O que é soja, benefícios e como preparar

Rica em fibras, soja combate o colesterol e o envelhecimento precoce

O que é soja, benefícios e como preparar

A soja é considerada a substituta principal de carnes e derivados, por ser a leguminosa com maior teor de proteína absorvida pelo organismo.

E a fama tem uma razão de ser, afinal, ela contém cerca de 40% de proteína de alta qualidade, 20% de lipídios (gorduras) ricos em ácidos graxos poli-insaturados, sendo assim isenta naturalmente de colesterol.

Também é uma boa fonte de minerais, principalmente potássio, fósforo, ferro e magnésio, e de vitaminas do complexo B.

Além disso, a soja é fonte de vitamina E, nutriente essencial para combater o envelhecimento precoce, por causa de sua ação antioxidante. É rica em fibras, que proporciona maior sensação de saciedade, e também estimula a função intestinal. Sem contar que a lecitina de soja é importante para a saúde do cérebro.

Combate o colesterol

O benefício mais conhecido que a soja e seus derivados proporcionam à saúde é ajudar a controlar o colesterol.

Uma dieta que inclua o alimento com regularidade também auxilia no fortalecimento dos ossos, pois diminui a eliminação do cálcio na urina, bem como ajuda a aumentar a massa muscular, graças à ação da proteína de alto valor biológico. Por isso é recomendada para ser consumida por praticantes de atividade física e idosos.

Como as taxas de estrógeno no sangue reduzem muito durante o ciclo menstrual, as isoflavonas presentes na soja são indicadas para diminuir os sintomas da TPM (tensão pré-menstrual). Já no climatério, essas taxas hormonais são ainda mais reduzidas, e é nessa fase que se manifestam a sudorese, as ondas de calor, a pele seca, além de ser uma fase propícia para o desenvolvimento da osteoporose.

Como as isoflavonas são estruturalmente parecidas com o estrógeno (elas ligam-se aos receptores de estrogênio das células), acabam diminuindo os sintomas da menopausa e auxiliando na prevenção da osteoporose e do câncer de mama.

Formas de consumo

Se você procura um alimento saudável, variado e prático na hora do preparo, certamente vai encontrar tudo isso na soja. Ela pode ser consumida em grãos, como o feijão, em salada e em outras preparações. Mas também há opções de produtos industrializados à base de soja que atendem às questões de conveniência, como as bebidas feitas a partir do seu extrato.

Soja é alimento saudável, variado e prático na hora do preparo

Imagem: iStock

Tem ainda a farinha e as proteínas concentrada, isolada e texturizada de soja.

Esta última, aliás, está entre as mais utilizadas formas de substituição à carne bovina, sendo o ingrediente principal de refogados, almôndegas, hambúrgueres e até como estrogonofe.

Há ainda o queijo de soja (tofu); além dos fermentados missô, tempeh e shoyo. Tudo isso sem esquecer do óleo, ingrediente culinário que já faz parte da mesa da maioria dos brasileiros.

Crianças podem consumir?

Crianças e adultos com restrição alimentar, principalmente vegetarianos, veganos e crianças alérgicas ao leite de vaca (APLV), costumam fazer uso do leite de soja.

Segundo Lara Natacci, nutricionista e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), se houver acompanhamento de um pediatra ou nutricionista, não há problema algum no consumo do alimento por crianças a partir de um ano.

“Existem estudos que apontam que crianças que consomem fórmulas infantis à base de soja têm o desenvolvimento normal e similar às que tomam fórmulas à base de leite de vaca”, explica.

Porém, a endocrinologista Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia pela USP, pede cautela. “Diante da ausência de estudos e resultados conclusivos, o ideal seria controlar o consumo de produtos à base de soja na alimentação infantil e sempre seguir a orientação médica”, afirma.

Segundo ela, as isoflavonas seriam reconhecidas pelo organismo como se fossem os estrógenos e, assim, poderiam desencadear uma ação hormonal, que levaria a puberdade precoce. “Existem poucos estudos relacionados ao tema, mas podemos observar essa alteração com um consumo excessivo da soja”, pondera.

É transgênica?

Então, a pergunta é: com tantos benefícios por que você ainda torce o nariz para o alimento e consome apenas o óleo no preparo dos alimentos? Se a resposta for apenas por causa do sabor residual, saiba que este fator já melhorou muito, principalmente os alimentos industrializados à base de soja.

Só que muitas pessoas deixam de consumir a soja por considerá-la transgênica. No entanto, de acordo com informações fornecidas pela Embrapa, o Brasil tem uma política bem estabelecida sobre este assunto.

A CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança) é responsável por avaliar a segurança dos Organismos Geneticamente Modificados (OGM). A avaliação é feita desde o desenvolvimento até a comercialização, com normas de segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam alimentos geneticamente modificados e seus derivados.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por sua vez, não apenas libera o consumo da soja transgênica, bem como recomenda o consumo de 25 gramas do alimento por dia, por adulto (ou o equivalente a 5 copos de leite de soja). Mas é claro que quanto maior for a variedade de produtos à base do alimento melhor, até porque a concentração de proteína varia.

“De toda forma, é importante mencionar que também há no mercado opções de soja orgânica, que atende aos consumidores que queiram consumir alimentos de soja, mas não queiram consumir produtos transgênicos”, recomenda Ilana Felberg, pesquisadora da área de Leguminosas, da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Fontes: Alexei Volaco, professor-adjunto de endocrinologia e metabologia na PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná); Edson Credidio, pós-doutor em ciências de alimentos, pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas); Ilana Felberg, pesquisadora da área de leguminosas da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária); Lara Natacci, nutricionista e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia pela USP e membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia).

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/11/05/rica-em-fibras-soja-combate-o-colesterol-e-o-envelhecimento-precoce.htm

Soja: faz bem ou mal?

O que é soja, benefícios e como preparar
Imagem de Александр Пономарев por Pixabay

A soja, chamada cientificamente de Glycine max, é um tipo de feijão pertencente à família botânica Fabaceae.

Originária da China e do Japão, ela pode ser consumida cozida e nos formatos de óleo de soja, tofu, molho de soja, leite de soja, missô, farinha de soja, proteína de soja, entre outros.

A soja é rica em proteínas e minerais como o cálcio e o magnésio, mas há controvérsia sobre ser benéfica para a saúde. Entenda:

  • O que é tofu e quais são seus benefícios

Informação nutricional

A soja é composta principalmente de proteínas, mas também contém boas quantidades de carboidratos e gorduras. Cada 100 gramas de soja cozida contém:

  • Calorias: 173
  • Água: 63%
  • Proteína: 16,6 gramas
  • Carboidratos: 9.9 gramas
  • Açúcar: 3 gramas
  • Fibra: 6 gramas
  • Gorduras: 9 gramas
  • Saturado: 1,3 gramas
  • Monoinsaturado: 1,98 gramas
  • Poli-insaturado: 5,06 gramas
  • Ômega-3: 0,6 gramas
  • Ômega-6: 4,47 g
  • Alimentos ricos em ômega 3, 6 e 9: exemplos e benefícios

Proteína

A soja está entre as melhores fontes de proteínas de base vegetal, tendo de 36 a 56% do seu peso seco composto por proteína (confira aqui estudos a respeito: 1, 2, 3).

Uma xícara de 172 gramas de soja cozida possui cerca de 29 gramas de proteína. A quantidade de proteína presente na soja é considerado bom. Entretanto, ela não possui todos os nove aminoácidos essenciais (proteínas), como outros alimentos como a quinoa. Saiba mais sobre esse tema nas matérias: “O que são aminoácidos e para que servem” e “Quinoa: benefícios, como fazer e para que serve”.

Os principais tipos de proteínas da soja são a glicinina e a conglicinina, que representam aproximadamente 80% do conteúdo total de proteínas. Porém, essas proteínas podem desencadear reações alérgicas em algumas pessoas (confira aqui estudos a respeito: 4, 5).

O consumo de proteína de soja foi associado a uma diminuição dos níveis de colesterol (confira aqui estudos a respeito: 6, 7, 8).

Gordura

A soja é uma semente oleaginosa usada na produção de óleo de soja. Seu teor de gordura é de aproximadamente 18% do peso seco – sendo constituída principalmente de ácidos graxos poli-insaturados e monoinsaturados, com pequenas quantidades de gordura saturada (confira aqui estudo a respeito: 9).

O tipo predominante de gordura na soja é o ácido linoleico, responsável por aproximadamente 50% do conteúdo total de gordura.

Carboidratos

Por ser pobre em carboidratos, a soja integral possui um baixo índice glicêmico (IG), que é uma medida de como os alimentos afetam o aumento do açúcar no sangue após sua ingestão. Isso significa que ela é adequada para pessoas com diabetes.

  • O que é índice glicêmico?

Fibra

A soja contém uma quantidade razoável de fibras solúveis e insolúveis. As fibras insolúveis são principalmente alfa-galactósidos, que podem causar flatulência e diarreia em indivíduos sensíveis (confira aqui estudos a respeito: 10, 11).

Os alfa-galactósidos pertencem a uma classe de fibras denominadas FODMAPs (sigla para Oligossacarídeos Fermentáveis, Dissacarídeos, Monossacarídeos e Polióis), que podem piorar os sintomas da síndrome do intestino irritável (SII) (confira aqui estudo a respeito: 12).

Apesar de causar efeitos colaterais desagradáveis ​​em algumas pessoas, as fibras solúveis da soja normalmente são consideradas saudáveis. Elas são fermentados por bactérias no intestino, levando à formação de ácidos graxos de cadeia curta, que podem melhorar a saúde intestinal e reduzir o risco de câncer de cólon (confira aqui estudos a respeito: 13, 14).

  • O que são alimentos probióticos?
  • O que são alimentos prebióticos?

Vitaminas e minerais

A soja é uma boa fonte de vitaminas e minerais, incluindo:

  • Molibdênio: um oligoelemento essencial encontrado principalmente em sementes, grãos e legumes (15);
  • Vitamina K1: desempenha um papel importante na coagulação do sangue (16);
  • Folato: também conhecida como vitamina B9, o folato tem várias funções no corpo e é considerado particularmente importante durante a gravidez (17);
  • Cobre: sua ingestão é baixa nas populações ocidentais. A deficiência pode ter efeitos adversos na saúde do coração (18);
  • Manganês: um oligoelemento encontrado na maioria dos alimentos e na água potável. O manganês é pouco absorvido da soja devido ao seu alto teor de ácido fítico (19);
  • Fósforo: a soja é uma boa fonte de fósforo, um mineral essencial abundante na dieta ocidental;
  • Tiamina: também conhecida como vitamina B1, a tiamina desempenha um papel importante em muitas funções corporais.
  • O que é ácido fítico e como eliminá-lo dos alimentos

Outros compostos vegetais

A soja é rica em vários compostos vegetais bioativos (confira aqui estudos a respeito: 19, 20, 21, 22):

  • Isoflavonas: sendo um tipo de polifenol antioxidante, as isoflavonas tem uma variedade de efeitos na saúde;
  • Ácido fítico: encontrado em todas as sementes, o ácido fítico (fitato) prejudica a absorção de minerais como zinco e ferro. Os níveis deste ácido podem ser reduzidos fervendo, brotando ou fermentando os grãos. Saiba mais na matéria: “O que é ácido fítico e como eliminá-lo dos alimentos”;
  • Saponinas: uma das principais classes de compostos vegetais da soja, as saponinas reduzem o colesterol.
  • Colesterol alterado tem sintomas? Saiba o que é e como se prevenir

Isoflavonas

A soja é um dos alimentos com maior quantidade de isoflavonas (confira aqui estudo a respeito: 23). As isoflavonas são fitonutrientes únicos que se assemelham ao hormônio sexual feminino estrogênio. De fato, eles pertencem a uma família de substâncias chamadas fitoestrógenos (estrógenos vegetais).

Os principais tipos de isoflavonas da soja são a genisteína (50%), daidzeína (40%) e gliciteína (10%) (confira aqui estudo a respeito: 23).

Algumas pessoas possuem um tipo especial de bactéria intestinal que pode converter daidzeína em equol, substância considerada responsável por muitos dos efeitos benéficos à saúde proporcionados pelo consumo de soja.

Essas pessoas se beneficiam muito mais do consumo de soja do que aquelas cujos organismos não conseguem converter a daidzeína (confira aqui estudo a respeito: 24).

A porcentagem de produtores de equol é maior nas populações asiáticas e entre os vegetarianos do que na população ocidental geral (confira aqui estudos a respeito: 25, 26).

  • Como ser vegetariano: 12 dicas imperdíveis
  • Benefícios de ser vegetariano

Benefícios para a saúde

Como a maioria dos alimentos integrais, a soja tem vários efeitos benéficos para a saúde.

Pode reduzir o risco de câncer

O câncer é uma das principais causas de morte na sociedade moderna. A ingestão de produtos à base de soja está ligada ao aumento do tecido mamário nas mulheres, aumentando hipoteticamente o risco de câncer de mama (confira aqui estudos a respeito: 27, 28, 29).

No entanto, a maioria dos estudos observacionais indica que o consumo de produtos à base de soja pode reduzir o risco de câncer de mama (confira aqui estudos a respeito: 30, 31).

Os estudos também indicam um efeito protetor contra o câncer de próstata em homens (confira aqui estudos a respeito: 32, 33, 34).

Vários compostos da soja – incluindo as isoflavonas e a lunasina – podem ser responsáveis ​​pelos potenciais efeitos preventivos do câncer (confira aqui estudos a respeito: 35, 36). A exposição a isoflavonas no início da vida pode ser particularmente protetora contra o câncer de mama mais tarde na vida (confira aqui estudos a respeito: 37, 38).

Entretanto, é preciso levar em conta que essas conclusões foram obtidas a partir de estudos observacionais, que indicam apenas a correlação entre o consumo de soja e a prevenção de câncer, e não comprovam a causa.

Além disso, é preciso levar em conta que a soja, principalmente no Brasil, possui altos níveis de agrotóxicos, incluindo o glifosato.

Estudos correlacionam o consumo de glifosato com o aparecimento de doenças como câncer, obesidade, diabetes, doenças cardíacas, depressão, autismo, infertilidade, mal de Alzheimer, mal de Parkinson, microcefalia, intolerância ao glúten, alterações hormonais, Linfoma Não Hodgkin, câncer de osso, câncer do cólon, câncer de rim, câncer de fígado, melanoma, câncer do pâncreas, câncer de tireoide, entre outras. Saiba mais sobre esse tema na matéria: “Glifosato: herbicida muito utilizado pode causar doenças fatais”.

Dessa forma, seja o consumo de soja em grãos, no formato de tofu, proteína de soja ou qualquer outro, opte sempre pela soja orgânica. Saiba mais sobre esse tema na matéria: “O que são alimentos orgânicos?”.

Alívio dos sintomas da menopausa

A menopausa é o período da vida da mulher em que a menstruação cessa. Saiba mais sobre esse tema na matéria: “Menopausa: sintomas, efeitos e causas”. Normalmente, a menopausa aparece com sintomas desagradáveis ​​- como sudorese, ondas de calor e alterações de humor – que são provocados por uma redução nos níveis de estrogênio.

Curiosamente, as mulheres asiáticas – especialmente as japonesas – são menos propensas a apresentar sintomas da menopausa do que as mulheres ocidentais. Hábitos alimentares, como o maior consumo de alimentos à base de soja na Ásia, podem explicar essa diferença.

Estudos indicam que as isoflavonas, uma família de fitoestrogênios encontrados na soja, podem aliviar esses sintomas (confira aqui estudos a respeito: 39, 40).

  • Remédio para menopausa: sete opções naturais

Entretanto, os produtos à base de soja não afetam todas as mulheres da mesma forma. A soja só parece ser eficaz nos organismos que são capazes de produzir equol – devido à presença de um tipo de bactéria intestinal capaz de converter isoflavonas em equol.

O equol pode ser responsável por muitos dos benefícios da soja. Um estudo demonstrou que a ingestão diária de 135 mg de isoflavonas por uma semana – 68 gramas de soja por dia – reduziu os sintomas da menopausa apenas em pessoas capazes de produzir equol.

Embora as terapias hormonais tenham sido tradicionalmente usadas como tratamento para os sintomas da menopausa, os suplementos de isoflavona são amplamente utilizados como tratamento complementar (confira aqui estudo a respeito: 41).

Saúde óssea

A osteoporose é caracterizada pela redução da densidade óssea, que aumenta o risco de fraturas, especialmente em mulheres mais velhas. O consumo de produtos à base soja pode reduzir o risco de osteoporose em mulheres que passaram pela menopausa (confira aqui estudos a respeito: 42, 43).

Esses efeitos benéficos parecem ser causados ​​pelas isoflavonas (confira aqui estudos a respeito: 44, 45, 46, 47).

Preocupações e efeitos adversos

Embora a soja tenha vários benefícios à saúde, algumas pessoas precisam limitar o consumo de produtos de soja – ou evitá-los completamente.

Supressão da função da tireoide

A alta ingestão de produtos de soja pode suprimir a função da tireoide em algumas pessoas e contribuir para o hipotireoidismo – uma condição caracterizada pela baixa produção de hormônios da tireoide (confira aqui estudo a respeito: 48).

A tireoide é uma glândula grande que regula o crescimento e controla a taxa na qual o organismo gasta energia. Estudos em animais e humanos indicam que as isoflavonas encontradas na soja podem suprimir a formação de hormônios da tireoide (confira aqui os estudos a respeito: 49, 50).

Um estudo em 37 adultos japoneses mostrou que ingerir 30 gramas de soja por dia durante três meses causou sintomas relacionados à função suprimida da tireoide. Os sintomas incluíam desconforto, sonolência, constipação e aumento da tireoide – todos desaparecendo após o término do estudo.

Outro estudo em adultos com hipotireoidismo leve constatou que a ingestão de 16 mg de isoflavonas todos os dias por dois meses suprimiu a função da tireoide em 10% dos participantes. A quantidade de isoflavonas consumidas foi bastante pequena – equivalente a ingerir 8 gramas de soja por dia.

No entanto, a maioria dos estudos em adultos saudáveis ​​não encontrou nenhuma ligação significativa entre o consumo de soja e alterações na função da tireoide (confira aqui os estudos: 51, 52, 53).

Uma análise de 14 estudos observou que não há efeitos adversos significativos do consumo de soja na função tireoidiana em adultos saudáveis, enquanto bebês nascidos com deficiência de hormônio tireoidiano foram considerados em risco.

Em suma, o consumo regular de produtos à base de soja ou suplementos de isoflavona pode levar ao hipotireoidismo em indivíduos sensíveis, especialmente aqueles que possuem uma glândula tireoide hipoativa.

Flatulência e diarreia

Como a maioria dos outros grãos, a soja contém fibras insolúveis, que podem causar flatulência e diarreia em indivíduos sensíveis (confira aqui estudos a respeito: 54, 55). Embora não sejam prejudiciais à saúde, esses efeitos colaterais podem ser desagradáveis.

  • Remédio para diarreia: seis dicas no estilo caseiro

Pertencentes à classe de fibras FODMAPs, as fibras rafinose e estaquiose podem piorar os sintomas da SII (confira aqui estudo a respeito: 56).

Alergia

A alergia alimentar é uma condição comum causada por uma reação imune prejudicial a certos componentes dos alimentos. A alergia à soja é desencadeada pelas proteínas da soja – glicinina e conglicinina – encontradas na maioria dos produtos à base de soja (confira aqui estudo a respeito: 57).

Embora a soja seja um dos alimentos alergênicos mais comuns, a alergia é relativamente incomum em crianças e adultos (confira aqui estudos a respeito: 58, 59).

Fonte: Atli Anarson, Wikipédia, PubMedia

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/7567-soja.html

Homens não devem consumir? Saiba o que é mito e verdade sobre a soja | Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O que é soja, benefícios e como preparar

A soja ainda é um alimento cercado de mitos. Saiba alguns.

Apesar de oferecer muitos benefícios à saúde, alimento ainda é associado a polêmicas e tabus; descubra alguns deles

Na salada, no leite vegetal ou até mesmo no sanduíche: a soja está presente na alimentação dos brasileiros de muitas formas diferentes, todas igualmente nutritivas. Cultivada pela primeira vez há cerca de cinco mil anos, na Ásia, a soja é considerada uma excelente fonte de proteína vegetal, o que a torna ingrediente favorito de dietas veganas e vegetarianas.

Mas as vantagens não param por aí. Além do alto valor proteico, o grão oferece muitos benefícios à saúde de uma forma geral, como redução dos níveis do colesterol ruim, o LDL, manutenção da saúde óssea e também melhora do trânsito intestinal, graças à presença de fibras no alimento. E a melhor parte é que você pode consumir a soja como bem preferir, do café da manhã ao jantar.

“A soja é considerada um dos mais completos alimentos de origem vegetal e vem demonstrando seu valor para a saúde por conta do seu bom perfil nutricional.

Por ser rica em nutrientes, proteínas e gorduras essenciais, como ômegas 3 e 6, além de possuir quantidades significativas de minerais, como cálcio, cobre, ferro, fósforo e zinco, e vitaminas do complexo B”, observa o nutricionista Breno da Silva Lozi, professor de Nutrição e Dietética no Centro de Ensino Enf-Ciência, em Minas Gerais.

Apesar das boas notícias, esse grão ainda é cercado por mitos e temores. Pensando em esclarecer o que é real e o que é boato quando o assunto é soja, o Minha Vida conversou com especialistas para desvendar algumas das principais dúvidas dos leitores em relação aos benefícios e melhores formas de consumo do alimento. Veja abaixo:

A soja é prejudicial para os homens?

As isoflavonas são compostos fitoquímicos presentes na soja que, nas mulheres, ajudam a reduzir efeitos adversos da menopausa, TPM e até perda da massa óssea.

Por isso, difundiu-se a ideia errônea de que a soja, nos homens, seria responsável pelo surgimento de características femininas, como seios e diminuição da testosterona. A ciência prova o contrário.

“Vários estudos científicos demonstram que homens podem consumir a soja ou derivados sem receio. Nos homens, não se constataram quaisquer alterações na fertilidade ou na produção de hormônios masculinos. Ao contrário, algumas pesquisas observaram que a isoflavona poderia ter efeitos benéficos no sentido de proteger contra o câncer de próstata”, esclarece o nutricionista Breno Lozi.

A soja previne doenças cardiovasculares?

Tudo começa com o fato de que a soja é rica em fibras do tipo solúveis e insolúveis, que reduzem a absorção de colesterol pelo organismo. Dessa forma, ela acaba prevenindo o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

“Este alimento funcional possui um papel preventivo e terapêutico em relação às doenças relacionadas ao coração. Quando consumida diariamente, a soja previne em até quatro vezes as doenças cardíacas nas mulheres. Os componentes da soja agem no controle do acúmulo de gordura nas artérias, auxiliando na redução do colesterol e o risco de doenças cardíacas”, afirma o nutricionista Breno Lozi.

A soja melhora o funcionamento do intestino?

Como atenta a nutricionista Fernanda Maluhy, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a alimentação não se baseia apenas pela questão nutricional, ou seja, o paladar também é importante. Por isso, para quem gosta de soja, não há nenhuma contraindicação de consumi-la todos os dias, principalmente no caso de dietas veganas e vegetarianas.

A soja não deve ser consumida todos os dias?

Como atenta a nutricionista Fernanda Maluhy, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a alimentação não se baseia apenas pela questão nutricional, ou seja, o paladar também é importante. Por isso, para quem gosta de soja, não há nenhuma contraindicação de consumi-la todos os dias, principalmente no caso de dietas veganas e vegetarianas.

“Sempre falo que não existe uma regra para todos os alimentos. Então, ela pode ser ingerida todos os dias, só depende da maneira como você a consome.

Gosto muito dos alimentos que são derivados da soja e fermentados, como o tofu, por exemplo. Ele tem mais benefícios que a soja em si. O importante, na verdade, é o conjunto da alimentação, não só a soja.

Não existe um alimento isoladamente que vai ser milagroso em um aspecto ou que vai te prejudicar”, pontua a especialista.

A soja faz mal na infância?

Na infância, é muito importante contar com a recomendação do pediatra, nutricionista ou nutrólogo sobre a quantidade de soja adequada para a criança em cada fase do desenvolvimento. Não há um consenso científico sobre os efeitos da soja em crianças, portanto, a recomendação dos especialistas é a de que não haja o consumo excessivo.

“A soja de fato possui muitos benefícios, mas as crianças devem consumi-la com muita moderação, já que o excesso deste alimento pode prejudicar o crescimento e proporcionar alterações hormonais.

A soja possui fitoestrógeno, que é uma substância vegetal parecida com o estrógeno, o hormônio feminino.

Os resultados ainda não determinaram um consenso científico, por isso a recomendação é não exagerar no consumo”, ressalta o nutricionista Breno Lozi.

A soja causa má digestão?

Em alguns casos, a soja pode estimular alguns desconfortos gastrointestinais, como dores na região abdominal e flatulência. De acordo com a nutricionista Fernanda Maluhy, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, isso ocorre devido à presença de um componente na soja, conhecido como fitato.

Para amenizar as reações causadas pelos fitatos da soja, a dica é investir na técnica de remolho, deixando os grãos ficam submersos na água por um determinado tempo. Isso vale também para outros tipos de leguminosas, como feijão e grão de bico.

“Os fitatos são conhecidos por diminuir a disponibilidade de diversos nutrientes, em particular o zinco (um mineral muito importante para o funcionamento do organismo, inclusive para a digestão de outros nutrientes) e o cálcio, diminuindo também a absorção de proteínas e aminoácidos. O ideal é deixar de molho em água de um dia para o outro para promover a fermentação natural. Somente o processo térmico não irá amenizar. Desta forma, a quantidade de fitatos é reduzida em cerca de 90%”, esclarece a especialista.

A soja diminui os sintomas da menopausa?

A menopausa é caracterizada pela queda dos hormônios estrogênio e progesterona no organismo feminino. A soja, por ser rica em isoflavonas, um tipo de fitoestrogênio, pode reequilibrar os níveis de hormônios no corpo da mulher, reduzindo os sintomas desagradáveis da menopausa.

“Por ser rica em isoflavonas e conter fitoestrogênio, a soja age como uma espécie de fonte natural de hormônios para a mulher que está começando a entrar na menopausa.

A vantagem do consumo da soja nessas situações é que a substância presente nela não traz todos os efeitos colaterais perigosos do estrogênio sintético, sendo uma alternativa natural para amenizar os efeitos da menopausa.

Os resultados do consumo regular da soja para a mulher na menopausa são: redução na alteração da libido e da lubrificação, diminuição no aumento de peso natural neste momento, redução do estresse, dentre outros”, afirma o nutricionista Breno Lozi.

A soja pode substituir a carne vermelha?

A soja é rica em proteínas de origem vegetal, sendo muito recomendada para pessoas que seguem uma dieta vegana ou vegetariana.

Porém, a carne vermelha conta com outras vitaminas que precisam ser repostas e que não são encontradas na soja, o que reforça a importância de uma dieta equilibrada e diversificada.

“Em termos dos aminoácidos essenciais, a soja pode, sim, substituir a carne vermelha. Ela é o único vegetal que tem todos os aminoácidos que existem na carne vermelha. Ela só não a substitui em relação a outros nutrientes, como as vitaminas como B12, principalmente”, explica a nutricionista Fernanda Maluhy.

A soja emagrece?

Apesar da ideia tentadora, não existe um único alimento capaz de queimar gorduras e reduzir medidas, infelizmente.

O segredo é adotar um estilo de vida diferente, combinando múltiplos fatores que favorecem o emagrecimento, e então aproveitar as vantagens da soja.

“O processo de emagrecer vai depender de um conjunto de mudanças e não apenas a inclusão ou exclusão de um alimento. Estudos científicos demonstram que dietas com a proteína do grão saciam mais em comparação àquelas que incluem apenas proteína animal. Não significa que você deve retirar do cardápio carne, frango e peixe, mas incluir a soja”, finaliza Breno Lozi.

Data: 03/08/2018
Fonte: Minha Vida

Источник: https://www.hospitaloswaldocruz.org.br/imprensa/noticias/homens-nao-devem-consumir-saiba-o-que-e-mito-e-verdade-sobre-soja

Farinha de soja e seus benefícios em saborosas receitas

O que é soja, benefícios e como preparar

Foto: shutterstock

A farinha de soja pode ser uma aliada para quem quer perder peso e mandar para longe a TPM!

A soja já é uma queridinha na vida de muitas pessoas – principalmente no cardápio dos vegetarianos. Sendo uma fonte riquíssima de proteínas, seu consumo pode ajudar a prevenir problemas como anemia e sintomas de fraqueza, levando vitamina e outros nutrientes para todas as demais partes do organismo.

Uma alternativa para incluí-la no dia a dia é a farinha de soja. Muito conhecida pelo seu poder emagrecedor, a farinha pode ser uma boa substituta em receitas que contenham farinha com glúten. Isso porque, além de contribuir para a perda de peso, ela também é rica em nutrientes, garantindo diversos benefícios a saúde.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Vale ressaltar que a farinha é feita por meio da soja torrada, e em seguida, moída. Ou seja, a maior parte do seu valor nutricional é preservada, sendo uma boa forma de deixar seus alimentos mais saudáveis – incrível, não? Então vem conferir mais razões para adotar essa maravilha nas suas refeições!

Ajuda na perda dos quilinhos indesejados

Aliada das dietas, a farinha de soja é reconhecida por conter muitas fibras e proteínas, dois nutrientes capazes de garantir a sensação de saciedade e evitar aquela vontade descontrolada de “beliscar” comidas ao longo do dia. Dessa forma, o apetite é reduzido.

A antocianina, uma substância anti-inflamatória presente na soja, também é responsável por atuar nas células adiposas, contribuindo para queimar as gorduras no organismo, e, consequentemente, auxiliar na perda de peso.

Mas como sempre, vale lembrar que “só a soja” não é a solução. Inclua este alimento no cardápio, mas também não deixe de praticar atividades físicas regularmente e ter um cardápio equilibrado, afinal, é todo o conjunto – aliado a mudanças de hábitos – que garante um resultado final eficaz.

Xô menopausa e TPM

Alô mulherada: notícias muito boas! Sabemos como os sintomas da menopausa e da tensão pré-menstrual (TPM) são realmente terríveis, causando desconfortos extremamente desagradáveis. Porém, há como reduzir os sintomas por meio da alimentação, e um desses ingredientes é a farinha de soja.

A farinha contém a isoflavona que ameniza os efeitos da menopausa e a TPM. Essa substância age regulando a taxa de estrógeno, um hormônio que sofre variações bruscas durante esses períodos – e que, consequentemente, acabam gerando os indesejados sintomas.

Controle do colesterol

Mais uma vez a antocianina veio para surpreender. Presente na farinha de soja, ela é capaz de controlar o nível de colesterol no sangue, contribuindo para reduzir as taxas do colesterol ruim (LDL) e elevar o bom (HDL). Com níveis equilibrados, doenças cardiovasculares – como infarto e AVC – podem ser evitados.

Músculos fortes e saudáveis

Esse benefício vai principalmente para os frequentadores assíduos da academia. As proteínas e nutrientes presentes na soja – como magnésio, ferro e vitaminas do complexo B –  funcionam como importante reconstrutor, reparando as fibras e contribuindo para o crescimento muscular. Para quem malha, a farinha é uma boa opção para variar o frango grelhado.

Foto: shutterstock

Oleaginosa cheia de benefícios, a soja pode ser encontrada na versão de grãos, farinha, óleo ou leite.

Reforça sistema imunológico

O zinco presente na farinha de soja contribui para fortalecer o sistema imunológico, reforçando a defesa do organismo e reduzindo as chances de passar por uma gripe ou resfriado.

Preserva a saúde dos ossos

Além do cálcio, um importante nutriente para o fortalecimento dos ossos, magnésio e isoflavonas – também presentes na farinha de soja – contribuem, em conjunto, para a saúde óssea, prevenindo doenças como osteoporose.

Onde posso incluir a farinha de soja?

A farinha de soja, por ter um sabor neutro, pode ser adicionada em pratos do dia a dia, tal como saladas, sopas, massas, molhos, além de ser uma alternativa saudável quando for substituir a farinha branca com glúten em receitas como bolos, tortas ou pizzas.

Você também pode utilizá-la em bebidas, como sucos, shakes, vitaminas e até chás.

Moderação no consumo da farinha de soja

É recomendável que pessoas com problemas renais evitem o consumo de farinha de soja. O alto teor de magnésio pode gerar o acúmulo de cálcio, levando a problemas como cálculo renal.

Foto: shutterstock

A farinha de soja pode contribuir para fortalecer os ossos, músculos e sistema imunológico.

Источник: https://blog.tudogostoso.com.br/noticias/farinha-de-soja-e-seus-beneficios-em-saborosas-receitas/

Conheça os benefícios de consumir proteína de soja e veja receitas

O que é soja, benefícios e como preparar

Foto: Thinkstock

A proteína de soja é obtida do grão desengordurado da soja através de um processo que combina alta temperatura e pressão. Ela é uma proteína de origem vegetal benéfica à saúde, rica nutricionalmente, com baixo teor de gordura, colesterol e lactose, digestiva – pois contém fibras, que tem um sabor neutro fácil de ser inserido em diversas receitas.

Esta proteína, que é facilmente encontrada em lojas de produtos naturais, é considerada um elixir da saúde pelos cientistas, já que ela é um alimento funcional, ou seja, contém substâncias que trazem benefícios à saúde, nutrientes essenciais para uma vida saudável e contribui para a redução de doenças crônicas.

Estudos clínicos e epidemiológicos mostram que as populações asiáticas, principalmente China e Japão, que consomem uma alimentação rica em soja, apresentam menos sintomas de síndrome do climatério, sofrem menos de osteoporose, afecções cardiovasculares e alguns tipos de câncer. Por conta disso, diversas pesquisas para se conhecer os mecanismos de ação dos compostos naturais que se encontram na soja foram e estão sendo feitas.

Segundo a conclusão de alguns estudos já realizados, os efeitos saudáveis no corpo ocorrem graças a substancias como a saponina, que atua na manutenção do sistema imunológico e reduz a absorção do colesterol no intestino; o fitosterol, que reduz os níveis de colesterol; e as isoflavonas, que têm efeitos antioxidantes e atividade estrogênica, sendo um fitoestrógeno benéfico no combate aos sintomas da menopausa, ao envelhecimento precoce e ao excesso de gordura abdominal.

Conheça duas receitas com proteína de soja, uma para o almoço e outra para sobremesa. Com elas você experimenta maneiras deliciosas de se manter saudável e bela:

Estrogonofe de Soja

Ingredientes da massa

  • 500g de mandioquinha descascada e cozida;
  • 1/2 lata de creme de leite light;
  • 1/2 xícara de chá de proteína de soja;
  • Sal a gosto.

Ingredientes do recheio

  • 1 cenoura ralada;
  • 2 colheres de sopa de azeite;
  • Temperos verdes a gosto (salsinha, coentro, manjericão, tomilho);
  • Pimenta branca a gosto;
  • Sal a gosto;
  • 100 g muçarela de búfala.

Modo de Preparo

  1. Esprema a mandioquinha, adicione o creme de leite e a proteína de soja, que deve ser hidratada e preparada conforme as instruções do fabricante, e misture bem até formar um purê. Coloque o sal e reserve;
  2. Refogue a cenoura com os temperos verdes numa panela com azeite. Adicione o sal e pimenta. Deixe secar bem o caldo e deixe esfriar;
  3. Forre um refratário com o purê feito da mandioquinha, creme de leite e proteína de soja. Coloque com cuidado a mistura da cenoura com os temperos verdes sobre a camada de purê. Cubra tudo com muçarela de búfala e leve ao forno para gratinar.

Torta de Nozes com Proteína de Soja

Ingredientes da massa

  • 4 ovos;
  • 5 colheres de sopa de farinha de rosca;
  • 3 colheres de sopa de nozes moída;
  • 3 colheres de sopa de proteína texturizada de soja escura;
  • 1 colher de chá de essência de baunilha;
  • 1 colher de sopa de adoçante para forno e fogão;
  • 1 colher de sopa de fermento em pó;
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal para untar a forma.

Ingredientes do recheio

  • 1 pacote de pudim diet de baunilha preparado conforme instrução do fabricante.

Ingredientes da calda

  • 100 ml de água filtrada ou mineral;
  • 1 colher de sobremesa de adoçante para forno e fogão;
  • 1 colher de chá de essência de baunilha.

Ingredientes da cobertura

  • 2 colheres sopa de nozes moída;
  • 2 colheres de sopa de coco ralado sem açúcar;
  • 2 colheres de sopa de proteína escura de soja.

Modo de Preparo

  1. Bata as claras em neve, e vá acrescentando as gemas uma a uma;
  2. Desligue a batedeira e adicione a baunilha, a farinha de rosca, as nozes, a proteína de soja, o adoçante e por último o fermento;
  3. Unte a forma com óleo vegetal polvilhe a farinha de rosca;
  4. Asse em forno preaquecido a 180 graus por 25 minutos;
  5. Misture os ingredientes da calda e leve ao fogo até ferver;
  6. Parta o bolo ao meio e molhe com a calda depois de fria;
  7. Recheie com o pudim diet, preparado conforme instruções do fabricante, e cubra a torta com esse pudim;
  8. Misture as nozes, o coco ralado e a proteína de soja e enfeite a torta;
  9. Leve à geladeira por 4 horas antes de servir.

O consumo da proteína de soja é importante para todas as fases da vida e não deve ser entendida como um tratamento aliado apenas para pessoas que estão doentes, com alguma alteração no organismo ou sintoma desagradável. Alimentar-se com frequência com proteína de soja é prevenir-se, garantindo saúde para o hoje e o futuro.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Источник: https://www.dicasdemulher.com.br/conheca-os-beneficios-de-consumir-proteina-de-soja-e-veja-receitas/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: