Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

Gastroenterite

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

Gastroenterite refere-se a uma irritação e inflamação do tubo digestivo, incluindo o estômago e o intestino. As causas mais comuns são agentes virais, bactérias e parasitas.

Por ser uma doença muito comum, os sintomas da gastroenterite já são bem conhecidos: diarreia, dor abdominal, cólicas, náuseas, vômitos, fraqueza e desidratação. A extensão e gravidade variam de um indivíduo a outro de acordo com a idade e o estado de saúde.

Normalmente os casos mais graves são em crianças, idosos e pessoas que por alguma razão estão com a imunidade comprometida (transplantados e HIV positivos).

A gastroenterite aguda (GEA) é uma das causas mais comuns de mortalidade infantil nos países em desenvolvimento. A maioria das mortes acontece em zonas onde o acesso a água potável e o saneamento são limitados ou inexistentes.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a UNICEF, a cada ano se registram no mundo 2 bilhões de casos de doença diarreica. 1.9 milhões de crianças com menos de 5 anos morrem por causa de diarreia. Isto significa 18% de todas as mortes de crianças com menos de cinco anos. E mais de 5.000 crianças morrem a cada dia como resultado de doenças diarreicas.

A diarreia é uma das principais causas de morbidade e mortalidade associada a HIV/AIDS em todo o mundo. Em países em desenvolvimento, a diarreia afeta até 95% dos pacientes com AIDS.

No pós-transplante a diarreia infecciosa é associada mais comumente a patógenos virais, pois a terapia imunossupressora faz com que vírus latentes presentes em nosso corpo voltem a agir. E muitos se instalam no tubo digestivo.

Em ambos os casos, como o corpo já está debilitado, o não tratamento pode ter consequências muito graves como úlceras e hemorragia causando a morte desses pacientes.

Nos países em desenvolvimento, as bactérias são os principais agentes causadores e agem principalmente durante o verão.  Os agentes virais são comuns em países industrializados como em desenvolvimento e atuam particularmente no inverno. Ambos os casos são altamente contagiosos.

Os casos bacterianos são caracterizados pela contaminação nos alimentos. A melhor maneira de preservação é o armazenamento de alimentos crus abaixo de 4ºC e os alimentos quentes acima de 6ºC.

Os casos virais são caracterizados pela passagem do vírus de uma pessoa para outra. Eles estão presentes nas fezes ou vômitos de pessoas contaminadas e a falta de higienização também pode contaminar alimentos e bebidas.

Conheça as bactérias mais comuns causadoras da gastroenterite:

  • Campylobacter coli (Ccoli)/Campylobacter jejuni (Cjeju)/Campylobacter lari (Clari): Causadoras comuns de gastroenterites e enterocolites.
  • Clostridium difficile (Cdiff ): Naturalmente presente na flora intestinal, é responsável por diarreias hospitalares.
  • Shigella spp. (Shig) /Escherichia coli enteroenvasiva (EIEC): Associadas a doenças de gravidade variável com quadros de diarreia simples até casos complicados de colite hemorrágica.
  • Escherichia coli verotoxigênica (VTEC): Provoca a salmonelose através do consumo de alimentos contaminados.
  • Salmonella spp. (Salm): Causadora da shigelose através da transmissão oro-fecal.
  • Yersinia enterocolítica (Yent): Provoca infecções intestinais chamadas de yersinose entérica.

Conheça os vírus mais comuns causadores da gastroenterite:

  • Norovírus G1 e G2 (Noro G1 e Noro G2): Causa de 5% a 30% dos casos de hospitalização por gastroenterite.
  • Rotavírus (Rota): Causador frequente de gastroenterite correspondente a 60% dos casos.
  • Astrovírus (Astro): Associados à gastroenterite infantil.
  • Adenovírus (HAdV): Podem causar gastroenterites agudas e são responsáveis por 20% dos casos em crianças.
  • Sapovírus (Sapo): Associados a surtos de gastroenterites em adultos.

Cerca de 40% dos casos de diarreia nos primeiros 5 anos de vida devem-se ao Rotavírus e 30% a outros vírus.

Em 20 a 30% são identificados agentes bacterianos (Salmonella, Campylobacter jejuni, Yersinia enterocolítica, E. coli enteropatogénica ou Clostridium difficile).

O diagnóstico é parte fundamental para o tratamento de uma doença. É através dele que é possível identificar qual é o agente causador e o melhor procedimento a ser tomado.  A grande dificuldade dos métodos convencionais é justamente identificar o patógeno.

Com o avanço da ciência e metodologias, hoje já é possível o diagnóstico molecular. A técnica utilizada é a PCR em tempo real (Polymerase Chain Reaction – Reação em cadeia da Polimerase) consiste basicamente na extração in vitro do DNA ou RNA da patogênese responsável pela doença.

O método molecular tem alta sensibilidade, o que proporciona resultados extremamente específicos. As informações geradas no exame possibilitam o diagnóstico mais detalhado, garantindo que o paciente seja tratado de uma maneira individual e de forma mais seletiva.

A linha XGEN disponibiliza dois kits para diagnóstico por PCR em tempo real. O KIT MULTIPLEX GASTROENTERITE VIRAL e o KIT MULTIPLEX GASTROENTERITE BACTERIANA que realizam a detecção de ácido nucleico dos principais vírus e bactérias que causam a gastroenterite. A tecnologia multiplex permite que vários agentes sejam identificados em um único exame em um tempo muito mais rápido.

Источник: http://bioemfoco.com.br/noticia/gastroenterite-causas-cuidados-diagnostico-molecular/

Gastroenterite: causas, sintomas & tratamentos

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

A gastroenterite ocorre com freqüencia durante todo o ano em forma de epidemia. Aqui está o nosso arquivo completo com os bons conselhos e as dicas de alimentação a serem seguidas em caso de gastroenterite.

Guia para tratar uma gastroenterite

1. O primeiro passo a ser tomado desde os primeiros sintomas da gastroenterite é beber bastante líquido como, por exemplo, caldos ou infusões à base de plantas medicinais.

2. Em seguida é importante saber se é necessário consultar um médico ou não. Para os casos em bebês é sempre aconselhado consultar um pediatra para limitar qualquer risco de desidratação grave (ver complicações da gastroenterite).

Em crianças maiores e adultos, uma gastroenterite viral (por ex.

após uma epidemia de Rotavírus) pode de forma geral ser curada por auto-medicação, se não houver riscos particulares, por exemplo como com antidiarréicos, remédios à base de bactéria láctea, etc.

(ver todos os tratamentos contra a gastroenterite). Já em caso de gastroenterite bacteriana será necessário consultar um médico que irá prescrever antibióticos.

Depois de fezes líquidas (diarreia) ou ter vomitado, espere cerca de 15 minutos antes de comer ou beber alguma coisa. O objetivo é fazer com que o estômago tenha um momento para descansar.

3. Por fim, pode ser benéfico se tratar com plantas medicinais, em particular plantas ricas em taninos como o chá preto (ver todas as plantas medicinais contra a gastroenterite).

Uma alimentação à base de iogurte é também uma boa medida para curar uma gastroenterite (ver também outros conselhos úteis).

Ler também: queimação do estômago e azia.

Dicas de prevenção

Para limitar a propagação do vírus ou bactérias para a sociedade, é importante lavar as mãos várias vezes ao dia com sabão e água, especialmente durante as epidemias de gastroenterite. Também desinfete diferentes superfícies (ex. banheiro) e objetos contaminados com o vírus.

É importante saber que o vírus da gastroenterite, incluindo rotavírus, é facilmente disseminado através de fezes e vômito, este tipo de contaminação é chamada de fecal-oral. O norovírus é facilmente transmitido por alimentos e bebidas contaminados.

Entrevista sobre a gastroenterite

A gastroenterite em 7 perguntas e respostas
A visão dessa doença infecciosa, na maior parte das vezes benigna, da Farmacêutica Chiara Rivière-Gallo que trabalha em Genebra (Suíça):

1. Quais os sintomas clássicos de gastroenterite?
Há frequentemente náuseas, vômitos e diarreia (aguda). Às vezes, a gastroenterite é acompanhada de febre, dor de cabeça, cólicas de estômago e até dor nos membros.

Em alguns casos graves como em crianças pequenas (bebês, crianças,…) pode ser observado uma desidratação (perda de peso, sede, boca seca, diminuição do volume e frequência da urina,…).

Neste caso, consulte um médico o mais rapidamente possível!

2. Quanto tempo dura a gastroenterite?
Em geral, a gastroenterite dura em média de 2 a 3 dias.

Sobre as gastroenterites provocadas pelo Norovírus (uma gastroenterite viral que é bastante comum), normalmente dura de 12-60 horas, mas na maioria dos pacientes, em dois dias a gastroenterite já se curou. Note, no entanto que, um paciente pode permanecer contagioso por até dois dias após a recuperação.

3. É possível ter várias gastroenterites em seguida uma da outra?
Sim, porque a imunidade ao vírus da gastroenterite, em particular o norovírus, dura pouco tempo e há várias fontes. Isso é porque a produção de uma vacina contra infecções provocadas pelo norovírus, no momento não é possível.

4. Precisamos consultar um médico ?
Não, exceto os recém-nascidos, crianças muito jovens, e pelo contrário, pessoas muito velhas e muito frágeis.

A gastroenterite viral (a que conhecemos principalmente no inverno) deve ser curada com automedicação (paracetamol em caso de dor, sachês de reidratação, etc) porque, como mencionado acima, após cerca de 2 dias a gastroenterite desaparece por si só.

As recomendações são provenientes do NHS, um órgão público no Reino Unido. O objetivo da automedicação é para evitar sobrecarregar o pronto-socorro ou o médico da família e para limitar a propagação (sabemos que a gastroenterite é muito contagiosa).

Em caso de sintomas suspeitos, tais como uma diarreia forte e persistente, muco nas fezes, uma desidratação, uma diarreia profusa aquosa, em caso de retorno de sangue, consulte um médico.

5. Durante a gastroenterite qual alimentação devemos ter?
Primeiramente é importante notar que é necessário comer em pequenas doses, por exemplo, de 6 a 10 pequenas refeições durante o dia, ao invés de 3 refeições habituais.

Sobre o conteúdo dessas refeições, deve-se evitar alimentos condimentados ou legumes crus. Comer principalmente banana e purê de cenoura. Não se esqueça de tomar muito líquido, como chá, sopa e água de arroz (ver também questão 6).

Evite bebidas muito doces como Coca-Cola, pois açúcar em excesso pode piorar a diarreia.

6. Quais são os tratamentos para curar uma gastroenterite viral?
Distinguimos entre os tratamentos para crianças pequenas e bebês das crianças mais velhas e adultos.

Para crianças pequenas e bebês, em caso de desidratação leve, é possível utilizar soluções de reidratação disponível em farmácias. Além disso, a OMS recomenda a preparação da fórmula:

Fórmula OMS (simplificada)

– 8 colheres (chá) de açúcar;

– 1 colher (chá) de sal;

– Suco de 1-2 laranjas;

– 1 litro de água fervida (especialmente em países onde a água não é potável).

Administrar regularmente em pequenas quantidades para as crianças.

Esta fórmula é preferível à água de arroz. Esta última não contém hidratos de carbono suficiente.

Se a desidratação (olheiras, perda de peso, sede, etc) for marcante nos bebês, consulte imediatamente um médico!

7. Como evitar a contaminação do meio ambiente?
Sabemos que a gastroenterite é altamente contagiosa, o vômito contém uma quantidade enorme de vírus que pode se depositar sobre os móveis, etc. Portanto, é essencial lavar as mãos regularmente, especialmente no inverno (durante uma epidemia).

A roupa deve ser lavada acima de 60°C. Para a máquina que não lava a esta temperatura, a roupa deve ser colocado em um ambiente exterior por 14 dias.

Outras medidas eficazes de prevenção podem ser tomadas como a desinfecção de chãos, móveis, etc.

Entrevista realizada em Genebra por Xavier Gruffat (Editor da Creapharma/Criasaude)

Definição

A gastroenterite (também conhecida como gripe intestinal) é uma infecção da mucosa do tubo digestivo do estômago e do intestino.

A gastroenterite pode frequentemente provocar uma forte desidratação. Durante o inverno ela pode provocar verdadeiras epidemias, pois trata-se de uma infecção muito contagiosa.

As crianças são particularmente afetadas por esta doença.

Epidemiologia

Nos Estados Unidos, o CDC (Centers for Diseases Control and Prevention) estima que há anualmente 19 a 21 milhões de pessoas infectadas pelo norovírus, gerando  56.000 a 71.000 hospitalizações e 570 a 800 mortes por ano.

No mundo, todos os anos cerca de 453.000 crianças morrem antes dos 5 anos devido aos efeitos das infecções por rotavírus, de acordo com um estudo alemão publicado em 2017 na revista científica  Deutsches Ärzteblatt International (Dtsch Arztbl Int 2017, 114: 255 -62).

Causas

A gastroenterite é geralmente provocada por micróbios, então ela pode ser do tipo viral ou bacteriana:

Gastroenterite viral (causa mais frequente, mais de 80% dos casos nas epidemias de inverno): esta é uma infecção sazonal altamente contagiosa que se transmite facilmente pelo contato humano ao apertar as mãos e ao ir ao banheiro pelo contato fecal-oral (mãos que nos esquecemos de lavar que contamina a nós mesmos ou outro ao entrar em contato com outro indivíduo), contato com objetos contaminados e superfícies de alimentos ou bebidas contaminados, etc. Estes vírus geralmente causam grandes epidemias no inverno.

Saiba que os sintomas da gastroenterite viral são geralmente menos severos do que os da gastroenterite bacteriana (muitas vezes caracterizada por sangue nas fezes).

Rotavírus
Mais de uma centena de vírus são responsáveis pela gastroenterite viral, os mais famosos são rotavírus e norovírus. O rotavirus muitas vezes causa surtos de gastroenterites em crianças, a transmissão ocorre geralmente quando a criança coloca os dedos ou um objeto contaminado em sua boca.

Na maioria das vezes, os adultos não desenvolvem sintomas se contaminados com rotavírus, no entanto eles podem transmitir o vírus para as crianças mesmo sem apresentar sintomas. Existe uma vacina eficaz para prevenir a gastroenterite em crianças causada pelo rotavírus, pergunte ao seu médico.

 De acordo com um estudo alemão publicado em 2017, as infecções pelo rotavírus são a causa mais frequente de diarreia em crianças e crianças pequenas em todo o mundo.

Norovírus– O norovírus é tipicamente sazonal e geralmente prevalente na Europa e América do Norte no inverno até março.

– Estes vírus são facilmente transmitidos por via fecal-oral, por meio de uma bebida ou de um alimento contaminado, facilitando surtos em instituições e aglomerado de pessoas, tais como: asilos, hospitais, quartéis ou navios de cruzeiro. A contaminação dentro da mesma família também é muito comum.

– De acordo com o CDC norte-americano, a transmissão do norovírus ocorre em 61% dos casos através do contato direto ou por tocar em uma superfície contaminada. A transmissão direta do norovírus de pessoa para pessoa também é possível.

– Mundialmente, estima-se que os norovírus são os principais responsáveis de epidemias gastroentericas com sintomas como diarreia e, às vezes, vômitos. Existem várias cepas de norovírus. De acordo com o Profa.

Christine Moe da Universidade Emory, em Atlanta (EUA), há pelo menos 25 genótipos diferentes de norovírus e nesses genótipos há diferentes cepas, provavelmente centenas.

Essa quantidade diversa de diferentes vírus, é uma das razões pela qual é difícil de obter imunidade de uma temporada para outra, os vírus mudam o tempo todo e o corpo é incapaz de sintetizar os anticorpos necessários para combate-los.

Ainda de acordo com a Profa. Christine Moe, o norovírus é o grupo mais infeccioso de agentes patogênicos que se têm descrito. Estima-se que apenas 10 a 20 partículas do vírus vsão necessárias para infectar outro humano.
– Estima-se que o norovírus pode sobreviver, por exemplo, em uma superfície até 4 semanas, segundo estudos realizados pelo Prof. Moe, embora o cientista norte-americano ainda não tenham descoberto se o vírus presente em uma superfície pode causar doença em um ser humano. Outros estudos têm mostrado que o norovíru pode sobreviver até 2 meses em água à temperatura ambiente e pode causar a doença, como revelado em um artigo no jornal norte-americano de  referência The Wall Street Journal  de 24 de Janeiro de 2017.

Источник: https://www.criasaude.com.br/N2020/doencas/gastroenterite.html

VIROSE GASTROINTESTINAL – Vômitos e diarreia

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

Gastroenterite é um termo que significa inflamação do estômago e dos intestinos.

A gastroenterite pode ser causada por vários fatores, tais como infecções por parasitas e bactérias, remédios, álcool, ou doenças, como intolerância à lactose, doença de Crohn ou doença celíaca. A gastroenterite viral é qualquer gastroenterite que seja provocada por um vírus.

A gastroenterite viral é uma infecção extremamente comum, perdendo em incidência apenas para as infecções respiratórias.

Quando a inflamação da gastroenterite é predominantemente do estômago, náuseas e vômitos são os sintomas são proeminentes. Quando são os intestinos os mais acometidos, cólicas abdominais e diarreia dominam o quadro. Porém, não é incomum o paciente apresentar um quadro com inflamação extensa, sofrendo com vômitos e diarreia ao mesmo tempo.

O quadro de vômitos é causado por inflamação e irritação da parede do estômago, que passa a tolerar mal a presença de alimentos.

Já o quadro de diarreia ocorre porque o vírus ataca as células da mucosa do intestino, principalmente do jejuno e do íleo, que correspondem aos 2/3 finais do intestino delgado.

A inflamação resultante deste ataque destrói as vilosidades do intestino, que são as estruturas responsáveis pela absorção dos nutrientes digeridos. Além de impedir a absorção de nutrientes, alguns vírus, como o rotavírus, estimulam a secreção de água pelas células intestinais, provocando uma diarreia aquosa e profusa, fazendo com que o paciente evacue mais de 15 vezes por dia.

Nesse texto iremos falar apenas sobre as diarreias de origem viral. Se você deseja mais informações sobre diarreia em geral, leia: Diarreia – Causas e tratamento.

Para mais informações sobre outras formas de virose, leia: Viroses – Sintomas, Causas e Tratamento.

Transmissão

As viroses gastrointestinais são chamadas em inglês de “stomach flu”, que numa tradução livre pode ser chamado de “gripe estomacal”. Apesar do vírus da gripe não provocar gastroenterite, a analogia é feita devido às semelhanças entre as formas de transmissão e a facilidade de contágio desses vírus.

Na maioria dos casos, a transmissão é feita pelo contato próximo, principalmente por mãos contaminadas pelo vírus. Fezes e vômitos dos pacientes contaminados possuem elevadas cargas de vírus.

Se uma higiene adequada das mãos não for feita após cada evacuação, o paciente pode contaminar roupas e objetos, facilitando a dispersão do vírus. Pais que não lavam as mãos adequadamente após cada troca de fraldas do filho também podem espalhar o vírus para o resto da família (leia: Por que é importante lavar as mãos para evitar doenças?)

Alimentos preparados por pessoas doentes (principalmente se crus ou mal cozidos) ou águas contaminadas com fezes também são vias comuns de transmissão.

A transmissão através do ar também é possível, principalmente através de gotículas de saliva durante a fala, tosse ou espirros.

Também há suspeitas de que o vírus possa ser transmitido pelo ar através dos vômitos. Por isso, sugere-se que a limpeza dos vômitos seja feita não somente com luvas, mas também com máscaras.

Sintomas

As viroses gastrointestinais causadas pelo Norovírus, Sapovírus ou Astrovírus podem provocar desde uma doença leve, com febre baixa e diarreia leve, até um quadro bem grave, com febre alta e dezenas de episódios de vômitos e diarreias ao longo do dia.

A presença de vômitos é mais comum nas infeções causadas pelo Norovírus e pelo Sapovírus. Já o Rotavírus só costuma causar diarreia importante nas crianças ou nos adultos com imunidade deficiente.

Diarreia pelo Norovírus

A gastroenterite pelo Norovírus costuma provocar sintomas 1 a 3 dias após a contaminação. O quadro é de início abrupto, com vômitos e/ou diarreia.

A diarreia costuma ser moderada, com 4 a 8 evacuações por dia. As fezes são bem líquidas e não há presença de sangue, pus ou muco.

Também são comuns dor muscular, mal-estar, dor de cabeça, cólicas, dispepsia e febre ao redor de 38-39ºC.

Em adultos saudáveis, essa forma de gastroenterite provoca desconforto, mas não costuma causar graves consequências. Habitualmente, em dois ou três dias o paciente se recupera do quadro sem maiores problemas.

Manifestações mais graves da doença podem ocorrer em crianças pequenas, idosos ou pacientes debilitados, com outros problemas de saúde.

Diarreia pelo Rotavírus

A gastroenterite pelo Rotavírus é habitualmente branda em adultos, mas pode ser bem grave nas crianças muito pequenas. Algumas crianças podem ter mais de 20 episódios de vômitos e/ou diarreia por dia, levando a quadros de desidratação grave.

A diarreia pelo rotavírus é bem aquosa e também não contém sangue, pus ou muco. O quadro surge habitualmente 48 horas depois da contaminação e o paciente fica por até 10 dias eliminando o vírus nas fezes. Os sintomas duram de 12 a 60 horas.

A maioria das crianças não vacinadas acabam contraindo o Rotavírus até o 3 anos de idade, devido ao intenso e próximo contato entre as mesmas em creches e infantários.

A primeira infecção costuma ser a mais severa. Depois, como o organismo desenvolve anticorpos, as reinfecções ao longo da vida costumam ser bem mais brandas. Por isso, as infecções por rotavírus em adultos costumam ser leves.

Nos pacientes devidamente vacinados, 60% ficam totalmente imunes ao vírus e mais de 95% ficam imunes às formas graves da gastroenterite.

Diagnóstico

Na maioria dos casos, o diagnóstico é feito somente com base no exame médico. Até existem testes para Rotavírus e Norovírus nas fezes, mas eles são desnecessários na maioria das vezes, já que o tratamento das diarreias aquosas, sem sinais de sangue ou pus, é basicamente o mesmo, seja ela de origem viral ou não.

O exame das fezes pode ser útil, se o médico tiver dúvidas entre a gastroenterite viral ou bacteriana. Geralmente, os sintomas são diferentes, mas em alguns casos a distinção pode não ser tão simples.

Tratamento

Não existe um remédio específico para curar viroses gastrointestinais. E nem é preciso, pois na maioria dos casos a doença é autolimitada e de curta duração.

O principal objetivo do tratamento é impedir que o paciente desidrate por conta das grandes perdas de água nas fezes e nos vômitos. A hidratação adequada é muito importante, principalmente nas crianças pequenas. Em casos graves, a internação hospitalar para administração de soro intravenoso pode ser necessária.

Já existem soluções prontas para a hidratação por via oral à venda nas farmácias, como o Pedialyte®. Nas farmácias populares este soro é distribuído gratuitamente. Esta forma de hidratação é mais eficiente do que água pura ou soro caseiro feito em casa.

É preciso tomar antibiótico para gastroenterite viral?

Não. Antibióticos não devem ser usados, pois eles só funcionam para diarreias provocadas por bactérias.

Remédios para parar a diarreia, como a loperamida (Imosec®), também não devem ser usados em diarreias agudas e de origem infecciosa, pois podem piorar o quadro e causar efeitos colaterais importantes.

Probióticos, como lactobacillus (Floratil® – Saccharomyces boulardii), podem ser úteis, ajudando a reduzir o tempo de doença em alguns casos. Mas não espere efeitos milagrosos, como resolução da diarreia após algumas horas.

Dieta para gastroenterite viral

Não é preciso interromper a alimentação durante o quadro de gastroenterite. Evite apenas alimentos muito gordurosos ou que piorem o seu enjoo. Não é precioso fazer nenhuma dieta muito restritiva. Dê preferência a alimentos ricos em água, como frutas, sopas, iogurtes, etc. A maioria dos pacientes não apresenta problemas com a ingestão de lacticínios.

Источник: https://www.mdsaude.com/gastroenterologia/gastroenterite-viral/

Gastroenterite: o que é, sintomas e como tratar cada tipo

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

Gastroenterite é uma infecção predominante no intestino, com forte presença de sintomas como disenteria, dores abdominais, náuseas, vômitos e febre. O problema acomete mais de 2 milhões de pessoas por ano no Brasil. Saiba mais:

O que é gastroenterite?

Gastroenterite é uma condição resultante da infecção por alguns tipos de bactérias, vírus ou parasitas presentes em alimentos e líquidos. Normalmente, gera inflamação do revestimento do intestino grosso, do intestino delgado ou do estômago.

O quadro pode ser bastante grave e, apesar de os tratamentos terem desenvolvimento eficiente, ainda mata mais de 1,5 milhão de pessoas por ano no mundo.

Tipos

A gastroenterite pode ser viral ou bacteriana. Em poucos casos, porém, há a possibilidade de ser provocada por parasitas.

Gastroenterite bacteriana

Muitos casos de gastroenterite bacteriana são confundidos com viroses e acabam sendo curados sem o auxílio de medicação, somente com repouso, boa alimentação e hidratação. Entretanto, o tratamento com antibióticos é recomendado para eliminar riscos de progressão e recidiva da doença.

Os tipos mais comuns de bactéria são:

Salmonella

É a bactéria causadora da gastroenterite mais frequente. É encontrada em carnes e ovos mal cozidos, além de laticínios.

Shigella

Presente nas fezes dos infectados, essa bactéria normalmente se propaga devido à má higienização e pode ser transmitida por meio do contato das mãos.

Campylobacter

É encontrada em carnes de aves cruas e em leites não pasteurizados.

Escherichia coli

Presente em carnes mal passadas, suco de frutas e saladas não lavadas.

Viral

A gastroenterite viral não é tratada com remédios, pois o corpo deve eliminar os vírus pelo sistema imunológico. Alguns dos principais vírus são:

Adenovírus

Transmitido pelo contato de resquício de fezes com as vias orais, o adenovírus é bastante comum em crianças com menos de 2 anos de idade. Embora possam ocorrer no ano todo, os picos de infecção tendem a ser maiores no verão.

Norovírus

Comum em crianças e adultos, sua transmissão ocorre por meio do contato com líquidos, alimentos e pessoas contaminadas. Por sua facilidade de proliferação, os cuidados devem ser mais expressivos em lugares fechados, como casas de repouso.

Rotavírus

Apesar de ter efeito mais brando em adultos, o rotavírus é uma das causas mais comuns de gastroenterite viral. Normalmente, a infecção primária se dá através do contato com resquício de fezes contaminadas com a via oral.

Parasitas

Apesar de ser a forma menos comum de a gastroenterite se manifestar, o quadro parasitário pode ser muito desconfortável, com diarreias e vômitos de forma intensa.

São dois os parasitas mais conhecidos como responsáveis por essa condição:

Giardia Intestinalis

Popularmente conhecido como giardia, esse parasita se aloja no intestino, causando vômitos, diarreia e enjoo.

Sua transmissão ocorre pelo contato com pessoas e, primariamente, água contaminada.

Cryptosporidium parvum

Também causada por consumo de água contaminada, pode dar desconforto abdominal (cólicas), além de diarreia e vômito.

Como o cloro não pode não ser suficiente para combater o parasita, este tipo de infecção é mais comum.

O que causa?

  • Água contaminada
  • Má higiene pessoal
  • Alimentos mal lavados
  • Alimentos mal cozidos
  • Contato próximo com pessoa infectada
  • Compartilhamento de copos, talheres e pratos
  • Alimentos conservados de forma inapropriada

Fatores de risco

Mesmo sendo uma condição que pode aparecer em qualquer idade ou perfil, a gastroenterite tem grupos de risco mais vulneráveis, sejam por debilidade do sistema imunológico, maior exposição ao risco ou convívio com alguma pessoa infectada. Eles são:

  • Gestantes
  • Fetos de gestantes infectadas
  • Crianças
  • Pessoas imunodeprimidas

Sintomas de gastroenterite

OBprod/Shutterstock

Há diversos sintomas da gastroenterite, os quais variam de acordo com a causa e o estado da pessoa. Entretanto, o mais comum é a desidratação. Além disso, pode haver:

  • Vômito
  • Diarreia
  • Febre
  • Cólica
  • Enjoo
  • Dor abdominal
  • Perda de peso
  • Fadiga
  • Dores Musculares
  • Dores de cabeça
  • Perda de apetite

Quanto tempo dura?

A duração da gastroenterite vai depender de sua causa.

As virais, por exemplo, podem durar dias, chegando a passar de uma semana em adultos ou 10 dias em crianças.

Em geral, os sintomas mais fortes das gastroenterites tendem a durar de 2 a 4 dias. Quando as condições de tratamento e saneamento são mais precárias, esses períodos podem ser maiores.

Qual profissional procurar?

Procurar um especialista é essencial para obter um diagnóstico adequado.

Em caso de sintomas de gastroenterite, o ideal é buscar um gastroenterologista, infectologista ou, em casos de urgência, um clínico geral.

Complicações

Como a gastroenterite normalmente elimina líquidos, desidratação severa pode ocorrer e, em casos graves, evoluir para choque hipovolêmico — com desmaios, escurecimento da urina e muita sede.

Além disso, em casos específicos a doença pode gerar artrite, paralisia muscular e síndrome do intestino irritável.

Tem cura?

Por ser uma doença que normalmente regride espontaneamente, a gastroenterite terá a cura associada à melhora do sistema imunológico. O que é tratado é o sintoma em função da doença.

Os remédios recomendados são mais voltados para proporcionar bem-estar aos acometidos. A busca por um médico que oriente de forma adequada o paciente é sempre importante, já que cada caso tem causas particulares.

Hidratação

O principal tratamento de gastroenterite se dá por meio de hidratação adequada para repor os líquidos, os sais e os nutrientes perdidos por causa da desidratação intensa.

Tal cuidado pode ocorrer oralmente, com o soro caseiro, ou no hospital por via venosa.

Remédios

Ainda pode ser necessário o uso de antibióticos e, caso haja suspeita de infecção por Escherichia coli ou Clostridium difficile, antidiarreicos.

O que comer?

A dieta para gastroenterite deve incluir o consumo de muitos alimentos ricos em água, como frutas e sopas, e que sejam evitadas refeições muito pesadas e gordurosas, como frituras, para não irritar ainda mais o sistema digestivo.

Como prevenir?

Segundo o clínico geral Carlos Magalhães, a prevenção da gastroenterite se dá por meio de uma combinação de fatores, tais como:

  • Lavar as mãos sempre que utilizar o banheiro, trocar fraldas, fumar, tocar animais ou manipular alimentos;
  • Manter alimentos frios conservados abaixo de 5ºC e os quentes acima de 60ºC para evitar a proliferação de micro-organismos;
  • Utilizar papel para secar as mãos após lavá-las;
  • Utilizar utensílios bem higienizados para cozinhar;
  • Cozinhar bem os alimentos;
  • Tomar água filtrada.

Fontes

Federação Brasileira de Gastroenterologia

Mayo Clinic

Manual Merck para família

Источник: https://www.ativosaude.com/saude/gastroenterite/

Gastroenterite: o que é, sintomas, causas e como tratar

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

A gastroenterite é uma condição relativamente comum que acontece quando o estômago e o intestino ficam inflamados devido a uma infecção por vírus, bactérias ou parasitas, resultando em sintomas como dor de barriga, náuseas e diarreia.

Na maior parte das vezes, a gastroenterite acontece por ingestão de alimentos estragados ou contaminados, mas também pode surgir após o contato próximo com outra pessoa com gastroenterite ou por colocar as mãos na boca depois de tocar numa superfície contaminada.

Um dos cuidados mais importantes durante uma gastroenterite consiste em beber bastante líquidos, pois como podem existir vômitos e diarreia intensa, é normal que exista uma elevada perda de água corporal, podendo causar desidratação. Além disso, deve-se ainda fazer uma dieta leve para permitir que o sistema gastrointestinal descanse e se recupere.

Os sintomas de gastroenterite podem surgir minutos após o consumo do alimento contaminado, quando existem toxinas produzidas pelo microrganismo, ou demorar até 1 dia quando o agente infeccioso está presente no alimento. Os principais sinais e sintomas indicativos de gastroenterite são:

  • Diarreia intensa e repentina;
  • Mal-estar geral;
  • Dor de barriga;
  • Náuseas e vômitos;
  • Febre baixa e dor de cabeça;
  • Perda de apetite.

A maioria dos casos de gastroenterite por vírus e parasitas melhoram após 3 ou 4 dias, sem necessidade de um tratamento específico, tendo apenas cuidado para fazer uma dieta leve, beber muitos líquidos e ficar de repouso. Já os casos de gastroenterite bacteriana são mais demorados e podem até necessitar de antibióticos para apresentar melhora nos sintomas.

Teste online de gastroenterite

Se acha que pode estar com gastroenterite, selecione o que está sentindo para saber qual o seu risco:

Principais causas de gastroenterite

A gastroenterite é mais frequente em crianças e idosos devido à ingestão de alimentos estragados ou contaminados, mas também pode acontecer por colocar na boca a mão suja, no entanto nessa situação a gastroenterite só se desenvolve quando existe alta carga infecciosa.

Assim, após o consumo de alimentos contaminados ou estragados, é possível que as toxinas produzidas pelos microrganismos causem irritação da mucosa gástrica e chegue à corrente sanguínea, e que vírus, bactérias ou parasitas desenvolvam-se no organismo e leve ao desenvolvimento dos sinais e sintomas.

Dependendo do tipo de gastroenterite, os microrganismos que podem estar na origem da gastroenterite são:

  • Gastroenterite viral, que pode ser principalmente causada por Rotavírus, Adenovírus ou Norovírus;
  • Gastroenterite bacteriana, que pode ser causada por bactérias como Salmonella sp., Shigella sp., Campylobacter sp., Escherichia coli ou Staphylococcus aureus;
  • Gastroenterite parasitária, que é mais comum em lugares com poucas condições de higiene, sendo normalmente relacionada com os parasitas Giardia lamblia, Entamoeba coli e Ascaris lumbricoides.

Além disso, a gastroenterite pode acontecer como consequência da ingestão ou contato com substâncias tóxicas químicas ou ser decorrente do uso de medicamentos.

Como tratar a gastroenterite

A maior parte dos casos de gastroenterite melhoram em casa, sem ser necessário ir ao hospital para fazer um tratamento específico.

No entanto, em pessoas com o sistema imune enfraquecido ou quando a gastroenterite está sendo provocada por uma bactéria mais resistente pode ser preciso começar um antibiótico ou até ficar internado no hospital para repor os líquidos perdidos com os vômitos e diarreia.

O tratamento da gastroenterite envolve muito repouso e reposição de líquidos com sais de reidratação oral ou soro caseiro, água e água de coco.

A alimentação deve ser leve e de fácil digestão para oferecer os nutrientes necessários, sem provocar vômito ou diarreia.

É importante evitar frituras, café e alimentos com muitas fibras como pão, mamão ou sementes, para aliviar os sintomas da gastroenterite e melhorar a inflamação do sistema digestivo.

O consumo de medicamentos para interromper o vômito e a diarreia só deve ser feito com a recomendação do gastroenterologista, pois isto pode causar piora da infecção. No entanto, os suplementos probióticos podem ser usados para regular a flora bacteriana, especialmente depois de se estar recuperado da gastroenterite.

Confira no vídeo a seguir mais dicas do que comer e beber para combater a gastroenterite mais rapidamente:

Como prevenir

Para evitar a infecção e, consequentemente, o desenvolvimento de gastroenterite é importante lavar bem as mãos depois de utilizar o banheiro ou antes de cozinhar, evitar partilhar talheres e outros objetos com pessoas doentes, manter as superfícies limpas em casa, principalmente na cozinha, evitar comer carne e peixe crus ou vegetais não lavados.

Além disso, nas crianças também existe um elevado risco de pegar gastroenterite através da infecção com um vírus conhecido como rotavírus. Nesses casos, é recomendado fazer a vacinação contra o vírus, o que normalmente pode ser feito ainda durante o primeiro ano de vida. Saiba quando tomar a vacina contra o rotavírus.

Источник: https://www.tuasaude.com/gastroenterite/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: