O que pode ser formigamento no couro cabeludo e o que fazer

Formigamento na cabeça: o que pode ser e o que fazer

O que pode ser formigamento no couro cabeludo e o que fazer

A sensação de formigamento na cabeça pode ser bastante desconfortável, mas normalmente não é grave e pode desaparecer em poucas horas. Isso porque, na maior parte dos casos, é comum que surja devido a situações de enxaqueca ou excesso de estresse, que podem ser aliviadas com repouso.

No entanto, existem outras causas um pouco mais graves que também podem estar na origem do formigamento, como diabetes ou esclerose múltipla, que precisam ser corretamente identificadas e tratadas.

Assim, o ideal é que, sempre que o formigamento demore para desaparecer ou sempre que for muito intenso, se consulte um clínico geral ou médico de família para avaliar o sintomas, fazer exames, identificar a causa do problema e iniciar o tratamento mais adequado.

1. Enxaqueca

A sensação de formigamento na cabeça e no rosto pode estar presente em situações de enxaqueca com aura juntamente com outros sintomas que podem estar presentes, sendo alguns deles dores intensas na cabeça, visão borrada e hipersensibilidade a luz. 

O que fazer: o ideal é diminuir o consumo de alimentos que possam piorar os sintomas como cafeína, chocolate ou bebidas alcoólicas, além de praticar exercício físico regularmente e ter uma boa noite de sono e descanso. Contudo, pode ser necessário o uso de medicamentos para tratar a enxaqueca, sendo aconselhável consultar um neurologista para orientar o melhor tratamento. Saiba mais sobre os tratamentos para enxaqueca.

2. Estresse e ansiedade

Episódios de crise de ansiedade levam o corpo a liberar hormônios como cortisol, conhecido como hormônio do estresse, e essa liberação excessiva pode fazer com que ocorra um aumento da atividade cerebral, aumentando o fluxo sanguíneo na região, que pode levar a sensação de formigamento na cabeça e em outras partes do corpo. 

O que fazer: o formigamento pode ser aliviado com o controle da respiração e diminuição de situações estressantes, uma boa noite de sono e a prática regular de exercícios também ajudam a diminuir o nível de estresse e ansiedade na maioria dos casos. Veja 5 remédios naturais para combater o estresse. 

3. Sinusite

A sinusite é um processo inflamatório da mucosa nasal e seios nasais que leva ao acúmulo de líquido nas cavidades e gera, como consequência, a compressão dos nervos da região do rosto, resultando na sensação de formigamento.

Além do formigamento, a sinusite pode ainda causar outros sintomas como a sensação de nariz entupido, coriza e dores de cabeça. Descubra mais sobre os sintomas da sinusite.

O que fazer: o desconforto pode ser aliviado com uso de soro fisiológico para lavagem nasal, diminuindo o muco presente. No entanto, o ideal é consultar um médico de família ou otorrinolaringologista, já que pode ser necessário a prescrição de antibióticos e corticoides para tratar a infecção.

Assista ao vídeo a seguir e descubra quais os remédios caseiros que pode usar para aliviar os sintomas de sinusite:

4. Lesões na cabeça

Quando ocorre uma lesão ou trauma na cabeça pode existir comprometimento dos nervos da região ou do fluxo sanguíneo e, quando isso acontece, é possível que surja a sensação de formigamento na cabeça, que pode afetar o rosto.

O que fazer: em caso de lesão ou trauma é indispensável buscar ajuda médica o mais rápido possível. O médico avaliará a situação e tomará as medidas necessárias, como pedir exames de imagem, e iniciar o tratamento de acordo com a causa e sintomas apresentados.

5. Problemas nos dentes 

Cirurgias dentárias para remoção ou implantação de dentes podem provocar quadros de formigamento, decorrente da anestesia utilizada ou possíveis lesões nos nervos faciais.

Além disso, outros problemas nos dentes, como a presença de abcessos dentários, também podem provocar inflamação dos tecidos e dos nervos, levando ao surgimento da sensação de formigamento.

Entenda mais sobre o abcesso dentário.

O que fazer: normalmente a sensação de formigamento é temporária. Caso não melhore em algumas horas, é recomendado procurar um dentista que pode receitar o uso de anti-inflamatórios para diminuição da dor e da inflamação presente, reduzindo, assim, o incômodo.

6. Diabetes

A sensação de formigamento na cabeça pode indicar diabetes descompensada, como é popularmente conhecida quando não tratada adequadamente. Este formigamento é resultado de danos causados nos nervos, sendo mais comum a sensação de formigamento nas extremidades do corpo, como pés e mãos. Porém, é possível que ocorram danos nos nervos do rosto e da cabeça. 

Entre os principais sintomas de diabetes estão perda de peso, sensação de sede excessiva, urina em excesso e visão turva. Descubra quais são os principais sintomas de diabetes.

O que fazer: é indicado uma reeducação alimentar, diminuindo o consumo de carboidratos e gorduras, além da realização de atividade física regular e uso correto das medicações receitadas pelo clínico geral ou endocrinologista, que também pode solicitar exames de sangue e urina para avaliar possíveis complicações da doença, e assim realizar um tratamento mais direcionado.

7. Esclerose múltipla

A sensação de formigamento e dormência é um dos sintomas presentes na esclerose múltipla, doença autoimune que atinge o sistema nervoso. Junto com o formigamento, outros sintomas podem estar presentes como fraqueza muscular, falta de coordenação dos movimentos, perda de memória e tontura. Entenda melhor como identificar a esclerose múltipla.

O que fazer: em caso de suspeita de esclerose múltipla o ideal é procurar um médico neurologista, que pode pedir exames para realização de um diagnostico preciso e assim iniciar o tratamento mais adequado. 

Quando ir ao médico

Deve-se consultar o médico principalmente quando o formigamento se mantém sem causa aparente por mais de 3 dias ou caso surjam outros sintomas como:

  • Formigamento em outras partes do corpo;
  • Paralisia total ou parcial do rosto;
  • Dores de cabeça.

É indicado prestar atenção nos locais de formigamento e no tempo de duração, pois isso ajudará o médico a realizar um diagnóstico mais preciso. O médico pode ainda pedir exames para auxiliar no diagnóstico, como ressonância magnética ou tomografia da cabeça e da face, para identificar possíveis lesões nos nervos, bem como exames de sangue.

Источник: https://www.tuasaude.com/formigamento-na-cabeca/

10 SINTOMAS DO LÚPUS

O que pode ser formigamento no couro cabeludo e o que fazer

Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune de causa ainda desconhecida que pode afetar a pele, articulações, rins, pulmões, sistema nervoso e vários outros órgãos do corpo.

Uma doença autoimune é aquela onde o sistema imunológico equivocadamente passa a produzir anticorpos contra estruturas do nosso próprio corpo. São chamados de auto-anticorpos. Para saber mais sobre doenças autoimunes, leia: DOENÇA AUTOIMUNE.

Neste texto iremos focar nos principais sintomas do lúpus. Temos um texto mais abrangente sobre a doença, abordando não só os sintomas, mas também diagnóstico e tratamento, que pode ser acessado neste link: LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO | Sintomas e tratamento.

É importante frisarmos que os pacientes com lúpus não necessariamente apresentam todos os sintomas descritos abaixo. O curso clínico do lúpus é muito variável e pode ser caracterizado por períodos de remissões e recidivas. A doença pode piorar ou melhorar ao longo dos anos, e sintomas que nunca existiram podem surgir de uma hora para outra.

A gravidade do lúpus depende de quais e quantos órgãos são afetados.

Há também uma escala de gravidade em relação ao acometimento de um mesmo órgão, por exemplo, o lúpus pode causar lesões renais muito graves ou praticamente assintomáticas.

Pacientes com  lesões graves de vários órgãos costumam apresentar um mau prognóstico. Já pacientes com  lesões leves e restritas a um ou poucos órgãos podem ter uma vida praticamente normal por décadas.

Sintomas constitucionais

Chamamos de sintomas constitucionais o grupo de sinais e sintomas inespecíficos, que atingem vários sistemas do organismos e são comuns a várias doenças. A principal característica dos sintomas constitucionais é nos dar ideia de que há algo de errado com a saúde sem, todavia, indicar precisamente o origem do problema.

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença que habitualmente manifesta-se com sintomas constitucionais na sua fase inicial. Entre eles os mais comuns são:

  • Cansaço e a intolerância ao exercício – são sintomas extremamente comuns e acometem mais de 80% dos pacientes com lúpus.
  • Dor muscular e sensação de fraqueza.
  • Perda de peso – ocorre de forma não intencional  e geralmente está associada à perda do apetite.
  • Febre.

Sobre a febre vale a pena falarmos um pouco mais. A febre no lúpus pode ocorrer quando a doença está em atividade ou porque há uma infecção em curso. A febre própria do lúpus, ou seja, causada pela doença e não por uma infecção, costuma ser baixa e associada aos outros sintomas do lúpus que serão explicados ao longo do texto.

Pacientes com lúpus apresentam maior susceptibilidade a doenças infecciosas, podendo a febre ser um sinal de infecção em andamento. A febre causada por uma infecção costuma ser mais alta e associada a outros sintomas típicos, como, por exemplo, tosse e expectoração na pneumonia, rigidez de nuca na meningite, dor lombar nas infecções renais (pielonefrite), etc.

Se o paciente já tem o diagnóstico de lúpus, é provável que ele esteja sob tratamento com anti-inflamatórios ou corticoides, medicamentos que diminuem a inflamação do lúpus e inibem a febre. Neste grupo de pacientes a presença de febre deve levantar a suspeita de uma infecção em curso, sendo pouco provável uma febre apenas por atividade da doença.

Alterações articulares

Aproximadamente 95% dos pacientes com lúpus apresentarão acometimento das articulações em algum momento da sua vida.

As manifestações articulares mais comuns são a artralgia (dor nas articulações sem sinais inflamatórios) e a artrite (inflamação das articulações) e costumam estar presentes já nas fases inicias do lúpus (Se você quiser saber mais sobre as diferenças entre artrite e artralgia, leia: ARTRITE e ARTROSE | Sintomas e diferenças).

A artrite no lúpus apresenta algumas características:

  • É uma poliartrite – acomete mais de quatro articulações ao mesmo tempo.
  • É uma artrite simétrica – costuma acometer ambos os joelhos, cotovelos, tornozelos e outras articulações simultaneamente.
  • É migratória – a inflamação de uma articulação pode desaparecer em apenas 24 horas e surgir em outra.
  • Não costuma causar deformidades graves nem cursa rigidez matinal prolongada, como na artrite reumatoide.
  • A dor é desproporcional à aparência física das articulações.

Lesão dos rins

3 em cada 4 pacientes com lúpus irão desenvolver alguma lesão nos rins durante o curso de sua doença. A manifestação renal mais comum é a perda de proteínas na urina, chamada de proteinúria, caracterizada clinicamente por uma espumação excessiva da urina.

Outros sinais e sintomas do acometimento renal pelo lúpus são:

O acometimento renal mais comum é a glomerulonefrite (lesão do glomérulo renal) causada pela deposição de auto-anticorpos no tecido renal.

Existem cinco tipos de glomerulonefrite provocadas pelo lúpus, reunidas pelo termo nefrite lúpica. São elas:

  • Nefrite lúpica classe I – Glomerulonefrite mesangial mínima.
  • Nefrite lúpica classe II – Glomerulonefrite proliferativa mesangial.
  • Nefrite lúpica classe III – Glomerulonefrite proliferativa focal.
  • Nefrite lúpica classe IV – Glomerulonefrite proliferativa difusa.
  • Nefrite lúpica classe V – Glomerulonefrite membranosa.

As classes III, IV e V são as mais graves, sendo a glomerulonefrite proliferativa difusa (classe IV) a que apresenta pior prognóstico. A glomerulonefrite mesangial mínima (classe I) é a mais branda.

A nefrite lúpica é classifica em classes porque cada uma dessas lesões apresenta prognóstico e tratamentos distintos. Por isso, a identificação de qual tipo de nefrite lúpica o paciente possui é de grande importância.

Apenas com os dados clínicos não é possível se estabelecer qual tipo de nefrite lúpica estamos lidando, já que proteinúria, hematúria e insuficiência renal são achados comuns nas nefrites tipo II, III,IV e V.

Portanto, todo paciente com lúpus manifestando sinais de doença nos rins deve ser submetido à biópsia renal para se identificar qual tipo de lesão no glomérulo que os auto-anticorpos estão causando.

É perfeitamente possível que um paciente apresente mais de uma classe de nefrite lúpica ao mesmo tempo.

As classes I e II não costumam necessitar de tratamento específico, porém, as classes III, IV e V como apresentam pior prognóstico e grande risco de insuficiência renal terminal, são normalmente tratadas com drogas imunossupressoras pesadas. As mais comuns são corticoides (cortisona), ciclofosfamida, ciclosporina, micofenolato mofetil e azatioprina.

Os pacientes não tratados ou que não apresentam boa resposta às drogas, inevitavelmente acabam precisando de hemodiálise.

Lesões de pele

Outro órgão muito frequentemente acometido é a pele. Até 80% dos pacientes com lúpus apresentam algum tipo de envolvimento cutâneo, principalmente nas áreas expostas ao sol.

As lesões típicas incluem o rash malar ou rash em asa de borboleta. Trata-se de uma área avermelhada que encobre as bochechas e o nariz como pode ser visto na foto ao lado (ver imagem no início do artigo).

O rash malar aparece em pelo menos 50% dos pacientes, costuma durar alguns dias e recorre sempre que há exposição solar. Exposição prolongada a luzes fluorescentes também pode desencadear lesões cutâneas.

Outra lesão dermatológica comum é o lúpus discoide, que se caracteriza por placas arredondadas e avermelhadas, mais comuns na face, pescoço e couro cabeludo.

O lúpus discoide pode fazer parte do quadro do lúpus sistêmico, ou ser a única manifestação da doença. Neste último caso, o prognóstico é melhor, já que não há envolvimento de outros órgãos.

Pacientes com lúpus discoide isolado apresentam 10% de chance de evoluírem para o lúpus eritematoso sistêmico. Quanto mais numerosas forem as lesões discoides, maior o risco de evolução para outros órgãos.

Outras lesões dermatológicas comuns são a perda de cabelo, que pode acometer não só o couro cabeludo, mas também sobrancelhas, cílios e barba.

Ulceras orais semelhantes às aftas são comuns, porém, com a diferença de serem normalmente indolores.

Anemia e outras alterações hematológicas

Os auto-anticorpos também podem atacar as células sanguíneas produzidas pela medula óssea. A alteração mais comum é a anemia, que ocorre não só pela destruição das hemácias, mas também pela inibição da produção na medula óssea.

Outra alteração hematológica comum é a diminuição dos glóbulos brancos (leucócitos), chamada de leucopenia. O mecanismo é o mesmo da anemia, destruição e inibição da sua produção. Seguindo o mesmo raciocínio também podemos encontrar a redução do número de plaquetas, chamado de trombocitopenia.

Quando temos queda das três linhagens sanguíneas ao mesmo tempo (hemácias, leucócitos e plaquetas) damos o nome de pancitopenia. Estas alterações podem ser detectadas pelo exame de hemograma.

Qualquer uma dessas alterações nas células do sangue pode ser fatal, seja por grave anemia , por infecções devido à baixa contagem de glóbulos brancos ou por sangramentos espontâneos devido à queda das plaquetas.

Aumento dos linfonodos e do baço também são um achado comum no lúpus e podem ser confundidos com linfoma.

Vasos sanguíneos

Os vasos sanguíneos, principalmente as artérias, também são frequentemente acometidos pelo lúpus.

O fenômeno de Raynaud é uma alteração na coloração dos membros, geralmente mãos ou pés, causado por espasmos dos vasos sanguíneos. O espasmo das artérias provoca uma súbita falta de sangue deixando a mão pálida.

Se o espasmo persistir, a falta de sangue faz com que a mão que estava pálida comece a ficar arroxeada. Esta isquemia pode causar muita dor.

Quando o espasmo desaparece, o rápido retorno do sangue deixa a pele quente e bem avermelhada.

O fenômeno de Raynaud não é exclusivo do lúpus e pode ocorrer mesmo em pessoas sem doença alguma diagnosticada. Frio, cigarro e cafeína podem ser gatilhos para esse sintoma.

Outro problema vascular comum no lúpus é o surgimento de tromboses. A síndrome do anticorpo antifosfolípide é uma doença que ocorre com frequência nos pacientes com lúpus e está associada à formação de múltiplos trombos, tanto nas artérias como nas veias, podendo levar a quadros de AVC, infarto renal, isquemia dos membros, trombose venosa das pernas e embolia pulmonar.

Além das tromboses que ocorrem com a síndrome do anticorpo antifosfolípide, os auto-anticorpos do lúpus podem atacar os vasos sanguíneos diretamente, causando o que chamamos de vasculite. A vasculite pode acometer qualquer vaso do corpo, podendo lesar pele, olhos, cérebro, rins, etc.

Alterações oculares

Os olhos são outros órgãos frequentemente afetados pelo lúpus. A manifestação mais comum é a ceratoconjuntivite sicca, conhecida também como síndrome do olho seco, muito comum na doença de Sjögren, mas que pode ser também um sintoma de lúpus.

Outros sintomas do lúpus relacionado à visão são a vasculite da retina, uveíte anterior (inflamação da íris, parte colorida dos olhos) e a episclerite (inflamação da esclera, parte branca dos olhos).

Alterações neurológicas

O lúpus pode cursar com síndromes neurológicas e psiquiátricas.

As lesões neurológicas ocorrem por tromboses e vasculites, que acabam por provocar AVC.

Alterações psiquiátricas também podem ocorrer devido ao lúpus. As mais comuns são a psicose, onde o paciente começa a ter pensamentos bizarros e alucinações, e a demência, com perda progressiva da memória e da capacidade de efetuar tarefas simples.

Alterações pulmonares

O pulmão e a pleura também são órgãos susceptíveis ao lúpus. Derrame pleural, pneumonite, doença intersticial pulmonar, hipertensão pulmonar e hemorragia alveolar são as manifestações pulmonares mais comuns. Como explicado acima, a embolia pulmonar é uma complicação que pode surgir em pacientes com anticorpos antifosfolípides.

Alterações cardíacas

Doenças cardíacas são comuns entre pacientes com lúpus eritematoso sistêmico. O envolvimento cardíaco pode se manifestar como:

  • Doença valvular, na maioria das vezes como uma regurgitação mitral leve.
  • Endocardite (inflamação das válvulas cardíacas) não infecciosa, chamada de endocardite de Libman-Sacks.
  • Doença do pericárdio (fina membrana que envolve o coração). A manifestação mais comum é a pericardite, inflamação do pericárdio.
  • Doença da artéria coronária.
  • Miocardite, inflamação do músculo cardíaco, que pode levar à insuficiência cardíaca.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/doencas-autoimunes/sintomas-lupus/

Formigamento no Couro Cabeludo – O Que Pode Ser e O Que Fazer

O que pode ser formigamento no couro cabeludo e o que fazer

O couro cabeludo e é definido como o invólucro ou envelope de tecido mole da abóbada craniana (parte superior do crânio), que é constituído por cinco camadas. Veja a seguir o que pode ser o formigamento no couro cabeludo e saiba o que fazer se estiver sentindo esse problema, de acordo com o diagnóstico.

  Continua Depois da Publicidade  

Essas cinco camadas são chamadas de pele, tecido conjuntivo, aponeurose epicraniana, tecido areolar solto e pericrânio. As primeiras três camadas do couro cabeludo ficam juntas em uma única unidade, que pode se mover ao longo do tecido areolar solto sobre o pericrânio.

É do couro cabeludo que os nossos cabelos nascem, herdando tanto as suas qualidades quanto os seus defeitos. Tanto que um couro cabeludo mal cuidado pode atrapalhar a nutrição dos fios e resultar em problemas como caspa, descamação e oleosidade em excesso.

Entretanto, mais do que isso, os sinais e sintomas que surgem no nosso couro cabeludo podem indicar a presença de alguma condição ou doença.

Aproveite para conhecer também o que pode ser formigamento no rosto, se for esse o seu caso.

Você sabe o que pode ser o formigamento no couro cabeludo?

Você é daqueles que ficapreocupado quando sente algo estranho no couro cabeludo? Ou não dá tantaimportância assim às reações que aparecem nessa região do corpo?

Saiba que o formigamento no couro cabeludo é um sintoma que merece a nossa atenção, pois pode ser sinal de uma série de problemas. Entre as possíveis causas apontadas para esse sinal, encontram-se:

1. Irritação na pele

A poluição e alguns produtospara os cabelos como tintas, descolorantes, itens de alisamento e shampoos comfragrâncias ou substâncias químicas podem irritar a superfície do courocabeludo.

Além disso, detergentesde roupa (sabão em pó, líquido ou concentrado), sabonetes, cosméticos, água,hera venenosa e metais também podem provocar irritações no couro cabeludo.

É importante saber ainda que se esquecer de enxaguar o shampoo dos cabelos pode causar coceira e que a aplicação de calor pode piorar a irritação.

  Continua Depois da Publicidade  

2. Doenças de pele

As seguintes doenças também foram apontadas como possíveis causadoras de formigamento no couro cabeludo e de outros sintomas como coceira, sensação de picadas e ardor:

  • Psoríase: se desenvolve quando ascélulas da pele são reproduzidas mais rapidamente do que o habitual e provocammanchas elevadas de pele seca e escamosa. Segundo a Fundação Nacional daPsoríase dos Estados Unidos, a psoríase no couro cabeludo atinge pelo menos umem cada duas pessoas que sofrem com a doença;
  • Dermatite seborreica: a condição afeta ocouro cabelo e outras áreas propensas ao óleo. Seus sintomas também podemincluir vermelhidão, pele oleosa, pele inflamada e escamação;
  • Foliculite: é caracterizada pelainflamação e o inchaço dos folículos capilares. Pode ter causas bacterianas,virais ou fúngicas e provocar dor, espinhas parecidas com protuberânciasvermelhas e lesões na pele;
  • Arterite de células gigantes ou arterite temporal: é uma doença rara que costuma atingir pessoas mais velhas eaparece quando o sistema imunológico ataca as artérias, provocando inflamação.A condição pode causar ainda dores de cabeça e nas articulações, além desensibilidade e dor no couro cabeludo e na face;
  • Alopecia areata: às vezes, pessoas que sofremcom esse doença caracterizada pela queda dos cabelos relatam sentirformigamento ou ardor no couro cabeludo.

3. Fatores hormonais

As oscilações hormonais associadas com o ciclo menstrual, agestação e a menopausa podem desencadear o formigamento no couro cabeludo.

Além disso, a di-hidrotestosterona (DHT) é um hormônio sexualmasculino que já foi associado com a perda capilar: homens e mulheres quesofrem com a queda de cabelo costumam ter níveis elevados de DHT.

Mas o que isso tem a ver com o formigamento no couro cabeludo?Bem, embora não se tenha pesquisas que associem o DHT ao sintoma, algumaspessoas já afirmaram terem experimentado uma sensação de formigamento durante aperda de cabelos.

Entretanto, acredita-se que a maioria das causas de formigamento no couro cabeludo não estão ligadas à queda de cabelo.

4. Causas climáticas

Enquanto um tempinho de inverno pode deixar o couro cabeludo seco ou com coceira, a queimadura de sol pode causar formigamento no couro cabeludo e o calor e a umidade podem provocar uma sensação de picada na região.

5. Outros motivos

Piolhos, o uso de certos medicamentos, dores de cabeça como aenxaqueca, esclerose múltipla, disfunção ou dano nervoso, pouca higiene,infecções no couro cabeludo, estresse ou ansiedade também podem provocar oformigamento no couro cabeludo.

E então, o que fazer?

O formigamento leve no couro cabeludo geralmente some por conta própria e quando a causa do problema é um produto utilizado nos cabelos, ele costuma ser aliviado com a interrupção do uso do produto em questão.

  Continua Depois da Publicidade  

A partir de então, você pode começar a testar os produtoscapilares em uma área pequena da pele antes de começar a usá-lo e escolheritens mais fraquinhos e suaves como shampoo para bebê ou para couro cabeludosensível.

Entretanto, é preciso ficar atento para as outras possíveis causas do problema, principalmente com as doenças que podem estar por trás do formigamento no couro cabeludo.

Portanto, se o sintoma não sumir rapidamente por conta própria,não for aliviado com a interrupção do uso de produtos para o cabelopotencialmente irritantes para a pele ou vier acompanhado de outros sintomas, éfundamental procurar um médico dermatologista, contar a ele todos os sinais queexperimentou (inclusive os que não estiverem relacionados à pele) para recebero diagnóstico e o tratamento adequados.

No caso de uma doença de pele, esse tratamento poderá incluir ouso de medicamentos de venda livre ou de prescrição médica, de cremes oushampoos.

Já se os sintomas apontarem para algum outro tipo de doença, odermatologista certamente te encaminhará para outro especialista de modo quevocê pode receber o diagnóstico e dar início ao tratamento que precisa.

Você já sentiu formigamento no couro cabeludo? O que foi diagnosticado pelo médico? Comente abaixo!

(2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Источник: https://www.mundoboaforma.com.br/formigamento-no-couro-cabeludo-o-que-pode-ser-e-o-que-fazer/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: