O que pode ser corrimento transparente tipo clara de ovo

Corrimento na Gravidez – Causas e tratamento

O que pode ser corrimento transparente tipo clara de ovo

Corrimento vaginal é o nome dado a qualquer secreção de líquidos pelo canal vaginal. O corrimento é uma situação muito comum e na maioria dos casos não indica qualquer problema ginecológico. Toda mulher a partir da puberdade pode apresentar algum grau de corrimento vaginal.

O corrimento normal, que é aquele não relacionado a doenças ou inflamação ginecológica, é chamado de corrimento vaginal fisiológico. Quando a mulher tem uma doença ginecológica e o corrimento surge por conta deste problema, chamamos de corrimento vaginal patológico.

Neste artigo vamos nos ater apenas ao corrimento vaginal que ocorre nas mulheres grávidas, explicando como distinguir um corrimento fisiológico de um corrimento vaginal patológico.

Se você quiser informações sobre o corrimento em mulheres não grávidas, leia: CORRIMENTO VAGINAL | VAGINITE.

Corrimento vaginal na gravidez

O corrimento vaginal fisiológico é formado pela combinação de células mortas da vagina, bactérias naturais da flora vaginal e secreção de muco. O corrimento normal costuma ter entre 1 e 4 ml de volume diário e a sua função é umedecer, lubrificar e manter a vagina limpa, impedindo inflamações e dificultando o surgimento de infecções.

O corrimento vaginal fisiológico é estimulado pelo hormônio estrogênio e, portanto, pode ter seu volume aumentado em períodos onde há maior estimulação hormonal, como nos casos de gravidez. Outro fator que aumenta o volume de corrimento na gravidez é a maior aporte e sangue para região vaginal.

O corrimento vaginal normal costuma ser branco, leitoso ou transparente, espesso e com odor fraco. Uma das dicas mais importantes para identificar um corrimento fisiológico é a ausência de sinais ou sintomas de irritação, como dor, ardência, vermelhidão ou coceira na vagina e/ou vulva.

É importante destacar que uma discreta irritação na vulva pode ocorrer em algumas mulheres com corrimento fisiológico. Nestes casos, cabe ao obstetra, através de exames, descartar a presença de infecções.

O corrimento na gravidez costuma se intensificar conforme a gestação avança, sendo maior nos 2º e 3º trimestres de gestação. Em algumas mulheres, o corrimento pode ser bem volumoso, causando certo desconforto e constrangimento. Mesmo que o corrimento seja bem grande, não tente interrompê-lo e não use tampões internos, pois isso aumenta o risco de infecção ginecológica.

Dicas para evitar a contaminação do corrimento:

  • Use sabonetes neutros. Evite sabonetes perfumados ou bactericidas.
  • Durante a higiene, não é preciso lavar dentro da vagina.
  • Nunca faça ducha vaginal, mesmo após relação sexual.
  • Use calças largas ou saia.
  • Não use absorventes internos.

Mulheres grávidas podem apresentar outras secreções vaginais durante a gravidez além do corrimento fisiológico. Entre elas, estão a perda do tampão mucoso, sangramentos, rompimento da bolsa e corrimentos patológicos. É importante conhecer as caraterísticas de cada um para saber distingui-los.

Perda do tampão mucoso

Ao longo da gravidez, as secreções naturais produzidas pela vagina vão se depositando no colo do útero, vedando-o em relação ao exterior. Esta substância acumulada recebe o nome de tampão mucoso e sua função é impedir que bactérias da vagina tenham acesso ao interior do útero.

No momentos finais da gravidez, o peso do bebê associado a um afinamento e alargamento do colo do útero faz com que o tampão seja expelido. A saída do tampão mucoso é um sinal de que o útero está se preparando para o parto.

Há mulheres que perdem tampão mucoso apenas horas antes de dar à luz, mas há casos em que o trabalho parto ainda demora vários dias, às vezes até 2 semanas, para se iniciar. A saída do tampão mucoso indica que o bebê nascerá em breve, mas de modo algum é um sinal de início do trabalho de parto. Se não houver outros sinais, não é preciso entrar em contato com o obstetra de forma urgente.

O tampão mucoso pode ter várias aparências. Em algumas mulheres ele é uma secreção pegajosa bem clara, tipo clara de ovo, e pode passar despercebido, misturando-se ao corrimento fisiológico.

O tampão mucoso também pode ter uma aparência gelatinosa, semelhante a um catarro.

Haver um pouco de sangue misturado também é comum, fazendo com que o tampão tenha um aspecto semelhante ao da imagem acima.

Corrimento marrom ou sanguinolento

Qualquer corrimento marrom, avermelhado ou tipo borra de café deve ser sempre valorizado, pois costuma indicar a presença de sangue. O corrimento marrom geralmente é sinal de sangue coagulado que esteve em contato com o ar dentro da vagina antes de ser expelido. Corrimento com sangue vivo, por outro lado, é habitualmente sinal de sangramento que acabou de ocorrer.

Nos primeiros dias de gravidez é possível haver uma discreto corrimento amarronzado, que costuma ocorrer como consequência da implantação do embrião na parede do útero. Em geral, quando isso ocorre, as mulheres ainda não sabem que estão grávidas, e algumas chegam até a confundi-lo com o início de um novo período menstrual. Este tipo de corrimento é perfeitamente normal.

Durante o primeiro trimestre, com o aumento da vascularização do útero e da vagina, é possível haver uma pouco de corrimento amarronzado ou sanguinolento, em decorrência da rotura de pequenos vasos, especialmente após relação sexual ou qualquer outro esforço. Este tipo de sangramento é geralmente discreto e autolimitado, não representando nenhum risco à gravidez.

Todavia, sangramentos no primeiro trimestre podem ser sinal de aborto ou gravidez ectópica. O sinais de alerta são um corrimento sanguinolento em grande quantidade associado a dores ou cólicas abdominais. Na dúvida, qualquer corrimento com suspeita de sangue deve ser avaliado pelo obstetra (leia: SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ | Primeira metade).

No terceiro trimestre, um corrimento sanguinolento pode indicar alguma complicação, como descolamento prematuro da placenta ou parto prematuro.

Outra situação que pode causar sangramento vaginal nas grávidas em fase final de gravidez é a placenta prévia, um problema que ocorre quando a placenta está implantada à frente da saída do útero, obstruindo a passagem e impedindo a saída do feto durante o parto.

Qualquer corrimento sanguinolento na segunda metade da gravidez deve ser avaliado rapidamente por um obstetra.

Corrimento amarelado e/ou com mau cheiro

Corrimentos que não tenham características de corrimento fisiológico devem ser avaliados pelo obstetra, pois uma infecção ginecológica pode estar em curso. Entre os sinais de um corrimento patológico, podemos destacar:

  • Corrimento amarelado ou esverdado.
  • Corrimento com cheiro forte (cheiro de peixe cru).
  • Dor vaginal.
  • Coceira vaginal.
  • Corrimento associado a ardência para urinar.
  • Mudança súbita nas características ou no volume do corrimento.

As infecções ginecológicas durante a gravidez têm importância, pois estão associadas a inúmeras complicações, como parto prematuro, aborto, morte fetal, infecção do feto, etc.

As infecções que provocam vaginites (inflamação da do canal vaginal) são as principais causas para o corrimento patológico. São elas:

  • Vaginose bacteriana.
  • Tricomoníase.
  • Gonorreia.
  • Clamídia.
  • Candidíase.

Rompimento da bolsa

O feto dentro do útero fica envolto por uma membrana, que é preenchida com líquido aminótico. Esta membrana é chamada popularmente de bolsa d’água ou bolsa das águas.

O rompimento da bolsa ocorre no início do trabalho de parto e provoca uma grande drenagem de líquido pela vagina. Na maioria dos casos, não há muito como confundir esta situação com um corrimento vaginal.

Todavia, a saída de líquido pode ser pequena e intermitente, caso a cabeça do feto encoste no colo do útero e passe a funcionar como uma espécie de válvula, permitindo a passagem de líquido aminótico de forma parcial, somente quando a mãe se deita ou tosse.

O líquido amniótico é bem claro e líquido, mas pode ser um pouco amarelado e, às vezes, com algumas raias de sangue.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/gravidez/gravidez-corrimento/

Muco cervical: o que é e como varia ao longo do ciclo

O que pode ser corrimento transparente tipo clara de ovo

O muco cervical é uma secreção líquida produzida pelo colo do útero e que pode ser expelido através da vagina, aparecendo na roupa íntima como um tipo de corrimento transparente, branco ou levemente amarelado, sem odor, sendo uma secreção natural do corpo.

Esta secreção contém anticorpos que impedem a entrada de bactérias e vírus no útero, mantendo-o saudável. Além disso, o muco cervical aumenta a lubrificação, protege o esperma do ambiente ácido da vagina e ajuda o espermatozoide a alcançar o útero durante o período fértil.

Quando o corrimento vaginal apresenta alguma cor, cheiro, consistência mais espessa ou diferente do costume, pode indicar a presença de algum problema e por isso é importante consultar um ginecologista para avaliar melhor, fazer exames e orientar o tratamento adequado.

O muco cervical pode apresentar características diferentes de acordo com cada fase do ciclo menstrual, como:

1. Início do ciclo menstrual

O início do ciclo menstrual é o primeiro dia da menstruação e os hormônios estrógeno e progesterona que regulam o ciclo menstrual e a produção de muco cervical estão baixos e, por isso, nesta fase, que pode durar de 1 a 5 dias, a quantidade de muco cervical é muito baixa e não se consegue perceber.

2. Após a menstruação

Logo após a menstruação, geralmente dos dias 6 a 9 do ciclo menstrual, a quantidade de estrógeno começa a aumentar mas a produção de muco cervical ainda é baixa e normalmente a vagina aparenta estar mais seca nesta fase.

3. Período fértil

O período fértil é o conjunto de 6 dias que estão ao redor da ovulação e geralmente começa entre 10 a 14 dias após o primeiro dia da menstruação. Saiba como calcular o dia da ovulação.

No início desta fase, ocorre aumento gradual de estrógeno e da produção de muco cervical que aparenta mais espesso, pegajoso e esbranquiçado. Nos dias da ovulação, a vagina fica mais úmida e o muco cervical torna-se mais cristalino, transparente e elástico, semelhante à clara de ovo, e por isso, a presença desse muco indica que a mulher está fértil.

O muco cervical no período fértil é importante para aumentar a lubrificação da vagina e auxiliar a entrada dos espermatozoides no canal vaginal para chegar ao óvulo, facilitando a fecundação.

A análise das características do muco cervical é bastante utilizada para indicar o período fértil e esta análise é chamada de método do muco cervical ou método de Billings. Veja como utilizar o método de Billings.

4. Após o período fértil

Após o período fértil até a próxima menstruação, ocorre aumento da progesterona, um hormônio que prepara o útero para uma possível gravidez e os níveis de estrógeno diminuem. Nesta fase, a quantidade de muco cervical é muito baixa ou ausente e pode aparentar mais pegajoso ou viscoso.

Além do ciclo menstrual, o muco cervical também pode mudar dependendo da fase da vida da mulher:

1. Gravidez

O muco cervical na gravidez torna-se mais grosso e esbranquiçado devido às alterações hormonais normais deste período. Assim, ele forma uma barreira que serve como defesa para impedir que bactérias ou outros microrganismos se desenvolvam dentro do útero e criem complicações à gestação. Confira outras alterações que ocorrem no corpo da mulher grávida, para se adaptar à chegada do bebê.

2. Pós-parto

Após o parto, ocorre um processo natural do corpo de eliminação de restos de sangue, muco e tecidos da placenta durante 3 a 6 semanas, pois é a fase de contrações do útero para voltar ao seu tamanho normal.

Nesta fase, o muco vaginal possui características específicas de acordo com o período do pós parto, geralmente apresentando sangue durante os primeiros dias, tornando-se acastanhado com rajadas de sangue do 3º ao 10º dia e amarelado ou esbranquiçado a partir do 10º dia. Veja outras alterações no corpo no período pós-parto.

É importante sempre fazer o acompanhamento com o ginecologista para garantir uma recuperação tranquila no pós-parto.

3. Menopausa

A menopausa é marcada pelo fim da fase reprodutiva da mulher e ocorre porque os ovários deixam de produzir estrógeno e, por isso, a produção de muco cervical diminui e a vagina fica mais seca.

Além disso, apesar de pouco, o muco pode ficar mais espesso e odor pode mudar.

Por isso, deve-se fazer acompanhamento com ginecologista para avaliar as alterações do muco cervical na menopausa e a necessidade de reposição hormonal ou outro tipo de tratamento. Confira outras alterações que ocorrem na menopausa.

Como avaliar o muco cervical

Para avaliar o muco cervical a mulher deve estar nua e introduzir o dedo indicador na vagina para observar a secreção dessa região. Ao retirar o dedo deve-se observar se o muco está presente em quantidade suficiente e se está elástico ou não. O ideal para conseguir engravidar é apresentar um muco em boa quantidade e que ele esteja elástico.

A avaliação do muco cervical não deve ser usado como método contraceptivo para evitar a gravidez porque o muco pode sofrer pequenas variações ao longo do ciclo, tornando difícil a sua exata avaliação. Confira outras opções de métodos contraceptivos que podem ser mais seguros e eficazes.

Possíveis alterações

Algumas mulheres com dificuldade em engravidar podem possuir um muco cervical muito grosso durante todo o ciclo, que impede o movimento dos espermatozoides e, por isso, devem procurar um ginecologista para iniciar o tratamento adequado.

Além disso, o muco cervical pode ter uma consistência mais grossa quando se usa anticoncepcional por não ocorrer ovulação e as mudanças hormonais normais do ciclo menstrual.

Outras situações que podem alterar a consistência, a cor, o volume e o cheiro do muco cervical são mudanças hormonais, alterações na flora bacteriana da vagina ou infecções sexualmente transmissíveis, por exemplo. Estas alterações podem causar corrimento vaginal e devem sempre ser avaliadas pelo ginecologista. Saiba o que significa cada cor de corrimento vaginal.

Источник: https://www.tuasaude.com/muco-cervical/

Corrimento transparente: é normal?

O que pode ser corrimento transparente tipo clara de ovo

Todas as mulheres apresentam corrimento transparente, que nada mais é que uma secreção vaginal fisiológica que varia ao longo do ciclo menstrual, ficando mais abundante no período fértil.

As glândulas da vagina e do colo do útero produzem essa secreção aquosa para eliminar células mortas e possíveis bactérias alojadas no trato vaginal e urinário da mulher. Desta forma, o organismo feminino tem menos chances de desenvolver infecções.

Além disso, esse corrimento transparente líquido também faz parte da lubrificação natural da mulher e pode ser observado durante o momento de excitação e até mesmo depois do sexo.

O que vai determinar se a ocorrência do corrimento transparente grudento é ou não saudável são algumas características específicas como cor, odor e sintomas associados. Caso o corrimento vaginal venha acompanhado de mau cheiro, coceira vaginal e ardência, recomenda-se uma visita ao(a) ginecologista. O sintoma pode ser indício de diversas doenças ginecológicas.

Veja também: Corrimento vaginal: a cor pode dizer muito sobre ele. Entenda!

Saiba reconhecer o que o corrimento transparente pode significar:

1) Corrimento transparente clara de ovo 

É bem provável que você já tenha observado a presença do corrimento transparente parecendo água ou clara de ovo na calcinha. A secreção tem consistência fluida, por isso, pode causar essa impressão durante a higiene íntima. Esse corrimento líquido transparente nada mais é que um sinal da ovulação. 

Mulheres em idade fértil (após a primeira menstruação até o início da menopausa) estão sujeitas a este tipo de secreção. O organismo feminino libera esse tipo de corrimento transparente durante a ovulação para facilitar a mobilidade do óvulo no sistema reprodutivo da mulher. Por isso, a secreção pode ser notada em mais abundância no período ovulatório e no período fértil. 

Até mesmo mulheres que já passaram por uma laqueadura (ligadura das trompas como método contraceptivo) podem apresentar o corrimento transparente tipo clara de ovo. Afinal, os grandes responsáveis pelo aparecimento da secreção são os ovários, que não são influenciados pelo procedimento cirúrgico. 

Caso a secreção cause incômodo, a mulher pode optar pelo uso de protetor diário de calcinha e fazer a higiene íntima adequada. 

2) Corrimento transparente com sangue

O corrimento transparente com sangue, que também pode ter um aspecto rosado, pode ser um sinal de gravidez, se houver essa possibilidade. O sangramento de nidação acontece quando o óvulo fecundado é fixado na parede interna do útero. Portanto, em caso de dúvida e atraso menstrual, é recomendado fazer um teste de gravidez. 

Outra justificativa possível para o corrimento transparente com sangue é a ocorrência de alguma lesão na região íntima da mulher. Sangramento cervical e irritações vaginais estão entre as possibilidades. Por isso, ao notar a presença de sangue no corrimento, procure um(a) ginecologista. 

3) Corrimento transparente com cheiro 

Quando o corrimento transparente vem acompanhado de um odor desagradável, é sinal de que algo está errado. Observe se, ao longo do dia, a secreção perde a transparência e passa a apresentar tonalidades diferentes, como amarelada ou esverdeada. Esse detalhe pode ajudar o diagnóstico do problema! De qualquer forma, todo corrimento com cheiro deve ser notificado ao(a) ginecologista. 

O episódio pode ser o sintoma de alguma infecção vaginal causada por fungos ou bactérias, principalmente se estiver associado a outras manifestações, como dor e ardência ao urinar.

É preciso identificar o transtorno o quanto antes para que seja possível dar início ao tratamento, evitando possíveis sequelas mais graves características de algumas doenças ginecológicas (incluindo a infertilidade). 

Na maioria das vezes, a abordagem médica para esse tipo de enfermidade é feita através do uso de medicamentos e antibióticos, que podem ser em forma de pomada, comprimidos vaginais ou via oral. Vale ressaltar que cada caso é avaliado individualmente pelo(a) profissional. 

4) Corrimento transparente na gravidez

Não é raro encontrar relatos de mulheres grávidas sobre o aparecimento de um corrimento transparente durante a gestação.

O episódio é bastante normal! A secreção vaginal acontece porque nesta fase da vida da mulher há um maior fluxo sanguíneo na região íntima e, consequentemente, os hormônios presentes no sangue acabam favorecendo a liberação deste muco.

Se você ainda estiver insegura sobre o assunto, não hesite em tirar todas as suas dúvidas com um(a) ginecologista de confiança!

Источник: https://www.sodelas.com.br/noticia/corrimento-transparente-e-normal

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: