O que fazer para combater a solidão

A solidão e o isolamento social | SNS24

O que fazer para combater a solidão

O isolamento social é a falta de contacto social, principalmente:

  • ausência de contacto social ou familiar
  • ausência de envolvimento na comunidade ou com o mundo exterior
  • ausência ou dificuldade no acesso a serviços

Quem pode sofrer de isolamento social?

Qualquer pessoa, homens e mulheres, em todas as fases do ciclo da vida, casados e solteiros, pessoas empregadas e desempregadas, ou mesmo pessoas que residem em meios rurais e urbanos podem sofrer de isolamento social.

Existem fatores de risco para o isolamento social?

Sim. Existem condições psicológicas e sociais a que as pessoas estão expostas que podem aumentar o risco de isolamento social, por exemplo:

  • doença mental grave
  • doença crónica
  • mobilidade reduzida
  • incapacidade (por exemplo, surdez)
  • dependência de substâncias psicoativas
  • ser um cuidador informal permanente
  • características específicas no local de trabalho

O que é a solidão?

A solidão é um sentimento subjetivo e relaciona-se com ausência de contacto, de sentimento de pertença ou com a sensação de se estar isolado. Por outro lado, o sentimento de solidão pode interferir com a qualidade de vida das pessoas.

Em que dimensões uma pessoa pode sentir solidão?

A pessoa sente que não pode contar com ninguém, ou que a rede de pessoas de que dispõe não é suficiente às suas necessidades. A pessoa em solidão pode ainda sentir, em alguns casos, que não tem acesso a um conjunto de serviços ou recursos sociais.

Quem pode ser afetado pela solidão?

Todas as pessoas, em algum momento das suas vidas, podem sentir-se profundamente sós e/ou incompreendidas. As pessoas em situação de solidão são aquelas que sentem que as relações com os seus amigos ou colegas estão aquém do que desejariam (solidão social), ou aquelas que não têm um relacionamento de intimidade ou um vínculo emocional próximo, como um melhor amigo (solidão emocional).

Isolamento social e solidão é a mesma coisa?

Não, mas o isolamento social pode desencadear o sentimento de solidão.

Existem dados sobre a solidão em Portugal?

Sim. Um estudo com mais de 1200 pessoas entre os 50 e os 101 anos concluiu que:

  • 20,4% são mulheres e 7,3% são homens
  • as pessoas com menor escolaridade apresentam mais solidão (25,8%)
  • o sentimento de solidão aumenta com a idade: 9,9% dos 50-64 anos; 26,8% com 85 anos ou mais
  • é mais frequente nas pessoas viúvas (30,6%) e nas pessoas solteiras (15,8%) do que em pessoas casadas (9,2%)

Estar rodeado de gente resolve os sentimentos de solidão?

Não. Exemplo disso são as pessoas que residem em lares, rodeadas de muita gente, mas que podem sentir solidão.

Viver sozinho é sempre sinónimo de sentir solidão?

Não. Tal como já foi dito, a solidão também é sentida por pessoas que vivem com outras pessoas.

Só as pessoas mais velhas é que se sentem sozinhas?

Não. o sentimento de solidão pode surgir seja qual for a idade e/ou condição da pessoa.

Existem fatores de risco comuns para o isolamento social e solidão?

Sim. São vários os fatores de risco para o isolamento social e/ou solidão:

  • pobreza ou pressões financeiras: podem impossibilitar a realização de atividades de convívio ou lazer
  • institucionalização: a entrada de pessoas para instituições como centros de reabilitação, centros de dia ou lares de idosos pode dificultar a sua integração social
  • diminuição do estado de saúde: a fraca mobilidade e acessibilidade facilitam o isolamento social
  • arquitetura residencial: a organização das habitações pode levar ao isolamento físico das pessoas
  • a ausência do cônjuge, amigos ou colegas : as pessoas que não têm filhos, se reformam, ficam viúvas, perdem outros familiares ou amigos próximos, ou que são abandonadas pelos familiares, sobretudo, se forem idosos, têm um risco acrescido de isolamento.
  • episódios súbitos negativos: por exemplo, o falecimento do cônjuge, mudança de casa ou desemprego ou trabalho a partir de casa podem desencadear o isolamento e solidão
  • violência: pessoas que sofrem de maus tratos têm maior risco de ficarem isoladas
  • doença mental: a depressão, por exemplo, representa um fator de risco de isolamento e de solidão
  • cuidadores informais: estão mais expostos a situações de isolamento, fraca saúde física e mental e distanciamento do mercado de trabalho

Existem alguns fatores protetores da solidão e isolamento social?

Sim. A existência de harmonia familiar e ausência de conflitos, bem como uma boa autoestima, autonomia e orientação social positiva são fatores que ajudam a evitar seja a solidão seja o isolamento. Também a disponibilidade para aceitar apoio de sistemas externos ao seu meio podem reforçar a capacidade do indivíduo em lidar melhor com as circunstâncias da vida.

Enquanto sociedade, como podemos ajudar a combater o isolamento social e a solidão?

Todos temos o dever de criar espaços e oportunidades para as pessoas participarem em atividades sociais, culturais, recreativas, desportivas e espirituais.

As ajudas podem manifestar-se a diferentes níveis:

  • em casa ou no trabalho, convide um amigo, vizinho ou colega para beber um café e conversar
  • no trabalho, procure manter relações sociais autênticas com os colegas, mostrando interesse pela sua vida pessoal
  • partilhe informação sobre iniciativas na sua comunidade
  • quando não houver proximidade, envie uma mensagem de olá ou bata à porta de sua casa
  • incentive o convívio entre pessoas que moram sozinhas
  • fomente novas tecnologias de comunicação que proporcionem a comunicação e convívio à distância, por exemplo através das redes sociais

Consulte o ebook (Não) estamos sós

Fonte: Biblioteca de Literacia em Saúde

Источник: https://www.sns24.gov.pt/guia/a-solidao-e-o-isolamento-social/

7 atitudes para combater a solidão

O que fazer para combater a solidão

A solidão acontece quando a pessoa está ou se sente só, o que conduz a uma sensação negativa e um sentimento de vazio. Para combater esta situação, é importante a pessoa aceitar que não está no caminho certo, e observar que medidas e atitudes podem ser feitas para mudar este momento da vida.

Além disso, é importante adotar uma atitude positiva para, em seguida, passar a ter hábitos que permitam a aproximação das pessoas, como frequentar cursos ou grupos onde haja conversas, esportes ou atividades com a qual tenha afinidade. Algumas atitudes que podem ser tomadas são:

1. Aceitar que algo precisa mudar

Se existe a sensação de solidão, seja por falta de amigos, ou seja pela falta de aproximação com pessoas à volta, é importante assumir que a situação não é adequada e tentar descobrir o que pode estar fora dos eixos.

Um bom exercício é anotar em uma folha de papel os motivos pelos quais acha que está só, como, por exemplo, ser uma pessoa tímida, tem dificuldade de interagir, ou os amigos se afastaram e, em seguida, escrever o que poderia ser feito para resolver cada situação.

Portanto, deve-se ter em mente que o primeiro passo para corrigir que algo não está bem é assumir e aceitar que o problema existe para, em seguida, buscar alternativas, evitando, assim, o papel de vítima.

2. Não ceder ao passado e às tristezas

Diversos acontecimentos podem ter influenciado para o momento atual de solidão, entretanto, de nada adianta viver no passado se o presente está disponível para darmos um passo adiante. Deve-se assumir uma nova postura, e se permitir criar novas chances e possibilidades para, então, viver para o presente e futuro, e não para o que passou.

3. Ser uma pessoa positiva

Deixe de lado a imagem negativa de si próprio e das circunstâncias, e comece a ter uma atitude mais leve, com menos críticas e culpas. Esperar sempre pela rejeição só fará com que se afaste das pessoas, portanto, espere sempre o melhor das pessoas e das situações.

Além disso, para vencer a solidão, é importante melhorar a auto-estima, permitindo uma maior confiança em si próprio. 

4. Não se isolar

Procure falar mais com as pessoas ou, se isto for difícil, mostre-se aberta para a conversa, mantendo um sorriso e um olhar para frente, ao invés de ficar olhando para baixo ou com os braços cruzados. Assim, se permita fazer novos amigos, mas isso só será possível ao ter a atitude de sair para passear ou conversar com novas pessoas.

Uma outra boa forma de fazer amigos é entrando para grupos de redes sociais, que tenham um interesse em comum. Mas, deve-se ter cuidado para não se envolver com pessoas erradas, pois fazer maus amigos pode ser ainda pior, e trazer consequências negativas para a sua vida.

5. Encontrar um hobbie

Descubra um hobbie ou alguma atividade pela qual tenha interesse, o que é uma ótima forma de conhecer ou se aproximar das pessoas. Existem opções de serviços comunitários ou grupos de encontros semanais, que podem ser contactados no posto de saúde da família mais próximo. Outras opções são praticar algum esporte em grupo, ou entrar para um grupo de leitura, por exemplo. 

Além disso, existem atividades que ajudam a ter mais auto-conhecimento e compreensão dos sentimentos, como medicação e yoga, por exemplo, o que ajuda a entender melhor os próprios limites e capacidades, além de alcançar um melhor auto-controle.

6. Se inscrever em um curso

Procure novas atividades e dar um novo sentido à vida, adquirindo novos conhecimentos, e, ainda por cima, garantindo um novo círculo de possíveis amigos. Assim, pesquise sobre cursos que gostaria de fazer, como de uma nova língua, um aperfeiçoamento profissional ou um hobbie, como algum instrumento ou jardinagem, por exemplo. 

7. Procure a ajuda de um profissional

Um psicólogo ou psicoterapeuta são excelentes aliados para encontrar formas de vencer as barreiras que provocam a solidão, além de ajudar a superar o sentimentos negativos.

Caso a sensação de solidão seja acompanhada por outros sintomas, como tristeza, perda da vontade, e alterações do apetite, por exemplo, é importante se consultar com um psiquiatra, para investigar outras causas de sintomas negativos, como a depressão.

Como evitar a solidão na terceira idade

A solidão dos idosos pode ser mais difícil de evitar, pois neste período da vida o círculo de amizades tende a reduzir, pois os filhos podem estar longe de casa, há a perda de familiares, da companheiro ou companheira, além das limitações causadas por dificuldades para fazer atividades e de sair de casa. 

Assim, é muito importante adotar medidas para evitar a solidão nos idosos, pois podem ter consequências negativas para a saúde e facilitar o desenvolvimento de doenças, como a depressão. Saiba mais sobre as consequências da solidão.

Para combater o sentimento de solidão na pessoa idosa, é recomendado:

  • Praticar atividade física, que ajuda a melhorar a disposição e o bem-estar;
  • Propor reuniões periódicas com os familiares, como um almoço a cada 15 dias, por exemplo;
  • Fazer um voluntariado, que além de melhorar o convívio social, pode utilizar as habilidades de costura ou cuidar de plantas, por exemplo;
  • Se inscrever em um curso, que pode ajudar a fazer amigos, além de ocupar a mente e dar um novo sentido à vida;
  • Aprender atividades novas, como utilizar o computador e a internet podem permitir que o idoso esteja mais ligado a outras pessoas e a novidades;
  • Adotar um animal de estimação, pode ajudar a alegrar o dia-a-dia e dar motivação à pessoa.

Também é importante que o idoso tenha um acompanhamento com o médico da família ou geriatra, para o tratamento correto ou a identificação precoce de alterações na saúde, para garantir mais anos de vida, força e disposição.

Источник: https://www.tuasaude.com/como-combater-a-solidao/

Solidão nos idosos: Causas, consequências e como combater

O que fazer para combater a solidão

Escrito por: Stannah a 04-04-2017

Com o aumento do número de indivíduos com mais de sessenta anos em Portugal, o tema da solidão nos idosos tem vindo a ser analisado de forma mais profunda. É urgente perceber porque razão este sentimento é mais comum à medida que envelhecemos. Mais urgente ainda é criar medidas que combatam o isolamento, a depressão e a solidão nos idosos.

Existem vários fatores pessoais e sociais que contribuem para que se fale em “solidão nos idosos”. Saiba quais são.

A reforma pode trazer falta de ocupação se não for preparada antecipadamente, é importante manter-se ocupado

A solidão do isoso após a reforma

A solidão nos idosos pode ser evidenciada pelo término da atividade laboral, já que nesta fase existe uma mudança de padrão de vida e a sensação de perda de utilidade social. Aliás, a reforma está relacionada com várias perdas.

Perda de rendimento, de prestígio, de sentido de competência e de utilidade e de afastamento de alguns contatos sociais. É por estes motivos que a reforma favorece o isolamento, a inatividade e, por consequência, a depressão e a solidão.

A reforma e as suas consequências podem causar falta de autoestima e declínio do bem-estar.

O isolamento após a viuvez

As pessoas que não estão casadas sofrem mais de solidão que as casadas. À par da reforma, a viuvez é muito associada à solidão nos idosos.

A perda do cônjuge pode gerar sentimentos de solidão, abandono e sentimentos de desamparo. Muitas vezes, são os próprios idosos que se isolam e se privam de atividades sociais.

Com a viuvez, existe todo um processo de adaptação à situação a nível pessoal, familiar e social. Por vezes o sentimento de solidão já existe, mas é reforçado pela viuvez.

No processo de viuvez, para evitar a solidão, os amigos têm um papel muito importante na criação de laços de convívio, de desabafo e de partilha de experiências.

Abandono de idosos pela família

O abandono da pessoa idosa é tão cruel como a dor do abandono sentida por um adulto que foi privado do cuidado parental toda a vida.

Segundo uma estimativa do Ministério da Saúde, por ano, acontecem cerca de 100 a 150 situações de abandono nos hospitais; e segundo um estudo da Organização Internacional do Trabalho, Portugal é dos países da europa onde as pessoas idosas mais são abandonadas.

O abandono por parte de familiares faz com que o sentimento de solidão seja ainda mais acentuado, principalmente se forem abandonados em lares ou asilos.

A depressão é uma das doenças causadas pela solidão.

Consequências da Solidão na Terceira Idade

A solidão está intrinsecamente ligada à saúde, uma vez que esta se define pelo estado de completo bem-estar físico, mental e social. A solidão é um sentimento causado por uma ausência de algo ou perda de alguém. A saúde tem um papel muito importante na qualidade e a solidão interfere com o bem-estar do idoso.

A solidão pode ter o mesmo impacto que o stresse crónico na nossa saúde cerebral e também pode afetar os nossos sistemas endócrino e imunológico, o que pode contribuir para o aparecimento de doenças.

Estima-se que 70% dos idosos têm um problema de saúde grave associado à solidão e 10% padecem de solidão maligna, o que compromete a sua saúde física e emocional. As doenças mais comuns associadas à solidão são a hipertensão arterial, as infeções repetidas, a ansiedade e a depressão. (fonte: Portugal Sénior)

Cerca de 400 mil idosos vivem sozinhos em Portugal

A solidão nos idosos em Portugal

Portugal, assim com o resto do mundo, sente o envelhecimento da população, que tem tendência a aumentar, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). A população idosa em Portugal enfrenta uma realidade que causa grande impacto social, devido à baixa taxa de natalidade e relativamente à taxa de mortalidade, com o consequente aumento da população idosa.

  • 60% da população idosa portuguesa vive sozinha ou acompanhada de alguém com mais de 65 anos. Em termos de regiões, esta percentagem aumentou em Lisboa e Alentejo (22%), e no Algarve (21% de subida). No Norte e nos Açores tiveram uma menor subida (17%).
  • Segundo um estudo feito por Reis e Fradique (2001, cit. Por Reis, 2005), relativo ao isolamento e à saúde e doença, cerca de vinte por cento dos idosos destacaram o isolamento social e a solidão como causa de doença.

Com o aumento da população idosa e isolada em Portugal, aumenta também a necessidade de desenvolver meios para melhor atender às dificuldades deste grupo populacional em crescimento. É necessário proporcionar à população idosa qualidade de vida e um envelhecimento bem sucedido.

Ocupar os tempos livres com vários tipos de atividades para que o idoso evite a solidão e tenha uma vida social ativa

Como combater a solidão nos idosos?

É certo que são várias as causas que impulsionam o isolamento e a solidão nos idosos. No entanto, velhice não é sinónimo de solidão ou isolamento. Prova disso, são os inúmeros idosos que, mesmo depois de passarem por situações menos boas, escolhem envelhecer de forma ativa.

Mas como o fazem? É simples: ocupam os tempos livres com atividades que durante muitos anos não conseguiram fazer. Aliás, dedicam-se a fazer o que mais gostam, agora sem que o factor tempo interfira. Se está a passar por esta situação, sugerimos um rol de atividades que vão contribuir para que não se sinta sozinho.

  • Procure fazer novas amizades – Conhecer pessoas e fazer novas amizades é uma excelente forma de combater o isolamento e a solidão nos idosos. Procure na sua zona de residência locais onde poderá fazer novas amizades, como por exemplos parques de lazer ou bibliotecas. Por vezes, são nestes espaços que surgem as mais inesperadas amizades.
  • Faça voluntariado – Tornar-se voluntário por uma causa em que acredita poderá trazer elevados benefícios para si. Poderá conhecer novas pessoas, fazer parte de um grupo que partilha os mesmos ideais e vivenciar novas experiências. Praticar e sentir o altruísmo poderá trazer outro sentido à sua vida e contribuirá para aumentar a sua felicidade e o seu bem-estar, diminuindo o sentimento de solidão.
  • Invista na suas relações sociais – Já alguma vez sentiu que deveria ter dado mais atenção à sua família e aos seus amigos? Esta etapa da vida é uma excelente altura para o fazer. Organize jantares/almoços de família ou de amigos e faça destes eventos algo permanente e divertido. Sugerimos algumas atividades para depois das refeições. Além de serem atividades que estimulam a mente, promovem o convívio social.
  • Frequente um curso – Esta é uma ótima oportunidade para ocupar o seu tempo livre. Poderá optar por aprender uma língua nova ou escolher algo ligado às artes, como a dança. Entrar num grupo imediatamente conduz à integração num conjunto de pessoas que partilham interesses comuns. Poderá trazer um sentimento de pertença. A integração num grupo e o convívio com outras pessoas estimula a criatividade e ajuda a combater o isolamento e a solidão.
  • Adopte um animal de estimação – Os animais de estimação, em especial os cães e gatos, trazem vários benefícios e um deles é a prevenção da solidão. Ter um animal de estimação é sinónimo de uma companhia constante. Além disso, é possível que faça novas amizades enquanto passeia o seu animal de estimação.

Infelizmente, são muitos os idosos que, devido à sua condição de mobilidade, não conseguem praticar as atividades sugeridas.

Aliás, a maior parte das pessoas que sentem a sua mobilidade afetada acabam por ficar a maior parte do tempo em casa, agravando o sentimento de solidão. Se pertence a este grupo de pessoas, não desamine.

Existe uma solução para pessoas com mobilidade reduzida que sonham manter uma vida ativa e livre – as scooters de mobilidade.

Com este equipamento de mobilidade pode deslocar-se para onde quiser e quando quiser. Assim, poderá sair de casa e aproveitar o seu tempo livre para fazer o que mais gosta. Não se esqueça de experimentar as nossas sugestões de atividades.

Faça atividades, esteja em ambientes sociais e sobretudo divirta-se. Estamos certos que, assim, não se sentirá só. Tem sugestões de outras atividades que combatem o isolamento e a solidão nos idosos? Partilhe connosco e com os nossos leitores.

Em Portugal, assim com o resto do mundo, sente o envelhecimento da população, que tem tendência a aumentar, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). A população idosa em Portugal enfrenta uma realidade que causa grande impacto social, devido à baixa taxa de natalidade e relativamente à taxa de mortalidade, com o consequente aumento da população idosa.

  • 60% da população idosa portuguesa vive sozinha ou acompanhada de alguém com mais de 65 anos.
  • Em termos de regiões, esta percentagem aumentou em Lisboa e Alentejo (22%), e no Algarve (21% de subida). No Norte e nos Açores tiveram uma menor subida (17%).
  • Segundo um estudo feito por Reis e Fradique (2001, cit. Por Reis, 2005), relativo ao isolamento e à saúde e doença, cerca de vinte por cento dos idosos destacaram o isolamento social e a solidão como causa de doença.

Источник: https://blog.stannah.pt/vida-saudavel/solidao-nos-idosos/

5 maneiras eficazes de combater a SOLIDÃO

O que fazer para combater a solidão

Precisamos combater a solidão, amigos!

Isso é fato. Os problemas emocionais preocupam, cada dia mais, as autoridades médicas. A depressão, por exemplo, será, até 2020, a doença mais incapacitante do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Sério, não? E muitos quadros graves como esse estão relacionados à solidão, outro tema que merece ser discutido com muito cuidado.

Vale esclarecer: solidão não acomete apenas quem está sozinho. Ela pode ser sentida mesmo quando estamos cercados por amigos, colegas de trabalhou ou familiares.

Esse é um sentimento que pode ser desencadeado por diversos fatores, como dificuldades no trabalho e na vida pessoal, doença, perda de um ente próximo, ou simplesmente por acreditar que não se recebe apoio emocional ou não é compreendido.

O assunto é tão sério que a Inglaterra nomeou, na última semana, Tracey Crouch como “secretária da solidão”. De acordo com a primeira-ministra britânica, Theresa May, ela trabalhará em conjunto com o Comitê da Solidão, departamento que já existia antes mesmo da nomeação, organizações não governamentais e empresas para estabelecer estratégias de combate ao problema.

Cerca de 9 milhões de pessoas na Inglaterra sofrem de solidão, nas mais diversas faixas etárias, embora afete, principalmente, pessoas com mais de 75 anos.

Estima-se que metade dos idosos ingleses vivam sozinhos no país — muitas dizem passar dias e mesmo semanas sem nenhuma interação social.

O impacto da solidão é tão negativo à saúde que pode ser semelhante ao de fumar 15 cigarros por dia!

Para evitar com que esse sentimento tome conta de nós, separamos essas 5 dicas:  

1. Seja positivo

Em situações como essa, é comum que as pessoas enxerguem apenas o lado negativo das coisas. Mas adivinhem, amigos? Há sempre uma perspectiva positiva! E para vencer a solidão é necessário impor uma visão mais otimista à vida.

É importante melhorar a autoestima, se livrando do sentimento de culpa e sendo menos crítico consigo mesmo, por exemplo. Crie planos, mude seu presente e visualize um futuro brilhante! Afaste-se de qualquer situação que lhe cause tristeza.

 ;)

2. Frequente cursos ou grupos de convivência

Preencher o dia com hábitos anti-solidão é um jeito e tanto de dar um novo sentido à vida. Procure, por exemplo, por cursos que tenham a ver com seus gostos e desenvolva seus talentos. Além de ampliar seus conhecimentos, é uma ótima maneira de conhecer novas pessoas e fugir do isolamento.

Jean CarlosGraças ao programa Vida Plena, os idosos atendidos pela LBV preenchem seu tempo vago com atividades que propiciam o bem-estar mental e contribuem para a qualidade de vida, mantendo-se ativos.

Outra sugestão é se inscrever em grupos de convivência. O objetivo é o mesmo: ocupar a cabeça e estabelecer novos vínculos.

A Legião da Boa Vontade oferece, em todo Brasil, por meio do programa Vida Plena e em seus Abrigos, atividades destinadas à Terceira Idade que promovem a socialização e fortalecimento dos vínculos familiares e interpessoais de milhares de idosos. Vale a pena conhecer esse trabalho, hein?

3. Faça Voluntariado

Atuar como voluntário em uma causa que lhe agrade poderá trazer muitos benefícios. Fazer parte de um grupo que compartilha das mesmas ideias que você, e ainda praticar o altruísmo, contribuirá para aumentar sua felicidade e o seu bem-estar, combatendo a solidão.

Viviane de Oliveira  

Você pode trabalhar como voluntário nas ações fraternas da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, agindo em prol da Fraternidade e Solidariedade, tão necessários para transpor os desafios que a Humanidade enfrenta, como as desigualdades, os preconceitos, tabus e a violência. Conheça esse trabalho, clicando aqui. Outra possibilidade é oferecer seus talentos às ações socioassistenciais que a Legião da Boa Vontade desenvolve em todo o País. Caso se interesse, preencha essa ficha de inscrição. =D

4. Invista em suas relações sociais

shutterstock

Investir em seu círculo social é uma forma e tanto de não se abater. O isolamento nunca deve ser uma opção, tá? Esse é o momento para realçar alguns vínculos e ~ por que não? ~ tentar restabelecer outros.

Organize refeições, convide sua família e/ou amigos e aproveite essas ocasiões para se divertir e espairecer a cabeça.

Procure também atividades que estimulam a mente e promovam o convívio social, como visitas ao teatro, cinema, parques e bibliotecas ou até mesmo a prática de atividades físicas.

5. Adote um animal de estimação

Shutterstock

Adotar um animal de estimação é outra maneira bem legal de combater a solidão. Ao levar para casa um gato ou um cachorro, por exemplo, você ganha um parceiro para toda hora. Mas não se esqueça: ter um bichinho exige muita responsabilidade! Então, pense muito bem antes de adotar um. Seja um companheiro tão leal e carinhoso como eles serão para você. ;)

AMIGO PARA TODOS OS MOMENTOS

Em nossa Permanente Campanha de Valorização à Vida, clamamos para que nunca desistam da vida, nem se entreguem à dor. Resistam! Até porque nunca estamos sozinhos.

Sempre teremos Jesus, o Médico Celeste, ao nosso lado.

Como afirma o presidente-pregador da Religião Divina, Paiva Netto: “Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho”

Arquivo

Jesus, o Cristo Ecumênico.

Em momentos de grande desafio, eleve o seu pensamento a Ele e faça uma Prece, pedindo auxílio para lidar com alguma dificuldade  e, principalmente, quando começarem a vir pensamentos negativos que podem ser disparadores neste quadro de solidão.

 Na Oração Ecumênica do Pai-Nosso, aprendemos com o Cristo Ecumênico ~ isto é, universal ~, a sempre buscar “não cair em tentação” (Evangelho segundo Lucas, 11:4).

Isso, no nosso dia a dia, representa não querer sempre facilidade, mas, diante da dor, aprender a buscar a solução em Deus e nunca desistir de viver.

É preciso, contudo, aliar o tratamento material ao espiritual, ok? Realize, se necessário, o acompanhamento médico com especialista (psicólogo e psiquiatra) e siga-o corretamente, utilizando, inclusive, as medicações indicadas pelo profissional.

Após reconhecer que as dificuldades não são, portanto, uma “pedra de tropeço”, mas surgem para nosso engrandecimento espiritual e moral, eis um passo importante para superar as dificuldades: entender que somos capazes de suplantar os desafios do cotidiano. \o/

Источник: https://www.boavontade.com/pt/dia-dia/5-maneiras-eficazes-de-combater-solidao

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: