Gravidez Ectópica: fatores de risco e sintomas

▷Gravidez Ectópica: Causas, Sintomas e Riscos

Gravidez Ectópica: fatores de risco e sintomas

A gravidez ectópica, também conhecida como gravidez extra-uterina, é rara, acometendo somente cerca de 2% das gestações. Entretanto, quando ocorre, requer atenção médica. A informação sobre essa condição é muito importante, por isso, continue lendo o artigo e entenda sobre esse tipo de gestação e seus principais sintomas.

A boa notícia é que a gravidez ectópica é rara. No entanto, quando ocorre, ela requer atenção médica, então é bom ficar informada sobre o assunto. Saiba mais sobre o que é uma gravidez ectópica e quais são os sintomas da gravidez ectópica.

Gestação Ectópica: O que é?

Em uma gravidez que se desenvolve normalmente, o óvulo fertilizado passa pelas trompas de falópio e chega ao útero, local em que se implanta e começa a crescer.

No entanto, em uma gestação ectópica, o óvulo fertilizado se implanta fora do útero, ou seja, em áreas que não estão preparadas para acolher um embrião em crescimento. A gravidez ectópica é bastante rara, acontecendo em cerca de 2% das gestações.

Nesse tipo de gravidez normalmente o óvulo se anexa às trompas de falópio, mas não é incomum que haja a implantação no ovário, cérvix, ou em outras áreas do abdômen. Infelizmente, quando existe essa condição, a gravidez não pode continuar.

Nessas situações o melhor é conversar com o médico para que ele possa informar sobre opções e tratamentos.A seguir, conheça algumas das causas, riscos, sintomas e tratamentos para essa condição.

Gravidez Ectópica: Causas

Para que a primeira fase da gravidez transcorra dentro da normalidade, o embrião precisa percorrer a trompa de falópio até chegar à cavidade uterina onde irá se fixar e se desenvolver nas semanas seguintes da gestação. Quando existe algum tipo de anormalidade na tuba uterina essa primeira fase pode ser afetada, se transformando em uma gestação ectópica. Dentre as possíveis causas desse tipo de gravidez podemos citar:

  • Infecção. Se uma das trompas de falópio estiver infectada, ela pode ficar inteiramente ou parcialmente fechada, assim, o óvulo fertilizado não consegue ir até o útero.
  • Tecido cicatricial. O óvulo pode ter dificuldade de passar pela tuba uterina se o tecido cicatricial de uma infecção ou cirurgia estiver bloqueando o caminho.
  • O formato das trompas de falópio. Às vezes, se o formato das trompas de falópio for diferente, devido a um crescimento fora do comum ou defeito congênito, o óvulo fertilizado pode ter dificuldades para passar para o útero.

Gestação Ectópica: Fatores De Risco

Ainda que cerca de metade das mulheres que desenvolvem gravidez ectópica não possuam esses fatores de risco, entende-se que as chances de desenvolver esse tipo de gestação aumentam se:

  • você possui mais de 35 anos de idade
  • houver histórico de gestação ectópica anterior
  • houver histórico de cirurgia nas trompas de falópio ou na região da pelve ou abdomen. 
  • houver histórico de doença inflamatória pélvica (DIP)
  • a gravidez ocorreu depois de uma laqueadura ou com uso incorreto do DIU
  • você for fumante
  • houver histórico de endometriose
  • a gravidez ocorreu por meio de tratamentos para estimular a fertilidade, ou com o uso de medicamentos para fertilidade.

Gravidez Ectópica: Sinais e Sintomas

Os sintomas de uma gravidez ectópica podem se assemelhar com os sinais do primeiro trimestre de uma gravidez normal e algumas mulheres não sentem nenhum dos sintomas.

No entanto, se desenvolver algum, você provavelmente notará os sinais de gravidez ectópica entre a 4a e a 12a semanas de gravidez.

Tenha em mente que, como dito anteriormente, essa condição é rara e seu médico será a pessoa mais apropriada para fazer o diagnóstico correto. Alguns sinais de alerta são:

  • Dor aguda que surge e desaparece e pode variar em intensidade. A dor da gravidez ectópica pode ser sentida na pelve, no abdômen, ou até nos ombros e pescoço.
  • Irregularidade menstrual, por exemplo, sangramento que pode ser mais intenso ou mais leve do que na menstruação normal. Lembre-se de que o sangramento no início da gravidez também pode ser sangramento da nidação, portanto, fale com seu médico.
  • Desconforto ao urinar ou defecar.
  • Fraqueza, tontura ou desmaios.

Esses sintomas podem surgir desde o início da gravidez, mesmo antes de você saber que está grávida ou ter feito um teste com resultado positivo. Em alguns casos, os sinais de uma gestação ectópica poderão ser reconhecidos por seu médico durante o primeiro ultrassom.

Entre em contato com seu médico imediatamente se notar dores agudas que duram mais do que alguns minutos, ou se você apresentar qualquer tipo de sangramento. Vá para um hospital assim que possível se tiver sangramento vaginal e dores abdominais ou nos ombros, fraqueza, tontura, ou desmaios.

Gravidez Ectópica: Diagnóstico

Seu médico pode chegar ao diagnóstico de gravidez ectópica por meio dos seguintes exames:

  • Exame pélvico para avaliar a dor, sensibilidade ou buscar massas no abdômen.
  • Ultrassonografia transvaginal para verificar onde a gravidez está se desenvolvendo.
  • Teste de urina ou de sangue para medir o nível do HCG. Se o nível desse hormônio da gravidez for mais baixo que o esperado, pode estar relacionado a gravidez ectópica. Todavia, os resultados podem não ser claros e o médico pode solicitar que você refaça o exame alguns dias depois.

Gravidez Ectópica: Quais São As Opções De Tratamento?

O tratamento para a gestação ectópica envolve o término da gravidez cirurgicamente ou por meio de medicamentos cujo objetivo é restaurar a trompa de falópio afetada. Seu médico a informará sobre suas opções e o tratamento pode envolver:

  • Medicamento que ajuda o corpo a absorver o tecido da gravidez.
  • Cirurgia minimamente invasiva, como uma laparoscopia, que consiste na remoção do tecido remanescente da gravidez ectópica e reparação ou remoção da trompa de falópio afetada.
  • Remoção total ou parcial da trompa de falópio, que pode ser sugerida caso ela esteja alargada ou tenha sido rompida durante a gravidez extrauterina. Esse procedimento é voltado somente para casos emergenciais.

O seu médico irá recomendar o melhor tratamento e explicar os riscos e efeitos colaterais do mesmo. Após o tratamento, seu médico irá monitorar de perto a sua recuperação, inclusive para verificar novamente seu nível de hCG e garantir que o tecido ectópico tenha sido completamente removido.

Gravidez Ectópica: Cuidando do Seu Emocional

Além dos tratamentos físicos é importante entender que é completamente normal que você necessite de suporte emocional.

As mulheres que experienciam uma gravidez ectópica podem sentir ansiedade, medo e experienciar sentimento de luto, além disso, o próprio tratamento pode gerar sensação de cansaço.

Não sinta vergonha de procurar ajuda em grupos de internet relativos ao tema, pedir ajuda para a sua família ou até mesmo ajuda profissional. Lembre-se que a sua saúde emocional é tão importante quanto a física.

Gravidez Ectópica: Posso Ficar Grávida Depois?

Mulheres que já tiveram uma gravidez ectópica continuam ovulando, o que significa que existe a possibilidade de engravidar novamente.

Como dito anteriormente, mulheres que tiveram uma gestação ectópica possuem maiores chances de terem novamente esse tipo de gravidez. Todavia, cada caso possui suas peculiaridades devido a sua causa ou até mesmo o tratamento que precisou ser feito.

Sendo assim,  o melhor a fazer é falar com seu médico, que poderá oferecer orientações com base em seu histórico clínico.

Lembre-se que esse é um quadro relativamente raro e passível de tratamento. Tratar é fundamental para garantir a saúde da mulher. Caso note qualquer sintoma que a preocupe, consulte seu médico para receber orientações.

Источник: https://www.pampers.com.br/gravidez/gravidez-saudavel/artigo/gravidez-ectopia-causas-sintomas-e-riscos

Entenda o que é a Gravidez nas trompas

Gravidez Ectópica: fatores de risco e sintomas

Gravidez nas trompas é uma condição que acontece em algumas gestações por motivos variados. Para mulheres que pretendem engravidar, é necessário conhecer os fatores de risco. Já as que passam por essa situação, poderão entender os tratamentos e acompanhamentos necessários.

Pensando nisso, neste artigo você encontrará as informações que busca sobre: definição, causas, diagnóstico, tratamentos, entre outras. Então, vamos ao esclarecimento de todas as suas dúvidas para formar uma família!

Gravidez nas trompas

Também chamada de gravidez ectópica ou gravidez tubária, o quadro ocorre quando o óvulo fertilizado se instala em um ambiente fora do útero. Neste caso, nas trompas de Falópio ou tubas uterinas. Em casos mais raros, esse tipo de gravidez pode acontecer também na cavidade abdominal, no ovário ou até no colo do útero

Afinal, no cenário normal e adequado, o óvulo prende-se ao revestimento do útero para ser gestado. E as trompas podem ser consideradas caminhos para que os óvulos cheguem do ovário até o útero. 

Bom, como você já sabe, o feto necessita do útero para se desenvolver. Por isso, a gravidez nas trompas apresenta características diferentes de uma gestação comum, como por exemplo os sintomas. Falaremos sobre eles a seguir. 

E, outro ponto importante e delicado é que não é possível a continuidade da gestação em nenhum caso, pelo risco de hemorragia. Deste modo, para preservar a saúde da paciente, torna-se necessário a interrupção com acompanhamento médico, seja por meio de medicação ou cirurgia. Assim, os riscos de agravamento são reduzidos.

Sintomas da gravidez ectópica

Devido ao fato de ser uma gravidez anormal, a gravidez tubária causa desconfortos próprios que devem ser tomados como sinais de alerta. Isso faz com que a mulher grávida apresente os sintomas comuns de uma gestação e mais outros que são sintomas do corpo indicando que algo não está certo.

Comumente, os principais sintomas de uma gravidez ectópica acontecem entre a 5ª e 10ª semana gestacional, sendo eles:

  • Dor localizada em apenas um lado do abdômen que piora ao passar dos dias;
  • Sangramento vaginal, variando de pequenas à grandes quantidades;
  • Dores para urinar ou defecar;
  • Mal-estar no corpo, por exemplo, tonturas, náuseas e diarreia.

Causas e fatores de risco

Algumas situações, atualmente, são apontadas como possíveis causas para o desenvolvimento de uma gravidez nas trompas. Entre os principais apontamentos de especialistas, estão:

  • Má formação ou problemas nas trompas de Falópio;
  • Doenças pélvicas, por exemplo, infecções;
  • Inflamações e cicatrizes nas trompas;
  • Condições genéticas ou congênitas;
  • Fatores hormonais.

Por outro lado, existem também os fatores de risco para que uma mulher desenvolva esse tipo de quadro. Ou seja, não são necessariamente as causas, mas podem influenciar para que a gestação ocorra deste modo.

Podem ser considerados fatores de risco para gravidez ectópica:

  • Quadro anterior semelhante;
  • Idade acima de 35 anos;
  • Tabagismo;
  • Presença ou histórico de DSTs;
  • Fertilização in vitro;
  • Gravidez pós procedimento de laqueadura;
  • Uso incorreto do DIU.

Diagnóstico e tratamento

Como mencionado anteriormente, a gravidez nas trompas não evolui, pois não há condições para que ocorra o desenvolvimento do feto em um local inadequado. Neste sentido, quanto mais a gestação avança, mais aumentam os riscos de danificar das trompas. E, quando isso ocorre, a paciente pode sentir fortes dores e apresentar hemorragia, colocando a gestante em risco.

Por isso, é importante que desde o início do desejo de engravidar ou, pelo menos, a partir da suspeita de gestação, a paciente busque orientação médica. Assim, o especialista poderá realizar o acompanhamento necessário e diagnosticar cedo uma eventual gestação ectópica, reduzindo os riscos da gestante.

Para diagnosticar a gravidez ectópica, o profissional que acompanha o caso solicitará alguns exames. Entre eles, os mais comuns são:

  • Exame pélvico (“exame de toque”);
  • Ultrassonografia pélvica transvaginal, ou ainda, abdominal;
  • Exames de sangue para detecção dos níveis hormonais da gravidez.

Caso a gravidez nas trompas seja confirmada, o especialista responsável analisará as opções mais seguras para interrupção da gravidez. Atualmente, os métodos usados são cirúrgicos ou medicamentosos.

Quanto antes a gestação for identificada, melhor para a paciente. Em caso de diagnóstico precoce, sem apresentação de sintomas graves, como por exemplo, a hemorragia, é recomendada a prescrição de medicamentos.

Já nos casos de gestações mais avançadas e com complicações, torna-se necessária uma intervenção cirúrgica, os procedimentos mais utilizados são laparostomia ou cirurgia aberta.

Após a gravidez nas trompas

Muitas mulheres temem não conseguirem desenvolver uma gestação no útero após a gravidez ectópica. Apesar do quadro ser um fator de risco,  é  possível engravidar novamente e concluir a gestação em segurança.

Sendo assim, para as pacientes que possuem fatores de risco ou apresentam o quadro, é ainda mais necessário o acompanhamento médico para garantir que a gravidez ocorrerá normalmente.

Além disso, vale lembrar a importância do acompanhamento psicológico às pacientes e família que necessitam interromper uma gravidez nesta situação. Afinal, o momento é delicado e pode afetar psicologicamente os envolvidos.

Conseguimos esclarecer suas dúvidas acerca da gravidez nas trompas? Então, continue acompanhando o blog do Tem Hora para mais informações sobre saúde e atendimento médico acessível.

Источник: https://www.temhora.app/gravidez-nas-trompas

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: