Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

METFORMINA – Como tomar e efeitos colaterais

Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

O cloridrato de metformina é hipoglicemiante oral, ou seja, um medicamento em comprimidos utilizado para o controle da glicemia (taxas de açúcar no sangue) nos pacientes com diabetes mellitus.

A metformina está disponível no mercado desde a década de 1950 e é até hoje é um dos principais fármacos utilizado no tratamento do diabetes tipo 2, seja como monoterapia ou em conjunto com algum outro hipoglicemiante oral.

Como funciona?

Enquanto a diabetes tipo 1 é causada por uma deficiente produção de insulina pelo pâncreas, a diabetes tipo 2 ocorre porque a insulina produzida funciona mal.

Essa característica da diabetes tipo 2 permite que ela possa não ser tratada inicialmente com insulina, mas sim com medicamentos por via oral, chamados antidiabéticos orais ou hipoglicemiantes orais.

Entre os antidiabéticos orais, o mais usado atualmente é o cloridrato de metformina, ou simplesmente, metformina, que é um fármaco que só funciona nos pacientes que ainda conseguem produzir insulina em quantidades relevantes.

A metformina ajuda no controle glicêmico do diabetes tipo 2 através de três mecanismos:

  1. Reduz a produção de glicose pelo fígado.
  2. Aumenta a sensibilidade dos tecidos, principalmente dos músculos, à insulina. A metformina não aumenta a produção de insulina, mas sim otimiza a ação daquela já produzida.
  3. Reduz a absorção de glicose pelo trato gastrointestinal.

Metformina e peso corporal

A metformina é a droga de escolha para pacientes diabéticos obesos, pois a mesma não está associada a indesejado ganho de peso, como acontece, por exemplo, com a insulina e outros antidiabéticos orais.

Porém, ao contrário do que algumas pessoas acreditam, a metformina não emagrece ninguém e não deve ser usada como medicação para se perder peso.

Além de não alterar o peso do paciente, a metformina também apresenta como efeito benéfico uma leve redução dos níveis de colesterol LDL e dos triglicerídeos.

Outras indicações da metformina além do diabetes

A única doença que tem indicação formal para ser tratada com metformina é o diabetes tipo 2. Porém, existem outras situações que também apresentam resistência dos tecidos à ação da insulina e têm sido tratadas com metformina em um esquema off-label, ou seja, sem que ainda haja plena validação científica.

Entre essas situações, podemos citar:

  • Síndrome dos ovários policísticos: o uso da metformina parece ser benéfico, principalmente se a paciente tiver sobrepeso e alterações menstruais. Entretanto, não há comprovação de que o medicamento seja realmente benéfico (leia: Ovário policístico – Sintomas e tratamento).
  • Esteatose hepática: a metformina costuma ser prescrita para os pacientes com esteatose hepática, mas os estudos mais recentes não conseguiram demonstrar nenhum benefício, motivo pelo qual o seu uso nesses caso tem vindo a diminuir (leia: Esteatose hepática – Sintomas e tratamento).

Nomes comerciais

A metformina é um medicamento que pode ser encontrado nas farmácias sob a forma genérica ou através dos seguintes nomes comerciais:

  • Diaformin
  • Dimefor.
  • Formet.
  • Glicefor.
  • Glicomet.
  • Glifage.
  • Glifage XR.
  • Glucoformin.
  • Glucophage (Portugal).
  • Jaira Met.
  • Losix.
  • Meta SR.
  • Metformed.
  • Neo Metformin.
  • Risidon (Portugal).
  • Stagid (Portugal).

Tratamento do diabetes mellitus tipo 2

Os comprimidos de metformina podem ser encontrados nas dosagens de 500 mg, 850 mg e 1000 mg. Já os comprimidos de ação prolongada podem ser encontrados nas doses de 750 mg ou 1000 mg.

Adultos ≥ 17 anos:

Dose inicial: 500 mg duas vezes por dia ou 850 mg uma vez por dia. A dose pode ser elevada em 500 mg a cada duas semanas. Se for necessária uma dose maior que 2000 mg por dia, a posologia deve ser alterada para três vezes por dia. A dose total máxima recomendada é de 2550 mg por dia

Nos casos de comprimidos de liberação prolongada, a dose inicial é de 500 a 1.000 mg uma vez por dia. A dosagem pode ser aumentada em 500 mg a cada semana, sendo a dose máxima: de 2000 mg uma vez por dia

Em muitos casos, não conseguimos obter respostas clínicas significativas com doses menores que 1500 mg por dia; no entanto, para minimizar os efeitos colaterais gastrointestinais, recomenda-se uma dose inicial baixa, já imaginando um aumento gradual ao longo das semanas.

A metformina deve ser tomada junto às refeições e o comprimido deve ser engolido por inteiro, evitando parti-lo ou mastigá-lo.

Tratamento da síndrome do ovário policístico (off-label)

  • 1500 mg a 2000 mg por dia, divididos em 2 ou 3 doses diárias (dose inicial de 500 mg por dia, com incrementos de 500 mg a cada 1 ou 2 semanas).
  • Nos comprimidos de liberação prolongada, a dose é de 1000 mg duas vezes por dia (dose inicial de 500 mg por dia, com incrementos de 500 mg a cada 1 ou 2 semanas).

Contraindicações

A metformina é uma droga com pouquíssimas contra-indicações, mas uma delas é muito importante: a insuficiência renal avançada.

A metformina não deve ser usada em pacientes com insuficiência renal, principalmente se a creatinina estiver acima de 1,5 mg/dl ou taxa de filtração glomerular menor que 30 ml/min).

O uso de metformina nesse pacientes está reflacionado a um alto risco de
acidose láctica (aumento do ácido láctico no sangue), que é uma complicação pouco comum, porém potencialmente fatal.

Pacientes com doença hepática (fígado) grave também não devem tomar metformina.

Gravidez e lactação

A metformina pode ser usada com segurança no tratamento do diabetes gestacional.

Nas mulheres amamentando, a presença de metformina no leite costuma ser pequena e o seu uso durante o aleitamento materno costuma ser autorizado pelos pediatras.

Efeitos colaterais

A metformina é uma droga geralmente bem tolerada, principalmente se for respeitada a contraindicação para pacientes com doença renal crônica avançada.

Entre os efeitos colaterais mais comuns estão a diarreia, náuseas e um gosto metálico na boca.

A hipoglicemia (baixa de glicose no sangue), efeito colateral comum dos outros hipoglicemiantes orais e da insulina, é rara com a metformina.

Referências bibliográficas

Источник: https://www.mdsaude.com/bulas/metformina/

Glifage

Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

USO ORAL

USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 10 ANOS

COMPOSIÇÃO

Glifage® 500 mg

Cada comprimido revestido contém: cloridrato de metformina ……………………………………………………………………. 500 mg (equivalente a 390 mg de metformina)

Excipientes: estearato de magnésio, hipromelose, povidona.

Glifage® 850 mg Cada comprimido revestido contém: cloridrato de metformina ……………………………………………………………………. 850 mg (equivalente a 663 mg de metformina)

Excipientes: estearato de magnésio, hipromelose, povidona.

Glifage® 1 g Cada comprimido revestido contém: cloridrato de metformina ………………………………………………………………………… 1 g (equivalente a 780 mg de metformina)

Excipientes: estearato de magnésio, hipromelose, macrogol, povidona.

Glifage – Indicações

Como agente antidiabético, associado ao regime alimentar, para o tratamento de: – Diabetes tipo 2, não dependente de insulina (diabetes da maturidade, diabetes do obeso, diabetes em adultos de peso normal), isoladamente ou complementando a ação de outros antidiabéticos (como as sulfonilureias): em adultos e crianças acima de 10 anos;

– Diabetes tipo 1, dependente de insulina, como complemento da insulinoterapia em casos de diabetes instável ou insulino-resistente (ver Advertências e precauções). Também indicado na Síndrome dos Ovários Policísticos (Síndrome de Stein-Leventhal).

Contra-indicações de Glifage

Hipersensibilidade à metformina ou a qualquer dos excipientes. Cetoacidose diabética, pré- coma diabético. Insuficiência ou disfunção renal (depuração da creatinina inferior a 60 ml/min).

Situações agudas com potencial para alterar a função renal, tais como: desidratação, febre, infecção grave, choque, administração intravascular de contrastes iodados.

Doenças agudas ou crônicas, capazes de provocar hipóxia tecidular, tais como insuficiência cardíaca ou respiratória, infarto recente de miocárdio, choque. Insuficiência hepática, intoxicação alcoólica aguda, alcoolismo. Cirurgia eletiva de grande porte.

Advertências

Acidose lática A acidose lática é uma complicação metabólica rara, porém grave (com elevada mortalidade caso não se proceda a um tratamento imediato), que pode ocorrer devido à acumulação de metformina.

Foram descritos casos de acidose lática em pacientes submetidos a tratamento com metformina, principalmente em diabéticos com insuficiência renal significativa.

É possível e recomendável que a incidência de acidose lática seja reduzida determinando-se outros fatores de risco associados, tais como diabetes mal controlada, cetose, jejum prolongado, consumo excessivo de álcool, insuficiência hepática e qualquer condição associada com hipóxia.

Diagnóstico: o risco de acidose lática deve ser considerado no caso de aparecimento de sinais inespecíficos como cãibras musculares com perturbações digestivas, tais como dores abdominais e astenia grave. Pode ser seguida de dispneia acidótica, hipotermia e coma.

Os resultados das análises laboratoriais revelam uma queda no pH sanguíneo, níveis de lactato no plasma acima de 5 mmol/l, e um aumento do gap aniônico e da relação lactato/piruvato. Caso se suspeite de acidose metabólica, a administração do metformina deverá ser suspensa e o paciente imediatamente hospitalizado.

Função renal

Uma vez que a metformina é excretada pelo rim, recomenda-se que sejam determinados os níveis de creatinina sérica e a depuração de creatinina antes de se dar início ao tratamento e, posteriormente, de forma regular (pelo menos anualmente, em pacientes com função renal normal; pelo menos duas a quatro vezes por ano, em pacientes com depuração de creatinina no limite inferior da normalidade e em idosos). Diminuição da função renal em idosos é frequente e assintomática. Deve-se ter especial cuidado em situações nas quais a função renal possa ser afetada, tais como início de tratamento com anti-hipertensivos, diuréticos ou anti- inflamatórios não esteroidais.

Administração de contrastes iodados

Considerar que a administração intravascular de contrastes iodados em exames radiológicos pode ocasionar insuficiência renal, podendo induzir o acúmulo de metformina, que pode expor a acidose lática, dependendo da função renal.

O uso de metformina tem que ser interrompido 48 horas antes ou na ocasião do exame, somente podendo ser reiniciado após 48 horas da realização do mesmo, e apenas depois da função renal ter sido reavaliada e se apresentar normalizada.

Cirurgia

O uso de metformina terá que ser interrompido 48 horas antes de cirurgias eletivas maiores, podendo ser reiniciado não antes de 48 horas após a cirurgia, e somente após a função renal ter sido reavaliada como normal.

Gravidez e lactação Categoria de risco B. O diabetes sem controle durante a gravidez (gestacional ou permanente) é associado com aumento do risco de anomalias congênitas e mortalidade perinatal. Uma quantidade limitada de dados sobre a utilização de metformina em mulheres grávidas não indica um risco aumentado de anomalias congênitas.

Estudos em animais não indicam efeitos prejudiciais à gestação, desenvolvimento embrionário ou fetal, parturição ou desenvolvimento pós-natal.

Entretanto, ao planejar uma gravidez e durante o período gestacional, o diabetes não deve ser tratado com metformina, devendo-se utilizar insulina para manter os níveis glicêmicos o mais próximo dos valores normais, de forma a reduzir o risco de malformações fetais associadas a níveis anormais da glicemia.

Foi observado que a metformina é excretada no leite humano. Nenhum efeito adverso foi observado em recém-nascidos amamentados. No entanto, como os dados disponíveis são limitados, a amamentação não é recomendada durante o tratamento com metformina.

Deve-se decidir entre interromper a lactação ou descontinuar o tratamento com metformina, levando-se em conta os benefícios do aleitamento materno, a importância do medicamento para a mãe e o risco potencial de efeitos adversos no lactente. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Efeito na habilidade de dirigir e operar máquinas

A metformina como monoterapia não causa hipoglicemia e, portanto, não tem efeito na habilidade de dirigir ou operar máquinas. Entretanto, pacientes devem ser alertados para o risco de hipoglicemia quando a metformina é utilizada em combinação com outro agente antidiabético (sulfonilureia, insulina, meglitinida).

Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco

Idosos: uma vez que o envelhecimento está associado com redução da função renal e a metformina é eliminada, fundamentalmente pelos rins, o produto deve ser usado com cautela em pacientes idosos. A dose de metformina deve ser ajustada com base na função renal. Em geral, pacientes idosos não devem receber a dose máxima do produto.

Crianças e adolescentes: o diagnóstico da diabetes mellitus tipo 2 deve ser confirmado antes de se iniciar o tratamento com metformina.

Durante estudos clínicos controlados com a duração de um ano, não foram observados efeitos sobre o crescimento e puberdade, não havendo, contudo, informação disponível a longo prazo nestes pontos específicos.

Por isso, recomenda-se acompanhamento cuidadoso destes parâmetros em crianças tratadas com metformina, especialmente na pré-puberdade.

Crianças com idades compreendidas entre 10 e 12 anos: Somente 15 crianças com idade compreendida entre 10 e 12 anos foram incluídas nos estudos clínicos controlados conduzidos em crianças e adolescentes.

Embora a eficácia e segurança da metformina nestas crianças não difiram daquelas em crianças mais velhas e adolescentes, recomenda-se um cuidado especial na prescrição a crianças com idades compreendidas entre 10 e 12 anos.

Este medicamento não é indicado para crianças abaixo de 10 anos.

Outras precauções Todos os pacientes devem prosseguir em sua dieta, com distribuição regular de consumo de carboidratos ao longo do dia. Pacientes com excesso de peso devem continuar com dieta de restrição calórica. As análises laboratoriais habituais para controle do diabetes devem ser realizadas regularmente.

A metformina, utilizada isoladamente, não causa hipoglicemia, embora se recomende precaução ao utilizá-la em associação com insulina ou outros antidiabéticos orais (ex. sulfonilureias ou meglitinidas).

A metformina, em associação com a insulina, tem sido utilizada no tratamento do diabetes Tipo 1, em pacientes selecionados; os benefícios clínicos desta combinação, porém, não estão formalmente estabelecidos.

Interações medicamentosas de Glifage

Associações contraindicadas Meios de contraste iodados: dependendo da função renal, a metformina tem que ser interrompida 48 horas antes do exame, ou na ocasião do exame, não devendo ser reiniciada antes de 48 horas.

Associações não recomendadas

Álcool: aumento do risco de acidose lática no caso de intoxicação alcoólica aguda, especialmente em situações de: jejum ou má-nutrição, insuficiência hepática. Deve-se evitar o consumo de álcool e a utilização de medicamentos contendo álcool.

Associações a serem empregadas com cautela Medicamentos com atividade hiperglicêmica intrínseca, como glicocorticoides, tetracosactida (vias sistêmica e local), agonistas beta-2, danazol, clorpromazina em altas doses de 100 mg ao dia, diuréticos: pode ser necessário um controle mais frequente da glicose sanguínea, notadamente no início do tratamento. Caso necessário, ajustar a dose de metformina durante tratamento com o outro medicamento e após sua interrupção. Diuréticos, especialmente os de alça: podem aumentar o risco de acidose lática devido ao seu potencial para diminuir a função renal.

Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (inibidores da ECA): podem provocar uma redução nos níveis de glicose no sangue. Desta forma, o ajuste da dose de metformina poderá ser necessário durante e após a adição ou interrupção destes medicamentos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Glifage

Источник: https://noticias.4medic.com.br/bula/glifage/

Cloridrato de metformina (comprimido revestido)

Metformina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

ESTE TEXTO FOI EXTRAÍDO MANUALMENTE. CONSULTE SEMPRE A BULA ORIGINAL

Uso Oral
Uso Adulto e Pediátrico Acima de 10 anos

Laboratório: Medley

Comprimidos revestidos de 500 mg e 850 mg, em embalagens contendo 30 e 60 comprimidos revestidos.

Comprimidos revestidos de 1 g, em embalagens contendo 30 comprimidos revestidos.

Príncipios ativos: cloridrato de metformina.

Composição

Cada comprimido revestido de 500 mg contém: 

cloridrato de metformina ……….. 500 mg 

(equivalente a 390 mg de metformina) 

excipientes q.s.p. ………………… 1 comprimido 

(celulose microcristalina, crospovidona, dióxido de silício, estearato de magnésio, povidona, hipromelose e macrogol). 

Cada comprimido revestido de 850 mg contém: 

cloridrato de metformina ……….. 850 mg 

(equivalente a 663 mg de metformina) 

excipientes q.s.p. ……………….. 1 comprimido 

(celulose microcristalina, crospovidona, dióxido de silício, estearato de magnésio, povidona, hipromelose e macrogol). 

Cada comprimido revestido de 1 g contém:

cloridrato de metformina ………… 1 g 

(equivalente a 780 mg de metformina) 

excipientes q.s.p. ………………… 1 comprimido 

(celulose microcristalina, crospovidona, dióxido de silício, estearato de magnésio, povidona, hipromelose e macrogol).

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

1. Para que este medicamento é indicado?

Este medicamento é um antidiabético de uso oral,que associado a uma dieta apropriada, é utilizado para o tratamento do diabetes tipo 2, isoladamente ou em combinação com outros antidiabéticos orais, como por exemplo aqueles da classe das sulfonilureias. Pode ser utilizado também para o tratamento do diabetes tipo 1 em complementação à insulinoterapia. Este medicamento também está indicado na Síndrome dos Ovários Policísticos.

2. Como este medicamento funciona?

Tratamento do diabetes, para normalização dos níveis elevados de açúcar no sangue e redução das complicações do diabetes (aumento do açúcar no sangue causado pelo mau funcionamento do metabolismo).

3. Quando não devo usar este medicamento?

Você não deve usar este medicamento durante a gravidez.

Informe seu médico se está amamentando. O medicamento também está contraindicado para alcoólatras, pessoas com doenças dos rins e do fígado, insuficiência cardíaca congestiva, infarto agudo do miocárdio, alterações respiratórias, infecções respiratórias, infecções ou alergia a qualquer um dos componentes da fórmula.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

4. O que devo saber antes de usar este medicamento?

O uso da metformina não elimina a necessidade de regime com redução de açúcares em todos os casos de diabetes, assim como de regime com redução de açúcares e calorias quando houver, associadamente, excesso de peso. Realize regularmente os controles biológicos habituais do diabetes. 

Este medicamento,usado isoladamente,não causa hipoglicemia e, portanto, não interfere na habilidade de dirigir ou operar máquinas. No entanto, os pacientes devem estar alertas aos sintomas da hipoglicemia e seus efeitos quando este medicamento for usado com outras drogas hipoglicemiantes tais como sulfonilureia e/ou com insulina.

A ingestão juntamente com alimentos não prejudica a absorção do medicamento. Durante o uso do medicamento, evite o consumo de álcool ou reduza-o a um mínimo. 

Nunca ingira o medicamento junto com bebidas alcoólicas. 

Algumas doenças ou o uso de certos medicamentos tais como corticosteroides, alguns diuréticos e salbutamol podem causar uma perda do controle da Diabetes. 

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas, sem orientação médica.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Este medicamento é contraindicado para crianças abaixo de 10 anos.

Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. Onde, como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Aspecto físico

Comprimido de 500 mg – Comprimido revestido, circular, convexo, praticamente branco e liso nas duas faces.

Comprimido de 850 mg – Comprimido revestido, oblongo, praticamente branco, sulcado em uma das faces e com a gravação Medley na outra.

Comprimido de 1 g – Comprimido revestido, oblongo, praticamente branco, sulcado em uma das faces e com a gravação Medley na outra.

Características organolépticas

Veja Aspecto físico.

Conservar o medicamento em temperatura ambiente (entre 15 e 30 ºC). Proteger da umidade. 

O prazo de validade do medicamento é de 24 meses a partir da data de fabricação impressa na embalagem externa do produto. Em caso de vencimento, não utilize o medicamento.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

6. Como devo usar este medicamento?

Dosagem

Comprimidos de 500 mg

A dose inicial é de um comprimido duas vezes ao dia (no café da manhã e no jantar). Se necessário a dose será aumentada, semanalmente, de um comprimido até chegar ao máximo de cinco comprimidos diários, equivalentes a 2500 mg de metformina (dois no café da manhã, um no almoço e dois no jantar). Em crianças acima de 10 anos a dose máxima diária de metformina não deve exceder 2000 mg.

Comprimidos de 850 mg

A dose terapêutica inicial é de um comprimido no café da manhã. Conforme a necessidade, a dose será aumentada, a cada duas semanas, de um comprimido, até chegar ao máximo de três comprimidos, equivalentes a 2550 mg de metformina (um no café da manhã, um no almoço e um no jantar). Em crianças acima de dez anos a dose máxima diária de metformina não deve exceder 2000 mg.

Comprimidos de 1 g

A dose recomendada é de um comprimido no café da manhã e outro no almoço ou jantar. Em crianças acima de dez anos a dose máxima diária de metformina não deve exceder 2000 mg.

Pacientes diabetes do tipo 2 (não-dependentes de insulina)

A metformina pode ser usada isoladamente ou em combinação com outros agentes antidiabéticos, como as sulfonilureias. Se a metformina for usada em substituição ao tratamento com outros hipoglicemiantes orais (exceto a clorpropamida), a troca pode ser feita imediatamente.

Não há necessidade de redução prévia das doses do hipoglicemiante oral, nem de intervalo de tempo entre o fim do tratamento com o hipoglicemiante oral e o início do tratamento com a metformina.

Se o agente hipoglicemiante usado for a clorpropamida, na passagem para a metformina, durante duas semanas, deve-se estar atento à possibilidade de reações hipoglicêmicas, devido a retenção prolongada da clorpropamida no organismo.

Pacientes diabéticos do tipo 1 (dependentes de insulina)

A metformina nunca substitui a insulina em casos de diabetes dependentes de insulina. A associação de metformina pode, no entanto, permitir redução nas doses de insulina e obtenção de melhor estabilização da glicemia. Os resultados obtidos a partir da mensuração dos níveis de glicose no sangue capilar permitirão estabelecer a dose adequada de insulina.

Se a dose de insulina for menor que 40 unidades ao dia, a metformina é administrada na dose usual de dois comprimidos ao dia (um pela manhã e um à noite), aumentando-se para três comprimidos ao dia, se necessário. A dose de insulina é, simultaneamente, reduzida de 2 a 4 unidades cada dois dias.

Se a dose de insulina for maior que 40 unidades ao dia, é aconselhável hospitalizar o paciente para efetuar a combinação. A metformina é administrada na dose de 2 comprimidos ao dia, aumentando-se para três comprimidos, se necessário. Simultaneamente, a dose diária de insulina é reduzida, a partir do primeiro dia, de 30 a 50%.

Os valores da glicemia orientarão a diminuição progressiva ulterior das doses de insulina.

Síndrome dos Ovários Policísticos

A posologia é de, usualmente, 1000 a 1500 mg por dia (2 ou 3 comprimidos de 500 mg) divididos em 2 ou 3 tomadas.

Aconselha-se iniciar o tratamento com dose baixa (1 comprimido de 500 mg/dia) e aumentar gradualmente a dose (1 comprimido de 500 mg a cada semana) até atingir a posologia desejada.

Em alguns casos, pode ser necessário o uso de 1 comprimido de 850 mg 2 a 3 vezes ao dia (1700 a 2250 mg/dia). Para a apresentação de 1g, recomenda-se o uso de 1 a 2 comprimidos ao dia.

Como usar

Tome os comprimidos de cloridrato de metformina junto com as refeições, iniciando o tratamento com doses pequenas que podem ser gradualmente aumentadas. Isto permite reduzir a ocorrência de efeitos colaterais gastrintestinais e identifi car a dose mínima necessária ao controle adequado da glicemia. As doses devem ser divididas.

Por exemplo, se a dosagem diária indicada é de 2 comprimidos, deve-se tomar 1 comprimido durante o café da manhã e 1 comprimido durante o jantar. Não existe regime posológico fi xo para o tratamento da hiperglicemia no diabetes mellitus com a metformina ou qualquer outro agente farmacológico.

A posologia da metformina deve ser individualizada, tomando como bases a efi cácia e a tolerância ao produto. Não exceda a dose máxima recomendada que é de 2550 mg. Em crianças acima de 10 anos a dose máxima diária de metformina não deve exceder 2000 mg.

Caso você tenha esquecido da administração de uma dose, não dobre a dosagem para atingir a dose diária indicada.

Tome este medicamento diariamente, sem interrupção, exceto quando orientado pelo médico

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. 

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. 

Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento. 

7. O que devo fazer quando esquecer de usar este medicamento?

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

8. Quais os males que este medicamento pode me causar?

A metformina pode ocasionar, em alguns pacientes, reações digestivas desagradáveis, do tipo náuseas, vômitos e diarreia.

Essas reações costumam ser mais frequentes no inicio do tratamento, desaparecendo espontaneamente na maioria dos casos.

A ocorrência dessas reações pode ser reduzida, tomando-se o medicamento durante as refeições. Informe a seu médico se aparecerem reações desagradáveis.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

9. O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento

A metformina é um produto pouco tóxico. A ingestão de doses elevadas, representando mais de 10 vezes a dose terapêutica, não provocou efeitos metabólicos signifi cativos.

Em uma paciente a ingestão, com propósitos suicidas, de 34 g de metformina, ocasionou acidose lática que regrediu rapidamente com a infusão de bicarbonato. Em caso de ingestão de uma dose superior a indicada, consulte imediatamente o seu médico. Se aparecer acidose lática durante tratamento com metformina, deve-se internar o paciente para tratamento adequado.

A metformina é um produto pouco tóxico. A ingestão de doses elevadas, representando mais de 10 vezes a dose terapêutica, não provocou efeitos metabólicos signifi cativos.

Em uma paciente a ingestão, com propósitos suicidas, de 34 g de metformina, ocasionou acidose lática que regrediu rapidamente com a infusão de bicarbonato. Em caso de ingestão de uma dose superior a indicada, consulte imediatamente o seu médico. Se aparecer acidose lática durante tratamento com metformina, deve-se internar o paciente para tratamento adequado.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

Data de fabricação, prazo de validade e nº de lote: vide cartucho.

Farm. Resp.: Dra. Miriam Onoda Fujisawa – CRF-SP nº 10.640

MS – 1.0181.0447

Registrado e Fabricado por:

Medley Indústria Farmacêutica Ltda.

Rua Macedo Costa, 55 – Campinas – SP

CNPJ 50.929.710/0001-79 – Indústria Brasileira

Fabricado por:

Sanofi -Aventis Farmacêutica Ltda.

Rua Conde Domingos Papais, 413 – Suzano – SP

Indústria Brasileira

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/bulas/55-cloridrato-de-metformina-comprimido-revestido

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: