito raros (ocorrem em menos de 0,01% dos casos)
  10. Furosemida
  11. Armazenagem antes de aberto
  12. O que é
  13. Para que serve
  14. Como age
  15. Como se usa
  16. Amamentação
  17. Não usar o produto
  18. Avaliar riscos x Benefícios
  19. Reações mais comuns (sem incidência definida)
  20. A Furosemida
  21. Outras considerações importantes
  22. Furosemida – Associações (ver as orientações do fabricante)
  23. REMÉDIOS COM FUROSEMIDA EM SUA COMPOSIÇÃO
  24. Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos
  25. Nomes comerciais
  26. Indicações
  27. Furosemida emagrece?
  28. Furosemida serve para tratar retenção de líquidos?
  29. Tenho urinado pouco, posso tomar furosemida?
  30. Como tomar
  31. Efeitos colaterais
  32. Efeitos adversos pelo aumento da diurese
  33. Efeitos adversos por reações de hipersensibilidade
  34. Ototoxicidade
  35. outros efeitos adversos
  36. Contraindicações
  37. Interações medicamentosas
  38. Referências
  39. Furosemida 40mg: para que serve, efeitos colaterais e como encontrar
  40. Para que serve Furosemida de 40?
  41. Quais são os efeitos colaterais da Furosemida?
  42. Pode tomar furosemida todos os dias?
  43. Quem tem pedra nos rins pode tomar furosemida?
  44. Por que devo procurar um  especialista para iniciar o tratamento com Furosemida?
  45. Quem não deve tomar
  46. Como comprar medicamento manipulado?
  47. Importância de comprar os produtos pela internet 
  48. Furosemida Bula – Quando tomar
  49. Posologia
  50. Mecanismo de Ação
  51. Efeitos Colaterais
  52. Advertências e Precauções
  53. Superdosagem
  54. Composição
  55. O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?
  56. Laboratório

Furosemida: para que serve, como tomar e quais os efeitos colaterais?

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

A furosemida serve para tratar pressão alta leve e moderada, além de inchaço causado por problemas cardíacos, hepáticos, renais e provocado por queimaduras. A furosemida tem propriedades diurética e anti-hipertensiva, por isso é indicada no tratamento da hipertensão arterial e diversos tipos de edemas (inchaço).

Como tomar furosemida?

Os comprimidos de furosemida devem ser tomados com 1 copo de água e com o estômago vazio. Recomenda-se tomar a dose diária de furosemida de uma só vez e num horário que não interfira com outras tarefas, já que a vontade de urinar depois de tomar o medicamento ocorre rapidamente.

Para adultos, a dose inicial de furosemida geralmente é de 20 mg a 80 mg por dia. Depois, a dose diária de manutenção passa a ser de 20 mg a 40 mg por dia.

Para crianças, a dose indicada de furosemida pode ser de 1 a 2 mg por kg, até uma dose máxima de 40 mg por dia.

Vale lembrar que a dose diária máxima de furosemida depende da resposta de cada pessoa ao medicamento. O tempo de duração do tratamento é estipulado pelo médico a depender do quadro clínico da pessoa.

Quais são as contraindicações da furosemida?

A furosemida está contraindicada nas seguintes condições: alergia à furosemida, sulfonamidas ou a algum componente da fórmula do medicamento, insuficiência renal com interrupção da eliminação de urina, pré-coma e coma causados por falência hepática, queda acentuada dos níveis de potássio ou sódio no sangue, desidratação ou redução do volume de líquido na circulação sanguínea.

Furosemida na gravidez e amamentação

A furosemida atravessa a placenta e chega à circulação do bebê. Por isso, o seu uso não é indicado na gravidez, exceto quando realmente for necessário e pelo tempo estipulado pelo médico. Grávidas que tomam furosemida devem controlar periodicamente o crescimento do bebê.

O uso da furosemida durante a amamentação é classificado como baixo, porém a mulher deve usar a medicação apenas com a indicação médica e com o devido acompanhamento.

Efeitos colaterais muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos casos)

  • Alteração dos níveis de eletrólitos;
  • Desidratação;
  • Redução da quantidade de líquido nos vasos sanguíneos;
  • Aumento nos níveis de creatinina e triglicerídeos no sangue;
  • Diminuição da pressão arterial;
  • Hipotensão ortostática (queda acentuada da pressão arterial ao ficar em pé).

Efeitos colaterais comuns (ocorrem em 1% a 10% dos casos)

  • Redução dos níveis de sódio, cloreto e potássio no sangue;
  • Elevação dos níveis de colesterol e ácido úrico no sangue;
  • Crises de gota;
  • Aumento do volume de urina;
  • Encefalopatia hepática;
  • Alterações na circulação sanguínea e linfática;
  • Hemoconcentração.

Efeitos colaterais incomuns (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos)

  • Diminuição da tolerância à glicose, o que levar a um quadro de diabetes;
  • Náuseas;
  • Alterações transitórias na audição, surdez;
  • Coceira, urticária, rash cutâneo;
  • Dermatite bolhosa, eritema multiforme;
  • Dermatite esfoliativa;
  • Púrpura;
  • Aumento da sensibilidade da pele à luz;
  • Redução do número de plaquetas do sangue.

Efeitos colaterais raros (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos)

  • Inflamação nos rins;
  • Vasculite (inflamação de algum vaso sanguíneo);
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Febre;
  • Diminuição do número de glóbulos brancos no sangue;
  • Eosinofilia;
  • Choque anafilático (reação alérgica grave e aguda que pode levar a óbito);
  • Colapsos circulatórios;
  • Ardência, formigamento ou coceira sem razão aparente.

Efeitos colaterais muito raros (ocorrem em menos de 0,01% dos casos)

  • Pancreatite aguda (inflamação no pâncreas);
  • Interrupção ou dificuldade de excretar a bile;
  • Aumento das enzimas transaminases, encontradas no fígado;
  • Zumbido no ouvido;
  • Queda acentuada do número de glóbulos brancos no sangue;
  • Anemia aplástica (produção insuficiente de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas pela medula óssea);
  • Anemia hemolítica (diminuição do número de glóbulos vermelhos do sangue).

O uso de furosemida só deve ser feito sob orientação médica. A presença de qualquer efeito colateral deve ser reportada ao médico que receitou o medicamento.

Referências bibliográficas

Источник: https://medicoresponde.com.br/furosemida-para-que-serve-como-tomar-e-quais-os-efeitos-colaterais/

Furosemida

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

Furosemida

(Oral; Injetável) (substância ativa)

Referência: Lasix (Sanofi-Aventis); Lasix Long(Sanofi-Aventis) 

Genérico: assinalado com G

Similar: Furosem (Medley); Furosetron (Ariston); Neosemid (Neo Química)

Uso oral

Comprimido 40 mg: Lasix; G

Cápsula de liberação prolongada 60 mg: Lasix Long

Uso injetável

Injetável (solução) 20 mg/2 mL: Lasix; G

Armazenagem antes de aberto

Temperatura ambiente (15-30°C).

Proteção à luz: sim, necessária. Não colocar na geladeira.

O que é

diurético; anti-hipertensivo [sulfonamida (derivado); diurético de alça; diurético espoliador de potássio].

Para que serve

edema (na insuficiência cardíaca congestiva, cirrose do fígado, doença renal); hipertensão arterial (tratamento adjunto, com outros anti-hipertensivos).

Como age

como diurético, inibe a reabsorção de sódio e água nos rins (ramo descendente da alça de Henle). Como anti-hipertensivo, reduz o volume de líquidos e o débito cardíaco, baixando a pressão.

Absorção: gastrintestinal (60 a 70%). Biotransformação: no fígado. Ação – início: 20 a 60 minutos (oral); 5 minutos (intravenosa); duração: 6 a 8 horas (oral); 2 horas (intravenosa).

Eliminação: urina (88%); bile (fezes): 12%.

Como se usa

Uso oral– Doses

•doses em termos de Furosemida.

•tomar o medicamento com o estômago vazio.

Adultos

diurético: iniciar com 20 a 80 mg, por dia, em dose única. Se necessário, aumentar a dose em 20 a 40 mg a cada 6 ou 8 horas até obter o efeito desejado.

Manutenção: 20 a 40 mg por dia, de preferência em dose única.

hipertensão: iniciar com 40 mg, 2 vezes por dia; ajustar a dose de acordo com a resposta clínica.

Limite de dose para adultos: 600 mg por dia.

Idosos: podem ser mais sensíveis às doses usuais.

Crianças

diurético: iniciar com 2 mg por kg de peso, em dose única; se necessário, aumentar as doses em 1 a 2 mg por kg de peso, com intervalos de 6 a 8 horas. Não ultrapassar dose de 6 mg por kg de peso corporal.

Uso injetável – Preparação

• doses em termos de Furosemida.

Atenção: descartar se o produto apresentar coloração amarela.

Furosemida (solução) 20 mg/2 mL – Via intramuscular

Administração: em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

Furosemida (solução) 20 mg/2 mL – Via intravenosa direta

Tempo de injeção: 1 a 2 minutos

Furosemida (solução) 20 mg/2 mL – Infusão intravenosa

Diluição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9%; Glicose 5%

Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9% temperatura ambiente (15 – 30°C): 24 horas

Estabilidade após diluição com Glicose 5% temperatura ambiente (15 – 30°C): 24 horas

Tempo de infusão: não exceder 4 mg/minuto

Uso injetável– Doses

Adultos

diurético: iniciar com 20 a 40 mg, via intramuscular ou intravenosa, em dose única; se necessário, aumentar a dose em 20 mg a cada 2 horas até obter o efeito desejado.

edema pulmonar agudo (não acompanhado de crise hipertensiva): 40 mg, via intravenosa. Se houver necessidade injetar mais 80 mg, via intravenosa, após 1 hora.

crise hipertensiva (pacientes com função renal normal): 40 a 80 mg por via intravenosa.

crise hipertensiva (acompanhada de edema pulmonar ou de insuficiência renal aguda): 100 a 200 mg, via intravenosa.

Idosos: podem ser mais sensíveis às doses usuais.

Crianças

diurético (via intramuscular ou intravenosa): iniciar com 1 mg por kg de peso corporal, em dose única; aumentar a dose em 1 mg por kg de peso corporal a cada 2 horas, se houver necessidade. Não ultrapassar dose de 6 mg por kg de peso corporal.

Amamentação

eliminado no leite e também inibe a lactação; não amamentar.

Não usar o produto

diminuição acentuada de sódio no sangue; diminuição acentuada de potássio no sangue; diminuição do volume sanguíneo; pré-coma ou coma hepático; hipersensibilidade a sulfonamida; ureia sanguínea aumentada.

Avaliar riscos x Benefícios

anuíra (parada total da secreção de urina); aumento do acido úrico e gota (pode aumentar ainda mais o acido úrico); diabetes mellitus (prejuízo da tolerância a glicose); diminuição grave da função renal; diminuição da função auditiva; diminuição da função do fígado (exige tratamento inicial hospitalar pelo risco de desidratação e ate coma hepático); gravidez (não usar rotineiramente); historia de pancreatite (pode ser desencadeada pelo produto); infarto agudo do miocárdio (risco de choque); paciente com alto risco de diminuição do potássio; historia de lúpus eritematoso (pode ser desencadeado ou agravado).

Reações mais comuns (sem incidência definida)

barulho nos ouvidos; descontrole de eletrólitos (sódio, potássio, cloreto); queda de pressão ao se levantar; sensibilidade a luz; tontura.

A Furosemida

• pode aumentar o risco de toxicidade nos ouvidos ou nos rins com: anfotericina B injetável.

• pode diminuir a ação de: anticoagulante (cumarinico e derivado da indandiona).

• pode aumentar o risco de problemas renais com: outro medicamento que causa problemas renais.

• pode aumentar o risco de queda de potássio no sangue com: outro medicamento que causa hipopotassemia.

• pode aumentar a toxicidade de: lítio.

Outras considerações importantes

• medir rotineiramente a pressão arterial.

• não ingerir bebida alcoólica.

• cuidado ao dirigir ou executar tarefas que exijam atenção.

• não efetuar mudanças bruscas de posição; cuidado ao subir ou descer escadas.

• evitar exposição ao sol ou a raios ultravioleta (bronzeamento artificial).

• suspender o produto se a oliguria (diminuição da secreção de urina), mesmo na dose máxima, persistir por mais que 24 horas.

• ingerir alimentos ricos em potássio (banana, frutas cítricas, nozes, uva passa, tomate, batata).

• cuidado com desidratação; avisar o medico se ocorrer náusea, diarreia ou vomito intenso.

• evitar exercícios pesados (risco de queda de pressão)

• sempre que possível, evitar dose que possa interferir com o sono (pelo desejo de urinar).

• o produto pode elevar o nível de glicose no sangue de pacientes diabéticos.

• checar periodicamente: eletrólitos (sódio, potássio, cloreto); ureia; creatinina; glicose; função do fígado; acido úrico; cálcio; contagem sanguínea.

Furosemida – Associações (ver as orientações do fabricante)

Furosemide composto – diurético – edema – comprimido (Furosemida 40 mg + cloreto de potássio 50 mg). Medley.

Hidrion – diurético – edema – comprimido (Furosemida 40 mg + cloreto de potássio 100 mg). Gross.

Lasilactona – diurético – capsula (Furosemida + espironolactona). Sanofi-Aventis.

REMÉDIOS COM FUROSEMIDA EM SUA COMPOSIÇÃO

• Biosemide
• Closenid
• Diurana
• Diuremida
• Diurit
• Enatec f
• Fluxil
• Furesin
• Furomida
• Furosan
• Furosem
• Furosemil
• Furosemin
• Furosetron
• Furozix
• Lasilactona
• Neosemid
• Rovelan
• Urasix

Источник: https://www.medicinanet.com.br/conteudos/medicamentos/508/furosemida.htm

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

A furosemida, também conhecida pelo nome comercial Lasix, é um medicamento com potente ação diurética, muito utilizado no tratamento das doenças que provocam retenção de líquidos e edemas, como a insuficiência cardíaca, cirrose, síndrome nefrótica, insuficiência renal, etc.

A furosemida pode ser administrada por via oral, através de comprimidos de 40 mg, ou por via intravenosa, através de solução injetável. Esta última via costuma ser utilizada apenas de forma intra-hospitalar, quando o paciente precisa perder líquidos de modo intenso e relativamente rápido.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula completa da furosemida (Lasix). Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações objetivas e em linguagem acessível ao público leigo.

Neste artigo, vamos falar somente da furosemida. Se você procura informações sobre os diuréticos em geral, acesse o seguinte link: COMO FUNCIONAM OS DIURÉTICOS.

Nomes comerciais

A furosemida é um fármaco já presente no mercado há várias décadas, sendo facilmente encontrado sob a forma de medicamento genérico.

Entre os nomes comerciais, o mais famoso é o Lasix, produzido pelo laboratório Sanofi-Aventis, que é o fármaco de referência para a substância furosemida.

Além do Lasix, a furosemida também pode ser encontrada com os seguintes nomes comerciais:

  • Diflumid.
  • Diretif Tm.
  • Diurit.
  • Diuremida.
  • Fluxil.
  • Furomida.
  • Furosantisa.
  • Furosecord.
  • Furosem.
  • Furosetron.
  • Furozix.
  • Neosemid.

A furosemida é comercializada nas farmácias sob a forma de comprimidos de 40 mg.

Indicações

A furosemida está indicada no tratamento de diversas condições, a maioria delas relacionas a estados de edemas, retenção de líquidos ou alterações hidreletrolíticas, como quando há algum eletrólito em excesso no sangue.

Entre os exemplos de doenças e condições que podem ser tratadas com a furosemida, podemos citar:

* Os diuréticos são uma das principais classes utilizadas no tratamento da hipertensão arterial. A furosemida, porém, não é o melhor membro dessa classe para esse fim porque o seu tempo de ação é curto. Nos pacientes hipertensos, a melhor opção de diurético são os da classe dos tiazídicos, como a hidroclorotiazida ou a clortalidona.

Apenas nos pacientes com crise hipertensiva (leia: Crise hipertensiva – Como baixar a pressão arterial alta) ou com insuficiência renal crônica avançada (taxa de filtração glomerular abaixo de 30 ml/min) é que o Lasix torna-se uma boa opção para controlar a hipertensão.

Furosemida emagrece?

Ao contrário do que dizem várias fontes da Internet que utilizam pouco rigor científico, a furosemida não provoca emagrecimento.

É preciso destacar que perder peso e emagrecer são situações distintas. Se o paciente estiver inchado, a furosemida pode provocar redução do peso, mais isso se dará por perdas de água, nunca por redução da gordura corporal.

Muitas fórmulas para emagrecer vendidas no mercado possuem furosemida na sua composição como forma de enganar o paciente. O uso do diurético faz com que o paciente perca até 1 ou 2 quilos na primeira semana, levando à falsa impressão que o medicamento está provocando emagrecimento, quando, na verdade, ele está apenas causando uma desidratação.

Furosemida serve para tratar retenção de líquidos?

Depende do que o você considera retenção de líquidos. Algumas doenças, tais como insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou síndrome nefrótico, podem realmente fazer com que o paciente retenha mais água. Nestes casos, a furosemida está indicada.

Todavia, o termo retenção de líquido é utilizado de forma muito subjetiva, como nos períodos pré-menstruais, nos pacientes que têm varizes ou após início da pílula anticoncepcional. Nesses casos, a furosemida não deve ser utilizada, pois, a longo prazo, ela pode criar dependência e agravar os edemas.

Se o paciente acha que tem retenção de líquidos, mas não tem nenhuma doença diagnosticada que justifique o quadro, a melhor forma de agir é através da redução drástica do consumo de sal na dieta (leia: Perigos do consumo excessivo de sal).

Tenho urinado pouco, posso tomar furosemida?

Se você não tem nenhuma doença renal, a sua produção de urina é controlada pela quantidade de água corporal. Se você urina pouco é porque está desidratado(a). Neste caso, a furosemida pode agravar a situação e provocar lesão renal.

Pessoas saudáveis que urinam pouco devem aumentar a ingestão de líquidos, e não tomar diuréticos.

Como tomar

Nos pacientes com função renal normal ou quase normal, a dose diária da furosemida costuma ficar entre 20 mg e 80 mg, que podem ser divididos entre 1 ou 2 tomas ao dia. Nos pacientes com insuficiência renal crônica, a dose recomendada pode ir até 200 mg por dia.

A dose inicial costuma ser de 40 mg 1 vez por dia, com progressiva elevação, de acordo com a resposta clínica do paciente.

O objetivo do tratamento com furosemida é encontrar uma dose que seja eficaz para tratar os edemas, sem fazer com que o paciente fique desidratado, tenha algum efeito colateral ou apresente um agravamento da função renal.

Essas doses citadas acima não são as doses máximas, mas sim aquelas que costumam ser necessárias para se atingir o efeito máximo do medicamento. 

Há situações mais graves, porém, que demandam doses ainda maiores de diuréticos para controlar o excesso de líquido no organismo. Em casos de edema grave e resistente, a furosemida deve ser administrada por via intravenosa e a dose pode chegar até 80 a 160 mg por hora.

Como o tempo de ação da furosemida é de apenas 6 horas, esse deve ser o intervalo entre os comprimidos quando o paciente divide o tratamento em duas tomas por dia. Por exemplo, se a primeira dose do dia é às 9:00h, a segunda deve ser às 15:00h.

A furosemida deve ter administrada, de preferência, com o estômago vazio.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais relevantes da furosemida podem ser divididos em 3 grupos: efeitos adversos provocados pelo aumento da diurese, reações alérgicas aos componentes da fórmula e ototoxicidade (lesão do ouvido).

Efeitos adversos pelo aumento da diurese

O Lasix age aumentando a eliminação renal de água e sais. A maior parte dos efeitos colaterais surge quando esse efeito acaba sendo mais intenso que o desejado.

Entre os efeitos colaterais que surgem pela perda excessiva de água, podemos citar:

  • Desidratação.
  • Hipotensão arterial.
  • Tonturas.
  • Fraqueza.
  • Câimbras.
  • Agravamento da função renal.
  • Aumento do ácido úrico (a desidratação estimula a absorção renal de ácido úrico).
  • Alcalose metabólica.

Entre os efeitos provocados pela eliminação excessiva de eletrólitos, podemos citar:

  • Hiponatremia (sódio baixo no sangue).
  • Hipocalemia (potássio baixo no sangue).
  • Hipomagnesemia (magnésio baixo no sangue).
  • Hipocalcemia (cálcio baixo no sangue).

Efeitos adversos por reações de hipersensibilidade

A furosemida é uma sulfonamida. Portanto, qualquer paciente que tenha alergia à sulfa, como aqueles que são alérgicos ao antibiótico Bactrim (sulfametoxazol-trimetoprim), podem também ter reações alérgicas ao Lasix.

A sulfa pode provocar quadros de urticária, angioedema ou nefrite intersticial.

Ototoxicidade

A ototoxicidade (lesão do ouvido), que pode levar à surdez transitória ou permanente, é um problema que ocorre quando a furosemida é administrada em doses muito elevadas, geralmente por via intra-venosa.

Doses baixas da furosemida também podem causar ototoxicidade se forem administradas conjuntamente com antibióticos da classe dos aminoglicosídeos, como a gentamicina, por exemplo.

outros efeitos adversos

A furosemida também está associada a um pequeno aumento dos níveis de glicose, colesterol e triglicerídeos no sangue.

Contraindicações

A furosemida não deve ser administrada nos pacientes com níveis baixos de potássio, sódio, cálcio ou magnésio no sangue.

Pacientes hipotensos ou com sinais de desidratação também não devem ser medicado com diuréticos.

Nos pacientes com insuficiência renal aguda e anúria (ausência de urina) ou nos com cirrose e sinais de encefalopatia hepática, a administração do Lasix pode agravar o quadro.

A furosemida pode ser utilizada nas grávidas com sinais de insuficiência cardíaca, mas o seu uso só deve ser indicado se os benefícios previstos forem maior que os riscos.

Mulheres que estão amamentando devem evitar a furosemida pois ela pode reduzir a produção de leite.

Interações medicamentosas

As principais interações medicamentosas da furosemida ocorrem com os seguintes fármacos:

  • Alopurinol – aumenta o risco de efeitos colaterais do alopurinol.
  • Anti-inflamatórios – aumento do risco de lesão renal e redução da ação da furosemida.
  • Antibióticos da classe dos aminoglicosídeos – aumento do risco de ototoxicidade.
  • Aspirina – reduz o efeito da furosemida.
  • Ciclosporina – aumento do risco de hiperuricemia e gota.
  • Cisplatina – aumento do risco de lesão renal.
  • Contrastes iodados para exames radiológicos – aumenta o risco de lesão renal.
  • Lítio – aumento do risco de toxicidade pelo lítio.
  • Metotrexato – reduz o efeito da furosemida e aumenta o risco de efeitos colaterais pelo metotrexato.
  • Risperidona – aumento do risco de efeitos colaterais da risperidona.
  • Sucralfato – reduz o efeito da furosemida.

O Lasix não interfere com o efeito dos anticoncepcionais hormonais.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/bulas/furosemida/

Furosemida 40mg: para que serve, efeitos colaterais e como encontrar

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, aproximadamente 7,2% de pessoas no mundo, sofrem com problemas decorrentes de doenças renais.

Para isso, os medicamentos diuréticos  são essenciais para ajudar no tratamento, ajudando a filtrar melhor a água no organismo e eliminar o sódio. Minimizando os riscos a saúde e proporcionando mais qualidade de vida aos pacientes.

Neste artigo, vamos abordar sobre o medicamento manipulado Furosemida, sobre as doenças renais e se pessoas com apresentam pedra nos rins e se elas podem fazer uso do tratamento com Furosemida.

Leia também:  Como controlar os efeitos da ansiedade com terapia homeopática? 

Para que serve Furosemida de 40?

O Furosemida é um remédio com potente ação diurética, indicado para tratamentos de doenças renal, cardíaca e hepáticas. Devido às substâncias presentes no fármaco, consegue melhorar o desempenho do organismo, eliminando o sódio.    

Apesar de sua eficiência, assim como outros medicamentos, ele deve ser receitado por um médico. Nunca realize um tratamento por conta própria, pois pode gerar sério agravamentos para a saúde. Contudo, esse medicamento pode administrado via oral, no formato de comprido.  

  A Furosemida pode ser utilizada para tratamentos de:

  • Inchaço do corpo devido a anormalidades cardíacos;
  • Inchaço do corpo devido a anormalidades no fígado;
  • Inchaço do corpo devido a anormalidade nos rins;
  • Inchaço no corpo devido a queimaduras;
  • Tratamento arterial leve e moderada.

De modo geral, situações que envolvem excesso de líquidos no organismo. 

Quais são os efeitos colaterais da Furosemida?

Os efeitos colaterais da Furosemida, consiste no aumento de diurese, ou seja, secreção de urina, o que pode ocorrer  devido a liberação de sódio do organismo.

No entanto, entre os principais sintomas dos efeitos colaterais, são:  boca seca, alterações gastrointestinais, distúrbios hormonais, fraqueza, tontura, entre outras condições que possam aparecer. Por isso, se faz necessário o acompanhamento de um especialista para verificar se as reações são comuns ou se precisam ser averiguadas.  

Pode tomar furosemida todos os dias?

O tratamento de Furosemida pode variar conforme o objetivo principal. Para o uso adulto, normalmente é ingerido de 20 a 80 mg, por dia. O tratamento para criança deve ser menor, normalmente são administrados de 2 a 40 mg por dia.

Quem tem pedra nos rins pode tomar furosemida?

Quando o paciente apresenta Calculose Renal, mais conhecida como pedra nos rins, o tratamento de Furosemida pode ser administrado.

No entanto, o uso deve ser feito sempre com orientação médica, pois depende da situação  e como a lesão renal  se encontra, para saber a quantia exata que deve ser ingerida e  o período de tratamento.

Para melhor compreender, a Furosemida visa tratar a sobrecarga de líquidos.   

Por que devo procurar um  especialista para iniciar o tratamento com Furosemida?

O tratamento com Furosemida, assim como para outros tipos de tratamentos, é muito importante consultar um especialista para não prejudicar a sua saúde e realizar um tratamento eficiente.

  Sendo assim, a consulta continua sendo indispensável, mesmo porque estamos nos referindo de um medicamento, que visa tratar sérios problemas sérios de saúde. Por isso, sempre que o seu corpo apresentar alguma normalidade, busque ajuda médica.

  Além disso, após a consulta procure por uma farmacia de manipulacao qualificada para realizar o seu tratamento.    

Os remédios manipulados oferecem inúmeras vantagens, como a fórmula   personalizada conforme a sua necessidade específica exclusivamente para você, atendendo com mais eficiência a sua situação.  Diferente dos medicamentos convencionais que possuem apenas uma formulação, caso apresente algum quadro alérgico, não podem ser alterados.  

Portanto, somente com uma consulta ao dermatologista será possível diagnosticar completamente a sua situação e receitar o cosmético manipulado ideal para a sua pele. Essas características técnicas, apenas um dermatologista qualificado poderá reconhecer e receitar o que será melhor para o seu caso.    

Quem não deve tomar

O tratamento com Furosemida é contraindicado para quem tem o histórico de saúde com insuficiência real, para quem apresenta doenças do fígado ou alérgicos a Furosemida. 

Pois o uso indevido pode gerar sérias complicações à saúde, por isso, antes de iniciarem tratamento, realize consultas periódicas, exames e verifique se você realmente pode fazer uso desse fármaco, sem qualquer risco e qual será a dosagem adequada para o seu caso especifica.  

Como comprar medicamento manipulado?

Os medicamentos manipulados podem ser encontrados com mais praticidade, através do aplicativo de cotação do Manipulae. A pesquisa pode ser feita independente de onde estiver, com apenas alguns cliques, você receberá as farmácias qualificadas pela Anvisa. 

Para realizar a sua cotação, basta entrar em nosso site, clicar na aba “enviar receita para cotação”, adicionar a foto de sua receita médica e preencher os dados necessários. Em pouco tempo, vamos enviar a cotação, na sequência você poderá selecionar qual farmacia melhor atender suas necessidades, fazer o pagamento online  e receber a sua compra no endereço indicado. 

Pensando no bem-estar de nossos clientes, esse processo visa otimizar melhor o tempo de compra e garantir maior eficiência, com farmácias confiáveis e tratamentos eficientes.   

Importância de comprar os produtos pela internet 

Conforme mencionado no tópico anterior, você pode adquirir os produtos manipulados pela internet e fazer o pagamento pelo aplicativo, sem precisar de deslocar para outro ambiente. Proporcionando mais praticidade e segurança no momento de realizar as compras rotineiras dos medicamentos, suplementos e produtos manipulados. 

Realize a sua cotação, clique aqui.  

 Está precisando manipular um medicamento? Então aproveite para  realizar a sua compra online, sem medir esforços e no conforto de sua casa.

Fazemos o orçamento dos seus remédios e apresentamos os preços de cada farmácia para você.  Então aproveite e clique aqui e acesse a nossa página de orçamentos.

Qualquer dúvida entre em contato com a gente que auxiliamos você passo a passo: relacionamento@manipulae.com.br                  

Leticia Saifert Picoli
25/09/2020

Источник: https://www.manipulae.com.br/artigos/Furosemida%2040mg

Furosemida Bula – Quando tomar

Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos

A furosemida é indicada nos casos de hipertensão arterial leve a moderada, inchaço devido a distúrbios cardíacos, hepáticos e renais e edema devido a queimaduras.

Posologia

Adultos

O tratamento geralmente é iniciado com 20 a 80 mg por dia.

A dose de manutenção é de 20 a 40 mg por dia.

A dose máxima depende da resposta do paciente.

Crianças

A posologia recomendada é de 2 mg/kg de peso corporal, até um máximo de 40 mg por dia.

Veja como melhorar o efeito deste remédio.

Mecanismo de Ação

A furosemida apresenta efeito diurético e anti-hipertensivo, e o início da ação ocorre cerca de 60 minutos após a administração do produto.

Efeitos Colaterais

Distúrbios metabólico e nutricional

  • Excreção aumentada de sódio e cloreto e consequentemente de água.
  • Excreção aumentada de outros eletrólitos, em particular potássio, cálcio e magnésio.

Distúrbios eletrolíticos sintomáticos e alcalose metabólica.

  • Desidratação e hipovolemia, especialmente em pacientes idosos.
  • Aumento transitório dos níveis de creatinina e de uréia sanguíneas.
  • Aumento nos níveis séricos de colesterol e triglicérides.
  • Aumentos no nível sérico de ácido úrico e ataques de gota.
  • Diminuição da tolerância à glicose; odiabetes mellituslatente pode se manifestar. Ver item “Advertências e Precauções”.

Distúrbios Vasculares

  • Hipotensão incluindo hipotensão ortostática.
  • Tendência à trombose.
  • Vasculite.

Distúrbios renal e urinário

  • Retenção aguda da urina em pacientes com obstrução parcial do fluxo urinário.
  • Nefrite intersticial.
  • Nefrocalcinose/nefrolitíase em crianças prematuras.

Distúrbios Gastrintestinais

  • Náuseas, vômitos, diarreia.
  • Pancreatite aguda.

Distúrbios hepato-biliares

  • Náuseas, vômitos, diarreia.
  • Pancreatite aguda.

Distúrbios auditivos e labirinto

  • Alterações na audição e tinido, embora geralmente de caráter transitório, particularmente em pacientes com insuficiência renal, hipoproteinemia (por exemplo: síndrome nefrótica) e/ou quando furosemida intravenosa for administrada rapidamente.

Distúrbios no tecido subcutâneo e pele

  • Coceira, urticária, outras reações como rash ou erupções bolhosas, eritema multiforme,penfigóide bolhoso, dermatite esfoliativa, púrpura, fotossensibilidade.​

Distúrbios do sistema imune

  • Reações anafilácticas ou anafilactóides graves (por exemplo, com choque).​
  • Distúrbios do sistema nervoso.
  • Parestesia.
  • Encefalopatia hepática em pacientes com insuficiência hepatocelular.​

Distúrbios do sistema linfático e sangüíneo

  • Trombocitopenia. leucopenia, agranulocitose, anemia aplástica, anemia hemolítica.
  • Eosinofilia.
  • Hemoconcentração.

Distúrbios congênito e genético/familiar

  • Risco aumentado de persistência do ducto arterioso patente quando furosemida for administrada a crianças prematuras durante as primeiras semanas de vida.​

Distúrbios gerais e condições no local da administração

Advertências e Precauções

Deve-se fazer uma monitorização regular em pessoas com obstrução parcial do fluxo urinário, pessoas com alto risco de desenvolvimento de alterações de sódio e potássio ou em casos em que haja perda de fluidos como vômitos, diarreia ou suor intenso.

Em casos de hipovolemia ou desidratação significativa pode ser necessário descontinuar temporáriamente a furosemida.

A furosemida passa para o leite, inibindo a lactação e atravessa a barreira placentária , por isso não deve ser administrada durante a gravidez e a amamentaçã, a não ser que o médico autorize.

Em pacientes idosos, a eliminação de furosemida é diminuída devido à redução na função dos rins.

A redução acentuada de fluidos pode levar a concentração do sangue com tendência ao desenvolvimento de tromboses.

Em crianças prematuras podem desenvolver-se cálculos de cálcio nos rins e deposição de sais de cálcio nos tecidos dos rins. Nestes casos, a função dos rins deverá ser controlada e deverá ser realizada uma ultrassonografia dos rins.

Deve fazer-se uma vigilância cuidada em pessoas com:

  • Hipotensão ou com risco particular de pronunciada queda da pressão arterial;
  • Diabetis mellitus latente ou manifesta
  • Gota ou hiperuricemia
  • Insuficiência dos rins associada à doença grave do fígado;
  • Pacientes com hipoproteinemia associada à síndrome nefrótica.

Pode ocorrer alteração da absorção de furosemida quando administrada com alimentos, portanto, recomenda-se que os comprimidos sejam tomados com o estômago vazio.

Superdosagem

Em casos de superdosagem, pode ocorrer perda de eletrólitos e fluidos, desidratação, diminuição da quantidade de plasma e arritmias cardíacas.

Assim, podem surgir sintomas destas alterações, que incluem queda grave da pressão sanguínea, insuficiência aguda dos rins, trombose, delírio, paralisia flácida, apatia e confusão.

Composição

Cada comprimido contém:

Furosemida____________________________________40 mg

Excipientes__________________________q.s.p. 1 comprimido

(Excipientes: Lactose monoidratada, povidona, amido, talco, estearato de magnésio).

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso esqueça de tomar uma dose, tome-a assim que possível; no entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca tome duas doses ao mesmo tempo.

Laboratório

Aché

 – SAC 0800 701 6900

Dizeres Legais

MS – 1.1213. 0233

Farmacêutico Responsável: Alberto Jorge Garcia Guimarães

CRF-SP nº 12.449

Источник: https://www.bulario.com/furosemida/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: