O que fazer para aumentar a testosterona

Como aumentar a testosterona rápido com 5 técnicas infalíveis

O que fazer para aumentar a testosterona

Saber como aumentar a testosterona é essencial para quem quer ganhar massa muscular.

A testosterona é um hormônio que, entre outras coisas, funciona como um esteroide anabolizante produzido naturalmente pelo corpo. Isso significa que, se você quer aumentar sua massa muscular, ter bons níveis de testosterona no organismo é essencial.

Apesar de ser um hormônio andrógeno, mulheres também produzem testosterona. No caso delas, em quantidades até vinte vezes menor, porém com uma sensibilidade maior. Isso significa que, se você for mulher e também quer aumentar a massa magra, as dicas deste post também lhe são úteis.

Como você deve imaginar, o estilo de vida moderno não é muito propício para a produção de testosterona. Alimentação de má qualidade, sedentarismo, estresse, pouco sono e muita luz artificial faz o homem moderno em média ter menos testosterona do que seus antepassados.

A melhor maneira de saber como aumentar a testosterona é primeiro fazendo um exame de sangue ou um teste de saliva para verificar como estão os seus níveis.

Há alguns sinais de que os seus níveis de testosterona podem estar baixos:

  • Baixo apetite sexual
  • Cansaço excessivo
  • Pensamento confuso ou falta de memória
  • Alterações bruscas no humor
  • Dificuldade em ganhar massa muscular
  • Acúmulo de gordura no corpo
  • Perda de massa óssea ou osteoporose
  • Baixo crescimento de pelos no corpo
  • Dificuldades para dormir

Além disso, o consumo de alguns tipos de medicamentos (como finasterida para combater a queda de cabelos ou bromoprida para melhorar a digestão) também dificultam a produção de testosterona.

A testosterona tem um papel essencial no ganho de massa muscular e qualquer mudança nos níveis deste hormônio irão impactar diretamente os seus resultados no desafio de entrar em forma.

Então, como aumentar a testosterona? Seguindo as cinco dicas deste artigo.

Como aumentar a testosterona #1 – Corte o açúcar

O modo mais direto de saber como aumentar a testosterona é por meio da alimentação. E o grande vilão para os seus baixos níveis de testosterona pode ser o açúcar.

Em 2012, o estudo Abrupt Decrease in Serum Testosterone After an Oral Glucose Load in Men demonstrou que homens com saúde normal tiveram uma queda temporária de 25% na testosterona após ingerir uma bebida rica em açúcar.

A testosterona se manteve baixa por duas horas e cerca de 80% dos pesquisados tiveram os níveis de testosterona reduzidos a um nível que seria considerado até como problema clínico.

Aí você pode pensar: ok, mas foi apenas uma baixa temporária, de duas horas.

Pense novamente. Quantas vezes você consome açúcar por dia? Se seguir a média da população, toma café da manhã com um suco, iogurte ou mesmo café preto cheio de açúcar. Duas horas de baixa.

Depois no almoço, manda para dentro outro suco ou refrigerante e uma sobremesa doce. Mais duas horas de baixa.

No jantar, o padrão se repete e mais duas horas de baixa testosterona se acumulam.

Mesmo sem considerar pequenos lanches, só aí você tem seis horas de baixa testosterona durante um dia comum.

A melhor maneira de você se livrar dos efeitos deletérios do açúcar (não só na testosterona, mas na saúde como um todo) é seguir uma dieta composta apenas por alimentos de verdade. Para saber como fazer isso, baixe e leia nosso livro gratuito Mude Seu Corpo clicando na imagem abaixo:

Baixe aqui o ebook Mude Seu Corpo

O livro traz absolutamente tudo o que você precisa saber sobre o método cientificamente comprovado que te faz emagrecer e ter mais saúde comendo quando e quanto você quiser, sem ter que contar calorias, sem ter comer de três em três horas, sem ter que se matar na academia e sem ter que comer feito um passarinho.

De quebra, você ainda vai dominar como aumentar a testosterona por meio da alimentação.

Clique aqui para baixar gratuitamente o e-book Mude Seu Corpo.

Como aumentar a testosterona #2 – Levante os braços

O título do post já avisa que as recomendações são inusitadas. Se eu lhe dissesse que você pode reduzir o estresse e aumentar em 20% os níveis de testosterona em apenas dois minutos simplesmente levantando os braços, você acreditaria?

Pois uma pesquisa da Universidade de Harvard, conduzida por Amy Cuddy, provou que, quando assumimos posturas físicas empoderadoras por dois minutos, isso causa mudanças no nosso corpo, como o aumento de 20% nos níveis de testosterona e diminuição de 25% no hormônio do estresse (cortisol).

Vamos repetir: dois minutos simplesmente mudando nossa postura física podem fazer com que nosso cérebro fique mais assertivo, mais confiante, mais confortável. Nosso corpo tem o poder de rapidamente mudar o nosso estado!

Nessa rápida palestra do TED Talks 2012, Amy Cuddy explica em detalhes como essa “mágica” funciona:

https://www..com/watch?v=Ks-_Mh1QhMc&t=1s

O vídeo não é especificamente sobre como aumentar a testosterona, mas serve também para isso.

Como aumentar a testosterona #3 – Vá para a cama (não para dormir)

A testosterona é segregada principalmente pelos testículos nos homens e pelos ovários nas mulheres, embora seja também segregada em pequenas quantidades pelas glândulas suprarrenais.

Não por acaso, ela é conhecida como hormônio sexual. Isso significa que, se você está indo para a cama (não para dormir) com frequência, é provável que isso ajude a manter altos os níveis de testosterona.

Para quem é solteiro, a boa notícia é que os órgãos que produzem testosterona não tem grande discernimento. Então não importa se você está indo para a cama com alguém, se está praticando o autossexo ou se está vendo “filmes educativos” no computador: o resultado será praticamente o mesmo para efeitos de como aumentar a testosterona.

O ideal é ter uma atividade sexual logo pela manhã, por ser o período do dia em que os níveis de testosterona estão mais altos, levando você a ter menos chances de esgotá-los do que se fizer sexo à noite. Mas qualquer hora é hora.

Como aumentar a testosterona #4 – Vá para a cama (e durma)

Dormir menos do que o necessário pode resultar em uma diminuição de até 10% nos seus níveis de testosterona.

Embora haja um senso comum de que todo ser humano precisa de oito horas seguidas de sono por noite, a verdade é que essa necessidade varia de pessoa para pessoa. E mesmo para uma pessoa, a necessidade varia de acordo com o cansaço do dia.

Assim, pode ser que em uma noite você precisa de nove horas de sono após um dia estafante e em outras noites você necessite de apenas seis horas.

O ideal seria dormirmos enquanto estivermos com sono e acordar naturalmente com a luz do sol, sem a necessidade de um despertador. Como isso não é possível para a maioria de nós, tente ao menos ir para a cama cerca de oito horas antes da hora que você tem que acordar com o despertador.

Além do sono, o estresse em si é outro inimigo da testosterona. O estresse produz o aumento do hormônio cortisol e interrompe a produção de testosterona. Tudo o que você não quer.

Por isso, procurar levar uma vida mais leve, equilibrando trabalho e lazer, e dedicando tempo para você mesmo é essencial para reduzir o estresse.

Como aumentar a testosterona #5 – Pegue pesado e seja rápido

A melhor forma de aumentar seus níveis de testosterona e ganhar massa muscular por meio de exercícios físicos é levantar cargas pesadas em algumas poucas repetições de um treino rápido e intenso e fazer um treinamento aeróbico intervalado de alta intensidade.

Se você não é um iniciante na musculação, deixe de lado as tradicionais séries de muitas repetições (tipo 3×10 ou 4×10) e experimente mudar o foco do seu treino para o aumento de cargas, usando de 4 a 6 ou 6 a 8 repetições.

Michael Matthews, autor de Malhar, Secar, Definir, afirma que treinar pesado na faixa de 4 até 8 repetições nos exercícios é uma maneira extremamente efetiva para estimular tanto a hipertrofia miofibrilar como a sarcoplasmática, resultando em músculos grandes, densos e fortes que não desaparecem depois que você sai da academia.

A maioria desses exercícios devem ser os compostos, ou seja, aqueles em que você movimenta pelo menos duas articulações enquanto o pratica, como levantamento terra, agachamento, supino, barra fixa, desenvolvimento para ombros etc.

Se você quer saber como escolher os melhores, saiba quais são os 10 melhores exercícios para você ganhar massa muscular.

Além da musculação, outra forma de aumentar seus níveis de testosterona é utilizando de duas a três vezes por semana o treinamento intervalado de alta intensidade, também conhecido como HIIT. No link acima você também encontra orientações de como executar esse treino.

Se puder, faça o HIIT em um parque ou na rua com a luz do sol para produzir vitamina D (que na verdade também é um hormônio). A obtenção da vitamina D exige que você passe algum tempo (de 15 a 30 minutos) com uma boa parte da sua pele diretamente sob o sol. Manter o nível de vitamina D alto pode produzir até 20% mais testosterona.

Desafio de 30 dias: o antes e depois na sua testosterona

Ok, agora você já sabe como manter elevados os seus níveis de testosterona. Vamos ver se isso funciona, na prática?

Para este desafio, você deve fazer o seguinte:

  1. Medir o seu nível atual de testosterona: marque uma consulta com um clínico geral ou outro médico de sua confiança para um check up. Nele, peça para incluir no exame de sangue a medição dos níveis de testosterona. Existem dois tipos de testes: um exame de sangue e um teste de saliva. O exame de sangue é mais comum.
  2. Experimentar as dicas acima por 30 dias: depois que sair o resultado do exame, comece um período de 30 dias utilizando as cinco dicas acima. Primeiro, adote a Paleodieta e fique longe principalmente do açúcar. Faça pelo menos três sessões semanais de musculação com as orientações acima, e mais duas a três sessões semanais de HIIT sob a luz do sol. Diariamente, tenha uma boa noite de sono e adote por pelo menos dois minutos uma postura física empoderadora. E, sempre que puder, pratique atividades sexuais.
  3. Medir novamente os níveis de testosterona: ao final dos 30 dias, volte ao médico e refaça os exames para comparar se os níveis de testosterona aumentaram. Compare também outros indicadores, inclusive seu peso, pois 30 dias com uma boa dieta e exercícios físicos são suficientes para melhorar várias questões de saúde.

Antes de começar, lembre-se de escolher um período de 30 dias que você saiba que vai ter como se dedicar ao experimento como um cientista observando seu próprio corpo.

Não escolha uma época em que você vá viajar, que vá ter muitas festas, que vá estar sob estresse extremo etc. Seja inteligente na escolha para poder observar os resultados com imparcialidade.

E aí, vai encarar?

P.S.Se você tem interesse em estilo de vida saudavel, veja esta aula especial do projeto Natugood mostrando como a resistência a um hormônio chamado leptina pode estar impedindo você de chegar ao corpo dos seus sonhos. Clique aqui para ver a aula.

Источник: https://mude.vc/como-aumentar-a-testosterona/

Testosterona aumenta energia e libido, mas tem sido usada sem necessidade

O que fazer para aumentar a testosterona

Receber um resultado de alta testosterona dá direito a homens de certa idade se gabarem, o que pode explicar, em parte, o sucesso dos suplementos do hormônio masculino. Porém, quando se está no nível médio de testosterona –elogiada por fornecer energia, libido e confiança–, isso de fato significa alguma coisa a seu respeito? Provavelmente não, afirmam especialistas.

O nível normal de testosterona em homens varia de 300 a 1000 nanogramas (ng) por decilitro (dl) de sangue. Ir de um número dentro do que é considerado normal para outro pode não causar muito impacto.

“Não se vê grande melhora quando o homem está dentro da faixa normal”, diz Shalender Bhasin, endocrinologista e professor de medicina da Faculdade de Medicina de Harvard.

As maiores diferenças em termos de energia e desejo sexual acontecem quando os homens têm níveis abaixo do normal.

Um estudo de 2015 publicado no periódico JAMA constatou que o impulso sexual melhorou entre homens que passaram de 230 ng, considerado baixo, para 500 ng, metade do nível máximo dentro da faixa considerada normal. Não houve diferença entre homens que se moveram de 300 ng/dl a 500 ng/dl (dois valores dentro do normal).

Nível ideal para uso de hormônio

A testosterona influencia o tamanho dos músculos. Quanto mais testosterona o homem ingere, maior o músculo –independentemente do nível inicial, um motivo para o hormônio ser popular entre fisiculturistas jovens.

Contudo, os suplementos de testosterona não parecem ajudar idosos frágeis a caminhar mais tempo ou a se levantar mais facilmente de cadeiras, objetivos típicos de médicos buscando ajudar pacientes mais velhos.

O nível normal de testosterona em homens varia de 300 a mil nanogramas por decilitro de sangue

Imagem: iStock

A partir dos 30 anos de idade, o nível de testosterona cai, em média, cerca de 1% ao ano. Em torno de 5% dos homens com idades entre 50 e 59 anos têm nível baixo de testosterona em conjunto com sintomas como perda de libido e preguiça, segundo pequenos estudos.

A FDA, agência norte-americana reguladora de alimentos e medicamentos, aprova testosterona em gel e injetável somente para homens com nível abaixo de 300 ng/dl, incluindo quem tem doenças que provocam queda do nível hormonal, como tumor na glândula pituitária ou lesão nos testículos. Esses homens realmente têm falta do hormônio, então voltar ao nível normal pode ajudar a restaurar o desejo sexual e a energia.

Em março, o periódico The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism publicou as diretrizes mais recentes da Sociedade de Endocrinologia, que concordam com as da FDA.

O grupo afirmou que a terapia de testosterona somente deve ser dada a homens com nível comprovadamente baixo do hormônio e evitados nos que tiveram infarto ou acidente vascular há menos de seis meses, ou apresentam risco elevado de desenvolver câncer de próstata.

Nível flutua ao longo do dia e da idade

Os números da testosterona estão longe de ser uma ciência exata. Keith Hall, operador petroquímico de 48 anos de Baytown, Texas (EUA), procurou ajuda na Faculdade Baylor de Medicina porque estava cansado e perdera a libido.

Seu nível inicial de testosterona era de 202 ng/dl, bem abaixo do normal. O urologista que o examinou, Alexander Pastuszak, ofereceu-lhe testosterona injetável, o que elevou seu nível para a faixa normal e o fez se sentir melhor.

Edward Blake, motorista de empilhadeira de 53 anos, de Houston, procurou o mesmo médico por motivos idênticos. Sua testosterona estava na casa dos 450 ng/dl, dentro do nível normal. “Estava me sentindo meio cansado e tal, mas após a terceira injeção, levanto coisas sem problemas”, afirma Blake. Além de se sentir mais forte, sua libido melhorou.

Estudo afirmou que a terapia de testosterona somente deve ser dada a homens com níveis comprovadamente baixos do hormônio

Imagem: iStock

Pastuszak diz receitar testosterona principalmente para homens na categoria baixa da FDA, mas que, às vezes, deixa homens com esses sintomas experimentarem.

“No caso de homens da faixa intermediária que começam a usar, a maioria decide continuar”, explica o médico, acrescentando que, em geral, os pacientes dizem se sentir melhor e com maior apetite sexual.

Contudo, isso é o poder da sugestão ou do hormônio?

“Na verdade, nós não sabemos a resposta”, declara Pastuszak, observando que existe muita coisa a ser descoberta. “Preciso aceitar quando dizem se sentir melhor, quer seja de verdade ou apenas efeito placebo.”

Para complicar, o nível de testosterona flutua, chegando ao pico ao redor das 8h e diminuindo ao longo do dia. O índice costuma ser mais baixo ao redor das 20h, crescendo durante a noite.

Os altos e baixos costumam ser maiores para homens na casa dos 40 anos na comparação com homens septuagenários; no caso de alguém com 40 anos, a testosterona pode ser 200 pontos mais elevada pela manhã do que à noite, contra uma diferença de 50 pontos para o segundo grupo etário.

Exercícios, alimentação e sono influenciam

E todo tipo de coisa pode influenciar o nível nas duas direções. Treinamento de resistência (musculação) aumenta o índice, bem como exercícios de alta intensidade.

Até mesmo ver o time preferido jogando pode afetar os números, segundo estudo de 1998 que mensurou a testosterona entre torcedores de basquetebol antes e depois de uma partida; o hormônio caiu entre quem torcia para os derrotados.

Mesmo assim, o nível geralmente volta ao normal em cerca de meia hora.

E da mesma forma que existem coisas que os homens podem fazer para aumentar o nível, existem atividades que reduzem a testosterona.

Exercícios como treinar para uma maratona (42,195 km) ou ciclismo de longa distância podem baixar o índice, bem como o estresse.

Segundo Bhasin, o tipo de treinamento enfrentado por unidades especiais das Forças Armadas –exercício pesado, falta de sono e de alimentos– pode levar a testosterona desses homens a ser similar a de castrados –abaixo dos 50 ng/dl.

Cada laboratório conta o hormônio de forma diferente: um homem pode obter 300 na máquina de um fabricante e 400 na de outro

Imagem: iStock

A obesidade faz a testosterona desabar –enquanto perder 10% da gordura corporal a aumenta em cem pontos. Cuidar dos filhos durante várias horas pode provocar queda no nível, segundo estudo publicado em Proceedings of the National Academy of Sciences. Gripe e outras viroses também podem provocar quedas, então, deve-se evitar exames até a plena recuperação.

Quanto ao álcool, algumas cervejas não farão diferença em curto prazo. Porém, lesão hepática por abuso crônico de álcool diminui a produção de testosterona.

Para complicar ainda mais, cada laboratório conta o hormônio de forma diferente: um homem pode obter 300 ng/dl na máquina de um fabricante e 400 ng/dl na de outro.

E quanto ao homem que chega ao resultado máximo de mil? O mero fato de descobrir o total pode fazê-lo se sentir muito bem, a ponto de aumentar a confiança e a libido. Entretanto, isso não significa que o efeito seja resultado de mudanças na sua química hormonal.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
 • Instagram • 

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/04/05/injecoes-e-geis-de-testosterona-sao-receitados-sem-que-haja-necessidade.htm

Top 10 Alimentos para aumentar a testosterona

O que fazer para aumentar a testosterona

A testosterona é a hormona sexual predominante no homem (as mulheres também possuem testosterona, mas em menor quantidade). É um esteroide natural produzido pelo organismo, e que pertence à classe de hormonas andrógenas, onde também se inclui a di-hidrotestosterona (DHT), dehidroepiandrosterona (DHEA), androstenediona e androstenediol.

Existem 3 tipos de testosterona que se podem encontrar a flutuar no sangue:

  1. Albumina,
  2. Globulina fixadora de hormonas sexuais (SHBG) e
  3. Testosterona livre.

As duas primeiras são proteínas que se unem ou enlaçam à testosterona em si, e não se encontram disponíveis para as funções que veremos de seguida, enquanto que é a testosterona livre a que finalmente nos fornecerá as propriedades descritas.

Quais são as funções principais da Testosterona?

A testosterona é a responsável de:

  • Características sexuais masculinas,
  • Aumento da massa muscular,
  • Força,
  • Densidade óssea,
  • Distribuição da gordura,
  • Patrões de perda de cabelo,
  • Libido,
  • Fertilidade
  • Energia mental e física.

Durante a puberdade, o período que vai desde a infância até à idade adulta, é onde se produzem os picos mais elevados de testosterona no homem. Nesta etapa é onde acontecem e se maximizam as expressões masculinas, tais como:

  • Crescimento do pénis e testículos
  • Aumento do pelo facial, púbico e do corpo em geral
  • Mudança da voz
  • Massa muscular
  • Fortalecimento dos ossos
  • Crescimento em altura

Onde se fabrica a Testosterona?

A glândula pituitária, situada na base do cérebro, é a encarregue de controlar a produção de testosterona por parte das gónadas sexuais (os testículos e os ovários).

Para isto, libera-se hormona luteinizante, que viaja até aos testículos e regula a produção da testosterona.

A testosterona vai variando durante as fases do dia, situando-se num pico máximo durante a manhã e sendo este menor à noite.

No caso dos homens, estima-se que a produção endógena diária se situa em torno a 7mg

Para o caso de pessoas saudáveis, o limite da produção de testosterona vem determinado pelo rácio de conversão do colesterol a hormona pregnenolona. Como se pode apreciar, as dietas baixas em colesterol podem ser um sinal equívoco na hora de melhorar a produção hormonal.

Uma vez que a testosterona é enviada ao fluxo sanguíneo, quase 98% une-se com a albumina e globulina, com o propósito de a proteger para o seu transporte, ou para reservar-la ou armazenar-la em depósitos para solucionar alguma variação em plasma sanguíneo.

Sintomas de níveis baixos de Testosterona

À medida que envelhecemos, os níveis de testosterona natural começam a diminuir.

Os niveles máximos durante la vida de alcanzan en el rango de entre 20 y 30 años, y comienzan a bajar a partir de los 35 aproximadamente

No entanto, há factores como o stress, a falta de exercício físico, os maus hábitos como o álcool ou o tabaco, a falta de sono ou uma alimentação inadequada podem agravar ainda mais a diminuição dos níveis de testosterona nos homens.

Os sintomas que um homem pode experimentar com uns níveis pobres de testosterona refletem-se tal que:

  • Falta de desejo sexual
  • Más erecções
  • Baixa produção de espermatozóides
  • Perda de massa muscular
  • Aumento da percentagem gorda
  • Fragilidade óssea
  • Falta de energia
  • Menor motivação

Em algumas ocasiões, esta baixa produção de testosterona pode ser porque a pessoa esteja a atravessar uma determinada situação, onde aparecem os factores anteriormente mencionados; caso contrário, seria prioritário acudir ao médico.

Dieta para aumentar a Testosterona

Buscamos alimentos com as seguinte premissas para incorporar à nossa dieta que nos permitam manter uns hábitos favoráveis para estabelecer um melhor ambiente hormonal:

  • Gorduras monoinsaturadas e também saturadas
  • Alimentos ricos em micronutrientes, isto é, vitaminas e minerais essenciais
  • Reduzir ao máximo os alimentos refinados, e com alto conteúdo em açúcar
  • Controlar a ingestão de álcool

Melhores Alimentos para aumentar a Testosterona

Neste artículo centrámo-nos em localizar os 10 melhores alimentos para incrementar os níveis de testosterona. Assim que toma nota e adiciona-os ao teu carrinho das compras na próxima vez que vás ao supermercado!

Ostras

As ostras têm um alto conteúdo em zinco que eleva a testosterona e a produção de esperma. Também são uma boa fonte de magnésio e fósforo, muito boa fonte de proteínas, vitamina D, vitamina B12, ferro, cobre, manganês e selénio.

O zinco regula uma grande quantidade de processos essenciais que afetam o corpo, ajuda a formar novas células, estimula o sistema imunológico, promove o crescimento, o estado de alerta mental, ajuda na função apropriada do cérebro e desempenha um papel activo na saúde do sistema reprodutor masculino e feminino que lhe dá um aumento da testosterona.

O zinco é um inibidor da aromatase pelo que ajuda a bloquear a conversão da testosterona em excesso de estrógeno.

Abacates

Os astecas chamavam à árvore do abacate “ahuacatl”, ou “árvore do testículo”. A natureza é sabia e mais alá da parecença a essa parte do corpo masculino, os abacates contêm altos níveis de  vitaminas e minerais, como: vitamina A, K2, C, B2, B5, ou B6 e minerais Zinco, Magnésio e Cobre.

A vitamina B6 que atua como um regulador da produção de andrógenos, hormonas esteróides produzidas de forma natural, de maneira que atua como um precursor para a testosterona. Assim, a B6 ajuda a manter baixos os níveis de prolactina.

Os abacates são uma excelente fonte de gordura monoinsaturada, com benefícios que incidem sobre a produção hormonal.

Carne magra

Poucos alimentos têm um impacto tão positivo nos níveis de testosterona como as carnes magras, que estão repletas de proteína, ferro, magnésio, zinco e gorduras saturadas. As proteínas são nutrientes importantes para otimizar a testosterona e promover a construção muscular.

Ainda que não queiramos demasiadas gorduras saturadas na nossa dieta, necessitamos certa quantidade para produzir testosterona.

O fígado encarrega-se de sintetizar colesterol para subministrar o nível mínimo requerido para usar-lo nas membranas das células e para produzir testosterona e outros esteróides.

Ovos

Como comentámos anteriormente, a testosterona é sintetizada a partir do colesterol e o ovo é bem conhecido pelo seu conteúdo de colesterol puro, sem adulterar. Além disso, um estudo recente demonstrou que o excesso de colesterol nos ovos não é tão daninho como se pensava anteriormente.

As gemas de ovo são uma fonte rica de vitamina D. Esta vitamina ajuda a promover a função imune apropriada, regula os níveis de cálcio e pode produzir níveis mais altos de testosterona.

Nozes de Brasil

Nutricionalmente, as nozes de Brasil são, talvez, a maior fonte dietética de selênio, um oligoelemento essencial e um antioxidante potente. Apenas 30g de nozes do Brasil contêm mais de 10 vezes a quantidade diária recomendada de selénio.

O selénio pode aumentar os níveis de testosterona nos homens, e encontrou-se ainda que melhora a produção de espermatozóides e a sua motilidade. Por outro lado, também aportam colesterol, que como se mencionou antes poderá ser convertido em testosterona nas células de Leydig localizadas nos testículos.

Oferecem uma potente proteção antioxidante.

Bananas

Estas são ricas em vitaminas B e potássio que são ingredientes importantes na produção de hormonas masculinas saudáveis. as bananas também contêm uma enzima chamada bromelina que estimula a libido masculina e também proporcionam um golpe de energia extra.

Feijões

Os feijões são uma excelente fonte vegetal de zinco, além de vitamina D, o que poderia ter efeitos benéficos sobre os níveis de testosterona. Existem estudos que podem demonstrar a relação entre o mineral zinco e o incremento hormonal.

Brócolos

Comer mais legumes crucíferos como os brócolos, a couve ou a couve-flor poderia aumentar a produção de testosterona no corpo mediante a eliminação do excesso de estrógeno. O excesso de estrógeno no corpo diminui a produção de testosterona. Os brócolos são ainda muito ricos em fibra, que é excelente para controlar o peso, já que fornece um elevado índice de saciedade.

Alho

O alho pode melhorar os níveis de testosterona, segundo um estudo realizado em animais por investigadores da Universidade de Kobe no Japão.

Neste estudo descobriu-se que os ratos que realizaram uma dieta alta em proteínas com alho em pó durante 28 dias obtiveram aumentos nos níveis de testosterona.

Os científicos encontraram que o disulfuro de dialilo, um composto que se encontra no alho, estimula a libertação da hormona luteinizante e que é o causante do aumento da produção de testosterona nos testículos.

Atum

Os peixes azuis são muito ricos em ácidos gordos ómega-3. Os ácidos gordos ómega-3 demonstraram reduzir a SHBG (Sex hormone-binding globulin) ou Globulina de União à Hormona Sexual. Os níveis de SHBG aumentam lentamente com a idade, o que significa que mais SHBG se une à testosterona deixando menos testosterona livre.

O efeito neto de tomar óleo de peixe é muito benéfico para aumentar a testosterona livre. O óleo de peixe também demonstrou que aumenta a hormona luteinizante, a hormona que ativa ou indica a produção de testosterona no organismo.

Suplementos para Potenciar a Testosterona

Uma vez que já mencionámos os principais alimentos que favorecem o auge hormonal, é momento de comentar que existem outras vias que também ajudam a otimizar de maneira natural o nosso entorno hormonal.

A seguinte relação se  trata de Suplementos que potência de Forma Natural os Níveis de Testosterona.

Graças a isto, se favorece para melhorar a composição corporal do sujeito, ou seja, Reduzir a percentagem de gordura Manter a Massa Muscular Magra, além de optimizar a Recuperação e Rendimento Desportivo

Feno-grego

As Sementes de Alholva (feno-greco) realçam a produção endógena de testosterona de forma natural graças à presença de uma concentração alta de fitoquímicos. Testofen® se trata de uma patente do extrato de feno-greco.

Ácido Aspártico

Se trata de um aminoácido com interessantes propriedades de cara a favorecer os nossos níveis endógenos hormonais.

Aveia sativa

Saw Palmetto

O extrato de Saw Palmetto é um antiandrogénico, atua inibindo a conversão dda testosterona em dihidrotestosterona.

ZMA

É a combinação de dois minerais essenciais, Zinco e Magnésio, ambos de uma valiosa importância devido ao alto número de processos fisiológicos que têm atribuídos. Níveis baixos de ambos podem se relacionar em detrimento dos da testosterona.

Um produto que está formulado incluindo entre os seus principais princípios activos, que actuam de forma sinérgica, os anteriormente mencionados são os Evoblic

Gengibre

O extracto da raiz de Gengibre parece despejar importantes benefícios sobre o incremento dos níveis hormonais.

Tribulus Terrestris

Se trata de um extrato herbal utilizado pela medicina Ayurveda devido ao suas propriedades que atesoram  a melhorar vários importantes pontos de saúde, graças a particularmente o conteúdo em saponinas.

Ashwagandha

Por outro lado, vamos a contemplar um suplemento com a conotação de ser um adaptógeno, ou seja, possui a faculdade de propiciar ao organismo a habilidade de lidar com situações adversas relacionadas especialmente com o stress.

Estamos falando da Ashwagandha. Mediante esta característica, a pessoa pode experimentar uma descida de cortisol, que na maioria das ocasiões costuma ser crónico, onde nestes cenários se aprecia um efeito catabólico, ao exercer um efeito contrario ao da testosterona.

Artigos Relacionados

Источник: https://www.hsnstore.pt/blog/suplementos/sexo-e-relacoes/top-10-alimentos-para-aumentar-testosterona/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: