O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

MENARCA – Primeira menstruação da vida

O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

A primeira menstruação da vida de uma mulher recebe o nome de menarca. Este evento ocorre habitualmente entre os 10 e 14 anos de idade.

Aos 15 anos, mais de 95% das meninas já terão tido a sua primeira menstruação, motivo pelo qual essa é a idade considerada limite para o surgimento da menarca. As meninas que completam 16 anos sem nunca terem menstruado devem ser avaliadas por um(a) ginecologista, para que ele(a) possa investigar os motivos de tal atraso.

A menarca é uma das manifestações da puberdade, mas não é a única nem a mais precoce. Várias alterações no corpo das meninas podem ser notadas antes do surgimento da menarca e servem de aviso para a chegada da primeira menstruação.

Como surge?

A menarca surge porque os ovários das mulheres começam a produzir hormônios a partir do início da puberdade. A primeira menstruação é apenas uma das muitas alterações que o corpo da mulher sofre por influência hormonal ao longo da adolescência.

O surgimento da menstruação marca o início da vida fértil da mulher, apesar da primeira menstruação em si não estar necessariamente associada a uma ovulação.

A primeira menstruação pode ocorrer exclusivamente por ação do estrogênio sobre o endométrio, que é o tecido que recobre a parede interna do útero.

Após a menarca, porém, a tendência é que a menina comece a ovular, inicialmente de forma irregular, o que se traduz por ciclos menstruais também irregulares, e, posteriormente, com o passar dos anos, de forma mais regular e previsível.

Portanto, após a menarca, qualquer atividade sexual sem métodos contraceptivos pode resultar em uma gravidez. O surgimento da primeira menstruação é uma ótima oportunidade para que os pais conversem sobre métodos anticoncepcionais e levem a menina para uma primeira avaliação do ginecologista (leia: 20 Métodos Anticoncepcionais e Suas Taxas de Sucesso).

Quando costuma ocorrer?

Curiosamente, ao longo dos últimos 150 anos, a idade da menarca tem vindo a baixar progressivamente. Relatos do século XIX nos mostram que a primeira menstruação ocorria em média entre 16 e 17 anos de idade. Ao redor de 1920, a média de idade da menarca já havia caído para 14 e 15 anos, e, desde a segunda metade do século XX encontra-se ao redor de 12 e 13 anos.

Vários fatores podem explicar essa tendência de redução da idade da menarca, entre eles, mudanças na dieta ao longo das gerações, percentual de gordura das meninas, sedentarismo, exposição ao fumo, consumo de álcool, fatores socioeconômicos, estresse, etc. O fator individualmente mais importante, porém, ainda é a história familiar. As meninas cujas mães tiveram uma menarca tardia tendem a menstruar mais tarde também.

Atualmente, a menarca costuma ocorrer entre 10 e 14 anos, sendo a média entre 12 e 13.

Quais são os sinais que sugerem que a menarca está próxima?

Como já referido, a menarca é um dos marcos da puberdade, mas não é o primeiro deles. Anos antes da menarca, o corpo da menina já começa a passar por várias transformações, induzidas pelo início da produção de hormônios sexuais pelos ovários. Em geral, a menarca costuma surgir 2 a 2,5 anos após o início da puberdade.

O primeiro sinal do início da puberdade costuma ser a aceleração do crescimento, chamado de estirão puberal.

Entretanto, nos primeiros anos da puberdade, essa aceleração ainda não é tão nítida, e, na maioria dos casos, o primeiro sinal perceptível é o surgimento do broto mamária, chamado de telarca.

Em 15% das meninas, o aparecimentos dos primeiros pelos pubianos, evento chamado de pubarca, ocorre antes da telarca e acaba por ser o sinal perceptível mais precoce da puberdade. Portanto, a primeira menstruação ocorre, habitualmente, cerca de 2 anos depois da telarca ou da pubarca.

Entre  6 a 12 meses antes da menarca, o aumento da produção de estrogênio pelos ovários gera alterações na mucosa da vagina, o que provoca o surgimento de um corrimento vaginal fisiológico.

Esse corrimento que surge nos primeiros anos de puberdade é habitualmente fino, de coloração esbranquiçada, não tem odor e não provoca coceira ou ardência. Ele é um corrimento benigno e não tem nenhum significado clínico.

Se você quiser conhecer as caraterísticas dos diferentes tipos de corrimento vaginal, leia: Tipos de Corrimento Vaginal: Branco, Amarelo, Marrom…

Cerca de 6 meses antes da menarca, a menina passa pela fase final do estirão puberal, que é a fase da adolescência com maior velocidade de crescimento. Meses antes da menstruação, a menina chega a ter uma velocidade de crescimento de 8 a 10 cm por ano.

Quando a menstruação chega, a menina já alcançou cerca de 96% da sua altura final, e a velocidade de crescimento cai, anunciando o fim do estirão puberal. Portanto, após a menarca, a menina não para de crescer, ela apenas o faz de modo menos intenso e mais lento.

Uma menina que tenha 1,60 metro de altura durante a menarca ainda pode crescer até 1,66 ou 1,67 metro nos próximos 2 ou 3 anos.

O que fazer se a primeira menstruação não tiver aparecido até os 16 anos?

A ausência de menstruação chama-se amenorreia. A amenorreia é dividida em duas formas: primária e secundária. Quando a menstruação para de descer em mulheres que já menstruaram alguma vez na vida, chamamos de amenorreia secundária. Quando a mulher chega aos 16 anos* sem nunca ter menstruado, dizemos que ela tem amenorreia primária.

* Alguns médicos consideram 15 anos, em vez de 16, a idade limite para a dizer que a menina tem amenorreia primária.

Portanto, se uma menina tem crescimento normal e já apresenta sinais da puberdade, mas aos 15-16 anos ainda não apresentou a menarca, ela deve fazer uma visita ao ginecologista para investigar a causa.

Essa visita ao ginecologista deve ser antecipada, caso aos 13 anos de idade a menina não tinha tido a sua menarca e também não apresente nenhum sinal do início da puberdade.

A ausência da menstruação, da telarca e da pubarca aos 13 anos é um sinal de puberdade tardia e precisa ser investigada.

É importante sempre saber a idade da menarca da mãe. Se a mãe teve sua menarca somente aos 15 ou 16 anos, podemos ficar mais descansados, pois o mais provável é que a filha tenha a sua primeira menstruação com mais ou menos a mesma idade. Por outro lado, se a mãe teve sua menarca aos 12 anos e a filha aos 15 ainda não menstruou, isso é um indício de que possa haver algum problema.

Sintomas

Dias antes da descida da primeira menstruação, a mulher pode começar a ter, pela primeira vez, os sintomas da famosa tensão pré-menstrual (TPM). Alterações de humor, retenção de líquidos, aumento da sensibilidade das mamas, cólicas abdominais e câimbras são sinais e sintomas comuns.

Quando a primeira menstruação descer, o habitual é que menina note inicialmente um borrão de sangue na calcinha ou no vaso sanitário.

Como é a primeira menstruação?

O aspecto da primeira menstruação varia de caso a caso, mas o mais comum é que o fluxo seja fraco. Há meninas, porém, que desde a primeira menstruação já apresentam grande fluxo menstrual.

A cor da menstruação varia de acordo com o tempo de sangramento e com o fluxo. O sangue da menstruação costuma ser vermelho meio escuro, quase vinho. Porém, quando ele fica muito tempo em contato com o ar, o sangue oxida e torna-se mais escuro.

Portanto, no inicio da menstruação, o sangue tende a ser mais vivo, mas com o passar dos dias ele vai ficando mais escuro. Se o fluxo for grande, o sangue é eliminado mais rapidamente e tem menos tempo para ser oxidado.

Por outro lado, se desde o início o fluxo menstrual for pequeno, o sangue demora mais tempo para ser eliminado e acaba ficando mais escurecido.

A existência de “bolinhas” na menstruação é perfeitamente normal e indica apenas a presença de coágulos.

A menstruação não é um sangramento ativo, como aquele que ocorre quando nos machucamos; a menstruação é a descamação da parede interna do útero.

Portanto, o que é expulso pela vagina é uma mistura de tecidos, glândulas, muco, secreções, sangue coagulado, vasos sanguíneos e outras estruturas que faziam parte da parede do endométrio.

Se você quiser saber mais sobre a menstruação, leia: 30 PERGUNTAS SOBRE MENSTRUAÇÃO.

O que ocorre após a primeira menstruação?

A primeira menstruação costuma durar entre 3 a 8 dias e depois desaparece. Não espere nenhuma alteração nítida no seu aspecto imediatamente após a menarca. Se você não contar, ninguém vai saber que você já menstruou.

O dia que a segunda menstruação virá é sempre uma incógnita. Como o ciclo hormonal da menina ainda é muito imaturo, a ovulação ocorre de forma imprevisível. O próxima menstruação pode vir no mês seguinte ou somente 2 meses depois. Nos primeiros dois anos, a principal característica do ciclo menstrual é ser irregular e pouco previsível.

Não é incomum que a menina apresente alguns sangramentos vaginais no meio do ciclo. Em muitos casos, esse sangramento é até mais volumoso que o da menstruação.  Essa perda de sangue vaginal é chamada sangramento anovulatório disfuncional.

A diferença deste sangramento para a menstruação é o fato dele ocorrer com menos de 24 ou mais de 38 dias de intervalo, não provoca sintomas, tais como cólicas ou retenção de líquidos, costuma ter grande volume e não está associado a uma ovulação.

Meninas virgens podem usar absorventes internos?

Sim, o hímen normal é uma membrana em forma de anel, com um orifício no seu centro. É por esse orifício que sai o sangue da menstruação e é nele que o absorvente interno se acomoda. A escolha entre absorvente externo ou interno é pessoal e depende de fatores como conforto e o volume da menstruação.

Referências

  • Normal puberty – UpToDate.
  • Your First Period (Especially for Teens) – American College of Obstetricians and Gynecologists.
  • Physiology, Menarche – StatPearls.
  • Zitelli BJ, et al. Pediatric endocrinology. In: Pediatric Physical Diagnosis. Philadelphia, Pa.: Elsevier; 2018.
  • Kliegman RM, et al. Disorders of puberty. In: Nelson Textbook of Pediatrics. 20th ed. Philadelphia, Pa.: Elsevier; 2016

Источник: https://www.mdsaude.com/ginecologia/menstruacao/primeira-menstruacao-menarca/

Puberdade precoce: atenção aos sinais | Blog Leiturinha

O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

Sabe aquele momento em que os pequenos mudam o comportamento e a famosa rebeldia pré-adolescente se instala? Pois é…. essa mudança repentina de “modos” está intimamente relacionada às mudanças biológicas dessa fase, a famosa puberdade.

No entanto, embora este seja um processo natural do corpo, em alguns casos ele pode acontecer antecipadamente, sendo denominada puberdade precoce. Quando isso acontece, algumas consequências, como a desaceleração do desenvolvimento, podem impactar a vida das crianças.

Mas como saber quais os sinais, as causas e o tratamento para a puberdade precoce?

Sinais que indicam puberdade precoce

Existem sintomas que são específicos por gênero e os que são comuns. Entretanto, é importante ressaltar que a puberdade precoce acomete até dez vezes mais meninas do que meninos. E, para além disso, os sintomas são mais visíveis nas meninas. Embora seja mais frequente e fácil de perceber nas pequenas, também é necessário muita atenção para os sinais dos pequenos.

A menarca – a primeira menstruação das mulheres – quando acontece antes dos oito anos de idade é o sinal mais claro de puberdade precoce. Entretanto, já é um sintoma tardio. Desta forma é importante se atentar a outras mudanças no corpo das meninas para procurar ajuda profissional antes disso.

Mas, afinal, como saber se meu filho sofre de puberdade precoce?

A puberdade acontece entre oito e treze anos de idade para as meninas e, para os meninos, entre os nove e quatorze anos. Qualquer manifestação dos sintomas que contamos abaixo antes dessas idades, é um sinal claro de puberdade precoce.

Para as meninas:

– Surgimento do broto mamário, ou seja, os primeiros sinais de seios;
– Cintura começa a ficar mais fina e o quadril a acumular mais gorduras;
– Crescimento dos ovários – com a possibilidade de cistos;
– Menarca.

Para os meninos:

– Alterações de tamanho e diâmetro do pênis;
– Penugem do rosto – aqueles primeiros fiozinhos de barba;
– O testículo fica mais volumoso;
– Alterações de voz – algumas desafinações, porém a voz já tende a ficar mais grave;
– Ombros e troncos começam a ficar mais largos;
– Sinais de proeminência laríngea (o gogó, ou pomo de adão);
– Ereção – seja ela induzida ou não.

Para meninos e meninas:

– Aparecimento dos pelos pubianos – e outros pelos em lugares que não existiam antes, como nas axilas;
– Os pelos das pernas ficam mais espessos;
– Crescimento mais rápido, ficando, geralmente, mais altos que as outras crianças da mesma idade;
– A pele fica mais oleosa e já existem sinais de acne;
– Mudanças de comportamento – lembra daquela rebeldia que falamos no começo do texto?
– Passa a ter odores corporais.

O que causa a puberdade precoce?

Nem sempre é fácil determinar a causa da puberdade precoce. Mas vamos discorrer sobre algumas por aqui. Antes, é importante saber que ela pode ser classificada de duas formas.

A primeira é a central, quando as alterações hormonais são causadas pelo sistema nervoso central. Ou periférica, neste caso as mudanças surgem de outras partes do corpo, como tumores nos ovários ou testículos, ou meningite, por exemplo.

Confira algumas possíveis causas da puberdade precoce:

– A puberdade precoce pode ter origem genética. Assim, se um dos pais passou por isso na infância ou tem um gene tendencioso, existem maiores chances. Entretanto isso não é uma regra, apenas uma maior predisposição. E, geralmente, as pequenas têm a menarca em idade próxima a de suas mães, embora isso também não seja uma regra.

– Tumores, meningite e outras doenças mais graves podem estimular a puberdade. É de suma importância, caso o pequeno tenha alguma patologia mais grave, o acompanhamento de um médico pediatra ou endocrinologista para diagnosticar antecipadamente – com exames clínicos e laboratoriais – a puberdade precoce.

– Ministração de hormônios sem a prescrição ou o acompanhamento de um profissional de saúde. Neste caso, pode ser tanto de forma oral, ou seja, medicamentos e suplementos, ou cutânea, pomadas e cremes.

– Alimentação e esportes também influem neste caso. Atletas com treinos muito intensos podem atrasar o processo de puberdade. Enquanto, por outro lado, a obesidade pode adiantá-lo. Embora, mais uma vez, não seja uma regra, apenas existem maiores chances.

– Pode ser, além de tudo isso, causada por estado emocional muito alterado. Pequenos que perdem um ente querido, ou que passam por algum tipo de violência, podem desencadear um processo de puberdade antecipado. Embora esta também não seja uma regra.

– E, por fim, pode ser idiopática, quando não existe causa aparente.

Procurando ajuda médica

Um médico é o profissional mais adequado para diagnosticar e intervir, se for o caso, na puberdade precoce.

Desta forma, as visitas ao pediatra devem estar sempre em dia e, se notar o surgimento de quaisquer um dos sintomas acima, um endocrinologista também é indicado.

O profissional de saúde é o único habilitado para avaliar os sintomas, propor um tratamento – caso seja necessário – e estudar as causas por trás disso.

Leia também:

Estudante de Comunicação, acredita que a literatura transforma as pessoas e a educação transforma o mundo!

Источник: https://leiturinha.com.br/blog/puberdade-precoce-atencao-aos-sinais/

Puberdade: puberdade masculina e feminina, quando acaba

O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

Puberdade é o nome dado ao período de transição entre a infância e a fase adulta e acontece em meninas entre os 8 e 13 anos de idade e em meninos entre 9 e 14 anos.

Essa fase é marcada, principalmente, pelo desenvolvimento dos caracteressexuaissecundários e o início da fase reprodutiva, tanto do homem quanto da mulher.

Nas meninas, o primeiro sinal da puberdade é o surgimento do chamado broto mamário, enquanto que nos meninos é o aumento dos testículos.

Alterações comuns na puberdade

Durante a puberdade, uma série de alterações acontecem no corpo do indivíduo e o leva à maturação sexual e à capacidade de reprodução. Nesse momento, observa-se um desenvolvimentofísico, mas também mental e social.

O início da puberdade é influenciado por uma série de fatores, incluindo fatores psicológicos, genéticos, condições ambientais e até mesmo a saúde do indivíduo e sua nutrição.

Nessa etapa, o indivíduo perceberá, entre outras alterações, o surgimentodepelos,modificaçõesnaoleosidadedapele,surgimentodasmamas em meninas e aumentodotestículo em meninos. De uma maneira geral, podemos dizer que, independentemente do sexo, as principais modificações que ocorrem na puberdade são:

  • Estirão puberal (rápido crescimento em estatura, que dura cerca de 2 a 4 anos);
  • Desenvolvimento do sistema reprodutor;
  • Desenvolvimento do sistema esquelético e muscular;
  • Aparecimento de caracteres sexuais secundários.

É importante destacar que adolescentes na mesma idade podem estar em fases diferentes da puberdade. Sendo assim, o corpo de uma menina de 11 anos, por exemplo, não obrigatoriamente apresentará as mesmas características de outra de uma mesma idade.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Puberdade masculina

Durante a puberdade masculina observa-se o surgimento de pelos faciais.

Na puberdade masculina, o menino enfrenta modificações em seu corpo que o prepara para a fase adulta e o deixa apto para a reprodução. Veja a seguir os principais eventos que ocorrem na puberdade masculina:

  • Aceleração da velocidade do crescimento;
  • Aumento da secreção dos hormônios sexuais. Nos homens observa-se uma maior quantidade de testosterona.
  • Aumento do volume do testículo;
  • A pele escrotal torna-se avermelhada e apresenta modificação na textura;
  • Aumento do pênis, tanto em comprimento quanto em diâmetro;
  • Surgimento dos pelos púbicos;
  • Crescimento dos pelos faciais;
  • Aumento da massa muscular;
  • Alterações na voz (voz atinge timbre mais grave).

Leia também: Anabolizantes

Puberdade feminina

Durante a puberdade feminina, observa-se a primeira menstruação, que muitas vezes pode ser acompanhada de cólica.

Na puberdade feminina, observa-se modificações no corpo da menina que a prepara para a fase adulta e a reprodução. Dentre os principais eventos relacionados com a puberdade feminina destacam-se:

  • Aceleração da velocidade de crescimento;
  • Aumento da secreção dos hormônios sexuais. Nas mulheres, observa-se uma maior concentração dos hormônios estrogênio e progesterona.
  • Surgimento dos brotos mamários e desenvolvimento posterior dos seios;
  • Aumento do acúmulo de gordura no quadril, nádegas e coxas;
  • Surgimento dos pelos púbicos;
  • Menarca (primeiro fluxo menstrual).

Durante a puberdade feminina, sem dúvidas, um dos pontos mais importantes e impactantes na vida da menina é a menarca, ou seja, a primeira menstruação. Geralmente, ela acontece dois anos após o aparecimento das mamas. A menstruação pode ser definida como a descamação do endométrio do útero. A menstruação marca o início do ciclo menstrual, o qual dura em média 28 dias.

Leia também: Hormônios e o ciclo menstrual

Final da puberdade

A puberdade termina por volta dos 18 anos de idade. Nesse momento, termina o crescimentofísico e também o amadurecimento do sistemagenital.

Puberdade precoce

A puberdade precoce acontece tanto em meninos quanto em meninas e caracteriza-se por um início da puberdade antes da idade geralmente esperada.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, considera-se como puberdade precoce aquela que surge antes dos 8 anos em meninas e antes dos 9 anos em meninos.

Estima-se que a puberdade precoce é cerca de 10 a 23 vezes mais frequente em meninas.

A puberdade precoce pode desencadear algumas consequências, sendo necessária, portanto, a atenção nesses casos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, as principais consequências da puberdade precoce são:

  • Transtornos psicológicos e de comportamento;
  • Maiores riscos de abuso sexual;
  • Baixa estatura, quando adulto;
  • Aumento do risco de obesidade, hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e alguns tipos de câncer.

A puberdade precoce tem tratamento e dependerá de sua causa. Geralmente, são administrados medicamentos que visam a retardar o desenvolvimento. A interrupção desse tratamento é feita, em geral, quando a menina apresenta idade óssea entre os 12 e 12,5 anos, e os meninos, entre os 13 e 13,5 anos. Em alguns casos, é necessário cirurgia para tratar o problema.
 

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Источник: https://brasilescola.uol.com.br/sexualidade/puberdade.htm

Puberdade precoce: causas, diagnóstico e tratamentos

O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

A puberdade é o período de transição entre a infância e a idade adulta, caracterizado por mudanças físicas, psicológicas e hormonais. Durante a puberdade, as gônadas, que são os ovários e testículos, passam a produzir seus principais hormônios, estrogênio e testosterona, e ganham a capacidade reprodutiva, caracterizada pela produção dos gametas.

Esse aumento dos esteróides sexuais (estrogênio e testosterona), traz duas consequências físicas: a mudança na aparência corporal e a aceleração do crescimento, conhecida como estirão puberal.

Primeiros sinais da puberdade

Antes da puberdade acontecer, as glândulas adrenais ganham a capacidade de produzir andrógenos (DHEA e SDHEA) por volta dos 5 a 6 anos de idade, em um processo fisiológico chamado de adrenarca. Na maior parte das crianças, a adrenarca passa despercebida ou se manifesta apenas pelo surgimento de odor axilar característico.

Algumas crianças, principalmente as com sobrepeso ou obesidade, ao passarem pela adrenarca, podem apresentar excesso de andrógenos adrenais e, consequentemente, surgimento de pêlos pubianos (pubarca) em idade não fisiológica. Adrenarca não é sinônimo de puberdade, é um evento fisiológico de amadurecimento das adrenais.

A puberdade ocorre pela gonadarca, ou seja, por amadurecimento das gônadas.

O primeiro sinal puberal esperado nas meninas é o surgimento do broto mamário, conhecido como telarca. Já nos meninos, o marco do início puberal fisiológico é caracterizado pelo aumento do volume testicular, a partir de 4 ml.

Além do surgimento do broto mamário e do aumento do volume testicular, em ambos os sexos surgem os pêlos pubianos e axilares, pubarca, oriundos da produção de andrógenos gonadais, somados aos andrógenos adrenais. Também é comum aos dois gêneros a aceleração do crescimento linear (estirão puberal), além da progressão da idade óssea, caracterizada pelo fechamento progressivo das cartilagens de crescimento.

A criança passa, então, a ter características corporais que aos poucos deixam o seu corpo infantil com aspecto adulto.

O crescimento linear acelera, na direção da altura adulta, ganha capacidade reprodutiva e os riscos de constituição de prole não programada.

Portanto, existe a necessidade de adequação das mudanças físicas e psicológicas, com a faixa etária típica dessas mudanças. E qual é a faixa etária típica dessas mudanças?

Sintomas da puberdade precoce

A puberdade é considerada fisiológica quando se inicia entre os 8 e os 13 anos na menina e entre os 9 e os 14 anos no menino. O surgimento dos caracteres sexuais secundários, antes dos 8 anos nas meninas ou antes dos 9 anos nos meninos, é conhecido como puberdade precoce.

A causa desse início precoce das características puberais pode estar nas gônadas (ovários e testículos), nas adrenais ou na glândula que controla as gônadas, a hipófise. Essas causas são divididas em dois grandes grupos:

  • puberdade precoce central (PPC), quando o problema é na hipófise ou hipotálamo;
  • puberdade precoce periférica (PPP), quando o problema está nas gônadas (testículos e ovários) ou nas adrenais.

Na investigação diagnóstica, ao exame físico, a dica no menino é examinar os testículos, para diferenciar as causas centrais das periféricas. Quando ambos os testículos estão aumentados, significa que houve estímulo do hormônio LH sobre o crescimento testicular. Então houve aumento do LH, hormônio produzido pela hipófise, e provavelmente se trata de causa central.

Já nas meninas, o exame físico não consegue diferenciar as causas centrais das periféricas, pois o surgimento do broto mamário, por aumento de estrogênio, pode estar presente nos 2 grupos de puberdade (PPP e PPC).

Do ponto de vista de investigação laboratorial, o divisor de águas para diferenciar PPC de PPP é a dosagem do LH. O método mais usado para dosar o LH é com ensaio imunoquimioluminométrico (ICMA). Existem vários pontos de corte estudados para o LH puberal, o mais aceito pelo ICMA é o LH>0,3 IU/l.

Significa que o achado de LH>0,3 IU/l em uma criança investigada para puberdade precoce, é consistente com causa de puberdade central.

Diagnóstico e tratamento da puberdade precoce

Após a diferenciação entre causas centrais e periféricas, o próximo passo é a investigação da causa da puberdade precoce, através de métodos de imagem. Se a causa for periférica, a investigação é direcionada para as gônadas ou para as glândulas adrenais.

São solicitadas ecografia pélvica para as meninas e ecografia dos testículos para os meninos, além de tomografia das adrenais se os hormônios dessa glândula estiverem aumentados.

Por outro lado, se o LH está elevado, a imagem deverá ser direcionada para a hipófise, sendo solicitado idealmente ressonância magnética de sela túrcica, com contraste.

O tratamento será instituído de acordo com a patologia diagnosticada. Nos casos de tumores de adrenais, gonadais ou hipofisários, o tratamento será na maioria das vezes cirúrgico.

Entre as causas adrenais, existe uma doença genética causada pela deficiência de uma das enzimas da cascata de síntese do cortisol, a  21hidroxilase, que deve ser investigada.

Nesse caso e nos demais casos não tumorais, o tratamento será clínico, direcionado para a redução dos esteroides sexuais para níveis pré puberais.

Outro aspecto importante do diagnóstico e tratamento é a avaliação da idade óssea, investigada através da radiografia de mão e punho.

O aumento precoce dos esteroides sexuais, faz com que o estrogênio (em meninas e meninos) feche rapidamente a cartilagem de crescimento, o que diminui o potencial de estatura adulta.

Essas crianças com puberdade precoce, em geral são altas quando comparadas aos pares de mesma idade, porém com uma idade óssea avançada. Significa dizer que se não forem tratadas vão parar de crescer precocemente, pelo fechamento antecipado das cartilagens de crescimento.

Diante dessas situações, o endocrinologista deverá indicar o tratamento da puberdade precoce para evitar os transtornos físicos e psicológicos decorrentes das transformações corporais em idade precoce.

Afinal, há um desajuste do corpo com a maturidade psicológica da criança. Outro objetivo do tratamento é evitar a perda de estatura final, decorrente do avanço de idade óssea.

Por último, a menarca precoce pode implicar em maior risco de câncer de mama futuro nas meninas.

Texto escrito por:

Prof. Dra. Luciana Correa

Professora do Curso de Pós Graduação em Endocrinologia Afya/IPEMED

Источник: https://ipemed.com.br/blog/puberdade-precoce/

Cada vez mais comum, puberdade precoce gera problema físico e emocional

O que é menarca precoce, sintomas e principais causas

Aparecimento das mamas, evolução dos testículos, surgimento de pelos na região pubiana e nas axilas, elevação da oleosidade da pele, acne, mudança de voz nos meninos e primeira menstruação nas meninas.

Ao ler essa lista de sintomas, logo vem à cabeça a imagem de um adolescente. Mas, em alguns casos, os sinais podem fazer parte da vida de uma turminha bem mais nova.

É a chamada puberdade precoce que, segundo evidências e a experiência cotidiana de muitos médicos, está ficando cada vez mais frequente.

“Há sinais de que o número de casos aumenta a cada dia”, confirma a endocrinologista Rosália Padovani, médica assistente do departamento de endocrinologia da Santa Casa de São Paulo.

Cerca de 80% das crianças com puberdade precoce têm a condição em sua forma clássica, chamada puberdade central verdadeira. Nela, a hipófise, uma região do cérebro, começa a liberar antes da hora o hormônio luteinizante (LH) e o folículo-estimulante (FSH).

Essas substâncias estimulam os ovários a produzirem estrógeno e os testículos a fabricarem testosterona, desencadeando a maturidade sexual física antecipadamente –ou seja, antes da adolescência, que normalmente acontece entre os 8 e 13 anos no time feminino e os 9 e 14 anos no masculino.

Veja também:

Os outros 20% dos casos de puberdade precoce são conhecidos como periféricos e estão diretamente associados a doenças, como tumores nos ovários e nos testículos, cistos ovarianos, disfunção nas glândulas adrenais, que estão ligadas à fabricação de hormônios, e hipotireoidismo.

“Os meninos são menos acometidos pelo problema, ele ocorre entre cinco e dez vezes mais nas meninas, mas o risco de haver uma causa mais grave por trás dele nos garotos é maior”, alerta o médico pediatra Luis Eduardo Calliari, professor assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 

Sobrepeso e casos graves de estresse familiar causam a condição

Imagem: iStock

Quais são as causas?

A ciência ainda não sabe explicar exatamente o que desencadeia o problema e o que está levando a esse aumento no número de casos, mas já tem algumas pistas.

Nas meninas, público no qual o avanço está acontecendo com mais intensidade, um dos fatores que pode ser associado a esse quadro é a elevação na ocorrência de sobrepeso e obesidade”, acredita Calliari.

O tecido gorduroso secreta estrógeno (hormônio feminino), desencadeando alterações hormonais que podem servir de gatilho para a puberdade antes da hora nas garotas. A influência genética também deve ser levada em consideração, já que as filhas tendem a ter a primeira menstruação com uma idade próxima a que a mãe teve, apesar de isso não ser uma regra.

Outro item que pode estar ligado ao desenvolvimento do distúrbio são os casos graves de estresse familiar, um episódio de violência ou a morte de um ente querido, por exemplo.

Algumas linhas de pesquisa ainda apontam que a condição pode ser causada por certos tipos de pesticidas e o bisfenol A, presente em alguns recipientes plásticos.

Há também a associação, em menor escala, ao uso de produtos tópicos para reposição hormonal utilizados por mulheres que tenham muito contato com a criança.

“Alguns agentes estão sendo cogitados, entre eles os estímulos relacionados à sexualidade presentes em filmes e músicas, por exemplo, contaminações químicas ambientais e hormônios presentes em alguns alimentos, como o leite e a carne vermelha, mas a verdade é que ainda não se sabe ao certo o que está por trás do aparecimento cada vez mais cedo da puberdade”, diz Padovani.

“A ingestão de frangos criados com o uso de hormônios, o que preocupa muitas mães quando se fala de puberdade precoce, não tem ligação com o problema, pois esses animais não têm estrógeno”, garante Calliari.

É importante fica atento a mudanças de comportamento dos filhos

Imagem: iStock

O distúrbio merece atenção

Independentemente do que tenha levado ao surgimento da puberdade precoce, é muito importante que ela seja avaliada por um médico o quanto antes, pois pode desencadear quadros mais graves.

“As crianças correm o risco de apresentar alterações no crescimento, levando à diminuição da sua estatura final, e têm mais chances de sofrer com obesidade, hipertensão, diabetes do tipo 2, infarto e acidente vascular cerebral (AVC)”, esclarece Padovani.

É possível ocorrer também transtornos psicológicos e emocionais ligados a mudanças de comportamento provocados pelas alterações hormonais, constrangimentos na escola ou na rua por causa das modificações físicas e a falta de sintonia entre o amadurecimento físico e emocional. Para piorar o quadro, os pais costumam ter muita dificuldade para lidar com o problema. Por isso, o acompanhamento de um psicólogo pode ser interessante. 

Dá para evitar o problema?

Não existe uma forma 100% eficaz de impedir que a puberdade precoce dê as caras, mas já se sabe que combater o excesso de peso ajuda a diminuir o risco nas meninas. “É importanteficar atento aos sintomas da condição para que, se houver a necessidade de uma intervenção, ela seja iniciada rapidamente”, diz Calliari.

Se for constatado que o quadro está ligado à puberdade precoce central verdadeira, os médicos costumam lançar mão de um medicamento que é capaz de bloquear a liberação dos hormônios que estão provocando o quadro e fazer com que ele regrida. O procedimento deve ser realizado de acordo com a orientação do especialista e costuma ser mantido até que a criança chegue à puberdade real.

Por outro lado, se houver alguma doença de base desencadeando os sintomas, um tumor, por exemplo, é preciso tratá-lo.

De qualquer forma, o mais importante é que os pais fiquem muito atentos ao desenvolvimento dos seus filhos, se mostrem abertos para conversar sobre as mudanças que o corpo dos pequenos está enfrentando e procurem um especialista diante de qualquer dúvida ou sinal de alteração física e emocional drástica na criança.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
 | Instagram | 

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/03/25/cada-vez-mais-comum-puberdade-precoce-gera-problema-fisico-e-emocional.htm

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: