O que é água boricada, para que serve e riscos

Lavar olho com qualquer coisa tem riscos: quando usar água, soro ou colírio

O que é água boricada, para que serve e riscos

Água, soro fisiológico e colírio são substâncias que, embora pareçam inofensivas, possuem indicações específicas e usá-las de maneira incorreta pode prejudicar sua saúde ocular. A seguir, mostramos melhor e damos algumas dicas. Porém, não deixe de se consultar com um oftalmologista, ainda mais se usar óculos ou lentes de contato e sentir desconforto nos olhos.

Água é para limpeza externa

Segundo Mauro Campos, oftalmologista e diretor médico do grupo H.

Olhos (Hospital dos Olhos): “Se houver exposição dos olhos a agentes tóxicos, como desinfetante, tinta e solvente, por exemplo, devemos lavá-los imediatamente, antes de procurar um médico.

O ideal é que se use água filtrada ou mineral, mas em último caso pode se utilizar a da torneira, que no dia a dia também serve para higienizar pálpebras e rosto, mas não o interior dos olhos”.

Muita gente acaba deixando de lado essa limpeza externa a que o médico se refere, sem notar que ela é fundamental para evitar que as glândulas oculares e os folículos dos cílios entupam por maquiagem, partículas de poluentes e oleosidade em excesso. Quando isso ocorre, não só a secura dos olhos aumenta como o nível de bactérias que causam diversos tipos de infecção.

Portanto, esse hábito de higiene deve ser realizado todo dia, antes de dormir, e com soluções oculares ou produtos de higiene que não provoquem ardor nos olhos e alergias de pele. As pálpebras fechadas devem ser massageadas de leve com espuma e depois enxaguadas ou limpas com gaze ou algodão umedecidos em água morna. Depois é só secar com uma toalha.

Por falar em água, como não citar a boricada? Muita gente a utiliza para tratar inflamações oculares, como conjuntivite, mas os médicos dizem que não é seguro, pois o produto contém ácido bórico, que em pessoas mais sensíveis pode provocar reações alérgicas e queimaduras. “Criou-se um mito de que água boricada auxilia na limpeza ocular, mas ela é bem tóxica e não deve ser usada”, adverte o oftalmologista Tiago Batista, do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Por não ser uma solução estéril, a água boricada também está sujeita a contaminação por micro-organismos prejudiciais à saúde ocular. Portanto, em caso de processos inflamatórios e sintomas como dor, secreção e coceira, procure um médico. Como um paliativo até lá, a pessoa pode fazer compressas frias e limpar os olhos com gaze umedecida em água morna.

Soro fisiológico requer cuidados

Embora seja útil para lavar as narinas, o soro fisiológico também não é a melhor solução para higienizar olhos e lentes de contato.

A explicação é que depois de aberto ele se contamina automaticamente e pode favorecer a multiplicação de micro-organismos nocivos, como o protozoário Acanthamoeba, que também é encontrado na água da torneira e pode provocar inflamações graves, como a ceratite, que ataca a córnea e quando agravada reduz a visão.

“Para manter a umidificação dos olhos, o melhor é pingar um lubrificante prescrito pelo médico.

Sem alternativa, o soro pode ser usado, mas prefira o produto em versão flaconete, que é pequena e pode ser descartada após o uso”, indica o oftalmologista Omar Assae, do Hospital Cema, em São Paulo.

Questionado se o soro, por conter sal, provocaria secura ocular, o médico responde que isso é improvável, pois sua composição contém apenas 0,9%.

Batista complementa o colega e explica que eventuais irritações oculares provocadas pelo líquido não se devem à presença do sal, mas à sua composição geral, que é diferente da lágrima, que é mais complexa.

Por esse motivo, o soro também não serve para higienizar lentes de contato.

Nesse caso, os especialistas sugerem soluções específicas, indicadas por oftalmologistas e fabricantes e que contenham agentes antibacterianos em sua fórmula.

Colírio não é tudo igual

Pessoas que não apresentam sintomas oculares como ardor, vermelhidão, secreção, coceira e vista embaçada dificilmente precisam usar qualquer tipo de colírio. Já as que ficam com os olhos ressecados e avermelhados, eventualmente por conta de poluição, ar-condicionado e esforço de leitura, podem se aliviar com colírios hidratantes, chamados de lágrimas artificiais.

“Porém, sem indicação, mesmo esses colírios tornam-se prejudiciais”, afirma Campos. É que se forem aplicados sem necessidade, podem deixar os olhos mais suscetíveis a infecções como viciados e tolerantes, sendo necessário recorrer a alternativas cada vez mais fortes e sem certeza de eficácia.

Efeito similar tem os colírios vasoconstritores, se pingados com muita frequência. Como clareiam os olhos, eles também podem camuflar doenças, uma vez que cessam os sintomas de que os olhos não andam bem, como veias dilatadas e vermelhidão.

Apesar de serem esses tipos de colírios os mais comercializados, existem outros, compostos por diferentes substâncias químicas e que podem servir como antibióticos, anti-inflamatórios, analgésicos, antialérgicos e mesmo dilatadores de pupila.

Sendo a variedade tão grande e complexa, precisam ser comprados sob orientação médica, pois, como já mencionado, seu uso indiscriminado pode resultar em complicações diversas, incluindo doenças graves, como catarata e glaucoma.

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/12/01/atencao-com-a-sua-saude-ocular-nao-use-qualquer-coisa-para-lavar-os-olhos.htm

O que é água boricada, para que serve e como usar?

O que é água boricada, para que serve e riscos

Saber o que é água boricada é uma dúvida recorrente, uma vez que, há muitos sites oferecendo receitas com esse produto.

Trata-se, então, de uma solução preparada com 3% de Ácido bórico (H3BO3), que vem do elemento químico boro.

Algumas preparações de ácido bórico podem causar irritação da pele e podem até mesmo ser tóxicas se ingeridas.

Sendo assim, pode parecer uma substância química perigosa, mas o ácido bórico possui uma gama de usos tanto na área de saúde tratando infecções fúngicas, como em preparações em produtos caseiros de limpeza.

Você pode encontrar ácido bórico em:

  • Antissépticos e adstringentes
  • Esmaltes de unha
  • Fabricação de fibra de vidro
  • Loções para a pele
  • Alguns kits laboratoriais para exame de sangue
  • Alguns pesticidas de roedores e formigas
  • Produtos químicos de revelação fotográfica
  • Produtos para controle de baratas
  • Alguns produtos para lavagem dos olhos

⚠️ Perigo no manuseio do ácido bórico: O ácido bórico é um pó branco e cristalino, que é um componente de certos minerais e águas vulcânicas ou fontes termais.

Contudo, seu manuseio deve ser evitado, sobretudo sem equipamentos de proteção.

Embora o composto seja popular, ele é tóxico se ingerido.

Por isso, é importante evitá-lo em casas com animais de estimação e crianças.

Além de entender o que é água boricada, muita gente quer saber para que serve essa solução.

A água boricada é um produto do ácido bórico.

Uma preparação muito fraca com pouquíssimo do ácido, apenas 3%, às vezes menos.

Então, esse componente confere propriedades antissépticas para uso tópico.

Contudo, a água boricada não deve ser ingerida em hipótese alguma, pois, pode causar intoxicação.

Mesmo assim, a água boricada é indicada para uma série de problemas como fungos vaginais e limpeza ocular.

É importante que sua leitura não pare aqui e que todas as considerações sejam levadas em conta.

1- Micose vaginal

O ácido bórico está presente em algumas fórmulas de medicamentos intravaginais contra fungo.

Um estudo publicado no Disease Control and Prevention [1] analisou os tratamentos disponíveis para doenças sexualmente transmissíveis.

Os  autores constataram que as cápsula de gelatina intravaginais contendo ácido bórico eliminaram o fungo Candida albicans, causador da candidíase em 70% dos casos.

Ao mesmo tempo, uma publicação na revista Diabetes Care [2] descobriu que os supositórios vaginais contendo ácido bórico eram mais eficazes contra os sintomas da candidíase  em mulheres diabéticas do que a medicação oral comum.

Aliás, o banho de assento Lucretin [bula] da Farmasa, por exemplo, contém ácido bórico como principal princípio ativo. Além de explicar o que é água boricada e ácido bórico, a bula indica o uso para vulvovaginites, tricomoníase, candidíase, leucorreias e pós-operatório ginecológico.

Embora não tenhamos encontrado um estudo científico comprovando a eficácia, ao que parece fazer banho de assento com água boricada pode funcionar bem contra micose vaginal.

2- Lavagem dos olhos

Muita gente quer saber se água boricada pode ser usada para lavar os olhos.

Na verdade, um estudo publicado no periódico Clinics [3] por médicos brasileiros revelou que as lavagens oculares com água boricada chegam a 53% dos tratamentos caseiros relatados pelos pacientes.

De fato, diversos medicamentos para limpeza ocular listam a presença de ácido bórico na sua fórmula, como o Higicler [bula] e o Colírio Legrand [bula].

Dessa forma, lavar os olhos com água boricada tem sido a preferência de muitas pessoas.

Acredita-se que as propriedades antibacterianas e antifúngicas são suaves.

Isso significa que ele pode ajudar a retardar ou impedir o crescimento de bactérias ou fungos no olho, sem causar problemas.

Ao mesmo tempo, pode ser usado como um agente de ajuste de tonicidade para tornar as lavagens oculares mais compatíveis com o ambiente químico do olho.

Mas, nem tudo são flores. Uma publicação no Arquivos Brasileiros de Oftalmonologia [4] revelou que a aplicação incorreta da água boricada pode agravar quadros infecciosos.

Os autores dizem que os frascos de água boricada podem ser veículos de transferência de micro-organismos patógenos para os olhos.

No estudo, as tampas de frascos que continham água boricada tinham bactérias da espécie Staphylococus aureus.

Ao mesmo tempo, na conjuntiva do paciente foi encontrada a bactéria Morganella morganii.

Ao mesmo tempo, o uso de lavagens oculares com água boricada pode ter alguns efeitos colaterais negativos, que podem incluir:

4- Paroníquia

Uma publicação da The Oncologist [5] estudou tratamentos alternativos para pacientes de câncer que estavam em processo de quimioterapia e radioterapia.

Para paroníquia, uma infecção da pele que rodeia a unha, habitualmente causada pela levedura Candida albicans e, mais raramente, por bactérias, os autores recomendaram o uso de água boricada para lavagem do local.

O que é água boricada e para que serve? Estudos indicam o uso para assepsia de paroníquia da unha.

Qual a Diferença dentre Água Boricada e Soro Fisiológico?

São soluções completamente diferentes.

Como já dito, água boricada é uma mistura de água e ácido bórico, possui ação antisséptica, atuando como antibacteriano e antifúngico.

Por outro lado, o soro fisiológico é feito com 0,9% de cloreto de sódio.

O soro, então, pode ser usado como descongestionante nasal e muitos outros usos médicos, como hidratação, por exemplo.

Outros usos do ácido bórico

O ácido bórico tem vários usos domésticos, médicos e industriais.

Dessa forma, pode aparecer em produtos que vão desde garrafas de amostras de urina a tratamentos com inseticidas.

Piscinas

Os proprietários de piscinas usam ácido bórico para manutenção.

A substância, a saber, pode ajudar a estabilizar o nível de pH da água e evitar problemas com algas.

Ao mesmo tempo, sua utilização a quantidade de cloro na piscina.

O composto pode ajudar a manter a água limpa e brilhante.

Frascos de urina

Os frascos de amostras de exame de urina podem conter ácido bórico como conservante.

O objetivo é manter a qualidade da urina até o momento da análise em laboratório.

Dessa forma, evitará a ação precoce de fungos e bactérias.

Inclusive, pesquisas mostram que a adição dessa substância ajuda a diminuir os resultados falso-positivos.

Também preserva os leucócitos na urina para análise.

Mata baratas

Uma das formas mais conhecidas de acabar com infestação de baratas é, justamente, usando o ácido bórico. Em uma publicação do College Of Agriculture, Food and Enviroment [6], o autor revelou que para o controle de baratas, o ácido bórico tende a ser mais eficaz.

Baratas sucumbem ao ácido bórico depois de rastejar sobre superfícies tratadas.

As minúsculas partículas de pó aderem ao corpo do inseto e são ingeridas quando a barata as preenche de suas pernas e antenas.

O ácido bórico retém sua potência quase indefinidamente desde que o depósito de poeira permaneça seco.

️ Atenção: Nunca use ácido bórico internamente pela boca, em feridas abertas ou em crianças. A ingestão de ácido bórico pode ser fatal. Agora que você sabe o que é água boricada, se ingerir o produto, procure atendimento médico de emergência.

Artigos médico-científicos: Disease Control and Prevention [ 1 ] Diabetes Care [ 2 ] Clinics [ 3 ] Arquivos Brasileiros de Oftalmonologia [ 4 ] The Oncologist [ 5 ]  College Of Agriculture, Food and Enviroment [ 6 ]

Источник: https://diariodebiologia.com/2019/02/o-que-e-agua-boricada/

Alergias e infecções nos olhos: 8 dicas para evitar o problema

O que é água boricada, para que serve e riscos

Os olhos são responsáveis por traduzir para o cérebro cerca de 80% das informações que recebemos, transformando a luz emitida pelos objetos em uma imagem nítida na retina. Por isso é importante o acompanhamento oftalmológico para evitar alergias e infecções nos olhos.

A Dra. Luciana Olivalves, especialista em córnea e doenças oculares externas do H.Olhos – Hospital de Olhos, elenca oito dicas, que fazem a diferença no zelo com os olhos, evitando alergias e infecções. Confira!

1. Mantenha os cílios e pálpebras limpas

Poucas pessoas se atentam à higienização dos cílios e das pálpebras. É preciso limpá-los com soluções específicas ou com xampu neutro diluído em água morna.

Sem essa higienização, a oleosidade em excesso, produzida pelas glândulas da borda palpebral, acumulará gordura, levando à obstrução das glândulas (hordéolo/terçol), evaporação da lágrima (olho seco evaporativo) e aumento do número de bactérias.

2 Tome cuidado com maquiagem

A maquiagem é feita para embelezar, porém, sem removê-la com produtos adequados, pode obstruir as glândulas da margem palpebral.

Além disso, pode gerar inflamação local, irritação da conjuntiva e da córnea, ou seja, aumentando o risco de alergias e infecções nos olhos e nas áreas próximas.

3. Lave bem as mãos

As mãos são portas para bactérias, vírus e outras substâncias que podem causar irritaçōes, alergias e quadros infecciosos.

Lavar as mãos com frequência e evitar colocá-las nos olhos são medidas importantes para prevenir doenças.

4. Não utilize colírio sem indicação médica

A automedicação é um erro que em muitos casos pode levar a complicações severas. O uso indiscriminado de colírios provoca problemas, como:

  • conjuntivite química;
  • ceratite medicamentosa;
  • aumento da pressão intraocular;
  • catarata;
  • olho vermelho crônico por efeito rebote (causado por colírios contendo vasoconstritores).

Os lubrificantes oculares ou lágrimas artificiais podem ser usados no dia a dia, preferencialmente, os sem conservantes.

5. Não compartilhe objetos pessoais

Ao compartilhar objetos pessoais, doenças como conjuntivites virais e bacterianas podem ser transmitidas.

Não se deve usar objetos de outras pessoas, como toalha de rosto, maquiagem e até mesmo colírios, pois favorecem o contágio.

6. Evite água boricada e soro fisiológico

A água boricada não deve ser usada nos olhos, pois contém ácido bórico em sua composição, o que pode causar alergias e ser um agravante  da inflamação.

O soro fisiológico, apesar de se parecer mais com a lágrima, contém sal (sódio), podendo ser uma fator irritativo aos olhos já inflamados.

O ideal é usar água mineral ou filtrada, além dos colírios lubrificantes.

7. Atenção às lentes de contato

Usuários de lentes de contato devem redobrar o cuidado, pois, em caso de descuido,  podem ser infectados pelo protozoário Acanthamoeba, encontrado na água da torneira, no soro fisiológico e no estojo das lentes, quando não armazenadas  e cuidadas adequadamente.

Esse protozoário pode gerar ceratite, que, normalmente, demanda tratamento de no mínimo seis meses, além de reduzir significativamente a visão do paciente.

Além de lavar bem as mãos, higienizar e guardar corretamente as lentes em soluções adequadas, é preciso trocá-las no tempo correto. Por isso, siga sempre as orientações do seu oftalmologista e do fabricante. O uso prolongado e o costume de dormir com as lentes elevam os riscos de infecção e de intolerância em longo prazo.

Para diminuir os riscos, há produtos específicos para higiene das lentes, que eliminam bactérias, fungos e protozoários.

8. Óculos são de uso individual

Os óculos devem se encaixar anatomicamente ao rosto e aos olhos, funcionando como proteção a qualquer exposição.

Para quem gosta de nadar, por exemplo, os óculos devem ter uma vedação adequada, impedindo o contato dos olhos com a água, mas sem gerar pressão no globo ocular.

Os óculos escuros, por outro lado, são um aliado contra o sol. O acessório deve filtrar entre 99% e 100% de toda a radiação UV (abaixo dos 400 nm), filtrar a radiação azul (entre 400 e 500 nm) e cobrir a região ao redor dos olhos.

Além disso, os óculos escuros auxiliam no combate ao envelhecimento da pele das pálpebras. Entretanto, é importante ressaltar que produtos de procedência duvidosa, sem garantia e nota fiscal, não devem ser utilizados.

É fácil evitar alergias e infecções nos olhos?

A resposta é sim! Ao menos de acordo com a especialista da H.Olhos, Dra. Luciana Olivalves.

“Essas são dicas simples, mas eficientes para prevenir as alergias e infecções nos olhos. Contudo, uma visita anual ao oftalmologista é imprescindível, sejam crianças, adultos ou idosos.”, finaliza a profissional.

Источник: https://www.hospitalholhos.com.br/noticia/alergias-e-infeccoes-nos-olhos-8-dicas-para-evitar-o-problema/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: