O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

A pseudociese, conhecida popularmente como gravidez psicológica ou falsa gravidez, é uma síndrome rara na qual uma mulher, que não está grávida, não só acredita piamente que está esperando um bebê, como passa a apresentar sintomas típicos de uma gravidez, incluindo ausência de menstruação e aumento do volume abdominal.

A pseudociese é um distúrbio psicológico, que nada tem a ver com fingimento ou farsa. Uma mulher que finge estar grávida não tem gravidez psicológica. Para ser pseudociese, a paciente tem que realmente acreditar que está grávida.

Incidência de gravidez psicológica na população

A gravidez psicológica é uma condição que afeta mulheres de todas etnias, regiões e níveis sociais. A pseudociese é mais comum em mulheres casadas e com idades entre 20 e 40 anos, mas há casos descritos de falsa gravidez em crianças e em mulheres mais velhas, mesmo após a menopausa.

A gravidez psicológica é um assunto bastante explorado em filmes, novelas e livros, porém sua real incidência é muito baixa. Apenas 1 em cada 22.000 gravidezes é falsa, ou seja, somente 0,005% das mulheres grávidas têm, na verdade, pseudociese.

Causas

A pseudociese é uma síndrome já conhecida há vários séculos. Sua incidência já foi maior, mas acredita-se que a mudança do papel da mulher na sociedade tenha sido a responsável pela queda na ocorrência de casos de gravidez psicológica.

Durante muitos séculos a mulher era vista unicamente no papel de mãe, sendo considerada inútil se não fosse capaz de gerar uma família. Atualmente, as mulheres têm outras responsabilidades e anseios além de serem mães.

Além disso, os avanços tecnológicos permitem que muitas mulheres com problemas de fertilidade consigam engravidar, diminuindo os casos de mulheres inférteis que não conseguem ter filhos.

A pseudociese parece ocorrer devido a estímulos do sistema neuroendócrino provocados por fatores psicológicos. Casos de estresse, ansiedade e/ou intensa pressão social/familiar poderiam agir sobre eixo hipotálamo-hipófise-ovário, desregulando a produção hormonal, o que levaria a sintomas semelhantes aos da gravidez, como ausência de menstruação, enjoos e aumento dos seios.

Entre as situações que já foram identificadas como gatilhos para gravidezes psicológicas, podemos citar:

  • Achar que o marido vai largá-la, caso não consiga ter um filho.
  • Solidão.
  • Depressão.
  • Baixa autoestima.
  • Intensa pressão familiar por uma gravidez.
  • Medo de engravidar.
  • Abuso sexual durante a infância.
  • Estar passando por grande estresse emocional.
  • Infertilidade em mulheres que desejam muito engravidar.
  • Ocorrência de abortos espontâneos em mulheres que ainda não têm filhos (e quer tê-los).
  • Estar próxima da menopausa e ainda querer ter filhos.
  • Ter uma personalidade que não lida bem com críticas ou eventos indesejáveis.

Para ser pseudociese a paciente tem que realmente acreditar que está grávida. Pessoas que fingem uma gravidez de forma intencional não se enquadram neste quadro.

Sintomas

A gravidez psicológica, em alguns casos, pode ser uma situação impressionante, com múltiplos sintomas de uma gravidez real.

Entre os sintomas de gravidez que a pseudociese pode produzir estão:

  • Aumento do volume abdominal.
  • Enjoos matinais.
  • Ausência de menstruação.
  • Aumento dos seios.
  • Produção de leite.
  • Sentir movimentos fetais.
  • Ganho de peso.

Há casos, inclusive, de mulheres que chegam ao pronto-socorro com sintomas de trabalho de parto.

A pseudociese costuma durar algumas semanas, mas há casos que persistem por meses ou anos. Em algumas mulheres, os sintomas desparecem após elas entrarem em “trabalho de parto”.

As mulheres sentem dores terríveis, como se estivem parindo, e depois melhoram do quadro. Nem sempre elas entendem o que ocorreu.

É comum ouvir a paciente dizer que teve um aborto ou que o filho foi levado embora por Deus.

A gravidez psicológica pode preceder o parecimento de alguma outra doença psiquiátrica, como depressão ou psicose.

Diagnóstico

Em muitas mulheres, a gravidez psicológica só apresenta uma única diferença em relação às gravidezes reais: a falta de um feto no útero.

Todas as mulheres com sintomas de gravidez devem realizar um teste de gravidez que consiste na dosagem do BhCG, hormônio produzido pela placenta durante a gestação.

Como era de se esperar, mulheres com pseudociese não produzem BhCG e os testes de gravidez são negativos.

Outro exame que pode ser feito é a ultrassonografia abdominal que irá demonstrar um útero vazio, provando que não há nenhuma gravidez em curso. Nas mulheres que apresentam secreção de leite pelas mamas é importante descartar a presença do prolactinoma, um tumor da glândula hipófise que estimula a produção de prolactina, hormônio responsável pela produção de leite.

Tratamento

Em geral, não é fácil convencer uma mulher, que há meses acha que está gravida, de que o que ela tem é uma ilusão, que foi tudo criado pela sua cabeça. Muitas vezes, a pseudociese é a válvula de escape que o cérebro encontrou para lidar com as adversidades psicológicas. Não há um tratamento estabelecido para a gravidez psicológica.

Habitualmente, indicamos o acompanhamento com um psiquiatra, mesmo nos casos em que os sintomas desaparecem espontaneamente.

Referências

  • Pseudocyesis – UpToDate.
  • Pseudocyesis: a review – American College of Obstetricians and Gynecologists.
  • Pseudocyesis, delusional pregnancy, and psychosis: The birth of a delusion – World journal of clinical cases.
  • American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 5th ed.
  • Gabbe S.G., Niebyl, J.R., Simpson, J.L., eds. Obstetrics: Normal and Problem Pregnancies, fifth ed., Philadelphia, Churchill Livingstone Elsevier; 2007.

Источник: https://www.mdsaude.com/gravidez/gravidez-psicologica/

O que é gravidez psicológica: conheça os 7 principais sintomas

O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

A gravidez psicológica, também chamada de pseudociese, é um problema emocional que acontece quando os sintomas de gravidez estão presentes, mas não existe feto se desenvolvendo no útero da mulher, o que pode ser confirmado nos testes de gravidez e no ultrassom.

Este problema afeta principalmente mulheres que desejam muito engravidar ou aquelas que têm um grande receio de engravidar, como acontece durante a adolescência, por exemplo.

O tratamento para gravidez psicológica pode ser feito com o uso de medicamentos hormonais para regularizar a menstruação, mas também é fundamental o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra para eliminar as causas que levaram ao desenvolvimento desse problema.

Sintomas de gravidez, mas ausência de feto.

Principais sintomas

Os sintomas da gravidez psicológica são os mesmos de uma gravidez normal, apesar de não haver bebê sendo formado, tais como:

  • Enjoos;
  • Sonolência;
  • Desejos alimentares;
  • Ausência ou atraso da menstruação;
  • Crescimento da barriga e das mamas;
  • Sensação de sentir o feto se mexer;
  • Produção de leite materno.

Ainda não se conhece ao certo porque estes sintomas aparecem nos casos de gravidez psicológica, no entanto, é possível que os estímulos psicológicos gerem um aumento na produção de alguns hormônios da gravidez, o que resulta em sintomas iguais aos de uma gravidez verdadeira.

Como confirmar se é gravidez psicológica

Se a mulher tiver uma gravidez psicológica, os testes de gravidez, tanto o de urina como o de sangue Beta HCG, vão dar sempre resultado negativo, o que também pode ser confirmado pelo ultrassom, que irá mostrar que não existe feto se desenvolvendo no útero na mulher.

Ainda assim, é sempre importante que a mulher seja avaliada por um ginecologista e um psicólogo, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado.

Saiba os melhores dias para fazer o teste de gravidez.

Principais causas da gravidez psicológica

Ainda não são conhecidas as causas específicas para a gravidez psicológica, no entanto parece estar relacionada com os seguintes fatores:

  • Desejo intenso de engravidar e dificuldade para engravidar;
  • Medo de engravidar;
  • Depressão e baixa auto-estima.

Além disso, em alguns casos, a existência de problemas conjugais também parece estar relacionada com o desenvolvimento de uma gravidez psicológica, já que a mulher pode acreditar que essa é a única solução para salvar o casamento.

Como lidar com a gravidez psicológica

As principais estrategias para lidar com a gravidez psicológica incluem:

Em alguns casos os resultados negativos dos exames de gravidez não são suficientes para convencer a mulher que ela não está gravida, sendo necessário iniciar sessões de terapia com um psicólogo. Nestas sessões de terapia, o psicólogo além descobrir a razão por traz da gravidez psicológica, vai ajudar a mulher a lidar melhor com a situação, ajudando-a a vencer o problema. 

Em alguns casos, a mulher pode mesmo ficar profundamente desgostosa, triste e desiludida com a ausência de gravidez, o que pode levar à tristeza constante e depressão, e nestes casos é necessário acompanhamento com um psiquiatra.

2. Controlar a ansiedade e desejo de engravidar

A ansiedade é uma das razões que leva muitas vezes ao surgimento de uma gravidez psicológica e na maioria dos casos ela é causada pelo desejo intenso em engravidar ou pela própria pressão causada pela família ou pela sociedade.

Assim, o importante é mesmo manter a ansiedade sob controle usando se possível remédios naturais como o chá de maracujá, valeriana, alecrim, camomila ou erva-dos-gatos, as quais são plantas medicinais com propriedades calmantes e relaxantes.

Assista o vídeo para ver outras excelentes dicas da nutricionista Tatiana que vão ajudar a acabar com o estresse e ansiedade:

Além disso, nos casos mais graves pode mesmo ser necessário fazer tratamento médico com um psiquiatra, onde podem ser prescritos remédios para controlar a ansiedade como Diazepam, Alprazolam ou Lorazepam por exemplo. Saiba que remédios caseiros e de farmácia podem tratar a ansiedade em Remédios para Ansiedade.

3. Tratar a infertilidade e a menopausa precoce

Mulheres que sofrem de infertilidade ou que entram na menopausa precocemente podem ter gravidez psicológica caso queiram engravidam e sintam que o seu tempo está terminando. Nestes caso a melhor solução é mesmo consultar logo o ginecologista quando acha que não está conseguindo engravidar, para que possa ser recomendado o melhor tratamento.

Numa grande parte dos casos de infertilidade ou de menopausa precoce o tratamento envolve a reposição de hormônios com terapia hormonal.

Algumas vezes, a presença de problemas conjugais ou a história de relacionamentos que acabaram em abandono ou separação leva a medos constantes e inseguranças, que podem acabar provocando uma gravidez psicológica.

Nestas situações, é muito importante resolver todos os problemas conjugais e tentar não ver o passado como exemplo. Além disso, a gravidez nunca deve ser vista como uma forma de segurar um relacionamento, pois esse tipo de pensamento vai trazer ansiedade, insegurança e baixa autoestima. 

Além disso, nos casos mais graves pode ser necessário fazer exames para saber se existem problemas hormonais, podendo ser necessário iniciar terapia com hormônios que deve ser indicada e acompanhada pelo ginecologista.

Источник: https://www.tuasaude.com/gravidez-psicologica/

Gravidez psicológica: especialistas esclarecem mitos e verdades

O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

Estima-se que uma em cada 22 mil gestações não seja real. Estamos falando da pseudociese, nome científico para a gravidez psicológica. A condição, hoje rara, já foi mais comum.

“As mulheres eram criadas para serem mães e, quando passaram a expandir seus valores, a maternidade deixou de ser seu principal objetivo, o que reduziu a incidência da pseudociese”, aponta Renata de Camargo Menezes, ginecologista especialista em reprodução humana e diretora da Clínica Engravide, em São Paulo.

Mas o quadro ainda existe, é claro. Em 2013, uma mulher foi operada no Rio de Janeiro ao chegar no pronto-socorro apresentando sinais de trabalho de parto. Ao tentar retirar o bebê, a surpresa dos médicos: não havia nada ali e o útero estava pequeno, intacto.

Isso porque a gravidez psicológica cria uma certeza definitiva de que a mulher está grávida. E nada, nem testes negativos de gravidez, nem ultrassons vazios, abalam essa convicção. Veja a seguir algumas afirmações sobre o assunto e o quanto de verdade há nelas.

A gravidez psicológica é um desejo intenso de ser mãe

Parcialmente verdade. Não basta apenas querer muito engravidar para passar pelo quadro. “É preciso ter tendências a ter alguma psicopatia que suporte esse delírio e negação da realidade”, explica Gabriela Malzyner, psicóloga mestre em psicologia clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Por outro lado, a frustração por não conseguir engravidar – e muitas vezes, por não atender pressões externas – podem criar um caldeirão emocional que culmine na pseudociese. É o caso, por exemplo, de mulheres com históricos de abortos espontâneos. “A mulher que revive esse estresse continuamente tem uma probabilidade maior de ser acometida por esse distúrbio grave”, destaca Renata.

A gravidez psicológica pode fazer o seio produzir leite

Verdade. Isso porque o estado emocional da paciente influencia no corpo todo, incluindo o sistema reprodutor. “Os neurotransmissores envolvidos no estresse podem alterar a produção de hormônios como a prolactina e o LH, que simulam uma gravidez”, explica Renata.

A ação da prolactina pode distender o intestino – e fazer a barriga parecer maior – e até fazer o seio produzir leite.

O LH (hormônio luteinizante), por sua vez, tem estrutura parecida a do beta HCG, o hormônio produzido pelo corpo da mulher quando a gestação ocorre de fato.

Os sintomas podem ainda incluir o atraso da menstruação, sentir movimentos do bebê na barriga e até contrações como as do trabalho de parto.

Continua após a publicidade

O medo de engravidar pode fazer a gravidez psicológica aparecer

Parcialmente verdade. “O medo de estar grávida deve ser diferenciado da pseudociese verdadeira”, aponta Renata. Isso porque o período lúteo, que são os 15 dias que antecedem a menstruação e que, numa gravidez, representariam o momento em que o embrião está sendo implementado no útero, é também a fase da TPM.

Ou seja, a mulher também pode apresentar enjoo, inchaço – sintomas típicos da tensão pré-menstrual – e, por conta da tensão, até o atraso da menstruação. Mas, com o exame negativo, a situação tende a passar.

O teste de gravidez pode dar positivo

Mito. Apesar da ação de alguns hormônios, o beta HCG, que é o hormônio medido nos testes de gravidez de farmácia e sangue, não aparece em circulação nos casos de gravidez psicológica.

A gravidez psicológica passa sozinha

Mito. Mesmo que tudo indique que não há uma gestação real, a mulher nesta condição não consegue encarar sozinha a realidade. Uma abordagem multidisciplinar deve entrar em cena.

“O tratamento exige acompanhamento médico para atestar a ausência da gestação, além do psiquiátrico e psicólogo, que são essenciais para identificar e trabalhar as causas dessa condição”, explica Mariana Bonsaver, psicóloga da Pro Matre Paulista.

A psicoterapia também é fundamental para que a mulher mobilize recursos próprios para lidar com seus conflitos. Em alguns casos, remédios são indicados para regularizar a menstruação, interromper a produção de leite e até medicamentos psiquiátricos podem ser prescritos.

O quadro pode impedir uma gestação de verdade

Verdade. “Se há uma alteração nesses hormônios provocada pelo estresse, a mulher pode não conseguir engravidar”, destaca Renata, que lembra que o estresse é uma das principais causas da infertilidade.

Ou seja, isso vale mesmo para as mulheres que não desenvolvam uma gravidez psicológica.

“Normalmente a ansiedade atrapalha muito a gravidez”, realça Antonio Pera, ginecologista especializado em gestações de risco de São Paulo.

Continua após a publicidade

  • Aborto
  • Fertilidade
  • Gravidez
  • Saúde da mulher

Источник: https://bebe.abril.com.br/gravidez/gravidez-psicologica-mitos-e-verdades/

Gravidez psicológica em cadelas

O QUE É PSEUDOCIESE (Gravidez Psicológica)?

Produção de leite, aumento no volume abdominal, organização de ninho e mudanças comportamentais bruscas. Essas são algumas das indicações mais comuns da gravidez psicológica em cadelas. Também chamada de pseudociese, ela consiste na combinação de comportamentos e sintomas clínicos da gestação mesmo sem a fêmea estar prenhe.

Algumas pessoas acham gracioso, engraçado ou divertido ver a cachorrinha agindo como mãe de uma pelúcia ou outro objeto, mas a cadela com gravidez psicológica pode ter complicações sérias como inflamações e infecções no útero, a conhecida piometra, e tumores no sistema reprodutor, além de inchaço e dores em seus tetos.

Nos primeiros sinais da gravidez psicológica de cachorro procure um médico veterinário.

Porque acontece a gravidez psicológica?

Durante o cio, ocorrem muitos estímulos hormonais. Algumas fêmeas, no entanto, são mais sensíveis às oscilações hormonais, apresentando sinais clínicos de gestação mesmo sem ter tido contato com um macho. Mas como saber se sua cachorra está mesmo tendo uma gravidez psicológica? Confira abaixo.

Sintomas de gravidez psicológica em cadelas

Os sintomas de gravidez psicológica em cadelas são facilmente confundidos com uma prenhez verdadeira.

Uma combinação de comportamentos estranhos e sintomas clínicos aumentam as suspeitas de ser uma cadela com gravidez psicológica. Porém, apenas um médico veterinário pode avaliar e diagnosticar a pseudociese.

Os possíveis sintomas são variados e aparecem em diversos níveis. Confira algumas das principais indicações da gravidez psicológica de uma fêmea de cachorro:

Sintomas clínicos

– Aumento das glândulas mamárias

– Dores nas mamas

– Produção de leite

– Aumento no volume abdominal

Alterações comportamentais

– Organização do ninho

– Adoção de objetos como cria

– Agressividade

– Depressão

– Uivos incessantes

– Falta de apetite

A grande produção de leite pode levar à inflamação das glândulas mamárias. Neste caso, é comum observar a fêmea lambendo o local devido às dores. Em alguns casos, elas podem até se ferir pela lambedura excessiva.

Alguns animais sofrem durante este período, apresentando comportamento depressivo, além de uivar e parar de comer. Os sinais acompanham o período de ação do hormônio responsável, portanto pode durar de uma a duas semanas.

Entenda a gravidez psicológica em fêmeas

A gravidez psicológica em cães fêmeas acontece em decorrência de alterações hormonais.

Apesar da condição ser bem conhecida dos médicos veterinários, as causas dessas mudanças hormonais ainda não são unanimidade.

Assim como na prenhez verdadeira, o principal hormônio atuante é a progesterona e seu descontrole resulta em comportamentos como adoção de cria (ou de objetos) e produção de leite.

O desequilíbrio hormonal resulta em oscilações de comportamento podendo aumentar a agressividade da cadela com gravidez psicológica.

A conduta pode piorar com a aproximação de pessoas e outros animais em seu ninho principalmente quando ela elege uma cria improvisada.

No campo físico, as principais alterações ocasionadas pelos hormônios são aumento e dores nas glândulas mamárias e a produção de leite, como se a fêmea realmente estivesse se preparando para receber e amamentar as crias.

Quando selvagens, os cães viviam em grupos e assim cuidavam dos filhotes. A gravidez psicológica em cadelas possibilitava a produção de leite e a criação comunitária dos filhotes, aumentando as chances de sobrevivência.

Atualmente, este comportamento além de desnecessário, também é prejudicial para a fêmea. Apesar das atitudes alteradas e dos sintomas regredirem e sumirem totalmente em poucas semanas, a cadela com gravidez psicológica pode desenvolver doenças graves.

Por isso, não ignore a gravidez psicológica em cadelas e leve seu animal ao médico veterinário.

Gravidez psicológica em cadelas x gravidez psicológica em gatas

A cadela ovula espontaneamente, dando início à fase lútea, que é caracterizada pelo aumento da progesterona. Sendo assim, em todo cio ela corre o risco de desenvolver a pseudociese, ou seja, a gravidez psicológica.

Já as gatas ovulam apenas por estímulo durante a cópula, sendo poucas as vezes em que não há fecundação e, consequentemente, havendo menor incidência de gravidez psicológica.

Diagnóstico da gravidez psicológica canina

O diagnóstico é feito através dos sinais clínicos (citados anteriormente), histórico de cio recente, palpação abdominal e exames de imagem para se ter certeza de que não há gestação. Apenas um médico veterinário pode confirmar de que se trata de uma falsa prenhez.

Minha cadela está com gravidez psicológica. O que fazer?

Ao suspeitar de uma cadela com gravidez psicológica procure um médico veterinário imediatamente. As alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez psicológica em cães podem evoluir para doenças graves nas mamas e no útero, portanto o tratamento e supervisão são necessários.

Entre os principais tratamentos está o uso de medicamentos para regulação hormonal e redução da produção de leite. Além de remédios, os tutores têm papel importante para tornar a gravidez psicológica de cachorro menos agressiva.

Realizar compressas em toda a sua cadeia mamária pode ser necessário para aliviar a dor e o desconforto.

Tutores responsáveis com uma cadela com gravidez psicológica em casa devem ser compreensivos com os sintomas e respeitar o espaço do animal.

Alguns médicos veterinários indicam a desconstrução do ambiente criado pela fêmea, afastando o ninho e o objeto adotado, enquanto outros prezam por não interferir. Consulte seu profissional de confiança e siga as instruções por ele.

Já carinho, petiscos e muito amor sempre ajudam na recuperação de qualquer doença e não têm contraindicações.

Tratamento e prevenção da pseudociese em cadelas

Uma das formas mais eficazes de tratar e prevenir a gravidez psicológica em cadelas é realizar a castração do animal.

O procedimento cirúrgico impede que a cadela fique prenhe e também reduz a produção de hormônios fundamentais para o desencadeamento da gravidez psicológica em cães.

A castração é indicada tanto para animais que já tiveram a pseudociese quanto para fêmeas que nunca estiveram nessa condição. Além de prevenir a gravidez psicológica do cachorro, a castração evita diversas doenças, além de crias indesejadas.

Riscos da gravidez psicológica em cadelas

O desequilíbrio hormonal causa a gravidez psicológica em cadelas e pode desencadear diversas outras enfermidades, como câncer, endometriose, piometra, mastite, entre outras. A produção de leite e o aumento das mamas gera infecções graves, pois sem a presença de filhotes, o leite empedra ou é absorvido pelo organismo do animal.

O sistema reprodutor passa por alterações que favorecem o surgimento de tumores e infecções. Os danos comportamentais também são graves já que a cadela com gravidez psicológica pode desenvolver depressão e se tornar agressiva. Seja sempre orientado por um médico veterinário, utilize os medicamentos indicados por ele e castre seu animal.

É comum que cadelas que tenham tido gravidez psicológica uma vez voltem a apresentar o quadro.

Prevenção da gravidez psicológica canina

A castração (saiba mais sobre a castração aqui) previne essa “falsa gravidez”, sendo indicada principalmente para as fêmeas que apresentam estes episódios com frequência ao final dos cios. Prevenindo assim, todas as consequências citadas e proporcionando alívio para a cadelinha ou gatinha.

Curiosidade

Uma explicação referente ao histórico selvagem dos animais é de que nas matilhas todas as fêmeas entravam no cio na mesma época. As que não gestavam passavam a adquirir comportamentos de pseudociese (gravidez psicológica) para que pudessem ajudar as companheiras a cuidar das crias, tanto no instinto protetor como na amamentação.

Estima-se que 50% das cadelas não castradas poderão ter ao menos um episódio de pseudociese durante a vida. Dependendo do caso, a cadelinha pode apenas apresentar algumas mudanças de comportamento não tão específicas, o que pode fazer com que o problema algumas vezes passe desapercebido por seus tutores.

Muitos profissionais defendem que algumas raças possuem uma certa predisposição genética para isso. Cadelas que não estão com cria e adotam filhotes de outras espécies muitas vezes estão com gravidez psicológica e, por isso, passam até mesmo a amamentá-los com certa frequência.

Источник: https://www.petlove.com.br/dicas/gravidez-psicologica-canina

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: