Medicamentos e alteração do paladar

Os medicamentos podem provocar alterações no paladar. Mito ou facto?

Medicamentos e alteração do paladar

Neste artigo vamos desvendar algumas curiosidades acerca deste tema. Descubra quais as classes de medicamentos que poderão ter mais influência nas papilas gustativas dos seus utentes.

Alterações do gosto:

Vários são os elementos intervêm na constituição do gosto, como os recetores especializados das papilas gustativas da cavidade oral, o olfato ou a textura dos alimentos. É importante referir que a verdadeira perda do gosto é pouco comum.

Os transtornos do paladar aparecem quando se produz uma alteração no processo da estimulação gustativa.

Os transtornos quantitativos correspondem a uma incapacidade mais ou menos pronunciada de distinguir o gosto:

·         Hipogeusia: Diminuição da percepção do sabor, existindo alteração da sensibilidade para detetar o gosto de algumas substâncias.

·         Ageusia: Perda completa de uma das sensações de sabor.

Os transtornos qualitativos correspondem a uma distorção, uma perceção de sabor alterada – disgeusia.

·         Parageusia: Perceção anormal ou desagradável em vez da sensação de sabor normal.

·         Pantogeusia: Alteração ocorre sem estimulação oral.

A alteração do gosto é um problema subjetivo e difícil de quantificar, sendo as diversas alterações frequentemente confundidas na literatura.

O paladar e o olfato estão intimamente relacionados. A perda de capacidade de identificação de alguns sabores pode ser erroneamente atribuída a uma disfunção gustativa, mas estar relacionada com diminuição da estimulação dos recetores olfativos por via retronasal.

Numerosas causas podem provocar transtornos do gosto como por exemplo, infeções respiratórias altas, afeções da cavidade oral, tabagismo, hipotiroidismo, diabetes, alterações do sistema nervoso central ou renais, cancro, medicamentos, irradiação, algumas cirurgias, falta de higiene bucal e problemas dentais.

O dano nas glândulas salivares, causado pela síndrome de Sjörgen ou por tratamento para o cancro, pode levar a perda de gosto, pois a saliva é essencial para o transporte até às células gustativas. 

O envelhecimento também pode causar diminuição da sensibilidade aos sabores, possivelmente por alterações nas células gustativas relacionadas com a idade, diminuição da produção de saliva e incapacidade para uma boa mastigação.

– Sabe quais são as classes farmacológicas mais associadas a alterações do paladar?

Um grande número de medicamentos de diversas classes farmacológicas tem sido associado a este tipo de transtornos, nomeadamente os anti-hipertensores, os antimicrobianos e os antidepressivos.

Os transtornos do gosto induzidos por fármacos costumam ser leves, mas, em alguns casos, podem ter longa duração e influenciar negativamente a qualidade de vida, o estado emocional ou a adesão à terapêutica.

Entre as alterações do gosto causadas por fármacos, a disgeusia é mais comum que a ageusia.

Muitas vezes, é difícil diferenciar se é o próprio fármaco que tem um sabor desagradável ou se realmente altera o gosto.

O contexto sociocultural do doente e a sua experiência prévia podem influenciar a sua perceção do gosto. As expectativas do doente podem ser importantes. Se o doente espera que o medicamento tenha um sabor desagradável, é mais provável que o percecione como tal.

Na maioria dos casos, a retirada do medicamento permite um retorno ao normal, mas pode haver reações adversas gustativas persistentes. Por exemplo, no caso dos inibidores da enzima de conversão da angiotensina os efeitos podem ser permanentes.

Alterações gustativas persistentes poderão dever-se a uma lesão dos recetores periféricos do gosto, da via neuronal ou das estruturas centrais.

Na maioria dos casos, a abordagem mais lógica é descontinuar o medicamento, substituindo-o por outro alternativo, ou diminuir a dose.

– Muitos fármacos podem alterar o sentido do gosto.

Habitualmente trata-se de um transtorno leve que se resolve com a retirada do fármaco, mas, em alguns casos, pode afetar a qualidade de vida do doente.

Quando existe uma alteração do gosto pode ser equacionada uma possível etiologia farmacológica e, caso se suspeite de que o efeito possa ser provocado por medicamentos, este deverá ser notificado ao Sistema Nacional de Farmacovigilância.

O que achou deste artigo? Útil?

Até já!

SIMÓN, Aurora, Alterações do gosto provocadas por medicamentos – epublicação CIM (Centro de Informação do Medicamento). Acedido em https://www.ordemfarmaceuticos.pt/pt/publicacoes/e-publicacoes/alteracoes-do-gosto-provocadas-por-medicamentos/ a 31/07/2019

Источник: https://www.emformacomangelini.pt/eventos-formativos/os-medicamentos-podem-provocar-alteracoes-no-paladar-mito-ou-facto

Alteração do paladar (disgeusia): o que é, causas e tratamento

Medicamentos e alteração do paladar

A disgeusia é um termo médico utilizado para descrever qualquer diminuição ou alteração do paladar, que pode aparecer logo desde o nascimento ou se desenvolver ao longo da vida, devido a infecções, uso de determinados medicamentos ou devido a tratamentos agressivos, como quimioterapia.

Existem cerca de 5 tipos diferentes de disgeusia:

  • Parageusia: sentir o sabor errado de um alimento;
  • Fantogeusia: também conhecido como “gosto fantasma” consiste na sensação constante de um sabor amargo na boca;
  • Ageusia: perda da capacidade para sentir sabor;
  • Hipogeusia: diminuição da capacidade para sentir o sabor da comida ou de alguns tipos específicos;
  • Hipergeusia: sensibilidade aumentada para qualquer tipo de sabor.

Independente do tipo, todas as alterações são bastante desconfortáveis, especialmente para quem desenvolveu disgeusia ao longo da vida.

No entanto, a maior parte dos casos tem cura, sendo que a alteração desaparece completamente quando a causa é tratada.

Ainda assim, se a cura não for possível, podem ser utilizadas formas diferentes de cozinhar, aposto mais em condimentos e texturas, para tentar melhorar a experiência de comer.

Como confirmar o diagnóstico

Na maior parte dos casos, a alteração do paladar pode ser identificada em casa pela própria pessoa, no entanto, o diagnóstico precisa ser feito por um médico.

Assim, se for um caso relativamente simples, o clínico geral pode chegar no diagnóstico de disgeusia apenas através do que o paciente relata, assim como a avaliação do histórico médico, para achar uma causa que possa estar afetando o paladar.

Já nos casos mais complicados, pode ser necessário recorrer a um neurologista, não apenas para fazer o diagnóstico, mas para tentar identificar qual a verdadeira causa do problema, uma vez que pode estar relacionado com alguma alteração em um dos nervos responsáveis pelo paladar.

O que pode causar disgeusia

Existem várias condições que podem levar ao surgimento de alterações no paladar. As mais comuns incluem:

  • Uso de remédios: estão identificados mais de 200 medicamentos capazes de alterar a sensação de paladar, entre eles estão alguns remédios antifúngicos, antibióticos do tipo “fluoroquinolonas” e anti-hipertensivos do tipo “IECA”;
  • Cirurgias do ouvido, boca ou garganta: podem causar algum pequeno trauma nos nervos do local, afetando o paladar. Essas alterações podem ser temporárias ou definitivas, dependendo do tipo de trauma;
  • Uso de cigarro: a nicotina presente no cigarro parece afetar a densidade das papilas gustativas, podendo alterar o paladar;
  • Diabetes descontrolada: o excesso de açúcar no sangue pode afetar os nervos, contribuindo para alterações do paladar. Esta situação é conhecida como “língua diabética” e pode ser um dos sinais que leva o médico a desconfiar de diabetes em pessoas que ainda não foram diagnosticadas;
  • Quimioterapia e radioterapia: as alterações do paladar são um efeito colateral muito comum destes tipos de tratamento para o câncer, especialmente nos casos de câncer na região da cabeça ou pescoço.

Além disso, outras causas mais simples, como deficiências de zinco no organismo ou síndrome da boca seca, também podem causar disgeusia, sendo sempre importante consultar o médico para identificar a causa da alteração do paladar e iniciar o tratamento mais adequado.

Alteração no paladar pode ser sintoma de COVID-19?

A perda de olfato e de paladar parecem ser dois sintomas relativamente comuns em pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Dessa forma, é importante ficar atento ao aparecimento de outros sintomas que posam indicar a infecção, especialmente febre e tosse seca persistente.

Em caso de suspeita de infecção por COVID-19 é importante entrar em contato com as autoridades de saúde, através do número 136, ou através do whatsapp (61) 9938-0031, para saber como proceder. Veja outros sintomas comuns da COVID-19 e o que fazer em caso de suspeita.

Como é feito o tratamento

O tratamento da disgeusia deve ser sempre iniciado com o tratamento da sua causa, caso seja identificada e caso possua tratamento. Por exemplo, se a alteração estiver sendo provocada pelo uso de um remédio, é recomendado consultar o médico que o receitou para avaliar a possibilidade de trocar esse remédio por outro.

Porém, se a disgeusia for causada por problemas mais difíceis de eliminar, como o tratamento do câncer ou cirurgias, existem algumas orientações que podem ajudar a aliviar o desconforto, principalmente relacionadas com a preparação dos alimentos. Assim, geralmente é aconselhado consultar um nutricionista para receber orientações sobre como preparar alimentos de forma a torná-los mais saborosos ou com melhor textura, sem que deixem de ser saudáveis.

Confira algumas dicas nutricionais que podem ser usadas durante o tratamento do câncer e que incluem orientações sobre as alterações do paladar:

Além de tudo isto, é ainda importante manter uma higiene bucal adequada, escovando os dentes pelo menos 2 vezes por dia e fazendo a higiene da língua, evitando o acúmulo de bactérias que podem contribuir para as alterações do paladar.

Источник: https://www.tuasaude.com/disgeusia/

Veja o que provoca a perda de paladar e quais cuidados que você deve ter

Medicamentos e alteração do paladar

Sentir o sabor dos alimentos é extremamente prazeroso! Além de toda satisfação que certos alimentos trazem, essa habilidade é uma grande aliada quando o assunto é evitar o consumo de itens estragados ou em quantidades exageradas. Entretanto, nem todo mundo tem esse privilégio, já que muitos lidam com a perda do paladar.

Causado por inúmeros problemas, inclusive olfativos, esse é um assunto que merece atenção e cuidados especiais. Se você ficou curioso e quer entender mais sobre a condição e por que ela acontece, então está no lugar certo. Continue conosco e leia este post até o final.

O que provoca a perda de paladar?

A perda do paladar, também conhecida como disgeusia, acontece quando o funcionamento das papilas gustativas é interrompido de alguma forma. Ela pode acontecer de duas formas: sinalizando distorções ou diminuindo o senso do paladar.

Ainda assim, é bom ter claro que para entender esse processo, é preciso compreender de que forma as papilas funcionam. Quando um alimento ou bebida entra em contato com a nossa saliva, as papilas gustativas são “ativadas” e passam a transferir a informação para o sistema nervoso, assim identificando o sabor.

Se algum problema surge no meio dessa atividade, então a transferência de sensações não é feita de maneira adequada — e, como consequência, passamos a não sentir o sabor dos alimentos.

Quais são os principais sintomas de disgeusia?

Nem todas as pessoas que sofrem com disgeusia têm uma perda completa do sabor. Como adiantamos, é possível que esses pacientes apresentem uma sensação distorcida de paladar, além de outros sintomas, como gosto metalizado e sensação de ardência na boca.

Quem fica com esse tipo de gosto desagradável na boca por mais tempo pode levantar um sinal de alerta. Essa pode ser uma primeira sinalização, então o melhor caminho a seguir envolve procurar ajuda especializada.

Além disso, vale lembrar que o público mais atingido por essa situação envolve mulheres com mais de 60 anos. Entretanto, apenas em casos mais raros a pessoa perde totalmente o paladar.

O que causa a perda de paladar?

Existem muitas situações que podem interferir nesse processo, inclusive problemas olfativos. Como as duas estruturas estão diretamente interligadas, também ajudam a ampliar o sabor e o gosto dos alimentos. Para não restar nenhuma dúvida, veja abaixo as causas mais comuns.

Fumo

As toxinas químicas do cigarro podem causar lesões nas papilas gustativas. Além disso, o acúmulo na língua de elementos provenientes da queima do tabaco também pode contribuir para a modificação do sabor.

Se esse for o motivo da sua perda do paladar, o tratamento é parar de fumar. O tempo para voltar a sentir o sabor dos alimentos vai depender do tempo que você adotou o hábito.

Queimaduras e ferimentos

Bebidas muito quentes podem provocar pequenas queimaduras e ferimentos na língua, uma medida que produz alterações crônicas nas papilas gustativas. O tratamento envolve a suspensão do consumo desses itens até que as papilas sejam restauradas.

Sinusite, gripes e resfriados

Como dissemos, a capacidade de sentir o sabor dos alimentos está intimamente ligada ao olfato e, por isso, infecções e problemas no nariz e no sistema respiratório podem modificar a sensação de gosto.

A regressão da doença (por meio de tratamento) faz com que o paladar seja normalizado dentro de alguns dias.

Uso de medicamentos

Existem inúmeros medicamentos que podem causar a perda do paladar como efeito colateral: antifúngicos, antivirais, inibidores de protease (usados no tratamento do HIV), diuréticos, anti-inflamatórios, antibióticos, anti-hipertensivos e medicações para tratamentos psiquiátricos e neurológicos.

Esses são apenas alguns exemplos, mas, se você notou que suas alterações no paladar começaram após iniciar um tratamento farmacológico, leia a bula do remédio e converse com o seu médico.

Tratamento para o câncer

Pessoas em tratamento de câncer de cabeça e pescoço podem sofrer com modificações no paladar, principalmente devido à radioterapia, que é aplicada nas vias nervosas (locais por onde passam os estímulos gustativos).

Em alguns casos o paladar pode não ser recuperado, pois a radioterapia é bem forte. Entretanto, não desanime! É possível que haja uma recuperação gradual em outros.

Boca Seca

Conhecida como xerostomia, a boca seca leva a diminuição da produção de saliva, causando inúmeros problemas como cáries, doenças gengivais, candidíase, infecções nas glândulas salivares e perda do paladar.

Por isso, se você notou que está produzindo menos saliva, procure seu dentista imediatamente. Além de todos esses riscos, essa situação pode comprometer ainda a sua qualidade de vida, pois você deixa de desfrutar do sabor dos alimentos. 

Outras causas

Além de todas essas questões, a perda de paladar também pode estar relacionada a deficiências nutricionais (principalmente de zinco e de vitamina B12). Pode também ser consequência de uma cirurgia no ouvido, presença de pólipos nasais ou paralisia facial.

Entretanto, é preciso ter atenção! Se além da perda do sabor você também deixar de sentir cheiro, procure imediatamente um médico, pois esses são sintomas de doenças neurológicas mais graves, como Parkinson e Alzheimer.

Como é feito o diagnóstico?

Se você sente que pode sofrer com a perda do paladar (ou até mesmo já reparou algum sintoma), então é bom saber como agir nesse tipo de situação. O primeiro passo que deve ficar claro é a importância de procurar contato com um médico especializado ou com o cirurgião-dentista.

O diagnóstico deve ser feito por exame clínico ou exames mais específicos, como tomografias, que permitam perceber o funcionamento de parte do cérebro ou alteração dos seios da face. Essa é a melhor forma de ter um retorno certeiro da sua real situação.

Outra medida importante é a anamnese — um método que propõe perguntas específicas sobre as principais causas. Ela ajuda o especialista a entender o que realmente está acontecendo. 

Como tratar a situação?

O tratamento inicial envolve a tentativa de recuperação com alguns ativos naturais. Para potencializar os resultados, alimentos com o gosto um pouco mais forte podem ser ótimas alternativas, como alho, gengibre, pimenta caiena, limão e outros desse tipo. Tenha isso em mente e explore essa facilidade!

Por outro lado, alimentos amargos ou metálicos devem ser evitados, como café, chocolate e carne vermelha.

Para fechar, esteja sempre em contato com um profissional capacitado, pois a ajuda especializada é crucial para alcançar os resultados. Além disso, pode ser que seja necessário seguir com um tratamento em clínica.

Nesse caso, o caminho envolve um acompanhamento ainda mais de perto, com exames recorrentes e outras medidas que potencializam as chances de resolver tudo com mais facilidade.

Depois de entender de forma mais completa como a perda do paladar pode influenciar a sua vida — e ainda como seguir com um possível tratamento —, esteja atento aos sintomas compartilhados aqui. Perceber as alterações logo no começo é uma ótima forma de evitar o desenvolvimento do problema.

Se você quer informar outras pessoas com esses conteúdos, que tal compartilhar este artigo nas suas redes sociais? Essa é uma maneira de atingir muitas outras pessoas!

Источник: https://blog.qualimplan.com.br/veja-o-que-provoca-a-perda-de-paladar-e-quais-cuidados-que-voce-deve-ter/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: