O que é colite ulcerativa, sintomas e como é o tratamento

Colite ulcerativa: causas, sintomas, tratamentos

O que é colite ulcerativa, sintomas e como é o tratamento

A colite ulcerativa é uma doença que afeta o cólon, causandouma inflamação e ulceração de sua camada mais superficial. As suas causas podem envolver fatores genéticos, ambientais e imunológicos.

Quando a colite ulcerativa afeta apenas o reto, ou seja, a parte inferior do cólon, ela é denominada de proctite ulcerativa. Se a doença afetar apenas o lado esquerdo do cólon, ela é chamada de colite distal ou limitada.

Se envolver todo o cólon, é pancolite, ou colite universal ou hemicolite esquerda.

Essa doença se manifesta por meio de sintomas como diarreia, que pode conter sangramento, e dor abdominal. O diagnóstico é realizado pela análise dos sintomas, histórico familiar e exames complementares laboratoriais e de imagem. O tratamento é feito com o objetivo de controlar a inflamação e tratar os sintomas, melhorando a qualidade de vida do indivíduo.

A colite ulcerativa se assemelha a diversas outras doenças intestinais, como a doença de Crohn. No entanto, diferenciam-se por alguns fatores, como a forma em que se apresentam. Enquanto a colite ulcerativa é uma inflamação e ulceração das camadas superficiais do cólon, a doença de Crohn causa uma inflamação de toda a espessura da parede intestinal.

Veja também: Sistema digestório – sistema responsável por permitir a absorção dos nutrientes ingeridos

A colite ulcerativa é uma doença caracterizada por uma inflamação e ulceração da camada mais superficial do cólon.

A colite ulcerativa é uma doença crônica que afeta o cólon (intestino grosso). Essa doença se caracteriza por uma inflamação e ulceração da camada mais superficial dessa região e afeta principalmente indivíduos entre 15 e 30 anos. São raros os casos dessa doença em indivíduos com idade entre 50 e 70 anos.

A colite ulcerativa pode afetar:

  • todo o cólon, sendo denominada de pancolite, colite universal ou hemicolite esquerda;
  • apenas o reto, ou seja, a parte inferior do cólon, sendo denominada de proctite ulcerativa;
  • apenas o lado esquerdo do cólon, sendo denominada de colite distal ou limitada.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Causas da colite ulcerativa

A colite ulcerativa não tem uma causa conhecida, no entanto acredita-se que ela seja multifatorial, ou seja, vários fatores podem contribuir para o seu desenvolvimento. Três fatores estão relacionados ao desenvolvimento dessa doença: genético, ambiental e imunológico.

Indivíduos geneticamente predispostos podem ter contato com algum fator ambiental (os quais ainda não são claros) e, assim, o sistema imunológico desenvolve uma resposta que desencadeia um processo inflamatório no intestino, que não é controlado e acaba por desenvolver a colite ulcerativa.

Leia também: Imunidade – mecanismo de defesa do organismo contra antígenos

Sintomas da colite ulcerativa

A colite ulcerativa se manifesta por meio de diarreia, a qual pode conter sangue e muco, devido à ulceração que ocorre no intestino.

Entretanto, quando a doença se limita ao cólon sigmoide e ao reto, as fezes podem ser duras e secas, podendo também apresentar sangue e muco.

O doente pode apresentar também dor abdominal, inflamação do revestimento abdominal, náuseas e febre.

Um dos sintomas da colite ulcerativa é a dor abdominal.

O diagnóstico é realizado pela análise dos sintomas, histórico familiar e exames complementares para eliminar a possibilidade de outras doenças, já que os sintomas são semelhantes aos de outras enfermidades. Os exames realizados para o diagnóstico da colite ulcerativa são:

  • exame de fezes;
  • exame de sangue;
  • sigmoidoscopia (exame do reto e terço inferior do cólon);
  • colonoscopia (exame da parte final do intestino delgado e todo o cólon).

Tratamento da colite ulcerativa

O tratamento da colite ulcerativa consiste na utilização de medicamentos para reduzir a inflamação e tratar os sintomas. Ele pode ser realizado por longos períodos ou até mesmo por toda a vida, de forma a manter a doença controlada e melhorar a qualidade de vida do indivíduo. Em alguns casos, pode ser necessária a realização de procedimento cirúrgico.

Diferença entre colite ulcerativa e doença de Crohn

A colite ulcerativa apresenta sintomas muitos semelhantes aos de outras doenças intestinais, como a doença de Crohn. Embora apresentem alguns sintomas parecidos, como diarreia, dor abdominal e febre, elas são doenças distintas.

A colite ulcerativa é uma inflamação e ulceração das camadas superficiais do cólon. Já a doença de Crohn é uma inflamação de toda a espessura da parede intestinal, principalmente na parte mais baixa do intestino delgado e grosso, mas pode afetar também todo o trato digestório.

As duas doenças também se diferenciam em relação à forma como se apresentam. A colite ulcerativa causa uma inflamação contínua no cólon. A inflamação desencadeada na doença de Crohn não é contínua, intercalando muitas vezes áreas normais com zonas afetadas.

Vale dizer também que ambas apresentam causas desconhecidas e podem estar relacionadas a inúmeros fatores. A colite ulcerativa está relacionada a fatores genéticos, ambientais e imunológicos. Já a doença de Crohn está relacionada a fatores imunológicos, infecções e dieta.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Источник: https://www.biologianet.com/doencas/colite-ulcerativa.htm

Colite ulcerosa

O que é colite ulcerativa, sintomas e como é o tratamento

A colite ulcerosa, colite ulcerativa ou retocolite ulcerativa é uma doença crónica que consiste numa inflamação do intestino e/ou úlceras do cólon (intestino grosso). Esta doença pode provocar sintomas gastrointestinais tais como: hemorragia, diarreia e dor abdominal.

Normalmente, o cólon ou intestino grosso é dividido em 5 partes, sendo que da parte proximal (zona mais próxima do intestino delgado) até à distal se designam por: cego, ascendente, transverso, descendente e sigmóide.

O reto constitui o segmento mais distal, imediatamente acima do canal anal.

A inflamação intestinal quase sempre afeta o reto (proctite ulcerosa) e a parte final do intestino grosso, mas pode afetar todo o cólon (pancolite ulcerosa ou pancolite ulcerativa).

A colite ulcerosa, assim como a doença de Crohn, faz parte de um grupo de doenças designadas como doenças inflamatórias do intestino.

Colite ulcerosa – causas

As causas da colite ulcerosa ainda não são completamente conhecidas.

Alguns estudos demonstram que pessoas com risco aumentado de ter colite ulcerosa (risco esse que foi possivelmente transmitido por membros da família) quando expostas a um “gatilho”, como por exemplo uma infeção, poderão desenvolver a doença.

De facto, a genética detém um papel importante no desenvolvimento desta doença. Entre 10% a 25% dos doentes com colite ulcerosa possuem um parente de primeiro grau (pais ou irmãos) com doença inflamatória do intestino (colite ulcerosa ou doença de Crohn).

Saiba, aqui, o que é doença de Crohn.

A colite ulcerativa pode ainda surgir após cessação do tabagismo. No entanto, nenhum fator se provou ainda ser o “desencadeador” definitivo desta doença.

Saiba, de seguida, quais são os sintomas da colite ulcerosa.

Colite ulcerosa – sintomas

Os sinais ou sintomas da colite ulcerosa podem ser ligeiros, moderados ou graves e podem ainda variar ao longo do tempo. Os sintomas mais comuns são: sangramento retal, saída de muco pelo ânus, diarreia, dor abdominal, anemia, perda de peso ou episódios de obstipação (intestino preso).

Os doentes com colite ulcerosa podem também apresentar sintomas extra intestinais sendo os mais frequentes as dores articulares. A inflamação geralmente surge nas grandes articulações como ancas e joelhos causando inchaço e dor.

Podem ainda existir alterações em outros órgãos como: olhos, pele (manchas na pele) e, menos comumente, pulmões.

Estes sintomas extra intestinais ocorrem mais frequentemente quando a colite ulcerosa está ativa (durante um surto da doença).

Saiba, de seguida, como diagnosticar a colite ulcerosa.

Diagnóstico da colite ulcerosa

diagnóstico da colite ulcerosa é feito com base nos sintomas acima descritos e nos resultados dos: exame físico, exames laboratoriais e imagiológicos tal como ecografia abdominal e colonoscopia.

Para realizar o diagnóstico é fundamental efetuar uma retosigmoidoscopia ou colonoscopia total. Durante esses procedimentos é possível colher amostras (biópsias) do intestino, sendo que o resultado histológico poderá confirmar o diagnóstico de colite ulcerosa e excluir outras doenças que se apresentam com sinais e sintomas semelhantes.

Saiba, aqui, o que é colonoscopia total.

Complicações da colite ulcerosa

As complicações da colite ulcerosa são várias. Na maioria dos casos as agudizações da doença são pouco graves e respondem bem ao tratamento, contudo, podem surgir situações potencialmente graves tal como cancro colorretal, e em último caso existe risco de morte.

De facto, os doentes com colite ulcerosa apresentam um risco aumentado de cancro colorretal estando esse risco relacionado com a extensão da inflamação no intestino e o tempo de duração da doença. Isto é, pessoas que tenham a doença por um período de tempo maior e áreas mais extensas de inflamação intestinal possuem um risco mais elevado de cancro.

O cancro colorretal surge a partir de lesões intestinais pré-malignas, algumas das quais crescem lentamente. Estas lesões são detetáveis através da colonoscopia.

Saiba, aqui, tudo sobre colonoscopia.

Colite ulcerosa tem cura?

Embora a colite ulcerosa seja uma doença crónica, isto é, não tenha cura definitiva, atualmente pode ser controlada.

Assim, a maioria das pessoas com colite ulcerosa é capaz de viver uma vida ativa e com qualidade.

O controlo adequado da colite ulcerosa pressupõe a toma de medicação e a consulta regular com um médico especialista em doenças do aparelho digestivo (gastrenterologista).

Saiba, de seguida, como tratar a colite ulcerosa.

Colite ulcerosa – tratamento

O tratamento da colite ulcerosa, após diagnóstico deve ser orientado pelo médico gastrenterologista.

O tratamento passa, usualmente, pela prescrição de medicamentos (ou remédios) que pretendem atingir dois objetivos: aliviar os sintomas (obtendo assim remissão da doença) e impedir a recidiva dos sintomas, isto é, manter a remissão da doença.

O tratamento medicamentoso pode incluir vários fármacos distintos, entre eles: corticoides, 5-aminossalicilatos, azatioprina e infliximab, entre outros.

Não existe qualquer tipo de tratamento caseiro ou natural para esta doença. O doente não deve automedicar-se (tomar qualquer tipo de medicação sem prescrição médica) e deve cumprir o plano terapêutico instituído pelo seu médico.

Em alguns casos, quando não é possível o tratamento médico, o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação) pode constituir uma opção terapêutica. Existem várias cirurgias que podem ser recomendadas para tratar a colite ulcerosa. É importante discutir os benefícios e riscos da cirurgia com o seu médico.

Colite ulcerosa – alimentação

A dieta alimentar na colite ulcerosa deverá ser equilibrada, sendo que uma alimentação adequada e nutritiva pode ajudar a manter a saúde e peso corporal normal. Um doente com colite ulcerosa deve manter uma dieta saudável e pode comer alimentos de todos os grupos alimentares.

No entanto, muitos doentes podem reconhecer alimentos que agravam os sintomas sendo razoável evitar esses mesmos alimentos. O doente poderá fazer a toma de um suplemento nutricional nos casos em que existam restrições na dieta em vários alimentos.

A intolerância à lactose pode ocorrer em pessoas com colite ulcerosa, isto é, o doente pode não ser capaz de digerir o açúcar (lactose) contido em produtos lácteos desenvolvendo sintomas como: diarreia, dor abdominal ou flatulência. Os sintomas de intolerância à lactose podem ser minimizados, evitando produtos lácteos ou consumindo produtos sem lactose.

Como prevenir a colite ulcerosa?

A prevenção da doença não é possível uma vez que a causa para a colite ulcerosa é, ainda, desconhecida. Contudo, é possível minimizar o risco de agudizações da doença, através do cumprimento do tratamento instituído pelo médico. Os medicamentos (ou remédios) anti-inflamatórios podem agravar a sintomatologia.

No passado, pensava-se que os hábitos alimentares, o stress e os fatores emocionais podiam ser responsáveis pelo surgimento da colite ulcerosa. No entanto, essa hipótese nunca se veio a confirmar. Contudo, a exposição ao stress pode ser responsável pelo agravamento dos sintomas da doença, pelo que deve tomar medidas que permitam combate-lo.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/gastrenterologia/colite-ulcerosa/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: