Hemograma Completo [entenda os resultados]

Contents
  1. Como entender o resultado de exame de sangue
  2. Valores de referência para o hemograma completo
  3. Quando o exame deve ser feito?
  4. Como interpretar o eritrograma
  5. Como interpretar o leucograma
  6. Exame de sangue: precisão com o médico especializado
  7. Veja também:
  8. Hemograma Completo: o que você precisa saber sobre o exame de sangue
  9. O que é hemograma completo e para que serve?
  10. Quanto tempo de jejum para fazer hemograma?
  11. Como funciona o hemograma?
  12. Pré-requisitos para hemograma completo
  13. Preparo do exame
  14. Contraindicações
  15. Tempo de duração
  16. Periodicidade do exame
  17. Quais as doenças que um hemograma completo pode detectar?
  18. Qual o tipo de exame de sangue que detecta câncer?
  19. Quanto tempo demora até o resultado do exame de sangue?
  20. Hemograma com plaquetas precisa de jejum?
  21. Como saber tipo sanguíneo pelo hemograma?
  22. Como identificar câncer pelo hemograma?
  23. Pelo hemograma é possível diagnosticar HIV? 
  24. O que acontece se eu não fizer jejum para fazer o hemograma?
  25. Onde fazer o exame hemograma completo?
  26. Hemograma completo: entenda o exame de sangue
  27. O que é um hemograma completo?
  28. Como é feito o exame hemograma?
  29. Pré-requisitos para fazer hemograma
  30. Preparo do exame de sangue 
  31. Contraindicações
  32. Tempo de duração 
  33. Periodicidade do exame de sangue
  34. Quais as doenças que um hemograma completo pode detectar?
  35. Como identificar alterações no resultado do exame de sangue?
  36. Como é o jejum para exame de sangue?
  37. Quando devo agendar um exame de sangue completo?
  38. Hemograma: para que serve e como entender o resultado
  39. Como é feito
  40. Como interpretar o hemograma
  41. 1. Glóbulos vermelhos, hemácias ou eritrócitos
  42. 2. Glóbulos brancos (Leucócitos)
  43. 3. Plaquetas

Como entender o resultado de exame de sangue

Hemograma Completo [entenda os resultados]

Interpretar o resultado do exame de sangue é uma tarefa do médico especialista que solicitou a análise clínica. Mas que nunca ficou um pouco curioso para entender o que os aquela série de números querem dizer sobre nossa saúde?

Ouça este conteúdo:

http://labvw.com.br/wp-content/uploads/2019/07/Como-entender-o-resultado-de-exame-de-sangue.mp3

No caso específico do  hemograma, o exame analisa a quantidade de células sanguíneas no corpo, como as hemácias, leucócitos e plaquetas, sendo possível identificar algumas disfunções como anemias, distúrbios na medula óssea, câncer, infecções e variações dos índices em pacientes com mais de 50 anos.

Dessa forma, o hemograma analisa diferentes variações do sangue, incluindo as quantidades dos elementos que o compõe. Ele identifica doenças como anemia e infecções no sangue. Assim, para entender o exame de sangue é importante saber contar as hemácias e leucócitos, bem como as concentrações de hemoglobina.

Valores de referência para o hemograma completo

Os valores de referência para o hemograma completo estão baseados nas taxas presentes em 95% da população mundial sadia.

Mas pode haver variações pequenas, para mais ou para menos, que, contudo, não significam, exatamente, que o paciente tenha alguma doença. Essas variações, geralmente, estão ligadas ao sexo e à idade.

Além disso, é possível observar diferenças nos valores, dependendo do laboratório onde foi feita a coleta.

Quando há presença de infecção no organismo, nota-se o aumento dos leucócitos. Quando há sinais de alergia, verifica-se o aumento dos eosinófilos. Mas é importante que a interpretação do exame seja realizada por um médico, pois somente ele poderá levar em consideração os sintomas que o indivíduo apresenta.

Quando o exame deve ser feito?

O hemograma completo normalmente é requisitado como um exame de rotina, para verificar a saúde geral do paciente. Entretanto, o médico também poderá solicitar o teste para detectar a causa de alguns sintomas ou doenças, como:

  • cansaço;
  • fraqueza;
  • sangramento intenso da pele, nariz ou gengivas;
  • manchas roxas grandes ou em grande quantidade;
  • infecções ou inflamações;
  • policitemia;
  • doenças do sangue.

Além disso, o exame também pode ser feito para verificar se o corpo está reagindo bem a um tratamento medicamentoso ou à radiação, bem como se os valores das células estão normais antes de uma cirurgia, ou mesmo para analisar a quantidade de sangue perdida em uma hemorragia.

Como interpretar o eritrograma

A primeira parte a ser analisada em um hemograma completo é o que chamamos de série vermelha ou eritrograma. Nessa etapa do exame de sangue serão verificados os números de hemácias e a concentração de hemoglobina. Assim, é preciso saber que:

  • Hemácias: são os glóbulos vermelhos, que possuem seus valores indicados de acordo com o sexo e a idade (esses valores são descritos pelo próprio laboratório no resultado do exame). Se o exame de sangue apresentar níveis baixos dos glóbulos vermelhos pode ser um indicativo de anemia normocítica, quando as hemácias têm um tamanho normal, mas a produção da célula é pequena. Já os valores altos, chamados de eritrocitose, pode ser indicador de policitemia, que é o oposto da anemia, podendo aumentar a espessura do sangue e diminuindo a velocidade de circulação.
  • Hemoglobina: de coloração vermelha, a hemoglobina caracteriza-se por uma proteína presente nas hemácias, responsável pelo transporte de oxigênio no organismo. Se o exame de sangue apresentar níveis baixos de hemoglobina há um descoramento do sangue, palidez e deficiência de oxigênio em todos os órgãos.
  • Hematócrito: é a porcentagem da massa da hemácia em relação ao volume sanguíneo. Seus valores abaixo do normal podem indicar anemia e os valores aumentados podem caracterizar um caso de policitemia.
  • Volume Corpuscular Médio (VCM): é importante para observar o tamanho das hemácias, principalmente no diagnóstico da anemia. Geralmente, no exame de sangue, vem explicitado o tamanho anormal das hemácias, onde ambas indicam algo errado. Essas alterações são denominadas de microcíticas (hemácias pequenas) e macrocíticas (hemácias grandes).
  • Hemoglobina Corpuscular Média (HCM): consiste no peso da hemoglobina dentro das hemácias e seus valores ajudam a decifrar casos distintos de anemias.
  • Concentração de hemoglobina corpuscular média (CHCM): é a concentração da hemoglobina dentro de uma hemácia. No exame de sangue, pode ser descrita como hipocrômica (pouca hemoglobina na hemácia) ou hipercrômica (quantidade hemoglobina além do normal).

Como interpretar o leucograma

A segunda parte do hemograma é chamado de série branca ou leucograma. O objetivo do exame de sangue nessa etapa é avaliar a quantidade e a presença dos glóbulos brancos e a diferenciação celular. Assim, os leucócitos são diferenciados em cinco tipos em um hemograma completo e seus resultados colaboram para o esclarecimento e diagnóstico de doenças infecciosas e hematológicas.

  • Leucócitos: aos valores altos de glóbulos brancos, dá-se o nome de leucocitose e diz respeito a uma suposta infecção ou indicar outras doenças. Já a contagem baixa de leucócitos, chamada de leucopenia, assinala a depressão da medula óssea e pode indicar infecções virais ou reações tóxicas.
  • Basófilos: em pacientes normais, encontra-se 1% desse valor, ao passar disso, há uma indicação de processos alérgicos.
  • Eosinófilos: seu valor excedido no exame de sangue pode indicar infecção por parasitas ou alergias.
  • Neutrófilos: o alto valor de neutrófilos pode indicar que o corpo foi infectado por bactérias.
  • Linfócitos: caso estejam elevados pode se referir a infecções virais ou até mesmo leucemia.
  • Monócitos: o número elevado de monócitos pode indicar infecções virais. Em casos de quimioterapia, esses valores também podem ser alterados.
  • Plaquetas: responsáveis pela coagulação sanguínea. Se estiverem em baixo número, pode indicar problemas na coagulação sanguínea, como diabetes e dengue.
  • Bastonetes: a normalidade indica valores nulos ou baixos, por isso, se estiverem aumentados, pode estar indicando a presença de doenças infecciosas bacterianas.

Exame de sangue: precisão com o médico especializado

É importante reforçar que, mesmo que você compreenda as etapas e os valores de referência em um exame de sangue, apenas o médico poderá avaliar seus resultados e promover um diagnóstico. Isso porque os resultados só são corretamente interpretados quando vistos em relação com outros exames laboratoriais, bem como com os sintomas apresentados pelo paciente e seu histórico médico.

Isso quer dizer que é importante compreender a leitura do hemograma, mas deve-se tomar cuidado para não se precipitar com as análises. Por isso, tire todas as suas dúvidas com o médico.

Ainda tem alguma dúvida sobre o hemograma?

Mande sua pergunta para o WhatsApp do LabVW!

Material escrito por: Adriana Helena Sedrez
Farmacêutica Bioquímica- CRF-SC 3380

Adriana Helena Sedrez é farmacêutica bioquímica especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR. Na LabVW, Adriana coordena o setor de Hematologia Clínica, é gerente de Recursos Humanos e responsável pelo Atendimento ao Cliente.

Veja também:

Источник: https://labvw.com.br/blog/como-entender-o-resultado-de-exame-de-sangue-2/

Hemograma Completo: o que você precisa saber sobre o exame de sangue

Hemograma Completo [entenda os resultados]

Você sabe para que serve o exame Hemograma e como é feito?

No texto abaixo separamos perguntas frequentes para te auxiliar melhor nesse processo! 
 

O que é hemograma completo e para que serve?

O hemograma completo analisa informações das três principais linhagens de células, que são: 

  • Glóbulos vermelhos (hemácias);
  • Glóbulos brancos (leucócitos);
  • Plaquetas (coagulação sanguínea); 

É um dos exames laboratoriais mais básicos e rotineiros. O exame serve como triagem para diversas doenças que acometem o sangue, deficiências de nutrição, infecções, dentre outros. Também é um exame de rotina importante para observar quaisquer alterações que possam aparecer no organismo do paciente.

Quanto tempo de jejum para fazer hemograma?

O jejum depende de cada tipo de exame de sangue. Para medir a maioria dos componentes sanguíneos o jejum não é mais necessário, como era antigamente. Isso porque a maior parte desses componentes não muda com a alimentação.

Para alguns exames ainda são necessários jejuns de 3, 4 ou 8 horas e as orientações são passadas no agendamento do exame. O jejum para esse exame nunca deve ultrapassar 14 horas.

Como funciona o hemograma?

O hemograma é um preventivo bem simples que pode auxiliar em inúmeros diagnósticos. Entenda como funciona: 

Pré-requisitos para hemograma completo

Para não afetar os resultados do hemograma completo é recomendado não ingerir bebidas alcoólicas 72 horas antes do exame, evitar exercícios físicos na véspera e comparecer ao laboratório com sua identidade para abertura de ficha. 

Preparo do exame

Para realizar o hemograma completo não são necessários muitos preparos específicos.

Caso o paciente siga uma leve dieta um dia antes do exame, não é necessário fazer jejum. Porém, caso contrário, recomenda-se um jejum de 3 horas. Antes da realização da coleta, é preciso informar se faz o uso de medicamentos contínuos, pois alguns deles podem interferir no exame.

Contraindicações

Não existem contraindicações para realizar o exame de hemograma completo.

Tempo de duração

O tempo de duração do exame é curto, variando de 5 a 10 minutos para ser coletado.

Periodicidade do exame

O exame geralmente é solicitado anualmente à todas as faixas etárias, porém, para acompanhar casos específicos, o profissional de saúde pode definir uma periodicidade de acordo com a necessidade de cada paciente.

Quais as doenças que um hemograma completo pode detectar?

Um hemograma completo é capaz de detectar as seguintes doenças:

  • Anemia;
  • Leucemia;
  • Causas de sintomas, como fraqueza, febre e perda de peso;
  • Policitemia;
  • Infecções virais;
  • Infecções bacterianas;
  •  Alergias  

Qual o tipo de exame de sangue que detecta câncer?

O exame de sangue capaz de detectar câncer é o de biópsia líquida, ele não substitui a biópsia tradicional, mas auxilia no diagnóstico de anormalidades e guia no tratamento da doença.

Quanto tempo demora até o resultado do exame de sangue?

O tempo de demora até o resultado varia de acordo com a complexidade do exame e do que foi solicitado, podendo variar de duas horas até dois dias úteis.  

Hemograma com plaquetas precisa de jejum?

O jejum para o hemograma com plaquetas não é necessário, pois os valores não se alteram com alimentação.

Como saber tipo sanguíneo pelo hemograma?

Pelo hemograma é possível saber a tipagem sanguínea, de acordo com as estruturas presentes nos glóbulos vermelhos. Saber seu tipo sanguíneo é muito importante para doação ou transfusão sangue que podem ser necessárias em algum momento da vida.

Como identificar câncer pelo hemograma?

O hemograma é capaz de captar sinais de irregularidades na quantidade de glóbulos vermelhos e de identificar células atípicas que circulam no sangue que possam indicar câncer.

Pelo hemograma é possível diagnosticar HIV? 

Pelo hemograma não é possível diagnosticar o HIV, porém o exame fornece informações importantes sobre a doença.

O que acontece se eu não fizer jejum para fazer o hemograma?

Para realizar o exame de hemograma não é necessário jejum. Em alguns casos, dependendo do que será analisado no organismo, poderão solicitar o jejum no agendamento prévio do exame. 

Onde fazer o exame hemograma completo?

Agendar seus exames na CERPE é simples e super rápido! Através do nosso agendamento online é possível você escolher o melhor dia para realização dos exames e o melhor local.

Источник: https://cerpe.com.br/saude/exame-hemograma

Hemograma completo: entenda o exame de sangue

Hemograma Completo [entenda os resultados]

O hemograma, também conhecido por hemograma completo, é um tipo de exame que analisa informações específicas sobre os tipos e quantidades dos componentes no sangue, como:

  • Glóbulos vermelhos (hemácias);
  • Glóbulos brancos (leucócitos);
  • Plaquetas (coagulação sanguínea);

Esse exame serve para confirmar ou indagar um diagnóstico. Também serve para monitorar algum tratamento que está sendo feito pelo paciente ou apenas para a saúde e se há alguma alteração no organismo do indivíduo.

O que é um hemograma completo?

O hemograma completo é apenas uma outra maneira de nomear o hemograma, portanto é o mesmo exame citado acima.  

Como é feito o exame hemograma?

O exame de sangue é realizado da seguinte forma:

  • A área da retirada de sangue é higienizada com algodão e álcool;
  • Um elástico (garrote) é colocado preso acima da área que será perfurada, para que seja possível visualizar a veia de maneira evidente;
  • Uma agulha fina é introduzida na veia;
  • O sangue é coletado em um tubo;
  • As amostras são encaminhadas para laboratório e analisadas.

Pré-requisitos para fazer hemograma

Os pré-requisitos para fazer hemograma são: não ingerir bebidas alcoólicas 72 horas antes do exame, evitar exercícios físicos na véspera e comparecer ao laboratório com sua identidade para abertura de ficha. O objetivo aqui é evitar a desidratação.

Preparo do exame de sangue 

 Caso o paciente siga uma leve dieta um dia antes do exame, não é necessário fazer jejum. Porém, caso contrário, recomenda-se um jejum de 3 horas.  É preciso informar se faz o uso de medicamentos contínuos, pois alguns deles podem interferir no exame.

Contraindicações

Não existem contraindicações para realizar o exame de hemograma.

Tempo de duração 

O tempo de duração desse exame é, geralmente, curto, levando de 5 a 10 minutos para ser feito.

Periodicidade do exame de sangue

Normalmente é solicitado anualmente à todas as faixas etárias, porém, para acompanhar casos específicos, o profissional de saúde pode definir uma periodicidade diferente.

O exame também é utilizado em casos de emergência.

Quais as doenças que um hemograma completo pode detectar?

 Um hemograma pode detectar as seguintes doenças:

  • Anemia;
  • Leucemia;
  • Causas de sintomas, como fraqueza, febre e perda de peso;
  • Policitemia;
  • Infecções virais;
  • Infecções bacterianas;
  • Alergias.

Como identificar alterações no resultado do exame de sangue?

 O resultado do exame de sangue é estudado e explicado através de um médico especialista. O médico irá estudar cada caso de acordo com sua saúde e outros fatores importantes.

Como é o jejum para exame de sangue?

O jejum para cada tipo de exame de sangue é diferente.

Antigamente era solicitado um jejum de 12 horas para realizar o exame de sangue, porém, atualmente isso já mudou e nem sempre é necessário.

O médico Gustavo Aguiar Campana, diretor de análises clínicas do Salomão Zoppi, mostra que estudos já demonstram que o jejum não é necessário para medir certos componentes. “Isso porque a maior parte dele é produzida pelo corpo e pouco muda com a alimentação. Recentemente os estudos demonstraram esta vantagem também para os triglicérides”, explica o médico.

Para alguns exames ainda são necessários jejuns de 3, 4 ou 8 horas e as orientações são passadas no agendamento do exame. O jejum para esse exame nunca deve ultrapassar 14 horas.

Quando devo agendar um exame de sangue completo?

 O exame será solicitado por um médico especialista para verificar se há algo errado ou acompanhar alguma doença ou complicação.Para agendar o exame é muito simples, basta clicar em nossa plataforma de agendamento online e seguir os passos.

Veja também: Eletrocardiograma: tudo sobre o exame ECG

Источник: https://salomaozoppi.com.br/saude/exame-de-sangue-hemograma

Hemograma: para que serve e como entender o resultado

Hemograma Completo [entenda os resultados]

O hemograma completo é o exame de sangue que avalia as células que compõem o sangue, como os leucócitos, conhecidos como glóbulos brancos, as hemácias, também chamadas de glóbulos vermelhos ou eritrócitos, e as plaquetas. 

A parte do hemograma que corresponde à análise das hemácias recebe o nome de eritrograma que, além de indicar a quantidade das células sanguíneas, informa sobre a qualidade das hemácias, indicando se estão do tamanho adequado ou com quantidades recomendadas de hemoglobina no seu interior, o que ajuda a esclarecer causas de anemia, por exemplo. Essas informações são fornecidas pelos índices hematimétricos, que são HCM, VCM, CHCM e RDW. 

Para a sua coleta não é necessário a realização de jejum, entretanto, recomenda-se não realizar atividade física 24 horas antes do exame e ficar 48 horas sem tomar nenhum tipo de bebida alcoólica, pois podem alterar o resultado.

O hemograma serve para auxiliar diagnóstico e acompanhar a evolução de doenças que provocam alterações no sangue, como:

  • Anemias;
  • Distúrbios da medula óssea;
  • Infecções bacterianas, fúngicas ou virais;
  • Inflamações;
  • Câncer, especialmente leucemias ou linfomas;
  • Alterações nas plaquetas, como o seu aumento (plaquetose) ou diminuição (plaquetopenia);
  • Acompanhamento de situações que possam comprometer o funcionamento da medula óssea, como durante a quimioterapia, por exemplo. 

Além disso, o hemograma é útil para acompanhar doenças crônicas que podem cursar com anemia, como insuficiência renal, artrite reumatoide, insuficiência cardíaca ou doenças pulmonares, por exemplo.

Como é feito

O exame é realizado de forma automatizada por meio de um equipamento de citometria de fluxo, que tem como função contar, avaliar e classificar as células sanguíneas de acordo com vários critérios estabelecidos.

No entanto, mesmo com o resultado fornecido pelo equipamento é preciso que seja feita uma análise microscópica, chamada de contagem diferencial em esfregaço sanguíneo, que é feito por um profissional habilitado em Análises Clínicas.

A contagem diferencial consiste na diferenciação dos leucócitos e visualização de estruturas presentes nas hemácias ou nos leucócitos.

 Além disso, a contagem por meio do microscópio permite identificar células imaturas e, assim, pode auxiliar no diagnóstico de leucemia, por exemplo.

Como interpretar o hemograma

Para interpretar o hemograma o médico deverá observar seus resultados e verificar se os valores estão normais, altos ou baixo, além de correlacioná-los com possíveis sintomas apresentados pela pessoa e o resultado de outros exames que possam ter sido solicitados.

Caso tenha feito um hemograma recentemente e queira entender o que pode significar o resultado, insira aqui os seus dados:

Algumas situações que podem ser observadas num hemograma são:

1. Glóbulos vermelhos, hemácias ou eritrócitos

O eritrograma é a parte do hemograma em que são analisadas as características das células vermelhas do sangue, as hemácias, também conhecidas como eritrócitos.

HT ou HCT – HematócritoRepresenta a porcentagem do volume ocupado pelas hemácias no volume total de sangue

Alto: Desidratação, policitemia e choque;

Baixo: Anemia, perda excessiva de sangue, doença renal, deficiência de ferro e de proteínas e sepse.

Hb – HemoglobinaÉ um dos componentes das hemácias e é responsável pelo transporte de oxigênio

Alta: Policitemia, insuficiência cardíaca, doenças pulmonares e em altitudes elevadas;

Baixa: Gravidez, anemia por deficiência de ferro, anemia megaloblástica, talassemia, câncer, desnutrição, doença hepática e lúpus.

Além da quantidade dos glóbulos vermelhos, um hemograma também deve analisar as suas características morfológicas, pois também podem indicar doenças. Esta avaliação é feita por meio dos seguintes índices hematimétricos:

  • VCM ou Volume Corpuscular Médio: mede o tamanho das hemácias, que pode estar aumentada em alguns tipos de anemia, como por deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico, alcoolismo ou alterações na medula óssea. Caso esteja diminuído, pode indicar anemia por deficiência de ferro ou de origem genética, como a Talassemia, por exemplo. Saiba mais sobre o VCM;
  • HCM ou Hemoglobina Corpuscular Média: indica a concentração total de hemoglobina através da análise do tamanho e coloração da hemácia. Veja o que significa HCM alto e baixo;
  • CHCM (concentração da hemoglobina corpuscular média): demonstra a concentração da hemoglobina por hemácia, estando normalmente diminuído nas anemias, sendo essa situação denominada hipocromia;
  • RDW (Amplitude de distribuição dos glóbulos vermelhos): é um índice que indica a porcentagem de variação de tamanho entre as hemácias de uma amostra de sangue, portanto, caso hajam hemácias de tamanhos variados na amostra, o exame poderá vir alterado, o que pode ser uma pista para o início de anemias por deficiência de ferro ou vitaminas, por exemplo, e seus valores de referência estão entre 10 a 15%. Saiba mais sobre o RDW.

Saiba mais detalhes sobre os valores de referência do hemograma.

2. Glóbulos brancos (Leucócitos)

O leucograma é um exame importante para ajudar a verificar a imunidade da pessoa e como o organismo consegue reagir a diferentes situações, como infecções e inflamações, por exemplo. Quando a concentração de leucócitos está elevada, a situação é denominada leucocitose, e o inverso, leucopenia. Veja como entender o resultado do leucograma.

Neutrófilos

Alto: Infecções, inflamação, câncer, trauma, estresse, diabetes ou gota.

Baixo: Falta de vitamina B12, anemia falciforme, uso de esteroides, pós cirurgia ou púrpura trombocitopênica.

Eosinófilos

Alto: Alergia, verminoses, anemia perniciosa, colite ulcerativa ou doença de Hodgkin.

Baixo: Uso de betabloqueadores, corticoides, estresse, infecção bacteriana ou viral.

Basófilos

Alto: Após retirada do baço, leucemia mielóide crônica, policitemia, catapora ou doença de Hodgkin.

Baixo: Hipertireoidismo, infecções agudas, gravidez ou choque anafilático.

Linfócitos

Alto: Mononucleose infecciosa, caxumba, sarampo e infecções agudas.

Baixo: Infecção ou desnutrição.

Monócitos

Alto: Leucemia monocítica, doença de armazenamento lipídico, infecção por protozoários ou colite ulcerativa crônica.

Baixo: Anemia aplásica.

3. Plaquetas

As plaquetas são, na verdade, fragmentos de células que são muito importantes por serem responsáveis pelo início do processo de coagulação. O valor normal das plaquetas normal deve estar entre 150.000 a 450.000/ mm³ de sangue.

As plaquetas elevadas são preocupantes pois podem causar coágulos e trombos sanguíneos, havendo risco de trombose e embolia pulmonar, por exemplo. Já quando estão reduzidas, podem aumentar o risco de sangramentos. Saiba quais são as causas e o que fazer em caso de plaquetas baixas. 

Источник: https://www.tuasaude.com/hemograma/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: